SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 69
Protozoários




   Prof. tubão
FILOS

Reino       ciliados
Protista
Sub-reino   esporozoários
Protozoa
            flagelados

            sarcodíneos ou rizópodes
Rizópodes: pseudópodes
Flagelados: flagelos
Flagelados: flagelos
Ciliados: cílios
Ciliados: cílios
esporozoários : todos parasitas sem
estruturas locomotoras.
• Reprodução:
a) Assexuada: divisão binária ou Cissiparidade

b) Sexuada: Conjugação.

• Nutrição: Heterótrofos (fagocitose)

• Excreção e osmorregulação: difusão ou vacúolos
  contráteis

• Respiração: aeróbica (difusão) ou anaeróbica
• Nutrição: Heterótrofos (fagocitose)
• Respiração: aeróbica (difusão) ou anaeróbica
• Reprodução: Assexuada: divisão binária ou
  Cissiparidade
• Reprodução Sexuada: Conjugação.
Excreção e osmorregulação: difusão ou vacúolos
contráteis: Protozoários de vida livre em água
doce precisam de vacúolos contráteis: retirar o
excesso de água e de amônia.
                                     água
Termos mais usados em parasitologia
• Agente etiológico: quem causa a doença
• Vetor: quem transmite o agente etiológico.
• Hospedeiro: onde encontramos o parasita.
• Hospedeiro intermediário : onde ocorre rep.
  assexuada
• Hospedeiro definitivo: onde ocorre rep.
  sexuada.
• Reservatório: animais que possuem o parasita
  e podem transmitir ao vetor.
DOENÇA DE CHAGAS

             prof. Eduardo




Agente etiológico:Trypanosoma cruzi,
• Hospediro Invertebrado ou Vetor: “Barbeiro”
• insetos hemípteros (“percevejos” ou triatomídeos)
• No Brasil:Triatoma infestans.
Habitat: Casa de pau a pique
MECANISMOS DE TRANSMISSÃO
Fezes do inseto,
Transfusão sanguínea
Transmissão oral
• reservatórios de tripanosomas: mamíferos
  silvestres com ratos, tatus, gambás, macacos
  e tamanduás.
• Fase Aguda - Inicio com a entrada do parasito
  no sangue, Normalmente assintomática:



                               Sinal de Romanã
fase crônica no miocárdio. Fibrose e inflamação
CARDIOMEGALIA
Megaesôfago   Megacólon
• PROFILAXIA
• Melhoria das habitações principalmente
  rurais
• Combate ao barbeiro (telas na janela,
  mosquiteiros e inseticidas).
• Controle do doador de sangue
• Não há vacina.
Malária
(Impaludismo, maleita, impaludismo,
     sezão ou febre palustre,




            Prof. Eduardo
Agente Etiológico: esporozoários do
Gênero Plasmodium ssp. (todos parasitas
intracelulares de hemácias)
Vetor: Fêmeas do Mosquito Prego (pica
levantando o abdômen) ou Anopheles.
• três espécies de plasmodium parasitam
  humanos no Brasil

• P. vivax: Febre terçã benigna (48 hs.)

• P. malarie: Febre quartã benigna ( 72 hs.)

• P. falciparum: Febre terçã maligna (36 –
  48 hs.)

• O P. ovale é restrito na África.
• PATOGENIA e SINTOMAS
• Fase inicial: mal-estar, cefaléia e cansaço

• Acesso malárico
• Coincide com a ruptura das hemácias
• Calafrio - febre - sudorese – fraqueza

• O P. falciparum causa formação de trombos
  (necrose e falência do órgão).
• Pior quadro: malária cerebral.
Profilaxia

• Proteção individual

• Combate ao vetor (telas na janela,
  mosquiteiros e inseticidas).
Leishmaniose ou Úlcera de Bauru
                  Agente
                  etiológico:
                  Leishmania sp.



Vetor:
mosquito palha
(Lutzomia e
Phlebotomus)
• reservatórios de
  Leishmânias:
  cachorros, ratos,
  cavalos,
  gambás,
  macacos e
  tamanduás.

