Cardiopatia

892 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Cardiopatia

  1. 1. Na Gravidez Definição: Cardiopatia congênita é o defeito na estrutura e função do coração que pode ser desenvolvido ainda dentro da barriga da mãe até as 8 semanas de gestação.
  2. 2. Causas: Pode ser causada pelo uso abusivo de drogas, álcool, substâncias químicas, infecção na gravidez ou rubéola. As cardiopatias congênitas são mais comum na síndrome de Down, sendo diagnosticadas durante o pré-natal, necessitando de cirurgia logo ao nascer. No entanto, muitas crianças com cardiopatia congênita, não precisam ser operadas e levam uma vida normal.
  3. 3. Tipos de cardiopatias congênitas: É bastante grande o número de doenças nessa área. São as mais comuns: Comunicação interatrial, ou CIA. Existe um defeito de fechamento do septo interatrial, permitindo a passagem do sangue do átrio esquerdo para o átrio direito. Comunicação interventricular, ou CIV. O defeito ocorre entre os septos interventriculares (ventrículos esquerdo e direito). Persistência do canal arterial, ou PCA. É o não-fechamento do canal arterial, estrutura normal na circulação fetal, comunicando o tronco da artéria pulmonar e a aorta.
  4. 4. Sinais e Sintomas: Os sinais e sintomas da cardiopatia congênita dependem da idade da criança e do tipo da cardiopatia. Nos bebês, os sinais e sintomas podem ser: Cor roxa na ponta dos dedos ou nos lábios; Suor excessivo; Cansaço excessivo durante as mamadas; Palidez e apatia; Baixo peso e pouco apetite; Respiração rápida e curta mesmo em repouso; Irritação.
  5. 5. Tratamento: O tratamento da cardiopatia congênita pode ser feito através de uma cirurgia para correção do defeito. A cardiopatia congênita em recém-nascidos geralmente já foi diagnosticada antes do nascimento através da ultra cenografia e a urgência para a realização da cirurgia vai depender da gravidade do problema. Muitos casos demoram anos para serem diagnosticados e podem ser resolvidos de forma espontânea ao longo do crescimento da criança, fazendo com que sua vida seja normal. No entanto, casos mais graves necessitam de cirurgia ainda no primeiro ano de vida.
  6. 6. Cuidados de Enfermagem: .São avaliação do estado geral da criança; .Suprir necessidades emocionais logo na admissão explicando o procedimento e deixando calmo os pais; .Monetarização cardíaca depois do alto cirúrgico; .Administrar medicação conforme prescrição medica; .Avaliar temperatura,pulso,drenos; .Estabilizar a criança e deixa - lá descansar; .E se possível deixar que os pais visite o seu filho.
  7. 7. Fonte retirado da Internet.

×