O slideshow foi denunciado.

Comunicação R interpessoais

6.862 visualizações

Publicada em

Programa

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Comunicação R interpessoais

  1. 1. CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Técnico/a Auxiliar de Saúde PROGRAMA Componente de Formação Técnica Disciplina de COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES INTERPESSOAIS Escolas Proponentes / Autores (Coordenador) Agência Nacional para a Qualificação 2010
  2. 2. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 1 Parte I Orgânica Geral Índice: Página 1. Caracterização da Disciplina ……. ……….… 2 2. Visão Geral e objectivos do Programa. …...... 2 3. Competências a Desenvolver. ………………. 3 4. Orientações Metodológicas / Avaliação ……. 5 5. Elenco Modular …….....………………............ 6 6. Bibliografia …………………. ……………...…. 7
  3. 3. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 2 1. Caracterização da Disciplina A disciplina de Comunicação e Relações Interpessoais integra a componente técnica do curso profissional de Técnico/a Auxiliar de Saúde, com uma carga horária total de 175 horas e pretende-se fazer uma abordagem global e abrangente das relações interpessoais em contexto organizacional como componente da formação técnica. A problemática das relações humanas tem tido uma crescente importância na formação de técnicos especializados uma vez que a tendência para o trabalho cooperativo em equipa é uma realidade nas organizações dos mais variados ramos de actividade. Acresce que, no domínio da saúde, é reconhecida a necessidade de relacionamento com utentes nas mais variadas circunstâncias e contingências. Assim, esta disciplina permitirá ao aluno adquirir conhecimentos teóricos e ferramentas que lhe permitam, por um lado saber integrar-se numa equipa de trabalho e dar o seu contributo para as missões organizacionais e, por outro lado, reconhecer a necessidade de se relacionar com os utentes adoptando os comportamentos adequados a cada situação real. 2. Visão Geral do Programa Com este programa pretende-se que os alunos desenvolvam competências que permitam o exercício eficaz de variadas tarefas no âmbito da sua actividade constando de 4 módulos dos quais dois são relativos à problemática da comunicação e relações interpessoais, e outros dois são consagrados ao trabalho multidisciplinar particular nas unidades de saúde e a gestão do stress profissional. Neste contexto, o módulo 1 representa a primeira abordagem institucional ao fenómeno da comunicação na prestação dos cuidados de saúde. Reporta-se às linhas gerais de comunicação e às ferramentas adequadas no contexto da prestação do Auxiliar de Saúde. O módulo 2 pretende levar o aluno a reflectir acerca da problemática das exigências de trabalho em equipas multidisciplinares, procurando depois referenciar a reflexão numa perspectiva aplicada à actividade e respectivos profissionais na prestação de cuidados de saúde.
  4. 4. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE O módulo 4 constitui o núcleo do programa dedicado às relações interpessoais e comunicação na abordagem ao cliente, cuidador e familiares. Aborda fundamentos centrais no âmbito do comportamento organizacional e permite ao formando a aquisição de competências de relacionamento interpessoal e de comunicação. Pretende igualmente dotar os formandos de ferramentas adequadas e concertadas para a gestão do stress profissional. Nestes módulos, para além da explicitação teórica dos fenómenos abordados, é vital o 3 recurso à simulação de situações próximas do contexto real. 3. Competências a Desenvolver • Reconhecer a dinâmica das relações interpessoais para saber agir em contexto. • Compreender o comportamento humano no seu todo, abarcando o estudo dos processos que movem o indivíduo a agir de determinada maneira. • Contextualizar o conceito de influência social, determinante para a interacção social e interacção de grupo, e identificar os diversos tipos de conflito e as estratégias de