SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Doenças
Cardiovasculares
Causas
Doenças
Factores de Risco
Prevenção
Prof. Ana Rita Rainho
O que provoca as doenças
cardiovasculares?
Devem-se essencialmente à acumulação de
gorduras na parede das artérias = Aterosclerose
Formação da placa
aterosclerótica
Normal
Artéria coronária humana
parcialmente obstruída
Lúmen da
artéria
Depósitos de
colesterol
Formação de coágulos
Muitas vezes as
placas tornam-se
instáveis e levam ao
rompimento das
paredes. A migração
de plaquetas forma
coágulos sanguíneos
que ajudam à
obstrução da artéria.
Formação de coágulos
Artéria
carótida
obstruída
Através de uma
técnica especial de
contraste
(angiograma), é
possível visualizar
o fluxo sanguíneo
no interior das
artérias.
da obstrução das artérias
Consequências
Se o fornecimento de O2 for
insuficiente para as necessidades
dos tecidos pode ocorrer:
Morte celular
(necrose)
(ex: Enfarte do
miocárdio)
Dores fortes
(ex: Angina de peito)
• Obstrução parcial da artéria leva a uma irrigação
insuficiente dos tecidos, originando dores fortes
• Ex: Angina de peito
Isquemia
• Morte dos tecidos devido a falta de irrigação
permanente quando há obstrução total dos vasos.
• Ex: Enfarte do Miocárdio, Trombose
Enfarte ou
Necrose
• Fragmentação da placa e libertação de fragmentos
que viajam na corrente sanguínea podendo
obstruir outras artérias (ex: embolia cerebral)
Embolia
• A placa fragiliza a parede das artérias que se
torna distendida e sujeita a ruptura.
• Ex: aneurisma cerebral
Aneurisma
Algumas doenças
cardiovasculares
Dependendo das
artérias obstruídas,
assim vão variando
os sintomas das
doenças
Artérias
afectadas
Doença que provoca
Artérias
coronárias
-Angina de peito
- Enfarte do miocárdio
- Arritmias
- Insuficiência cardíaca
Artérias
cerebrais
-AVC (trombose)
- Aneurisma cerebral
- Embolia cerebral
Artérias
renais
-Hipertensão arterial
- Insuficiência renal
Artérias
periféricas
-Dificuldades na mobilidade
- Gangrena
Artéria
Aorta
-Aneurisma
- Embolias nas artérias
cerebrais
Tratamento
Angioplastia, Factores de Risco, Prevenção
Angioplastia com stent
 Permite o alargamento da parede das artérias
Artéria coronária
antes da intervenção
Artéria coronária
após a intervenção
Artéria
bloqueada
Stent
expandido
Factores de risco
 Hipertensão arterial
 Colesterol elevado
 Má alimentação
 Tabaco
 Stress
 Vida sedentária
 Diabetes
 Obesidade
 Idade
 Sexo
 Hereditariedade
Implicam grande
percentagem de
açúcares, sais e
gorduras em circulação,
aumentando o risco da
ocorrência de depósitos
na parede das artérias.
 Hipertensão
arterial
 Colesterol
elevado
 Diabetes
 Má
alimentação
Não existindo consumo de
gorduras, aumenta o risco
de se depositarem nas
artérias.
 Obesidade
 Vida
sedentária
 Stress
 Tabagismo
São situações que implicam
um esforço acrescido por parte
do coração, aumentando o
risco de ocorrência de
isquemias e arritmias.
À medida que a idade
avança, aumenta o risco,
pois o número de placas
depositadas é maior.
 Idade
 Sexo
 Hereditariedade
Indivíduos do sexo masculino
e mulheres após a
menopausa são mais
propensos a ter problemas.
Pode determinar uma maior
propensão para a ocorrência
de doenças cardiovasculares.
Prevenção
 Fazer
exercício físico
regularmente
 Cuidar a
alimentação
 Mudar o
estilo de
vida
A chave para um
coração saudável
está nas nossas
mãos.
Mais material disponível em:
www.espacociencias.com.pt

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Infarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdioInfarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdio
 
Iam
IamIam
Iam
 
Aterosclerose
AteroscleroseAterosclerose
Aterosclerose
 
Doenças cardiovasculares
Doenças cardiovascularesDoenças cardiovasculares
Doenças cardiovasculares
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
 
