SlideShare uma empresa Scribd logo
16/04/2012




                                                                                       Eficiência reprodutiva e
        Manejo reprodutivo em
          bovinos de corte                                                              produtiva de vacas de

                        Roberto Sartori                                                         corte conforme o
             Colaboração: Pietro Baruselli
                                                                                             intervalo de partos




            PERÍODO DE CONCEPÇÃO (1ª EM)
                          x
                                                                                          Taxa de prenhez ao final da EM ?
                                                                                                                                       Taxa de
                 DATA DO PARTO (2ª EM)                                                                                                 prenhez
                                                                                       Exemplo 1

                                                                                                    60%           20%          10% = 90%
                                                                                       Exemplo 2


        Concepção
             pç                            Parto                                                    30%           30%          30% = 90%
                                14/08 13/09 14/09 13/10 14/10 12/11                    Exemplo 3
   1º mês   2º mês   3º mês       1º mês     2º mês      3º mês
                                                                                         IATF       10%           20%      60% = 90%
                                (-79 a -49) (-48 a -19) (-18 a 11)


             EM                                                         EM
01/11                   31/01                            01/11                 31/01               início         meio         final

         1º ANO                                                       2º ANO
                                                                                                            Estação de monta




                                                                                                   ESTAÇÃO DE MONTA
         Definir períodos
                                                                                         Vantagens:
        restritos de monta                                                               - Concentração dos trabalhos com a monta natural
                                                                                         e I.A.
                                                                                         - Concentração da estação de nascimentos
          durante o ano                                                                  -CConcentração d d
                                                                                                   t ã das desmamas
                                                                                         - Concentração do acabamento e abate dos
                                                                                         machos
                                                                                         - Favorece a seleção de vacas com maior
OBS: Diferenças no estabelecimento da                                                    habilidade materna (seleção de fertilidade)
Estação de Monta para gado de leite e de corte                                           * Facilita o manejo das técnicas de amamentação
                                                                                         interrompida ou remoção temporária dos bezerros.




                                                                                                                                                 1
16/04/2012




60   Definição da EM (1 ano)                                                                                                             60   Definição da EM (2 ano)


50                                                                                                                                       50




40                                                                                                                                       40




                                                                            6 meses                                                                                                                                 6 meses
30                                                                                                                                       30


                     Concentração                                                             Concentração                                                    Concentração                                                           Concentração
                                                                                                                                                                                                                                              ç
                     da concepção                                                            dos nascimentos                                                  da concepção                                                          dos nascimentos
20                                                                                                                                       20




10                                                                                                                                       10




0                                                                                                                                        0
 Ago    Set   Out    Nov   Dez   Jan    Feb    Mar   Abr       Mai    Jun     Jul     Ago     Set    Out   Nov        Dez    Jan   Fev    Ago   Set   Out     Nov     Dez   Jan    Feb    Mar   Abr   Mai     Jun     Jul     Ago     Set   Out   Nov   Dez    Jan   Fev



                     Estação de monta                                                                                                                               Estação de monta
                                                                                                     6 meses                                                            (6 meses)                                                           6 meses
                         (6 meses)




60   Definição da EM (3 ano)                                                                                                             60   Definição da EM
                                                                                                                                              (4 ano)

50                                                                                                                                       50




40                                                                                                                                       40




                                                                      7 meses                                                                                                                               8 meses
30                                                                                                                                       30



                    Concentração                                                        Concentração
                                                                                                 ç                                                          Concentração                                                        Concentração
                    da concepção                                                       dos nascimentos                                                      da concepção                                                       dos nascimentos
20                                                                                                                                       20




10                                                                                                                                       10




 0                                                                                                                                       0
  Ago   Set   Out    Nov   Dez   Jan    Feb    Mar   Abr       Mai    Jun     Jul     Ago     Set    Out   Nov        Dez    Jan   Fev    Ago   Set   Out     Nov     Dez   Jan    Feb    Mar   Abr   Mai     Jun     Jul     Ago     Set   Out   Nov   Dez    Jan   Fev


                     Estação de monta                                                                                                                       Estação de monta
                         (5 meses)                                                                  5 meses                                                     (4 meses)                                                             4 meses




                    ESTAÇÃO DE MONTA PADRÃO                                                                                                                                              NASCIMENTOS
                                 ESTAÇÃO DE MONTA                                                                                        JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
                                                                                                                                                                                                                                                              TOTAL
     JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ                                                                                                                                                         30        40           30      10                 100
                                                                                                                                                                                                            30%        40%          30%     10%               100%



                                                                                                                                                                                         DESMAME
                                              NASCIMENTOS
                                                                                                                                         JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
                                                                                                                                                                                                                                                              TOTAL
                                                                                                                            TOTAL
                                                           5         35       25            20       10          5          100                                       30          40     20      10                                                            100
                                                       5%            35%      25%           20%      10%         5%         100%                                      30%      40%       20%    10%                                                           100%




                                                                                                                                                                                                                                                                           2
16/04/2012




          Manejo reprodutivo                                      Monta natural



Opções:                           Vantagens:
Monta natural
                                  Facilidade de manejo
Inseminação artificial
    Detecção de cio               Baixo custo???
    IATF                          Desvantagens:
                                  Inúmeras




         Inseminação artificial             Sincronização de cio vs.
                                          detecção diária de cio para IA
                                                100

                                                 90
                                                              PGF-11d-PGF-11d-PGF

                                                 80           Daily heat detection+AI
                                                 70
                                                                                67%
                                           nt
                                   % pregnan




                                                 60

  Vantagens:                                     50
                                                                  35%
                                                 40                             40%
  Inúmeras                                       30


  Desvantagens:                                  20

                                                 10                   11%

  Requer manejo mais refinado                     0
                                                      0   3   6   9    12 15 18 21 24 27 30 33 36 39 42 45 48 51 54 57 60


  Maior custo???                                                                       Days




INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL            INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL


