O Dominio Filipino

10.480 visualizações

Publicada em

2 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.480
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
421
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
136
Comentários
2
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Dominio Filipino

  1. 1. O DOMÍNIO FILIPINO- 1580-1640
  2. 2. ► Ao contrário do que tinha acontecido com outros reinos peninsulares completamente engolidos em termos políticos e administrativos pelo poderio de Castela ,como foi o caso do reino de Aragão, Portugal com ,a União Ibérica manteve no fundamental a sua autonomia. De facto o juramento de Filipe II nas Cortes de Tomar, quando é aclamado rei, foi acompanhado de uma série de promessas e compromissos que dissipavam os principais temores comuns a toda a população portuguesa. Temia-se sobretudo que Portugal fosse completamente absorvido por Castela tornando-se na BANDEIRA DA UNIÃO IBÉRICA sua mais longínqua e periférica província.
  3. 3. ► Prometendo respeitar as leis e os costumes do país; entregando os principais cargos do governo e da administração do reino a portugueses, e garantindo que a exploração e comércio dos produtos originários das várias regiões do nosso Império continuaria a ser feita por nós, Filipe II sossegou mesmo os mais inquietos. ► Além disso o exercito e os navios portugueses nunca seriam utilizados em conflitos militares que apenas dissessem respeito a Castela.
  4. 4. ► A cumprirem-se tais promessas não se punha sequer a questão da perda da Independência. Os dois reinos peninsulares permaneciam no que nos interessava, autónomos. Ainda que o rei fosse o mesmo. ► Estabeleceu-se assim ,uma forma original de poder. A monarquia Dualista. ► Dois reinos e um só rei. E durante alguns anos as coisas passaram-se de facto assim. No entanto a situação alterou-se com a morte de Filipe II. CHEGADA DE FILIPE II A LISBOA
  5. 5. ► De facto nem Filipe III nem Filipe IV, se sentiam vinculados aos compromissos assumidos por Filipe II nas Cortes de Tomar, e além disso o contexto era agora diferente. ► O império castelhano, em guerra FILIPE III com nações poderosas como a França a Holanda e a Inglaterra , atravessava graves dificuldades. ► Era preciso reunir todos os recursos para lhes fazer frente. O que custava a todos . ► E para piorar as coisas o comercio da prata , confrontado com a crescente concorrência dos habituais franceses ingleses e holandeses, já tinha rendido mais. FILIPE IV
  6. 6. ► Assim não tardou que Portugal fosse obrigado a combater ao lado de Castela, e a participar nas suas despesas de Guerra, através de novos impostos que atingiam todos as classes sociais. ► E enquanto a nobreza portuguesa era destacada para combater ao lado dos castelhanos ,na administração e no governo os portugueses iam sendo substituídos por Espanhóis. ► O descontentamento crescia e generalizava-se.
  7. 7. ► Ao mesmo tempo os inimigos de Espanha atacavam e ocupavam territórios portugueses por todo o império, numa altura em que se tornava ,praticamente impossível a Portugal assegurar a sua defesa. ► Envolvido nas Guerras de Castela, durante as quais sofre pesadas baixas, em homens e navios, o exercito e a marinha portuguesa estavam praticamente destroçados . Quem primeiro se aproveitou das nossas fraquezas foram os Holandeses . Os Holandeses e o Brasil
  8. 8. ► Entre 1599 e 1638 Portugal perde para os Holandeses Paraiba e Pernambuco no Brasil, o Ceilão na Ásia, e as feitorias de S. Jorge da Mina e Arguim em Africa. Por seu lado os Ingleses conquistam Ormuz e como se não bastasse o Japão expulsa-nos das suas águas. Tudo isto perante a completa indiferença de Castela, que não sabia para onde se virar já que mesmo internamente as revoltas começavam a estalar em algumas regiões onde era maior o desagrado face à politica do rei. ► De asneira em asneira ,de guerra em guerra, Filipe IV acabava sempre por condenar os mais pobres ao pagamento de novos impostos.
  9. 9. Instalados em amplas regiões do litoral e do interior do Brasil ,os holandeses ,rapidamente inundaram o mercado de açúcar e tabaco fazendo com que o preço destes produtos descesse rapidamente. Entretanto os carregamentos de prata eram um alvo cada vez mais cobiçado por piratas ,mas também por ingleses franceses e holandeses que levavam a todo o lado a guerra com Castela. As consequências para as economias de Portugal e Castela, já duramente atingidas pela guerra, foram desastrosas.
  10. 10. ► Por todo o lado o descontentamento deu lugar à revolta .No Porto em 1628 dá-se o “Motim das Maçarocas” e em 1637 em Évora , reagindo a mais um novo imposto desencadeia-se a célebre revolta do” Manuelinho “. ► Um pobre doido, também ele obrigado a pagar impostos, que o povo transformado na altura, num exemplo vivo da tirania de Castela. De tal forma que as declarações do governo local clandestino que então os revoltosos formaram eram todas assinadas em seu nome:” Manuelinho” . ► Nem os mais desgraçados Castela poupava. Tal era a mensagem a passar.
  11. 11. ► Tentando evitar que estes motins se intensificassem e resultassem numa verdadeira revolução são enviados para Castela e para diferentes regiões do Império proeminentes membros da nobreza portuguesa em torno dos quais se poderia organizar a conspiração e a revolta . ► Os mais poderosos e temidos como o “ Duque de Bragança” foram “premiados” com propriedades e cargos, com o objectivo de os comprometer aos olhos do povo, com a governação Filipina. ► Já que a revolta se tinha instalado era preciso privá-la de um líder. À custa dos Espanhóis a Casa de Bragança engordava.

×