Projetos ensino religioso semeduc

1.431 visualizações

Publicada em

Projeto para Ensino Religioso

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.431
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projetos ensino religioso semeduc

  1. 1. PROJETOS REFERENTES AO ENSINO RELIGIOSO - SEMEDUC/ITALAVA PÚBLICO ALVO: ENSINO FUNDAMENTAL E EJA. CONTEÚDOS: INTEGRAÇÃO CONTEXTUALIZADA DA REALIDADE DO ESTUDANTE AOS VALORES FUNDAMENTAIS DOS SERES HUMANOS: AMOR, FÉ, RESPEITO E CUIDADOS COM A VIDA , O MEIO AMBIENTE E O MEIO SOCIAL. PRODUTO FINAL: PALESTRAS – MANUAL DE CONDUTA - SEMINÁRIOS – PESQUISA DE CAMPO – GINCANAS - ENTREVISTAS – PRODUÇÃO TEXTUAL –TEATRO – MÚSICA – POESIA – VISITAS – OFICINAS PEDAGÓGICAS – EXPOSIÇÕES DE TEXTOS BÍBLICOS – CAMPANHAS – CARTAZES - JOGOS – RODA DE LEITURA – CONTOS – PRODUÇÃO COLETIVA – FEIRA DE CIENCIAS – FEIRA PEDAGÓGICA - ÁLBUM SERIADO – JORNAL – FOTO NOVELA – MAQUETES – ACRÓSTICOS... CULMINÂNCIAS: À CRITÉRIO DA ESCOLA. A SEMEDU/ITALVA apresenta sugestões para uma melhor organização do trabalho educativo por meio do ensino religioso. A proposta de trabalho com três Projetos de ensino Religioso tem o objetivo de apoiar e incentivar as práticas e ensino de valores nas escolas de nosso Município. Procuraremos acompanhar mais de perto a produção e execução destes projetos e estaremos à disposição para apoio e orientações. Através da metodologia de projetos, os estudantes estarão envolvidos com aprendizagem significativa de uma forma direta e serão incentivados a:  Participar de atividades com objetivos concretos, ampliar campos de interesses.  Concretizar tarefas produtivas, desenvolver a compreensão por meio da experiência e o pensamento reflexivo.  Desenvolver a iniciativa e a responsabilidade, estimular a perseverança na realização das tarefas, valorizarem o trabalho cooperativo.
  2. 2. Os projetos devem ser complementados e adaptados por cada Unidade Escolar. Sugerimos alguns projetos para turmas diferenciadas da escola, estes projetos terão o produto final e as culminâncias escolhidas pela unidade escolar e apresentadas a coordenadoria de Educação da SEMEDUC/ITALVA. Alterações em todos os projetos sugeridos são necessárias para representar a realidade específica de cada unidade escolar e utilizar todo o material fornecido pela Sociedade Bíblica do Brasil, que são revistas com estudos rápidos e dinâmicos para os estudantes. No entanto foi dado o primeiro passo para auxiliar os professores no trabalho com ensino religioso, avançaremos utilizando diferentes estratégias de ensino contextualizado. Neste sentido para resolver qualquer dúvida ou esclarecimento sobre o assunto: Projetos Ensino Religioso, estaremos à disposição por email: elisabetegda@yahoo.com.br e as manhãs de segunda-feira a quarta-feira na SEMEDUC/ITALVA. PROJETOS PARA ENSINO RELIGIOSO I. PROJETO – “Os valores da vida”. II. PROJETO – “Vivendo e aprendendo” III. PROJETO – “Respeito todo mundo gosta”. “Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a vocês.” (Romanos 12:10) “Não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, no trabalho, na ação-reflexão.” Paulo Freire
  3. 3. I. PROJETO – “Os valores da vida”. TEMA: Escrever e ler os causos da vida. OBJETIVOS: Valorizar os saberes dos mais velhos e de todas as pessoas. Ler e atribuir sentido as leituras. Distinguir nos causos e em outras narrativas que conhecem os valores presentes. Distinguir linguagem oral de linguagem escrita, mostrando a importância de saber falar o que se sente e como enxerga a própria vida. Contar e ouvir causos e registrar por escrito ou em áudio. Planejar e executar tarefas em grupo, respeitando e valorizando o outro. Estimular a leitura e o ouvir estórias, utilizando várias ferramentas de pesquisa. DESENVOLVIMENTO: O projeto tem inicio a partir do conto de causos, ouvindo o que os estudantes e ou convidados tem para contar, sobre sua experiência de vida ou de outras pessoas que conhecem. O momento para contar os causo poderá ser em sala de aula ou em outro local que o professor julgue significativo para a turma. O causo é um tipo de texto que pode ajudar os estudantes a reconhecer as diferenças entre linguagem oral e linguagem escrita, dando oportunidades de apreciar as narrativas contadas e lidas. Trata-se de narrativas populares, que pertencem à tradição oral, narradas em 1ª pessoa e que contam algo que o narrador tem como verdade. E notória a dificuldade que os estudantes têm com relação à língua escrita: alguns não escrevem convencionalmente e outros apresentam muitos