Autoimunidade

3.923 visualizações

Publicada em

autoimune

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.923
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
108
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Autoimunidade

  1. 1. UNIRIO MECANISMOS DE AUTO-IMUNIDADE E DOENÇAS AUTO- IMUNES Profa. Cleonice Alves de Melo Bento Departamento de Microbiologia e Parasitologia IB/UNIRIO 2001/2002 Prof.Doutor José Cabeda Imunologia
  2. 2. Doenças AutoimunesUNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  3. 3. Figure 13-62001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  4. 4. Figure 13-82001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  5. 5. Doenças Auto-ImunesUNIRIO  Definição: Distúrbios causados pela resposta imune  Etiologia: Falha da auto-tolerância Falha da Auto tolerância Falha da Tolerância Central em T cell Falha da Tolerância Periférica Falha de Tolerância central em B cell Quebra da Anergia Funcional Supressão de Células Reguladoras Defeitos na Deleção por Apoptose 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  6. 6. Figure 13-162001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  7. 7. Doenças auto-imunes por defeitos genéticos Figure 13-181- Não expressão de AIRE (reguladores de auto-imunidade) expresso nascélulas dendríticas que migram para o timo ou não desenvolvimento das Treguladoras naturais;2-Defeitos na expressão de Fas (CD95)/Fas-L(CD95L) ou CTLA-4:doenças auto-imunes sistêmicas;3-Defeitos na produção de IL-2 ou IL-10: doenças auto-imunes natrato intestinal.4- Defeitos em C1, C2 e C4: Lupus eritematoso sistêmicos;5- Proteína amilóide sérica: Lupus eritematoso sistêmico; 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  8. 8. Deleção clonal As células T se formam no timo, mas a maioria morre,UNIRIO não chegando à periferia Timo de ratinho 1-2 x 108 timócitos 5 x 107/dia 2 x 106/dia 98% das células morrem no timo sem induzirem inflamação, ou aumento do tamanho do timo (os macrófagos tímicos fagocitam os timócitos apoptóticos) 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  9. 9. Papel da expressão de diferentes proteínas periféricas pelo geneAIRE expresso em células dendríticas que migram para o timo Figure 13-9 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  10. 10. Doenças auto-imunes e os linfócitos T reguladores de origem tímica São células que demoram até 3 dias para deixar o timo do neonato; São fenotipicamente definidas como: T CD4+CD25+ FoxP3+ CTLA-4(intracelular)+; Mecanismo de ação: inibem as respostas antígenos específicas; Especula-se: envolvimento do TGF- de membrana e/ou liberação de IL-10 e TGF- .2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  11. 11. Doenças auto-imunes por defeitos genéticos Figure 13-181- 1- Não expressão de AIRE (reguladores de auto-imunidade) expresso nascélulas dendríticas que migram para o timo ou não desenvolvimento das Treguladoras naturais;2-Defeitos na expressão de Fas (CD95)/Fas-L(CD95L) ou CTLA-4:doenças auto-imunes sistêmicas;3-Defeitos na produção de IL-2 ou IL-10: doenças auto-imunes natrato intestinal.4- Defeitos em C1, C2 e C4: Lupus eritematoso sistêmicos;5- Proteína amilóide sérica: Lupus eritematoso sistêmico; 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  12. 12. Deficiência na expressão do CTLA-4 ou Fas (CD95) ou no Fas-L (CD95L)UNIRIO CTLA-4 (T cell)  B7 (APC)  Ativação do ITIM da cauda citoplasmaática do CTLA-4  Inibição da cascata de ativação intracelular das APOPTOSE células T ativadas pelas (AICD) APC  ANERGIA das T cells 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  13. 13. Doenças auto-imunes por defeitos genéticos Figure 13-181- 1- Não expressão de AIRE (reguladores de auto-imunidade) expresso nascélulas dendríticas que migram para o timo ou não desenvolvimento das Treguladoras naturais;2-Defeitos na expressão de Fas (CD95) ou Fas-L(CD95L): doençasauto-imunes sistêmicas;3-Defeitos na produção de IL-2 ou IL-10: doenças auto-imunes natrato intestinal e sistêmica.4- Defeitos em C1, C2 e C4: Lupus eritematoso sistêmicos;5- Proteína amilóide sérica: Lupus eritematoso sistêmico; 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  14. 14. Diferenciação dos linfócitos T CD4 clássicosUNIRIO Cortisol TH1 RIC Estrogênio IL-12, IL-18 Progesterona IL-15, INF- IgG1 B cell IgG3 TH0 TH2 RIH IL-4, IL-5, IL-6 IgE B cell MUCOSA Tr-3 (TH3) RIS TGF- + IL-2 IL-2, IL-3, IL-4, IL-5, IL-6 IgA IL-10, TNF-, INF- B cell IL-10 Tr-1 RIR 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia e 4 IgG2 B cell
  15. 15. Microrganismos: Patogênese x Proteção X 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  16. 16. MICROBIOTA E SISTEMA IMUNE Lactobacilos e bifidobactérias + receptores (tipo TOLL-like) Translocação bacteriana e/ou antígenos TGF- IL-10 ↑ mucinas, defensinas, etc. Linfócitos T () primitivos diretamente ou via APC [Ags] IL-1 e IL-8 CCL20, IL-7 SCF Migração e ativação de células do sistema imune T CD4+Como as células dendrídicas (CDs) reguladoras Maturação da mucosa 2001/2002 intestinal Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  17. 17. Síntese e transporte de IgA transmucosa mantidas pelas células Th32001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  18. 18. Envolvimento das células dendríticas no fenótipo Th diferenciado TGF- IL-10 CD-1 (CD11b+) TH1, TH17Ag CD-2 (CD11b-) Tr1 IL-10 TH3 TGF-2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  19. 19. INDUÇÃO DAS CÉLULAS TH17: o modelo TCD4+ CD25+ FoxP3 CTLA-4+ (Células T reguladoras naturais) TH0 Inibição dependente Inibição via secreção de contato de IL-10/TGF- IL-23 APC Th17 (IL-17, IL-22, IL-1, TNF-) Th1 e Th2 (Doenças auto-imunes)2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia * Potencializada pela IL-1