• Devem ser
  sacrificados
  quando
  infectados
• A Leishmaniose pode se apresentar das seguintes
  formas:
• A)Tegumentar ou cutânea:
• Cutânea: provoca lesões cutâneas
• Cutânea difusa: provoca metástases.
• Cutâneo-mucosa: destrói a mucosa nasofaríngea.
• B)Visceral: geralmente fatal e incurável, ataca
  vísceras como fígado e baço.
• Profilaxia

• Combate ao vetor

• Eliminação dos reservatórios

• Tratar o doente
Amebíase




prof. Eduardo
Amebíase (desenteria mebiana)

Agente Etiológico: Entamoeba hystolitica,
 rizópode.

Transmissão: ciclo oro-fecal (água e
 alimentos contaminados).

Comum em países com deficiência em
 saneamento básico
• Morfologia
• Trofozoíta ou Trofozoíto: Forma amebóide e
  patogênica. Se locomove por pseudópodes.
  E vive no intestino grosso.
• Cistos (formas de resistência) liberados nas
  fezes que contaminam água e alimentos.
  Fazem divisão binária.
•   transmissão oro -fecal
Patogenia: Parasito invasivo e destrutivo do epitélio
 intestinal, alimenta-se de hemácias. Causa
 Diarréria sanguinolenta.
• Profilaxia:

• Saneamento Básico

• Descontaminar água ou alimentos

• Higiene pessoal

• Tratar os doentes
Giardíase




Prof. Eduardo
• Giardíase
• Agente etiológico: Giardia lamblia ou intestinalis).

• Trofozoítos intestinais e      cistos nas fezes.
• Flagelado do intestino delgado.

• Ciclo oro-fecal : Água e alimentos
  contaminados (verduras cruas,frutas mal
  lavadas).

• PATOGENIA: Diarréia mucosa com
  meteorismo

• perda de peso e má absorção intestinal
  (Gorduras, vitaminas lipossolúveis)
• Profilaxia:

• Saneamento Básico

• Descontaminar água ou alimentos

• Higiene pessoal

• Tratar os doentes
Tricomoníase




 Prof. Eduardo
Tricomoníase:
   O agente etiológico: Trichomonas vaginalis
 Transmissão sexual (DST):
  Sintomático em mulheres e assintomático em
  homens (normalmente é o transmissor)
• Atinge geralmente mulheres adultas
• Transmissão pode ocorrer por objetos e
  roupas
• Mãe durante o parto pode transmitir para
  filha
• O Trichomonas vaginalis (protozoário).
• Não possui a forma cística, apenas a trofozoítica.
  O ( 10 a 30 mm).
•   PATOLOGIA
•   O homem e assintomático.
•   A mulher sintomática:
•
•   Secreção vaginal mucopurulenta

• Vaginite caracterizada por corrimento vaginal ,
  amarelo - esverdeado, com odor fétido.

• Dor no ato sexual.
• PROFILAXIA
• Tratamento dos doentes

• Higiene corporal

• Esterilização dos aparelhos ginecológicos

• O homem deve ser tratado mesmo sem sintomas
  principalmente caso esposa estiver parasitada

• Utilizar preservativo (camisinha)
Toxoplasmose


 Prof. Eduardo
Agente etiológico:Toxoplasma gondii
•   É uma zoonose que infecta gatos e outros
    vertebrados
•   Prevalência sorológica entre 20 a 80%
•   Forma mais grave é encontrada em crianças
    recém-nascidas
•   Reativação da infecção em indivíduos HIV+.
•   Hospedeiros definitivos: todos os felídeos
•   Hospedeiros intermediários: Mamíferos e
    aves.
•   TOXOPLASMOSE CONGÊNITA OU PRÉ-NATAL
-   Aborto
-   Coriorretinite
-   Calcificações cerebrais
-    Retardamento psicomotor
-   Micro ou macrocefalia
• PROFILAXIA (mulheres grávidas)


• Não comer carne crua ou leite de cabra sem
  ferver
• Evitar contatos com gatos
• Incinerar as fezes (gatos)
• Vacina
• Tratar os doentes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoáriosDoenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoáriosMarcos Santos
 
Doenças causadas por protozoários (protozooses) 3º ANO
Doenças causadas por protozoários (protozooses) 3º ANODoenças causadas por protozoários (protozooses) 3º ANO
Doenças causadas por protozoários (protozooses) 3º ANOAlpha Colégio e Vestibulares
 
Aula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Aula de Parasitologia Médica sobre a MaláriaAula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Aula de Parasitologia Médica sobre a MaláriaJaqueline Almeida
 