problemas de ortografia e entendimento de texto. Mas o mais grave de todos os problemas é o fato de que vários estudantes não gostam de ler. Um bom trabalho de linguagem seria importante para despertar o hábito da leitura nos estudantes. O professor deverá estimular a produção de textos, escritos ou orais, dos alunos e de conhecidos dos mesmos, contando os causos e trabalhando o conteúdo. Lendo e pesquisando causos, ouvindo outros trazidos pelos funcionários e seus familiares, e comparando com outros contos de tradição oral, de temática semelhante aos causos, os estudantes terão condições de montar um pequeno livresco sobre causos do passado e do presente, resgatando parte da cultura como elemento integrador da comunidade, que tem sido esquecida pela humanidade e que é um elemento constituinte
  4. 4. da identidade nacional. Será possível também identificar e trabalhar os valores presentes na vida de pessoas diferentes e estimular o respeito pelo próximo independente de quem seja. Etapas do projeto: - Observar as características principais dos textos, o que para o estudante é fácil, pois se conhecem histórias desse tipo, contadas pelos pais, avós, amigos, trazidas de outras regiões. - Ler e estudar causos durante todo o projeto para ampliar o repertório do grupo é a proposta que pode auxiliar na introdução dos conteúdos básicos para cada disciplina na analise e produção dos causos. - Promover o uso do dicionário para que ampliem o vocabulário e compreendam melhor o significado do texto. - Utilizarem o material da Sociedade Bíblica do Brasil, assim como a Bíblia para apresentação de frases e textos importantes para o conhecimento das atividades diferenciadas. SUGESTÃO DE ATIVIDADES Montar um “livresco” com contos populares e causos para doá-lo. Dividir a classe em quatro grupos; dois grupos apresentarão com o propósito de contar oralmente o que leram. Os outros dois farão uma leitura do texto impresso em voz alta. Discutir e compreender as diferenças entre ler e contar. Dividir a classe em quatro grupos para as seguintes tarefas: - Pesquisa de causos com funcionários da escola e com as famílias. Saber como esses causos surgiram. Confecção de mural com cartazes e informações sobre o projeto e textos da Bíblia e das revistas estudadas. Seleção de estórias que serão dramatizadas e planejamento da divisão de papéis e efeitos. sonoros. Promover uma tarde de causos para que todos os parceiros que participam, de perto ou à distância, possam trocar causos. Estruturar os textos com ilustração com intuito de montar uma exposição. Observação: As etapas comuns entre os projetos se encontram no anexo I.
  5. 5. II. - PROJETO – “Vivendo e aprendendo” TEMA: Cantando a vida com sentido. OBJETIVOS:  Usar a música associada aos temas transversais, como estratégia para reflexão sobre a realidade;  Despertar e desenvolver nos estudantes sensibilidades mais aguçadas na observação de questões da sua própria realidade presentes em diferentes tipos de músicas.  Possibilitar aos participantes do projeto o acesso a diversos estilos musicais, para que a partir daí, construam seus gostos não mais absorvendo apenas o que a indústria cultural lhes impõe como padrão, mas a simples beleza das músicas como uma “terapia” para diminuir as preocupações excessivas com os problemas da vida. DESENVOLVIMENTO: A arte possui um alto valor de exposição da realidade, julga-se que a música seja um ótimo instrumento pedagógico e um excelente recurso para reflexão crítica e percepção dos fenômenos sociais. Sendo, além disso, um tipo de manifestação artística que desperta a sensibilidade, a imaginação, facilitando no aprendizado, na transmissão de ideais e nas interpretações sobre realidade. O projeto valoriza a escuta ativa de músicas na escola, seguida de momentos para a reflexão a respeito dos temas que a música expõe e sobre os sentimentos por ela despertados nos estudantes.
