SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Baixar para ler offline
TOXOPLASMA GONDII
E TOXOPLASMOSE
Taxonomia
• Toxoplasmose é uma doença causada por pelo
protozoário Toxoplasma gondii.
• Reino : Protista
• Sub-reino : Protozoa
• Filo : Apicomplexa
• Ordem : Eucoccidiida
• Família : Sarcocystidae
• Gênero : Toxoplasma
• Espécie : Toxoplasma gondii
Epidemiologia
• Parasita intracelular obrigatório.
• Distribuição mundial.
• A OMS estima que 50-60% da população mundial esteja
infectada (porém os casos clínicos são menos frequentes).
• Zoonose  Reservatórios naturais: mamíferos e aves.
• Infecta quase todos os tipos de células nucleadas (não infecta
hemáceas).
• Hospedeiro definitivo: gato doméstico e outros felinos.
• Tem caráter oportunista em pacientes imunocomprometidos.
• Estima-se que a prevalência de infecção crônica varie de
• 10-75% na população de diversos países do mundo.
• O A maioria das pessoas não apresentam sintomas ou
somente
• sintomas benignos (dor de cabeça, dor de garganta,
• linfoadenite e febre).
• O Doença severa:
• 1) toxoplasmose congênita (transmissão materno-fetal).
• 2) toxoplasmose ocular em adultos imunocompetentes.
• 3) neurotoxoplasmose (perda de um sistema imune
funcional).
Toxoplasmose - Epidemiologia
• No Brasil,
principalmente:
• Amazônia,
• Manaus,
• Amapá,
• Alto Xingu,
• Roraima,
• Podendo ainda
ser encontrado no
médio e baixo São
Francisco e São
Paulo
Habitat
Morfologia múltiplas dependendo do habitat e do estágio
evolutivo.
• Formas infectantes
• Taquizoíto
• Bradizoítos
• Esporozoítos
Morfologia - Taquizoíto
• TAQUIZOÍTO
• Fase aguda da infecção
• Também chamado forma proliferativa (trofozoíto)
• Forma de banana ou meia lua com uma extremidade
mais afilada e outra mais arredondada
• Forma móvel
• Se multiplica rapidamente dentro do vacúolo
citoplasmático de várias células (endodiogenia)
• São pouco resistente ao pH gástrico (destruídos em
pouco tempo)
Reprodução taquizoíto
Morfologia - Taquizoíto
Morfologia - Bradizoíto
• BRADIZOÍTO
• Geralmente encontrado na fase crônica
• Encontrada em vários tecidos (muscular, nervoso, retina)
• Se multiplica lentamente dentro do vacúolo citoplasmático de
várias células (membrana forma cápsula do cisto tecidual)
• Forma cística
• Podem permanecer viáveis nos tecidos por vários anos
Morfologia - Oocisto
• Oocisto
• Esféricos
• Forma de resistência (parede dupla)
• Produzidos no intestino dos felídeos
• Eliminação na forma não esporulada
• No meio ambiente, quando sofre esporulação,
• 2 esporocistos e cada um com 4 esporozoítos.
Oocistos
Ciclo biológico
• Heteroxênico
• Fase assexuada: nos linfonodos e nos tecidos de vários
hospedeiros intermediários (ex.: homem)
• Fase sexuada: Nas células do epitélio intestinal de gatos jovens
Ciclo – Fase Assexuada
• Evolui para :
• morte do hospedeiro (raro)
• Cessa após aparecimento da resposta imunológica
• Parasitos resistente encistam os tecidos (fase
crônica)
Ciclo – Fase Sexuada
• Esporozoíto, bradizoíto ou taquizoíto infectam somente