II - SISTEMA CIRCULATÓRIO
II - SISTEMA CIRCULATÓRIOII - SISTEMA CIRCULATÓRIO
II - SISTEMA CIRCULATÓRIO
 
principais doenças cardiovasculares
principais doenças cardiovascularesprincipais doenças cardiovasculares
principais doenças cardiovasculares
 
Infarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do MiocárdioInfarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do Miocárdio
 
Hipertensao arterial
Hipertensao arterialHipertensao arterial
Hipertensao arterial
 
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICCInsuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICC
 
Insuficiência cardíaca 2017
Insuficiência cardíaca 2017Insuficiência cardíaca 2017
Insuficiência cardíaca 2017
 
Doenças do sistema respiratório
Doenças do sistema respiratórioDoenças do sistema respiratório
Doenças do sistema respiratório
 
Apresentação acidente vascular cerebral
Apresentação acidente vascular cerebralApresentação acidente vascular cerebral
Apresentação acidente vascular cerebral
 
Saúde do coração
Saúde do coraçãoSaúde do coração
Saúde do coração
 
Choque cardiogênico
Choque cardiogênicoChoque cardiogênico
Choque cardiogênico
 
Infarto agudo do miocárdio (IAM)
Infarto agudo do miocárdio   (IAM)Infarto agudo do miocárdio   (IAM)
Infarto agudo do miocárdio (IAM)
 
Sinais vitais
Sinais vitaisSinais vitais
Sinais vitais
 
Aula Diabetes
Aula  DiabetesAula  Diabetes
Aula Diabetes
 
Hemorragias
HemorragiasHemorragias
Hemorragias
 
INFARTO AGUDO MIOCÁRDIO E ANGINA PECTÓRIS
INFARTO AGUDO MIOCÁRDIO E ANGINA PECTÓRISINFARTO AGUDO MIOCÁRDIO E ANGINA PECTÓRIS
INFARTO AGUDO MIOCÁRDIO E ANGINA PECTÓRIS
 

Destaque

Doenças renais power point 2015
Doenças renais power point 2015Doenças renais power point 2015
Doenças renais power point 2015belmiro decimo
 
Alimentacao saudavel e dcnt
Alimentacao saudavel e dcntAlimentacao saudavel e dcnt
Alimentacao saudavel e dcntkarinelc
 
Estudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....ppt
Estudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....pptEstudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....ppt
Estudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....pptWilliam Damasceno
 
Doenças respiratórias ocupacionais
Doenças respiratórias ocupacionaisDoenças respiratórias ocupacionais
Doenças respiratórias ocupacionaisIsabel Araujo
 

Destaque (7)

Doenças renais power point 2015
Doenças renais power point 2015Doenças renais power point 2015
Doenças renais power point 2015
 
Alimentacao saudavel e dcnt
Alimentacao saudavel e dcntAlimentacao saudavel e dcnt
Alimentacao saudavel e dcnt
 
Doenças Renais
Doenças RenaisDoenças Renais
Doenças Renais
 
Cartilha dcnt
Cartilha dcntCartilha dcnt
Cartilha dcnt
 
Estudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....ppt
Estudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....pptEstudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....ppt
Estudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....ppt
 
Doenças respiratórias
Doenças respiratóriasDoenças respiratórias
Doenças respiratórias
 
Doenças respiratórias ocupacionais
Doenças respiratórias ocupacionaisDoenças respiratórias ocupacionais
Doenças respiratórias ocupacionais
 

Semelhante a CN9-doenças cardiovasculares

34184413 12442512-doencas-cardiovasculares
34184413 12442512-doencas-cardiovasculares34184413 12442512-doencas-cardiovasculares
34184413 12442512-doencas-cardiovascularesPelo Siro
 
Desequilibrios Cardiovasculares
Desequilibrios CardiovascularesDesequilibrios Cardiovasculares
Desequilibrios CardiovascularesEunice Palma
 
Apres distúrbios cardiovasculares bioloja_v2
Apres distúrbios cardiovasculares bioloja_v2Apres distúrbios cardiovasculares bioloja_v2
Apres distúrbios cardiovasculares bioloja_v2Jecivane Solidão Batista
 
Sistema circulatorio 1_
Sistema circulatorio 1_Sistema circulatorio 1_
Sistema circulatorio 1_Pelo Siro
 
Aula 3 - Doenças Cardiovasculares - Parte 1 (1).pdf
Aula 3 -  Doenças Cardiovasculares - Parte 1 (1).pdfAula 3 -  Doenças Cardiovasculares - Parte 1 (1).pdf
Aula 3 - Doenças Cardiovasculares - Parte 1 (1).pdfMirna Kathary
 