Parasitologia - Balantidium coli
Parasitologia - Balantidium coliParasitologia - Balantidium coli
Parasitologia - Balantidium colipHrOzEn HeLL
 
Protozoários e o parasitismo
Protozoários e o parasitismoProtozoários e o parasitismo
Protozoários e o parasitismojfquirino
 
Toxoplasma gondii
Toxoplasma gondiiToxoplasma gondii
Toxoplasma gondiiVetOeirasHV
 
Aula de Parasitologia do dia: 08.09.2016
Aula de Parasitologia do dia: 08.09.2016Aula de Parasitologia do dia: 08.09.2016
Aula de Parasitologia do dia: 08.09.2016Jaqueline Almeida
 
Aula de Parasitologia do dia: 01.09.2016
Aula de Parasitologia do dia: 01.09.2016Aula de Parasitologia do dia: 01.09.2016
Aula de Parasitologia do dia: 01.09.2016Jaqueline Almeida
 
Aula 5 toxoplasma gondii e toxoplasmose
Aula 5  toxoplasma gondii e toxoplasmoseAula 5  toxoplasma gondii e toxoplasmose
Aula 5 toxoplasma gondii e toxoplasmoseJoao Paulo Peixoto
 
Parasitologia - Ameba
Parasitologia - AmebaParasitologia - Ameba
Parasitologia - AmebapHrOzEn HeLL
 

Mais procurados (19)

Doenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoáriosDoenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoários
 
Parasitoses humanas
Parasitoses humanasParasitoses humanas
Parasitoses humanas
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 
Doenças causadas por protozoários (protozooses) 3º ANO
Doenças causadas por protozoários (protozooses) 3º ANODoenças causadas por protozoários (protozooses) 3º ANO
Doenças causadas por protozoários (protozooses) 3º ANO
 
Aula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Aula de Parasitologia Médica sobre a MaláriaAula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Aula de Parasitologia Médica sobre a Malária
 
Parasitologia - Balantidium coli
Parasitologia - Balantidium coliParasitologia - Balantidium coli
Parasitologia - Balantidium coli
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Protozoários e o parasitismo
Protozoários e o parasitismoProtozoários e o parasitismo
Protozoários e o parasitismo
 
Toxoplasma gondii
Toxoplasma gondiiToxoplasma gondii
Toxoplasma gondii
 
Aula de Parasitologia do dia: 08.09.2016
Aula de Parasitologia do dia: 08.09.2016Aula de Parasitologia do dia: 08.09.2016
Aula de Parasitologia do dia: 08.09.2016
 
Aula de Parasitologia do dia: 01.09.2016
Aula de Parasitologia do dia: 01.09.2016Aula de Parasitologia do dia: 01.09.2016
Aula de Parasitologia do dia: 01.09.2016
 
Parasitas
ParasitasParasitas
Parasitas
 
Nematelmintos equinos 2021
Nematelmintos equinos 2021Nematelmintos equinos 2021
Nematelmintos equinos 2021
 
Aula 5 toxoplasma gondii e toxoplasmose
Aula 5  toxoplasma gondii e toxoplasmoseAula 5  toxoplasma gondii e toxoplasmose
Aula 5 toxoplasma gondii e toxoplasmose
 
Parasitologia - Ameba
Parasitologia - AmebaParasitologia - Ameba
Parasitologia - Ameba
 
Aula 22 verminoses
Aula 22   verminosesAula 22   verminoses
Aula 22 verminoses
 
Parasitoses
ParasitosesParasitoses
Parasitoses
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 

Destaque

Googeln Sie Ihre Bewerber?
Googeln Sie Ihre Bewerber?Googeln Sie Ihre Bewerber?
Googeln Sie Ihre Bewerber?Juliane Köster
 
Jamie Matthews A1 P2 essay
Jamie Matthews A1 P2 essayJamie Matthews A1 P2 essay
Jamie Matthews A1 P2 essayJamieMatthews
 
Training pack multi hose product receiving z cott translated
Training pack   multi hose product receiving z cott translatedTraining pack   multi hose product receiving z cott translated
Training pack multi hose product receiving z cott translatedTrish Sotto
 
Témoignages d anciens internes en pibm leur parcours après l'internat
Témoignages d anciens internes en pibm   leur parcours après l'internatTémoignages d anciens internes en pibm   leur parcours après l'internat
Témoignages d anciens internes en pibm leur parcours après l'internatRéseau Pro Santé
 
