SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Baixar para ler offline
1|   Apostila–Como Deus nos Fala

                        COMO DEUS NOS FALA


A debilidade humana encontrará força e ajuda sobrenatural para
realizar os atos da Onipotência em cada severo conflito; e a
perseverança na fé e a confiança perfeita em Deus garantirão o sucesso.
Embora a confederação do mal esteja disposta contra Seu povo, Ele ordena
que sejam corajosos e fortes e lutem bravamente, pois têm um Céu a ganhar,
e têm mais de um anjo em suas fileiras - o poderoso General dos exércitos
lidera as hostes do Céu. Como por ocasião da tomada de Jericó, ninguém
entre os exércitos de Israel pôde gabar-se de exercer sua força finita para
derribar os muros daquela cidade, mas o Capitão do exército do Senhor
planejou a batalha com grande simplicidade, a fim de que apenas o Senhor
Deus recebesse a glória e os mortais não se exaltassem. Deus nos tem
prometido todo o poder. (MM, CT, 135)

Cuidai de não atacar nem uma vez. Precisamos de que o Espírito de Deus
nos seja a vida e a voz. Nossa língua deve ser como a pena de um escritor
capaz, porque o Espírito de Deus fala através do instrumento humano.
Ao usardes dessa censura e ataque, misturastes parte de vós mesmos, e nada
precisamos dessa mistura. Manuscrito 7, 1894. (Evangelismo 172)

Os princípios que devem impelir-nos como obreiros na causa de Deus são
enunciados pelo apóstolo Paulo. Ele diz: "De Deus somos cooperadores." I
Cor. 3:9. "Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o
Senhor e não para homens." Col. 3:23. E Pedro exorta os crentes: "Servi uns
aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons
despenseiros da multiforme graça de Deus. Se alguém fala, fale de acordo
com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre,
para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus
Cristo." I Ped. 4: 10 e 11. (MM, Exaltai-o, 232)

Deus nos fala a nós por Sua Palavra. Aí temos em linhas mais claras a
revelação de Seu caráter, de Seu procedimento com os homens, e da grande
obra de redenção. Aí está aberta perante nós a história de patriarcas e
profetas e outros homens santos da antiguidade. Eram homens sujeitos "às
mesmas paixões que nós". Tia. 5: 17. Vemos como lutavam com abatimentos
iguais aos nossos, como caíam sob tentações como também nós o temos feito, e
Apostila–Como Deus nos Fala |2

contudo de novo se animavam e venciam pela graça de Deus; e considerando
esses exemplos, ficamos animados em nossas lutas (C.C, 87)
"Não tenhas medo do homem, pois Meu escudo te protegerá. Não és tu que
falas: é o Senhor que dá as mensagens de advertência e reprovação. Nunca te
desvies da verdade sob quaisquer circunstâncias. Comunica a luz que Eu te
der. As mensagens para estes últimos dias serão escritas em livros, e ficarão
imortalizadas, para testificar contra os que uma vez se regozijaram na luz,
mas que foram levados a abandoná-la por causa das sedutoras influências do
mal." (I, ME, 32)

Todavia, novamente o Espírito de Deus fala a Jerusalém. Antes do fim do
dia é dado outro testemunho em favor de Cristo. Ergue-se a voz desse
testemunho, em correspondência com o chamado de um passado profético.
Se Jerusalém atender ao chamado, se receber o Salvador que lhe está
entrando pelas portas, poderá ainda ser salva. (DTN, 578)

Parece estar-se apoderando do mundo, em muitos sentidos, uma intensidade
qual nunca antes se viu. Nos divertimentos, no ganhar dinheiro, nas lutas
pelo poderio, na própria luta pela existência, há uma força terrível que
absorve o corpo, o espírito e a alma. Em meio dessa corrida louca, Deus fala.
Ele nos ordena que fiquemos à parte e tenhamos comunhão com Ele.
"Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus." Sal. 46:10. (Educação 260)

Ao passo que a Palavra de Deus fala da humanidade de Cristo quando na
Terra, fala também positivamente de Sua preexistência. A Palavra existia
como um ser divino, mesmo como o Eterno Filho de Deus, em união e
unidade com Seu Pai. Desde a eternidade fora o Mediador do concerto,
Aquele em quem todas as nações da Terra, tanto judeus como gentios, caso
O aceitassem, seriam abençoados. "O Verbo estava com Deus, e o Verbo era
Deus." João 1:1. Antes que os homens ou os anjos fossem criados, o Verbo
estava com Deus. (Evangelismo 615)

Seja a vossa conversa de natureza tal que não tenhais de que vos arrepender. ...
Se é deixada cair uma palavra em detrimento ao caráter de um amigo ou irmão,
nunca estimuleis essa maledicência; pois é a obra do inimigo. Lembre-se o que
fala que a Palavra de Deus proíbe essa espécie de conversa. ... O Redentor nos
disse como O poderemos revelar ao mundo. Se nutrimos Seu Espírito, se
manifestamos Seu amor uns para com os outros, se protegemos os mútuos
interesses, somos bondosos, pacientes, sofredores, os frutos que produzimos
3|   Apostila–Como Deus nos Fala

darão prova perante o mundo de sermos filhos de Deus. ... Edificar-nos uns aos
outros na santíssima fé é uma obra abençoada; derrubar é uma obra cheia de
amargura e dor. ... (Nossa Alta Vocação, 179)
A força espiritual de que fala essa passagem é algo que cada um de nós
pode obter; mas como? Talvez estejamos em trevas, sentindo-nos fracos e
desalentados, e achando que Deus não nos ama. Se for assim, não devemos
dar lugar aos sentimentos; o sentimento nada tem que ver com a questão.
Devemos tomar a Palavra de Deus ao pé da letra, e as palavras de Cristo
como Ele as proferiu. (MM, Exaltai-o, 266)

