SlideShare uma empresa Scribd logo
SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO
_________________________
E.E.” ______________________________________________”
AVALIAÇÃO BIMESTRAL DE ENSINO RELIGIOSO
Os princípios éticos e morais estão presentes nas relações de amizade e de afeto entre as pessoas que buscam por
uma convivência harmoniosa com os outros seres humanos. Mas o que é ética e o que é moral? Vejamos:
- O termo ___________(caráter, modo de ser de uma pessoa) deriva do grego ethos, traduzido em latim por mos ou
mores (no plural). _____________ é uma reflexão crítica sobre a moral, e a moral um conjunto de valores e
costumes de determinado grupo, cultura e povo. A _________também se refere a princípios que norteiam a
conduta, as escolhas, as atitudes e ações das pessoas e coletividades. A __________ serve para que haja um
equilíbrio e bom funcionamento social e cultural. A ____ pode ser definida como a ciência do comportamento moral,
uma vez que estuda e determina a forma que as pessoas devem agir. Por isso, ela pode e deve ser crítica da moral.
Ser _________ é respeitar as pessoas em relação a sua vida, seu patrimônio e bem-estar, é ter em mente os
princípios e os valores como justiça, respeito, honestidade, solidariedade, dentre outros. O mais importante é ser
uma pessoa de caráter.
1. Qual é o tema do texto acima?
a. Moral
b. Ética
c. Amizade
d. Conduta
A ___________, como conjunto de valores, de normas e de noções, determina o que é certo ou errado, proibido e
permitido, dentro de uma determinada sociedade, de uma cultura. As práticas positivas de um código moral são
importantes para que se possa viver em sociedade. Elas tornam mais coesos os laços que garantem a solidariedade
social. Por isso, as normas morais se tornam leis.
A _______diz respeito à consciência coletiva e aos valores que são construídos por convenções. Esses valores são
formulados por uma consciência social, o que equivale a dizer que são regras sancionadas pela sociedade, pelo
grupo. O conjunto de regras, de normas e valores que orientam a conduta humana, surgiu da necessidade de
proteger a vida e organizar a convivência social. À medida que essas regras iam sendo vivenciadas, eram
adaptadas de acordo com as necessidades de cada época. Assim, a construção de identidades era fortalecida nas
relações pessoais.
2. Qual é o tema do texto acima?
a. Moral
b. Ética
c. Amizade
d. Conduta
3. Sobre a charge ao lado, marque
a alternativa correta.
a. A primeira pessoa não é
antiética porque jogar papel
no chão não é falta grave.
b. Apenas a última pessoa é
antiética.
c. Todas as situações
apresentam falta de ética.
d. Furar fila não representa
falta de ética.
ALUNO (A)
DATA:
NÚMERO:
PROFESSOR (A): Série: 9
NOTA:
TURMA:
4. Marque a alternativa que legenda as imagens acima.
a. Coexistência pacífica
b. Amizade
c. Companheirismo
d. Intolerância
Mito iorubá - Ideia da morte como condição necessária para que exista a vida - Tradição africana.
Diz Ifá que Olodumare, o Ser Supremo, deu a Obatalá a tarefa da criação dos homens e mulheres, para que eles
povoassem o Ayê. Obatalá moldou os seres a partir do barro. Os humanos, depois de moldados, recebiam o emi –
sopro da vida – e vinham para a terra. Aqui viviam, amavam, plantavam, colhiam, se divertiam e cultuavam as
divindades. Aconteceu, porém, que o barro foi acabando e em breve não haveria a matéria para que novos seres
humanos fossem feitos. Então, Olodumare convocou os orixás para que eles apresentassem uma alternativa para
o caso. Como ninguém apresentou uma solução, e diante do risco da interrupção do processo de criação,
Olodumare determinou que se estabelecesse um ciclo. Depois de certo tempo vivendo no Ayê, as mulheres e
homens deveriam ser desfeitos, retornando à matéria original, para que novos seres pudessem.
Resolvido o dilema, restava saber de quem seria a função de tirar dos seres o sopro de vida. Foi então que Iku
ofereceu-se para cumprir o desígnio do Deus maior. Desde então Iku vem todos os dias ao Ayê para escolher
quem deve ser reconduzido ao Orum. Seus corpos devem ser desfeitos e o sopro vital retirado, para que, com
aquela matéria, outras pessoas possam ser feitas – condição imposta para a renovação da existência.
FONTE: Adaptado de LOPES, Nei; SIMAS, Luiz Antônio. Filosofias Africanas: uma introdução. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2020. p. 73-74).
5. Sobre o texto, marque as alternativas verdadeiras:
a. ( ) Fala da criação humana de acordo com a crença iorubá.
b. ( ) Como nas religiões cristãs, a crença iorubá firma que o homem foi feito do barro.
c. ( ) Para a crença citada, é preciso que alguns morram para que outros nasçam.
d. ( ) Para os iorubas, seus corpos devem ser desfeitos e o sopro vital retirado, para que, com
aquela mesma matéria, outras pessoas possam ser feitas.
O sociólogo Reginaldo Prandi, no livro Segredo Guardados:
Orixás na alma brasileira, descreve:
Para o povo ioruba, ao morrer, todos os homens, mulheres e
crianças vão para um mesmo lugar, não existindo a ‘ideia’ de
punição ou prêmio após a morte e, por conseguinte, inexistindo
as noções de céu, inferno e purgatório nos moldes da tradição
ocidental-cristã. Não há julgamento após a morte e os espíritos
retornam à vidano Aiê tão logo possam, pois o ideal é o mundo
dos vivos, o bom é viver.
- Ioruba significa aquele que oferece oferenda aos orixás.
(PRANDI, Reginaldo. Segredos guardados: Orixás na alma
brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2005. p. 54).
6. A partir deste texto e do mito da criação humana, segundo o povo ioruba, marque as alternativas
que mostram as crenças do povo ioruba sobre o que acontece depois da morte.
a. ( ) O povo iorubá acredita que quando alguém morre, vai para o céu, o inferno ou para o
purgatório.
b. ( ) O povo iorubá acredita que não há julgamento após a morte, pois os espíritos retornam à
vida.
c. ( ) O povo iorubá acredita que há apenas o mundo dos vivos, para eles, não há morte.
d. ( ) Para os iorubás não existe as noções de céu, inferno e purgatório nos moldes da tradição
ocidental-cristã, porque os mortos retornam à vida.
KUARUP – o ritual fúnebre que expressa a riqueza cultural do Xingu
“Está se encerrando um ciclo de luto. As famílias já estão, finalmente, encerrando esse luto. Esse tronco aqui
representa minha prima que faleceu, esse aqui é do tio do meu pai. e esse aqui é do pajé [Sapain]”.
Dessa forma, Pablo Kamaiurá explica a tradição do Kuarup. O ritual fúnebre foi realizado no último fim de
semana (28 e 29), na aldeia Ipawu Kamaiurá, localizada no Xingu (MT). Participaram mais de 900 indígenas,
além de outros convidados. O Kuarup ocorre sempre um ano após a morte dos parentes indígenas. Os
troncos de madeira representam cada homenageado. Eles são colocados no centro do pátio da aldeia,
ornamentados, como ponto principal de todo o ritual. Em torno deles, a família faz uma homenagem aos
mortos. Passam a noite toda acordados, chorando e rezando pelos seus familiares que se foram. E é assim,
com rezas e muito choro, que se despedem pela última vez. De acordo com a tradição, os convidados que
veem de outras comunidades e acampam nas proximidades da aldeia Kamayurá recebem, das famílias que
estão de luto, presentes como peixe e beiju. Disponível em: <http://www.funai.gov.br/arquivos/conteudo/ /2018/07-jul/KUARUP. Acesso em 07 abr. 2021.
7. Qual o tema central do texto acima?
a. Kuarup, que significa ritual fúnebre de um dos povos do Xingu.
b. A diversidade étnica do povo do Xingu
c. A diversidade cultural do povo Kamaiurá
d. O ritual de homenagem às famílias dos mortos do povo da aldeia Kamayurá.