La Presse_publireportage_rockland_low
La Presse_publireportage_rockland_lowLa Presse_publireportage_rockland_low
La Presse_publireportage_rockland_lowSarah Meublat
 
Flyer AudiSEC Sàrl
Flyer AudiSEC SàrlFlyer AudiSEC Sàrl
Flyer AudiSEC Sàrlvalerienaef
 
8 Cycle de vie & finances optimales TdG 18.05.2015
8 Cycle de vie & finances optimales TdG 18.05.20158 Cycle de vie & finances optimales TdG 18.05.2015
8 Cycle de vie & finances optimales TdG 18.05.2015Albert Gallegos
 
Gestion multisites - Retours d'expérience et solutions avec le CMS Ametys - C...
Gestion multisites - Retours d'expérience et solutions avec le CMS Ametys - C...Gestion multisites - Retours d'expérience et solutions avec le CMS Ametys - C...
Gestion multisites - Retours d'expérience et solutions avec le CMS Ametys - C...Ametys
 
Synodiance > Quand le SEO devient social - 28-05-2010
Synodiance > Quand le SEO devient social - 28-05-2010Synodiance > Quand le SEO devient social - 28-05-2010
Synodiance > Quand le SEO devient social - 28-05-2010Search Foresight
 
Bilan invest r%26_d_260112
Bilan invest r%26_d_260112Bilan invest r%26_d_260112
Bilan invest r%26_d_260112Association LIR
 
Etude sur l'hygiène nasale des Français
Etude sur l'hygiène nasale des FrançaisEtude sur l'hygiène nasale des Français
Etude sur l'hygiène nasale des FrançaisIpsos France
 
9022PS01Technology to Application
9022PS01Technology to Application9022PS01Technology to Application
9022PS01Technology to ApplicationTim Litt
 
La Tribune 16-02-16.PDF
La Tribune 16-02-16.PDFLa Tribune 16-02-16.PDF
La Tribune 16-02-16.PDFVincent Genet
 
Usfia Gemcoin presentation
Usfia Gemcoin presentationUsfia Gemcoin presentation
Usfia Gemcoin presentationColin Mputu
 

Destaque (20)

Googeln Sie Ihre Bewerber?
Googeln Sie Ihre Bewerber?Googeln Sie Ihre Bewerber?
Googeln Sie Ihre Bewerber?
 
Jamie Matthews A1 P2 essay
Jamie Matthews A1 P2 essayJamie Matthews A1 P2 essay
Jamie Matthews A1 P2 essay
 
Afra Marine Technologies Pte Ltd Brochure
Afra Marine Technologies Pte Ltd BrochureAfra Marine Technologies Pte Ltd Brochure
Afra Marine Technologies Pte Ltd Brochure
 
Ares I Instrument Unit Status and Progress
Ares I Instrument Unit Status and ProgressAres I Instrument Unit Status and Progress
Ares I Instrument Unit Status and Progress
 
Training pack multi hose product receiving z cott translated
Training pack   multi hose product receiving z cott translatedTraining pack   multi hose product receiving z cott translated
Training pack multi hose product receiving z cott translated
 
Témoignages d anciens internes en pibm leur parcours après l'internat
Témoignages d anciens internes en pibm   leur parcours après l'internatTémoignages d anciens internes en pibm   leur parcours après l'internat
Témoignages d anciens internes en pibm leur parcours après l'internat
 
La Presse_publireportage_rockland_low
La Presse_publireportage_rockland_lowLa Presse_publireportage_rockland_low
La Presse_publireportage_rockland_low
 
Flyer AudiSEC Sàrl
Flyer AudiSEC SàrlFlyer AudiSEC Sàrl
Flyer AudiSEC Sàrl
 
8 Cycle de vie & finances optimales TdG 18.05.2015
8 Cycle de vie & finances optimales TdG 18.05.20158 Cycle de vie & finances optimales TdG 18.05.2015
8 Cycle de vie & finances optimales TdG 18.05.2015
 
Gestion multisites - Retours d'expérience et solutions avec le CMS Ametys - C...
Gestion multisites - Retours d'expérience et solutions avec le CMS Ametys - C...Gestion multisites - Retours d'expérience et solutions avec le CMS Ametys - C...
Gestion multisites - Retours d'expérience et solutions avec le CMS Ametys - C...
 