Todos nós precisamos estudar a vida de Cristo e as lições que Ele ministrou,
para que saibamos como conduzir-nos em nossa relação uns com os outros.
Acalentai a suavizante influência do Espírito de Deus. Lembrai-vos de
que a linguagem é um talento de grande valor, se usado corretamente, e de
que da abundância do coração fala a boca. Lembrai-vos também de que por
vossas palavras sereis justificados e por vossas palavras sereis condenados.
Palavras irrefletidas freqüentemente produzem dificuldades que de outro
modo não existiriam. (MM, Este Dia com Deus, 223)

Os filhos de Deus são chamados a ser representantes de Cristo,
manifestando a bondade e a misericórdia do Senhor. Como Cristo nos
revelou a nós o verdadeiro caráter do Pai, assim temos de manifestar Cristo
ao mundo, o qual Lhe desconhece o terno e compassivo amor. "Assim como
Tu Me enviaste ao mundo", disse Jesus, "também Eu os enviei ao mundo...
para que o mundo creia que Tu Me enviaste." João 17:18 e 21. "Eu neles, e
Tu em Mim... para que o mundo conheça que Tu Me enviaste a Mim." João
17:23. O apóstolo Paulo diz aos discípulos de Jesus: "É manifesto que vós
sois a carta de Cristo... conhecida e lida por todos os homens." II Cor. 3:3 e
2. Em cada um de Seus filhos Jesus envia uma carta ao mundo. Se sois
seguidores de Cristo, Ele manda por vosso intermédio uma carta à família, à
cidade, à rua em que residis. Habitando em vós, Jesus deseja falar ao coração
dos que não se acham relacionados com Ele. (C. A, 115)

Como é diligente e constante a obra de um cristão verdadeiro! Tem sempre
sobre si o jugo de Cristo. ... Possui genuína modéstia e não fala de suas
habilitações e realizações. A auto-admiração não faz parte de sua
experiência. Muito há que aprender acerca do que abrange o verdadeiro
caráter cristão. Por certo que não é o orgulho próprio. ... A glória e majestade
de Deus deve sempre encher nossa mente de um santo e reverente respeito,
Apostila–Como Deus nos Fala |4

humilhando-nos no pó, perante Ele. Sua condescendência, Sua ampla e
profunda compaixão, Sua ternura e amor, são-nos concedidos para fortalecer
nossa confiança e remover aquele temor que tende para a escravidão. O
Senhor deseja que Lhe demos tudo que existe de nós, uma vida cristã
estável, bem equilibrada - vida que glorifique os princípios de Sua lei.
(MM, Lugares Celestias, 185)

Levai os livros aos homens de negócio e aos ensinadores do evangelho, cuja
mente não foi atraída para as especiais verdades para este tempo. A
mensagem deve ser dada nos "caminhos" - a homens que têm parte ativa no
trabalho do mundo, aos ensinadores e dirigentes do povo. Milhares podem
ser atingidos do modo mais simples e humilde. Os mais intelectuais, aqueles
que são considerados os homens e mulheres mais dotados do mundo, são
muitas vezes refrigerados pelas simples palavras de um que ama a Deus e
que pode falar deste amor tão naturalmente como o mundano fala das coisas
que mais profundamente o interessam. Muitas vezes as palavras bem
preparadas e estudadas têm apenas pequena influência. Mas a verdadeira e
honesta expressão de um filho ou filha de Deus, falada em natural
simplicidade, tem poder para abrir a porta a corações que por muito tempo
estiveram fechados contra Cristo e Seu amor. Review and Herald, 20 de
janeiro de 1903. (Colportor. E, 39)

Deus convida os professores a contemplarem os céus, e a estudar-Lhe as
obras em a natureza. "Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento
anuncia a obra das Suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma
noite mostra sabedoria a outra noite. Sem linguagem, sem fala, ouvem-se as
suas vozes." Sal. 19:1-3. Não nos esforçaremos nós para compreender as
maravilhosas obras de Deus? Faríamos bem em ler freqüentemente o Salmo
dezenove, a fim de compreendermos como o Senhor liga Sua lei com as
obras de Sua criação. (CPPE, 493)

As palavras e promessas divinas são o único fundamento de nossa fé. Tomai
a Palavra de Deus como verdade, como uma voz viva que vos fala, e
obedecei fielmente a todos os seus reclamos. Fiel é o que prometeu. Deus
cooperará com os esforços dos diretores e professores. A fraqueza de nossa
fé é o que nos limita as bênçãos. Devemos ser mansos e humildes de
coração. Diariamente podemos ter ricas evidências de Seu amor e
misericórdia em nossos abnegados esforços de fazer o bem a outros. Rogo
aos obreiros de nossas Escolas Sabatinas que se revistam de toda armadura
5|   Apostila–Como Deus nos Fala

de Deus e demonstrem sua fidelidade, como bons soldados de Jesus Cristo.
Deus recompensará todo trabalho que for feito para Sua glória. Testimonies
on Sabbath School Work, págs. 26-29. (CSES, 72)

