SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
         SETOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
         DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA




 Distúrbios de Humor e
Transtornos Alimentares
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
                  SETOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
                   DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA




       “FISIOLOGIA NA EDUCAÇÃO DE
        JOVENS PARA A CIDADANIA”
            (Projeto de extensão)




Distúrbios de Humor e Transtornos
           Alimentares




Profª Orientadora: Ana Maria C. Filadelfi

Graduanda: Fernanda Gabriela Leandro Schaedler
Ultimamente quase sempre quando alguém
está muito triste, mostra-se sempre exausto ou
quando não tem muita vontade de fazer certas
atividades que antes fazia, dizemos que esta
pessoa está com “Depressão”. Mas o que é de
verdade essa doença? E o que ela pode causar
nas pessoas?
 A Depressão normalmente causa um
sentimento de constante desânimo, fracasso e
uma tristeza profunda. Assim, a pessoa doente
isola-se, perde a vontade de sair com os
amigos, praticar atividade física e fazer
qualquer outra coisa que antes ela sentia
prazer em fazer. É importante deixar claro que
todos nós nos sentimos tristes de vez em
quando e isso não significa que estamos
doentes.
 Na Depressão essa tristeza se torna constante
e profunda, afetando não somente o humor,
mas também a parte física da pessoa (é
possível que a pessoa tenha tonturas, enjôos,
dores articulares e musculares, etc) bem como
sua alimentação e seus relacionamentos, tanto
sociais (na escola, faculdade, família, etc.)
quanto profissionais.
Acredita-se que a Depressão afete certa de 30%
   da população mundial e que ela tenha início
   entre os 15 e 24 anos.




    Esse transtorno é muito mais comum entre as
   mulheres do que entre homens, isso pode
   acontecer por causa de excessivas pressões
   vindas de seus namorados, amigos, pais, ou por
   preocupações com a carreira, a faculdade, o
   cuidado com os filhos, etc.
    É importante ficar atento com as pessoas que
   apresentam esses sintomas, pois os pensamentos
   de suicídio são comuns entre os depressivos.
O QUE CAUSA A DEPRESSÃO?
    Acredita-se   que    a     falta  de     alguns
   neurotransmissores seja a causa específica desse
   problema de saúde.
    Neurotransmissores     são     as  substâncias
   secretadas pelos neurônios que transmitem as
   informações para o nosso corpo. É uma das
   formas pelas quais as nossas células
   “conversam”. Eles são liberados nas sinapses ou
   junções neuronais químicas.
TRATAMENTO
     Quando se trata da Depressão, assim
  como em outras doenças, buscar ajuda
  profissional logo é essencial, pois a doença
  pode tornar-se muito séria, isolando a
  pessoa de sua família e amigos,
  dificultando seu trabalho e estudos e até
  mesmo levando a tentativas de suicídio.
   Profissionais    como      psiquiatras     e
  psicólogos, através do tratamento com
  psicoterapia       (consultas       regulares
  envolvendo conversas, leituras, etc) podem
  auxiliar a alcançar ótimos resultados. Estes
  podem ser potencializados se aliados à
  medicação, dependendo do grau de
  depressão. O ideal é que pessoas
  portadoras de depressão continuem em
  tratamento por longos períodos, sem
  abandoná-lo, a não ser que recebam alta de
  seus médicos ou psicólogos.
Com a influência da mídia em nossas
vida, hoje em dia é comum que muitas pessoas
achem que seus corpos não são bonitos o suficiente
ou que nunca serão como os mostrados na
televisão e em propagandas. E sem perceber
acabam submetendo-se a tratamentos estéticos e
ao uso de medicamentos, muitas vezes sem
orientação médica e sem necessidade, somente
para atingirmos essa “perfeição” que nos é
imposta e que na verdade não existe.
   E essa busca constante pela perfeição do corpo
pode resultar em um transtorno psicológico e
alimentar, que afeta pessoas de qualquer idade ou
sexo e em qualquer nível socioeconômico. Porém,
costumam       ser     mais   afetadas,   mulheres
adolescentes, especialmente as que têm atividades
em que o corpo fica mais em evidência (modelos,
bailarinas, etc), já que normalmente se preocupam
mais com a sua aparência. Elas acabam tendo uma
visão errada sobre os seus corpos, enxergando-se
mais gordas e feias, quando na verdade são apenas
garotas normais, mas que estão psicologicamente
doentes.
Pessoas com anorexia tendem a manter seu peso
abaixo do normal, não se alimentam bem e ficam
muitas horas sem comer com medo de engordar ainda
mais e assim prejudicam todas as funções de seu
organismo, inclusive o seu crescimento. É uma doença
grave, pois pode levar à morte por inanição.




