SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
REGÊNCIA VERBALREGÊNCIA VERBAL
Dá-se o nome deDá-se o nome de regênciaregência à relação deà relação de
subordinação que ocorre entre um verbo (ousubordinação que ocorre entre um verbo (ou
um nome) e seus complementos.um nome) e seus complementos.
Regência verbalRegência verbal
 A regência verbal estuda aA regência verbal estuda a
relação que se estabelece entrerelação que se estabelece entre
os verbos e os termos que osos verbos e os termos que os
complementam (objetos diretoscomplementam (objetos diretos
e objetos indiretos) oue objetos indiretos) ou
caracterizam (adjuntoscaracterizam (adjuntos
adverbiais).adverbiais).
O conhecimento do uso adequado dasO conhecimento do uso adequado das
preposições é um dos aspectos fundamentaispreposições é um dos aspectos fundamentais
do estudo da regência verbal (e tambémdo estudo da regência verbal (e também
nominal). As preposições são capazes denominal). As preposições são capazes de
modificar completamente o sentido do que semodificar completamente o sentido do que se
está sendo dito. Veja os exemplos:está sendo dito. Veja os exemplos:
1.Cheguei1.Cheguei aaoo metrômetrô..
2.2.ChegueiCheguei nnoo metrômetrô..
No primeiro caso, o metrô é o lugarNo primeiro caso, o metrô é o lugar aa queque
vou; no segundo caso, é o meio de transportevou; no segundo caso, é o meio de transporte
por mim utilizado. A oração "Cheguei nopor mim utilizado. A oração "Cheguei no
metrô", popularmente usada a fim de indicarmetrô", popularmente usada a fim de indicar
o lugar a que se vai, possui, no padrão cultoo lugar a que se vai, possui, no padrão culto
da língua, sentido diferente.da língua, sentido diferente.
Regência de alguns verbosRegência de alguns verbos
intransitivosintransitivos
Os verbos intransitivos não possuem complemento. ÉOs verbos intransitivos não possuem complemento. É
importante, no entanto, destacar alguns detalhes relativosimportante, no entanto, destacar alguns detalhes relativos
aos adjuntos adverbiais que costumam acompanhá-los.aos adjuntos adverbiais que costumam acompanhá-los.
a) Chegar, Ira) Chegar, Ir
Normalmente vêm acompanhados de adjuntos adverbiais deNormalmente vêm acompanhados de adjuntos adverbiais de
lugar. Na língua culta, as preposições usadas para indicarlugar. Na língua culta, as preposições usadas para indicar
destino ou direção são:destino ou direção são: a, para.a, para.
 Exemplos:Exemplos:
 FuiFui aao teatro.o teatro.
Adjunto Adverbial de LugarAdjunto Adverbial de Lugar
Ricardo foiRicardo foi parapara a Espanha.a Espanha.
Adjunto Adverbial de LugarAdjunto Adverbial de Lugar
Obs.: "Ir para algum lugar"Obs.: "Ir para algum lugar" enfatiza a direção, a partida.enfatiza a direção, a partida.
"" Ir a algum lugar"Ir a algum lugar" sugere também o retorno.sugere também o retorno.
 Importante:  Importante:  reserva-se  o uso dereserva-se  o uso de "em" "em" para indicação  para indicação 
de tempo ou meio. de tempo ou meio. Veja:Veja:
Cheguei Cheguei a a Roma Roma em em outubro.outubro.
                                                Adjunto adverbial de tempoAdjunto adverbial de tempo
Chegamos Chegamos nno trem das dez.o trem das dez.
                                          Adjunto adverbial de meioAdjunto adverbial de meio  
Verbos transitivos diretosVerbos transitivos diretos
 Os verbos transitivos diretos são Os verbos transitivos diretos são 
complementados por objetos diretos. Isso complementados por objetos diretos. Isso 
significa que não exigem preposição para o significa que não exigem preposição para o 