Após matar o egípcio, viu que não tinha entendido o plano de Deus e fugiu
do Egito, tornando-se pastor. Não mais planejava realizar uma grande obra,
mas se tornou muito humilde; a névoa que lhe nublava a mente foi expelida e
ele disciplinou sua mente para buscar a Deus como refúgio. Reconheceu a
presença de Deus ao seu redor. A natureza toda parecia cheia da presença do
Invisível. Ele conhecia a Deus como um Deus pessoal, e enquanto meditava
em Seu caráter, cultivava mais e mais o senso de Sua presença. Encontrou
refúgio nos braços eternos. Deus falava com Moisés face a face como um
homem fala com seu amigo. Os brilhantes raios do Sol da Justiça lhe
iluminavam o coração e as recâmaras da mente. Deus lhe era refúgio; Deus
era sua habitação, seu lar. ... (MM, CT, 97)

A lei de Deus requer que amemos aos outros assim como amamos a nós
mesmos. Então, toda faculdade e ação da mente devem ser exercidas para
esse fim - realizar a maior quantidade de bem. ... Quão agradável é ao
Doador que empreguemos os régios dons da alma, a fim de que possam
produzir efeito poderoso sobre outros! São eles o elo entre Deus e os seres
humanos, e revelam o Espírito de Cristo e os atributos do Céu. O poder da
santidade, que pode ser visto mas do qual não nos devemos vangloriar, fala
com mais eloqüência do que os mais bem preparados sermões. Fala de Deus
e expõe diante de homens e mulheres o seu dever, mais poderosamente do
que o podem fazer meras palavras. Carta 39, 1887 (Manuscript Releases, vol.
20, págs. 137 e 138) (MM, CT, 209)

Nos Salmos, Davi fala de Deus como sendo um refúgio e uma torre forte,
refúgio e fortaleza; a Ele podemos correr e ser salvos. Quão precioso é o
pensamento de que Deus é o nosso refúgio e Ele será nosso auxílio em todos
os momentos e lugares, e de que em toda emergência temos Deus junto
conosco. Ele diz que enviará Seus anjos para cuidarem de nós e nos
guardarem em todos os nossos caminhos. ... Em nosso Deus temos um
ajudador, e nEle confiaremos. Devemos olhar constantemente nessa direção,
crendo que os anjos de Deus estão ao nosso redor, e que o Céu está em
comunicação conosco, porque esses mensageiros celestes sobem e descem
pela escada de brilhante resplendor. ...(MM, CT, 332)
Apostila–Como Deus nos Fala |6

Uma profunda intuição de nossa necessidade e um grande desejo de receber as
coisas que pedimos, devem caracterizar nossas orações, do contrário não serão
ouvidas. Não nos devemos, porém, cansar, deixando de fazer nossas petições
porque não recebemos resposta imediata. "... se faz violência ao reino dos Céus,
e pela força se apoderam dele." Mat. 11:12. A violência de que aqui se fala é um
santo fervor, como o manifestado por Jacó. Não precisamos tentar agitar-nos, na
procura de uma sensação intensa; mas sim devemos, calma e persistentemente,
elevar nossas petições ao trono da graça. Nossa obra é humilhar o coração
perante Deus, confessando nossos pecados, e com fé nos aproximarmos de
Deus. ... É propósito de Deus revelar-Se em Sua providência e Sua graça. O
objetivo de nossas orações tem de ser a glória de Deus, não nossa própria
glorificação. ... (MM, Cuidado de Deus 159)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

05. corpo
05. corpo05. corpo
05. corpopohlos
 
Estudo Sobre Jó e seus Amigos - C. H. Mackintosh
Estudo Sobre Jó e seus Amigos -  C. H. MackintoshEstudo Sobre Jó e seus Amigos -  C. H. Mackintosh
Estudo Sobre Jó e seus Amigos - C. H. MackintoshTsushya marco
 
❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR
❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR
❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGRGerson G. Ramos
 
A excelência de cristo jonathan edwards
A excelência de cristo   jonathan edwardsA excelência de cristo   jonathan edwards
A excelência de cristo jonathan edwardssoarescastrodf
 
Lição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGR
Lição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGRLição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGR
Lição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGRGerson G. Ramos
 
Respostas_O custo do discipulado_1312014
Respostas_O custo do discipulado_1312014Respostas_O custo do discipulado_1312014
Respostas_O custo do discipulado_1312014Gerson G. Ramos
 
Respostas_Com os ricos e famosos_812014
Respostas_Com os ricos e famosos_812014Respostas_Com os ricos e famosos_812014
Respostas_Com os ricos e famosos_812014Gerson G. Ramos
 
Por trás da máscara_Lição_original com textos_1012015
Por trás da máscara_Lição_original com textos_1012015Por trás da máscara_Lição_original com textos_1012015
Por trás da máscara_Lição_original com textos_1012015Gerson G. Ramos
 
chama do Carmo_207
chama do Carmo_207chama do Carmo_207
chama do Carmo_207Frei João
 
23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards
23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards
23474164 o-dom-maior-jonathan-edwardsAntonio Ferreira
 
Sunday Portuguese Mass July 4 2021
Sunday Portuguese Mass July 4 2021Sunday Portuguese Mass July 4 2021
Sunday Portuguese Mass July 4 2021MariadaSilva95
 
Crucificado e ressurreto_Lição_original com textos_1322015
Crucificado e ressurreto_Lição_original com textos_1322015Crucificado e ressurreto_Lição_original com textos_1322015
Crucificado e ressurreto_Lição_original com textos_1322015Gerson G. Ramos
 