   AUMENTO DA QUANTIDADE
   E DA QUALIDADE DE CARNE


        Melhoramento genético                     Melhoramento genético




                                                                                                                              3
16/04/2012




       MELHORAMENTO GENÉTICO                                                   CRUZAMENTO INDUSTRIAL


                                 X
    Touro testado                                Rebanho comercial




 Baixa adaptabilidade de touros
Bos taurus às condições tropicais




   Vacas e novilhas > 24 m
       = 73.429.856 cab.            2,0 doses/
                                                    5 a 7% do rebanho
                                                  brasileiro é inseminado
                                                                             REDUZIDO EMPREGO DA
Total de sêmen comercializado       concepção         artificialmente
    = 7.500.000 doses / ano                                                 INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL
            Anualpec 2004
                             94,0%

                                                                                 BAIXA TAXA DE SERVIÇO

                                                                             1.BAIXA EFICIÊNCIA DE DETECÇÃO DE ESTRO
                                                                             2. REDUZIDO NÚMERO DE VACAS CICLANDO NO
                             6,0%                                                        PERÍODO PÓS-PARTO
        Inseminação artificial               Monta natural

Percentual de vacas inseminadas artificialmente no Brasil
                                                                            Comprometimento da eficiência reprodutiva




                                                                                                                           4
16/04/2012




                                                                      Intervalo de partos e período de serviço na eficiência
                                                                             reprodutiva em Bos taurus e Bos indicus
                 EFICIÊNCIA                                                      Parto (1)                            Concepção
                                                                                                                                                    Parto (2)


    REPRODUTIVA EM
                                                                                                                                  Gestação 280 dias
                                                                                    Involução    Período de concepção
                                                                                                                                     (Bos taurus)
                                                                                      uterina
                                                                      Gestação                                               Gestação 290 dias
                                                                                                                                   (Bos Indicus)




      GADO DE CORTE                                                                         D-30

                                                                                       Período de serviço (85 dias)


                                                                                       Período de serviço (75 dias)


• Produzir a maior quantidade de bezerros / matrizes / ano
                                                                                                     Intervalo de partos (12 meses)




 É POSSÍVEL PRODUZIR 1 bez./vaca/ano

       POR INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL?                                    Cada cio perdido ocorre
•   Intervalo de partos de 12 meses                                   atraso de no mínimo 21
• Período de serviço de 70 a 80 dias                                         dias no intervalo
• Concepção no início da estação de monta                                    parto/concepção
EFICIÊNCIA REPRODUTIVA x MELHORAMENTO GENÉTICO




  MANEJO DE DETECÇÃO DE CIO PARA
 INSEMINAÇÃO ARTICIAL TRADICIONAL
    Dificuldades de manejo para implantação de um programa de IA
                                                                      A detecção do cio é
    • Rodeios diários (manhã e tarde)

    • Taxa de serviço (eficiência de detecção de cio + ciclicidade)
                                                                      fator limitante para
    • Número de lotes em observação (escala)

    • Degradação das pastagens nos centros de observação de cio

    • Previsibilidade do resultado                                    o emprego da I.A.
    • Disponibilidade de mão-de-obra




                                                                                                                                                                5
16/04/2012




                              Escore de Condição Corporal

                       ECC                               Aparência na Vaca




Anestro                   1


                          2
                                       Muito Magro


                                          Magro
                                                         Muito raquítica, perto da morte por inanição,
                                                         espinha dorsal e anca muito evidentes

                                                         Magro, costelas visualizadas mas não tão salientes,
                                                         pouco de carne ao longo do dorso

                          3             Moderado         Gordura palpável nas costelas e na garupa, espinha
                                                         dorsal pouco visível



pós parto                 4               Gordo          Boa quantidade de gordura nas costelas, um pouco
                                                         de gordura no peito e acúmulo de gordura na
                                                         garupa

                          5            Muito Gordo       Extremamente gorda, estruturas ósseas não visíveis



                       Adaptado de Ferreira,1991




 Escore Corporal - 1                               Escore Corporal - 1




 Escore Corporal - 2                               Escore Corporal - 3




                                                                                                                 6
16/04/2012




               Escore Corporal - 4                                                         Escore Corporal - 4




                                                                Porcentagem de vacas de corte com atividade
                                                                cíclica pós-parto de acordo com a CC ao parto
                                                                            (Whitman et al., 1975)


                                                                              100
                                                                               90
                                                                 % Ciclando




                                                                               80
                                                                               70
                                                                               60
                                                                               50
                                                                               40
                                                                               30
                                                                                    50   60       70         80         90    100
                                                                                                      Dias PP

              Escore Corporal - 5                                                             Baixa    Moderada   Boa




Porcentual de vacas de corte                                                                  I.A.                           I.A.
                                                                                                                                 ⓟ
  lactantes ciclando entre
   60 a 70 dias pós parto
                                                                Parto
   Primeiro experimento:
       24,3% (52/214 vacas Nelore)
                                                                                         70 a 80 dias                   100 a 250 dias

   Segundo experimento                                                                        IP 12 meses
                                                                                                                              IP > 13, 14... m
          14,0% (7/50 vacas Nelore/Angus)
                                     Baruselli et al., (2002)
                                     Marques et al., (2003)
                                                                                Baixa eficiência reprodutiva




                                                                                                                                                 7
16/04/2012




                                                                                      FORMAS PARA MELHORAR A EFICIÊNCIA
            A baixa taxa de                                                               REPRODUTIVA DE VACAS DE CORTE
                                                                                                 INSEMINADAS ARTIFICIALMENTE

ciclicidade no pós parto
                                                                                      1. INDUÇÃO DA CICLICIDADE E DO CIO
                                                                                         POR TÉCNICAS DE MANEJO
    é fator limitante para
                                                                                      2. INDUÇÃO DA CICLICIDADE E DA
        o emprego da I.A.                                                                OVULAÇÃO POR TRATAMENTOS




   Crescimento folicular durante o pós parto                                                Dinâmica folicular durante o tratamento com
                                                                                                   dispositivo de progesterona
• Anestro pós-parto                                       LH
                                                                                              BE                             BE, GnRH,
                                                                                                                  PGF2
                           LH                                                                                                hCG ou LH

                                                                                                              P4                                       Ovulação
                                                                                 P4                                                                  sincronizada
                                                                                         14
                                     70 a 80`dias                     160 dias
Parto                                  IP=12m
                                                                      IP=15m
          LH
                                E2