resolução. • Conhecer as características das condições psicológicas que conduzem a comportamentos desmotivantes e conhecer os comportamentos mobilizadores da motivação. • Reconhecer a importância da comunicação no processo de relacionamento interpessoal e identificar as barreiras existentes no processo comunicativo. • Reconhecer a importância da qualidade das relações interpessoais para o desenvolvimento pessoal e profissional do indivíduo. • Saber qual o conceito de grupo, os diferentes tipos de grupos e o fenómeno da competição inter e intra-grupos. • Conhecimentos Básicos: - Grupos: conceito e princípios de funcionamento; - Trabalho em Equipa: equipas multidisciplinares em saúde; • Conhecimentos Fundamentais: - Atendimento telefónico e presencial em Serviços de Saúde; - Circuitos de informação e mecanismos de articulação entre unidades e serviços; - Comunicação e interculturalidade em Saúde;
  5. 5. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE - Comunicação e o Género em Saúde; - Comunicação na interacção com indivíduos: em situações de vulnerabilidade; com alterações sensoriais; com alterações de comportamento, e/ou alterações ou perturbações mentais; 4 - Comunicação na interacção com o utente, cuidador e/ ou família; - Equipas multidisciplinares nos diferentes contextos da saúde; - Erro humano: Conceito, causas e consequências; - Perfil profissional do Auxiliar de Saúde: contexto de intervenção; - Princípios éticos no desempenho profissional; • Saberes Técnicos: - Aplicar normas e procedimentos a adoptar perante uma situação de emergência no trabalho; - Aplicar técnicas de comunicação na interacção com o indivíduo com alterações sensoriais; - Aplicar técnicas de comunicação na interacção com o indivíduo em situação de vulnerabilidade; - Aplicar técnicas de comunicação na interacção com o indivíduo, cuidador e/ou família com alterações de comportamento ou alterações ou perturbações mentais; - Aplicar técnicas de comunicação no atendimento presencial e telefónico em serviços de saúde; - Aplicar técnicas preventivas de controlo e gestão do stress profissional nomeadamente em situações limite, sofrimento e agonia; - Cumprir e aplicar procedimentos definidos. • Saberes Relacionais / Sociais: - Agir em função das orientações do profissional de saúde e sob a sua supervisão; - Agir em função de normas e/ou procedimentos; - Agir em função de princípios de ética; - Agir em função de diferentes contextos institucionais no âmbito dos cuidados de saúde; - Agir em função do estado de saúde do utente, segundo orientação do profissional de saúde; - Agir em função dos aspectos culturais dos diferentes públicos; - Assumir uma atitude de melhoria contínua; - Concentrar-se na execução das tarefas; - Trabalhar em equipa multidisciplinar; - Agir em função do bem-estar de terceiros;
  6. 6. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE - Comunicar de forma clara e assertiva; - Cuidar da sua apresentação pessoal; - Demonstrar compreensão, paciência e sensibilidade na interacção com utentes; - Demonstrar interesse e disponibilidade na interacção com utentes, familiares e/ou 5 cuidadores; - Demonstrar interesse e disponibilidade na interacção com os colegas de trabalho; - Demonstrar segurança durante a execução das tarefas; - Autocontrolar-se em situações críticas e de limite. 4. Orientações Metodológicas / Avaliação A avaliação dos alunos deverá ser essencialmente contínua e apoiada em trabalhos de grupo e em fichas de verificação da aprendizagem, valorizando os critérios de participação, de empenhamento e respectiva oralidade. Deverão ainda ser privilegiadas as aulas teórico-práticas, com simulação de situações, bem como a realização de visitas de estudo, de forma a facilitar a aprendizagem dos alunos através da observação. Propõe-se ainda que a leccionação desta disciplina ocorra no primeiro e segundo anos do curso, no sentido de garantir um maior benefício e adequação das relações humanas na formação em contexto de trabalho.