  COMO É UMA PESSOA COM ANOREXIA?
  É uma pessoa perfeccionista, que não considera seu
comportamento errado e não vê como está fazendo
mal a si mesma! É também uma pessoa que fala muito
sobre comida, mas raramente se alimenta, e faz de
tudo para esconder seus problemas de amigos e
familiares. E por ter medo que os outros descubram o
que ela está passando, ela se recusa a falar sobre isso
ou procurar um médico especialista. Normalmente
essa pessoa acaba ficando com pelo menos 25% a
menos de peso do que deveria ter para sua altura ou
idade. E para isso faz exercícios compulsivamente,
vive fazendo dietas e lendo revistas e sites que falam
sobre esses temas. Exibe comportamentos repetitivos e
depressivos.
QUAIS AS CAUSAS DA ANOREXIA?
     As causas exatas da doença ainda não estão
definidas, mas acredita-se que entre seus
principais geradores estão: o medo de crescer; o
medo da sexualidade tão imposta em nossa
sociedade; o bulling que acontece com tanta
frequência nas escolas e marca muito a vida dos
adolescentes, deixando-os com vergonha do
próprio corpo; os conflitos familiares; e as
pressões vindas da mídia, que nos impõem o
corpo perfeito e exigem que sejamos dessa forma
para sermos aceitos na sociedade.




COMO É O TRATAMENTO?
(ver final do item Bulimia)
Muitos acabam achando que a
bulimia é o inverso da anorexia, o que não é
verdade. A bulimia, assim como a anorexia,
é um transtorno alimentar, a diferença é
que na anorexia a pessoa não se alimenta,
faz jejuns e faz de tudo para emagrecer; já
na Bulimia a pessoa não consegue conter o
impulso       de     comer,      alimenta–se
compulsivamente e acaba ingerindo maior
quantidade de alimentos do que seria
necessário para se saciar. Mas com medo de
engordar, ela acaba recorrendo a métodos
como: forçar o vômito, utilizar laxantes,
diuréticos, inibidores de apetite, etc. E essa
atitude acaba trazendo enormes prejuízos
para o organismo do portador da doença.
QUAIS OS PRINCIPAIS SINTOMAS?
        Preocupação exagerada com o corpo: a pessoa está
constantemente procurando defeitos em sua aparência
física; ingestão excessiva de alimentos e demonstração de
culpa pelo quantidade ingerida; sintomas de depressão,
tristeza, aborrecimento, autoinsatisfação com a forma
física, baixa autoestima; ir ao banheiro metodicamente
depois da refeição, uma vez que é lá aonde vão acontecer
os episódios de vômitos característicos da bulimia.

QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS?
       Quando a pessoa com bulimia induz o vômito, junto
com o alimento também está o suco gástrico, e com o
tempo e os vários episódios de vômito, esse suco gástrico
vai ferindo a garganta e toda a boca, vai retirando o
esmalte dos dentes e os corroendo. Também pode trazer
problemas para o estômago, como úlceras e gastrite. Por
outro lado, o uso de laxantes acaba fazendo com que o
intestino não funcione quando o medicamento não é mais
utilizado, ou seja, ele fica dependente do laxante. Além do
fato de que tudo isso acaba deixando o organismo sem
nutrientes, alterando praticamente todas as funções básicas
do corpo, como por exemplo, as dos rins e do coração,
afetados pela perda excessiva de sais minerais pelo vômito
ou fezes.
COMO É O TRATAMENTO?
       O tratamento da anorexia e bulimia inclui consulta
com vários médicos e especialistas diferentes, como
nutricionistas     e    psicólogos,    pois    é    feito,
simultaneamente, um tratamento ao mesmo tempo
físico e psicológico, para que a pessoa volte a perceber
seu corpo real e faça uma dieta de ganho de peso
(especialmente na anorexia). Pode ser necessário o uso
de antidepressivos e ansiolíticos. Mas o mais importante
é a ajuda, o carinho e o apoio de familiares e amigos na
recuperação da saúde da pessoa com anorexia,
principalmente para que ela nunca desista do
tratamento e possa se recuperar antes que aconteçam
maiores danos, como até mesmo a morte por inanição.
Atitudes de crítica ou menosprezo por parte de
familiares e amigos não contribuem e podem agravar a
situação!!
É cada vez maior o número tanto de crianças
quanto de adultos obesos em nossa sociedade. Isso se
deve principalmente à falta de tempo para uma
alimentação adequada e nos horários corretos, o que
leva a ingestão excessiva de fast foods. A excessiva
carga de trabalho atual também gera falta de tempo
para a prática esportiva.




   No caso dos jovens, a principal causa é a
preferência    pelos    alimentos    gordurosos     e
industrializados, principalmente pelo sabor e por
serem muito apresentados na mídia, como é o caso
das bolachas recheadas e dos salgadinhos.
   Um grande risco para crianças e adolescentes é que
normalmente uma criança obesa será um adulto
obeso, e as chances de se desenvolver problemas
cardíacos são enormes.
   E é por isso que esse assunto é tão comentado
atualmente,    porque      esse   doença    chamada
“Obesidade” acarreta outras doenças graves e que
podem levar a morte.
Normalmente a Obesidade ocorre quando a
ingestão de alimentos é maior do que o gasto,
mas ela também pode ocorrer por fatores
genéticos (ou herança familiar) ou por defeitos
metabólicos que a pessoa apresente.




