Auditoria contábil - situações práticas

19.194 visualizações

Publicada em

1 comentário
9 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
19.194
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
629
Comentários
1
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Auditoria contábil - situações práticas

  1. 1. AUDITORIA CONTÁBIL
  2. 2. CONHECENDO O PROFESSORKarla Jeanny Falcão Carioca Mestre em Controladoria pela Universidade Federal do Ceará (UFC), com MBA em Gestão de Negócios de Energia Elétrica pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Professora universitária de Graduação e Pós-Graduação. Palestrante e Instrutora de cursos com enfoque em Contabilidade Internacional, Governança Corporativa e Controles Internos. Sócia-Diretora da Dominus Auditoria, Consultoria e Treinamentos. Possui 15 anos de experiência na área de contabilidade, sendo 10 anos de experiência em normas internacionais de contabilidade e controles internos. Ms Karla Carioca
  3. 3. NA DISCIPLINA ANTERIOR...Abordagem conceitual sobre auditoriaPerfil do auditorAuditoria interna x externaControle internoRevisão analíticaMaterialidadePlanejamentoProcedimentosPapéis de trabalhoRelatório dos auditores independentesRelatório circunstanciado Ms Karla Carioca
  4. 4. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTOLeia os itens abaixo e indique se os mesmos são Verdadeiros ou Falsos: Através do balanço patrimonial o futuro investidor pode avaliar a capacidade da empresa de gerar recursos Uma das melhores formas do futuro investidor avaliar uma empresa é através das suas demonstrações contábeis O auditor externo é o profissional que examina as demonstrações contábeis da entidade e emite sua opinião O auditor externo, para emitir sua opinião, tem que examinar todos os lançamentos contábeis Quando o sistema de controles internos é bom, o auditor realiza maior volume de testes O auditor externo, na fase preliminar, emite sua opinião sobre as demonstrações contábeis O objetivo principal do auditor externo é detectar todas as irregularidades da entidade Ms Karla Carioca
  5. 5. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTO - RespostaLeia os itens abaixo e indique se os mesmos são Verdadeiros ou Falsos: Através do balanço patrimonial o futuro investidor pode avaliar a capacidade da empresa de gerar recursos Uma das melhores formas do futuro investidor avaliar uma empresa é através das suas demonstrações contábeis O auditor externo é o profissional que examina as demonstrações contábeis da entidade e emite sua opinião O auditor externo, para emitir sua opinião, tem que examinar todos os lançamentos contábeis Quando o sistema de controles internos é bom, o auditor realiza maior volume de testes O auditor externo, na fase preliminar, emite sua opinião sobre as demonstrações contábeis O objetivo principal do auditor externo é detectar todas as irregularidades da entidade Ms Karla Carioca
  6. 6. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTOO principal objetivo do auditor externo é: Verificar a necessidade de novas normas Examinar o balanço patrimonial Examinar as demonstrações contábeis e emitir sua opinião Verificar se as normas internas estão sendo seguidas Ms Karla Carioca
  7. 7. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTOA responsabilidade pela elaboração dasdemonstrações contábeis é: Do acionista Da administração da entidade Do auditor externo Do auditor interno Ms Karla Carioca
  8. 8. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTOQuando o controle interno é excelente, o auditorexterno deve: Realizar maior volume de testes Não realizar testes Realizar menor volume de testes Aumentar os procedimentos de auditoria Ms Karla Carioca
  9. 9. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTOO procedimento de cotação de preços junto aosfornecedores é efetuado pela área abaixo: Recepção Controladoria Compras Financeiro Ms Karla Carioca