estabelecimento da relação de regência. estabelecimento da relação de regência. 
Ao empregar esses verbos, devemos Ao empregar esses verbos, devemos 
lembrar que os pronomes oblíquos lembrar que os pronomes oblíquos o, a, o, a, 
os, as os, as atuam como objetos diretos. Esses atuam como objetos diretos. Esses 
pronomes podem assumir as formas pronomes podem assumir as formas lo, lo, 
los, la, laslos, la, las (após formas verbais  (após formas verbais 
terminadas em terminadas em -r, -s -r, -s ou ou -z-z) ou ) ou no, na, nos, no, na, nos, 
nasnas (após formas verbais terminadas em  (após formas verbais terminadas em 
sons nasais), enquanto sons nasais), enquanto lhe lhe e e lheslhes são,  são, 
quando complementos verbais, objetos quando complementos verbais, objetos 
indiretos. indiretos. 
Atenção:Atenção:
 Na língua culta, esses verbos funcionam Na língua culta, esses verbos funcionam 
exatamente como o verbo exatamente como o verbo amar:amar:
Amo aquele rapaz. / Amo-o.Amo aquele rapaz. / Amo-o.
Amo aquela moça. / Amo-a.Amo aquela moça. / Amo-a.
Amam aquele rapaz. / Amam-no.Amam aquele rapaz. / Amam-no.
Ele deve amar aquela mulher. / Ele deve amá-la.Ele deve amar aquela mulher. / Ele deve amá-la.
Obs.: os pronomes Obs.: os pronomes lhe, lheslhe, lhes só acompanham esses  só acompanham esses 
verbos para indicar posse (caso em que atuam como verbos para indicar posse (caso em que atuam como 
adjuntos adnominais).adjuntos adnominais).
Exemplos:Exemplos:
          Quero beijar-Quero beijar-lhelhe o rosto. (= beijar  o rosto. (= beijar seu seu rosto)rosto)
Prejudicaram-Prejudicaram-lhelhe a carreira. (= prejudicaram  a carreira. (= prejudicaram suasua  
carreira)carreira)
Conheço-Conheço-lhe lhe o mau humor! (= conheço o mau humor! (= conheço seu seu mau mau 
humor)humor)
Verbos transitivos indiretosVerbos transitivos indiretos
OBEDECER E DESOBEDECER:OBEDECER E DESOBEDECER:
Possuem seus complementos introduzidos pela Possuem seus complementos introduzidos pela 
preposiçãopreposição "a" "a"..
Por exemplo:Por exemplo:  
          Devemos Devemos obedecerobedecer  aaos nossos princípios e ideais.os nossos princípios e ideais.
Eles Eles desobedeceramdesobedeceram  ààs leis do trânsito.s leis do trânsito.
RESPONDERRESPONDER  
Tem complemento introduzido pela preposição Tem complemento introduzido pela preposição "a""a". . 
Esse verbo pede objeto indireto para indicar Esse verbo pede objeto indireto para indicar "a quem”"a quem”
ou ou "ao que""ao que" se responde. se responde.
Por exemplo:Por exemplo:
          Respondi aoRespondi ao meu patrão. meu patrão.
Respondemos àsRespondemos às perguntas. perguntas.
Respondeu-lhe Respondeu-lhe à altura.à altura.
SIMPATIZARSIMPATIZAR ee ANTIPATIZARANTIPATIZAR
Possuem seus complementosPossuem seus complementos
introduzidos pela preposiçãointroduzidos pela preposição
"com""com"..
Por exemplo:Por exemplo:
Antipatizo comAntipatizo com aquela apresentadora.aquela apresentadora.
Simpatizo comSimpatizo com os que condenam os políticos queos que condenam os políticos que
governam para uma minoria privilegiada.governam para uma minoria privilegiada.
AGRADECER, PERDOARAGRADECER, PERDOAR ee PAGARPAGAR
São verbos que apresentam objeto direto relacionado a coisasSão verbos que apresentam objeto direto relacionado a coisas
e objetoe objeto
indireto relacionado a pessoas. Veja os exemplos:indireto relacionado a pessoas. Veja os exemplos:
AgradeçoAgradeço aosaos ouvintes a audiência.ouvintes a audiência.
Cristo ensina que é preciso perdoarCristo ensina que é preciso perdoar oo pecadopecado aoao
pecadorpecador..
Paguei o débitoPaguei o débito aoao cobrador.cobrador.
