A PRESENÇA DE DEUS NO SER
HUMANO E A BUSCA DE SENTIDO
VIKTOR FRANKL

Ir. Fernanda Olivette dos Santos ASCJ

EM
OBJETIVO
 Compreender

que a busca do ser
humano pelo transcendente o auxilia a
responder ao seu anseio por um sentido
à ...


“[...] este período, de mudanças rápidas e complexas,
deixa, sobretudo os jovens, a quem pertence e de quem
depende o f...
 “Ele

(Deus) é a realidade primeira, fundamental,
onipresente e onicompreensiva, que nos tira do
nada com um puríssimo a...
A PRESENÇA DE DEUS
“Rompeu

Deus o silêncio: saiu de
seu mistério, dirigiu-se ao homem e
desvendou-lhe os segredos de sua...
 “A

razão e a fé constituem como duas
asas pelas quais o espírito humano se
eleva para a contemplação da verdade.
Foi De...
A BUSCA DE SENTIDO


A busca de sentido presente no homem é como um
anseio de o fazer perceber-se capaz de ser mais que o...
VIKTOR EMIL FRANKL
 Nasceu em Viena, 26 de março de 1905.
 2 de setembro de 1997.


Sendo judeu foi preso juntamente co...
LOGOTERAPIA

Dimensão
noética:

Autotranscendência

Vazio
existencial

Liberdade e
responsabilidade
A FELICIDADE NA PERSPECTIVA DE VIKTOR FRANKL
A

experiência da vida no campo de
concentração mostrou-nos que a pessoa
pode muito bem agir “fora dos esquemas”.
Há sufi...
 No

campo de concentração se pode privar a pessoa
de tudo, menos da liberdade última de assumir uma
atitude alternativa ...
“Naquele

momento eu sabia pouco
de mim ou do mundo, só tinha na
cabeça uma frase, sempre a mesma:
desde minha estreita p...
 “quem

busca sempre encontra Deus,
porque se dá conta de que sempre
estava nele antes mesmo de buscá-lo
[...] o mistério...
A EXPERIÊNCIA COM DEUS COMO
RESPOSTA À BUSCA DE SENTIDO
O

aspecto mais sublime da dignidade humana
está nesta vocação do...


“Se Deus existe, a vida pode não se acabar com a
morte, o conceito de justiça alarga-se e a
imortalidade da alma deixa ...


“Em um último e violento protesto contra o inexorável
de minha morte iminente, senti como se meu... sentime transcender...
O

desejo de Deus está inscrito no coração do
homem, que foi criado por Deus e para Deus.
Deus não deixa de atrair o home...
A LIBERDADE E A RESPOSTA DO HOMEM A DEUS


“Pela fé, o homem presta assentimento a esse testemunho divino de
transcendênc...


http://www.youtube.com/watch?v=bPzF04oBosg
A presença de deus no ser humano
A presença de deus no ser humano
A presença de deus no ser humano
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A presença de deus no ser humano