10º PTAS- sistemacirculatorio.pptx
10º PTAS- sistemacirculatorio.pptx10º PTAS- sistemacirculatorio.pptx
10º PTAS- sistemacirculatorio.pptxIsaura Mourão
 
Powerpoint 091210093601-phpapp02
Powerpoint 091210093601-phpapp02Powerpoint 091210093601-phpapp02
Powerpoint 091210093601-phpapp02Nana Caymy
 
Patologia do sistema cardiovascular
Patologia do sistema cardiovascularPatologia do sistema cardiovascular
Patologia do sistema cardiovascularKziaSouza5
 
Sistema circulatorio (4) (1)
Sistema circulatorio (4) (1)Sistema circulatorio (4) (1)
Sistema circulatorio (4) (1)Luciano Silveira
 
Insuficiencia coronariana
Insuficiencia coronarianaInsuficiencia coronariana
Insuficiencia coronarianapenhalver
 
Embolia slaide
Embolia slaideEmbolia slaide
Embolia slaideLia Lia
 
DoençAs Do Sistema Cardio RespiratóRio Para Apresentar
DoençAs Do Sistema Cardio RespiratóRio Para ApresentarDoençAs Do Sistema Cardio RespiratóRio Para Apresentar
DoençAs Do Sistema Cardio RespiratóRio Para ApresentarEduardo Gomes
 
SIST. CARDIOVASCULAR.pptx
SIST. CARDIOVASCULAR.pptxSIST. CARDIOVASCULAR.pptx
SIST. CARDIOVASCULAR.pptxMirna Kathary
 
Sociedade portuguesa-de-cardiologia-kit-cidadao-o-que-sabe-sobre-o-seu-coracao
Sociedade portuguesa-de-cardiologia-kit-cidadao-o-que-sabe-sobre-o-seu-coracaoSociedade portuguesa-de-cardiologia-kit-cidadao-o-que-sabe-sobre-o-seu-coracao
Sociedade portuguesa-de-cardiologia-kit-cidadao-o-que-sabe-sobre-o-seu-coracaoMARIA DIAS
 
Doenças da aorta
Doenças da aortaDoenças da aorta
Doenças da aortadapab
 
As anomalias dos sitema circulatório (1).ppt
As anomalias dos sitema circulatório (1).pptAs anomalias dos sitema circulatório (1).ppt
As anomalias dos sitema circulatório (1).pptSandraAlmeida932153
 

Semelhante a CN9-doenças cardiovasculares (20)

34184413 12442512-doencas-cardiovasculares
34184413 12442512-doencas-cardiovasculares34184413 12442512-doencas-cardiovasculares
34184413 12442512-doencas-cardiovasculares
 
Desequilibrios Cardiovasculares
Desequilibrios CardiovascularesDesequilibrios Cardiovasculares
Desequilibrios Cardiovasculares
 
Grupo 4 (Aterosclerose)
Grupo 4 (Aterosclerose)Grupo 4 (Aterosclerose)
Grupo 4 (Aterosclerose)
 
Apres distúrbios cardiovasculares bioloja_v2
Apres distúrbios cardiovasculares bioloja_v2Apres distúrbios cardiovasculares bioloja_v2
Apres distúrbios cardiovasculares bioloja_v2
 
Sistema circulatorio 1_
Sistema circulatorio 1_Sistema circulatorio 1_
Sistema circulatorio 1_
 
Aula 3 - Doenças Cardiovasculares - Parte 1 (1).pdf
Aula 3 -  Doenças Cardiovasculares - Parte 1 (1).pdfAula 3 -  Doenças Cardiovasculares - Parte 1 (1).pdf
Aula 3 - Doenças Cardiovasculares - Parte 1 (1).pdf
 
10º PTAS- sistemacirculatorio.pptx
10º PTAS- sistemacirculatorio.pptx10º PTAS- sistemacirculatorio.pptx
10º PTAS- sistemacirculatorio.pptx
 
Powerpoint 091210093601-phpapp02
Powerpoint 091210093601-phpapp02Powerpoint 091210093601-phpapp02
Powerpoint 091210093601-phpapp02
 
Patologia do sistema cardiovascular
Patologia do sistema cardiovascularPatologia do sistema cardiovascular
Patologia do sistema cardiovascular
 