  Uma pessoa é considerada obesa quando
pesa 20% a mais do seu peso ideal, em relação
à sua altura. Existe uma fórmula muito usada
para fazer o calculo do “Índice de Massa
Corporal” ou “IMC” e é por esse resultado
que os médicos ou nutricionistas sabem se é
necessário um tratamento para redução do
peso.
                  IMC = peso
                            (altura)2
                  normal = entre 18,5 e 25
O QUE A OBESIDADE CAUSA?
   A Obesidade pode causar problemas psicológicos e
pode levar a pessoa a sofrer bulling. Mas também pode
levar a problemas físicos como: inflamações crônicas,
disfunção de vasos, diabetes, depressão, complicações
ortopédicas, doenças do sono e cânceres. E alguns desses
fatores contribuem para o infarto e a morte.




  TRATAMENTO
   • Mudança de hábitos alimentares;
   • Rotina de atividade física;
   • Medicamentos;
   • Processos cirúrgicos;
   http://www.abeso.org.br/revista/revista13/i
    mages/obes_inf1.jpg, acesso 07/12.
   http://cache.kotaku.com/assets/resources/200
    6/10/bulimia.jpg, acesso 07/12.
   http://psych.wisc.edu/henriques/resources/b
    ulimia_ad.jpg, acesso 07/12.
   http://www.youthnoise.com/page.php?page_i
    d=2916, acesso 07/12.
   http://readingpp.files.wordpress.com/2007/09
    /anorexia.JPG, acesso 07/12.
   http://www.copacabanarunners.net/imc.html,
    acesso 07/12.
   http://www.mentalhelp.com.br/anorexia_nerv
    osa_depoimentos.htm, acesso 07/12.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manual de Nutrição para Idosos
Manual de Nutrição para IdososManual de Nutrição para Idosos
Manual de Nutrição para IdososIsabela Fernandez
 
ALIMENTAÇÃO & NUTRIÇÃO: DESMISTIFICANDO DÚVIDAS. Guia para profissionais de s...
ALIMENTAÇÃO & NUTRIÇÃO: DESMISTIFICANDO DÚVIDAS. Guia para profissionais de s...ALIMENTAÇÃO & NUTRIÇÃO: DESMISTIFICANDO DÚVIDAS. Guia para profissionais de s...
ALIMENTAÇÃO & NUTRIÇÃO: DESMISTIFICANDO DÚVIDAS. Guia para profissionais de s...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Slides qualidade de vida e saúde
Slides qualidade de vida e saúdeSlides qualidade de vida e saúde
Slides qualidade de vida e saúdeMARCIA FAVARO
 
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idosoNutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idosoKetlenBatista
 
indicadores de saude.pptx
indicadores de saude.pptxindicadores de saude.pptx
indicadores de saude.pptxssuser51d27c1
 
Guia alimentar para população brasileira
Guia alimentar para população brasileiraGuia alimentar para população brasileira
Guia alimentar para população brasileiraLetícia Spina Tapia
 
Diabetes Mellitus tipo II
Diabetes Mellitus tipo IIDiabetes Mellitus tipo II
Diabetes Mellitus tipo IILarah Oliveira
 
Alimentação saudável
Alimentação saudávelAlimentação saudável
Alimentação saudável_Maryana_
 
NutriçãO E Qualidade De Vida
NutriçãO E Qualidade De VidaNutriçãO E Qualidade De Vida
NutriçãO E Qualidade De Vidapenacozinha
 
Diretrizes acsm - Para prescrição de exercícios
Diretrizes acsm - Para prescrição de exercíciosDiretrizes acsm - Para prescrição de exercícios
Diretrizes acsm - Para prescrição de exercíciosmarcelosilveirazero1
 

Mais procurados (20)

Manual de Nutrição para Idosos
Manual de Nutrição para IdososManual de Nutrição para Idosos
Manual de Nutrição para Idosos
 
ALIMENTAÇÃO & NUTRIÇÃO: DESMISTIFICANDO DÚVIDAS. Guia para profissionais de s...
ALIMENTAÇÃO & NUTRIÇÃO: DESMISTIFICANDO DÚVIDAS. Guia para profissionais de s...ALIMENTAÇÃO & NUTRIÇÃO: DESMISTIFICANDO DÚVIDAS. Guia para profissionais de s...
ALIMENTAÇÃO & NUTRIÇÃO: DESMISTIFICANDO DÚVIDAS. Guia para profissionais de s...
 