  7. 7. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 6 5. Elenco Modular Número Designação Duração de referência (horas) 1 A comunicação na prestação de cuidados de saúde 50 2 O trabalho em equipas multidisciplinares na saúde 50 3 A comunicação na interacção com o cliente, cuidador e/ou família 50 4 A gestão do stress profissional em saúde 25 6. Bibliografia ADVIR, J. (1998): A Gestão Eficiente de uma equipa. Lisboa, Europa – América. ARCHER, E., (2005): Procedimentos e protocolos. Ed. Lab. CERCLE, A., SOMAT, A., (2001): Manual de Psicologia Social, Lisboa, Instituto Piaget. CHAMBEL, M. J., CURRAL, L., (2008): Psicologia Organizacional, da Estrutura à Cultura. Lisboa, Horizonte. CHIAPPORI, Pierre-André, (1999): Risco e Seguro. Local? Instituto Piaget. DEVILLARD, O., (2001): A Dinâmica das Equipas. Lisboa, Bertrand. FACHADA, M. O., (2005), Psicologia das Relações Interpessoais. Lisboa, Edições Rumo. FERREIRA, F. (1990): Moderna Saúde Pública, Local? Fundação Calouste Gulbenkian. FISCHHOFF, B.: Acceptable Risk. Cambridge, Cambridge University Press. GARDNER, H. (1980): Frames of mind: The Theory of Multiple intelligences. New York, Basic Books.
  8. 8. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE GOLEMAN, D. (1998): Trabalhar com a Inteligência Emocional. Lisboa, Temas e Debates. GUILFORD, J. (1980): Teorias de la Inteligência. In Manual de Psicologia Geral (Vol.3, p.440-470). Barcelona, Martinez Roca. HENNEZEL, M., (2006): Morrer de olhos abertos, Local? Casa das Letras. HENRIQUES, M. C. [et al], (2000) : Educação para a Cidadania. Lisboa, Plátano Editora. JOISEN, M., (2003): Técnicas de Comunicação Interpessoal. Lisboa, Bertrand. LEPLAT, J., (1985): Erreur humaine et fiabilité humaine dans le travail, Paris, Armand Colin,. LEVENS, J., Yzerbyt V., (2004): Psicologia Social. Lisboa, Edições 70. MONSERRAT, X., (2006): Como Motivar. Porto, Edições Asa. NEVES, A., (2002): Motivação para o trabalho. Lisboa, RH Editora. REGO, A., (2007): Comunicação Pessoal e Organizacional. Lisboa, Sílabo. SANTOS, F., (1998): Comunicar, Entrevistar, Conduzir Reuniões. Lisboa, IEFP. STUART, R., (2000): Jogos para Formadores - Desenvolvimento de Equipas. Lisboa, Monitor. 7 Materiais de multimédia, videos e CD-ROMS temáticos
  9. 9. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 8 Parte II Módulos Índice: Página Módulo 1 A comunicação na prestação de cuidados de saúde 9 Módulo 2 O trabalho em equipas multidisciplinares na saúde 12 Módulo 3 A comunicação na interacção com o cliente, cuidador e/ou família 15 Módulo 4 A gestão do stress profissional em saúde 18
  10. 10. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 9 MÓDULO 1 A comunicação na prestação de cuidados de saúde Duração de Referência: 50 horas 1. Apresentação Neste módulo, pretende-se desenvolver no aluno a consciência do papel fundamental que a comunicação desempenha no processo de relacionamento interpessoal. O presente módulo visa também dotar o aluno de saberes / competências comunicacionais essenciais no processo de relacionamento humano em particular no âmbito da saúde, tendo em vista a promoção do desenvolvimento de capacidades pessoais e sociais de atendimento. Pretende-se ainda sensibilizar o aluno para a importância de uma comunicação assertiva como factor de sucesso pessoal e profissional. 