Lettre soirée du 14 novembre 2013
Lettre soirée du 14 novembre 2013Lettre soirée du 14 novembre 2013
Lettre soirée du 14 novembre 2013
 
Synodiance > Quand le SEO devient social - 28-05-2010
Synodiance > Quand le SEO devient social - 28-05-2010Synodiance > Quand le SEO devient social - 28-05-2010
Synodiance > Quand le SEO devient social - 28-05-2010
 
Bilan invest r%26_d_260112
Bilan invest r%26_d_260112Bilan invest r%26_d_260112
Bilan invest r%26_d_260112
 
Notes unit six
Notes unit sixNotes unit six
Notes unit six
 
Etude sur l'hygiène nasale des Français
Etude sur l'hygiène nasale des FrançaisEtude sur l'hygiène nasale des Français
Etude sur l'hygiène nasale des Français
 
Tsil profile summary
Tsil profile summaryTsil profile summary
Tsil profile summary
 
9022PS01Technology to Application
9022PS01Technology to Application9022PS01Technology to Application
9022PS01Technology to Application
 
La Tribune 16-02-16.PDF
La Tribune 16-02-16.PDFLa Tribune 16-02-16.PDF
La Tribune 16-02-16.PDF
 
PRESENTACIÒN
PRESENTACIÒNPRESENTACIÒN
PRESENTACIÒN
 
Usfia Gemcoin presentation
Usfia Gemcoin presentationUsfia Gemcoin presentation
Usfia Gemcoin presentation
 

Semelhante a Protozoários

Semelhante a Protozoários (20)

7º ano cap 7 reino protoctistas
7º ano cap 7  reino protoctistas7º ano cap 7  reino protoctistas
7º ano cap 7 reino protoctistas
 
Reino protista: protozoarios
Reino protista: protozoariosReino protista: protozoarios
Reino protista: protozoarios
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Aula reino-protista
Aula reino-protistaAula reino-protista
Aula reino-protista
 
Protistas
ProtistasProtistas
Protistas
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
 
Aula n° 2
Aula n° 2  Aula n° 2
Aula n° 2
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino ProtistaSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
 
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
 
AULA 4 - PARASITOLOGIA (HELMINTOS E PROTOZOÁRIOS).pptx
AULA 4 - PARASITOLOGIA (HELMINTOS E PROTOZOÁRIOS).pptxAULA 4 - PARASITOLOGIA (HELMINTOS E PROTOZOÁRIOS).pptx
AULA 4 - PARASITOLOGIA (HELMINTOS E PROTOZOÁRIOS).pptx
 
Protistas
ProtistasProtistas
Protistas
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
 
Sistema pancreático endócrino.pptx
Sistema pancreático endócrino.pptxSistema pancreático endócrino.pptx
Sistema pancreático endócrino.pptx
 
Aula n° 5 plasmodium
Aula n° 5  plasmodiumAula n° 5  plasmodium
Aula n° 5 plasmodium
 
Apresentação 2
Apresentação 2Apresentação 2
Apresentação 2
 
Reino protoctista e Protozooses
Reino protoctista e ProtozoosesReino protoctista e Protozooses
Reino protoctista e Protozooses
 

Mais de Marcos Albuquerque (20)

Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Pac
PacPac
Pac
 
Agua
AguaAgua
Agua
 
Evolução 3o.
Evolução 3o.Evolução 3o.
Evolução 3o.
 
Sistema nervoso
Sistema  nervosoSistema  nervoso
Sistema nervoso
 
Radiações e a células
Radiações e a célulasRadiações e a células
Radiações e a células
 
Tecido muscular
Tecido muscularTecido muscular
Tecido muscular
 
Reino monera curso
Reino monera cursoReino monera curso
Reino monera curso
 
Histologia
HistologiaHistologia
Histologia
 
Sistema excretor e osmorregulador
Sistema excretor e osmorreguladorSistema excretor e osmorregulador
Sistema excretor e osmorregulador
 
Semi virus, monera fungi e protista
Semi   virus, monera fungi e protistaSemi   virus, monera fungi e protista
Semi virus, monera fungi e protista
 
Euploidias e aneuploidias 1o. anp
Euploidias  e aneuploidias 1o. anpEuploidias  e aneuploidias 1o. anp
Euploidias e aneuploidias 1o. anp
 