Após a chegada dos portugueses no Brasil ocorreu o processo de colonização, ou seja, os povos originários passaram por um
processo de dominação. Para a estudiosa Catherine Walsh, essa dominação aconteceu através de quatro eixos: a
colonialidade do Poder, do Saber, do Ser e da Natureza.
- A colonialidade do poder incide nas relações culturais e sociais e passa a hierarquizar e criar grupos raciais e sociais,
reforçando o ideal eurocêntrico, da Europa, por exemplo, supremacia do branco.
- A colonialidade do Saber consiste na recusa de todo conhecimento que divirja do europeu.
- A colonialidade do Ser que produz parâmetros que inferioriza, subalterna e principalmente desumaniza a cultura diferente da
europeia.
- A colonialidade da natureza atua na quebra da percepção sagrada de povos originários e exalta a exploração da natureza
como fonte de geração de riqueza e não de culto.
8. Sobre o texto acima, marque a alternativa incorreta:
a. ( ) Os portugueses dominaram o Brasil e impuseram o ideal eurocêntrico de que o branco é superior.
b. ( ) Os portugueses dominaram o Brasil e atuou na quebra da percepção sagrada dos povos originários exaltando
a exploração da natureza como fonte de geração de riqueza e não de culto.
c. ( ) Os portugueses dominaram o Brasil e assimilaram todo conhecimento e cultura dos povos nativos,
enriquecendo o conhecimento europeu.
d. ( ) Os portugueses dominaram o Brasil e produziu parâmetros que inferiorizava e desumanizava a cultura dos
nativos.
9. Acerca das principais características da religiosidade indígena, analise as assertivas e assinale a alternativa que
aponta a INCORRETA.
a. ( ) Cada nação indígena possui a sua própria religião, com seus ritos, cantos, danças, acessórios, símbolos,
indumentárias, pinturas corporais, mitos e jeitos de celebrar os importantes momentos da vida.
b. ( ) Nas comunidades indígenas, a religião é parte integrante do cotidiano. A vida gira em torno do sagrado.
c. ( ) A estrutura das religiões indígenas não permite o equilíbrio do homem com o meio e a harmonia com a
“Mãe Terra”.
d. ( ) As comunidades indígenas acreditam nas forças da natureza e nos espíritos dos antepassados.
Enterro com dança em Gana que virou meme mostra que a morte é encarada de outra forma na cultura africana
O ritual consiste em homens vestidos de
terno e óculos carregando caixões e
dançando em funerais de Gana e
mostra que a morte é encarada de outra
forma no país africano.
Mas não apenas por lá. Em outras culturas africanas os enterros são vistos como
momentos de celebrar a vida da pessoa, e não somente de dor, como ocorre no
Brasil. Nas religiões de matriz africana, a morte é vista como passagem, um rito de
retorno, e não como fim. Foi assim com o líder sul-africano Nelson Mandela. Quando
ele morreu milhares de pessoas foram para suas casas dançar em sua homenagem.
No caso de Gana, segundo documentário feito pela rede britânica BBC, "os
carregadores de caixões (pallbearers) elevam o ânimo nos funerais. As famílias
pagam pelos seus serviços para que se possam despedir dos seus entes queridos
desta forma". Os agentes funerais perguntam aos clientes se eles querem que o
enterro tenha um "espetáculo". "Decidi dar a minha mãe uma viagem dançante para
o criador", diz o cliente do vídeo original, que viralizou em 2015, ao som da música
eletrônica Astronomia 2K19, de Stephan F.
10. Sobre o texto acima, pode-se concluir que:
a. ( ) Os memes não fazem parte apenas da cultura brasileira, a cultura africana também se utiliza deste tipo
de linguagem.
b. ( ) Na cultura africana os enterros são vistos como momentos de celebrar a vida da pessoa, e não somente
de dor.
c. ( ) O ritual fúnebre que consiste em homens vestidos de terno e óculos carregando caixões e dançando em
funerais de Gana acontece em quase todas as outras culturas da África e Ásia.
d. ( ) Nas religiões de matriz africana, a morte é vista como passagem, por isso, todas as famílias pagam pelos
serviços dos carregadores de caixões (pallbearers) que elevam o ânimo nos funerais para que se possam
despedir dos seus entes queridos desta forma.
O SENTIDO DAVIDA, CONCEITO DE FINITUDE E TRANSCENDÊNCIA.
Considerando a finitude como algo inevitável - tudo tem um fim -, as culturas ensaiaram algumas possibilidades
de respostas para o sentido da vida. Para explicar o sentido da vida diante da certeza da finitude, as tradições
religiosas ocupam um papel importante, pois muitos encontram na religião uma forma de compreender o
significado da vida, se há transcendência, e onde encontrar esperança para a superação dos limites.
O ser humano, em sua busca incessante de resposta e felicidade, questiona os grandes mistérios de sua
existência. E, neste contexto, as tradições religiosas, assim como as Filosofias de vida, contribuem para oferecer
explicações que o auxiliem a encontrar os sentidos para a sua vida, sejam fundamentados na sacralidade da
vida, sejam numa visão secular, ambas buscando garantir a proteção e a dignidade da vida. As diferentes
tradições religiosas procuram orientar as pessoas para que observem todas as dimensões da vida, a fim de
cuidarem e preservarem-na na sua totalidade.
11. Para explicar o sentido da vida diante da certeza da finitude, as tradições religiosas ocupam um papel
importante. Marque (X) na alternativa que explica essa importância.
a. ( ) Porque muitos encontram na religião uma forma de compreender o significado da vida, se há
transcendência, e onde encontrar esperança para a superação dos limites.
b. ( ) Porque o ser humano, em sua busca incessante de resposta e felicidade, não questiona os grandes
mistérios de sua existência.
c. ( ) Porque as tradições religiosas contribuem para oferecer explicações que o auxiliem a encontrar os
sentidos para a sua vida, sejam fundamentados na carnalidades da vida, sejam numa visão secular,
ambas buscando garantir a proteção e a dignidade da vida.
d. ( ) Porque as diferentes tradições religiosas deixam as pessoas livres para observem todas as
dimensões da vida, a fim de cuidarem e preservarem-na na sua totalidade, interpretando livremente os
conceitos religiosos.
Para cada dimensão as tradições religiosas concedem atenção especial, oferecendo orientações e realizando
ações que auxiliam em sua preservação. O corpo é considerado uma expressão do sagrado, sendo tratado com
cuidados e restrições, a fim de que contribua na realização da experiência religiosa e na construção da felicidade
humana. Do mesmo modo, as Filosofias de vida, sem partir da visão do sagrado, querem que o ser humano seja
feliz, solidário e justo. Para todos, o sentido da vida é um sentimento que nos impulsiona a seguir em frente:
“O sentido da vida é algo que se experimenta emocionalmente, sem que se saiba explicar ou justificar. Não é
algo que se construa, mas algo que ocorre de forma inesperada e não preparada, como uma brisa suave que nos
atinge, sem que saibamos donde vem nem para onde vai, e que experimentamos como uma intensificação da
vontade de viver ao ponto de nos dar coragem para morrer, se necessário for, por aquelas coisas que dão à vida
o seu sentido. ”
12. O que o texto acima chama de expressão do sagrado?
a. Felicidade
b. Filosofias
c. Corpo
d. Coragem de morrer
GABARITO
Avaliação de ENSINO RELIGIOSO
Aluno:
A B C D E
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
Gabarito
1.a
2.b
3. c
4. a
5. a, b, c, d
6. b, d
7. a
8. c
9. c
10. b
11. a
12,c
Prova 9ano ensino religioso 2b pet 2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Cienc- O Meio Ambiente
Cienc- O Meio Ambiente Cienc- O Meio Ambiente
Cienc- O Meio Ambiente
Mary Alvarenga
 