  10. 10. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTOOs talões de cheques em branco ficam sob acustódia da área abaixo: Financeiro Compras Produção Contabilidade Ms Karla Carioca
  11. 11. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTOA principal finalidade dos papéis de trabalho é: Fornecer dados para a empresa elaborar as demonstrações financeiras Ajudar ao auditor independente no preparo das demonstrações contábeis Registrar as evidências obtidas durante a execução do trabalho de auditoria Ajudar a entidade na maximização dos lucros Ms Karla Carioca
  12. 12. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTOÉ um exemplo de papel de trabalho corrente: Extratos bancários Cópia de certificados de registro no BACEN do capital estrangeiro Cópia dos contratos de longo prazo Cópia do manual de contabilidade Ms Karla Carioca
  13. 13. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTOÉ um exemplo de papel de trabalho permanente: Razão analítico do contas a receber Patrimônio líquido Estatuto social Revisão analítica Ms Karla Carioca
  14. 14. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTOOs papéis de trabalho devem ficar em poder: Do contador da entidade auditada Da diretoria da entidade auditada Do auditor Da CVM Ms Karla Carioca
  15. 15. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTOIndique em qual demonstração contábil é obtida ainformação abaixo: Informa o valor dos bens do ativo imobilizado pagos durante o exercício Informa o critério de avaliação dos estoques Demonstra o lucro ou prejuízo apurado no exercício Apresenta os ativos da entidade Relata as transações que modificaram o saldo da conta ajustes de avaliação patrimonial Ms Karla Carioca
  16. 16. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTO - RespostaIndique em qual demonstração contábil é obtida ainformação abaixo: Informa o valor dos bens do ativo imobilizado pagos durante o exercício - DFC Informa o critério de avaliação dos estoques - NE Demonstra o lucro ou prejuízo apurado no exercício - DRE Apresenta os ativos da entidade - BP Relata as transações que modificaram o saldo da conta ajustes de avaliação patrimonial - DMPL Ms Karla Carioca
  17. 17. EXERCÍCIOS DE AQUECIMENTOCom relação à emissão da opinião sobre asdemonstrações contábeis, o auditor deveobservar principalmente o seguinte fato: Se o diretor comparece diariamente Se os concorrentes realizam mais vendas Se a entidade irá construir uma nova fábrica Se as normas brasileiras de contabilidade foram aplicadas com uniformidade Ms Karla Carioca
  18. 18. TEMAS A SEREM ABORDADOSPrincipais NormasRiscos de amostragemProcedimentos de auditoriaAuditoria das demonstrações contábeis Ms Karla Carioca
  19. 19. PRINCIPAIS NORMAS Ms Karla Carioca
  20. 20. FASES DA AUDITORIAO processo da auditoria independente das demonstraçõescontábeis é composto de 3 fases: Planejamento Execução Relatório Ms Karla Carioca
  21. 21. RESUMINDO… Auditoria Contábil P R ONormas profissionais C E DIndependência I M E N T O S DemonstraçõesLegislação financeiras E M I S S Ã ONão modificado ou Modificado Relatório Ms Karla Carioca
  22. 22. CLASSIFICAÇÃO DAS NORMASAs normas que estabelecem as regras para oexercício profissional são classificadas em: NBC PG – Geral NBC PA – Auditor independente NBC PI – Auditor interno NBC PP – Perito Ms Karla Carioca
  23. 23. CLASSIFICAÇÃO DAS NORMASAs normas que estabelecem os conceitos, as regras e os procedimentos decontabilidade são classificadas em: NBC TG – Geral NBC TSP – Setor público NBC TA – Auditoria independente NBC TR – Revisão de informação contábil NBC TO – Asseguração de informação NBC TSC – Serviços correlatos NBC TI – Auditoria interna NBC TP – Perícia NBC TAG – Auditoria governamental Ms Karla Carioca
