IX Congresso Ibero-Americano de Psicologia – Lisboa 2014 
Desejo, intimidade e diferenciação em casais Portugueses: 
Resul...
Perel, 2007 
O aumento da 
intimidade 
emocional entre 
parceiros leva à 
diminuição do 
desejo sexual 
O desejo erótico c...
Diferenciação do self 
Fusão 
Autonomia 
na 
intimidade 
Distanciamento 
(Bowen, 1979; Schnarch, 2001)
Pertinência 
Intimidade 
Desejo 
Diferenciação 
Satisfação 
conjugal 
Bem estar 
Saúde física 
e mental 
Saúde física 
e m...
Casais Pessoas a viver em casal 
Entrevista conjunta: 
Intimidade; Desejo; Diferenciação; 
Trajectórias; inter-relações 
E...
Estudo 1: INTIMIDADE 
O que é a Intimidade Conjugal? 
Quais os fatores que mais influenciam a 
Intimidade no Casal? 
Ferre...
MODELO SISTÉMICO DA INTIMIDADE 
Autenticidade 
Partilha compreensão Confiança 
Estudo 1: Intimidade 
Autenticidade: 
A dif...
O que é que globalmente mais influencia a intimidade? 
Filhos(43) 
Estudo 1: Intimidade
Estudo 2 
Como é que os casais encaram a articulação e o 
desenvolvimento do desejo sexual e da 
diferenciação ao longo da...
Fatores potenciadores do desejo 
Autonomia 
Tempo e (27) 
despreocu 
pação 
(17) 
Autonomia 
(27) 
Atratividade 
(20) 
Mud...
Quais as estratégias de manutenção do desejo sexual 
co-construídas pelo casal? 
INOVAÇÃO 
(22) 
ESFORÇO E 
INVESTIMENTO (...
Inovação 
Autonomia 
Partilha 
A mudança requer 
esforço consciente 
“Reinventar a relação, 
descobrir de novo e 
fazer di...
Trajectórias mais frequentes 
Intimidade 
Aumento 
(P30) 
Desejo 
Altos e baixos (P18) 
Diminuição (P15) 
Aumento (P12) 
A...
Como se desenvolve a diferenciação no casal? 
Riscos da 
‘fusão’ 
•Padrões disfuncionais de poder 
•Baixa confiança - ciúm...
: 
As estratégias de promoção da 
diferenciação conjugal 
Diferenciação 
conjugal 
Desenvolver 
interesses 
pessoais 
Inve...
Estudo3 
Como é que as semelhanças entre parceiros estão 
relacionadas com os seus níveis de diferenciação, 
desejo e sati...
Resultados seleccionados: análise multinível 
A discrepância entre parceiros ao nível da diferenciação (alta vs. baixa) 
p...
Principais limitações 
Estudo transversal 
Amostra de conveniência 
• Baixa diversidade 
• Sobretudo casais satisfeitos 
E...
Principais contributos 
Para a investigação 
• Definição da intimidade baseada em dados empíricos 
• Percepção de impacto ...
Principais contributos 
Para a Clínica 
• Postura agentic dos casais satisfeitos (espontaneidade vs 
estratégias) 
• Integ...
Projecto Intimidades: Referências chave 
Ferreira, L. C., Narciso. I. & Novo, R (2012). Intimacy, sexual desire and differ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Desejo, Intimidade e Diferenciação em Casais Portugueses

824 visualizações

Publicada em

Esta comunicação foi apresentada no Congresso Iberoamericano de Psicologia, no CCB, a 10 de Setembro de 2014 e contém uma síntese de alguns dos resultados finais do Projecto Intimidades

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Desejo, Intimidade e Diferenciação em Casais Portugueses