Organelas (mod. 8)
Organelas (mod. 8)Organelas (mod. 8)
Organelas (mod. 8)
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Semente e germinação
Semente e germinaçãoSemente e germinação
Semente e germinação
 
Semente e germinação
Semente e germinaçãoSemente e germinação
Semente e germinação
 
Reprodução em animais
Reprodução em animaisReprodução em animais
Reprodução em animais
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
 
Gimnospermas e angiospermas
Gimnospermas e angiospermasGimnospermas e angiospermas
Gimnospermas e angiospermas
 
Briófitas e pteridófitas
Briófitas e pteridófitasBriófitas e pteridófitas
Briófitas e pteridófitas
 

Protozoários

  • 1. Protozoários Prof. tubão
  • 2. FILOS Reino ciliados Protista Sub-reino esporozoários Protozoa flagelados sarcodíneos ou rizópodes
  • 3.
  • 5.
  • 10. esporozoários : todos parasitas sem estruturas locomotoras.
  • 11. • Reprodução: a) Assexuada: divisão binária ou Cissiparidade b) Sexuada: Conjugação. • Nutrição: Heterótrofos (fagocitose) • Excreção e osmorregulação: difusão ou vacúolos contráteis • Respiração: aeróbica (difusão) ou anaeróbica
  • 12. • Nutrição: Heterótrofos (fagocitose) • Respiração: aeróbica (difusão) ou anaeróbica
  • 13. • Reprodução: Assexuada: divisão binária ou Cissiparidade
  • 14. • Reprodução Sexuada: Conjugação.
  • 15. Excreção e osmorregulação: difusão ou vacúolos contráteis: Protozoários de vida livre em água doce precisam de vacúolos contráteis: retirar o excesso de água e de amônia. água
  • 16. Termos mais usados em parasitologia • Agente etiológico: quem causa a doença • Vetor: quem transmite o agente etiológico. • Hospedeiro: onde encontramos o parasita. • Hospedeiro intermediário : onde ocorre rep. assexuada • Hospedeiro definitivo: onde ocorre rep. sexuada. • Reservatório: animais que possuem o parasita e podem transmitir ao vetor.
  • 17. DOENÇA DE CHAGAS prof. Eduardo Agente etiológico:Trypanosoma cruzi,
  • 18. • Hospediro Invertebrado ou Vetor: “Barbeiro” • insetos hemípteros (“percevejos” ou triatomídeos) • No Brasil:Triatoma infestans.
  • 19. Habitat: Casa de pau a pique
  • 20. MECANISMOS DE TRANSMISSÃO Fezes do inseto, Transfusão sanguínea Transmissão oral
  • 21.
  • 22. • reservatórios de tripanosomas: mamíferos silvestres com ratos, tatus, gambás, macacos e tamanduás.
  • 23. • Fase Aguda - Inicio com a entrada do parasito no sangue, Normalmente assintomática: Sinal de Romanã
  • 24. fase crônica no miocárdio. Fibrose e inflamação
  • 26. Megaesôfago Megacólon
  • 27. • PROFILAXIA • Melhoria das habitações principalmente rurais • Combate ao barbeiro (telas na janela, mosquiteiros e inseticidas). • Controle do doador de sangue • Não há vacina.
  • 28. Malária (Impaludismo, maleita, impaludismo, sezão ou febre palustre, Prof. Eduardo
  • 29. Agente Etiológico: esporozoários do Gênero Plasmodium ssp. (todos parasitas intracelulares de hemácias)
  • 30. Vetor: Fêmeas do Mosquito Prego (pica levantando o abdômen) ou Anopheles.
  • 31. • três espécies de plasmodium parasitam humanos no Brasil • P. vivax: Febre terçã benigna (48 hs.) • P. malarie: Febre quartã benigna ( 72 hs.) • P. falciparum: Febre terçã maligna (36 – 48 hs.) • O P. ovale é restrito na África.
  • 32.
  • 33. • PATOGENIA e SINTOMAS • Fase inicial: mal-estar, cefaléia e cansaço • Acesso malárico • Coincide com a ruptura das hemácias • Calafrio - febre - sudorese – fraqueza • O P. falciparum causa formação de trombos (necrose e falência do órgão). • Pior quadro: malária cerebral.
