Celine_10ºD

8.605 visualizações

Publicada em

Tema da Ginástica

1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.605
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
52
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Celine_10ºD

  1. 1. Ginástica
  2. 2. História da ginástica <ul><li>Embora seja incerto, a palavra ginástica diz-se vir do grego “Gymnastiké”, arte de fortificar o corpo e dar-lhe agilidade, ou “Gimnos”, que significa nu. Mas, já para o homem pré-histórico, a actividade física tinha um papel importante para sua sobrevivência, expressa principalmente na necessidade vital de atacar e defender-se. O exercício físico utilitário e sistematizado de forma rudimentar, era transmitido através das gerações e fazia parte dos jogos, rituais e festividades. Na antiguidade, principalmente no Oriente, os exercícios físicos apareceram nas várias formas de luta, na natação, no remo, no hipismo, na arte de atirar com o arco, como exercícios utilitários, nos jogos, nos rituais religiosos e na preparação militar de maneira geral. </li></ul>
  3. 3. Continuação… <ul><li>Foram os antigos gregos, os primeiros a praticar a ginástica como actividade desportiva e não apenas como forma de treino militar. A ginástica artística tornou-se desporto olímpico nos jogos de Atenas (1896), mas só para homens. A participação das mulheres foi liberada nos jogos de Amesterdão, em 1928. Também a ginástica egípcia já valorizava o que se conhece hoje como qualidades físicas tais como: equilíbrio, força, flexibilidade e resistência. Já usavam, embora rudimentares, materiais de apoio tais como tronco de árvores, pesos e lanças. Dentre os costumes egípcios estavam os exercícios Gímnicos revelados nas pinturas das paredes das tumbas. </li></ul>
  4. 4. Continuação… <ul><li>No Império Romano e durante toda a Idade Média, os exercícios físicos ficaram restritos à função militar, onde se incluíam a caça e os torneios. Só com o Renascimento os exercícios físicos, beneficiados pela redescoberta dos valores gregos, voltaram a despertar interesse maior. </li></ul>
  5. 5. Continuação <ul><li>No século XVIII, a ginástica era vista com um carisma artístico, sendo vulgares as exibições de escolas e associações desportivas, desenvolvendo também a sua vertente competitiva. A organização da ginástica nos moldes actuais e a criação das regras e aparelhos de ginástica começou em 1811 na Alemanha, através da intervenção do professor Friedrick Ludwig Jahn. Este abriu o primeiro campo de ginástica de Berlim e rapidamente a ideia passou para outras cidades alemãs. O número de praticantes deste desporto aumentou, ajudando a exportação da ginástica para outros países. Em 1881, a criação da Federação Internacional de Ginástica abriu caminho para a realização das primeiras provas internacionais da modalidade, que foram os Jogos Olímpicos de 1896. A complexidade dos aparelhos e das modalidades foi aumentando ao longo do tempo, nomeadamente a introdução da competição olímpica feminina em 1928. Nos Jogos Olímpicos, a Ginástica foi oficialmente representada nas modalidades de Ginástica Artística Masculina desde 1908, em Londres, e a Ginástica Artística Feminina desde 1928 em Amesterdão. Mesmo sem carácter competitivo, a Ginástica tem sempre aparecido nas cerimónias de abertura de jogos, caracterizando-se como um dos pontos altos destes eventos, onde a criatividade, a plasticidade, a expressão corporal tornam-se presentes na participação sincronizada de um grande número de ginastas. </li></ul>
  6. 6. Continuação… <ul><li>Por muitos anos este foi um desporto praticado somente por acrobatas em circos itinerantes e por dinheiro. Foi graças a Frederic Louis Jahn, que reconheceu a importância nacional da ginástica e trouxe a tuna como significado do patriotismo alemão, que a ginástica tornou-se muito popular na Europa. </li></ul><ul><li>Ao contrário dos tempos actuais, no fim do século passado e início deste, a ginástica compreendia tanto a ginástica em si como também o atletismo, como corrida e saltos, praticados ao ar livre, em arenas. Em 1936 os eventos atléticos foram abolidos dos Jogos Olímpicos, e em 1950 foram usados pela última vez em mundiais. </li></ul><ul><li>As mulheres começaram a praticar ginástica por volta de 1800, mas foi só em 1909 que uma mulher participou de eventos internacionais. Foi em Luxemburgo, e os exercícios incluíam rítmica, balé e rotinas coreografadas. Nos Jogos de Amesterdão, em 1928 ocorreu a primeira competição de ginástica feminina, e em Budapeste, 1934, ocorreu o primeiro mundial com a participação feminina. </li></ul>
  7. 7. Os tipos de ginástica que existe <ul><li>Ginástica artística </li></ul><ul><li>Ginástica rítmica </li></ul><ul><li>Ginástica acrobática </li></ul>
  8. 8. Ginástica artística <ul><li>A Ginástica Artística, também conhecida no Brasil por Ginástica Olímpica, é uma modalidade de ginástica onde os atletas realizam um conjunto de exercícios em aparelhos oficiais. Os movimentos dos ginastas devem ser elegantes e demonstrar força, agilidade, flexibilidade, coordenação, equilíbrio e controle do corpo . </li></ul>
  9. 9. Ginástica acrobática <ul><li>Ginástica Acrobática é uma nova modalidade da Fédération Internationale de Gymnastique FIG e tem como principais características a execução de exercícios que exigem força, agilidade e equilíbrio. </li></ul>
  10. 10. Ginástica rítmica <ul><li>Ginástica Rítmica é um desporto olímpico. Exclusivamente feminino, mas existem também algumas competições de Ginástica Rítmica (especialmente no Japão e nos Estados Unidos da América ) só para homens. </li></ul><ul><li>Durante sua apresentação as ginastas competem manipulando obrigatoriamente cinco aparelhos: Arco, Bola, Corda, Fita e Maças. As competições podem ser individuais ou entre conjuntos de cinco atletas. A vencedora é a ginasta/conjunto que conquistar mais pontos, que lhes são atribuídos por um painel de jurados que utiliza-se dos critérios saltos, equilíbrio, flexibilidade, piruetas, manuseio do aparelho e efeito artístico. </li></ul>
  11. 11. Anexos
  12. 12. Anexos

×