Palavras de sabedoria_812015_GGR
Palavras de sabedoria_812015_GGRPalavras de sabedoria_812015_GGR
Palavras de sabedoria_812015_GGRGerson G. Ramos
 
Evangélico clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpad
Evangélico   clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpadEvangélico   clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpad
Evangélico clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpadmanoel ramos de oliveira
 
2º dia
2º dia2º dia
2º diababins
 

Mais procurados (19)

05. corpo
05. corpo05. corpo
05. corpo
 
Estudo Sobre Jó e seus Amigos - C. H. Mackintosh
Estudo Sobre Jó e seus Amigos -  C. H. MackintoshEstudo Sobre Jó e seus Amigos -  C. H. Mackintosh
Estudo Sobre Jó e seus Amigos - C. H. Mackintosh
 
Para Conhecê-Lo (PC) - MM
Para Conhecê-Lo (PC) - MMPara Conhecê-Lo (PC) - MM
Para Conhecê-Lo (PC) - MM
 
❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR
❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR
❉ Respostas 4 - Repreensão e represália_GGR
 
vivendo a vida de enoque
  vivendo a vida de enoque  vivendo a vida de enoque
vivendo a vida de enoque
 
A excelência de cristo jonathan edwards
A excelência de cristo   jonathan edwardsA excelência de cristo   jonathan edwards
A excelência de cristo jonathan edwards
 
Lição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGR
Lição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGRLição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGR
Lição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGR
 
Qual o segredo para...
Qual o segredo para...Qual o segredo para...
Qual o segredo para...
 
Respostas_O custo do discipulado_1312014
Respostas_O custo do discipulado_1312014Respostas_O custo do discipulado_1312014
Respostas_O custo do discipulado_1312014
 
Respostas_Com os ricos e famosos_812014
Respostas_Com os ricos e famosos_812014Respostas_Com os ricos e famosos_812014
Respostas_Com os ricos e famosos_812014
 
Por trás da máscara_Lição_original com textos_1012015
Por trás da máscara_Lição_original com textos_1012015Por trás da máscara_Lição_original com textos_1012015
Por trás da máscara_Lição_original com textos_1012015
 
chama do Carmo_207
chama do Carmo_207chama do Carmo_207
chama do Carmo_207
 
23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards
23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards
23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards
 
Sunday Portuguese Mass July 4 2021
Sunday Portuguese Mass July 4 2021Sunday Portuguese Mass July 4 2021
Sunday Portuguese Mass July 4 2021
 
Crucificado e ressurreto_Lição_original com textos_1322015
Crucificado e ressurreto_Lição_original com textos_1322015Crucificado e ressurreto_Lição_original com textos_1322015
Crucificado e ressurreto_Lição_original com textos_1322015
 
Palavras de sabedoria_812015_GGR
Palavras de sabedoria_812015_GGRPalavras de sabedoria_812015_GGR
Palavras de sabedoria_812015_GGR
 
O Filho_232014_GGR
O Filho_232014_GGRO Filho_232014_GGR
O Filho_232014_GGR
 
Evangélico clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpad
Evangélico   clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpadEvangélico   clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpad
Evangélico clarence e macartey - grandes sermões do mundo cpad
 
2º dia
2º dia2º dia
2º dia
 

Destaque

Invitacion a un asado cruz
Invitacion a un asado cruzInvitacion a un asado cruz
Invitacion a un asado cruzjundbrasil
 
Activate 2.0
Activate 2.0Activate 2.0
Activate 2.0inaenaito
 
Asociación Colegios Profesionales de Las Palmas (ACPLP)
Asociación Colegios Profesionales de Las Palmas (ACPLP)Asociación Colegios Profesionales de Las Palmas (ACPLP)
Asociación Colegios Profesionales de Las Palmas (ACPLP)proa2020
 
Aula de 13. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte i
Aula de 13. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte iAula de 13. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte i
Aula de 13. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte iPastor Paulo Francisco
 
N O R O E S T E P A R A C R I S T O
N O R O E S T E  P A R A  C R I S T ON O R O E S T E  P A R A  C R I S T O
N O R O E S T E P A R A C R I S T Oguest7c96c9
 
Semana da leitura 2012 4
Semana da leitura 2012 4Semana da leitura 2012 4
Semana da leitura 2012 4aesjl
 
Reavaliação gab 1etapa_ 8a_numeros_geometria_2011
Reavaliação gab 1etapa_ 8a_numeros_geometria_2011Reavaliação gab 1etapa_ 8a_numeros_geometria_2011
Reavaliação gab 1etapa_ 8a_numeros_geometria_2011Joelson Lima
 
Palavras origem grega_pari_passu_12_13
Palavras origem grega_pari_passu_12_13Palavras origem grega_pari_passu_12_13
Palavras origem grega_pari_passu_12_13Mariajosesantos57
 

Destaque (20)

Invitacion a un asado cruz
Invitacion a un asado cruzInvitacion a un asado cruz
Invitacion a un asado cruz
 
Activate 2.0
Activate 2.0Activate 2.0
Activate 2.0
 
Asociación Colegios Profesionales de Las Palmas (ACPLP)
Asociación Colegios Profesionales de Las Palmas (ACPLP)Asociación Colegios Profesionales de Las Palmas (ACPLP)
Asociación Colegios Profesionales de Las Palmas (ACPLP)
 