  24. 24. PRINCIPAIS NBC TA’s Série Tema 000 Trabalhos de asseguração 200 Princípios gerais e responsabilidades300 e 400 Avaliação dos riscos e respostas aos riscos avaliados 500 Evidência de auditoria 600 Utilização de trabalho de outros profissionais 700 Conclusão de auditoria e emissão de relatório 800 Considerações especiais Ms Karla Carioca
  25. 25. RISCOS DE AMOSTRAGEM Ms Karla Carioca
  26. 26. AMOSTRAGEMNBC TA 530 – Amostragem em auditoriaProcedimento utilizado para seleção de amostraAplicação de procedimentos de auditoria em menos de100% dos itens da população a ser testadaTodos os itens possuem a mesma chance de seremselecionadosProporcionar uma base razoável que possibilite umaconclusão sobre toda a população Ms Karla Carioca
  27. 27. RISCO DE AMOSTRAGEMPossibilidade da conclusão obtida com base naamostragem ser diferente daquela que seria obtida se100% da população fosse examinadaTestes de observância Verificação se os controles internos estabelecidos estão funcionando efetivamenteTestes substantivos Evidenciação quanto à suficiência, exatidão e validade dos dados Envolvem: testes de transações e saldos e revisão analítica Ms Karla Carioca
  28. 28. RISCO DE AMOSTRAGEMEm testes de observância Subavaliação de confiabilidade dos controles internos Possibilidade da amostragem conduzir o auditor a concluir que o grau de observância dos controles internos é menor que o real Superavaliação de confiabilidade dos controles internos Possibilidade da amostragem conduzir o auditor a concluir que o grau de observância dos controles internos é maior que o realEm testes substantivos Risco de aceitação incorreta Possibilidade da amostragem conduzir o auditor a considerar que a informação auditada está correta quando, na realidade, não está Risco de rejeição incorreta Possibilidade da amostragem conduzir o auditor a considerar que a informação auditada está incorreta quando, na realidade, não está Ms Karla Carioca
  29. 29. RISCO DE AMOSTRAGEM Riscos de amostragem Testes de Testes substantivosobservância Subavaliação de Aceitação incorreta confiança Superavaliação de Rejeição incorreta confiança Ms Karla Carioca
  30. 30. PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA Ms Karla Carioca
  31. 31. CONCEITOMeios utilizados pelo auditor para obtenção deevidências de auditoria que contribuam parafundação sua opiniãoConjunto de técnicas ou métodos que permitemao auditor obter elementos de suficientes eadequados para fundamentar seus comentáriosna elaboração do relatório Ms Karla Carioca
  32. 32. CARACTERÍSTICASNão são rígidosPodem variar de auditoria para auditoriaAjustam-se às circunstâncias específicas de cadacaso que está sendo examinadoPode ser utilizado apenas um ou vários Ms Karla Carioca
  33. 33. TIPOSInspeçãoObservaçãoConfirmaçãoRecálculoReexecuçãoEntrevistaProcedimentos analíticos Ms Karla Carioca
  34. 34. EXEMPLOSInspeção Inspeção de itens de estoque na observação da contagem Exame documentalObservação Observação da contagem do estoqueConfirmação Circularização a terceirosRecálculo Revisão de cálculos Ms Karla Carioca
  35. 35. EXEMPLOSReexecução Execução, pelo auditor, de controles ou procedimentos da entidadeEntrevista Indagação a terceiros para esclarecer procedimentosProcedimentos analíticos Revisão analítica Ms Karla Carioca
  36. 36. EXERCÍCIOSIndique qual o procedimento de auditoria mais adequado para: Saldo bancário Dinheiro em caixa Estoques Depreciação Despesa de salários Fornecedores Avaliação de investimentos Contas a receber Bens do ativo imobilizado Dividendos Ms Karla Carioca
  37. 37. EXERCÍCIOS - RespostaIndique qual o procedimento de auditoria mais adequado para: Saldo bancário - Carta de confirmação Dinheiro em caixa - Inspeção física Estoques - Inspeção física Depreciação - Recálculo Despesa de salários – Inspeção por exame documental Fornecedores - Carta de confirmação Avaliação de investimentos - Recálculo Contas a receber - Carta de confirmação Bens do ativo imobilizado - Inspeção física Dividendos - Recálculo Ms Karla Carioca