  • 34. Profilaxia • Proteção individual • Combate ao vetor (telas na janela, mosquiteiros e inseticidas).
  • 35. Leishmaniose ou Úlcera de Bauru Agente etiológico: Leishmania sp. Vetor: mosquito palha (Lutzomia e Phlebotomus)
  • 36. • reservatórios de Leishmânias: cachorros, ratos, cavalos, gambás, macacos e tamanduás. • Devem ser sacrificados quando infectados
  • 37. • A Leishmaniose pode se apresentar das seguintes formas: • A)Tegumentar ou cutânea: • Cutânea: provoca lesões cutâneas
  • 38. • Cutânea difusa: provoca metástases.
  • 39. • Cutâneo-mucosa: destrói a mucosa nasofaríngea.
  • 40. • B)Visceral: geralmente fatal e incurável, ataca vísceras como fígado e baço.
  • 41.
  • 42. • Profilaxia • Combate ao vetor • Eliminação dos reservatórios • Tratar o doente
  • 44. Amebíase (desenteria mebiana) Agente Etiológico: Entamoeba hystolitica, rizópode. Transmissão: ciclo oro-fecal (água e alimentos contaminados). Comum em países com deficiência em saneamento básico
  • 45. • Morfologia • Trofozoíta ou Trofozoíto: Forma amebóide e patogênica. Se locomove por pseudópodes. E vive no intestino grosso.
  • 46. • Cistos (formas de resistência) liberados nas fezes que contaminam água e alimentos. Fazem divisão binária.
  • 47.
  • 48. transmissão oro -fecal
  • 49. Patogenia: Parasito invasivo e destrutivo do epitélio intestinal, alimenta-se de hemácias. Causa Diarréria sanguinolenta.
  • 50. • Profilaxia: • Saneamento Básico • Descontaminar água ou alimentos • Higiene pessoal • Tratar os doentes
  • 52. • Giardíase • Agente etiológico: Giardia lamblia ou intestinalis). • Trofozoítos intestinais e cistos nas fezes.
  • 53.
  • 54. • Flagelado do intestino delgado. • Ciclo oro-fecal : Água e alimentos contaminados (verduras cruas,frutas mal lavadas). • PATOGENIA: Diarréia mucosa com meteorismo • perda de peso e má absorção intestinal (Gorduras, vitaminas lipossolúveis)
  • 55.
  • 56. • Profilaxia: • Saneamento Básico • Descontaminar água ou alimentos • Higiene pessoal • Tratar os doentes
  • 58. Tricomoníase: O agente etiológico: Trichomonas vaginalis Transmissão sexual (DST): Sintomático em mulheres e assintomático em homens (normalmente é o transmissor) • Atinge geralmente mulheres adultas • Transmissão pode ocorrer por objetos e roupas • Mãe durante o parto pode transmitir para filha
  • 59. • O Trichomonas vaginalis (protozoário). • Não possui a forma cística, apenas a trofozoítica. O ( 10 a 30 mm).
  • 60. PATOLOGIA • O homem e assintomático. • A mulher sintomática: • • Secreção vaginal mucopurulenta • Vaginite caracterizada por corrimento vaginal , amarelo - esverdeado, com odor fétido. • Dor no ato sexual.
  • 61. • PROFILAXIA • Tratamento dos doentes • Higiene corporal • Esterilização dos aparelhos ginecológicos • O homem deve ser tratado mesmo sem sintomas principalmente caso esposa estiver parasitada • Utilizar preservativo (camisinha)
  • 62.
  • 63.
  • 65. Agente etiológico:Toxoplasma gondii • É uma zoonose que infecta gatos e outros vertebrados • Prevalência sorológica entre 20 a 80% • Forma mais grave é encontrada em crianças recém-nascidas • Reativação da infecção em indivíduos HIV+. • Hospedeiros definitivos: todos os felídeos • Hospedeiros intermediários: Mamíferos e aves.
  • 66.
  • 67. TOXOPLASMOSE CONGÊNITA OU PRÉ-NATAL - Aborto - Coriorretinite - Calcificações cerebrais - Retardamento psicomotor - Micro ou macrocefalia
  • 68.
  • 69. • PROFILAXIA (mulheres grávidas) • Não comer carne crua ou leite de cabra sem ferver • Evitar contatos com gatos • Incinerar as fezes (gatos) • Vacina • Tratar os doentes