Slides qualidade de vida e saúde
Slides qualidade de vida e saúdeSlides qualidade de vida e saúde
Slides qualidade de vida e saúde
 
Nutrição do idoso
Nutrição do idosoNutrição do idoso
Nutrição do idoso
 
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idosoNutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
 
Transtornos alimentares-bulimia e anorexia
Transtornos alimentares-bulimia e anorexiaTranstornos alimentares-bulimia e anorexia
Transtornos alimentares-bulimia e anorexia
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
indicadores de saude.pptx
indicadores de saude.pptxindicadores de saude.pptx
indicadores de saude.pptx
 
Guia alimentar para população brasileira
Guia alimentar para população brasileiraGuia alimentar para população brasileira
Guia alimentar para população brasileira
 
Piramide Alimentar
Piramide AlimentarPiramide Alimentar
Piramide Alimentar
 
Diabetes Mellitus tipo II
Diabetes Mellitus tipo IIDiabetes Mellitus tipo II
Diabetes Mellitus tipo II
 
Allimentacao saudavel idoso
Allimentacao saudavel idosoAllimentacao saudavel idoso
Allimentacao saudavel idoso
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Alimentação saudável
Alimentação saudávelAlimentação saudável
Alimentação saudável
 
NutriçãO E Qualidade De Vida
NutriçãO E Qualidade De VidaNutriçãO E Qualidade De Vida
NutriçãO E Qualidade De Vida
 
Saude do homem
Saude do homem Saude do homem
Saude do homem
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 
Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
 
Alimentação saudável e Hipertensão
Alimentação saudável e HipertensãoAlimentação saudável e Hipertensão
Alimentação saudável e Hipertensão
 
Diretrizes acsm - Para prescrição de exercícios
Diretrizes acsm - Para prescrição de exercíciosDiretrizes acsm - Para prescrição de exercícios
Diretrizes acsm - Para prescrição de exercícios
 

Destaque

Aula 7 Depressão e transtornos alimentares
Aula 7 Depressão e transtornos alimentaresAula 7 Depressão e transtornos alimentares
Aula 7 Depressão e transtornos alimentaresAna Filadelfi
 
Cartilha hipertensão
Cartilha hipertensãoCartilha hipertensão
Cartilha hipertensãoAna Filadelfi
 
Evangelina Vormittag na III Semana Saude e Meio Ambiente Santa Marcelina
Evangelina Vormittag na III Semana Saude e Meio Ambiente Santa MarcelinaEvangelina Vormittag na III Semana Saude e Meio Ambiente Santa Marcelina
Evangelina Vormittag na III Semana Saude e Meio Ambiente Santa MarcelinaSantaMarcelinaMeioAmbiente
 
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentesCartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentesAna Filadelfi
 
Cartilha A nossa saúde e o ambiente
Cartilha  A nossa saúde e o ambienteCartilha  A nossa saúde e o ambiente
Cartilha A nossa saúde e o ambienteAna Filadelfi
 
Cartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitosCartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitosAna Filadelfi
 
Cartilha ritmos biológicos sono em animais
Cartilha ritmos biológicos   sono em animaisCartilha ritmos biológicos   sono em animais
Cartilha ritmos biológicos sono em animaisAna Filadelfi
 
Cartilha saúde e bem estar
Cartilha saúde e bem estarCartilha saúde e bem estar
Cartilha saúde e bem estarAna Filadelfi
 
Cartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúdeCartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúdeAna Filadelfi
 
Cartilha sobre ritmos biológicos
Cartilha sobre ritmos biológicosCartilha sobre ritmos biológicos
Cartilha sobre ritmos biológicosAna Filadelfi
 
Aula 5 Saúde e bem estar
Aula 5 Saúde e bem estarAula 5 Saúde e bem estar
Aula 5 Saúde e bem estarAna Filadelfi
 
Aula 6 Ritmos biológicos
Aula 6 Ritmos biológicosAula 6 Ritmos biológicos
Aula 6 Ritmos biológicosAna Filadelfi
 
Aula 3 DSTs e métodos anticoncepcionais
Aula 3 DSTs e métodos anticoncepcionaisAula 3 DSTs e métodos anticoncepcionais
Aula 3 DSTs e métodos anticoncepcionaisAna Filadelfi
 
Aula 8 Principais drogas e seus efeitos
Aula 8 Principais drogas e seus efeitosAula 8 Principais drogas e seus efeitos
Aula 8 Principais drogas e seus efeitosAna Filadelfi
 
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!Ana Filadelfi
 
Aula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humanoAula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humanoAna Filadelfi
 

Destaque (18)

Aula 7 Depressão e transtornos alimentares
Aula 7 Depressão e transtornos alimentaresAula 7 Depressão e transtornos alimentares
Aula 7 Depressão e transtornos alimentares
 
Cartilha hipertensão
Cartilha hipertensãoCartilha hipertensão
Cartilha hipertensão
 
Evangelina Vormittag na III Semana Saude e Meio Ambiente Santa Marcelina
Evangelina Vormittag na III Semana Saude e Meio Ambiente Santa MarcelinaEvangelina Vormittag na III Semana Saude e Meio Ambiente Santa Marcelina
Evangelina Vormittag na III Semana Saude e Meio Ambiente Santa Marcelina
 
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentesCartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
Cartilha animais peçonhentos: conhecer para respeitar e prevenir acidentes
 
Cartilha A nossa saúde e o ambiente
Cartilha  A nossa saúde e o ambienteCartilha  A nossa saúde e o ambiente
Cartilha A nossa saúde e o ambiente
 
Cartilha diabetes
Cartilha diabetesCartilha diabetes
Cartilha diabetes
 
Cartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitosCartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitos
 
Cartilha ritmos biológicos sono em animais
Cartilha ritmos biológicos   sono em animaisCartilha ritmos biológicos   sono em animais
Cartilha ritmos biológicos sono em animais
 
