Norma culta dani

4.768 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.768
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
99
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Norma culta dani

  1. 1. Você tem preconceito lingüístico?
  2. 2. Abertura: 1. Variação e Preconceito Lingüístico <ul><li>Toda língua muda com o tempo (mudança diacrônica ou histórica ) e varia de acordo com o lugar em que é falada (variação diatópica ou geográfica). </li></ul><ul><li>Diferenças lingüísticas refletem muitas vezes diferenças sociais  Preconceito Lingüístico, veiculado por meio de um preconceito social discriminatório. </li></ul>
  3. 3. Variação: fenômeno lingüístico regular inerente a todas as línguas naturais <ul><li>Vejamos como os processos fonológicos operam a mudança lingüística no exemplo a seguir, para comparar com fenômenos semelhantes em outras línguas: </li></ul><ul><li>* Os home tinha um pobrema sério pra arresorvê, intãoce eles pidiu ajuda pr’um véio amigo . </li></ul>
  4. 4. Concordância nominal/verbal e Processos fonológicos do português brasileiro (Pb): <ul><li>*“Os home tinha...”  eliminação das marcas de plural redundantes *home  queda de consoante nasal (M) em sílaba átona final *pobrema  síncope (queda de fonemas no interior de um vocábulo) e rotacização (troca da consoante L por R) </li></ul><ul><li>*pra  síncope * arresorvê  arcaísmo e apócope (queda de vogal final ou redução vocálica) </li></ul><ul><li>*intãoce  arcaísmo </li></ul><ul><li>*véio  assimilação </li></ul>
  5. 5. Processos fonológicos em outras línguas: <ul><li>Plural redundante: My beautiful yellow flower died yesterday / my beautiful yellow flowers died yesterday </li></ul><ul><li>Desnasalização das vogais póstônicas: comum na passagem do latim para o português ( abdomen > abdome; bitumen > betume; legumen > legume) </li></ul><ul><li>Rotacização: (Latim) ecclesia > (Francês) église >(Espanhol) iglesia > (Port.) ig r eja; (L) plaga > (F) plage > (E) playa > (P) p r aia </li></ul>
  6. 6. Continuando... <ul><li>Arcaísmos: verbos iniciados com A- já pertenceram à norma literária clássica  A- > Ad (L) - preposição (ad + prendere = apprendere > “aprender; ad + fluere= affluere > “afluir”) </li></ul><ul><li>Assentar, ajuntar, assoprar </li></ul><ul><li>*Intãoce <entonce< *in + tuncce< estonce< *ex tuncce </li></ul><ul><li>Assimilação: Som produzido por [lh] muito próximo ao da semivogal /Y/ (L) tégula> teg’la> tegla> teyla> telha> têia. </li></ul>
  7. 7. Português Padrão Francês Padrão Português ñp <ul><li>abelha abeille (abéye) abêia </li></ul><ul><li>alho ail (ay) ai </li></ul><ul><li>batalha bataille (batáye) bataia </li></ul><ul><li>trabalho travailler (travayê) trabaiá </li></ul>
  8. 8. Alguns versos de Os Lusíadas (Luís de Camões) <ul><li>“ E não de agreste avena, ou frauta ruda”(canto I, verso 5) </li></ul><ul><li>“ Doenças, frechas, e trovões ardentes”(X, 46) </li></ul><ul><li>“ Onde o profeta jaz, que a lei pubrica”(VII, 34) </li></ul><ul><li>“ Mas alembrou-lhe uma ira que o condena” </li></ul><ul><li>“ A noite negra e feia se alumia” </li></ul><ul><li>“ Alevantando o rosto assim dizia” </li></ul><ul><li>( apud Bagno, M. A língua de Eulália . 2001, p. 119) </li></ul>
  9. 9. Norma <ul><li>Padronização de normas de comportamento social = padronização de normas de comportamento lingüístico </li></ul><ul><li>Variedade Padrão: “conjunto codificado de normas lingüísticas socialmente aceitáveis pela classe de maior prestígio numa comunidade” (Roberto Camacho) </li></ul>
  10. 10. Variedade Culta <ul><li>Pautada na língua literária escrita e na tradição gramatical </li></ul><ul><li>Variedade padrão: imposta como referencial exclusivo para qualquer situação de fala </li></ul>
  11. 11. Para pensar... <ul><li>Não existe uso correto / incorreto da língua. O que ocorre são usos adequados ou não conforme a situação de fala. </li></ul><ul><li>Saber “falar bem” uma língua é saber fazer uso de seus múltiplos gêneros discursivos adequadamente. </li></ul><ul><li>“ A língua voa. A mão se arrasta.” (M. Bagno) </li></ul>
  12. 12. Referências Bibliográficas Bagno, Marcos. A língua de Eulália . São Paulo: Contexto, 2001. ____________. Preconceito lingüístico - o que é, como se faz . São Paulo: Loyola, 2002. Camacho, Roberto. “Norma culta e variedades lingüísticas”. In: Cadernos de Formação, UNESP.

×