  38. 38. AUDITORIA DASDEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Ms Karla Carioca
  39. 39. OBJETIVOEmissão da opinião sobre a adequação dasdemonstrações financeiras, de acordo com osPrincípios de Contabilidade, as Normas Brasileirasde Contabilidade e a legislação específicapertinente Ms Karla Carioca
  40. 40. CONJUNTO COMPLETO DE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Balanço patrimonial ao final do período Demonstração do resultado do período Demonstração do resultado abrangente do períodoDemonstração das mutações do patrimônio líquido do período Demonstração dos fluxos de caixa do período Demonstração do valor adicionado do período Notas explicativas Ms Karla Carioca
  41. 41. PROCEDIMENTOS INICIAISLeitura do relatório circunstanciado e relatório deopinião da auditoria anteriorLeitura dos documentos da pasta permanente ecorrenteLeitura das demonstrações de exercícios anterioresLeitura das atas de reuniõesVisitaLeitura dos relatórios da auditoria interna Ms Karla Carioca
  42. 42. PROCEDIMENTOS INICIAISReunião com a gerência Discussão de pontos identificados na preparação da reunião Discussão sobre mudanças ocorridas ou que virão a ocorrerPlanejamento das horas Identificação das áreas a serem analisadas Identificação do tipo de profissional a ser utilizado Fases do trabalho - preliminar e final Ms Karla Carioca
  43. 43. AUDITORIA PRELIMINARVisita preliminarConhecer e avaliar o controle internoRevisão analítica das demonstraçõesRevisão do trabalho da auditoria internaEstabelecimento da materialidadeProcedimentos da auditoria e quantificação dos testesAtualização da pasta permanenteRevisão dos relatórios de controle internos emitidos no exercícioanteriorRevisão dos papéis de trabalho Ms Karla Carioca
  44. 44. AUDITORIA INDEPENDENTE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEISDe acordo às novas normas do CFC, a auditoriaindependente das demonstrações contábeis tem comoobjetivo verificar se essas demonstrações foram elaboradasde acordo com a estrutura de relatório financeiro aplicável,ou seja, de acordo a um padrão estabelecido que, no caso doBrasil, é chamado de práticas contábeis brasileiras, as quaiscompreendem: Normas Pronunciamentos, Legislação Brasileiras de Interpretações e societária Contabilidade Orientações (CFC) (CPC) Ms Karla Carioca
  45. 45. CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXAContagem física do numerário do caixaConfirmação dos saldos bancáriosCutoff de chequesConfirmação das aplicações financeirasConfirmação das pessoas autorizadas a realizar movimentações,senhas e limitesRevisão das conciliações bancáriasRecálculo da rentabilidade das aplicações financeirasCorrelação com os empréstimosAnálise da adequação da classificaçãoAplicação das NBC’s Ms Karla Carioca
  46. 46. CONTAS A RECEBERConfirmação de contas a receberAnálise do razão analíticoRecálculo de juros e correçõesAnálise da classificação entre circulante e não circulanteConferência da estimativa para perda de créditosTeste do ajuste a valor presenteExame da liquidação subsequenteCorrelação com as vendasAnálise da adequação da classificaçãoAplicação das NBC’s Ms Karla Carioca
  47. 47. ESTOQUESVerificação da existência físicaRevisão dos procedimentos de inventárioExame dos documentos de movimentação (entrada e saída)Análise dos estoques de baixa rotatividade e obsoletosExame do critério adotado para mensuraçãoConfirmação de estoques em poder de terceiros e de terceirosRecálculo dos custos alocadosCorrelação com CVM e contas a pagarAnálise da adequação da classificaçãoAplicação das NBC’s Ms Karla Carioca