Cartilha saúde e bem estar
Cartilha saúde e bem estarCartilha saúde e bem estar
Cartilha saúde e bem estar
 
Depressão
Depressão Depressão
Depressão
 
Cartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúdeCartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúde
 
Cartilha sobre ritmos biológicos
Cartilha sobre ritmos biológicosCartilha sobre ritmos biológicos
Cartilha sobre ritmos biológicos
 
Aula 5 Saúde e bem estar
Aula 5 Saúde e bem estarAula 5 Saúde e bem estar
Aula 5 Saúde e bem estar
 
Aula 6 Ritmos biológicos
Aula 6 Ritmos biológicosAula 6 Ritmos biológicos
Aula 6 Ritmos biológicos
 
Aula 3 DSTs e métodos anticoncepcionais
Aula 3 DSTs e métodos anticoncepcionaisAula 3 DSTs e métodos anticoncepcionais
Aula 3 DSTs e métodos anticoncepcionais
 
Aula 8 Principais drogas e seus efeitos
Aula 8 Principais drogas e seus efeitosAula 8 Principais drogas e seus efeitos
Aula 8 Principais drogas e seus efeitos
 
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
 
Aula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humanoAula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humano
 

Semelhante a Distúrbios de Humor e Transtornos Alimentares na UFPR

Doenças do Comportameto Alimentar
Doenças do Comportameto AlimentarDoenças do Comportameto Alimentar
Doenças do Comportameto AlimentarKarla Alexandra
 
Distúrbios alimentares
Distúrbios alimentaresDistúrbios alimentares
Distúrbios alimentaresBruna Telles
 
A vaidade adoece (2)
A vaidade adoece (2)A vaidade adoece (2)
A vaidade adoece (2)lululimavidal
 
Projeto t4 mente em harmonia corpo saudável
Projeto t4 mente em harmonia corpo saudávelProjeto t4 mente em harmonia corpo saudável
Projeto t4 mente em harmonia corpo saudávelSônia Marques
 
Cristina Cairo - Acabe Com a Obesidade.pdf
Cristina Cairo - Acabe Com a Obesidade.pdfCristina Cairo - Acabe Com a Obesidade.pdf
Cristina Cairo - Acabe Com a Obesidade.pdfMartaAndreiaSousa1
 
Alimentação do estudante
Alimentação do estudanteAlimentação do estudante
Alimentação do estudanteAnaGomes40
 
Tra. oti
Tra. otiTra. oti
Tra. oti9589
 
Disturbios alimentares
Disturbios alimentaresDisturbios alimentares
Disturbios alimentaresmiguel_sampaio
 
Slide transtorno compusivo
Slide  transtorno compusivoSlide  transtorno compusivo
Slide transtorno compusivoTamires Batista
 
Distúrbios Alimentares
Distúrbios AlimentaresDistúrbios Alimentares
Distúrbios AlimentaresJuliana Costa
 
Trabalho desenvolvido por: Millene Pereira Abrantes e Bruna Bueno de Almeida...
Trabalho desenvolvido por: Millene Pereira Abrantes e  Bruna Bueno de Almeida...Trabalho desenvolvido por: Millene Pereira Abrantes e  Bruna Bueno de Almeida...
Trabalho desenvolvido por: Millene Pereira Abrantes e Bruna Bueno de Almeida...Francini Domingues
 
Disturbios alimentares
Disturbios alimentaresDisturbios alimentares
Disturbios alimentaresjessicassuncao
 
Disturbios alimentares!
Disturbios alimentares!Disturbios alimentares!
Disturbios alimentares!helensantos0
 
Impactos da midia 23.05. atualizado
Impactos da midia 23.05. atualizadoImpactos da midia 23.05. atualizado
Impactos da midia 23.05. atualizadoJoel Machado
 

Semelhante a Distúrbios de Humor e Transtornos Alimentares na UFPR (20)

Doenças do Comportameto Alimentar
Doenças do Comportameto AlimentarDoenças do Comportameto Alimentar
Doenças do Comportameto Alimentar
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Distúrbios alimentares
Distúrbios alimentaresDistúrbios alimentares
Distúrbios alimentares
 
8º ano B (Grupo 1) - O corpo em (des)ordem
8º ano B (Grupo 1) - O corpo em (des)ordem8º ano B (Grupo 1) - O corpo em (des)ordem
8º ano B (Grupo 1) - O corpo em (des)ordem
 
A vaidade adoece (2)
A vaidade adoece (2)A vaidade adoece (2)
A vaidade adoece (2)
 
Projeto t4 mente em harmonia corpo saudável
Projeto t4 mente em harmonia corpo saudávelProjeto t4 mente em harmonia corpo saudável
Projeto t4 mente em harmonia corpo saudável
 
Cristina Cairo - Acabe Com a Obesidade.pdf
Cristina Cairo - Acabe Com a Obesidade.pdfCristina Cairo - Acabe Com a Obesidade.pdf
Cristina Cairo - Acabe Com a Obesidade.pdf
 