Atividades ensino religioso respeito e igualdade racial
Atividades ensino religioso respeito e igualdade racialAtividades ensino religioso respeito e igualdade racial
Atividades ensino religioso respeito e igualdade racial
Atividades Diversas Cláudia
 
Apostila do 1° ano 5° ano 2011
Apostila do 1° ano 5° ano 2011Apostila do 1° ano 5° ano 2011
Apostila do 1° ano 5° ano 2011
Adriana Mello
 
Avaliação expansão marítima
Avaliação expansão marítimaAvaliação expansão marítima
Avaliação expansão marítima
Acrópole - História & Educação
 
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO 2017
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO  2017AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO  2017
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO 2017
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Projeto semana da pátria
Projeto semana da pátriaProjeto semana da pátria
Projeto semana da pátria
Luana Maria Ferreira Fernandes
 
Atividade de Arte - Música
Atividade de Arte  - MúsicaAtividade de Arte  - Música
Atividade de Arte - Música
Mary Alvarenga
 
Ii atividade avaliatíva de geo 4º e 5º ano pdf
Ii atividade avaliatíva de geo 4º e 5º ano pdfIi atividade avaliatíva de geo 4º e 5º ano pdf
Ii atividade avaliatíva de geo 4º e 5º ano pdf
André Moraes
 
Aula 1 A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Aula 1  A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...Aula 1  A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Aula 1 A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Prof. Noe Assunção
 
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 2° BIMESTR...
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 2° BIMESTR...AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 2° BIMESTR...
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 2° BIMESTR...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Avaliação de história 6º ano
Avaliação de história 6º anoAvaliação de história 6º ano
Avaliação de história 6º ano
Acrópole - História & Educação
 
Historia Atividade Cidadania Diversidade Cultural e Respeito 5º ano (1).pdf
Historia Atividade Cidadania Diversidade Cultural e Respeito 5º ano (1).pdfHistoria Atividade Cidadania Diversidade Cultural e Respeito 5º ano (1).pdf
Historia Atividade Cidadania Diversidade Cultural e Respeito 5º ano (1).pdf
marilei4
 
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° anoAtividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Luciano Mendes
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
Matheus Simoes Masuoka
 
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - 1º CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - 1º CICLO - 4º BIMEST...AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - 1º CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - 1º CICLO - 4º BIMEST...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Caça palavras brasil pre colonial
Caça palavras brasil pre colonialCaça palavras brasil pre colonial
Caça palavras brasil pre colonial
Jean Carlos Nunes Paixão
 
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Mary Alvarenga
 
Ética e Moral
Ética e Moral   Ética e Moral
Ética e Moral
Mary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
 
