SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
R GÊ
 E NCIA
 VE BAL
   R
 *T
  Transitividade verbal
   ransitividade verbal

                          rebeca
                            Prof.ª Rebeca Nogueira
                          FEPESMIG
                            Prof.ª Rebeca Nogueira
                                    Lourenço Kaus
                          [Escolha a data]

                                    Lourenço Kaus
                            Centro Universitário do
                            Centro Universitário do
                            Sul de Minas /Unis - MG
                            Sul de Minas /Unis - MG
Regência
 Definição:
 Definição:
 Dá-se o nome de regência à relação de subordinação
 Dá-s e        de regência à relação de subordinação
 que ocorre entre um verbo ou um nome e seus
 que ocorre entre um verbo ou um nome e s          eus
 complementos. Ocupa-se em estabelecer relações
 complementos. Ocupa-se em estabelecer relações
 entre as palavras,, criando frases não ambíguas, que
 entre as palavras criando frases não ambíguas, que
 expressem efetivamente o sentido desejado, que
 express em efetivamente o s    entido desejado, que
 sejamcorretas e claras.
 sejamcorretas e claras.




       Regência verbal

A regência verbal estuda a relação que se estabelece entre os
  A regência verbal estuda a relação que se estabelece entre os
verbos e os termos que os complementam (objetos diretos e
verbos os termos que os complementam (objetos diretos e
objetos indiretos) ou caracterizam (adjuntos adverbiais).
objetosindiretos) ou caracterizam(adjuntosadverbiais).

O estudo da regência verbal permite-nos ampliar nossa
  O estudo da regência verbal permite-nos ampliar nossa
capacidade expressiva, pois oferece oportunidade de
capacidade expressiva, pois oferece oportunidade de
conhecermos as diversas significações que um verbo pode
conhecermos as diversas significações que um verbo pode
assumir com a simples mudança ou retirada de uma preposição.
assumir coma simplesmudança ou retirada de uma preposição.
1.Verbos Intransitivos

                       Os verbos intransitivos não possuem complemento. É
  São verbos que             importante, no entanto, destacar alguns detalhes relativos
 não precisam de              aos adjuntos adverbiais que costumam acompanhá-los.
complementação,
                              Vamos então ver alguns exemplos!
 sozinho, indicam
a ação ou o fato.             a) Chegar, Ir

                        Normalmente vêm acompanhados de adjuntos adverbiais de
                    lugar. Na língua culta, as preposições usadas para indicar
      destino ou direção são: a, para.

      Exemplos:

            Fui ao teatro.
                Adjunto Adverbial de Lugar
Ricardo foi para a Espanha.
                  Adjunto Adverbial de Lugar

Obs.: "Ir para algum lugar" enfatiza a direção, a partida." Ir a algum lugar"
sugere também o retorno.

Importante: reserva-se o uso de "em" para indicação de tempo ou meio.
Veja:

        Cheguei a Roma em outubro.
                      Adjunto Adverbial de Tempo


        Chegamos no trem das dez.
                    Adjunto Adverbial de Meio

b) Comparecer

O adjunto adverbial de lugar pode ser introduzido por em ou a.

Por Exemplo:

        Comparecemos ao estádio (ou no estádio) para ver o último jogo

2.Verbos Transitivos Diretos


Os verbos transitivos diretos são complementados por objetos diretos. Isso
significa que não exigem preposição para o estabelecimento da relação de
regência. Ao empregar esses verbos, devemos lembrar que os pronomes
oblíquos o, a, os, as atuam como objetos diretos. Esses pronomes podem
assumir as formas lo, los, la, las (após formas verbais terminadas em -r, -s ou
-z) ou no, na, nos, nas (após formas verbais terminadas em sons nasais),
enquanto lhe e lhes são, quando complementos verbais, objetos indiretos.