Al reves
Al revesAl reves
Al reves
 
Emerveillez Vous(Traduzido)
Emerveillez Vous(Traduzido)Emerveillez Vous(Traduzido)
Emerveillez Vous(Traduzido)
 
Aula de 13. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte i
Aula de 13. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte iAula de 13. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte i
Aula de 13. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte i
 
Ciudades Perdidas
Ciudades PerdidasCiudades Perdidas
Ciudades Perdidas
 
Ressentimento
RessentimentoRessentimento
Ressentimento
 
N O R O E S T E P A R A C R I S T O
N O R O E S T E  P A R A  C R I S T ON O R O E S T E  P A R A  C R I S T O
N O R O E S T E P A R A C R I S T O
 
Alimentacaosaudavel
AlimentacaosaudavelAlimentacaosaudavel
Alimentacaosaudavel
 
Semana da leitura 2012 4
Semana da leitura 2012 4Semana da leitura 2012 4
Semana da leitura 2012 4
 
Arvore de amigos
Arvore de amigosArvore de amigos
Arvore de amigos
 
Reavaliação gab 1etapa_ 8a_numeros_geometria_2011
Reavaliação gab 1etapa_ 8a_numeros_geometria_2011Reavaliação gab 1etapa_ 8a_numeros_geometria_2011
Reavaliação gab 1etapa_ 8a_numeros_geometria_2011
 
UHE Belo Monte
UHE Belo MonteUHE Belo Monte
UHE Belo Monte
 
Palavras origem grega_pari_passu_12_13
Palavras origem grega_pari_passu_12_13Palavras origem grega_pari_passu_12_13
Palavras origem grega_pari_passu_12_13
 
1ª formação be 2011 12
1ª formação be 2011 121ª formação be 2011 12
1ª formação be 2011 12
 
Ipês do b..
Ipês do b..Ipês do b..
Ipês do b..
 
David Copperfield - Magica
David Copperfield - MagicaDavid Copperfield - Magica
David Copperfield - Magica
 
Célula
CélulaCélula
Célula
 
Verdade absoluta
Verdade  absolutaVerdade  absoluta
Verdade absoluta
 

Semelhante a Como Deus nos fala através de Sua Palavra

Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.Gerson G. Ramos
 
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGRGerson G. Ramos
 
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRGerson G. Ramos
 
Módulo serviço – apostila 2
Módulo serviço – apostila 2  Módulo serviço – apostila 2
Módulo serviço – apostila 2 Cassio Felipe
 
Assembléia de catequese 2013
Assembléia de catequese 2013Assembléia de catequese 2013
Assembléia de catequese 2013Liana Plentz
 
A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015
A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015
A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015Gerson G. Ramos
 
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGRGerson G. Ramos
 
45. a luz do mundo
45. a luz do mundo45. a luz do mundo
45. a luz do mundopohlos
 
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRLição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRGerson G. Ramos
 
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZ
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZA MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZ
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZCristiane Patricio
 
36. o reino da graça
36. o reino da graça36. o reino da graça
36. o reino da graçapohlos
 
A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
 A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos  A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos Gerson G. Ramos
 
34. apocalipse 1
34. apocalipse 134. apocalipse 1
34. apocalipse 1pohlos
 
30. a espada do espírito
30. a espada do espírito30. a espada do espírito
30. a espada do espíritopohlos
 
Estudo adicional_A humildade da sabedoria celestial_842014
Estudo adicional_A humildade da sabedoria celestial_842014Estudo adicional_A humildade da sabedoria celestial_842014
Estudo adicional_A humildade da sabedoria celestial_842014Gerson G. Ramos
 

Semelhante a Como Deus nos fala através de Sua Palavra (20)

Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
Deus e a revelação_Resumo_Liç_242012_Esc_Sab.
 
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
 
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
 
GUERRA
GUERRAGUERRA
GUERRA
 
29 01 12
29 01 1229 01 12
29 01 12
 
Módulo serviço – apostila 2
Módulo serviço – apostila 2  Módulo serviço – apostila 2
Módulo serviço – apostila 2
 
Assembléia de catequese 2013
Assembléia de catequese 2013Assembléia de catequese 2013
Assembléia de catequese 2013
 
A Fé Pela Qual Eu Vivo (FV) - MM
A Fé Pela Qual Eu Vivo (FV) - MMA Fé Pela Qual Eu Vivo (FV) - MM
A Fé Pela Qual Eu Vivo (FV) - MM
 
A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015
A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015
A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015
 
Interceder
IntercederInterceder
Interceder
 
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
 
45. a luz do mundo
45. a luz do mundo45. a luz do mundo
45. a luz do mundo
 
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRLição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
 
Apocalipse - Capítulo 12
Apocalipse - Capítulo 12 Apocalipse - Capítulo 12
Apocalipse - Capítulo 12
 
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZ
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZA MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZ
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZ
 
36. o reino da graça
36. o reino da graça36. o reino da graça
36. o reino da graça
 
A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
 A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos  A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
A vida cristã_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
 
34. apocalipse 1
34. apocalipse 134. apocalipse 1
34. apocalipse 1
 
30. a espada do espírito
30. a espada do espírito30. a espada do espírito
30. a espada do espírito
 
Estudo adicional_A humildade da sabedoria celestial_842014
Estudo adicional_A humildade da sabedoria celestial_842014Estudo adicional_A humildade da sabedoria celestial_842014
Estudo adicional_A humildade da sabedoria celestial_842014
 