2. Objectivos de Aprendizagem • Caracterizar as diferentes técnicas de comunicação de acordo com o tipo de interlocutor; • Identificar o tipo de informação que pode prestar no seu âmbito de intervenção; • Executar as tarefas que se integram no âmbito de intervenção do Auxiliar de Saúde sob orientação e supervisão de um profissional de saúde; • Identificar as tarefas que têm de ser executadas sob supervisão directa do profissional de saúde e aquelas que podem ser executadas sozinho; • Aplicar técnicas de comunicação no atendimento telefónico em serviços de saúde; • Aplicar técnicas de comunicação na interacção com o utente no atendimento presencial em serviços de saúde; • Adequar a sua acção profissional a diferentes públicos e culturas; • Adequar a sua acção profissional a diferentes contextos institucionais no âmbito dos cuidados de saúde; • Reconhecer a importância da cultura institucional no agir profissional; • Comunicar de forma clara, precisa e assertiva; • Reconhecer a importância de demonstrar interesse e disponibilidade na interacção com utentes, familiares e/ou cuidadores;
  11. 11. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 10 Módulo 1: A comunicação na prestação de cuidados na saúde • Manter autocontrolo em situações críticas e de limite; • Distinguir o impacte das suas acções na interacção e bem-estar emocional de terceiros; • Respeitar os princípios de ética no desempenho das suas funções de Auxiliar de Saúde. 3. Âmbito dos Conteúdos 1. O processo de comunicação 1.1. Conceito e tipos de comunicação 1.2. Elementos básicos da comunicação 1.3. Factores que interferem na comunicação: Barreiras 1.4. Regras para uma comunicação eficaz 1.4.1. Particularidades e vantagens do perfil assertivo 1.4.2. Empatia 1.4.3. Escuta activa/escuta dinâmica 2. As técnicas de comunicação 2.1. Técnicas de comunicação perante comportamentos agressivos 2.2. Técnicas de comunicação para lidar com a ansiedade dos outros 2.3. Técnicas para manter uma comunicação eficaz com interlocutores em conflito 2.4. Técnicas de comunicação em situações de agonia e sofrimento 3. A comunicação no atendimento telefónico em serviços de saúde 3.1. Características 3.2. Os elementos chave no atendimento telefónico (o encaminhamento da chamada e a prestação do serviço informativo) 3.3. O atendimento telefónico como imagem do organismo e da qualidade de serviço 3.4. Técnicas para manter uma comunicação telefónica eficaz 3.5. Momentos críticos no atendimento telefónico 3.6. A resolução de casos típicos de atendimento telefónico
  12. 12. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 11 Módulo 1: A comunicação na prestação de cuidados na saúde 4. A comunicação no atendimento presencial em serviços de saúde 4.1. Características 4.2. Os elementos - chave no atendimento presencial (recepção e encaminhamento) 4.3. O atendimento presencial como imagem do organismo e da qualidade de serviço 4.4. Técnicas para manter uma comunicação eficaz com o utente 4.5. Momentos críticos no contacto com o utente 4.6. A resolução de casos típicos de atendimento presencial 5. Tarefas que em relação a esta temática se encontram no âmbito de intervenção do/a Auxiliar de Saúde 5.1. Tarefas que, sob orientação de um profissional de saúde, têm de ser executadas sob supervisão directa 5.2. Tarefas que, sob orientação e supervisão de um profissional de saúde, podem ser executadas sozinho/a 5.3. Tipos de informação que podem ser prestadas na interacção com o utente, cuidador e família 4. Bibliografia / Outros Recursos GOLEMAN, D. (1998): Trabalhar com a Inteligência Emocional. Lisboa, Temas e Debates. GUILFORD, J. (1980): Teorias de la Inteligência. In Manual de Psicologia Geral (Vol.3, p.440- 470). Barcelona, Martinez Roca. HENNEZEL, M., (2006): Morrer de olhos abertos, Casa das Letras. JOISEN, M., (2003): Técnicas de Comunicação Interpessoal. Lisboa, Bertrand. LEVENS, J., Yzerbyt V., (2004): Psicologia Social. Lisboa, Edições 70. MONSERRAT, X., (2006): Como Motivar. Porto, Asa. NEVES, A., (2002): Motivação para o trabalho. Lisboa, RH Editora. REGO, A., (2007): Comunicação Pessoal e Organizacional. Lisboa, Sílabo. SANTOS, F., (1998): Comunicar, Entrevistar, Conduzir Reuniões. Lisboa, IEFP. STUART, R., (2000): Jogos para Formadores - Desenvolvimento de Equipas. Lisboa, Monitor.