  6. 6. Leitura de textos acompanhada de debates, perguntas, questionamentos, inferências às concepções de verdade e falsidade relacionadas à realidade contemporânea, reconhecimento do processo de desenvolvimento racional e cognitivo na história da humanidade e dos saberes por ele desenvolvido. Os trabalhos realizados com música produzem de forma geral melhoria do nível de aprendizado dos educandos em outras disciplinas, devido ao desenvolvimento cognitivo e sensitivo mediatizado pelas atividades com a música e o despertamento de um senso crítico mais aguçado. A música é um instrumento importante no processo de aprendizado dos estudantes, melhorando o desempenho escolar e possibilitando uma reflexão crítica a respeito da realidade. Observação: As etapas comuns entre os projetos se encontram no anexo I. III. PROJETO – “Respeito todo mundo gosta”. TEMA: Praticar o respeito mutuo em todo o tempo. OBJETIVOS: • A partir das ponderações da Bíblia e de Paulo Freire, os componentes da escola refletirão sobre sua condição de autores de suas histórias, fundadas na autonomia, fé, amor e esperança. • Utilizar dos pressupostos bíblicos e de Paulo Freire para superar os mecanismos de opressão, de exclusão, de preconceito, dentre outros, que impedem a vocação de amor e respeito dos seres humanos. • Trabalhar a atenção e observação para trazer estimulo para ao estudante a prática do respeito por si mesmo e pelo próximo. • Através de trechos de livros e figuras, pedir para os estudantes montar um pequeno texto ilustrado, abordando temas sobre a rotina da minha família o que minha família faz no dia a dia e etc.
  7. 7. • Valorizar a cidade e o local onde o estudante reside, reconhecer a história do seu lugar e contribuições para a vida dos moradores, no que diz respeito à convivência harmônica na cidade. DESENVOLVIMENTO: A escola durante o ano letivo realiza atividades como resposta aos anseios da comunidade em que vive, com seus conflitos internos e individuais que refletem na família e na sociedade. Para auxiliar a escola no entendimento dos conflitos da vida e da sociedade, o projeto utilizará de argumentos da Bíblia e da antropologia do educador Paulo Freire como: - amor a si mesmo e ao próximo, - visitar as pessoas, - Inacabamento, - Inconclusão do humano; - Historicidade: se constrói na história, que é aberta; - Dialogicidade. Valorizando as práticas de Paulo Freire e da Bíblia, o projeto proposto traz a possibilidade de organizar as atividades e aspectos de identidade da unidade escolar em um Portfólio dinâmico e autentico, para que as ações da escola não fiquem no esquecimento . SUGESTÃO DE ATIVIDADES Fazer uma roda de conversa para saber quais as impressões que o grupo tem sobre a temática "Amor a si mesmo e ao próximo". Pedir para trazerem recortes de jornais e revistas que remetam ao tema para serem trabalhados em sala de aula. Abordar, pelo menos, três vertentes da diversidade (música, culinária, dança etc.). A turma pode se dividir em grupos para confeccionar gibis, jornais e propagandas que tratem da questão de valores bíblicos. Pedir que os estudantes reflitam, através de situações cotidianas, a relação destas com os direitos humanos, os valores bíblicos e a diversidade cultural. Palestras ministradas pelos próprios estudantes nas outras turmas. Realizar gincanas para arrecadar material para pessoas carentes. Exposição da confecção dos gibis, jornais e propagandas na escola. Realizar campanhas de conscientização para uma melhor convivência. Observação: As etapas comuns entre os projetos se encontram no ANEXO I.
  8. 8. ANEXO I ETAPAS COMUNS ENTRE OS PROJETOS: AVALIAÇÃO: A avaliação deve ser CONTINUADA E PROGRESSIVA. Acompanhamento das produções: escritas, reescritas, linguagem oral, apresentações e diálogos cotidianos. Todas as atividades desde os registros até a apresentação deverão ser avaliadas. CULMINÂNCIAS: EVENTOS DA ESCOLA. PRODUTO FINAL: PORTFOLIO DA ESCOLA, PALESTRAS – MANUAL DE CONDUTA - SEMINÁRIOS – PESQUISA DE CAMPO – GINCANAS - ENTREVISTAS – PRODUÇÃO TEXTUAL – TEATRO – MÚSICA – POESIA – VISITAS – OFICINAS PEDAGÓGICAS – EXPOSIÇÕES DE TEXTOS BÍBLICOS – CAMPANHAS – CARTAZES - JOGOS – RODA DE LEITURA – CONTOS – PRODUÇÃO COLETIVA – FEIRA DE CIENCIAS – FEIRA PEDAGÓGICA - ÁLBUM SERIADO – JORNAL – FOTO NOVELA – MAQUETES – ACRÓSTICOS... BIBLIOGRAFIA: - Coleção: Estudando com a Bíblia, Sociedade Bíblica do Brasil. CORTELLA, M.S.; LA TAILLE, Y. de. Nos Labirintos da Moral. Campinas, S.P.: Papirus, 2005. PARRAT-DAYAN, Silvia. Como enfrentar a indisciplina na escola. São Paulo: Contexto, 2008. PUIG, Josep Maria. A construção da personalidade moral. São Paulo: Ática, 1998. TREVISOL, Maria Teresa Ceron. Tecendo os sentidos atribuídos por professores do ensino fundamental ao médio profissionalizante sobre a construção de valores na escola. In.: LA TAILLE, Yves de; MENIN, Maria Suzana De Stefano et al (Org.). Crise de valores ou valores em crise? Porto Alegre: Artmed, 2009. ZABALZA, Miguel. Como educar em valores na escola. Revista Pátio Pedagógica. Ano 4, nº 13, mai/jul. 2000. - Alexandre e outros heróis, Graciliano Ramos, Record. - Contos tradicionais do Brasil, Câmara Cascudo, Ediouro.

×