Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012

11.215 visualizações

Publicada em

Aula lecionada junto à disciplina Introdução à Zootecnia - LZT0100, ESALQ-USP, pelo Prof. Gerson Barreto Mourão

0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.215
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
742
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012

  1. 1. Introdução à Zootecnia Bovinocultura d C t B i lt de Corte 1 Gerson Barreto Mourão Zootecnista, M.Sc., D.Sc., Professor Associado Universidade de São Paulo - USPEscola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” - ESALQ Departamento de Zootecnia – LZT Cx. Postal 9 - 13.418-900 Piracicaba, SP email: gbmourao@usp.brBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  2. 2. Sumário 2 Situação Atual Atividades das Empresas Regiões Pecuárias Produção E t i P d ã Estacional l Ciclo Pecuário Produtividade Comercialização Precisamos melhorar? Programas de melhoramento Recursos genéticos Slide Show: À Moda Antiga! Avaliar? A li ? O que? ? Perspectivas Considerações FinaisBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  3. 3. I – Situação Atual ç 3B Brasil, 1° d M d il ° do Mundo  Maior exportador mundial de carne (1,95 milhões de tons em 2006 ou aproximadamente 30% do marcado mundial)  Segundo maior produtor de carne bovina do mundo com mais de 16% do mercado  Inúmeras vantagens competitivas quando comparados aos demais países produtoresBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  4. 4. Maiores Rebanhos Bovinos 4 Não era comercial! 190 150 99 (2010)Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  5. 5. Produção Mundial de Carne Bovina (em milhares de toneladas) 5 AINDA FALTA EFICIÊNCIA NA PRODUÇÃO Ê Ã Fontes: USDA (1) Estimativa (2) Incluí Carne de BúfaloBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  6. 6. Produção x Consumo de carne bovina 6Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  7. 7. Movimentação do Rebanho ç 7 2004 2010 Fonte: IBGE Fonte: Independência Alimentos Ltda.Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  8. 8. Regiões Pecuárias do Brasil g 8 N t AC AM PA MA RO AP RR TO Norte: AC,AM,PA,MA,RO,AP,RR,TO C t Centro-Oeste: MT MS GO DF O t MT,MS,GO,DF 12% 13% Nordeste: PI,CE,RN,PB,PE,AL,SE,BA 39% 21% Sudeste: MG,RJ,SP,ES Sul: PR,SC,RS 15%Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  9. 9. Mercado: Dados Pecuária Bovina 9  Agronegócio brasileiro  representa aproximadamente 34% do PIB.  Setor da pecuária  representa aproximadamente 8% do PIB brasileiro.  gera mais de 7,2 milhões de empregos diretos no campo e na indústria  Consumo interno brasileiro representa 88% da produção total total.Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  10. 10. Vantagens do Brasil g 10  Abundância de Alimentos  Baixos custos de produção  (insumos, (insumos mão de obra, custo de oportunidade, etc) obra oportunidade etc).  Aumento da demanda mundial por produtos saudáveis e seguros.  Melhoria nas técnicas de produção e consequente aumento da eficiência produtiva brasileira.  Estagnação da produção nos países concorrentes – estão ã d d ã í ã próximos ao limite da capacidade produtiva.Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  11. 11. Atividades das empresas Os departamentos dentro e fora da fazenda 11 Fazenda Cria Recria Abate Ab t Engorda E dBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  12. 12. Atividades das Empresas p 12M CRIAMatrizes t i Bezerros(as) Sobreano (7 meses desmama) (12 14 (12-14 meses) Machos M h (sêmen) RECRIA Sobreano Boi magro (12-14 meses) (24-30 meses) ENGORDA Boi magro Boi gordo ( 43 (24-30 meses) ) (36-40 (36 40 meses) Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  13. 13. II – Atividades das Empresas t dades p esasBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 13 11/06/2012
  14. 14. II – Atividades das EmpresasBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 14 11/06/2012
  15. 15. II – Atividades das EmpresasBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 15 11/06/2012
  16. 16. II – Atividades das EmpresasBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 16 11/06/2012
  17. 17. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 17 11/06/2012
  18. 18. II – Atividades das EmpresasBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 18 11/06/2012
  19. 19. II – Atividades das EmpresasBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 19 11/06/2012
  20. 20. Produção Estacional ç 20 S f /E t Safra/Entressafra f  Função de exploração tecnologicamente mais atrasada dos recursos exclusivos da pastagem SAFRA Janeiro Julho/Agosto ENTRESSAFRA Agosto DezembroBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  21. 21. IV – Produção Estacional odução stac o aBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 21 11/06/2012
  22. 22. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 22 11/06/2012