células epiteliais do intestino delgado dos felideos
• Reprodução por esquizogonia dentro do vacúolo
citoplasmático formando merozoítos
• Esquizonte maduro ou meronte rompe a célula
• Infecção de outra célula ou transformação em gametócito,
formando macrogameta (imóvel – feminino – permanece
na célula) ou microgameta (móvel – masculino – fecunda
o macrogameta), formando o zigoto
Ciclo – Fase Sexuada
• Evolui dentro do epitélio formando uma parede dupla
dando origem ao oocisto imaturo
• Rompimento da célula endotelial e liberação nas fezes
• Após alguns dias no meio ambiente amadurece e forma 2
esporocisto com 4 esporozoítos dentro.
• A eliminação pode durar até 1 mês e o oocisto pode
resistir no meio externo por cerca de 12 a 18 meses.
Transmissão
• Ingestão de oocistos maduros (contendo esporozoítas)
eliminados pelas fezes de gatos ou de outros felinos
• Ingestão de cistos (contendo bradizoítas) presentes em
carne crua ou mal cozida (porco, carneiro)
• Ingestão de leite cru (não pasteurizado) contendo
taquizoítas
• Transplante de órgãos ou transfusão sanguínea →
taquizoítas
• Transmissão placentária → taquizoítas
• Inoculação acidental de taquizoítas
Toxoplasmose Congênita -
Patogenia
• Mãe esteja na fase aguda
• Consequências dependem da cepa, do inóculo, do grau de
exposição e do período de gestação:
• Primeiro trimestre: Incidência maior de aborto
• Segundo trimestre: Aborto ou nascimento prematuro, com ou
sem anomalias graves
• Sintomas enquadrados na “Síndrome ou Tétrade de Sabin”:
• - Coriorretinite (90%)
• - Calcificações cerebrais (69%)
• - Perturbações neurológicas (60%)
• - Macro ou microcefalia (50%)
• Terceiro trimestre: criança normal ou com sintomatologia algum
tempo após o parto.
• Hepatoesplenomegalia, anemia, miocardite, lesões oculares
Toxoplasmose - Diagnóstico
• Demonstração do parasito
• Fase aguda: Fase proliferativa – parasitos no sangue,
linfa
• Fase crônica: Diminuição da parasitemia extracelular,
parasitos resistente confinados nos tecidos em forma
de cistos (biopsia)
Toxoplasmose - Diagnóstico
• Testes sorológicos
• Fase aguda
• Início da resposta imunológica
• IgM em alta / IgG subindo
• IgM no recém-nascido
• Fase crônica
• Diminuição da parasitemia extracelular, parasitos resistente confinados
nos tecidos em forma de cistos.
• IgM diminui e IgG mantém título sorológico positivo
Toxoplasmose - Tratamento
• Não existe fármaco eficaz
• Fármacos só atuam contra as formas proliferativas
• Geralmente só se trata os casos agudos
• Associação de Pirimetamina com sulfadiazina ou
sulfadoxina
Toxoplasmose - Profilaxia
• Não se alimentar de leite cru ou carne crua de qualquer
animal, mal cozida
• Combater gatos e ratos
• Incinerar as fezes dos gatos
• Proteger as caixas de areia
• Exame pré-natal
• Exame das gestantes com aborto sucessíveis
• Desenvolvimento de vacinas
ATA
• Agente etiológico
• Formas de transmissão
• Ciclo biológico
• Risco de desenvolvimento da doença
• Relação IgM e IgG na diferenciação da fase aguda e fase
crônica
• Tratamento
• Prevenção