  48. 48. DESPESAS ANTECIPADASAnálise da adequação das apólices e contratosConfirmação dos valores das apólices epagamentosConferência das apropriações ao resultadoCorrelação com as despesasAnálise da adequação da classificaçãoAplicação das NBC’s Ms Karla Carioca
  49. 49. INVESTIMENTOSInspeção dos títulosExame dos documentos de movimentaçãoRecálculo da equivalência patrimonialConfirmação com terceirosCorrelação com o resultadoAnálise da adequação da classificaçãoAplicação das NBC’s Ms Karla Carioca
  50. 50. ATIVO IMOBILIZADOVerificação da existência físicaExame de documentos de movimentação (adição e baixa)Confirmação dos contratos de arrendamento mercantilVerificação das imobilizações em andamentoRevisão dos livros de inventárioRecálculo da depreciaçãoRevisão das análises de recuperabilidadeCorrelação com o resultadoAnálise da adequação da classificaçãoAplicação das NBC’s Ms Karla Carioca
  51. 51. ATIVO INTANGÍVELExame de documentos de movimentação (adiçãoe baixa)Classificação da vida útil (definida e indefinida)Recálculo da amortizaçãoRevisão das análises de recuperabilidadeCorrelação com o resultadoAnálise da adequação da classificaçãoAplicação das NBC’s Ms Karla Carioca
  52. 52. CONTAS A PAGARExame de duplicatas e títulosConfirmação dos saldosRecálculo de juros e correçõesRecálculo de impostos e contribuiçõesRecálculo de provisões de férias e demaisRevisão da classificação entre circulante e não circulanteExame do razão analíticoExame da liquidação subsequenteCorrelação com compras e estoquesAnálise da adequação da classificaçãoAplicação das NBC’s Ms Karla Carioca
  53. 53. EMPRÉSTIMOSExame documental dos contratos e pagamentosConfirmação dos saldosRecálculo de juros e correçõesRevisão da classificação entre circulante e não circulanteExame da liquidação subsequenteExame dos controles paralelosCorrelação com caixa e equivalentes de caixa e despesaAnálise da adequação da classificaçãoAplicação das NBC’s Ms Karla Carioca
  54. 54. PATRIMÔNIO LÍQUIDOContagem das cautelas de açõesConfirmação de participação acionáriaConfirmação das reservasRecálculo de reservasRecálculo dos dividendosExame das atas de assembléiasCorrelação com o resultadoAnálise da adequação da classificaçãoAplicação das NBC’s Ms Karla Carioca
  55. 55. RESULTADO DO EXERCÍCIOCorrelação com as demais contas do Balanço PatrimonialCorrelação com os exames de controles internosExame documental de receitas e despesasAnálise das variaçõesAnálise do faturamento, folha de pagamento e custosRecálculo de juros, receitas financeiras e impostosAnálise da adequação da classificaçãoAplicação das NBC’s Ms Karla Carioca
  56. 56. EXERCÍCIOSUm cheque emitido e contabilizado pela entidade,mas não apresentado no extrato bancário, seriademonstrado da seguinte forma na conciliaçãobancária Aumento do saldo do razão analítico Redução do saldo do razão analítico Aumento do saldo do extrato Redução do saldo do extrato Ms Karla Carioca
  57. 57. EXERCÍCIOSDurante a realização da auditoria, analisando aspendências constantes nas conciliações bancárias,você detectou que recebimentos de clientes novalor de MR$ 150 e pagamentos a fornecedoresno valor de MR$ 130 foram realizados emjaneiro/x1 mas contabilizados indevidamente emdezembro/x0 Ms Karla Carioca
  58. 58. EXERCÍCIOS – Cont.Os saldos das contas do ativo e do passivocirculante em 31/12/X0 era: Despesas antecipadas 30.000,00 Impostos a pagar 70.000,00 Caixas e equivalentes de caixa 70.000,00 Fornecedores 70.000,00 Contas a receber 150.000,00 Empréstimos 90.000,00 Estoques 70.000,00 Ms Karla Carioca
  59. 59. EXERCÍCIOS – Cont.Pede-se determinar o saldo correto das contas doativo e do passivo circulante Ms Karla Carioca