                                                                                       mm
                                                                                         10
                                                                                                                                                   IATF
                      P4                                 Estro        Estro
                                                                                            6
                      P4                            P4                           P4
                                                                 P4
                                                                                            2

Parto                            50 dias
                                IP=11,1m
                                                                                                 Dia 0     Dia 3 a 6        Dia 7 a 9    Dia 9




                                                                                                    Protocolo experimental
               EFICIÊNCIA                                                              600 vacas Nelore paridas (55 a 70 dias; 10/08 a 25/08)
                                                                                         IATF               US 30d                 US 70d                US 120d
                                                                                                                       Touro
    REPRODUTIVA DE                                                                      Dia 0 Dia 10                   Dia 45                          Dia 90

                                                                                        IATF               US 30d                   US 70d               US 120d
                                                                                                       Obs. cios                   Touro
    VACAS DE CORTE                                                                      Dia 0                          Dia 45                         Dia 90
                                                                                                                                    US 70d               US 120d
                                                                                                       Obs. cios                   Touro
        INSEMINADAS EM                                                                   Dia 0                         Dia 45                         Dia 90
                                                                                                                                    US 70d                US 120d
                                                                                                                       Touro
               TEMPO FIXO                                                                Dia 0
                                                                                       20/10/2004
                                                                                                                       Dia 45                          Dia 90
                                                                                                                                             (Penteado et al., 2005)




                                                                                                                                                                       8
16/04/2012




                                                                                Agropecuária Café no Bule, Camapuã                                                  Agropecuária Café no Bule, Camapuã
                                                                                Medico Veterinário Luciano Penteado                                                 Medico Veterinário Luciano Penteado




                       100                                                                                                        a
                                                 IA conv                                                    8,0%
                       90
                       80
                                                 IATF + IA
                                                 IATF+touro                     a                                                        Exemplo de
Taxa de Prenhez (% )




                                                                                                                                  b
                       70                        Touro
                                                                                b    11,8%
                       60
                       50
                                                     45,0%
                                                                    31,0%
                                                                                c
                                                                                                   22 dias de
                                                                                                                                       emprego da IATF
                       40
                                                                                     21,0%       antecipação da                       HOFIG RAMOS AGRICULTURA E PECUÁRIA
                       30                                                       d
                                                                                                    prenhez
T




                       20
                                                                                                                                      BRASILÂNDIA / MS
                       10
                        0
                             0    5    10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 85 90                                               Número de IATF 2005/2006
                                                              Dias de Estação de Monta


Gráfico 1. Estimativa da prenhez acumulada de vacas Nelore submetidas a                                                                                         5.579
                                  diferentes tipos de manejo durante a estação de monta (n=594).
                                  Camapuã. 2005.                                 (Penteado et al., 2005)




                                                                                                Divisão em                                                                              Pasto
                                                                                                                                                                                        Maternidade
                                        Recria
                                                               Multíparas
                                                               paridas                           setores e
                                      e descartes
                                                               Vacas
                                                               Prenhes
                                                                                                categorias
                                                                                                                                           Vacas
                                                                                                                                           Prenhes
                                                                                                                                           Vaca que
                             Primíparas                       Multíparas
                                                              paridas                                                                      PARIRAM
                             paridas    Touros
                                        jovens Touros                                                                                                            Vacas que
                                                                                                                                                                       q
                                               velhos
                                                 lh
                        Novilhas                                                                                                                                 PARIRAM
                                                                                                                                                                 Prenhes
                        Prenhes                Multíparas
                                                    paridas
                                                                    Novilhas
                                                                    Reposição                                                                 FORMAÇÃO DO
                                                 Vacas Prenhes
                                 Vacas 2ª. e                                                                                             Vacas 2ª. e DE
                                                                                                                                                LOTE
                                 3ª. cria                                                                                                       VACAS PARIDAS
                                                                                                                                         3ª. cria
                                                  Multíparas
                                                  paridas




                                                                                                     Médico Veterinário:                                                                 Médico Veterinário:
                                                                                                     Márcio de Oliveira Marques                                                          Márcio de Oliveira Marques




                                                                                                                                                                                                                      9
16/04/2012




     Pasto de vacas prenhes                                                 Pasto maternidade




                                  Médico Veterinário:                                              Médico Veterinário:
                                  Márcio de Oliveira Marques                                       Márcio de Oliveira Marques




  Formação dos lotes de vacas                                   Primípara: manejo nuticional diferenciado
paridas por época de nascimento




                                 Médico Veterinário:
                                 Márcio de Oliveira Marques                                        Médico Veterinário:
                                                                                                   Márcio de Oliveira Marques




    Currais Funcionais e Eficientes                            Manejo do lote
                                                               Dia 0 - Implante




                                                                      Recolhimento
                                                                      do lote no Curral
                                                                      (último parto há 30 dias)




                                  Médico Veterinário:                                              Médico Veterinário:
                                  Márcio de Oliveira Marques                                       Márcio de Oliveira Marques




                                                                                                                                10
16/04/2012




Cuidado com a entrada do lote no curral                       Separação dos bezerros




                                Médico Veterinário:                                    Médico Veterinário:
                                Márcio de Oliveira Marques                             Márcio de Oliveira Marques




       Separação dos bezerros                                Manejo das vacas no curral




                                Médico Veterinário:                                    Médico Veterinário:
                                Márcio de Oliveira Marques                             Márcio de Oliveira Marques




      Manejo das vacas no curral                             Manejo das vacas no curral




                                Médico Veterinário:                                    Médico Veterinário:
                                Márcio de Oliveira Marques                             Márcio de Oliveira Marques




                                                                                                                    11
16/04/2012




 Manejo das vacas no curral para sincronização do ciclo
                                                                            Dispositivos intravaginais de Progesterona




                                               Médico Veterinário:
                                               Márcio de Oliveira Marques




Manejo das vacas no curral para sincronização da ovulação




                                                                             Retorno dos bezerros com as vacas
                                Controle das
                                 atividades




                                               Médico Veterinário:                                             Médico Veterinário:
                                               Márcio de Oliveira Marques                                      Márcio de Oliveira Marques