Cienc- O Meio Ambiente
Cienc- O Meio Ambiente Cienc- O Meio Ambiente
Cienc- O Meio Ambiente
 
Atividades ensino religioso respeito e igualdade racial
Atividades ensino religioso respeito e igualdade racialAtividades ensino religioso respeito e igualdade racial
Atividades ensino religioso respeito e igualdade racial
 
Apostila do 1° ano 5° ano 2011
Apostila do 1° ano 5° ano 2011Apostila do 1° ano 5° ano 2011
Apostila do 1° ano 5° ano 2011
 
Avaliação expansão marítima
Avaliação expansão marítimaAvaliação expansão marítima
Avaliação expansão marítima
 
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO 2017
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO  2017AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO  2017
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO 2017
 
Projeto semana da pátria
Projeto semana da pátriaProjeto semana da pátria
Projeto semana da pátria
 
Atividade de Arte - Música
Atividade de Arte  - MúsicaAtividade de Arte  - Música
Atividade de Arte - Música
 
Ii atividade avaliatíva de geo 4º e 5º ano pdf
Ii atividade avaliatíva de geo 4º e 5º ano pdfIi atividade avaliatíva de geo 4º e 5º ano pdf
Ii atividade avaliatíva de geo 4º e 5º ano pdf
 
Aula 1 A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Aula 1  A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...Aula 1  A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Aula 1 A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
 
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
 
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 2° BIMESTR...
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 2° BIMESTR...AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 2° BIMESTR...
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 2° BIMESTR...
 
Avaliação de história 6º ano
Avaliação de história 6º anoAvaliação de história 6º ano
Avaliação de história 6º ano
 
Historia Atividade Cidadania Diversidade Cultural e Respeito 5º ano (1).pdf
Historia Atividade Cidadania Diversidade Cultural e Respeito 5º ano (1).pdfHistoria Atividade Cidadania Diversidade Cultural e Respeito 5º ano (1).pdf
Historia Atividade Cidadania Diversidade Cultural e Respeito 5º ano (1).pdf
 
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° anoAtividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
Atividade avaliativa de ensino religioso 8° ano
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - 1º CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - 1º CICLO - 4º BIMEST...AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - 1º CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - 1º CICLO - 4º BIMEST...
 
Caça palavras brasil pre colonial
Caça palavras brasil pre colonialCaça palavras brasil pre colonial
Caça palavras brasil pre colonial
 
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
 
Ética e Moral
Ética e Moral   Ética e Moral
Ética e Moral
 

Semelhante a Prova 9ano ensino religioso 2b pet 2

Capoeira rondonopolitense - vpmt
Capoeira rondonopolitense - vpmtCapoeira rondonopolitense - vpmt
Capoeira rondonopolitense - vpmt
lucavao2010
 
Religiões..
Religiões..Religiões..
Religiões..
Emerson Mathias
 
Cultura
Cultura Cultura
Curso de introducao ao candomble
Curso de introducao ao candombleCurso de introducao ao candomble
Curso de introducao ao candomble
Stanley Domeniquini
 
Instituição religiosa
Instituição religiosaInstituição religiosa
Instituição religiosa
roberto mosca junior
 
O ser humano é Natural ou Cultural?
O ser humano é Natural ou Cultural?O ser humano é Natural ou Cultural?
O ser humano é Natural ou Cultural?
Bruno Carrasco
 
Palestra sobre conhecimento e sua relação com o currículo e diversidade
Palestra sobre conhecimento e sua relação com o currículo e diversidadePalestra sobre conhecimento e sua relação com o currículo e diversidade
Palestra sobre conhecimento e sua relação com o currículo e diversidade
LOCIMAR MASSALAI
 
Religião afro brasileiras
Religião afro brasileirasReligião afro brasileiras
Religião afro brasileiras
Denise Aguiar
 
Estudo do livro Roteiro liçao 11
Estudo do livro Roteiro liçao 11Estudo do livro Roteiro liçao 11
Estudo do livro Roteiro liçao 11
Candice Gunther
 
Instituição religiosa
Instituição religiosaInstituição religiosa
Instituição religiosa
roberto mosca junior
 
A visão africana em relação à natureza
A visão africana em relação à naturezaA visão africana em relação à natureza
A visão africana em relação à natureza
Edineuda Soares
 
Festa de Caboclo: um olhar etnográfico
Festa de Caboclo: um olhar etnográficoFesta de Caboclo: um olhar etnográfico
Festa de Caboclo: um olhar etnográfico
Funcionário Público
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - a mediunidade atraves dos tempos
( Espiritismo)   # - amag ramgis - a mediunidade atraves dos tempos( Espiritismo)   # - amag ramgis - a mediunidade atraves dos tempos
( Espiritismo) # - amag ramgis - a mediunidade atraves dos tempos
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Historia geral-das-religioes-karina-bezerra
Historia geral-das-religioes-karina-bezerraHistoria geral-das-religioes-karina-bezerra
Historia geral-das-religioes-karina-bezerra
Sandra Helena
 
Candomblé modo-de-compatibilidade
Candomblé modo-de-compatibilidadeCandomblé modo-de-compatibilidade
Candomblé modo-de-compatibilidade
Joaquim Wilmar
 
Religiões de matriz africana
Religiões de matriz africanaReligiões de matriz africana
Religiões de matriz africana
Portal do Vestibulando
 
A Voz Indígena - por Evandro Vieira Ouriques
A Voz Indígena -  por Evandro Vieira OuriquesA Voz Indígena -  por Evandro Vieira Ouriques
A Voz Indígena - por Evandro Vieira Ouriques
Instituto Uka
 
Diferentes culturas do mundo
Diferentes culturas do mundoDiferentes culturas do mundo
Diferentes culturas do mundo
anocas_rita
 
Trabalho de sociologia coveiro.pptx
Trabalho de sociologia coveiro.pptxTrabalho de sociologia coveiro.pptx
Trabalho de sociologia coveiro.pptx
MaraMagaa4
 
Hendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubas
Hendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubasHendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubas
Hendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubas
Rodrigo Botelho
 

Semelhante a Prova 9ano ensino religioso 2b pet 2 (20)

Capoeira rondonopolitense - vpmt
Capoeira rondonopolitense - vpmtCapoeira rondonopolitense - vpmt
Capoeira rondonopolitense - vpmt
 
Religiões..
Religiões..Religiões..
Religiões..
 