  60. 60. EXERCÍCIOS – Resposta Saldo antes SaldoAtivo circulante Ajustes dos ajustes ajustadoCaixas e equivalentes de caixa 70.000,00 (20.000,00) 50.000,00Contas a receber 150.000,00 150.000,00 300.000,00Estoques 70.000,00 70.000,00Despesas antecipadas 30.000,00 30.000,00Total 320.000,00 450.000,00 Saldo antes SaldoPassivo circulante Ajustes dos ajustes ajustadoFornecedores 70.000,00 130.000,00 200.000,00Empréstimos 90.000,00 90.000,00Impostos a pagar 70.000,00 70.000,00Total 230.000,00 360.000,00 Ms Karla Carioca
  61. 61. EXERCÍCIOSIndique as providências que você tomaria, como auditor,diante das exceções abaixo contidas nas cartas decircularização do contas a receber: O cliente não assinou a carta de confirmação A data-base é 31/12/X0 e o cliente informa que nessa data não devia nada pois somente receber a mercadoria em 05/01/X1 O cliente informa que não deve nada pois não efetuou nenhuma compra O cliente reconhece que deve mas informa que não tem condições de pagar em função de dificuldades financeiras O cliente envia a resposta para a empresa auditada Ms Karla Carioca
  62. 62. EXERCÍCIOSIndique as providências que você tomaria, como auditor, diante dasexceções abaixo contidas nas cartas de circularização do contas areceber: O cliente não assinou a carta de confirmação – Enviar nova carta ou realizar procedimentos alternativos A data-base é 31/12/X0 e o cliente informa que nessa data não devia nada pois somente recebeu a mercadoria em 05/01/X1 – Verificar se a mercadoria foi realmente expedida em 31/12/X0 O cliente informa que não deve nada pois não efetuou nenhuma compra – Ampliar os testes para constatar se ocorreram vendas fictícias O cliente reconhece que deve mas informa que não tem condições de pagar em função de dificuldades financeiras - Verificar se o saldo desse cliente foi incluído na determinação da estimativa para perda de crédito O cliente envia a resposta para a empresa auditada - Realizar procedimentos alternativos devido ao risco da carta ter sido alterada Ms Karla Carioca
  63. 63. EXERCÍCIOSPara o encerramento do exercício social de X0 aentidade realizou o inventário físico em 30/11/X0.Foram constatadas diferenças anormais esignificativas na comparação das contagens comos registros contábeis dos estoques.Quais são as possíveis causas dessas diferenças?Qual a influência desse fato para o auditor? Ms Karla Carioca
  64. 64. EXERCÍCIOS - RespostaQuais são as possíveis causas dessas diferenças? Contagens físicas não realizadas corretamente Registro contábil do estoque incorreto Os estoques estão sendo roubadosQual a influência desse fato para o auditor? Solicitar a realização de um novo inventário em 31/12/X0 para avaliar novas diferenças Avaliar existência de reflexos relevantes nas demonstrações financeiras Ms Karla Carioca
  65. 65. EXERCÍCIOSUma entidade fez o seguro dos bens do ativoimobilizado junto à uma seguradora. O prêmio doseguro foi no valor de MR$ 720 para o período de01/03/X0 a 28/02/X3.Qual a despesa de seguro no encerramento doexercício X0? Ms Karla Carioca
  66. 66. EXERCÍCIOS – RespostaNo período de 01/03/X0 a 28/02/X3 temos 36mesesO valor do prêmio é de MR$ 720, ou seja, MR$ 20por mês (720/36)No exercício de X0 temos 10 mesesDessa forma, a despesa é de MR$ 200 (20 x 10) Ms Karla Carioca
  67. 67. EXERCÍCIOSO ajuste positivo de equivalência patrimonial(débito na conta de investimentos), decorrente dolucro apurado na sociedade investia, écontabilizado como: Despesa operacional Receita operacional Patrimônio líquido Passivo Ms Karla Carioca
  68. 68. EXERCÍCIOSUtilizando as informações abaixo, realize orecálculo da depreciação: Custo: R$ Saldo em 01/01/X0 1.500.000 Aquisições: janeiro 150.000 fevereiro 20.000 julho 30.000 agosto 250.000 Ms Karla Carioca
  69. 69. EXERCÍCIOS - Cont.Em 01 de janeiro de X0 existia R$ 370.000 decusto de bens de 100% depreciadosA taxa de depreciação é de 10% a.a.A política da companhia é depreciar os bens doativo imobilizado no mês seguinte ao de aquisição Ms Karla Carioca