  13. 13. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 12 MÓDULO 2 O trabalho em equipas multidisciplinares na saúde Duração de Referência: 50 horas 1. Apresentação Neste módulo pretende-se que o aluno reconheça a importância da motivação nas relações interpessoais como factor mobilizador de comportamentos. Este módulo visa também dotar o aluno de uma atitude mais auto-crítica e consciencializá-lo da importância determinante das forças motivacionais para a sua conduta e para o seu desempenho. Pretende-se ainda sensibilizar o aluno para a relevância de vários aspectos pessoais e sociais na relação com o outro, que entenda o fenómeno grupal como um domínio privilegiado das relações interpessoais e reconheça a sua importância para o desenvolvimento social e organizacional. O presente módulo visa ainda que o aluno reflicta sobre o seu tipo de participação como membro de vários grupos sociais e organizacionais e potencie as suas capacidades de relacionamento inter e intra-grupais. 2. Objectivos de Aprendizagem • Definir o conceito de grupo e princípios de funcionamento, desenvolvimento, estrutura, evolução e dinâmica; • Identificar o conceito de trabalho em equipa, benefícios, constrangimentos e princípios de funcionamento; • Definir o conceito e reconhecer a importância da liderança no trabalho em equipa; • Definir o conceito de equipa multidisciplinar e seu funcionamento nos diferentes contextos da saúde; • Reconhecer o papel do Auxiliar de Saúde no funcionamento de uma equipa multidisciplinar; • Executar as tarefas que se integram no âmbito de intervenção do Auxiliar de Saúde sob orientação e supervisão de um profissional de saúde; • Distinguir as tarefas que têm de ser executadas sob supervisão directa do profissional de saúde das que podem ser executadas sozinho; • Reflectir e debater sobre o papel social, as atitudes e comportamentos no âmbito do trabalho em equipa;
  14. 14. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 13 Módulo 2: O trabalho em equipas multidisciplinares na saúde • Reflectir e debater sobre algumas práticas de trabalho em equipas multidisciplinares já implementadas ou em processo de implementação no sector da saúde; • Comunicar de forma clara, precisa e assertiva; • Manter autocontrolo em situações críticas e de limite; • Reconhecer o impacte das suas acções na interacção e bem-estar emocional de terceiros; • Respeitar os princípios de ética no desempenho das suas funções de Auxiliar de Saúde; • Valorizar a sua actividade para o trabalho de equipa multidisciplinar; • Agir de acordo com normas e/ou procedimentos definidos no âmbito das suas actividades; • Adequar a sua acção profissional a diferentes públicos e culturas; • Adequar a sua acção profissional a diferentes contextos institucionais no âmbito dos cuidados de saúde; • Reconhecer a importância de demonstrar interesse e disponibilidade na interacção com os colegas de trabalho. 3. Âmbito dos Conteúdos 1. Grupos 1.1. Conceito 1.2. Princípios de funcionamento: desenvolvimento, estrutura e evolução 1.3. Dinâmica de grupo 2. O trabalho em equipa 2.1. Conceito 2.2. Benefícios e constrangimentos do trabalho em equipa 2.3. Os objectivos partilhados em equipa 2.4. Liderança no trabalho em equipa: conceito, qualidades e estilos 3. Equipas multidisciplinares 3.1. Conceito 3.2. Influência social e papel social
  15. 15. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 14 Módulo 2: O trabalho em equipas multidisciplinares na saúde 3.3. Normas sociais 3.4. Atitudes e comportamentos 3.5. Modelos e práticas na saúde 4. Tarefas que em relação a esta temática se encontram no âmbito de intervenção do/a Auxiliar de Saúde 4.1. Tarefas que, sob orientação de um profissional de saúde, têm de ser executadas sob supervisão directa 4.2. Tarefas que, sob orientação e supervisão de um profissional de saúde, podem ser executadas sozinho 4. Bibliografia / Outros Recursos GOLEMAN, D. (1998): Trabalhar com a Inteligência Emocional. Lisboa, Temas e Debates. GUILFORD, J. (1980): Teorias de la Inteligência. In Manual de Psicologia Geral (Vol.3, p.440- 470). Barcelona, Martinez Roca. HENRIQUES, M. C. [et al], (2000) : Educação para a Cidadania. Lisboa, Plátano Editora. JOISEN, M., (2003): Técnicas de Comunicação Interpessoal. Lisboa, Bertrand. LEVENS, J., Yzerbyt V., (2004): Psicologia Social. Lisboa, Edições 70. MONSERRAT, X., (2006): Como Motivar. Porto, Edições Asa. NEVES, A., (2002): Motivação para o trabalho. Lisboa, RH Editora. REGO, A., (2007): Comunicação Pessoal e Organizacional. Lisboa, Sílabo. SANTOS, F., (1998): Comunicar, Entrevistar, Conduzir Reuniões. Lisboa, IEFP. STUART, R., (2000): Jogos para Formadores - Desenvolvimento de Equipas. Lisboa, Monitor.