  23. 23. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 23 11/06/2012
  24. 24. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 24 11/06/2012
  25. 25. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 25 11/06/2012
  26. 26. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 26 11/06/2012
  27. 27. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 27 11/06/2012
  28. 28. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 28 11/06/2012
  29. 29. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 29 11/06/2012
  30. 30. Índices de Produtividade 30 Índice Brasil Bom Excelente Natalidade (%) 60 80-85 >85 Mortalidade (%) ld d ( ) 7 2 <2 Idade 1ª cria (meses) 40 27-30 >24 Idade abate (meses) 42 24 30 24-30 >24 Peso Carcaça (kg) 230 250 280 Lotação (UA/ha) 0,8 2,0 >2,0 Desfrute (%) 23 28-30 33 1 UA  450kgBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  31. 31. Causas dos Baixos Índices Zootécnicos 31 Nutrição inadequada:  afeta a reprodução e o crescimento, dois dos principais formadores do desfrute Sanidade  doenças de produção e reprodução afetando o aproveitamento do rebanho Genética  A melhor genética não atinge rápida e eficazmente as fazendas g g p produtoras.  quando o faz, o ambiente não dá suporte à essa melhor genética Capital Humano  Existe e é mal aproveitadoBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  32. 32. Importância da Adaptação p p ç 32Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  33. 33. Importância da Adaptação p p ç 33Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  34. 34. Importância Sanidade p 34Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto 11/06/2012Mourão
  35. 35. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 35 11/06/2012
  36. 36. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 36 11/06/2012
  37. 37. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 37 11/06/2012
  38. 38. Produtividade 38Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  39. 39. O que é precoce? 39Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  40. 40. Precoce x Tardio 40P Precoce: tipo capaz d crescer e se reproduzir em ti de d i curto período de tempo = representado pela área S S T’ tempoBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  41. 41. Precoce x Tardio 41 I di íd Indivíduo que executa a mesma á t área S ( (produção e d ã reprodução) levando um longo período de tempo S tempo T’’Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  42. 42. Precoce x Tardio 42 600 500 400 Peso, kg 300 200 100 0 40 240 440 640 840 1040 1240 1440 Idade, diasBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  43. 43. Variabilidade e Composição p ç 43 Luz e Figueiredo, 2006 g ,Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  44. 44. Importância do Meio p 44Q l Qualquer paralisação do ritmo d crescimento é li ã d it de i t muito mais prejudicial ao precoce que ao tardio Tp T’ T’’Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  45. 45. Importância do Meio p 45  A área perdida no precoce é á did significativamente maior e irreversível  Produzirá um “tucura” Tp T’ T’’Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  46. 46. O “Tucura” 46Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  47. 47. Logo g 47N h Nenhum animal precoce pode t um i l d ter constrangimento (paralisação) no crescimento S b pena de h Sob d haver dano i d irrecuperável á lBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  48. 48. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 48 11/06/2012
  49. 49. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 49 11/06/2012
  50. 50. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 50 11/06/2012
  51. 51. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 51 11/06/2012
  52. 52. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 52 11/06/2012
  53. 53. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 53 11/06/2012
  54. 54. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 54 11/06/2012
  55. 55. Co e c a ação Comercialização ( Da carne) 2) Comercialização de categorias que vão ao abate Preço = R$/@ carcaça Quantidade Peso Vivo x Rendimento (R%) de arrobas = 15 Preço = Quantidade de arrobas x Preço/@ finalBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 55 11/06/2012
  56. 56. Recursos Genéticos 56Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  57. 57. Evolução/Origem de Algumas Raças Bovinas ç / g g ç 57 (Frisch, 2002)Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  58. 58. Q Qual a melhor composição racial? p ç 58A Aproveitar e P it Preparar um produto com o melhor d d t lh das raças existentes  Raças Continentais R C ti t i  Alto crescimento  Boa qualidade de carne  Raças Britânicas  Precocidade Sexual  Velocidade de Crescimento, Acabamento e Conformação  Qualidade de CarneBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  59. 59. Q Qual a melhor composição racial? p ç 59 Aproveitar e Preparar um produto com o melhor das raças existentes  Raças Zebuínas  Rusticidade  Resistência ao carrapato e outros parasitas  Boa produtividade  Raças Adaptadas  Resistência ao clima  Fertilidade  Boa produtividade  Produção de animais homogêneos  Dentro do padrão exigido pelo mercado e/ou indústria!Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  60. 60. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 60 11/06/2012