  70. 70. EXERCÍCIOS - RespostaDepreciação sobre o saldo inicial R$Saldo do custo no início do período 1.500.000Saldo do custo dos bens 100% depreciados (370.000)Saldo depreciável 1.130.000Taxa de depreciação 10%Valor da depreciação anual 113.000Depreciação sobre as aquisições de X0 janeiro fevereiro julho agosto Total R$ R$ R$ R$ R$Custo de aquisição 150.000 210.000 300.000 250.000Taxa de depreciação proporcional 9,17% 8,33% 4,17% 3,33%Valor da depreciação anual 13.755 17.493 12.510 8.325 52.083 R$Depreciação sobre o saldo inicial 113.000Depreciação sobre as aquisições de X0 52.083Depreciação anual total 165.083 Ms Karla Carioca
  71. 71. EXERCÍCIOSUtilizando as informações abaixo sobre um direitode exploração de uma rota de ônibus em31/12/X0: Valor de custo de R$ 20.000 Amortização acumulada de R$ 3.000 A aplicação da NBC TG 01 acusou valor recuperável de R$ 15.000, com base no valor de uso desse direitoQual deve ser a posição do auditor em relação aesse ativo intangível? Ms Karla Carioca
  72. 72. EXERCÍCIOS - Resposta Valor do custo 20.000 Amortização acumulada (3.000) Valor contábil líquido 17.000 Valor recuperável 15.000Dessa forma, o auditor deve sugerir que aentidade constitua uma provisão para perda devalor recuperável no montante de R$ 2.000 Ms Karla Carioca
  73. 73. EXERCÍCIOSÉ uma característica da provisão: Estar suportada por nota fiscal Ser constituída por estimativa Ser registrada por ocasião do pagamento Ser de valor relevante Ms Karla Carioca
  74. 74. EXERCÍCIOSDurante a realização da auditoria em uma entidadepara a data-base de 31/12/X0 você, auditor,constatou os seguintes fatos relacionados à área deempréstimos a pagar: A entidade captou um empréstimo em 31/03/X0 no montante de US$ 200.000 com o seguinte prazo de vencimento: US$ 50.000 em 31/03/X1 US$ 50.000 em 30/09/X1 US$ 50.000 em 31/03/X2 US$ 50.000 em 30/09/X2 Ms Karla Carioca
  75. 75. EXERCÍCIOS - Cont.Os juros desse empréstimo são de 20% a.a. e sãovencíveis em 30/09/X2A taxa de câmbio em 31/03/X0 era de R$ 2,5 e em31/12/X0 de R$ 4Pede-se realizar o recálculo do empréstimo, davariação cambial e dos juros no circulante e nonão circulante Ms Karla Carioca
  76. 76. EXERCÍCIOS - RespostaCálculo do empréstimoPassivo circulante:Período US$Em 31/03/X1 50.000Em 30/09/X1 50.000 100.000Taxa de câmbio 2,5Empréstimo em R$ 250.000Passivo não circulante:Período US$Em 31/03/X2 50.000Em 30/09/X2 50.000 100.000Taxa de câmbio do período 2,5Empréstimo em R$ 250.000 Ms Karla Carioca
  77. 77. EXERCÍCIOS - Resposta Cálculo da variação cambial Passivo circulante: US$ Saldo em US$ 100.000 Taxa de câmbio final 4 Saldo em R$ 400.000 Valor registrado 250.000 Variação cambial 150.000 Passivo circulante: US$ Saldo em US$ 100.000 Taxa de câmbio final 4 Saldo em R$ 400.000 Valor registrado 250.000 Variação cambial 150.000 Ms Karla Carioca
  78. 78. EXERCÍCIOS - Resposta Cálculo dos juros US$ Valor do empréstimo 200.000 Taxa anual 20% Juros anual 40.000 Juros mensal 3.333 Meses devidos 9 Juros devidos 30.000 Taxa de câmbio 4 Juros devidos em R$ 120.000* Juros calculados pelo método linear Ms Karla Carioca
  79. 79. EXERCÍCIOSQual o percentual do lucro líquido destinado paraconstituição da reserva legal? 5% 10% 2% 3% Ms Karla Carioca
  80. 80. DÚVIDAS?PERGUNTAS? Ms Karla Carioca
  81. 81. PARA REFLETIR...“A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original” Albert Einstein Ms Karla Carioca
  82. 82. REFERÊNCIASARAÚJO, I.P.S. Fundamentos da auditoria. São Paulo:Saraiva, 2012LONGO, C.G. Manual de auditoria e revisão dedemonstrações financeiras. 2. ed. São Paulo: Atlas,2011RIBEIRO, O.M. Auditoria fácil. São Paulo: Saraiva, 2011ALMEIDA, M.C. Auditoria. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010CFC disponível em www.cfc.org.brCVM disponível em www.cvm.gov.br Ms Karla Carioca
  83. 83. karlacarioca@dominusauditoria.com.br (85) 3224-6393

×