Mais de pohlos

56 pão temporal
56   pão temporal56   pão temporal
56 pão temporalpohlos
 
55. a norma mais alta
55. a norma mais alta55. a norma mais alta
55. a norma mais altapohlos
 
54. o poder das trevas
54. o poder das trevas54. o poder das trevas
54. o poder das trevaspohlos
 
53. vans suspeitas
53. vans suspeitas53. vans suspeitas
53. vans suspeitaspohlos
 
52. o que é religião
52. o que é religião52. o que é religião
52. o que é religiãopohlos
 
51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outrospohlos
 
50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíbliapohlos
 
49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfapohlos
 
48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidadepohlos
 
47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastorpohlos
 
46. árvore de fruto
46. árvore de fruto46. árvore de fruto
46. árvore de frutopohlos
 
44. linguagem
44. linguagem44. linguagem
44. linguagempohlos
 
43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 milpohlos
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oraçãopohlos
 
41. estudo independente
41. estudo independente41. estudo independente
41. estudo independentepohlos
 
39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja i39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja ipohlos
 
40. trono
40. trono40. trono
40. tronopohlos
 
38. abismo
38. abismo38. abismo
38. abismopohlos
 
37. verduras
37. verduras37. verduras
37. verduraspohlos
 
35. senhor justiça nossa
35. senhor justiça nossa35. senhor justiça nossa
35. senhor justiça nossapohlos
 

Mais de pohlos (20)

56 pão temporal
56   pão temporal56   pão temporal
56 pão temporal
 
55. a norma mais alta
55. a norma mais alta55. a norma mais alta
55. a norma mais alta
 
54. o poder das trevas
54. o poder das trevas54. o poder das trevas
54. o poder das trevas
 
53. vans suspeitas
53. vans suspeitas53. vans suspeitas
53. vans suspeitas
 
52. o que é religião
52. o que é religião52. o que é religião
52. o que é religião
 
51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros
 
50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia
 
49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa
 
48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade
 
47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor
 
46. árvore de fruto
46. árvore de fruto46. árvore de fruto
46. árvore de fruto
 
44. linguagem
44. linguagem44. linguagem
44. linguagem
 
43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oração
 
41. estudo independente
41. estudo independente41. estudo independente
41. estudo independente
 
39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja i39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja i
 
40. trono
40. trono40. trono
40. trono
 
38. abismo
38. abismo38. abismo
38. abismo
 
37. verduras
37. verduras37. verduras
37. verduras
 
35. senhor justiça nossa
35. senhor justiça nossa35. senhor justiça nossa
35. senhor justiça nossa
 

Último

O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaFranklinOliveira30
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresAntonino Silva
 

Último (8)

O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarística
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
 