                                                                                                                                            12
16/04/2012




Manejo do lote                                              Manejo do Lote
Dia 0 -Implante                                             Dia 9 – Retirada dos Implantes




Retorno do Lote
Implantado
ao Pasto




                               Médico Veterinário:                                           Médico Veterinário:
                               Márcio de Oliveira Marques                                    Márcio de Oliveira Marques




 Retirada dos                                               Retirada dos
                                                            Implantes
 dispositivos
                                                            e
 intravaginais de                                           Administração de
 progesterona                                               Fármacos




                                                                                             Médico Veterinário:
                                                                                             Márcio de Oliveira Marques




Manejo do lote                                              Manejo do Lote
Dia 9 – Retirada do Implante                                Dia 11 – IATF




Retorno do Lote
ao Pasto                                                           Recolhimento
                                                                   do lote para
                                                                   INSEMINAÇÃO




                               Médico Veterinário:                                           Médico Veterinário:
                               Márcio de Oliveira Marques                                    Márcio de Oliveira Marques




                                                                                                                          13
16/04/2012




        IATF                                      LIMITAÇÕES DA IATF
                                            • Boa nutrição e condição corporal (≥ 2,5; escala 1 a 5)
                                            • Sanidade: Rebanho isento de doenças
                                            • Instalações: Boa contenção
                                            • Organização: Aplicação dos fármacos (IM) em todos
                                            os animais e em todas as etapas do protocolo
                                            • Qualidade do sêmen
                                            • Rodízio de inseminadores (40/50 por inseminador)
                                            • Acompanhamento técnico
               Médico Veterinário:
               Márcio de Oliveira Marques




Obrigado!




                                                                                                       14

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Nutricao Animal
Nutricao AnimalNutricao Animal
Aula1 -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]
Aula1  -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]Aula1  -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]
Aula1 -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]
Rômulo Alexandrino Silva
 
Produção de Gado de corte
Produção de Gado de corteProdução de Gado de corte
Produção de Gado de corte
jessica zambonato
 
Producao de suinos
Producao de suinosProducao de suinos
Producao de suinos
Felisberto Fmuandissa
 
Aula pecu€ ¦ária de leite
Aula pecu€ ¦ária de leiteAula pecu€ ¦ária de leite
Aula pecu€ ¦ária de leite
Fabio Freitas
 
Aula 1 panorama_geral_da_suinocultura_brasileira
Aula 1 panorama_geral_da_suinocultura_brasileiraAula 1 panorama_geral_da_suinocultura_brasileira
Aula 1 panorama_geral_da_suinocultura_brasileira
Hugomar Elicker
 
Origem, Características Morfológicas, produtivas e indesejáveis das Raças Lar...
Origem, Características Morfológicas, produtivas e indesejáveis das Raças Lar...Origem, Características Morfológicas, produtivas e indesejáveis das Raças Lar...
Origem, Características Morfológicas, produtivas e indesejáveis das Raças Lar...
André Ferreira
 
Panorama da suinocultura no Brasil e no mundo
Panorama da suinocultura no Brasil e no mundoPanorama da suinocultura no Brasil e no mundo
Panorama da suinocultura no Brasil e no mundo
Marília Gomes
 
Aula melhoramento bovinos corte parte 1 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 1  2012Aula melhoramento bovinos corte parte 1  2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 1 2012
Universidade de São Paulo
 
Racas de bovinos de leite
Racas de bovinos de leiteRacas de bovinos de leite
Racas de bovinos de leite
Arkinor Neto
 
Principais doenças que acometem aves comerciais
Principais doenças que acometem aves comerciaisPrincipais doenças que acometem aves comerciais
Principais doenças que acometem aves comerciais
Marília Gomes
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
matheush
 
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animalAula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
James Pinho Ladislau Pinho
 
Cadeia produtiva da bovinocultura de corte
Cadeia produtiva da bovinocultura de corteCadeia produtiva da bovinocultura de corte
Cadeia produtiva da bovinocultura de corte
Tiago Maboni Derlan
 
Forragicultura aula1
Forragicultura aula1Forragicultura aula1
Forragicultura aula1
Natália A Koritiaki
 
Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012
Introdução zootecnia   bovinocultura de corte - 2012Introdução zootecnia   bovinocultura de corte - 2012
Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012
Universidade de São Paulo
 
bovinos+de+leite+ppt.ppt
bovinos+de+leite+ppt.pptbovinos+de+leite+ppt.ppt
bovinos+de+leite+ppt.ppt
JulioGarcia972475
 
Manejo geral de ovinos e caprinos
Manejo geral de ovinos e caprinosManejo geral de ovinos e caprinos
Manejo geral de ovinos e caprinos
Rômulo Alexandrino Silva
 
Melhoramento genético de suínos
Melhoramento genético de suínosMelhoramento genético de suínos
Melhoramento genético de suínos
Brunna Silva Moreira
 
Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
Sheila Cassenotte
 

Mais procurados (20)

Nutricao Animal
Nutricao AnimalNutricao Animal
Nutricao Animal
 
Aula1 -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]
Aula1  -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]Aula1  -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]
Aula1 -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]
 
Produção de Gado de corte
Produção de Gado de corteProdução de Gado de corte
Produção de Gado de corte
 
Producao de suinos
Producao de suinosProducao de suinos
Producao de suinos
 
Aula pecu€ ¦ária de leite
Aula pecu€ ¦ária de leiteAula pecu€ ¦ária de leite
Aula pecu€ ¦ária de leite
 
Aula 1 panorama_geral_da_suinocultura_brasileira
Aula 1 panorama_geral_da_suinocultura_brasileiraAula 1 panorama_geral_da_suinocultura_brasileira
Aula 1 panorama_geral_da_suinocultura_brasileira
 
Origem, Características Morfológicas, produtivas e indesejáveis das Raças Lar...
Origem, Características Morfológicas, produtivas e indesejáveis das Raças Lar...Origem, Características Morfológicas, produtivas e indesejáveis das Raças Lar...
Origem, Características Morfológicas, produtivas e indesejáveis das Raças Lar...
 