Cultura
Cultura Cultura
Cultura
 
Curso de introducao ao candomble
Curso de introducao ao candombleCurso de introducao ao candomble
Curso de introducao ao candomble
 
Instituição religiosa
Instituição religiosaInstituição religiosa
Instituição religiosa
 
O ser humano é Natural ou Cultural?
O ser humano é Natural ou Cultural?O ser humano é Natural ou Cultural?
O ser humano é Natural ou Cultural?
 
Palestra sobre conhecimento e sua relação com o currículo e diversidade
Palestra sobre conhecimento e sua relação com o currículo e diversidadePalestra sobre conhecimento e sua relação com o currículo e diversidade
Palestra sobre conhecimento e sua relação com o currículo e diversidade
 
Religião afro brasileiras
Religião afro brasileirasReligião afro brasileiras
Religião afro brasileiras
 
Estudo do livro Roteiro liçao 11
Estudo do livro Roteiro liçao 11Estudo do livro Roteiro liçao 11
Estudo do livro Roteiro liçao 11
 
Instituição religiosa
Instituição religiosaInstituição religiosa
Instituição religiosa
 
A visão africana em relação à natureza
A visão africana em relação à naturezaA visão africana em relação à natureza
A visão africana em relação à natureza
 
Festa de Caboclo: um olhar etnográfico
Festa de Caboclo: um olhar etnográficoFesta de Caboclo: um olhar etnográfico
Festa de Caboclo: um olhar etnográfico
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - a mediunidade atraves dos tempos
( Espiritismo)   # - amag ramgis - a mediunidade atraves dos tempos( Espiritismo)   # - amag ramgis - a mediunidade atraves dos tempos
( Espiritismo) # - amag ramgis - a mediunidade atraves dos tempos
 
Historia geral-das-religioes-karina-bezerra
Historia geral-das-religioes-karina-bezerraHistoria geral-das-religioes-karina-bezerra
Historia geral-das-religioes-karina-bezerra
 
Candomblé modo-de-compatibilidade
Candomblé modo-de-compatibilidadeCandomblé modo-de-compatibilidade
Candomblé modo-de-compatibilidade
 
Religiões de matriz africana
Religiões de matriz africanaReligiões de matriz africana
Religiões de matriz africana
 
A Voz Indígena - por Evandro Vieira Ouriques
A Voz Indígena -  por Evandro Vieira OuriquesA Voz Indígena -  por Evandro Vieira Ouriques
A Voz Indígena - por Evandro Vieira Ouriques
 
Diferentes culturas do mundo
Diferentes culturas do mundoDiferentes culturas do mundo
Diferentes culturas do mundo
 
Trabalho de sociologia coveiro.pptx
Trabalho de sociologia coveiro.pptxTrabalho de sociologia coveiro.pptx
Trabalho de sociologia coveiro.pptx
 
Hendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubas
Hendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubasHendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubas
Hendrix silveira -_a_cultura_religiosa_dos_iorubas
 

Mais de Atividades Diversas Cláudia

Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre familia.doc
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre  familia.docAtividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre  familia.doc
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre familia.doc
Atividades Diversas Cláudia
 
FILME nao olhe para cima.doc
FILME nao olhe para cima.docFILME nao olhe para cima.doc
FILME nao olhe para cima.doc
Atividades Diversas Cláudia
 
1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...
1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...
1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividades campanha da fraternidade 2022 e
Atividades campanha da fraternidade 2022 eAtividades campanha da fraternidade 2022 e
Atividades campanha da fraternidade 2022 e
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividades sobre fake news
Atividades sobre fake newsAtividades sobre fake news
Atividades sobre fake news
Atividades Diversas Cláudia
 
1 primeiro dia de aula novo melhor
1 primeiro dia de aula novo melhor1 primeiro dia de aula novo melhor
1 primeiro dia de aula novo melhor
Atividades Diversas Cláudia
 
2 primeiro dia de aula novo amanha
2 primeiro dia de aula novo amanha2 primeiro dia de aula novo amanha
2 primeiro dia de aula novo amanha
Atividades Diversas Cláudia
 
3 primeiro dia de aula novo
3 primeiro dia de aula novo3 primeiro dia de aula novo
3 primeiro dia de aula novo
Atividades Diversas Cláudia
 
4 primeiro dia de aula novo hoje
4 primeiro dia de aula novo hoje4 primeiro dia de aula novo hoje
4 primeiro dia de aula novo hoje
Atividades Diversas Cláudia
 
5 primeiro dia de aula novo desafios
5 primeiro dia de aula novo desafios5 primeiro dia de aula novo desafios
5 primeiro dia de aula novo desafios
Atividades Diversas Cláudia
 
6 primeiro dia de aula novo motivacao
6 primeiro dia de aula novo motivacao6 primeiro dia de aula novo motivacao
6 primeiro dia de aula novo motivacao
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4 (1)
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4 (1)Prova de geografia 9 ano 4b pet 4 (1)
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4 (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova de geografia 8 ano 4b pet 4
Prova de geografia 8 ano 4b pet 4Prova de geografia 8 ano 4b pet 4
Prova de geografia 8 ano 4b pet 4
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4Prova de geografia 9 ano 4b pet 4
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova de ensino religioso 8 ano 4b pet 4
Prova de ensino religioso 8 ano 4b pet 4Prova de ensino religioso 8 ano 4b pet 4
Prova de ensino religioso 8 ano 4b pet 4
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova historia 1ano pet4
Prova historia 1ano pet4Prova historia 1ano pet4
Prova historia 1ano pet4
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova de historia 2ano 4bimestre
Prova de historia 2ano 4bimestreProva de historia 2ano 4bimestre
Prova de historia 2ano 4bimestre
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova de arte 4b 9 ano1
Prova de arte 4b 9 ano1Prova de arte 4b 9 ano1
Prova de arte 4b 9 ano1
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova de arte 4b 8 ano
Prova de arte 4b 8 anoProva de arte 4b 8 ano
Prova de arte 4b 8 ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova de arte 4b 7 ano (reparado)
Prova de arte 4b 7 ano (reparado)Prova de arte 4b 7 ano (reparado)
Prova de arte 4b 7 ano (reparado)
Atividades Diversas Cláudia
 

Mais de Atividades Diversas Cláudia (20)

Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre familia.doc
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre  familia.docAtividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre  familia.doc
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre familia.doc
 
FILME nao olhe para cima.doc
FILME nao olhe para cima.docFILME nao olhe para cima.doc
FILME nao olhe para cima.doc
 
1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...
1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...
1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...
 