  61. 61. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 61 11/06/2012
  62. 62. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 62 11/06/2012
  63. 63. Controle Zootécnico Colheita d pesos e mensuração com aparelhos d ultrassom lh i de lh de l 63Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  64. 64. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 64 11/06/2012
  65. 65. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 65 11/06/2012
  66. 66. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 66 11/06/2012
  67. 67. 67Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto 11/06/2012Mourão
  68. 68. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 68 11/06/2012
  69. 69. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 69 11/06/2012
  70. 70. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 70 11/06/2012
  71. 71. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 71 11/06/2012
  72. 72. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 72 11/06/2012
  73. 73. Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 73 11/06/2012
  74. 74. Co e c a ação Comercialização Rendimento acordado médio Animal Peso Kg Rendimento % Búfala 45 % Búfalo e Vaca Holandesa 47 % Vaca nelore e Boi Holandês 50 % 450 - 480 51 % 480 - 510 52 % Nelore 510 - 550 53 % (51-55%) 550 - 580 54 % 580 - 600 55 % Cruzado Ind. E x Z C d d 53 - 56 % 3 6 Europeu Corte 54 - 60 %Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 74 11/06/2012
  75. 75. Co e c a ação Comercialização Tipos de carne encontrado no mercado Carne sob frio Resfriada Refrigerada Congelada Carne de sol Sal Sol Carne verde  Di t do matadouro ao consumidor C d Direto d t d id Carne maturada  - luz / - oxigênio / 21 diasBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 75 11/06/2012
  76. 76. Slide Show lid h (Raças Bovinas) 76Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  77. 77. Perspectivas p 77 S t pecuário brasileiro é crescente Setor á i b il i t  Logo incremento por demanda de material genético de alta qualidade Empresas de melhoramento no Brasil (particulares)  Bovinos de Corte (essencialmente sob controle nacional)  Com importação de sêmen de touros de raças européiasBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  78. 78. Perspectivas p 78C Crescimento da área d bi t i t d á de biotecnologia l i  Melhorar o entendimento dos processos fisiológicos  Id Identificação d genes d efeitos maiores tifi ã de de f it i  Polimorfismos em alta densidade para acoplar em programas de seleção  Programas de melhoramento genético e biotecnologias da reprodução poderão contribuir para aumentar a intensidade de seleção  Os marcadores SNPs (em alta densidade)  auxiliar a seleção e aumentar a velocidade d ganho ili l ã l id d de h  maior precisão na identificação de reprodutoresBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  79. 79. Perspectivas p 79 Investimentos Públicos e Privados Parceria com Iniciativa Privada  Vantagens técnico-científico técnico científico  Melhora de maneira substancial o ensino  Docentes passam a ter uma visão mais prática e aplicada de seus conhecimentos. conhecimentos Do lado público da parceria  Três pilares de sustentação da universidade, ensino, pesquisa e p ç , ,p q extensão, são beneficiados. Do lado privado  Produtores são b P d ã beneficiados, h j vista a l fi i d haja i longevidade d parcerias id d das i  Possível retorno financeiroBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  80. 80. Considerações Finais 80Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  81. 81. Leitura Complementar p 81 LUCHIARI FILHO, A.; MOURÃO, G. B FILHO A MOURÃO G B. Melhoramento, raças e seus cruzamentos na pecuária de corte brasileira 1ª ed 2006 142 p brasileira. ed., 2006, p. Aos interessados em adquirir: direto com o autor!  BOURDON R M Understanding Animal Breeding 2ª Ed Prentice- BOURDON, R.M. Breeding, 2 Ed., Prentice Hall, 2000, 538 p. KINGHORN B. et al. Melhoramento Animal: Uso de novas tecnologias. 1ª. Ed FEALQ 2006, 367 p. ª Ed., FEALQ, 6 6 PIRES, A.V. Bovinocultura de corte, 1ª Ed., FEALQ, 2010, 1510 p.Bovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012
  82. 82. Obrigado! 82 Gerson Barreto Mourão Zootecnista, M.Sc., D.Sc., Professor Associado ESALQ/USP Cx. Postal 9 - 13.418-900 Piracicaba, SP gbmourao@usp.brBovinocultura de Corte - Prof. Gerson Barreto Mourão 11/06/2012

×