Panorama da suinocultura no Brasil e no mundo
Panorama da suinocultura no Brasil e no mundoPanorama da suinocultura no Brasil e no mundo
Panorama da suinocultura no Brasil e no mundo
 
Aula melhoramento bovinos corte parte 1 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 1  2012Aula melhoramento bovinos corte parte 1  2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 1 2012
 
Racas de bovinos de leite
Racas de bovinos de leiteRacas de bovinos de leite
Racas de bovinos de leite
 
Principais doenças que acometem aves comerciais
Principais doenças que acometem aves comerciaisPrincipais doenças que acometem aves comerciais
Principais doenças que acometem aves comerciais
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
 
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animalAula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
 
Cadeia produtiva da bovinocultura de corte
Cadeia produtiva da bovinocultura de corteCadeia produtiva da bovinocultura de corte
Cadeia produtiva da bovinocultura de corte
 
Forragicultura aula1
Forragicultura aula1Forragicultura aula1
Forragicultura aula1
 
Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012
Introdução zootecnia   bovinocultura de corte - 2012Introdução zootecnia   bovinocultura de corte - 2012
Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012
 
bovinos+de+leite+ppt.ppt
bovinos+de+leite+ppt.pptbovinos+de+leite+ppt.ppt
bovinos+de+leite+ppt.ppt
 
Manejo geral de ovinos e caprinos
Manejo geral de ovinos e caprinosManejo geral de ovinos e caprinos
Manejo geral de ovinos e caprinos
 
Melhoramento genético de suínos
Melhoramento genético de suínosMelhoramento genético de suínos
Melhoramento genético de suínos
 
Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
 

Destaque

Apostila reprodução bovina final
Apostila reprodução bovina finalApostila reprodução bovina final
Apostila reprodução bovina final
Portal Canal Rural
 
Bovinos de corte
Bovinos de corteBovinos de corte
Bovinos de corte
Fabrício Farias
 
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
BeefPoint
 
Ciclo estral y celo en el ganado lechero
Ciclo estral y celo en el ganado lecheroCiclo estral y celo en el ganado lechero
Ciclo estral y celo en el ganado lechero
Conaleche Dom
 
BPA - Manual de boas práticas bovino de corte da Embrapa
BPA - Manual de boas práticas bovino de corte da EmbrapaBPA - Manual de boas práticas bovino de corte da Embrapa
BPA - Manual de boas práticas bovino de corte da Embrapa
probarra
 
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Cristian Carla de Campos
 
Manual de Boas Práticas Agropecuárias
Manual de Boas Práticas AgropecuáriasManual de Boas Práticas Agropecuárias
Manual de Boas Práticas Agropecuárias
Sérgio Amaral
 
Horario sexto semestre 2013 1
Horario sexto semestre 2013 1Horario sexto semestre 2013 1
Horario sexto semestre 2013 1
Alice Heller
 
[Palestra] Denis Alves: Estratégias de gestão da sanidade para otimizar a luc...
[Palestra] Denis Alves: Estratégias de gestão da sanidade para otimizar a luc...[Palestra] Denis Alves: Estratégias de gestão da sanidade para otimizar a luc...
[Palestra] Denis Alves: Estratégias de gestão da sanidade para otimizar a luc...
AgroTalento
 
Inseminação artifical.5.4ºbim
Inseminação artifical.5.4ºbimInseminação artifical.5.4ºbim
Inseminação artifical.5.4ºbim
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
AgroTalento
 
23 luciano-penteado-workshop-cria-beefpoint-2012
23 luciano-penteado-workshop-cria-beefpoint-201223 luciano-penteado-workshop-cria-beefpoint-2012
23 luciano-penteado-workshop-cria-beefpoint-2012
AgroTalento
 
06 pietro-baruselli-workshop-cria-beefpoint-2012
06 pietro-baruselli-workshop-cria-beefpoint-201206 pietro-baruselli-workshop-cria-beefpoint-2012
06 pietro-baruselli-workshop-cria-beefpoint-2012
AgroTalento
 
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
AgroTalento
 
Manejo sanitario del hato ganadero
Manejo sanitario del hato ganaderoManejo sanitario del hato ganadero
Manejo sanitario del hato ganadero
Drive-zoo
 
[Palestras] Carlos Pedretti: CEA – experiências e aprendizados de uma associa...
[Palestras] Carlos Pedretti: CEA – experiências e aprendizados de uma associa...[Palestras] Carlos Pedretti: CEA – experiências e aprendizados de uma associa...
[Palestras] Carlos Pedretti: CEA – experiências e aprendizados de uma associa...
AgroTalento
 
Reproduzir - reprodução bovina na prática
Reproduzir - reprodução bovina na práticaReproduzir - reprodução bovina na prática
Reproduzir - reprodução bovina na prática
Rural Centro
 
Congreso de repro intervet sp xxxx 2008
Congreso de repro intervet sp xxxx 2008Congreso de repro intervet sp xxxx 2008
Congreso de repro intervet sp xxxx 2008
MSD Salud Animal
 
12 091022 Juliano Kummer Intervet Influencia Mao De Obra Iatf
12 091022 Juliano Kummer Intervet Influencia Mao De Obra Iatf12 091022 Juliano Kummer Intervet Influencia Mao De Obra Iatf
12 091022 Juliano Kummer Intervet Influencia Mao De Obra Iatf
BeefPoint
 
Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
AgroTalento
 

Destaque (20)

Apostila reprodução bovina final
Apostila reprodução bovina finalApostila reprodução bovina final
Apostila reprodução bovina final
 
Bovinos de corte
Bovinos de corteBovinos de corte
Bovinos de corte
 
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
 
Ciclo estral y celo en el ganado lechero
Ciclo estral y celo en el ganado lecheroCiclo estral y celo en el ganado lechero
Ciclo estral y celo en el ganado lechero
 
BPA - Manual de boas práticas bovino de corte da Embrapa
BPA - Manual de boas práticas bovino de corte da EmbrapaBPA - Manual de boas práticas bovino de corte da Embrapa
BPA - Manual de boas práticas bovino de corte da Embrapa
 
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
 
Manual de Boas Práticas Agropecuárias
Manual de Boas Práticas AgropecuáriasManual de Boas Práticas Agropecuárias
Manual de Boas Práticas Agropecuárias
 
Horario sexto semestre 2013 1
Horario sexto semestre 2013 1Horario sexto semestre 2013 1
Horario sexto semestre 2013 1
 
[Palestra] Denis Alves: Estratégias de gestão da sanidade para otimizar a luc...
[Palestra] Denis Alves: Estratégias de gestão da sanidade para otimizar a luc...[Palestra] Denis Alves: Estratégias de gestão da sanidade para otimizar a luc...
[Palestra] Denis Alves: Estratégias de gestão da sanidade para otimizar a luc...
 