  1. 1. IX Congresso Ibero-Americano de Psicologia – Lisboa 2014 Desejo, intimidade e diferenciação em casais Portugueses: Resultados finais do Projecto Intimidades Luana Cunha Ferreira Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra Morgan Center for the Study of Relationships and Personal Life (Universidade de Manchester, UK) Ackerman Institute for the Family & City College of New York (NY,C EUA)
  2. 2. Perel, 2007 O aumento da intimidade emocional entre parceiros leva à diminuição do desejo sexual O desejo erótico cresce no mistério, no desconhecido e no imprevisível, não na familiaridade, nas rotinas e nos hábitos das relações domésticas O desafio para os casais modernos é reconciliar a necessidade de segurança e previsibilidade com o desejo de descobrir o que é novo , misterioso e fascinante. Será a diferenciação do self a missing link entre intimidade e desejo?
  3. 3. Diferenciação do self Fusão Autonomia na intimidade Distanciamento (Bowen, 1979; Schnarch, 2001)
  4. 4. Pertinência Intimidade Desejo Diferenciação Satisfação conjugal Bem estar Saúde física e mental Saúde física e mental • Poucos estudos focados na díade – casal • Poucos estudos de ênfase qualitativo focado na experiência e vivência conjugal • Não há estudos que enderecem o tema específico
  5. 5. Casais Pessoas a viver em casal Entrevista conjunta: Intimidade; Desejo; Diferenciação; Trajectórias; inter-relações Estudos Qualitativos Estudos Quantitativos Intimidade N=428 Questionário de auto-relato: Intimidade (MSIS); Diferenciação do self (DSI-R); Desejo sexual (HISD); Satisfação conjugal (EASAVIC) Desejo & Diferenciação Discrepâncias no casal Modelos preditivos N=33 Estudos ed validação de escalas N=492 33 casais heterossexuais (N=66) Idade : M= 40 anos Tempo de coabitação: M=13 anos Casais com filhos (62.5%) Análise Qualitativa: Constructivist Grounded Theory
  6. 6. Estudo 1: INTIMIDADE O que é a Intimidade Conjugal? Quais os fatores que mais influenciam a Intimidade no Casal? Ferreira, L. C., Narciso, I., & Novo, R. F. (2013). Authenticity, work and change: A qualitative study on couple intimacy Families, Relationships and Societies, 2 (3), 339-354.
  7. 7. MODELO SISTÉMICO DA INTIMIDADE Autenticidade Partilha compreensão Confiança Estudo 1: Intimidade Autenticidade: A diferença que faz a diferença? “é estar à vontade para dizer o que penso, o que sinto…é não ter que me esconder atrás de máscaras [S: é poder ser eu própria] (…) sem estar com defesas” (C11)
  8. 8. O que é que globalmente mais influencia a intimidade? Filhos(43) Estudo 1: Intimidade
  9. 9. Estudo 2 Como é que os casais encaram a articulação e o desenvolvimento do desejo sexual e da diferenciação ao longo da relação de casal? Que factores são identificados pelos casais como influenciadores dos processos e das trajectórias do desejo e da diferenciação? Ferreira, L. C., Fraenkel. P., Narciso, I., & Novo, R. F. (in press). Is committed desire intentional? A qualitative exploration of sexual desire and differentiation of self in couples. Family Process Estudo 2: Desejo Sexual e diferenciação
  10. 10. Fatores potenciadores do desejo Autonomia Tempo e (27) despreocu pação (17) Autonomia (27) Atratividade (20) Mudança (24) Homens Mulheres Monotonia (12) Conflito (20) Ter filhos e gravidez(26) Falta de tempo (15) Fatores perturbadores do desejo Mudança (25) Tempo e despreocup ação (20) Filhos e gravidez(12) Conflito (18) Fatiga (13) Falta de tempo (14) Erotismo (20) Sentir-se desejado (13) Estudo 2: Desejo Sexual e Diferenciação
  11. 11. Quais as estratégias de manutenção do desejo sexual co-construídas pelo casal? INOVAÇÃO (22) ESFORÇO E INVESTIMENTO (16) PARTILHA E COMUNICAÇÃO (15) AUTONOMIA (11) Estudo 2: Desejo Sexual e Diferenciação