O uso dos pronomes oblíquos átonos deve ser feito comO uso dos pronomes oblíquos átonos deve ser feito com
particularparticular
cuidado.cuidado. Observe:Observe:
Agradeci o presente. / Agradeci-Agradeci o presente. / Agradeci-oo. Agradeço. Agradeço aa você. /você. /
Agradeço-Agradeço-lhelhe..
Perdoei a ofensa. / Perdoei-Perdoei a ofensa. / Perdoei-aa. Perdoei. Perdoei aoao agressor. / Perdoei-agressor. / Perdoei-
lhelhe..
INFORMARINFORMAR
Apresenta objeto direto ao se referir a coisas eApresenta objeto direto ao se referir a coisas e
objeto indireto ao se referir a pessoas, ou vice-objeto indireto ao se referir a pessoas, ou vice-
versa.versa.
Por Exemplo:Por Exemplo:
InformeInforme osos novos preçosnovos preços aosaos clientes.clientes.
InformeInforme osos clientesclientes dosdos novos preços. (ou sobre osnovos preços. (ou sobre os
novos preços)novos preços)
Na utilização de pronomes como complementos,Na utilização de pronomes como complementos, vejaveja
as construções:as construções:
Informei-os aos clientes. / Informei-lhes os novosInformei-os aos clientes. / Informei-lhes os novos
preços.preços.
Informe-os dos novos preços. / Informe-os deles. (ouInforme-os dos novos preços. / Informe-os deles. (ou
sobresobre
eles)eles)
 Obs.: a mesma regência do verbo informar éObs.: a mesma regência do verbo informar é
usada para os seguintes: avisar, certificar,usada para os seguintes: avisar, certificar,
notificar, cientificar, prevenir.notificar, cientificar, prevenir.
PREFERIRPREFERIR
Na língua culta, esse verbo deve apresentarNa língua culta, esse verbo deve apresentar
objeto indiretoobjeto indireto introduzido pela preposiçãointroduzido pela preposição "a"."a".
Por exemplo:Por exemplo:
Prefiro qualquer coisaPrefiro qualquer coisa aa abrir mão de meusabrir mão de meus
ideais.ideais.
Prefiro tremPrefiro trem aa ônibus.ônibus.
Obs.: na língua culta, o verbo "preferir" deveObs.: na língua culta, o verbo "preferir" deve
ser usado sem termos intensificadores, taisser usado sem termos intensificadores, tais
como: muito, antes, mil vezes, um milhão decomo: muito, antes, mil vezes, um milhão de
vezes, mais. A ênfase já é dada pelo prefixovezes, mais. A ênfase já é dada pelo prefixo
existente no próprio verbo (pre).existente no próprio verbo (pre).
ASPIRARASPIRAR
1)1) Aspirar é transitivo direto no sentido de sorver, inspirar (o ar),Aspirar é transitivo direto no sentido de sorver, inspirar (o ar),
inalar.inalar.
Exemplo: Aspirava o suave aroma. (Aspirava-o)Exemplo: Aspirava o suave aroma. (Aspirava-o)
2)2) Aspirar é transitivo indireto no sentido de desejar, ter comoAspirar é transitivo indireto no sentido de desejar, ter como
ambição.ambição.
Por Exemplo:Por Exemplo:
Aspirávamos a melhores condições de vida. (Aspirávamos aAspirávamos a melhores condições de vida. (Aspirávamos a
elas)elas)
Aspiravam a uma existência melhor. (= AspiravamAspiravam a uma existência melhor. (= Aspiravam a elaa ela))
ASSISTIRASSISTIR
1)1) Assistir é transitivo direto no sentido de ajudar, prestarAssistir é transitivo direto no sentido de ajudar, prestar
assistência a, auxiliar.assistência a, auxiliar.
Exemplos:Exemplos:
As empresas de saúde negam-se a assistir os idosos.As empresas de saúde negam-se a assistir os idosos.
As empresas de saúde negam-se a assisti-los.As empresas de saúde negam-se a assisti-los.
2)2) Assistir é transitivo indireto no sentido de ver, presenciar,Assistir é transitivo indireto no sentido de ver, presenciar,
estar presente, caber, pertencer.estar presente, caber, pertencer.
Exemplos:Exemplos:
Assistimos ao documentário.Assistimos ao documentário.