470 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

A presença de deus no ser humano

  1. 1. A PRESENÇA DE DEUS NO SER HUMANO E A BUSCA DE SENTIDO VIKTOR FRANKL Ir. Fernanda Olivette dos Santos ASCJ EM
  2. 2. OBJETIVO  Compreender que a busca do ser humano pelo transcendente o auxilia a responder ao seu anseio por um sentido à sua vida.
  3. 3.  “[...] este período, de mudanças rápidas e complexas, deixa, sobretudo os jovens, a quem pertence e de quem depende o futuro, na sensação de estarem privados de pontos de referência autênticos. A necessidade de um alicerce sobre o qual construir a existência pessoal e social faz-se sentir de maneira premente, principalmente quando se é obrigado a constatar o caráter fragmentário de propostas que elevam o efêmero ao nível de valor, iludindo assim a possibilidade de se alcançar o verdadeiro sentido da existência. Deste modo, muitos arrastam a sua vida quase até à borda do precipício, sem saber o que os espera. Isto depende também do fato de, às vezes, quem era chamado por vocação a exprimir em formas culturais o fruto da sua reflexão, ter desviado o olhar da verdade, preferindo o sucesso imediato ao esforço duma paciente investigação sobre aquilo que merece ser vivido.” (JOÃO PAULO II, 2006, p. 13, § 6)
  4. 4.  “Ele (Deus) é a realidade primeira, fundamental, onipresente e onicompreensiva, que nos tira do nada com um puríssimo ato de amor, e com igual amor nos mantém no ser. Para Deus, pois, que corre espontâneo e insistente o nosso pensamento; para ele corre insaciavelmente, como a “corça para a nascente da água”, porque dele pouco sabemos, apesar de a história das religiões e da humanidade ter colecionado tantas mensagens a seu respeito.” (Mondin)
  5. 5. A PRESENÇA DE DEUS “Rompeu Deus o silêncio: saiu de seu mistério, dirigiu-se ao homem e desvendou-lhe os segredos de sua vida pessoal; comunicou-lhe seu desígnio inaudito de uma aliança que levasse a uma participação de vida.” (LATOURELLE 1981, p. 5)
  6. 6.  “A razão e a fé constituem como duas asas pelas quais o espírito humano se eleva para a contemplação da verdade. Foi Deus quem colocou no coração do homem o desejo de conhecer a verdade e, em última análise, de conhecer a ele, para que, conhecendo-o e amando-o, possa chegar também à verdade plena sobre si próprio.” Papa, João Paulo II, na Carta Encíclica Fides et Ratio, de João Paulo II (1998, p. 5)
  7. 7. A BUSCA DE SENTIDO  A busca de sentido presente no homem é como um anseio de o fazer perceber-se capaz de ser mais que o mero existir imanente.  “O homem não é capaz de viver por mecanismos de defesa e dar a vida por formações reativas, mas o homem é capaz sim de viver por valores e ideais e dar a vida por eles se for preciso.” (Frankl)
  8. 8. VIKTOR EMIL FRANKL  Nasceu em Viena, 26 de março de 1905.  2 de setembro de 1997.  Sendo judeu foi preso juntamente com sua esposa no mesmo ano em que se casaram, no ano de 1942, nos campos de concentração perde sua esposa e seus pais.  Frankl passa por quatro campos nazistas entre 1942 a 1945 o mais conhecido deles é o “famoso” Auschwitz (1944).
  9. 9. LOGOTERAPIA Dimensão noética: Autotranscendência Vazio existencial Liberdade e responsabilidade
  10. 10. A FELICIDADE NA PERSPECTIVA DE VIKTOR FRANKL
  11. 11. A experiência da vida no campo de concentração mostrou-nos que a pessoa pode muito bem agir “fora dos esquemas”. Há suficientes exemplos, muitos deles heroicos, que demonstraram ser possível superar a apatia e reprimir a irritação; e que continua existindo, portanto, um resquício de liberdade do espírito humano, de atitude livre do eu frente ao meio ambiente, mesmo nessa situação de coação aparentemente absoluta, tanto exterior como interior [...]
  12. 12.  No campo de concentração se pode privar a pessoa de tudo, menos da liberdade última de assumir uma atitude alternativa frente às condições dadas. E havia alternativa! A cada dia, a cada hora no campo de concentração, havia milhares de oportunidades de concretizar essa decisão interior, uma decisão da pessoa contra ou favor da sujeição aos poderes do ambiente que ameaçavam privá-la daquilo que é sua característica mais intrínseca - sua liberdade - e que a induzem, com a renúncia à liberdade e à dignidade, a virar mero joguete e objeto das condições externas, deixando-se por eles cunhar um prisioneiro “típico” do campo de concentração. (FRANKL, 2011, p. 88)