  20. 20. Doenças auto-imunes por defeitos genéticos Figure 13-181- 1- Não expressão de AIRE (reguladores de auto-imunidade) expresso nascélulas dendríticas que migram para o timo ou não desenvolvimento das Treguladoras naturais;2-Defeitos na expressão de Fas (CD95) ou Fas-L(CD95L): doençasauto-imunes sistêmicas;3-Defeitos na produção de IL-2 ou IL-10: doenças auto-imunes natrato intestinal.4- Defeitos em C1, C2 e C4: Lupus eritematoso sistêmicos;5- Proteína amilóide sérica: Lupus eritematoso sistêmico; 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  21. 21. Figure 13-122001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  22. 22. Figure 13-132001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  23. 23. Fatores endógenos envolvidos no risco de desenvolvimento de doenças auto-imunesUNIRIO - Fatores genéticos: MHC (seleção e células reguladoras); - Psiconeuroendocrinologia: maior freqüência em mulheres 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  24. 24. 20 Figure 13-20 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  25. 25. 21 Figure 13-23 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  26. 26. 13 Figure 13-17 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  27. 27. Fatores exógenos envolvidos no risco de desenvolvimento de doenças auto-imunesUNIRIO 1- Doenças infecciosas que causam uma reação de hipersensibilidade patológica (quebra de tolerância, criação de neo-antígenos; liberação de antígenos seqüestrados e reação cruzada); 2- Exposição prolongada aos raios UVA e UVB; 3- Determinados medicamentos; 4- Trauma mecânico. 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  28. 28. Quebra de tolerância na periferiaUNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  29. 29. Células Dendríticas e DAIUNIRIO  Células Dendríticas versus outras APCs  Células Dendríticas como adjuvantes 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  30. 30. MATURAÇÃOUNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  31. 31. MigraçãoUNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  32. 32. Apresentação de antígenoUNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  33. 33. UNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  34. 34. Imunopatogênese das reações de HipersensibilidadeUNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  35. 35. Doenças auto-imunes mediadas pela hipersensibilidade do tipo II Figure 13-31 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  36. 36. Tipo II: Anemia hemolítica auto-imuneFigure 13-282001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  37. 37. Tipo II: Doença de GravesFigure 13-292001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  38. 38. Tipo II: Miastenia gravisFigure 13-302001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  39. 39. Figure II: ERITROBLASTOSE FETAL TIPO 13-52001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  40. 40. Eritroblastose fetalUNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  41. 41. Figure 13-42001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  42. 42. UNIRIO DIABETE MELLITUS COMO EXEMPLO DE DOENÇA AUTO-IMUNE ÓRGÃO-ESPECÍFICA 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  43. 43. Diabetes Mellitus Dependente deUNIRIO Insulina  A doença  Hipersensibilidade do Tipo IV  Infecção viral 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  44. 44. 28 Figure 13-34 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  45. 45. UNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  46. 46. UNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  47. 47. Figure 13-32001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  48. 48. UNIRIO O LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO E A ARTRITE REUMATÓIDE COMO EXEMPLOS DE DOENÇAS AUTO-IMUNE SISTÊMICAS 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  49. 49. LUPUS ERITEMATOSOUNIRIO SISTÊMICO  Doença auto-imune sistêmica  Fatores Genéticos  Fatores Não Genéticos  Fatores Imunológicos 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  50. 50. UNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  51. 51. LUPUS: A DOENÇAUNIRIO Lúpus: doença auto-imune multi-sistêmica cuja a fisiopatogenia é caracterizada por um resposta TH2 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  52. 52. Lesão glomerular em lupusUNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  53. 53. Imunopatogênse do lupusUNIRIO  Processo auto-imune:  Células dendríticas.  Células T e B auto-reativas.  Auto-anticorpos anti-DNA e anti- nucleoproteínas.  Deposição de imunocomplexos. 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  54. 54. ARTRITE REUMATÓIDE: a imunopatogêneseUNIRIO Artrite reumatóide Doença auto-imune Com base TH1 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  55. 55. TRATAMENTOUNIRIO  Tratamentos atuais  Tratamentos promissores 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  56. 56. Tratamento de doenças autoimunes  Supressão inespecifica do S.I.UNIRIO  Corticoesteroides; azatioprina; ciclofosfamida  Ciclosporina A, FK506 (inibem apenas celulas T activadas)  Timectomia  Plasmaferese (beneficio de curta duração)  Terapias experimentais  Indução de tolerância com antigénios orais  Terapia com anticorpos monoclonais 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  57. 57. UNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  58. 58. UNIRIO 2001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia
  59. 59. Figure 13-242001/2002 Prof. Doutor José Cabeda Imunologia

×