Inseminação artifical.5.4ºbim
Inseminação artifical.5.4ºbimInseminação artifical.5.4ºbim
Inseminação artifical.5.4ºbim
 
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
 
23 luciano-penteado-workshop-cria-beefpoint-2012
23 luciano-penteado-workshop-cria-beefpoint-201223 luciano-penteado-workshop-cria-beefpoint-2012
23 luciano-penteado-workshop-cria-beefpoint-2012
 
06 pietro-baruselli-workshop-cria-beefpoint-2012
06 pietro-baruselli-workshop-cria-beefpoint-201206 pietro-baruselli-workshop-cria-beefpoint-2012
06 pietro-baruselli-workshop-cria-beefpoint-2012
 
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
 
Manejo sanitario del hato ganadero
Manejo sanitario del hato ganaderoManejo sanitario del hato ganadero
Manejo sanitario del hato ganadero
 
[Palestras] Carlos Pedretti: CEA – experiências e aprendizados de uma associa...
[Palestras] Carlos Pedretti: CEA – experiências e aprendizados de uma associa...[Palestras] Carlos Pedretti: CEA – experiências e aprendizados de uma associa...
[Palestras] Carlos Pedretti: CEA – experiências e aprendizados de uma associa...
 
Reproduzir - reprodução bovina na prática
Reproduzir - reprodução bovina na práticaReproduzir - reprodução bovina na prática
Reproduzir - reprodução bovina na prática
 
Congreso de repro intervet sp xxxx 2008
Congreso de repro intervet sp xxxx 2008Congreso de repro intervet sp xxxx 2008
Congreso de repro intervet sp xxxx 2008
 
12 091022 Juliano Kummer Intervet Influencia Mao De Obra Iatf
12 091022 Juliano Kummer Intervet Influencia Mao De Obra Iatf12 091022 Juliano Kummer Intervet Influencia Mao De Obra Iatf
12 091022 Juliano Kummer Intervet Influencia Mao De Obra Iatf
 
Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
 

Mais de Universidade de São Paulo

Simp esalq 2011 proc grãos bc
Simp esalq 2011   proc grãos bcSimp esalq 2011   proc grãos bc
Simp esalq 2011 proc grãos bc
Universidade de São Paulo
 
Metabolismo2012
Metabolismo2012Metabolismo2012
RevisaoGadoCorte2012
RevisaoGadoCorte2012RevisaoGadoCorte2012
RevisaoGadoCorte2012
Universidade de São Paulo
 
Texto sobre Confinamento
Texto sobre ConfinamentoTexto sobre Confinamento
Texto sobre Confinamento
Universidade de São Paulo
 
Aula Confinamento
Aula ConfinamentoAula Confinamento
Aula Confinamento
Universidade de São Paulo
 
Sup bov corte graduação 05-2012
Sup bov corte   graduação 05-2012Sup bov corte   graduação 05-2012
Sup bov corte graduação 05-2012
Universidade de São Paulo
 
Bovino de corte 2012 volumosos nussio low
Bovino de corte 2012 volumosos nussio lowBovino de corte 2012 volumosos nussio low
Bovino de corte 2012 volumosos nussio low
Universidade de São Paulo
 
Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012
Universidade de São Paulo
 
Biologia do crescimento low
Biologia do crescimento lowBiologia do crescimento low
Biologia do crescimento low
Universidade de São Paulo
 
Agronegócio do boi
Agronegócio do boiAgronegócio do boi
Agronegócio do boi
Universidade de São Paulo
 

Mais de Universidade de São Paulo (10)

Simp esalq 2011 proc grãos bc
Simp esalq 2011   proc grãos bcSimp esalq 2011   proc grãos bc
Simp esalq 2011 proc grãos bc
 
Metabolismo2012
Metabolismo2012Metabolismo2012
Metabolismo2012
 
RevisaoGadoCorte2012
RevisaoGadoCorte2012RevisaoGadoCorte2012
RevisaoGadoCorte2012
 
Texto sobre Confinamento
Texto sobre ConfinamentoTexto sobre Confinamento
Texto sobre Confinamento
 
Aula Confinamento
Aula ConfinamentoAula Confinamento
Aula Confinamento
 
Sup bov corte graduação 05-2012
Sup bov corte   graduação 05-2012Sup bov corte   graduação 05-2012
Sup bov corte graduação 05-2012
 
Bovino de corte 2012 volumosos nussio low
Bovino de corte 2012 volumosos nussio lowBovino de corte 2012 volumosos nussio low
Bovino de corte 2012 volumosos nussio low
 
Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012
 
Biologia do crescimento low
Biologia do crescimento lowBiologia do crescimento low
Biologia do crescimento low
 
Agronegócio do boi
Agronegócio do boiAgronegócio do boi
Agronegócio do boi
 

Último

Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 

Último (20)

Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 

Manejo reprodutivo em bovinos de corte low

  • 1. 16/04/2012 Eficiência reprodutiva e Manejo reprodutivo em bovinos de corte produtiva de vacas de Roberto Sartori corte conforme o Colaboração: Pietro Baruselli intervalo de partos PERÍODO DE CONCEPÇÃO (1ª EM) x Taxa de prenhez ao final da EM ? Taxa de DATA DO PARTO (2ª EM) prenhez Exemplo 1 60% 20% 10% = 90% Exemplo 2 Concepção pç Parto 30% 30% 30% = 90% 14/08 13/09 14/09 13/10 14/10 12/11 Exemplo 3 1º mês 2º mês 3º mês 1º mês 2º mês 3º mês IATF 10% 20% 60% = 90% (-79 a -49) (-48 a -19) (-18 a 11) EM EM 01/11 31/01 01/11 31/01 início meio final 1º ANO 2º ANO Estação de monta ESTAÇÃO DE MONTA Definir períodos Vantagens: restritos de monta - Concentração dos trabalhos com a monta natural e I.A. - Concentração da estação de nascimentos durante o ano -CConcentração d d t ã das desmamas - Concentração do acabamento e abate dos machos - Favorece a seleção de vacas com maior OBS: Diferenças no estabelecimento da habilidade materna (seleção de fertilidade) Estação de Monta para gado de leite e de corte * Facilita o manejo das técnicas de amamentação interrompida ou remoção temporária dos bezerros. 1
  • 2. 16/04/2012 60 Definição da EM (1 ano) 60 Definição da EM (2 ano) 50 50 40 40 6 meses 6 meses 30 30 Concentração Concentração Concentração Concentração ç da concepção dos nascimentos da concepção dos nascimentos 20 20 10 10 0 0 Ago Set Out Nov Dez Jan Feb Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Ago Set Out Nov Dez Jan Feb Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Estação de monta Estação de monta 6 meses (6 meses) 6 meses (6 meses) 60 Definição da EM (3 ano) 60 Definição da EM (4 ano) 50 50 40 40 7 meses 8 meses 30 30 Concentração Concentração ç Concentração Concentração da concepção dos nascimentos da concepção dos nascimentos 20 20 10 10 0 0 Ago Set Out Nov Dez Jan Feb Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Ago Set Out Nov Dez Jan Feb Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Estação de monta Estação de monta (5 meses) 5 meses (4 meses) 4 meses ESTAÇÃO DE MONTA PADRÃO NASCIMENTOS ESTAÇÃO DE MONTA JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ TOTAL JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ 30 40 30 10 100 30% 40% 30% 10% 100% DESMAME NASCIMENTOS JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ TOTAL TOTAL 5 35 25 20 10 5 100 30 40 20 10 100 5% 35% 25% 20% 10% 5% 100% 30% 40% 20% 10% 100% 2
  • 3. 16/04/2012 Manejo reprodutivo Monta natural Opções: Vantagens: Monta natural Facilidade de manejo Inseminação artificial Detecção de cio Baixo custo??? IATF Desvantagens: Inúmeras Inseminação artificial Sincronização de cio vs. detecção diária de cio para IA 100 90 PGF-11d-PGF-11d-PGF 80 Daily heat detection+AI 70 67% nt % pregnan 60 Vantagens: 50 35% 40 40% Inúmeras 30 Desvantagens: 20 10 11% Requer manejo mais refinado 0 0 3 6 9 12 15 18 21 24 27 30 33 36 39 42 45 48 51 54 57 60 Maior custo??? Days INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL AUMENTO DA QUANTIDADE E DA QUALIDADE DE CARNE Melhoramento genético Melhoramento genético 3
  • 4. 16/04/2012 MELHORAMENTO GENÉTICO CRUZAMENTO INDUSTRIAL X Touro testado Rebanho comercial Baixa adaptabilidade de touros Bos taurus às condições tropicais Vacas e novilhas > 24 m = 73.429.856 cab. 2,0 doses/ 5 a 7% do rebanho brasileiro é inseminado REDUZIDO EMPREGO DA Total de sêmen comercializado concepção artificialmente = 7.500.000 doses / ano INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL Anualpec 2004 94,0% BAIXA TAXA DE SERVIÇO 1.BAIXA EFICIÊNCIA DE DETECÇÃO DE ESTRO 2. REDUZIDO NÚMERO DE VACAS CICLANDO NO 6,0% PERÍODO PÓS-PARTO Inseminação artificial Monta natural Percentual de vacas inseminadas artificialmente no Brasil Comprometimento da eficiência reprodutiva 4
  • 5. 16/04/2012 Intervalo de partos e período de serviço na eficiência reprodutiva em Bos taurus e Bos indicus EFICIÊNCIA Parto (1) Concepção Parto (2) REPRODUTIVA EM Gestação 280 dias Involução Período de concepção (Bos taurus) uterina Gestação Gestação 290 dias (Bos Indicus) GADO DE CORTE D-30 Período de serviço (85 dias) Período de serviço (75 dias) • Produzir a maior quantidade de bezerros / matrizes / ano Intervalo de partos (12 meses) É POSSÍVEL PRODUZIR 1 bez./vaca/ano POR INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL? Cada cio perdido ocorre • Intervalo de partos de 12 meses atraso de no mínimo 21 • Período de serviço de 70 a 80 dias dias no intervalo • Concepção no início da estação de monta parto/concepção EFICIÊNCIA REPRODUTIVA x MELHORAMENTO GENÉTICO MANEJO DE DETECÇÃO DE CIO PARA INSEMINAÇÃO ARTICIAL TRADICIONAL Dificuldades de manejo para implantação de um programa de IA A detecção do cio é • Rodeios diários (manhã e tarde) • Taxa de serviço (eficiência de detecção de cio + ciclicidade) fator limitante para • Número de lotes em observação (escala) • Degradação das pastagens nos centros de observação de cio • Previsibilidade do resultado o emprego da I.A. • Disponibilidade de mão-de-obra 5
  • 6. 16/04/2012 Escore de Condição Corporal ECC Aparência na Vaca Anestro 1 2 Muito Magro Magro Muito raquítica, perto da morte por inanição, espinha dorsal e anca muito evidentes Magro, costelas visualizadas mas não tão salientes, pouco de carne ao longo do dorso 3 Moderado Gordura palpável nas costelas e na garupa, espinha dorsal pouco visível pós parto 4 Gordo Boa quantidade de gordura nas costelas, um pouco de gordura no peito e acúmulo de gordura na garupa 5 Muito Gordo Extremamente gorda, estruturas ósseas não visíveis Adaptado de Ferreira,1991 Escore Corporal - 1 Escore Corporal - 1 Escore Corporal - 2 Escore Corporal - 3 6