Alimentação do estudante
Alimentação do estudanteAlimentação do estudante
Alimentação do estudante
 
407 an 28_novembro_2012.ok
407 an 28_novembro_2012.ok407 an 28_novembro_2012.ok
407 an 28_novembro_2012.ok
 
Tra. oti
Tra. otiTra. oti
Tra. oti
 
Disturbios alimentares
Disturbios alimentaresDisturbios alimentares
Disturbios alimentares
 
Slide transtorno compusivo
Slide  transtorno compusivoSlide  transtorno compusivo
Slide transtorno compusivo
 
Modelo relatório
Modelo relatórioModelo relatório
Modelo relatório
 
Distúrbios Alimentares
Distúrbios AlimentaresDistúrbios Alimentares
Distúrbios Alimentares
 
A Bulimia
A BulimiaA Bulimia
A Bulimia
 
Trabalho desenvolvido por: Millene Pereira Abrantes e Bruna Bueno de Almeida...
Trabalho desenvolvido por: Millene Pereira Abrantes e  Bruna Bueno de Almeida...Trabalho desenvolvido por: Millene Pereira Abrantes e  Bruna Bueno de Almeida...
Trabalho desenvolvido por: Millene Pereira Abrantes e Bruna Bueno de Almeida...
 
Disturbios alimentares
Disturbios alimentaresDisturbios alimentares
Disturbios alimentares
 
Disturbios alimentares!
Disturbios alimentares!Disturbios alimentares!
Disturbios alimentares!
 
Impactos da midia 23.05. atualizado
Impactos da midia 23.05. atualizadoImpactos da midia 23.05. atualizado
Impactos da midia 23.05. atualizado
 
Anorexia e Bulimia
Anorexia e BulimiaAnorexia e Bulimia
Anorexia e Bulimia
 

Mais de Ana Filadelfi

Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdfCartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdfAna Filadelfi
 
Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância
Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infânciaCartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância
Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infânciaAna Filadelfi
 
Cartilha Câncer Infantil
Cartilha Câncer InfantilCartilha Câncer Infantil
Cartilha Câncer InfantilAna Filadelfi
 
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúdeCartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúdeAna Filadelfi
 
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitarCartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitarAna Filadelfi
 
Cartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema RespiratórioCartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema RespiratórioAna Filadelfi
 
Cartilha Sistema Nervoso
Cartilha Sistema NervosoCartilha Sistema Nervoso
Cartilha Sistema NervosoAna Filadelfi
 
Cartilha riscos da automedicação
Cartilha riscos da automedicaçãoCartilha riscos da automedicação
Cartilha riscos da automedicaçãoAna Filadelfi
 
A nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambienteA nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambienteAna Filadelfi
 
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedadeAula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedadeAna Filadelfi
 
Aula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicaçãoAula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicaçãoAna Filadelfi
 
Aula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Aula 2 Puberdade, hormônios e reproduçãoAula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Aula 2 Puberdade, hormônios e reproduçãoAna Filadelfi
 

Mais de Ana Filadelfi (12)

Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdfCartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
Cartilha ISTs e Métodos Contraceptivos.pdf
 
Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância
Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infânciaCartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância
Cartilha aprendendo a reconhecer abuso sexual na infância
 
Cartilha Câncer Infantil
Cartilha Câncer InfantilCartilha Câncer Infantil
Cartilha Câncer Infantil
 
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúdeCartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
Cartilha atividade física no SUS - promoção da saúde
 
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitarCartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
Cartilha Sexo, sexualidade e gênero: conhecer para respeitar
 
Cartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema RespiratórioCartilha Sistema Respiratório
Cartilha Sistema Respiratório
 
Cartilha Sistema Nervoso
Cartilha Sistema NervosoCartilha Sistema Nervoso
Cartilha Sistema Nervoso
 
Cartilha riscos da automedicação
Cartilha riscos da automedicaçãoCartilha riscos da automedicação
Cartilha riscos da automedicação
 
A nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambienteA nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambiente
 
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedadeAula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
 
Aula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicaçãoAula 9 Riscos da automedicação
Aula 9 Riscos da automedicação
 
Aula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Aula 2 Puberdade, hormônios e reproduçãoAula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Aula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
 

Último

trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 

Último (20)

trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 

Distúrbios de Humor e Transtornos Alimentares na UFPR

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA Distúrbios de Humor e Transtornos Alimentares
  • 2. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA “FISIOLOGIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS PARA A CIDADANIA” (Projeto de extensão) Distúrbios de Humor e Transtornos Alimentares Profª Orientadora: Ana Maria C. Filadelfi Graduanda: Fernanda Gabriela Leandro Schaedler
  • 3. Ultimamente quase sempre quando alguém está muito triste, mostra-se sempre exausto ou quando não tem muita vontade de fazer certas atividades que antes fazia, dizemos que esta pessoa está com “Depressão”. Mas o que é de verdade essa doença? E o que ela pode causar nas pessoas? A Depressão normalmente causa um sentimento de constante desânimo, fracasso e uma tristeza profunda. Assim, a pessoa doente isola-se, perde a vontade de sair com os amigos, praticar atividade física e fazer qualquer outra coisa que antes ela sentia prazer em fazer. É importante deixar claro que todos nós nos sentimos tristes de vez em quando e isso não significa que estamos doentes. Na Depressão essa tristeza se torna constante e profunda, afetando não somente o humor, mas também a parte física da pessoa (é possível que a pessoa tenha tonturas, enjôos, dores articulares e musculares, etc) bem como sua alimentação e seus relacionamentos, tanto sociais (na escola, faculdade, família, etc.) quanto profissionais.
  • 4. Acredita-se que a Depressão afete certa de 30% da população mundial e que ela tenha início entre os 15 e 24 anos. Esse transtorno é muito mais comum entre as mulheres do que entre homens, isso pode acontecer por causa de excessivas pressões vindas de seus namorados, amigos, pais, ou por preocupações com a carreira, a faculdade, o cuidado com os filhos, etc. É importante ficar atento com as pessoas que apresentam esses sintomas, pois os pensamentos de suicídio são comuns entre os depressivos. O QUE CAUSA A DEPRESSÃO? Acredita-se que a falta de alguns neurotransmissores seja a causa específica desse problema de saúde. Neurotransmissores são as substâncias secretadas pelos neurônios que transmitem as informações para o nosso corpo. É uma das formas pelas quais as nossas células “conversam”. Eles são liberados nas sinapses ou junções neuronais químicas.
  • 5. TRATAMENTO Quando se trata da Depressão, assim como em outras doenças, buscar ajuda profissional logo é essencial, pois a doença pode tornar-se muito séria, isolando a pessoa de sua família e amigos, dificultando seu trabalho e estudos e até mesmo levando a tentativas de suicídio. Profissionais como psiquiatras e psicólogos, através do tratamento com psicoterapia (consultas regulares envolvendo conversas, leituras, etc) podem auxiliar a alcançar ótimos resultados. Estes podem ser potencializados se aliados à medicação, dependendo do grau de depressão. O ideal é que pessoas portadoras de depressão continuem em tratamento por longos períodos, sem abandoná-lo, a não ser que recebam alta de seus médicos ou psicólogos.
  • 6. Com a influência da mídia em nossas vida, hoje em dia é comum que muitas pessoas achem que seus corpos não são bonitos o suficiente ou que nunca serão como os mostrados na televisão e em propagandas. E sem perceber acabam submetendo-se a tratamentos estéticos e ao uso de medicamentos, muitas vezes sem orientação médica e sem necessidade, somente para atingirmos essa “perfeição” que nos é imposta e que na verdade não existe. E essa busca constante pela perfeição do corpo pode resultar em um transtorno psicológico e alimentar, que afeta pessoas de qualquer idade ou sexo e em qualquer nível socioeconômico. Porém, costumam ser mais afetadas, mulheres adolescentes, especialmente as que têm atividades em que o corpo fica mais em evidência (modelos, bailarinas, etc), já que normalmente se preocupam mais com a sua aparência. Elas acabam tendo uma visão errada sobre os seus corpos, enxergando-se mais gordas e feias, quando na verdade são apenas garotas normais, mas que estão psicologicamente doentes.
  • 7. Pessoas com anorexia tendem a manter seu peso abaixo do normal, não se alimentam bem e ficam muitas horas sem comer com medo de engordar ainda mais e assim prejudicam todas as funções de seu organismo, inclusive o seu crescimento. É uma doença grave, pois pode levar à morte por inanição. COMO É UMA PESSOA COM ANOREXIA? É uma pessoa perfeccionista, que não considera seu comportamento errado e não vê como está fazendo mal a si mesma! É também uma pessoa que fala muito sobre comida, mas raramente se alimenta, e faz de tudo para esconder seus problemas de amigos e familiares. E por ter medo que os outros descubram o que ela está passando, ela se recusa a falar sobre isso ou procurar um médico especialista. Normalmente essa pessoa acaba ficando com pelo menos 25% a menos de peso do que deveria ter para sua altura ou idade. E para isso faz exercícios compulsivamente, vive fazendo dietas e lendo revistas e sites que falam sobre esses temas. Exibe comportamentos repetitivos e depressivos.