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Trabalho de parasitologia: Toxoplasma gondii.
Trabalho de parasitologia: Toxoplasma gondii.Trabalho de parasitologia: Toxoplasma gondii.
Trabalho de parasitologia: Toxoplasma gondii.
 
Aula 2 t cruzi e chagas
Aula 2  t cruzi e chagasAula 2  t cruzi e chagas
Aula 2 t cruzi e chagas
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Aula n° 5 plasmodium
Aula n° 5  plasmodiumAula n° 5  plasmodium
Aula n° 5 plasmodium
 
Toxoplasmose congênita
Toxoplasmose congênita Toxoplasmose congênita
Toxoplasmose congênita
 
Aula n° 6 toxoplasma
Aula n° 6   toxoplasmaAula n° 6   toxoplasma
Aula n° 6 toxoplasma
 
Ascaris lumbricoides
Ascaris lumbricoidesAscaris lumbricoides
Ascaris lumbricoides
 
Malaria
Malaria Malaria
Malaria
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Malaria.
Malaria. Malaria.
Malaria.
 
O que é Ascaridíase
O que é AscaridíaseO que é Ascaridíase
O que é Ascaridíase
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
 
Toxoplasmose
Toxoplasmose Toxoplasmose
Toxoplasmose
 
Plasmodium
PlasmodiumPlasmodium
Plasmodium
 
Teniase e cisticercose
Teniase e cisticercoseTeniase e cisticercose
Teniase e cisticercose
 
Criptococose pulmonar
Criptococose pulmonarCriptococose pulmonar
Criptococose pulmonar
 
Ascaridíase
Ascaridíase Ascaridíase
Ascaridíase
 
Giardia
GiardiaGiardia
Giardia
 
Parasitologia - Giardia lamblia
Parasitologia - Giardia lambliaParasitologia - Giardia lamblia
Parasitologia - Giardia lamblia
 

Semelhante a Toxoplasmose - Agente, Transmissão e Diagnóstico

Semelhante a Toxoplasmose - Agente, Transmissão e Diagnóstico (20)

Doenças causadas por protozoários Sem estruturas locomotoras
Doenças causadas por protozoários Sem estruturas locomotorasDoenças causadas por protozoários Sem estruturas locomotoras
Doenças causadas por protozoários Sem estruturas locomotoras
 
Toxoplasma gondii
Toxoplasma gondiiToxoplasma gondii
Toxoplasma gondii
 
1ª protozoarios
 1ª protozoarios 1ª protozoarios
1ª protozoarios
 
3.aula.Leishmaniose.MEDICINA.pptx
3.aula.Leishmaniose.MEDICINA.pptx3.aula.Leishmaniose.MEDICINA.pptx
3.aula.Leishmaniose.MEDICINA.pptx
 
Aula 5 toxoplasma plasmódio
Aula 5 toxoplasma plasmódioAula 5 toxoplasma plasmódio
Aula 5 toxoplasma plasmódio
 
Malária e ancilostomíase
Malária e ancilostomíaseMalária e ancilostomíase
Malária e ancilostomíase
 
Toxoplasmose. mácyo
Toxoplasmose. mácyoToxoplasmose. mácyo
Toxoplasmose. mácyo
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Aula n° 6 toxoplasma
Aula n° 6   toxoplasmaAula n° 6   toxoplasma
Aula n° 6 toxoplasma
 
Balantidiose
BalantidioseBalantidiose
Balantidiose
 
toxoplasmose
toxoplasmosetoxoplasmose
toxoplasmose
 
Ancilostomideos
AncilostomideosAncilostomideos
Ancilostomideos
 
Plasmodium e malária
Plasmodium e  malária Plasmodium e  malária
Plasmodium e malária
 
xrToxoplasmose_2012.pdf
xrToxoplasmose_2012.pdfxrToxoplasmose_2012.pdf
xrToxoplasmose_2012.pdf
 
Relação parasito hospedeiro apresentação(1)
Relação parasito hospedeiro apresentação(1)Relação parasito hospedeiro apresentação(1)
Relação parasito hospedeiro apresentação(1)
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Protozoários e Algas
Protozoários e AlgasProtozoários e Algas
Protozoários e Algas
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 

Mais de Joao Paulo Peixoto

Mais de Joao Paulo Peixoto (7)

Aula 4 malaria e plassmodium
Aula 4   malaria e plassmodiumAula 4   malaria e plassmodium
Aula 4 malaria e plassmodium
 
Aula 3 leishmaniose e leishmania sp
Aula 3   leishmaniose e leishmania spAula 3   leishmaniose e leishmania sp
Aula 3 leishmaniose e leishmania sp
 