São verbos transitivos diretos, dentre outros:
abandonar, abençoar, aborrecer, abraçar, acompanhar, acusar, admirar,
       adorar, alegrar, ameaçar, amolar, amparar, auxiliar, castigar, condenar,
       conhecer, conservar,convidar, defender, eleger, estimar, humilhar,
       namorar, ouvir, prejudicar, prezar, proteger, respeitar, socorrer, suportar,
       ver, visitar.

Na língua culta, esses verbos funcionam exatamente como o verbo amar:


       Amo aquele rapaz. / Amo-o.
       Amo aquela moça. / Amo-a.
       Amam aquele rapaz. / Amam-no.
       Ele deve amar aquela mulher. / Ele deve amá-la.

Obs.: os pronomes lhe, lhes só acompanham esses verbos para indicar posse
(caso em que atuam como adjuntos adnominais).

Exemplos:

       Quero beijar-lhe o rosto. (= beijar seu rosto)
       Prejudicaram-lhe a carreira. (= prejudicaram sua carreira)
       Conheço-lhe o mau humor! (= conheço seu mau humor)



3. Verbos Transitivos Indiretos

  Os verbos transitivos indiretos são complementados por objetos indiretos.
Isso significa que esses verbos exigem uma preposição para o estabelecimento
da relação de regência. Os pronomes pessoais do caso oblíquo de terceira
pessoa que podem atuar como objetos indiretos são o "lhe", o "lhes", para
substituir pessoas. Não se utilizam os pronomes o, os, a, as como
complementos de verbos transitivos indiretos. Com os objetos indiretos que
não representam pessoas, usam-se pronomes oblíquos tônicos de terceira
pessoa (ele, ela) em lugar dos pronomes átonos lhe, lhes. Os verbos
transitivos indiretos são os seguintes:
a) Consistir

Tem complemento introduzido pela preposição "em".

Por Exemplo:

         A modernidade verdadeira consiste em direitos iguais para todos.

b) Obedecer e Desobedecer:

Possuem seus complementos introduzidos pela preposição "a".

Por Exemplo:

         Devemos obedecer aos nossos princípios e ideais.
         Eles desobedeceram às leis do trânsito.

c) Responder

Tem complemento introduzido pela preposição "a". Esse verbo pede objeto
indireto para indicar "a quem" ou "ao que" se responde.

Por Exemplo:

         Respondi ao meu patrão.
         Respondemos às perguntas.
         Respondeu-lhe à altura.



4.Verbos Transitivos Diretos ou Indiretos


  Há verbos que admitem duas construções, uma transitiva direta, outra
indireta, sem que isso implique modificações de sentido. Dentre os principais,
temos:

a) Abdicar

         Abdicou as vantagens do cargo. / Abdicou das vantagens do cargo.

b) Acreditar

         Não acreditava a própria força. / Não acreditava na própria força.

c) Necessitar
Necessitamos algumas horas para preparar a apresentação. /
      Necessitamos de algumas horas para preparar a apresentação.

5. Verbos Transitivos Diretos e Indiretos


Os verbos transitivos diretos e indiretos são acompanhados de um objeto direto
e um indireto. Merecem destaque, nesse grupo:

Agradecer, Perdoar e Pagar


São verbos que apresentam objeto direto relacionado a coisas e objeto indireto
relacionado a pessoas. Veja os exemplos:

Agradeço aos ouvintes        a audiência.
           Objeto Indireto    Objeto Direto
Cristo ensina que é preciso perdoar   o pecado    ao pecador.
                                        Objeto Direto      Objeto Indireto
Paguei    o débito    ao cobrador.
         Objeto Direto    Objeto Indireto

O uso dos pronomes oblíquos átonos deve ser feito com particular cuidado.
Observe: Agradeci o presente. / Agradeci-o.
Agradeço a você. / Agradeço-lhe.
Perdoei a ofensa. / Perdoei-a.
Perdoei ao agressor. / Perdoei-lhe.