Não assisti às últimas sessões.Não assisti às últimas sessões.
Essa lei assiste ao inquilino.Essa lei assiste ao inquilino.
CHAMARCHAMAR
1)1) Chamar é transitivo direto no sentido de ‘convocar’,Chamar é transitivo direto no sentido de ‘convocar’,
‘solicitar a atenção ou a presença de’.‘solicitar a atenção ou a presença de’.
Exemplos:Exemplos:
Por gentileza, vá chamar sua prima. / Por favor, váPor gentileza, vá chamar sua prima. / Por favor, vá
chamá-la.chamá-la.
Chamei você várias vezes. / Chamei-o várias vezes.Chamei você várias vezes. / Chamei-o várias vezes.
2)2) Chamar no sentido de ‘denominar’, ‘apelidar’ podeChamar no sentido de ‘denominar’, ‘apelidar’ pode
apresentar objeto direto e indireto, ao qual se refereapresentar objeto direto e indireto, ao qual se refere
predicativo preposicionado ou não.predicativo preposicionado ou não.
Exemplos:Exemplos:
A torcida chamou o jogador mercenário.A torcida chamou o jogador mercenário.
A torcida chamouA torcida chamou aoao jogador mercenário.jogador mercenário.
A torcida chamou o jogadorA torcida chamou o jogador dede mercenário.mercenário.
A torcida chamouA torcida chamou aoao jogadorjogador dede mercenário.mercenário.
QUERERQUERER
1) Querer é transitivo direto no sentido de1) Querer é transitivo direto no sentido de
desejar, ter vontade de, cobiçar.desejar, ter vontade de, cobiçar.
ExemplosExemplos::
Querem melhor atendimento.Querem melhor atendimento.
Queremos um país melhor.Queremos um país melhor.
2) Querer é transitivo indireto no sentido de ter2) Querer é transitivo indireto no sentido de ter
afeição,afeição,
estimar, amar.estimar, amar.
Exemplos:Exemplos:
Quero muitoQuero muito aaos meus amigos.os meus amigos.
Ele quer bemEle quer bem àà linda menina.linda menina.
Despede-se o filho que muitoDespede-se o filho que muito lhelhe quer.quer.
PROCEDER
1)1) Proceder é intransitivo no sentido de ser decisivo,Proceder é intransitivo no sentido de ser decisivo,
ter cabimento, ter fundamento ou portar-se, comportar-ter cabimento, ter fundamento ou portar-se, comportar-
se, agir.se, agir.
Exemplos:Exemplos:
As afirmações da testemunha procediam; não haviaAs afirmações da testemunha procediam; não havia
como refutá-las.como refutá-las.
Você procede muito mal.Você procede muito mal.
2)2) Nos sentidos de ter origem, derivar-se (rege aNos sentidos de ter origem, derivar-se (rege a
preposiçãopreposição" de"" de") e fazer, executar (rege) e fazer, executar (rege
complemento introduzido pela preposiçãocomplemento introduzido pela preposição "a""a") é) é
transitivo indireto.transitivo indireto.
Exemplos:Exemplos:
O avião procedeO avião procede dede Maceió.Maceió.
Procedeu-seProcedeu-se aaos exames.os exames.
O delegado procederáO delegado procederá aao inquérito.o inquérito.
VISARVISAR
1)1) Como transitivo direto, apresenta os sentidos deComo transitivo direto, apresenta os sentidos de
mirar, fazer pontaria e de pôr visto, rubricar.mirar, fazer pontaria e de pôr visto, rubricar.
Exemplos:Exemplos:
O homem visou o alvo.O homem visou o alvo.
O gerente não quis visar o cheque.O gerente não quis visar o cheque.
2)2) No sentido de ter em vista, ter como meta, ter comoNo sentido de ter em vista, ter como meta, ter como
objetivo, é transitivo indireto e rege a preposiçãoobjetivo, é transitivo indireto e rege a preposição
"a"."a".
Exemplos:Exemplos:
O ensino deve sempre visarO ensino deve sempre visar aao progresso social.o progresso social.
Prometeram tomar medidas que visassemPrometeram tomar medidas que visassem aao bem-o bem-
estar público.estar público.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adriana
Lucilene Barcelos
 
VariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíSticaVariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíStica
Elza Silveira
 
Oracoes Coordenadas
Oracoes CoordenadasOracoes Coordenadas
Oracoes Coordenadas
guest7174ad
 
Slide+regencia+!
Slide+regencia+!Slide+regencia+!
Slide+regencia+!
Ranielison
 
Formação das palavras
Formação das palavrasFormação das palavras
Formação das palavras
colveromachado
 
Orações reduzidas
Orações reduzidasOrações reduzidas
Orações reduzidas
sandra
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
Rebeca Kaus
 

Mais procurados (20)

Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adriana
 
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento NominalAdjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
Adjunto adverbial, Adjunto adnominal e Complemento Nominal
 
Termos da oração
Termos da oraçãoTermos da oração
Termos da oração
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
 
Orações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas AdverbiaisOrações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas Adverbiais
 
Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)
 
VariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíSticaVariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíStica
 
Oracoes Coordenadas
Oracoes CoordenadasOracoes Coordenadas
Oracoes Coordenadas
 
Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.
 
Slide+regencia+!
Slide+regencia+!Slide+regencia+!
Slide+regencia+!
 
Processo de formação de palavras
Processo de formação de palavrasProcesso de formação de palavras
Processo de formação de palavras
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Interjeição
InterjeiçãoInterjeição
Interjeição
 
Complemento nominal
Complemento nominalComplemento nominal
Complemento nominal
 
Formação das palavras
Formação das palavrasFormação das palavras
Formação das palavras
 
Orações reduzidas
Orações reduzidasOrações reduzidas
Orações reduzidas
 
Preposições
PreposiçõesPreposições
Preposições
 
Figuras de linguagem completo
Figuras de linguagem completoFiguras de linguagem completo
Figuras de linguagem completo
 
Sinônimos e antônimos
Sinônimos e antônimosSinônimos e antônimos
Sinônimos e antônimos
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
 

Semelhante a Regencia verbal

Revisão 9ºano último
Revisão 9ºano  últimoRevisão 9ºano  último
Revisão 9ºano último
Lurdes Augusto
 
Agente Penitenciário - Pronomes Pessoais
Agente Penitenciário - Pronomes PessoaisAgente Penitenciário - Pronomes Pessoais
Agente Penitenciário - Pronomes Pessoais
ProfFernandaBraga
 
Verbos regulares e irregulares
Verbos regulares e irregularesVerbos regulares e irregulares
Verbos regulares e irregulares
patrícia silva
 
Regência verbal e nominal
Regência verbal e nominalRegência verbal e nominal
Regência verbal e nominal
Camila Rodrigues
 

Semelhante a Regencia verbal (20)

Apostila regencia verbal
Apostila regencia verbalApostila regencia verbal
Apostila regencia verbal
 
Apostila regencia verbal
Apostila regencia verbalApostila regencia verbal
Apostila regencia verbal
 
Regência+..
Regência+..Regência+..
Regência+..
 