Patologias
PatologiasPatologias
Patologias
 
Sistema circulatorio (4) (1)
Sistema circulatorio (4) (1)Sistema circulatorio (4) (1)
Sistema circulatorio (4) (1)
 
Aterosclerose
AteroscleroseAterosclerose
Aterosclerose
 
Aterosclerose
AteroscleroseAterosclerose
Aterosclerose
 
Insuficiencia coronariana
Insuficiencia coronarianaInsuficiencia coronariana
Insuficiencia coronariana
 
Embolia slaide
Embolia slaideEmbolia slaide
Embolia slaide
 
DoençAs Do Sistema Cardio RespiratóRio Para Apresentar
DoençAs Do Sistema Cardio RespiratóRio Para ApresentarDoençAs Do Sistema Cardio RespiratóRio Para Apresentar
DoençAs Do Sistema Cardio RespiratóRio Para Apresentar
 
SIST. CARDIOVASCULAR.pptx
SIST. CARDIOVASCULAR.pptxSIST. CARDIOVASCULAR.pptx
SIST. CARDIOVASCULAR.pptx
 
Sociedade portuguesa-de-cardiologia-kit-cidadao-o-que-sabe-sobre-o-seu-coracao
Sociedade portuguesa-de-cardiologia-kit-cidadao-o-que-sabe-sobre-o-seu-coracaoSociedade portuguesa-de-cardiologia-kit-cidadao-o-que-sabe-sobre-o-seu-coracao
Sociedade portuguesa-de-cardiologia-kit-cidadao-o-que-sabe-sobre-o-seu-coracao
 
Doenças da aorta
Doenças da aortaDoenças da aorta
Doenças da aorta
 
As anomalias dos sitema circulatório (1).ppt
As anomalias dos sitema circulatório (1).pptAs anomalias dos sitema circulatório (1).ppt
As anomalias dos sitema circulatório (1).ppt
 

Mais de Rita Rainho

CN7 - Rochas magmáticas
CN7 - Rochas magmáticasCN7 - Rochas magmáticas
CN7 - Rochas magmáticasRita Rainho
 
CN7 - Formação de cristais de enxofre
CN7 - Formação de cristais de enxofreCN7 - Formação de cristais de enxofre
CN7 - Formação de cristais de enxofreRita Rainho
 
BioGeo11-Replicação do ADN e Síntese Proteica
BioGeo11-Replicação do ADN e Síntese ProteicaBioGeo11-Replicação do ADN e Síntese Proteica
BioGeo11-Replicação do ADN e Síntese ProteicaRita Rainho
 
Bio12-desequilíbrios do sistema imunitário
Bio12-desequilíbrios do sistema imunitárioBio12-desequilíbrios do sistema imunitário
Bio12-desequilíbrios do sistema imunitárioRita Rainho
 
Bio12-Extensões da genética mendeliana
Bio12-Extensões da genética mendelianaBio12-Extensões da genética mendeliana
Bio12-Extensões da genética mendelianaRita Rainho
 
BioGeo10-diversidade na Biosfera
BioGeo10-diversidade na BiosferaBioGeo10-diversidade na Biosfera
BioGeo10-diversidade na BiosferaRita Rainho
 
BioGeo10-coordenação nervosa
BioGeo10-coordenação nervosaBioGeo10-coordenação nervosa
BioGeo10-coordenação nervosaRita Rainho
 
BioGeo10-respiração aeróbia
BioGeo10-respiração aeróbiaBioGeo10-respiração aeróbia
BioGeo10-respiração aeróbiaRita Rainho
 
BioGeo10-sismologia
BioGeo10-sismologiaBioGeo10-sismologia
BioGeo10-sismologiaRita Rainho
 
BioGeo10-trocas gasosas
BioGeo10-trocas gasosasBioGeo10-trocas gasosas
BioGeo10-trocas gasosasRita Rainho
 
BioGeo10-fermentacao
BioGeo10-fermentacaoBioGeo10-fermentacao
BioGeo10-fermentacaoRita Rainho
 
BioGeo10-transportes membranares
BioGeo10-transportes membranaresBioGeo10-transportes membranares
BioGeo10-transportes membranaresRita Rainho
 
BioGeo10-biomoléculas
BioGeo10-biomoléculasBioGeo10-biomoléculas
BioGeo10-biomoléculasRita Rainho
 
BioGeo10-ondas-sismicas_descontinuidades
BioGeo10-ondas-sismicas_descontinuidadesBioGeo10-ondas-sismicas_descontinuidades
BioGeo10-ondas-sismicas_descontinuidadesRita Rainho
 