6.Mudança de Transitividade versus Mudança de Significado


  Há verbos que, de acordo com a mudança de transitividade, apresentam
mudança de significado. O conhecimento das diferentes regências desses
verbos é um recurso linguístico muito importante, pois além de permitir a
correta    interpretação      de    passagens       escritas,    oferece        possibilidades
expressivas a quem fala ou escreve. Dentre os principais,vou listar somente
alguns, portanto não deixe de pesquisar!

a) AGRADAR

1) Agradar é transitivo direto no sentido de fazer carinhos, acariciar.

Por Exemplo:

Sempre agrada o filho quando o revê. / Sempre o agrada quando o revê.
Cláudia não perde oportunidade de agradar o gato. / Cláudia não perde
oportunidade de agradá-lo.

2) Agradar é transitivo indireto no sentido de causar agrado a, satisfazer, ser
agradável a. Rege complemento introduzido pela preposição "a".

Por Exemplo:

O cantor não agradou aos presentes.
O cantor não lhes agradou.

b) ASPIRAR


1) Aspirar é transitivo direto no sentido de sorver, inspirar (o ar), inalar.


Por Exemplo:


Aspirava o suave aroma. (Aspirava-o)
2) Aspirar é transitivo indireto no sentido de desejar, ter como ambição.


Por Exemplo:


Aspirávamos a melhores condições de vida. (Aspirávamos a elas)


Obs.: como o objeto direto do verbo "aspirar" não é pessoa, mas coisa, não se usam
as formas pronominais átonas "lhe" e "lhes" e sim as formas tônicas "a ele (s)", " a
ela (s)". Veja o exemplo:


Aspiravam a uma existência melhor. (= Aspiravam a ela)


c) ASSISTIR


1) Assistir é transitivo direto no sentido de ajudar, prestar assistência a, auxiliar.


Por Exemplo:


As empresas de saúde negam-se a assistir os idosos.
As empresas de saúde negam-se a assisti-los.


2) Assistir é transitivo indireto no sentido de ver, presenciar, estar presente, caber,
pertencer.


Exemplos:


Assistimos ao documentário.
Não assisti às últimas sessões.
Essa lei assiste ao inquilino.


Obs.: no sentido de morar, residir, o verbo "assistir" é intransitivo, sendo
acompanhado de adjunto adverbial de lugar introduzido pela preposição "em".


Por Exemplo:


Assistimos numa conturbada cidade.
d) PROCEDER


1) Proceder é intransitivo no sentido de ser decisivo, ter cabimento, ter fundamento
ou portar-se, comportar-se, agir. Nessa segunda acepção, vem sempre acompanhado
de adjunto adverbial de modo.


Exemplos:


As afirmações da testemunha procediam, não havia como refutá-las.
Você procede muito mal.


2) Nos sentidos de ter origem, derivar-se (rege a preposição" de") e fazer, executar
(rege complemento introduzido pela preposição "a") é transitivo indireto.

Exemplos:


O avião procede de Maceió.
Procedeu-se aos exames.
O delegado procederá ao inquérito.


e) QUERER


1) Querer é transitivo direto no sentido de desejar, ter vontade de, cobiçar.


Querem melhor atendimento.
Queremos um país melhor.


2) Querer é transitivo indireto no sentido de ter afeição, estimar, amar.


Exemplos:


Quero muito aos meus amigos.
Ele quer bem à linda menina.
Despede-se o filho que muito lhe quer.
f) VISAR


1) Como transititvo direto, apresenta os sentidos de mirar, fazer pontaria e de pôr
visto, rubricar.


Por Exemplo:


O homem visou o alvo. O gerente não quis visar o cheque.


2) No sentido de ter em vista, ter como meta, ter como objetivo, é transitivo indireto
e rege a preposição "a".


Exemplos:


O ensino deve sempre visar ao progresso social.
Prometeram tomar medidas que visassem ao bem-estar público.