Aula 05 art. 5º ao 15 v
Aula 05   art. 5º ao 15 vAula 05   art. 5º ao 15 v
Aula 05 art. 5º ao 15 v
 
Aula 04 art. 5º ao 15 iv
Aula 04   art. 5º ao 15 ivAula 04   art. 5º ao 15 iv
Aula 04 art. 5º ao 15 iv
 
Aula 03 art. 5º ao 15 iii
Aula 03   art. 5º ao 15 iiiAula 03   art. 5º ao 15 iii
Aula 03 art. 5º ao 15 iii
 
Aula 02 art. 5º ao 15 ii
Aula 02   art. 5º ao 15 iiAula 02   art. 5º ao 15 ii
Aula 02 art. 5º ao 15 ii
 
Aula 01 art. 5º ao 15
Aula 01   art. 5º ao 15Aula 01   art. 5º ao 15
Aula 01 art. 5º ao 15
 

Toxoplasmose - Agente, Transmissão e Diagnóstico

  • 2. Taxonomia • Toxoplasmose é uma doença causada por pelo protozoário Toxoplasma gondii. • Reino : Protista • Sub-reino : Protozoa • Filo : Apicomplexa • Ordem : Eucoccidiida • Família : Sarcocystidae • Gênero : Toxoplasma • Espécie : Toxoplasma gondii
  • 3. Epidemiologia • Parasita intracelular obrigatório. • Distribuição mundial. • A OMS estima que 50-60% da população mundial esteja infectada (porém os casos clínicos são menos frequentes). • Zoonose  Reservatórios naturais: mamíferos e aves. • Infecta quase todos os tipos de células nucleadas (não infecta hemáceas). • Hospedeiro definitivo: gato doméstico e outros felinos. • Tem caráter oportunista em pacientes imunocomprometidos.
  • 4. • Estima-se que a prevalência de infecção crônica varie de • 10-75% na população de diversos países do mundo. • O A maioria das pessoas não apresentam sintomas ou somente • sintomas benignos (dor de cabeça, dor de garganta, • linfoadenite e febre). • O Doença severa: • 1) toxoplasmose congênita (transmissão materno-fetal). • 2) toxoplasmose ocular em adultos imunocompetentes. • 3) neurotoxoplasmose (perda de um sistema imune funcional).
  • 5. Toxoplasmose - Epidemiologia • No Brasil, principalmente: • Amazônia, • Manaus, • Amapá, • Alto Xingu, • Roraima, • Podendo ainda ser encontrado no médio e baixo São Francisco e São Paulo
  • 6. Habitat Morfologia múltiplas dependendo do habitat e do estágio evolutivo. • Formas infectantes • Taquizoíto • Bradizoítos • Esporozoítos
  • 7. Morfologia - Taquizoíto • TAQUIZOÍTO • Fase aguda da infecção • Também chamado forma proliferativa (trofozoíto) • Forma de banana ou meia lua com uma extremidade mais afilada e outra mais arredondada • Forma móvel • Se multiplica rapidamente dentro do vacúolo citoplasmático de várias células (endodiogenia) • São pouco resistente ao pH gástrico (destruídos em pouco tempo)
  • 10. Morfologia - Bradizoíto • BRADIZOÍTO • Geralmente encontrado na fase crônica • Encontrada em vários tecidos (muscular, nervoso, retina) • Se multiplica lentamente dentro do vacúolo citoplasmático de várias células (membrana forma cápsula do cisto tecidual) • Forma cística • Podem permanecer viáveis nos tecidos por vários anos
  • 11.
  • 12. Morfologia - Oocisto • Oocisto • Esféricos • Forma de resistência (parede dupla) • Produzidos no intestino dos felídeos • Eliminação na forma não esporulada • No meio ambiente, quando sofre esporulação, • 2 esporocistos e cada um com 4 esporozoítos.
  • 14. Ciclo biológico • Heteroxênico • Fase assexuada: nos linfonodos e nos tecidos de vários hospedeiros intermediários (ex.: homem) • Fase sexuada: Nas células do epitélio intestinal de gatos jovens
  • 15.
  • 16. Ciclo – Fase Assexuada • Evolui para : • morte do hospedeiro (raro) • Cessa após aparecimento da resposta imunológica • Parasitos resistente encistam os tecidos (fase crônica)
