23 os descobrimentos

9.961 visualizações

Publicada em

Motivações europeias e portuguesas para a expansão, prioridade portuguesa, período henriquino, rumos da expansão, política de sigilo, tratado de Tordesilhas, caminho marítimo para a Índia e descoberta do Brasil.

2 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.961
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.079
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
452
Comentários
2
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

23 os descobrimentos

  1. 1. * Quebra Demográfica • Elevada mortalidade resultante das fomes, pestes e guerras * Crise Económica • • • Falta de metais preciosos Retrocesso do comércio Pouca produtividade * Conflitos Internos • • Revoltas urbanas e rurais Guerras entre reinos * Falta de Mão de Obra * Falta de metais preciosos * Falta de cereais * Dificuldade no acesso aos produtos vindos do Oriente (caros devido aos intermediários)
  2. 2. * Continentes conhecidos: Europa, norte de África e parte da Ásia * Oceanos conhecidos: Atlântico e índico, sem passagem entre eles * Mar Mediterrâneo ocupava um lugar central * Acreditava-se que o mundo era plano e tinha fim * Pensavam que os mares eram habitados por monstros, serpentes sereias, etc. * Acreditavam que não era possível viver abaixo do Equador * Pensavam que as zonas desconhecidas eram habitadas por criaturas fantásticas e monstruosas.
  3. 3. * Políticas • • Necessidade de afirmação da nova disnastia Aumento do território * Económicas • • • • Acesso a mão-de-obra Acesso a metais preciosos Acesso a cereais Acesso a novos produtos * Religiosas • Expansão da fé Cristã * Sociais • • • • Nobreza – mais poder e mais terras Clero - expansão da fé e mais terras Burguesia – novos mercados e produtos Povo – Melhores condições de vida
  4. 4. * Condições políticas e conómicas • • Paz estabelecida com Espanha Possibilidade de investir na expansão * Geográficas • • • • Localização no extremo ocidental da Europa Proximidade de África Extensa costa marítima com bons portos Povo com tradição de pesca * Técnicas • Contacto com judeus e muçulmanos permite o conhecimento de instrumentos de orientação pelos astros como a bússola, o astrolábio, o quadrante e a balestilha (navegação astronómica) • Caravela com leme à popa (mais fácil de manobrar) e velas triangulares o que permitia navegar com ventos contrários (navegação á bolina) • Conhecimento de mapas mais corretos (Portulanos)
  5. 5. * Motivações • • • Cidade situada no estreito de Gibraltar • Chegavam a Ceuta caravanas com ouro e especiarias Porto de piratas que atacavam os navios cristãos Ceuta tinha terrenos férteis onde se produziam cereais em abundância Conquista de Ceuta em 1415 * Resultados • • • • Piratas deslocam-se para outras cidades portuárias Os campos são devastados pelos constantes ataques Caravanas desviadas para outras cidades muçulmanas A defesa da cidade torna-se muito dispendiosa Ceuta torna-se uma cidade cristã isolada em território muçulmano
  6. 6. Passagem de : Política de Conquistas A Política de Descobertas
  7. 7. 1419 – João Gonçalves Zarco, Tristão Vaz Teixeira e Bartolomeu Perestrelo Arquipélago da Madeira. 1427 – Diogo Silves e Diogo de Teive Arquipélago dos Açores. Ilhas entregues ao Infante D. Henrique  Divisão em Capitanias, administradas por capitães-donatários, com a obrigação de: • Promover o povoamento • Defender o território • Promover a exploração dos seus recursos naturais
  8. 8. Economia:  Madeira • • • • • Madeira Pesca Cultivo de cereais Vinha Cana-de-açúcar  Açores • • • • Criação de gado Pesca Cultivo de cereais Plantas tintureiras (urzela e pastel)
  9. 9. 1434 - Gil Eanes - Cabo Bojador 1435 – Gil Eanes e Afonso Baldaia - Rio do Ouro 1441 – Nuno Tristão - Cabo Branco 1445 - Dinis Dias - Cabo Verde 1456 – Diogo Gomes - Arquipélago de Cabo Verde 1460 – Pero de Sintra - Serra Leoa Morte de D. Henrique, o Navegador.
  10. 10. Sob Influência da nobreza, muda o rumo dos descobrimentos e dedica-se às Conquistas no Norte de África 1458 - Alcácer Ceguer 1471 – Arzila – Tânger
  11. 11. 1469 - Contrato de Arrendamento a Fernão Gomes D. Afonso V arrenda a exploração e monopólio do comércio da Costa Ocidental Africana a Fernão Gomes, rico burguês de Lisboa mediante condições: • Período de cinco anos • Pagamento anual de 200 000 reais • Descobrir 100 léguas para sul, por ano 1470 - Pêro Escobar e João de Santarém – Arquipélago de S. Tomé e Príncipe 1471 - Pêro Escobar e João de Santarém – Costa da Mina (abundância de ouro) 1474 - Rui de Sequeira e Lopo Gonçalves – Cabo de Santa Catarina