Bibliografia


    NETO, Pasquale Cipro. INFANTE, Ulisses. Gramática da língua portuguesa. São
       Paulo:Scipione, 2000.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Sintaxe Volume 1
Sintaxe Volume 1Sintaxe Volume 1
Sintaxe Volume 1
 
Resumo da disciplina de Português - 10 Ano
Resumo da disciplina de Português - 10 AnoResumo da disciplina de Português - 10 Ano
Resumo da disciplina de Português - 10 Ano
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Gramática - Verbos - Exercícios
Gramática - Verbos - ExercíciosGramática - Verbos - Exercícios
Gramática - Verbos - Exercícios
 
RegêNcia
RegêNciaRegêNcia
RegêNcia
 
Regência nominal e verbal
Regência nominal e verbalRegência nominal e verbal
Regência nominal e verbal
 
Português 11º gramática
Português 11º gramáticaPortuguês 11º gramática
Português 11º gramática
 
Gramática 11º ano
Gramática 11º anoGramática 11º ano
Gramática 11º ano
 
Verbos intransitivos
Verbos intransitivosVerbos intransitivos
Verbos intransitivos
 
Aula funções sintáticas
Aula funções sintáticasAula funções sintáticas
Aula funções sintáticas
 
Verbos
VerbosVerbos
Verbos
 
Regencia verbal
Regencia verbalRegencia verbal
Regencia verbal
 
Regência
RegênciaRegência
Regência
 
Verbo
VerboVerbo
Verbo
 
SINTAXE
SINTAXESINTAXE
SINTAXE
 
Análise sintática
Análise sintáticaAnálise sintática
Análise sintática
 
Os verbos
Os verbosOs verbos
Os verbos
 
A classe dos verbos 1 gt
A classe dos verbos 1 gtA classe dos verbos 1 gt
A classe dos verbos 1 gt
 
Verbos estrutura tempos
Verbos estrutura temposVerbos estrutura tempos
Verbos estrutura tempos
 
Classes gramaticais
Classes gramaticaisClasses gramaticais
Classes gramaticais
 

Semelhante a Apostila regencia verbal

Semelhante a Apostila regencia verbal (20)

Regência+..
Regência+..Regência+..
Regência+..
 
A regência verbal e nominal
A regência verbal e nominalA regência verbal e nominal
A regência verbal e nominal
 
Regêngia verbal e nominal
Regêngia verbal e nominalRegêngia verbal e nominal
Regêngia verbal e nominal
 
Regência
RegênciaRegência
Regência
 
Regência
RegênciaRegência
Regência
 
RegêNcia
RegêNciaRegêNcia
RegêNcia
 
PORTUGUÊS - REVISÃO
PORTUGUÊS - REVISÃOPORTUGUÊS - REVISÃO
PORTUGUÊS - REVISÃO
 
Regência verbal e nominal
Regência verbal e nominal Regência verbal e nominal
Regência verbal e nominal
 
Regência
RegênciaRegência
Regência
 
Regencia_Verbal_23.pptx
Regencia_Verbal_23.pptxRegencia_Verbal_23.pptx
Regencia_Verbal_23.pptx
 
Português-Pronome
Português-PronomePortuguês-Pronome
Português-Pronome
 
Regência nivelamento
Regência   nivelamentoRegência   nivelamento
Regência nivelamento
 
Concordância com verbos de particular interesse verbo ser
Concordância com verbos de particular interesse  verbo serConcordância com verbos de particular interesse  verbo ser
Concordância com verbos de particular interesse verbo ser
 
4074995 portugues-ppt-regencia
4074995 portugues-ppt-regencia4074995 portugues-ppt-regencia
4074995 portugues-ppt-regencia
 
Pronomes - Prof. Ana Glades
Pronomes - Prof. Ana GladesPronomes - Prof. Ana Glades
Pronomes - Prof. Ana Glades
 
Regência verbal
Regência verbalRegência verbal
Regência verbal
 
4_Aula_Verbo.pptx
4_Aula_Verbo.pptx4_Aula_Verbo.pptx
4_Aula_Verbo.pptx
 
Apostila de portugues pg87
Apostila de portugues pg87Apostila de portugues pg87
Apostila de portugues pg87
 