  13. 13. “Naquele momento eu sabia pouco de mim ou do mundo, só tinha na cabeça uma frase, sempre a mesma: desde minha estreita prisão chamei o meu Senhor e Ele me respondeu desde o espaço na liberdade.” (Frankl)
  14. 14.  “quem busca sempre encontra Deus, porque se dá conta de que sempre estava nele antes mesmo de buscá-lo [...] o mistério de Deus é a raiz de nossa própria vida”. (Leonardo Boff)
  15. 15. A EXPERIÊNCIA COM DEUS COMO RESPOSTA À BUSCA DE SENTIDO O aspecto mais sublime da dignidade humana está nesta vocação do homem à comunhão com Deus. Este convite que Deus dirige ao homem, de dialogar com Ele, começa com a existência humana. Pois se o homem existe, é só porque Deus o criou por amor e, por amor, não cessa de dar-lhe o ser, e o homem só vive plenamente, segundo a verdade, se reconhecer livremente este amor e se entregar ao Criador. (PAPA PAULO VI. 1965, p.19,§1)
  16. 16.  “Se Deus existe, a vida pode não se acabar com a morte, o conceito de justiça alarga-se e a imortalidade da alma deixa de ser apenas uma quimera, já que irrompe a perspectiva da eternidade. Um destino no além-túmulo se nos espera e somos interpelados a agir, aqui e agora de acordo com as suas exigências irrefragáveis. Além disso os valores supremos que norteiam nossa existência também passam a ser outros, porquanto o fim para o qual tendemos muda. Eis o transcendente como fim último do homem, e o que o move não pode ser mais valores tão somente temporais e pragmáticos, outrora absolutos e invioláveis.” (CAMPOS; 2011, p. 17)
  17. 17.  “Em um último e violento protesto contra o inexorável de minha morte iminente, senti como se meu... sentime transcender àquele mundo desesperado, insensato, e de alguma parte escutei o vitorioso “sim” como contestação à minha pergunta sobre a existência de uma intencionalidade última. E naquele momento, em uma franja longínqua acendeu uma luz, que ficou ali fixa no horizonte como alguém a houvera pintado, em meio do gris miserável daquele amanhecer na Baviera. E a luz brilhou em meio à obscuridade.” (FRANKL, 1982, p.48)
  18. 18. O desejo de Deus está inscrito no coração do homem, que foi criado por Deus e para Deus. Deus não deixa de atrair o homem para si, e só em Deus encontra a paz, a verdade e a alegria, que não cessa de buscar. O homem é um ser religioso. Como dizia São Paulo na cidade de Atenas, "em Deus vivemos, nos movemos e existimos" .* (CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. Nº. 27, p.23, 1993) *ATOS DOS APÓSTOLOS, 17:28. b
  19. 19. A LIBERDADE E A RESPOSTA DO HOMEM A DEUS  “Pela fé, o homem presta assentimento a esse testemunho divino de transcendência. Isto significa que reconhece plena e integralmente a verdade de tudo o que foi revelado, porque é o próprio Deus que o garante. Esta verdade, oferecida ao homem sem que ele a possa exigir, insere-se no horizonte da comunicação interpessoal e impele a razão a abrir-se a esta e a acolher o seu sentido profundo. É por isso que o ato pelo qual nos entregamos a Deus sempre foi considerado pela Igreja como um momento de opção fundamental, que envolve a pessoa inteira. Inteligência e vontade põem em ação o melhor da sua natureza espiritual, para consentir que o sujeito realize um ato no pleno exercício da sua liberdade pessoal. Na fé, portanto, não basta a liberdade estar presente, exige-se que entre em ação. É a fé que permite a cada um exprimir, do melhor modo, a sua própria liberdade. Por outras palavras, a liberdade não se realiza nas opções contra Deus. Na verdade, como poderia ser considerado um uso autêntico da liberdade, a recusa de se abrir àquilo que permite a realização de si mesmo? No acreditar é que a pessoa realiza o ato mais significativo da sua existência; de fato, nele a liberdade alcança a certeza da verdade e decide viver nela.” (JOÃO PAULO II, 2006, p. 21, § 13)
  20. 20.  http://www.youtube.com/watch?v=bPzF04oBosg

×