Atividades campanha da fraternidade 2022 e
Atividades campanha da fraternidade 2022 eAtividades campanha da fraternidade 2022 e
Atividades campanha da fraternidade 2022 e
 
Atividades sobre fake news
Atividades sobre fake newsAtividades sobre fake news
Atividades sobre fake news
 
1 primeiro dia de aula novo melhor
1 primeiro dia de aula novo melhor1 primeiro dia de aula novo melhor
1 primeiro dia de aula novo melhor
 
2 primeiro dia de aula novo amanha
2 primeiro dia de aula novo amanha2 primeiro dia de aula novo amanha
2 primeiro dia de aula novo amanha
 
3 primeiro dia de aula novo
3 primeiro dia de aula novo3 primeiro dia de aula novo
3 primeiro dia de aula novo
 
4 primeiro dia de aula novo hoje
4 primeiro dia de aula novo hoje4 primeiro dia de aula novo hoje
4 primeiro dia de aula novo hoje
 
5 primeiro dia de aula novo desafios
5 primeiro dia de aula novo desafios5 primeiro dia de aula novo desafios
5 primeiro dia de aula novo desafios
 
6 primeiro dia de aula novo motivacao
6 primeiro dia de aula novo motivacao6 primeiro dia de aula novo motivacao
6 primeiro dia de aula novo motivacao
 
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4 (1)
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4 (1)Prova de geografia 9 ano 4b pet 4 (1)
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4 (1)
 
Prova de geografia 8 ano 4b pet 4
Prova de geografia 8 ano 4b pet 4Prova de geografia 8 ano 4b pet 4
Prova de geografia 8 ano 4b pet 4
 
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4Prova de geografia 9 ano 4b pet 4
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4
 
Prova de ensino religioso 8 ano 4b pet 4
Prova de ensino religioso 8 ano 4b pet 4Prova de ensino religioso 8 ano 4b pet 4
Prova de ensino religioso 8 ano 4b pet 4
 
Prova historia 1ano pet4
Prova historia 1ano pet4Prova historia 1ano pet4
Prova historia 1ano pet4
 
Prova de historia 2ano 4bimestre
Prova de historia 2ano 4bimestreProva de historia 2ano 4bimestre
Prova de historia 2ano 4bimestre
 
Prova de arte 4b 9 ano1
Prova de arte 4b 9 ano1Prova de arte 4b 9 ano1
Prova de arte 4b 9 ano1
 
Prova de arte 4b 8 ano
Prova de arte 4b 8 anoProva de arte 4b 8 ano
Prova de arte 4b 8 ano
 
Prova de arte 4b 7 ano (reparado)
Prova de arte 4b 7 ano (reparado)Prova de arte 4b 7 ano (reparado)
Prova de arte 4b 7 ano (reparado)
 

Último

Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 

Último (20)

Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 

Prova 9ano ensino religioso 2b pet 2

  • 1. SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO _________________________ E.E.” ______________________________________________” AVALIAÇÃO BIMESTRAL DE ENSINO RELIGIOSO Os princípios éticos e morais estão presentes nas relações de amizade e de afeto entre as pessoas que buscam por uma convivência harmoniosa com os outros seres humanos. Mas o que é ética e o que é moral? Vejamos: - O termo ___________(caráter, modo de ser de uma pessoa) deriva do grego ethos, traduzido em latim por mos ou mores (no plural). _____________ é uma reflexão crítica sobre a moral, e a moral um conjunto de valores e costumes de determinado grupo, cultura e povo. A _________também se refere a princípios que norteiam a conduta, as escolhas, as atitudes e ações das pessoas e coletividades. A __________ serve para que haja um equilíbrio e bom funcionamento social e cultural. A ____ pode ser definida como a ciência do comportamento moral, uma vez que estuda e determina a forma que as pessoas devem agir. Por isso, ela pode e deve ser crítica da moral. Ser _________ é respeitar as pessoas em relação a sua vida, seu patrimônio e bem-estar, é ter em mente os princípios e os valores como justiça, respeito, honestidade, solidariedade, dentre outros. O mais importante é ser uma pessoa de caráter. 1. Qual é o tema do texto acima? a. Moral b. Ética c. Amizade d. Conduta A ___________, como conjunto de valores, de normas e de noções, determina o que é certo ou errado, proibido e permitido, dentro de uma determinada sociedade, de uma cultura. As práticas positivas de um código moral são importantes para que se possa viver em sociedade. Elas tornam mais coesos os laços que garantem a solidariedade social. Por isso, as normas morais se tornam leis. A _______diz respeito à consciência coletiva e aos valores que são construídos por convenções. Esses valores são formulados por uma consciência social, o que equivale a dizer que são regras sancionadas pela sociedade, pelo grupo. O conjunto de regras, de normas e valores que orientam a conduta humana, surgiu da necessidade de proteger a vida e organizar a convivência social. À medida que essas regras iam sendo vivenciadas, eram adaptadas de acordo com as necessidades de cada época. Assim, a construção de identidades era fortalecida nas relações pessoais. 2. Qual é o tema do texto acima? a. Moral b. Ética c. Amizade d. Conduta 3. Sobre a charge ao lado, marque a alternativa correta. a. A primeira pessoa não é antiética porque jogar papel no chão não é falta grave. b. Apenas a última pessoa é antiética. c. Todas as situações apresentam falta de ética. d. Furar fila não representa falta de ética. ALUNO (A) DATA: NÚMERO: PROFESSOR (A): Série: 9 NOTA: TURMA:
  • 2. 4. Marque a alternativa que legenda as imagens acima. a. Coexistência pacífica b. Amizade c. Companheirismo d. Intolerância Mito iorubá - Ideia da morte como condição necessária para que exista a vida - Tradição africana. Diz Ifá que Olodumare, o Ser Supremo, deu a Obatalá a tarefa da criação dos homens e mulheres, para que eles povoassem o Ayê. Obatalá moldou os seres a partir do barro. Os humanos, depois de moldados, recebiam o emi – sopro da vida – e vinham para a terra. Aqui viviam, amavam, plantavam, colhiam, se divertiam e cultuavam as divindades. Aconteceu, porém, que o barro foi acabando e em breve não haveria a matéria para que novos seres humanos fossem feitos. Então, Olodumare convocou os orixás para que eles apresentassem uma alternativa para o caso. Como ninguém apresentou uma solução, e diante do risco da interrupção do processo de criação, Olodumare determinou que se estabelecesse um ciclo. Depois de certo tempo vivendo no Ayê, as mulheres e homens deveriam ser desfeitos, retornando à matéria original, para que novos seres pudessem. Resolvido o dilema, restava saber de quem seria a função de tirar dos seres o sopro de vida. Foi então que Iku ofereceu-se para cumprir o desígnio do Deus maior. Desde então Iku vem todos os dias ao Ayê para escolher quem deve ser reconduzido ao Orum. Seus corpos devem ser desfeitos e o sopro vital retirado, para que, com aquela matéria, outras pessoas possam ser feitas – condição imposta para a renovação da existência. FONTE: Adaptado de LOPES, Nei; SIMAS, Luiz Antônio. Filosofias Africanas: uma introdução. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2020. p. 73-74). 5. Sobre o texto, marque as alternativas verdadeiras: a. ( ) Fala da criação humana de acordo com a crença iorubá. b. ( ) Como nas religiões cristãs, a crença iorubá firma que o homem foi feito do barro. c. ( ) Para a crença citada, é preciso que alguns morram para que outros nasçam. d. ( ) Para os iorubas, seus corpos devem ser desfeitos e o sopro vital retirado, para que, com aquela mesma matéria, outras pessoas possam ser feitas. O sociólogo Reginaldo Prandi, no livro Segredo Guardados: Orixás na alma brasileira, descreve: Para o povo ioruba, ao morrer, todos os homens, mulheres e crianças vão para um mesmo lugar, não existindo a ‘ideia’ de punição ou prêmio após a morte e, por conseguinte, inexistindo as noções de céu, inferno e purgatório nos moldes da tradição ocidental-cristã. Não há julgamento após a morte e os espíritos retornam à vidano Aiê tão logo possam, pois o ideal é o mundo dos vivos, o bom é viver. - Ioruba significa aquele que oferece oferenda aos orixás. (PRANDI, Reginaldo. Segredos guardados: Orixás na alma brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2005. p. 54). 6. A partir deste texto e do mito da criação humana, segundo o povo ioruba, marque as alternativas que mostram as crenças do povo ioruba sobre o que acontece depois da morte. a. ( ) O povo iorubá acredita que quando alguém morre, vai para o céu, o inferno ou para o purgatório. b. ( ) O povo iorubá acredita que não há julgamento após a morte, pois os espíritos retornam à vida. c. ( ) O povo iorubá acredita que há apenas o mundo dos vivos, para eles, não há morte.
  • 3. d. ( ) Para os iorubás não existe as noções de céu, inferno e purgatório nos moldes da tradição ocidental-cristã, porque os mortos retornam à vida. KUARUP – o ritual fúnebre que expressa a riqueza cultural do Xingu “Está se encerrando um ciclo de luto. As famílias já estão, finalmente, encerrando esse luto. Esse tronco aqui representa minha prima que faleceu, esse aqui é do tio do meu pai. e esse aqui é do pajé [Sapain]”. Dessa forma, Pablo Kamaiurá explica a tradição do Kuarup. O ritual fúnebre foi realizado no último fim de semana (28 e 29), na aldeia Ipawu Kamaiurá, localizada no Xingu (MT). Participaram mais de 900 indígenas, além de outros convidados. O Kuarup ocorre sempre um ano após a morte dos parentes indígenas. Os troncos de madeira representam cada homenageado. Eles são colocados no centro do pátio da aldeia, ornamentados, como ponto principal de todo o ritual. Em torno deles, a família faz uma homenagem aos mortos. Passam a noite toda acordados, chorando e rezando pelos seus familiares que se foram. E é assim, com rezas e muito choro, que se despedem pela última vez. De acordo com a tradição, os convidados que veem de outras comunidades e acampam nas proximidades da aldeia Kamayurá recebem, das famílias que estão de luto, presentes como peixe e beiju. Disponível em: <http://www.funai.gov.br/arquivos/conteudo/ /2018/07-jul/KUARUP. Acesso em 07 abr. 2021. 