BioGeo10-métodos geofísicos
BioGeo10-métodos geofísicosBioGeo10-métodos geofísicos
BioGeo10-métodos geofísicosRita Rainho
 
6 corpos sistema solar
6 corpos sistema solar6 corpos sistema solar
6 corpos sistema solarRita Rainho
 
BioGeo10-rochas sedimentares
BioGeo10-rochas sedimentaresBioGeo10-rochas sedimentares
BioGeo10-rochas sedimentaresRita Rainho
 
BioGeo10-trilobites de canelas
BioGeo10-trilobites de canelasBioGeo10-trilobites de canelas
BioGeo10-trilobites de canelasRita Rainho
 

Mais de Rita Rainho (20)

CN7 - Rochas magmáticas
CN7 - Rochas magmáticasCN7 - Rochas magmáticas
CN7 - Rochas magmáticas
 
CN7 - Formação de cristais de enxofre
CN7 - Formação de cristais de enxofreCN7 - Formação de cristais de enxofre
CN7 - Formação de cristais de enxofre
 
CN7 - Fósseis
CN7 - FósseisCN7 - Fósseis
CN7 - Fósseis
 
BioGeo11-Replicação do ADN e Síntese Proteica
BioGeo11-Replicação do ADN e Síntese ProteicaBioGeo11-Replicação do ADN e Síntese Proteica
BioGeo11-Replicação do ADN e Síntese Proteica
 
Bio12-desequilíbrios do sistema imunitário
Bio12-desequilíbrios do sistema imunitárioBio12-desequilíbrios do sistema imunitário
Bio12-desequilíbrios do sistema imunitário
 
CN7-rochas
CN7-rochasCN7-rochas
CN7-rochas
 
Bio12-Extensões da genética mendeliana
Bio12-Extensões da genética mendelianaBio12-Extensões da genética mendeliana
Bio12-Extensões da genética mendeliana
 
BioGeo10-diversidade na Biosfera
BioGeo10-diversidade na BiosferaBioGeo10-diversidade na Biosfera
BioGeo10-diversidade na Biosfera
 
BioGeo10-coordenação nervosa
BioGeo10-coordenação nervosaBioGeo10-coordenação nervosa
BioGeo10-coordenação nervosa
 
BioGeo10-respiração aeróbia
BioGeo10-respiração aeróbiaBioGeo10-respiração aeróbia
BioGeo10-respiração aeróbia
 
BioGeo10-sismologia
BioGeo10-sismologiaBioGeo10-sismologia
BioGeo10-sismologia
 
BioGeo10-trocas gasosas
BioGeo10-trocas gasosasBioGeo10-trocas gasosas
BioGeo10-trocas gasosas
 
BioGeo10-fermentacao
BioGeo10-fermentacaoBioGeo10-fermentacao
BioGeo10-fermentacao
 
BioGeo10-transportes membranares
BioGeo10-transportes membranaresBioGeo10-transportes membranares
BioGeo10-transportes membranares
 
BioGeo10-biomoléculas
BioGeo10-biomoléculasBioGeo10-biomoléculas
BioGeo10-biomoléculas
 
BioGeo10-ondas-sismicas_descontinuidades
BioGeo10-ondas-sismicas_descontinuidadesBioGeo10-ondas-sismicas_descontinuidades
BioGeo10-ondas-sismicas_descontinuidades
 
BioGeo10-métodos geofísicos
BioGeo10-métodos geofísicosBioGeo10-métodos geofísicos
BioGeo10-métodos geofísicos
 
6 corpos sistema solar
6 corpos sistema solar6 corpos sistema solar
6 corpos sistema solar
 
BioGeo10-rochas sedimentares
BioGeo10-rochas sedimentaresBioGeo10-rochas sedimentares
BioGeo10-rochas sedimentares
 
BioGeo10-trilobites de canelas
BioGeo10-trilobites de canelasBioGeo10-trilobites de canelas
BioGeo10-trilobites de canelas
 