Verbos i
Verbos iVerbos i
Verbos i
 
PORTUGUÊS - REVISÃO
PORTUGUÊS - REVISÃOPORTUGUÊS - REVISÃO
PORTUGUÊS - REVISÃO
 
Verbo
VerboVerbo
Verbo
 
Revisão 9ºano último
Revisão 9ºano  últimoRevisão 9ºano  último
Revisão 9ºano último
 
A regência verbal e nominal
A regência verbal e nominalA regência verbal e nominal
A regência verbal e nominal
 
Português 1
Português 1Português 1
Português 1
 
Revisão 9ºano
Revisão 9ºanoRevisão 9ºano
Revisão 9ºano
 
Vozes verbais
Vozes verbaisVozes verbais
Vozes verbais
 
Agente Penitenciário - Pronomes Pessoais
Agente Penitenciário - Pronomes PessoaisAgente Penitenciário - Pronomes Pessoais
Agente Penitenciário - Pronomes Pessoais
 
Concordância nominal slides
Concordância nominal slidesConcordância nominal slides
Concordância nominal slides
 
Verbos regulares e irregulares
Verbos regulares e irregularesVerbos regulares e irregulares
Verbos regulares e irregulares
 
Estudo das Classes de Palavras do Português
Estudo das Classes de Palavras do PortuguêsEstudo das Classes de Palavras do Português
Estudo das Classes de Palavras do Português
 
Vozes verbais 8 ano
Vozes verbais 8 anoVozes verbais 8 ano
Vozes verbais 8 ano
 
Regência verbal e nominal
Regência verbal e nominalRegência verbal e nominal
Regência verbal e nominal
 
Regência
RegênciaRegência
Regência
 
Gramatica Grego Biblico.pptx
Gramatica Grego Biblico.pptxGramatica Grego Biblico.pptx
Gramatica Grego Biblico.pptx
 
4_Aula_Verbo.pptx
4_Aula_Verbo.pptx4_Aula_Verbo.pptx
4_Aula_Verbo.pptx
 

Mais de Flávio Ferreira (20)

Aulas 21 22
Aulas 21 22Aulas 21 22
Aulas 21 22
 
Figuras de linguagem e efeitos de sentido.
Figuras de linguagem e efeitos de sentido.Figuras de linguagem e efeitos de sentido.
Figuras de linguagem e efeitos de sentido.
 
Or278200918405
Or278200918405Or278200918405
Or278200918405
 
Perc3adodo composto-41
Perc3adodo composto-41Perc3adodo composto-41
Perc3adodo composto-41
 
A mo ca tecela pdf
A mo ca tecela pdfA mo ca tecela pdf
A mo ca tecela pdf
 
06 periodo composto_2
06 periodo composto_206 periodo composto_2
06 periodo composto_2
 
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
 
Oracoes
OracoesOracoes
Oracoes
 
Oracoessubstantivas
OracoessubstantivasOracoessubstantivas
Oracoessubstantivas
 
O pequeno-principe
O pequeno-principeO pequeno-principe
O pequeno-principe
 
Regulamento concurso de_redacao_2016_bau
Regulamento concurso de_redacao_2016_bauRegulamento concurso de_redacao_2016_bau
Regulamento concurso de_redacao_2016_bau
 
4
44
4
 
3
33
3
 
1
11
1
 
Reformaortografica
ReformaortograficaReformaortografica
Reformaortografica
 
Acordo20ortografico20me1rcia
Acordo20ortografico20me1rciaAcordo20ortografico20me1rcia
Acordo20ortografico20me1rcia
 
2
22
2
 
1
11
1
 
1
11
1
 
Vozes verbais 7a_serie
Vozes verbais 7a_serieVozes verbais 7a_serie
Vozes verbais 7a_serie
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalTrabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 

Regencia verbal