  • 7. 16/04/2012 Escore Corporal - 4 Escore Corporal - 4 Porcentagem de vacas de corte com atividade cíclica pós-parto de acordo com a CC ao parto (Whitman et al., 1975) 100 90 % Ciclando 80 70 60 50 40 30 50 60 70 80 90 100 Dias PP Escore Corporal - 5 Baixa Moderada Boa Porcentual de vacas de corte I.A. I.A. ⓟ lactantes ciclando entre 60 a 70 dias pós parto Parto  Primeiro experimento: 24,3% (52/214 vacas Nelore) 70 a 80 dias 100 a 250 dias  Segundo experimento IP 12 meses IP > 13, 14... m  14,0% (7/50 vacas Nelore/Angus) Baruselli et al., (2002) Marques et al., (2003) Baixa eficiência reprodutiva 7
  • 8. 16/04/2012 FORMAS PARA MELHORAR A EFICIÊNCIA A baixa taxa de REPRODUTIVA DE VACAS DE CORTE INSEMINADAS ARTIFICIALMENTE ciclicidade no pós parto 1. INDUÇÃO DA CICLICIDADE E DO CIO POR TÉCNICAS DE MANEJO é fator limitante para 2. INDUÇÃO DA CICLICIDADE E DA o emprego da I.A. OVULAÇÃO POR TRATAMENTOS Crescimento folicular durante o pós parto Dinâmica folicular durante o tratamento com dispositivo de progesterona • Anestro pós-parto LH BE BE, GnRH, PGF2 LH hCG ou LH P4 Ovulação P4 sincronizada 14 70 a 80`dias 160 dias Parto IP=12m IP=15m LH E2 mm 10 IATF P4 Estro Estro 6 P4 P4 P4 P4 2 Parto 50 dias IP=11,1m Dia 0 Dia 3 a 6 Dia 7 a 9 Dia 9 Protocolo experimental EFICIÊNCIA  600 vacas Nelore paridas (55 a 70 dias; 10/08 a 25/08) IATF US 30d US 70d US 120d Touro REPRODUTIVA DE Dia 0 Dia 10 Dia 45 Dia 90 IATF US 30d US 70d US 120d Obs. cios Touro VACAS DE CORTE Dia 0 Dia 45 Dia 90 US 70d US 120d Obs. cios Touro INSEMINADAS EM Dia 0 Dia 45 Dia 90 US 70d US 120d Touro TEMPO FIXO Dia 0 20/10/2004 Dia 45 Dia 90 (Penteado et al., 2005) 8
  • 9. 16/04/2012 Agropecuária Café no Bule, Camapuã Agropecuária Café no Bule, Camapuã Medico Veterinário Luciano Penteado Medico Veterinário Luciano Penteado 100 a IA conv 8,0% 90 80 IATF + IA IATF+touro a Exemplo de Taxa de Prenhez (% ) b 70 Touro b 11,8% 60 50 45,0% 31,0% c 22 dias de emprego da IATF 40 21,0% antecipação da HOFIG RAMOS AGRICULTURA E PECUÁRIA 30 d prenhez T 20 BRASILÂNDIA / MS 10 0 0 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 85 90 Número de IATF 2005/2006 Dias de Estação de Monta Gráfico 1. Estimativa da prenhez acumulada de vacas Nelore submetidas a 5.579 diferentes tipos de manejo durante a estação de monta (n=594). Camapuã. 2005. (Penteado et al., 2005) Divisão em Pasto Maternidade Recria Multíparas paridas setores e e descartes Vacas Prenhes categorias Vacas Prenhes Vaca que Primíparas Multíparas paridas PARIRAM paridas Touros jovens Touros Vacas que q velhos lh Novilhas PARIRAM Prenhes Prenhes Multíparas paridas Novilhas Reposição FORMAÇÃO DO Vacas Prenhes Vacas 2ª. e Vacas 2ª. e DE LOTE 3ª. cria VACAS PARIDAS 3ª. cria Multíparas paridas Médico Veterinário: Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Márcio de Oliveira Marques 9
  • 10. 16/04/2012 Pasto de vacas prenhes Pasto maternidade Médico Veterinário: Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Márcio de Oliveira Marques Formação dos lotes de vacas Primípara: manejo nuticional diferenciado paridas por época de nascimento Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Currais Funcionais e Eficientes Manejo do lote Dia 0 - Implante Recolhimento do lote no Curral (último parto há 30 dias) Médico Veterinário: Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Márcio de Oliveira Marques 10
  • 11. 16/04/2012 Cuidado com a entrada do lote no curral Separação dos bezerros Médico Veterinário: Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Márcio de Oliveira Marques Separação dos bezerros Manejo das vacas no curral Médico Veterinário: Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Márcio de Oliveira Marques Manejo das vacas no curral Manejo das vacas no curral Médico Veterinário: Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Márcio de Oliveira Marques 11
  • 12. 16/04/2012 Manejo das vacas no curral para sincronização do ciclo Dispositivos intravaginais de Progesterona Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Manejo das vacas no curral para sincronização da ovulação Retorno dos bezerros com as vacas Controle das atividades Médico Veterinário: Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Márcio de Oliveira Marques 12
  • 13. 16/04/2012 Manejo do lote Manejo do Lote Dia 0 -Implante Dia 9 – Retirada dos Implantes Retorno do Lote Implantado ao Pasto Médico Veterinário: Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Márcio de Oliveira Marques Retirada dos Retirada dos Implantes dispositivos e intravaginais de Administração de progesterona Fármacos Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Manejo do lote Manejo do Lote Dia 9 – Retirada do Implante Dia 11 – IATF Retorno do Lote ao Pasto Recolhimento do lote para INSEMINAÇÃO Médico Veterinário: Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Márcio de Oliveira Marques 13
  • 14. 16/04/2012 IATF LIMITAÇÕES DA IATF • Boa nutrição e condição corporal (≥ 2,5; escala 1 a 5) • Sanidade: Rebanho isento de doenças • Instalações: Boa contenção • Organização: Aplicação dos fármacos (IM) em todos os animais e em todas as etapas do protocolo • Qualidade do sêmen • Rodízio de inseminadores (40/50 por inseminador) • Acompanhamento técnico Médico Veterinário: Márcio de Oliveira Marques Obrigado! 14