CN9-doenças cardiovasculares

  • 2. O que provoca as doenças cardiovasculares?
  • 3. Devem-se essencialmente à acumulação de gorduras na parede das artérias = Aterosclerose Formação da placa aterosclerótica Normal
  • 4. Artéria coronária humana parcialmente obstruída Lúmen da artéria Depósitos de colesterol
  • 5. Formação de coágulos Muitas vezes as placas tornam-se instáveis e levam ao rompimento das paredes. A migração de plaquetas forma coágulos sanguíneos que ajudam à obstrução da artéria.
  • 7. Artéria carótida obstruída Através de uma técnica especial de contraste (angiograma), é possível visualizar o fluxo sanguíneo no interior das artérias.
  • 8. da obstrução das artérias Consequências
  • 9. Se o fornecimento de O2 for insuficiente para as necessidades dos tecidos pode ocorrer: Morte celular (necrose) (ex: Enfarte do miocárdio) Dores fortes (ex: Angina de peito)
  • 10. • Obstrução parcial da artéria leva a uma irrigação insuficiente dos tecidos, originando dores fortes • Ex: Angina de peito Isquemia • Morte dos tecidos devido a falta de irrigação permanente quando há obstrução total dos vasos. • Ex: Enfarte do Miocárdio, Trombose Enfarte ou Necrose • Fragmentação da placa e libertação de fragmentos que viajam na corrente sanguínea podendo obstruir outras artérias (ex: embolia cerebral) Embolia • A placa fragiliza a parede das artérias que se torna distendida e sujeita a ruptura. • Ex: aneurisma cerebral Aneurisma
  • 11. Algumas doenças cardiovasculares Dependendo das artérias obstruídas, assim vão variando os sintomas das doenças Artérias afectadas Doença que provoca Artérias coronárias -Angina de peito - Enfarte do miocárdio - Arritmias - Insuficiência cardíaca Artérias cerebrais -AVC (trombose) - Aneurisma cerebral - Embolia cerebral Artérias renais -Hipertensão arterial - Insuficiência renal Artérias periféricas -Dificuldades na mobilidade - Gangrena Artéria Aorta -Aneurisma - Embolias nas artérias cerebrais
  • 13. Angioplastia com stent  Permite o alargamento da parede das artérias
  • 14. Artéria coronária antes da intervenção Artéria coronária após a intervenção Artéria bloqueada Stent expandido
  • 15. Factores de risco  Hipertensão arterial  Colesterol elevado  Má alimentação  Tabaco  Stress  Vida sedentária  Diabetes  Obesidade  Idade  Sexo  Hereditariedade
  • 16. Implicam grande percentagem de açúcares, sais e gorduras em circulação, aumentando o risco da ocorrência de depósitos na parede das artérias.  Hipertensão arterial  Colesterol elevado  Diabetes  Má alimentação
  • 17. Não existindo consumo de gorduras, aumenta o risco de se depositarem nas artérias.  Obesidade  Vida sedentária  Stress  Tabagismo São situações que implicam um esforço acrescido por parte do coração, aumentando o risco de ocorrência de isquemias e arritmias.
  • 18. À medida que a idade avança, aumenta o risco, pois o número de placas depositadas é maior.  Idade  Sexo  Hereditariedade Indivíduos do sexo masculino e mulheres após a menopausa são mais propensos a ter problemas. Pode determinar uma maior propensão para a ocorrência de doenças cardiovasculares.
  • 19. Prevenção  Fazer exercício físico regularmente  Cuidar a alimentação  Mudar o estilo de vida
  • 20. A chave para um coração saudável está nas nossas mãos.
  • 21. Mais material disponível em: www.espacociencias.com.pt

Notas do Editor

  1. Nesta técnica é inserido um catéter na virilha ou no braço do paciente (consoante o local a observar) que é empurrado até chegar aos vasos a observar. O catéter serve para transportar e libertar no local uma tintura de contraste que permite observar os vasos sanguíneos quando se faz uma radiografia posterior. Pode no entanto induzir problemas secundários se o doente for alérgico ao meio de contraste, ou eventualmente provocar problemas cardíacos se passar por artérias já obstruídas.
  2. Quer a angina de peito quer o enfarte do miocárdio são devidos à obstrução das artérias coronárias (que irrigam o miocárdio). A angina de peito é provocada por uma obstrução parcial que permite a passagem de algum sangue, embora insuficiente e o enfarte é provocado pela obstrução total, em que não há passagem de sangue. Daí a morte celular (ou necrose).
  3. É inserido um catéter com um balão e uma rede metálica através da axila e empurrado até chegar à artéria em causa. Uma vez chegado ao destino o balão é insuflado, alargando a parede da artéria. A placa esclerótica fica comprimida e a rede metálica expande. O balão é desinsuflado novamente e o catéter retirado. A rede permanece no local expandida permitindo um maior fluxo de sangue através da artéria.