  • 8. QUAIS AS CAUSAS DA ANOREXIA? As causas exatas da doença ainda não estão definidas, mas acredita-se que entre seus principais geradores estão: o medo de crescer; o medo da sexualidade tão imposta em nossa sociedade; o bulling que acontece com tanta frequência nas escolas e marca muito a vida dos adolescentes, deixando-os com vergonha do próprio corpo; os conflitos familiares; e as pressões vindas da mídia, que nos impõem o corpo perfeito e exigem que sejamos dessa forma para sermos aceitos na sociedade. COMO É O TRATAMENTO? (ver final do item Bulimia)
  • 9. Muitos acabam achando que a bulimia é o inverso da anorexia, o que não é verdade. A bulimia, assim como a anorexia, é um transtorno alimentar, a diferença é que na anorexia a pessoa não se alimenta, faz jejuns e faz de tudo para emagrecer; já na Bulimia a pessoa não consegue conter o impulso de comer, alimenta–se compulsivamente e acaba ingerindo maior quantidade de alimentos do que seria necessário para se saciar. Mas com medo de engordar, ela acaba recorrendo a métodos como: forçar o vômito, utilizar laxantes, diuréticos, inibidores de apetite, etc. E essa atitude acaba trazendo enormes prejuízos para o organismo do portador da doença.
  • 10. QUAIS OS PRINCIPAIS SINTOMAS? Preocupação exagerada com o corpo: a pessoa está constantemente procurando defeitos em sua aparência física; ingestão excessiva de alimentos e demonstração de culpa pelo quantidade ingerida; sintomas de depressão, tristeza, aborrecimento, autoinsatisfação com a forma física, baixa autoestima; ir ao banheiro metodicamente depois da refeição, uma vez que é lá aonde vão acontecer os episódios de vômitos característicos da bulimia. QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS? Quando a pessoa com bulimia induz o vômito, junto com o alimento também está o suco gástrico, e com o tempo e os vários episódios de vômito, esse suco gástrico vai ferindo a garganta e toda a boca, vai retirando o esmalte dos dentes e os corroendo. Também pode trazer problemas para o estômago, como úlceras e gastrite. Por outro lado, o uso de laxantes acaba fazendo com que o intestino não funcione quando o medicamento não é mais utilizado, ou seja, ele fica dependente do laxante. Além do fato de que tudo isso acaba deixando o organismo sem nutrientes, alterando praticamente todas as funções básicas do corpo, como por exemplo, as dos rins e do coração, afetados pela perda excessiva de sais minerais pelo vômito ou fezes.
  • 11. COMO É O TRATAMENTO? O tratamento da anorexia e bulimia inclui consulta com vários médicos e especialistas diferentes, como nutricionistas e psicólogos, pois é feito, simultaneamente, um tratamento ao mesmo tempo físico e psicológico, para que a pessoa volte a perceber seu corpo real e faça uma dieta de ganho de peso (especialmente na anorexia). Pode ser necessário o uso de antidepressivos e ansiolíticos. Mas o mais importante é a ajuda, o carinho e o apoio de familiares e amigos na recuperação da saúde da pessoa com anorexia, principalmente para que ela nunca desista do tratamento e possa se recuperar antes que aconteçam maiores danos, como até mesmo a morte por inanição. Atitudes de crítica ou menosprezo por parte de familiares e amigos não contribuem e podem agravar a situação!!
  • 12. É cada vez maior o número tanto de crianças quanto de adultos obesos em nossa sociedade. Isso se deve principalmente à falta de tempo para uma alimentação adequada e nos horários corretos, o que leva a ingestão excessiva de fast foods. A excessiva carga de trabalho atual também gera falta de tempo para a prática esportiva. No caso dos jovens, a principal causa é a preferência pelos alimentos gordurosos e industrializados, principalmente pelo sabor e por serem muito apresentados na mídia, como é o caso das bolachas recheadas e dos salgadinhos. Um grande risco para crianças e adolescentes é que normalmente uma criança obesa será um adulto obeso, e as chances de se desenvolver problemas cardíacos são enormes. E é por isso que esse assunto é tão comentado atualmente, porque esse doença chamada “Obesidade” acarreta outras doenças graves e que podem levar a morte.
  • 13. Normalmente a Obesidade ocorre quando a ingestão de alimentos é maior do que o gasto, mas ela também pode ocorrer por fatores genéticos (ou herança familiar) ou por defeitos metabólicos que a pessoa apresente. Uma pessoa é considerada obesa quando pesa 20% a mais do seu peso ideal, em relação à sua altura. Existe uma fórmula muito usada para fazer o calculo do “Índice de Massa Corporal” ou “IMC” e é por esse resultado que os médicos ou nutricionistas sabem se é necessário um tratamento para redução do peso. IMC = peso (altura)2 normal = entre 18,5 e 25
  • 14. O QUE A OBESIDADE CAUSA? A Obesidade pode causar problemas psicológicos e pode levar a pessoa a sofrer bulling. Mas também pode levar a problemas físicos como: inflamações crônicas, disfunção de vasos, diabetes, depressão, complicações ortopédicas, doenças do sono e cânceres. E alguns desses fatores contribuem para o infarto e a morte. TRATAMENTO • Mudança de hábitos alimentares; • Rotina de atividade física; • Medicamentos; • Processos cirúrgicos;
  • 15. http://www.abeso.org.br/revista/revista13/i mages/obes_inf1.jpg, acesso 07/12.  http://cache.kotaku.com/assets/resources/200 6/10/bulimia.jpg, acesso 07/12.  http://psych.wisc.edu/henriques/resources/b ulimia_ad.jpg, acesso 07/12.  http://www.youthnoise.com/page.php?page_i d=2916, acesso 07/12.  http://readingpp.files.wordpress.com/2007/09 /anorexia.JPG, acesso 07/12.  http://www.copacabanarunners.net/imc.html, acesso 07/12.  http://www.mentalhelp.com.br/anorexia_nerv osa_depoimentos.htm, acesso 07/12.