Regenência completo
Regenência  completoRegenência  completo
Regenência completo
 
Substantivos, adjetivos e numerais
Substantivos, adjetivos e numeraisSubstantivos, adjetivos e numerais
Substantivos, adjetivos e numerais
 

Mais de Rebeca Kaus

Repaso trimestral
Repaso trimestralRepaso trimestral
Repaso trimestralRebeca Kaus
 
2 anos viva em cristo
2 anos viva em cristo2 anos viva em cristo
2 anos viva em cristoRebeca Kaus
 
7serietrimestral
7serietrimestral7serietrimestral
7serietrimestralRebeca Kaus
 
6seriesemanalfechada
6seriesemanalfechada6seriesemanalfechada
6seriesemanalfechadaRebeca Kaus
 
Semanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 anoSemanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 anoRebeca Kaus
 
Repaso semanal 2 aberta 6 serie
Repaso semanal 2 aberta 6 serieRepaso semanal 2 aberta 6 serie
Repaso semanal 2 aberta 6 serieRebeca Kaus
 
Repaso semanal aberta 2 6 ano
Repaso semanal aberta 2 6 anoRepaso semanal aberta 2 6 ano
Repaso semanal aberta 2 6 anoRebeca Kaus
 
Semanal fechada 7 serie
Semanal fechada 7 serieSemanal fechada 7 serie
Semanal fechada 7 serieRebeca Kaus
 
Presente de indicativo y diptongación
Presente de indicativo y diptongaciónPresente de indicativo y diptongación
Presente de indicativo y diptongaciónRebeca Kaus
 
Semanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 anoSemanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 anoRebeca Kaus
 
Analise sintatica
Analise sintaticaAnalise sintatica
Analise sintaticaRebeca Kaus
 
Apostila regencia nominal
Apostila regencia nominalApostila regencia nominal
Apostila regencia nominalRebeca Kaus
 
Tipos de texto caracteristicas
Tipos de texto   caracteristicasTipos de texto   caracteristicas
Tipos de texto caracteristicasRebeca Kaus
 
Viva jovem, venha conhecer!
Viva jovem, venha conhecer!Viva jovem, venha conhecer!
Viva jovem, venha conhecer!Rebeca Kaus
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalRebeca Kaus
 
Reforma ortográfica
Reforma ortográficaReforma ortográfica
Reforma ortográficaRebeca Kaus
 

Mais de Rebeca Kaus (20)

Aula 1 6 serie
Aula 1 6 serieAula 1 6 serie
Aula 1 6 serie
 
Repaso trimestral
Repaso trimestralRepaso trimestral
Repaso trimestral
 
2 anos viva em cristo
2 anos viva em cristo2 anos viva em cristo
2 anos viva em cristo
 
7serietrimestral
7serietrimestral7serietrimestral
7serietrimestral
 
6serietematica
6serietematica6serietematica
6serietematica
 
6seriesemanalfechada
6seriesemanalfechada6seriesemanalfechada
6seriesemanalfechada
 
Semanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 anoSemanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 ano
 
Repaso semanal 2 aberta 6 serie
Repaso semanal 2 aberta 6 serieRepaso semanal 2 aberta 6 serie
Repaso semanal 2 aberta 6 serie
 
Repaso semanal aberta 2 6 ano
Repaso semanal aberta 2 6 anoRepaso semanal aberta 2 6 ano
Repaso semanal aberta 2 6 ano
 
Roteiro 6 serie
Roteiro 6 serieRoteiro 6 serie
Roteiro 6 serie
 
Roteiro 6 ano
Roteiro 6 anoRoteiro 6 ano
Roteiro 6 ano
 
Semanal fechada 7 serie
Semanal fechada 7 serieSemanal fechada 7 serie
Semanal fechada 7 serie
 
Presente de indicativo y diptongación
Presente de indicativo y diptongaciónPresente de indicativo y diptongación
Presente de indicativo y diptongación
 
Semanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 anoSemanal fechada 6 ano
Semanal fechada 6 ano
 
Analise sintatica
Analise sintaticaAnalise sintatica
Analise sintatica
 
Apostila regencia nominal
Apostila regencia nominalApostila regencia nominal
Apostila regencia nominal
 
Tipos de texto caracteristicas
Tipos de texto   caracteristicasTipos de texto   caracteristicas
Tipos de texto caracteristicas
 
Viva jovem, venha conhecer!
Viva jovem, venha conhecer!Viva jovem, venha conhecer!
Viva jovem, venha conhecer!
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
 
Reforma ortográfica
Reforma ortográficaReforma ortográfica
Reforma ortográfica
 

Último

SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxMartin M Flynn
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 

Último (20)

SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 

Apostila regencia verbal

  • 1. R GÊ E NCIA VE BAL R *T Transitividade verbal ransitividade verbal rebeca Prof.ª Rebeca Nogueira FEPESMIG Prof.ª Rebeca Nogueira Lourenço Kaus [Escolha a data] Lourenço Kaus Centro Universitário do Centro Universitário do Sul de Minas /Unis - MG Sul de Minas /Unis - MG
  • 2. Regência Definição: Definição: Dá-se o nome de regência à relação de subordinação Dá-s e de regência à relação de subordinação que ocorre entre um verbo ou um nome e seus que ocorre entre um verbo ou um nome e s eus complementos. Ocupa-se em estabelecer relações complementos. Ocupa-se em estabelecer relações entre as palavras,, criando frases não ambíguas, que entre as palavras criando frases não ambíguas, que expressem efetivamente o sentido desejado, que express em efetivamente o s entido desejado, que sejamcorretas e claras. sejamcorretas e claras. Regência verbal  A regência verbal estuda a relação que se estabelece entre os A regência verbal estuda a relação que se estabelece entre os verbos e os termos que os complementam (objetos diretos e verbos os termos que os complementam (objetos diretos e objetos indiretos) ou caracterizam (adjuntos adverbiais). objetosindiretos) ou caracterizam(adjuntosadverbiais).  O estudo da regência verbal permite-nos ampliar nossa O estudo da regência verbal permite-nos ampliar nossa capacidade expressiva, pois oferece oportunidade de capacidade expressiva, pois oferece oportunidade de conhecermos as diversas significações que um verbo pode conhecermos as diversas significações que um verbo pode assumir com a simples mudança ou retirada de uma preposição. assumir coma simplesmudança ou retirada de uma preposição.
  • 3. 1.Verbos Intransitivos Os verbos intransitivos não possuem complemento. É São verbos que importante, no entanto, destacar alguns detalhes relativos não precisam de aos adjuntos adverbiais que costumam acompanhá-los. complementação, Vamos então ver alguns exemplos! sozinho, indicam a ação ou o fato. a) Chegar, Ir Normalmente vêm acompanhados de adjuntos adverbiais de lugar. Na língua culta, as preposições usadas para indicar destino ou direção são: a, para. Exemplos: Fui ao teatro. Adjunto Adverbial de Lugar
  • 4. Ricardo foi para a Espanha. Adjunto Adverbial de Lugar Obs.: "Ir para algum lugar" enfatiza a direção, a partida." Ir a algum lugar" sugere também o retorno. Importante: reserva-se o uso de "em" para indicação de tempo ou meio. Veja: Cheguei a Roma em outubro. Adjunto Adverbial de Tempo Chegamos no trem das dez. Adjunto Adverbial de Meio b) Comparecer O adjunto adverbial de lugar pode ser introduzido por em ou a. Por Exemplo: Comparecemos ao estádio (ou no estádio) para ver o último jogo 2.Verbos Transitivos Diretos Os verbos transitivos diretos são complementados por objetos diretos. Isso significa que não exigem preposição para o estabelecimento da relação de regência. Ao empregar esses verbos, devemos lembrar que os pronomes oblíquos o, a, os, as atuam como objetos diretos. Esses pronomes podem assumir as formas lo, los, la, las (após formas verbais terminadas em -r, -s ou -z) ou no, na, nos, nas (após formas verbais terminadas em sons nasais), enquanto lhe e lhes são, quando complementos verbais, objetos indiretos. São verbos transitivos diretos, dentre outros:
  • 5. abandonar, abençoar, aborrecer, abraçar, acompanhar, acusar, admirar, adorar, alegrar, ameaçar, amolar, amparar, auxiliar, castigar, condenar, conhecer, conservar,convidar, defender, eleger, estimar, humilhar, namorar, ouvir, prejudicar, prezar, proteger, respeitar, socorrer, suportar, ver, visitar. Na língua culta, esses verbos funcionam exatamente como o verbo amar: Amo aquele rapaz. / Amo-o. Amo aquela moça. / Amo-a. Amam aquele rapaz. / Amam-no. Ele deve amar aquela mulher. / Ele deve amá-la. Obs.: os pronomes lhe, lhes só acompanham esses verbos para indicar posse (caso em que atuam como adjuntos adnominais). Exemplos: Quero beijar-lhe o rosto. (= beijar seu rosto) Prejudicaram-lhe a carreira. (= prejudicaram sua carreira) Conheço-lhe o mau humor! (= conheço seu mau humor) 3. Verbos Transitivos Indiretos Os verbos transitivos indiretos são complementados por objetos indiretos. Isso significa que esses verbos exigem uma preposição para o estabelecimento da relação de regência. Os pronomes pessoais do caso oblíquo de terceira pessoa que podem atuar como objetos indiretos são o "lhe", o "lhes", para substituir pessoas. Não se utilizam os pronomes o, os, a, as como complementos de verbos transitivos indiretos. Com os objetos indiretos que não representam pessoas, usam-se pronomes oblíquos tônicos de terceira pessoa (ele, ela) em lugar dos pronomes átonos lhe, lhes. Os verbos transitivos indiretos são os seguintes:
  • 6. a) Consistir Tem complemento introduzido pela preposição "em". Por Exemplo: A modernidade verdadeira consiste em direitos iguais para todos. b) Obedecer e Desobedecer: Possuem seus complementos introduzidos pela preposição "a". Por Exemplo: Devemos obedecer aos nossos princípios e ideais. Eles desobedeceram às leis do trânsito. c) Responder Tem complemento introduzido pela preposição "a". Esse verbo pede objeto indireto para indicar "a quem" ou "ao que" se responde. Por Exemplo: Respondi ao meu patrão. Respondemos às perguntas. Respondeu-lhe à altura. 4.Verbos Transitivos Diretos ou Indiretos Há verbos que admitem duas construções, uma transitiva direta, outra indireta, sem que isso implique modificações de sentido. Dentre os principais, temos: a) Abdicar Abdicou as vantagens do cargo. / Abdicou das vantagens do cargo. b) Acreditar Não acreditava a própria força. / Não acreditava na própria força. c) Necessitar
  • 7. Necessitamos algumas horas para preparar a apresentação. / Necessitamos de algumas horas para preparar a apresentação. 5. Verbos Transitivos Diretos e Indiretos Os verbos transitivos diretos e indiretos são acompanhados de um objeto direto e um indireto. Merecem destaque, nesse grupo: Agradecer, Perdoar e Pagar São verbos que apresentam objeto direto relacionado a coisas e objeto indireto relacionado a pessoas. Veja os exemplos: Agradeço aos ouvintes a audiência. Objeto Indireto Objeto Direto Cristo ensina que é preciso perdoar o pecado ao pecador. Objeto Direto Objeto Indireto Paguei o débito ao cobrador. Objeto Direto Objeto Indireto O uso dos pronomes oblíquos átonos deve ser feito com particular cuidado. Observe: Agradeci o presente. / Agradeci-o. Agradeço a você. / Agradeço-lhe.