7. Qual o tema central do texto acima? a. Kuarup, que significa ritual fúnebre de um dos povos do Xingu. b. A diversidade étnica do povo do Xingu c. A diversidade cultural do povo Kamaiurá d. O ritual de homenagem às famílias dos mortos do povo da aldeia Kamayurá. Após a chegada dos portugueses no Brasil ocorreu o processo de colonização, ou seja, os povos originários passaram por um processo de dominação. Para a estudiosa Catherine Walsh, essa dominação aconteceu através de quatro eixos: a colonialidade do Poder, do Saber, do Ser e da Natureza. - A colonialidade do poder incide nas relações culturais e sociais e passa a hierarquizar e criar grupos raciais e sociais, reforçando o ideal eurocêntrico, da Europa, por exemplo, supremacia do branco. - A colonialidade do Saber consiste na recusa de todo conhecimento que divirja do europeu. - A colonialidade do Ser que produz parâmetros que inferioriza, subalterna e principalmente desumaniza a cultura diferente da europeia. - A colonialidade da natureza atua na quebra da percepção sagrada de povos originários e exalta a exploração da natureza como fonte de geração de riqueza e não de culto. 8. Sobre o texto acima, marque a alternativa incorreta: a. ( ) Os portugueses dominaram o Brasil e impuseram o ideal eurocêntrico de que o branco é superior. b. ( ) Os portugueses dominaram o Brasil e atuou na quebra da percepção sagrada dos povos originários exaltando a exploração da natureza como fonte de geração de riqueza e não de culto. c. ( ) Os portugueses dominaram o Brasil e assimilaram todo conhecimento e cultura dos povos nativos, enriquecendo o conhecimento europeu. d. ( ) Os portugueses dominaram o Brasil e produziu parâmetros que inferiorizava e desumanizava a cultura dos nativos. 9. Acerca das principais características da religiosidade indígena, analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta a INCORRETA. a. ( ) Cada nação indígena possui a sua própria religião, com seus ritos, cantos, danças, acessórios, símbolos, indumentárias, pinturas corporais, mitos e jeitos de celebrar os importantes momentos da vida. b. ( ) Nas comunidades indígenas, a religião é parte integrante do cotidiano. A vida gira em torno do sagrado. c. ( ) A estrutura das religiões indígenas não permite o equilíbrio do homem com o meio e a harmonia com a “Mãe Terra”. d. ( ) As comunidades indígenas acreditam nas forças da natureza e nos espíritos dos antepassados. Enterro com dança em Gana que virou meme mostra que a morte é encarada de outra forma na cultura africana O ritual consiste em homens vestidos de terno e óculos carregando caixões e dançando em funerais de Gana e mostra que a morte é encarada de outra forma no país africano. Mas não apenas por lá. Em outras culturas africanas os enterros são vistos como momentos de celebrar a vida da pessoa, e não somente de dor, como ocorre no Brasil. Nas religiões de matriz africana, a morte é vista como passagem, um rito de retorno, e não como fim. Foi assim com o líder sul-africano Nelson Mandela. Quando ele morreu milhares de pessoas foram para suas casas dançar em sua homenagem. No caso de Gana, segundo documentário feito pela rede britânica BBC, "os carregadores de caixões (pallbearers) elevam o ânimo nos funerais. As famílias pagam pelos seus serviços para que se possam despedir dos seus entes queridos desta forma". Os agentes funerais perguntam aos clientes se eles querem que o enterro tenha um "espetáculo". "Decidi dar a minha mãe uma viagem dançante para o criador", diz o cliente do vídeo original, que viralizou em 2015, ao som da música eletrônica Astronomia 2K19, de Stephan F. 10. Sobre o texto acima, pode-se concluir que: a. ( ) Os memes não fazem parte apenas da cultura brasileira, a cultura africana também se utiliza deste tipo de linguagem. b. ( ) Na cultura africana os enterros são vistos como momentos de celebrar a vida da pessoa, e não somente de dor. c. ( ) O ritual fúnebre que consiste em homens vestidos de terno e óculos carregando caixões e dançando em funerais de Gana acontece em quase todas as outras culturas da África e Ásia.
  • 4. d. ( ) Nas religiões de matriz africana, a morte é vista como passagem, por isso, todas as famílias pagam pelos serviços dos carregadores de caixões (pallbearers) que elevam o ânimo nos funerais para que se possam despedir dos seus entes queridos desta forma. O SENTIDO DAVIDA, CONCEITO DE FINITUDE E TRANSCENDÊNCIA. Considerando a finitude como algo inevitável - tudo tem um fim -, as culturas ensaiaram algumas possibilidades de respostas para o sentido da vida. Para explicar o sentido da vida diante da certeza da finitude, as tradições religiosas ocupam um papel importante, pois muitos encontram na religião uma forma de compreender o significado da vida, se há transcendência, e onde encontrar esperança para a superação dos limites. O ser humano, em sua busca incessante de resposta e felicidade, questiona os grandes mistérios de sua existência. E, neste contexto, as tradições religiosas, assim como as Filosofias de vida, contribuem para oferecer explicações que o auxiliem a encontrar os sentidos para a sua vida, sejam fundamentados na sacralidade da vida, sejam numa visão secular, ambas buscando garantir a proteção e a dignidade da vida. As diferentes tradições religiosas procuram orientar as pessoas para que observem todas as dimensões da vida, a fim de cuidarem e preservarem-na na sua totalidade. 11. Para explicar o sentido da vida diante da certeza da finitude, as tradições religiosas ocupam um papel importante. Marque (X) na alternativa que explica essa importância. a. ( ) Porque muitos encontram na religião uma forma de compreender o significado da vida, se há transcendência, e onde encontrar esperança para a superação dos limites. b. ( ) Porque o ser humano, em sua busca incessante de resposta e felicidade, não questiona os grandes mistérios de sua existência. c. ( ) Porque as tradições religiosas contribuem para oferecer explicações que o auxiliem a encontrar os sentidos para a sua vida, sejam fundamentados na carnalidades da vida, sejam numa visão secular, ambas buscando garantir a proteção e a dignidade da vida. d. ( ) Porque as diferentes tradições religiosas deixam as pessoas livres para observem todas as dimensões da vida, a fim de cuidarem e preservarem-na na sua totalidade, interpretando livremente os conceitos religiosos. Para cada dimensão as tradições religiosas concedem atenção especial, oferecendo orientações e realizando ações que auxiliam em sua preservação. O corpo é considerado uma expressão do sagrado, sendo tratado com cuidados e restrições, a fim de que contribua na realização da experiência religiosa e na construção da felicidade humana. Do mesmo modo, as Filosofias de vida, sem partir da visão do sagrado, querem que o ser humano seja feliz, solidário e justo. Para todos, o sentido da vida é um sentimento que nos impulsiona a seguir em frente: “O sentido da vida é algo que se experimenta emocionalmente, sem que se saiba explicar ou justificar. Não é algo que se construa, mas algo que ocorre de forma inesperada e não preparada, como uma brisa suave que nos atinge, sem que saibamos donde vem nem para onde vai, e que experimentamos como uma intensificação da vontade de viver ao ponto de nos dar coragem para morrer, se necessário for, por aquelas coisas que dão à vida o seu sentido. ” 12. O que o texto acima chama de expressão do sagrado? a. Felicidade b. Filosofias c. Corpo d. Coragem de morrer
  • 5. GABARITO Avaliação de ENSINO RELIGIOSO Aluno: A B C D E 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Gabarito 1.a 2.b 3. c 4. a 5. a, b, c, d 6. b, d 7. a 8. c 9. c 10. b 11. a 12,c