Como Deus nos fala através de Sua Palavra

  • 1.
  • 2. 1| Apostila–Como Deus nos Fala COMO DEUS NOS FALA A debilidade humana encontrará força e ajuda sobrenatural para realizar os atos da Onipotência em cada severo conflito; e a perseverança na fé e a confiança perfeita em Deus garantirão o sucesso. Embora a confederação do mal esteja disposta contra Seu povo, Ele ordena que sejam corajosos e fortes e lutem bravamente, pois têm um Céu a ganhar, e têm mais de um anjo em suas fileiras - o poderoso General dos exércitos lidera as hostes do Céu. Como por ocasião da tomada de Jericó, ninguém entre os exércitos de Israel pôde gabar-se de exercer sua força finita para derribar os muros daquela cidade, mas o Capitão do exército do Senhor planejou a batalha com grande simplicidade, a fim de que apenas o Senhor Deus recebesse a glória e os mortais não se exaltassem. Deus nos tem prometido todo o poder. (MM, CT, 135) Cuidai de não atacar nem uma vez. Precisamos de que o Espírito de Deus nos seja a vida e a voz. Nossa língua deve ser como a pena de um escritor capaz, porque o Espírito de Deus fala através do instrumento humano. Ao usardes dessa censura e ataque, misturastes parte de vós mesmos, e nada precisamos dessa mistura. Manuscrito 7, 1894. (Evangelismo 172) Os princípios que devem impelir-nos como obreiros na causa de Deus são enunciados pelo apóstolo Paulo. Ele diz: "De Deus somos cooperadores." I Cor. 3:9. "Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens." Col. 3:23. E Pedro exorta os crentes: "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo." I Ped. 4: 10 e 11. (MM, Exaltai-o, 232) Deus nos fala a nós por Sua Palavra. Aí temos em linhas mais claras a revelação de Seu caráter, de Seu procedimento com os homens, e da grande obra de redenção. Aí está aberta perante nós a história de patriarcas e profetas e outros homens santos da antiguidade. Eram homens sujeitos "às mesmas paixões que nós". Tia. 5: 17. Vemos como lutavam com abatimentos iguais aos nossos, como caíam sob tentações como também nós o temos feito, e
  • 3. Apostila–Como Deus nos Fala |2 contudo de novo se animavam e venciam pela graça de Deus; e considerando esses exemplos, ficamos animados em nossas lutas (C.C, 87) "Não tenhas medo do homem, pois Meu escudo te protegerá. Não és tu que falas: é o Senhor que dá as mensagens de advertência e reprovação. Nunca te desvies da verdade sob quaisquer circunstâncias. Comunica a luz que Eu te der. As mensagens para estes últimos dias serão escritas em livros, e ficarão imortalizadas, para testificar contra os que uma vez se regozijaram na luz, mas que foram levados a abandoná-la por causa das sedutoras influências do mal." (I, ME, 32) Todavia, novamente o Espírito de Deus fala a Jerusalém. Antes do fim do dia é dado outro testemunho em favor de Cristo. Ergue-se a voz desse testemunho, em correspondência com o chamado de um passado profético. Se Jerusalém atender ao chamado, se receber o Salvador que lhe está entrando pelas portas, poderá ainda ser salva. (DTN, 578) Parece estar-se apoderando do mundo, em muitos sentidos, uma intensidade qual nunca antes se viu. Nos divertimentos, no ganhar dinheiro, nas lutas pelo poderio, na própria luta pela existência, há uma força terrível que absorve o corpo, o espírito e a alma. Em meio dessa corrida louca, Deus fala. Ele nos ordena que fiquemos à parte e tenhamos comunhão com Ele. "Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus." Sal. 46:10. (Educação 260) Ao passo que a Palavra de Deus fala da humanidade de Cristo quando na Terra, fala também positivamente de Sua preexistência. A Palavra existia como um ser divino, mesmo como o Eterno Filho de Deus, em união e unidade com Seu Pai. Desde a eternidade fora o Mediador do concerto, Aquele em quem todas as nações da Terra, tanto judeus como gentios, caso O aceitassem, seriam abençoados. "O Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus." João 1:1. Antes que os homens ou os anjos fossem criados, o Verbo estava com Deus. (Evangelismo 615) Seja a vossa conversa de natureza tal que não tenhais de que vos arrepender. ... Se é deixada cair uma palavra em detrimento ao caráter de um amigo ou irmão, nunca estimuleis essa maledicência; pois é a obra do inimigo. Lembre-se o que fala que a Palavra de Deus proíbe essa espécie de conversa. ... O Redentor nos disse como O poderemos revelar ao mundo. Se nutrimos Seu Espírito, se manifestamos Seu amor uns para com os outros, se protegemos os mútuos interesses, somos bondosos, pacientes, sofredores, os frutos que produzimos
  • 4. 3| Apostila–Como Deus nos Fala darão prova perante o mundo de sermos filhos de Deus. ... Edificar-nos uns aos outros na santíssima fé é uma obra abençoada; derrubar é uma obra cheia de amargura e dor. ... (Nossa Alta Vocação, 179) A força espiritual de que fala essa passagem é algo que cada um de nós pode obter; mas como? Talvez estejamos em trevas, sentindo-nos fracos e desalentados, e achando que Deus não nos ama. Se for assim, não devemos dar lugar aos sentimentos; o sentimento nada tem que ver com a questão. Devemos tomar a Palavra de Deus ao pé da letra, e as palavras de Cristo como Ele as proferiu. (MM, Exaltai-o, 266) Todos nós precisamos estudar a vida de Cristo e as lições que Ele ministrou, para que saibamos como conduzir-nos em nossa relação uns com os outros. Acalentai a suavizante influência do Espírito de Deus. Lembrai-vos de que a linguagem é um talento de grande valor, se usado corretamente, e de que da abundância do coração fala a boca. Lembrai-vos também de que por vossas palavras sereis justificados e por vossas palavras sereis condenados. Palavras irrefletidas freqüentemente produzem dificuldades que de outro modo não existiriam. (MM, Este Dia com Deus, 223) Os filhos de Deus são chamados a ser representantes de Cristo, manifestando a bondade e a misericórdia do Senhor. Como Cristo nos revelou a nós o verdadeiro caráter do Pai, assim temos de manifestar Cristo ao mundo, o qual Lhe desconhece o terno e compassivo amor. "Assim como Tu Me enviaste ao mundo", disse Jesus, "também Eu os enviei ao mundo... para que o mundo creia que Tu Me enviaste." João 17:18 e 21. "Eu neles, e Tu em Mim... para que o mundo conheça que Tu Me enviaste a Mim." João 17:23. O apóstolo Paulo diz aos discípulos de Jesus: "É manifesto que vós sois a carta de Cristo... conhecida e lida por todos os homens." II Cor. 3:3 e 2. Em cada um de Seus filhos Jesus envia uma carta ao mundo. Se sois seguidores de Cristo, Ele manda por vosso intermédio uma carta à família, à cidade, à rua em que residis. Habitando em vós, Jesus deseja falar ao coração dos que não se acham relacionados com Ele. (C. A, 115) Como é diligente e constante a obra de um cristão verdadeiro! Tem sempre sobre si o jugo de Cristo. ... Possui genuína modéstia e não fala de suas habilitações e realizações. A auto-admiração não faz parte de sua experiência. Muito há que aprender acerca do que abrange o verdadeiro caráter cristão. Por certo que não é o orgulho próprio. ... A glória e majestade de Deus deve sempre encher nossa mente de um santo e reverente respeito,