  • 8. Perdoei a ofensa. / Perdoei-a. Perdoei ao agressor. / Perdoei-lhe. 6.Mudança de Transitividade versus Mudança de Significado Há verbos que, de acordo com a mudança de transitividade, apresentam mudança de significado. O conhecimento das diferentes regências desses verbos é um recurso linguístico muito importante, pois além de permitir a correta interpretação de passagens escritas, oferece possibilidades expressivas a quem fala ou escreve. Dentre os principais,vou listar somente alguns, portanto não deixe de pesquisar! a) AGRADAR 1) Agradar é transitivo direto no sentido de fazer carinhos, acariciar. Por Exemplo: Sempre agrada o filho quando o revê. / Sempre o agrada quando o revê. Cláudia não perde oportunidade de agradar o gato. / Cláudia não perde oportunidade de agradá-lo. 2) Agradar é transitivo indireto no sentido de causar agrado a, satisfazer, ser agradável a. Rege complemento introduzido pela preposição "a". Por Exemplo: O cantor não agradou aos presentes. O cantor não lhes agradou. b) ASPIRAR 1) Aspirar é transitivo direto no sentido de sorver, inspirar (o ar), inalar. Por Exemplo: Aspirava o suave aroma. (Aspirava-o)
  • 9. 2) Aspirar é transitivo indireto no sentido de desejar, ter como ambição. Por Exemplo: Aspirávamos a melhores condições de vida. (Aspirávamos a elas) Obs.: como o objeto direto do verbo "aspirar" não é pessoa, mas coisa, não se usam as formas pronominais átonas "lhe" e "lhes" e sim as formas tônicas "a ele (s)", " a ela (s)". Veja o exemplo: Aspiravam a uma existência melhor. (= Aspiravam a ela) c) ASSISTIR 1) Assistir é transitivo direto no sentido de ajudar, prestar assistência a, auxiliar. Por Exemplo: As empresas de saúde negam-se a assistir os idosos. As empresas de saúde negam-se a assisti-los. 2) Assistir é transitivo indireto no sentido de ver, presenciar, estar presente, caber, pertencer. Exemplos: Assistimos ao documentário. Não assisti às últimas sessões. Essa lei assiste ao inquilino. Obs.: no sentido de morar, residir, o verbo "assistir" é intransitivo, sendo acompanhado de adjunto adverbial de lugar introduzido pela preposição "em". Por Exemplo: Assistimos numa conturbada cidade.
  • 10. d) PROCEDER 1) Proceder é intransitivo no sentido de ser decisivo, ter cabimento, ter fundamento ou portar-se, comportar-se, agir. Nessa segunda acepção, vem sempre acompanhado de adjunto adverbial de modo. Exemplos: As afirmações da testemunha procediam, não havia como refutá-las. Você procede muito mal. 2) Nos sentidos de ter origem, derivar-se (rege a preposição" de") e fazer, executar (rege complemento introduzido pela preposição "a") é transitivo indireto. Exemplos: O avião procede de Maceió. Procedeu-se aos exames. O delegado procederá ao inquérito. e) QUERER 1) Querer é transitivo direto no sentido de desejar, ter vontade de, cobiçar. Querem melhor atendimento. Queremos um país melhor. 2) Querer é transitivo indireto no sentido de ter afeição, estimar, amar. Exemplos: Quero muito aos meus amigos. Ele quer bem à linda menina. Despede-se o filho que muito lhe quer.
  • 11. f) VISAR 1) Como transititvo direto, apresenta os sentidos de mirar, fazer pontaria e de pôr visto, rubricar. Por Exemplo: O homem visou o alvo. O gerente não quis visar o cheque. 2) No sentido de ter em vista, ter como meta, ter como objetivo, é transitivo indireto e rege a preposição "a". Exemplos: O ensino deve sempre visar ao progresso social. Prometeram tomar medidas que visassem ao bem-estar público. Bibliografia  NETO, Pasquale Cipro. INFANTE, Ulisses. Gramática da língua portuguesa. São Paulo:Scipione, 2000.