Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 53-54

894 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
894
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
595
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 53-54

  1. 1. O período «Uma vez que o tema da identidade portuguesa nunca foi tratado pela nossa literatura, acredito que o texto que se segue é da maior atualidade» (ll. 4-9) a) significa que o cronista considera importante o assunto que vai tratar. b) significa que a identidade portuguesa é tema inabitual na nossa literatura. c) é irónico, querendo, no fundo, dizer que o cronista acha o contrário.
  2. 2. Nas linhas 9-14, o cronista equipara o episódio que vai contar ao fado, à saudade, ao vinho do Porto, ao galo de Barcelos. As expressões que sublinhei são co-hipónimos, podendo ter como hiperónimo «emblema(s) da identidade portuguesa». «marca(s) de portugalidade». «símbolo(s) de Portugal». «referência(s) típica(s) de Portugal».
  3. 3. «pxiu» (55) = pst! (interjeição) «fachavor» (56) = faz favor
  4. 4. O cronista entrou numa pastelaria. Estava bastante calmo e tencionava comer uma pirâmide de chocolate. No entanto, o empregado que atendia às mesas demorou muito a prestar- lhe atenção — apesar de não haver demasiado serviço e mesmo depois de chamado pelo cliente —, o que talvez tenha começado a enervar o nosso cronista. Finalmente, o criado dirigiu-se-lhe para recolher o pedido («O que é que vai ser?»). Tendo o narrador respondido «Queria uma pirâmide de chocolate, por favor», o outro perguntou-lhe: «Queria? Já não quer?». (84)
  5. 5. O cronista entrou numa pastelaria. Estava bastante calmo e tencionava comer uma pirâmide de chocolate. No entanto, o empregado que atendia às mesas demorou muito a prestar- lhe atenção — apesar de não haver demasiado serviço e mesmo depois de chamado pelo cliente —, o que talvez tenha começado a enervar o nosso cronista. Finalmente, o criado dirigiu-se-lhe para recolher o pedido («O que é que vai ser?»). Tendo o narrador respondido «Queria uma pirâmide de chocolate, por favor», o outro perguntou-lhe: «Queria? Já não quer?».
  6. 6. O cronista entrou numa pastelaria. O empregado que atendia às mesas demorou muito a prestar-lhe atenção — apesar de não haver demasiado serviço e mesmo depois de chamado. Finalmente, o criado dirigiu-se-lhe para recolher o pedido. Tendo o narrador respondido que queria uma pirâmide de chocolate, o outro perguntou-lhe «Queria? Já não quer?». (52)
  7. 7. Textos dos media [de tipo narrativo:] • notícia • reportagem • crónica [de tipo argumentativo:] • artigo de opinião • crítica (de cinema, música, etc.)
  8. 8. [de tipo expositivo:] • artigo científico e técnico [de tipo conversacional:] • entrevista
  9. 9. • Poderia trazer-me uma pirâmide, por obséquio? • Queria uma pirâmide, por favor. • Era uma pirâmide • Dê-me uma pirâmide. • Quero uma pirâmide. • Dá-me a pirâmide, estúpido sacana!
  10. 10. funcionamento da língua [= gramática] • Variação e normalização linguística; Variedades do português • Propriedades prosódicas (altura, duração, intensidade); Constituintes prosódicos (entoação, pausa) • Estruturas lexicais (campos lexical e semântico) • Relações semânticas entre palavras (hiperonímia, hiponímia; holonímia, meronímia)
  11. 11. • Deíticos (pessoais, espaciais, temporais) • Actos ilocutórios (diretos e indiretos; assertivos, diretivos, compromissivos, expressivos, declarativos) • Princípios reguladores da interação discursiva (de cooperação; de cortesia) • Formas de tratamento • Oral e escrito; Registos formal e informal
  12. 12. • Modos de relato do discurso (direto, indireto, indireto livre); Verbos introdutores • Coesão textual; Anáfora e catáfora; Co- referência • Coerência • Protótipos textuais (descritivo, narrativo, argumentativo, expositivo, instrucional, conversacional, preditivo) • Paratextos (título, índice, prefácio, posfácio, rodapé, bibliografia) • Dicionário, glossário, enciclopédia, terminologia, thesaurus
  13. 13. leitura & escrita
  14. 14. 1.º período 3. Espelhos do eu textos de caráter autobiográfico 2.º período 3. Espelhos do eu Camões lírico 3.º período 5. Conto eu contos do séc. XX | sem cronologia 0. O que sei eu? 1. Eu e os outros textos transacionais e educativos 2. Eu com o Mundo textos dos media 4. (M)eu Mundo textos expressivos e criativos poetas do século XX
  15. 15. 2.º período • poesia lírica de Camões (3) • textos transacionais e educativos (1) • textos dos media (2) • textos expressivos (4) 3.º período Contos do século XX (5) • restos de 1 • restos de 2 • restos de 4
  16. 16. 2.º e 3.º período • leituras combinadas («contrato de leitura»)
  17. 17. compreensão oral [= ouvir] • Entrevista (radiofónica e televisiva) • Crónica radiofónica
  18. 18. expressão oral [= falar] • Reconto • Relato de vivências/experiências • Descrição/Retrato • Entrevista
  19. 19. Falar & Ouvir [= Compreensão oral & Expressão oral] • questionários de compreensão (de gravações áudio ou vídeo) • leitura em voz alta, recitação • trabalhos que impliquem gravação da fala (áudio e vídeo)
  20. 20. Usar é das faltas mais graves (capaz de gerar o meu ódio eterno). Os devem ficar sempre desligadíssimos e dentro das .
  21. 21. Preferia que ilas, malas e sacos não ficassem sobre a mesa.
  22. 22. http://gavetadenuvens.blogspot.pt sumários e tepecês estarão visíveis no próprio dia das aulas; aulas (fichas, apresentações) talvez só nos dias seguintes.
  23. 23. Material • trazer sempre (um por aluno) – não deitar fora o Caderno de Atividades • trazer , borracha, caneta
  24. 24. • trazer sempre para redações • trazer sempre as fichas da aula anterior • ir pondo no caderno todos os trabalhos
  25. 25. Sala • manterem os que foram combinados com diretor de turma – iremos depois vendo se é útil retocar essa distribuição
  26. 26. Trabalho na aula • o trabalho orientado pelas folhas que for dando é, em geral, individual • ter paciência e tentar compreender as folhas pela leitura • ouvir com mais aten o que eu explique (e não falar para o lado) • ser pontual
  27. 27. Em casa Ir mantendo as folhas organizadas Ir fazendo os trabalhos de (incluindo preparação das leituras) Ir revendo a gramática que dermos Ler as combinadas Atentar nas instru das tarefas
  28. 28. Quem não fez a tarefa de gravação de oral aproveite agora o início do período e entregue-me o trabalho.
  29. 29. TPC (1) Vê em Gaveta de Nuvens a instrução para leitura de livros; (2) Prepara a leitura (a compreensão e a própria leitura em voz alta) de «Entrevistas» (pp. 79-80).

×