  • 5. Apostila–Como Deus nos Fala |4 humilhando-nos no pó, perante Ele. Sua condescendência, Sua ampla e profunda compaixão, Sua ternura e amor, são-nos concedidos para fortalecer nossa confiança e remover aquele temor que tende para a escravidão. O Senhor deseja que Lhe demos tudo que existe de nós, uma vida cristã estável, bem equilibrada - vida que glorifique os princípios de Sua lei. (MM, Lugares Celestias, 185) Levai os livros aos homens de negócio e aos ensinadores do evangelho, cuja mente não foi atraída para as especiais verdades para este tempo. A mensagem deve ser dada nos "caminhos" - a homens que têm parte ativa no trabalho do mundo, aos ensinadores e dirigentes do povo. Milhares podem ser atingidos do modo mais simples e humilde. Os mais intelectuais, aqueles que são considerados os homens e mulheres mais dotados do mundo, são muitas vezes refrigerados pelas simples palavras de um que ama a Deus e que pode falar deste amor tão naturalmente como o mundano fala das coisas que mais profundamente o interessam. Muitas vezes as palavras bem preparadas e estudadas têm apenas pequena influência. Mas a verdadeira e honesta expressão de um filho ou filha de Deus, falada em natural simplicidade, tem poder para abrir a porta a corações que por muito tempo estiveram fechados contra Cristo e Seu amor. Review and Herald, 20 de janeiro de 1903. (Colportor. E, 39) Deus convida os professores a contemplarem os céus, e a estudar-Lhe as obras em a natureza. "Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das Suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite. Sem linguagem, sem fala, ouvem-se as suas vozes." Sal. 19:1-3. Não nos esforçaremos nós para compreender as maravilhosas obras de Deus? Faríamos bem em ler freqüentemente o Salmo dezenove, a fim de compreendermos como o Senhor liga Sua lei com as obras de Sua criação. (CPPE, 493) As palavras e promessas divinas são o único fundamento de nossa fé. Tomai a Palavra de Deus como verdade, como uma voz viva que vos fala, e obedecei fielmente a todos os seus reclamos. Fiel é o que prometeu. Deus cooperará com os esforços dos diretores e professores. A fraqueza de nossa fé é o que nos limita as bênçãos. Devemos ser mansos e humildes de coração. Diariamente podemos ter ricas evidências de Seu amor e misericórdia em nossos abnegados esforços de fazer o bem a outros. Rogo aos obreiros de nossas Escolas Sabatinas que se revistam de toda armadura
  • 6. 5| Apostila–Como Deus nos Fala de Deus e demonstrem sua fidelidade, como bons soldados de Jesus Cristo. Deus recompensará todo trabalho que for feito para Sua glória. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 26-29. (CSES, 72) Após matar o egípcio, viu que não tinha entendido o plano de Deus e fugiu do Egito, tornando-se pastor. Não mais planejava realizar uma grande obra, mas se tornou muito humilde; a névoa que lhe nublava a mente foi expelida e ele disciplinou sua mente para buscar a Deus como refúgio. Reconheceu a presença de Deus ao seu redor. A natureza toda parecia cheia da presença do Invisível. Ele conhecia a Deus como um Deus pessoal, e enquanto meditava em Seu caráter, cultivava mais e mais o senso de Sua presença. Encontrou refúgio nos braços eternos. Deus falava com Moisés face a face como um homem fala com seu amigo. Os brilhantes raios do Sol da Justiça lhe iluminavam o coração e as recâmaras da mente. Deus lhe era refúgio; Deus era sua habitação, seu lar. ... (MM, CT, 97) A lei de Deus requer que amemos aos outros assim como amamos a nós mesmos. Então, toda faculdade e ação da mente devem ser exercidas para esse fim - realizar a maior quantidade de bem. ... Quão agradável é ao Doador que empreguemos os régios dons da alma, a fim de que possam produzir efeito poderoso sobre outros! São eles o elo entre Deus e os seres humanos, e revelam o Espírito de Cristo e os atributos do Céu. O poder da santidade, que pode ser visto mas do qual não nos devemos vangloriar, fala com mais eloqüência do que os mais bem preparados sermões. Fala de Deus e expõe diante de homens e mulheres o seu dever, mais poderosamente do que o podem fazer meras palavras. Carta 39, 1887 (Manuscript Releases, vol. 20, págs. 137 e 138) (MM, CT, 209) Nos Salmos, Davi fala de Deus como sendo um refúgio e uma torre forte, refúgio e fortaleza; a Ele podemos correr e ser salvos. Quão precioso é o pensamento de que Deus é o nosso refúgio e Ele será nosso auxílio em todos os momentos e lugares, e de que em toda emergência temos Deus junto conosco. Ele diz que enviará Seus anjos para cuidarem de nós e nos guardarem em todos os nossos caminhos. ... Em nosso Deus temos um ajudador, e nEle confiaremos. Devemos olhar constantemente nessa direção, crendo que os anjos de Deus estão ao nosso redor, e que o Céu está em comunicação conosco, porque esses mensageiros celestes sobem e descem pela escada de brilhante resplendor. ...(MM, CT, 332)
  • 7. Apostila–Como Deus nos Fala |6 Uma profunda intuição de nossa necessidade e um grande desejo de receber as coisas que pedimos, devem caracterizar nossas orações, do contrário não serão ouvidas. Não nos devemos, porém, cansar, deixando de fazer nossas petições porque não recebemos resposta imediata. "... se faz violência ao reino dos Céus, e pela força se apoderam dele." Mat. 11:12. A violência de que aqui se fala é um santo fervor, como o manifestado por Jacó. Não precisamos tentar agitar-nos, na procura de uma sensação intensa; mas sim devemos, calma e persistentemente, elevar nossas petições ao trono da graça. Nossa obra é humilhar o coração perante Deus, confessando nossos pecados, e com fé nos aproximarmos de Deus. ... É propósito de Deus revelar-Se em Sua providência e Sua graça. O objetivo de nossas orações tem de ser a glória de Deus, não nossa própria glorificação. ... (MM, Cuidado de Deus 159)