  12. 12. Inovação Autonomia Partilha A mudança requer esforço consciente “Reinventar a relação, descobrir de novo e fazer diferente…não aceitar que as coisas são assim…porque sim” Esforço “O facto de ela fazer as coisas dela faz-me ter orgulho nela, admirá-la...e isso aumenta o meu desejo” P46 “Se gerarmos novas situações, fora da rotina, o desejo pode ser aumentado. Se a nossa vida for sempre a mesma coisa, isso destrói o desejo...” (P45) “Partilhar medos, e apoiarmo-nos que há algo partilhado ali…e isso mexe connosco (P61) “Ir passear e parar num jardim, as vezes é quase como forçar o estar juntos, a falar, a desenvolver, a crescer, a continuar a construir” Estudo 2: Desejo Sexual e Diferenciação
  13. 13. Trajectórias mais frequentes Intimidade Aumento (P30) Desejo Altos e baixos (P18) Diminuição (P15) Aumento (P12) Aumento e depois estabiliza (P8) Estável(P8) U curve (P3) Diferenciação Aumento (P18) Estável (P16)
  14. 14. Como se desenvolve a diferenciação no casal? Riscos da ‘fusão’ •Padrões disfuncionais de poder •Baixa confiança - ciúme •Saturação Benefícios da diferenciação •Manter o interesse-curiosidade •Promover a autonomia •Sublinhar a identidade “A paixão é fusão” (duração da relação) “Amor é diferenciação” (adap.P64) Estratégias de promoção da diferenciação
  15. 15. : As estratégias de promoção da diferenciação conjugal Diferenciação conjugal Desenvolver interesses pessoais Investir numa ligação positiva Potenciar a integridade pessoal
  16. 16. Estudo3 Como é que as semelhanças entre parceiros estão relacionadas com os seus níveis de diferenciação, desejo e satisfação? Ferreira, L. C., Narciso, I., Novo, R. F., & Pereira, C. Partner’s similarity in differentiation of self contributes to higher couple sexual desire: A quantitative dyadic study. (submitted)
  17. 17. Resultados seleccionados: análise multinível A discrepância entre parceiros ao nível da diferenciação (alta vs. baixa) prediz negativamente o desejo sexual
  18. 18. Principais limitações Estudo transversal Amostra de conveniência • Baixa diversidade • Sobretudo casais satisfeitos Estudos Quantitativos • Multicolinearidade; Interdependência Estudos Qualitativos • Entrevista conjunta
  19. 19. Principais contributos Para a investigação • Definição da intimidade baseada em dados empíricos • Percepção de impacto de vários subsistemas na intimidade e no desejo • Diversidade de trajectórias do desejo sexual • Percepção sobre a trajectória e processo de diferenciação conjugal • Papel estrutural da diferenciação no desejo, intimidade e satisfação • Papel central do desejo como preditor da intimidade e satisfação
  20. 20. Principais contributos Para a Clínica • Postura agentic dos casais satisfeitos (espontaneidade vs estratégias) • Integração da partilha e da autonomia • Papel da autenticidade • Relevância da perspectiva diádica nas questões de desejo e de diferenciação • Tomada de consciência da ‘fusão’ pode desencadear a promoção da diferenciação conjugal • Avaliação: Stress e Trabalho como factores determinantes • Prevenção: Pontos de viragem (filho, coabitação)
  21. 21. Projecto Intimidades: Referências chave Ferreira, L. C., Narciso. I. & Novo, R (2012). Intimacy, sexual desire and differentiation in couplehood: A theoretical and methodological review. Journal of Sex and Marital Therapy, 38, 263-280. Ferreira, L. C., Narciso, I., & Novo, R. F. (2013). Authenticity, work and change: A qualitative study on couple intimacy. Families, Relationships and Societies, 2, 339- 354. Ferreira, L. C., Narciso, I., & Novo, R. F. (in press). Is commited desire intencional desire? Family Process Ferreira, L. C., Narciso, I., & Novo, R. F. (in press). Predicting couple satisfaction. Sexual and Relationship Therapy • Leiblum, S. (2010). Treating sexual desire disorders,: A Clinical casebook. São Paulo: Artmed • Perel, E. (2008). Mating in Captivity: Reconciling the erotic and the domestic. NY: Harper Collins. • Schnarch, D. M. (2010). Intimacy and Desire. NY: Beaufort Books. www.luanacunhaferreira.com

×