  • 17.
  • 18. Ciclo – Fase Sexuada • Esporozoíto, bradizoíto ou taquizoíto infectam somente células epiteliais do intestino delgado dos felideos • Reprodução por esquizogonia dentro do vacúolo citoplasmático formando merozoítos • Esquizonte maduro ou meronte rompe a célula • Infecção de outra célula ou transformação em gametócito, formando macrogameta (imóvel – feminino – permanece na célula) ou microgameta (móvel – masculino – fecunda o macrogameta), formando o zigoto
  • 19. Ciclo – Fase Sexuada • Evolui dentro do epitélio formando uma parede dupla dando origem ao oocisto imaturo • Rompimento da célula endotelial e liberação nas fezes • Após alguns dias no meio ambiente amadurece e forma 2 esporocisto com 4 esporozoítos dentro. • A eliminação pode durar até 1 mês e o oocisto pode resistir no meio externo por cerca de 12 a 18 meses.
  • 20. Transmissão • Ingestão de oocistos maduros (contendo esporozoítas) eliminados pelas fezes de gatos ou de outros felinos • Ingestão de cistos (contendo bradizoítas) presentes em carne crua ou mal cozida (porco, carneiro) • Ingestão de leite cru (não pasteurizado) contendo taquizoítas • Transplante de órgãos ou transfusão sanguínea → taquizoítas • Transmissão placentária → taquizoítas • Inoculação acidental de taquizoítas
  • 21. Toxoplasmose Congênita - Patogenia • Mãe esteja na fase aguda • Consequências dependem da cepa, do inóculo, do grau de exposição e do período de gestação: • Primeiro trimestre: Incidência maior de aborto • Segundo trimestre: Aborto ou nascimento prematuro, com ou sem anomalias graves • Sintomas enquadrados na “Síndrome ou Tétrade de Sabin”: • - Coriorretinite (90%) • - Calcificações cerebrais (69%) • - Perturbações neurológicas (60%) • - Macro ou microcefalia (50%) • Terceiro trimestre: criança normal ou com sintomatologia algum tempo após o parto. • Hepatoesplenomegalia, anemia, miocardite, lesões oculares
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26. Toxoplasmose - Diagnóstico • Demonstração do parasito • Fase aguda: Fase proliferativa – parasitos no sangue, linfa • Fase crônica: Diminuição da parasitemia extracelular, parasitos resistente confinados nos tecidos em forma de cistos (biopsia)
  • 27. Toxoplasmose - Diagnóstico • Testes sorológicos • Fase aguda • Início da resposta imunológica • IgM em alta / IgG subindo • IgM no recém-nascido • Fase crônica • Diminuição da parasitemia extracelular, parasitos resistente confinados nos tecidos em forma de cistos. • IgM diminui e IgG mantém título sorológico positivo
  • 28. Toxoplasmose - Tratamento • Não existe fármaco eficaz • Fármacos só atuam contra as formas proliferativas • Geralmente só se trata os casos agudos • Associação de Pirimetamina com sulfadiazina ou sulfadoxina
  • 29.
  • 30. Toxoplasmose - Profilaxia • Não se alimentar de leite cru ou carne crua de qualquer animal, mal cozida • Combater gatos e ratos • Incinerar as fezes dos gatos • Proteger as caixas de areia • Exame pré-natal • Exame das gestantes com aborto sucessíveis • Desenvolvimento de vacinas
  • 31. ATA • Agente etiológico • Formas de transmissão • Ciclo biológico • Risco de desenvolvimento da doença • Relação IgM e IgG na diferenciação da fase aguda e fase crônica • Tratamento • Prevenção