  12. 12. Objetivo: Atingir a Índia pelo Atlântico Sul Viagens marítimas para Sul 1482/83 - Diogo Cão - Foz do rio Zaire 1487/88 – Bartolomeu Dias- Cabo das Tormentas (Cabo da Boa Esperança) Viagens terrestres para Oriente 1487 – Pêro da Covilhã e Afonso de Paiva – Início da viagem para Oriente em busca de informações sobre o comércio na Índia, navegação no Índico e Reino do Preste João
  13. 13. 1492 – Cristóvão Colombo – Descoberta da América Cristovão Colombo e a Espanha acreditavam ter chegado à Índia. Reacende-se o conflito entre Portugal e Espanha Cheguei à Índia
  14. 14. Problema: Antilhas ficam na zona portuguesa e Portugal reivindica a sua posse. Diferença: Brasil não está incluído na proposta inícial Rivalidade sobre a posse das terras descobertas 1479 – Tratado de Alcáçovas – posse das Canárias para Espanha, Sul para Portugal 1494 – Tratado de Tordesilhas – garante a posse das Antilhas para Espanha - garante a posse do Brasil para Portugal
  15. 15. 8 de Julho de 1497 Vasco da Gama parte do Restelo, com 170 homens e quatro barcos para tentar chegar à Índia por mar.
  16. 16. 1498
  17. 17. 20 de Maio de 1498 Vasco da Gama chega à Índia, a Calecute
  18. 18. Dois anos mais tarde inicia-se a segunda viagem para a Índia, comandada por Pedro Álvares Cabral
  19. 19. O trajecto de Pedro Álvares Cabral
  20. 20. 1500 Pedro Álvares Cabral chega ao Brasil, baptizado Terra de Vera Cruz (mais tarde denominado Brasil devido à quantidade de pau-brasil aí encontrada)
  21. 21. A feição deles é serem pardos, um tanto avermelhados, de bons rostos e bons narizes, bem feitos. Andavam nus, sem cobertura alguma. Não fazem o menor caso de encobrir ou de mostrar as suas vergonhas; e nisso têm tanta inocência como em mostrar o rosto. Ambos traziam os beiços de baixo furados e metidos neles seus ossos brancos e verdadeiros, do comprimento duma mão travessa, da grossura de um fuso de algodão, agudos na ponta como furador. Metem-nos pela parte de dentro do beiço; e a parte que lhes fica entre o beiço e os dentes é feita como roque de xadrez, ali encaixado de tal sorte que não os molesta, nem os estorva no falar, no comer ou no beber. Os seus cabelos são corredios. E andavam tosquiados, de tosquia alta (...).
  22. 22. Conceitos a Reter  Descobrimentos - período histórico de expansão marítima, sobretudo nos séculos XV e XVI. Os descobrimentos portugueses foram o conjunto de conquistas realizadas pelos portugueses em viagens e explorações marítimas entre 1415 e 1543 que começaram com a conquista de Ceuta e que resultaram na expansão portuguesa e deram um contributo essencial para delinear o mapa do mundo  Navegação astronómica – navegação orientada pelos astros  Navegação à bolina – navegação com ventos contrários.  Capitania – Capitania corresponde a um território ultramarino entregue pelo rei ou senhor a um particular (o capitão-donatário)  Capitão-donatário – Membro da baixa nobreza a quem era atribuída uma capitania, tinha como principal obrigação a promoção do povoamento e a exploração económica da mesma. Os capitães-donatários tinham o monopólio de diversos produtos e meios de produção, administravam a justiça e efectuavam a cobrança de impostos.
  23. 23. Metas – O que deves saber desta matéria 1. Caracterizar a Europa no final do século XIV 2. Justificar as motivações europeias e portuguesas na expansão. 3. Caracterizar o conhecimento do mundo no início do século XV. 4. Justificar a prioridade portuguesa na expansão. 5. Justificar o interesse português na conquista de Ceuta. 6. Relacionar os resultados obtidos com a conquista de Ceuta com o abandono da política de conquistas. 7. Distinguir política de conquistas e política de descobertas. 8. Explicar a importância do Infante D. Henrique para a expansão. 9. Caracterizar o povoamento e exploração dos arquipélagos Atlânticos. 10. Caracterizar as políticas de exploração na costa ocidental africana. 11. Justificar a política de D. Afonso V. 12. Caracterizar a política de D. João II relacionando-a com o seu principal objetivo. 13. Relacionar a descoberta da América com a assinatura do tratado de Tordesilhas. 14. Explicar a importância do tratado de Tordesilhas 15. Identificar as principais etapas da expansão
  24. 24. *Que novos mundos se formaram?

×