  16. 16. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 15 MÓDULO 3 A comunicação na interacção com o cliente, cuidador e/ou família Duração de Referência: 50 horas 1. Apresentação Com este módulo, pretende-se que o aluno conheça e contextualize o conceito de influência social nos mecanismos de comunicação, enfatizando o processo de formação das normas sociais e atitudes, determinante para os alunos de cursos que impliquem grande interacção social. Será igualmente sublinhado o papel das atitudes e comportamentos perante o cliente, cuidador e familiares, bem como o conceito de interacção. Finalmente, com este módulo procurar-se-á que o aluno adquira saberes acerca do conceito de conflito, procurando identificar os diversos tipos de conflito e as diversas estratégias de resolução, determinantes para o seu futuro profissional. 2. Objectivos de Aprendizagem • Identificar possíveis estratégias para ultrapassar as barreiras na comunicação e interacção com o utente; • Identificar mitos e crenças comuns nas populações migrantes e minorias étnicas em Portugal; • Identificar os aspectos de natureza cultural, de género e de vulnerabilidade que podem consistir obstáculo à comunicação e à interacção; • Executar as tarefas que se integram no âmbito de intervenção do Auxiliar de Saúde sob orientação e supervisão de um profissional de saúde; • Distinguir as tarefas que têm de ser executadas sob supervisão directa do profissional de saúde das que podem ser executadas sozinho; • Aplicar técnicas de comunicação na interacção com o utente, cuidador e/ou família com alterações de comportamento ou alterações/perturbações mentais; • Aplicar técnicas de comunicação na interacção com utentes com alterações sensoriais; • Comunicar de forma clara, precisa e assertiva; • Demonstrar interesse e disponibilidade na interacção com utentes, familiares e/ou cuidadores;
  17. 17. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 16 Módulo 3: A comunicação na interacção com o cliente, cuidador e/ou família • Manter autocontrolo em situações críticas e de limite; • Agir em função das orientações do profissional de saúde; • Reconhecer o impacte das suas acções na interacção e bem-estar emocional de terceiros; • Respeitar os princípios de ética no desempenho das suas funções de Auxiliar de Saúde; • Adequar a sua acção profissional a diferentes públicos e culturas; • Adequar a sua acção profissional a diferentes contextos institucionais no âmbito dos cuidados de saúde; • Reconhecer a importância da cultura no agir profissional. 3. Âmbito dos Conteúdos 1. A comunicação na interacção com o utente, cuidador e/ou família 1.1. A comunicação na interacção com indivíduos em situações de vulnerabilidade 1.2. A comunicação na interacção com indivíduos com alterações de comportamento: 1.2.1. Agressividade 1.2.2. Agitação 1.2.3. Conflito 1.3. A comunicação na interacção com indivíduos com alterações ou perturbações mentais 2. A comunicação na interacção com o utente com alterações sensoriais 2.1. A comunicação não verbal 2.2. Outras linguagens 3. Comunicação e Interculturalidade em saúde 3.1. Barreiras interculturais na comunicação 3.2. Mitos e factos sobre saúde e (i)migração 4. A Comunicação e o Género em saúde 5. A comunicação na interacção com populações mais vulneráveis
  18. 18. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 17 Módulo 3: A comunicação na interacção com o cliente, cuidador e/ou família 6. Tarefas que em relação a esta temática se encontram no âmbito de intervenção do/a Auxiliar de Saúde 6.1. Tarefas que, sob orientação de um profissional de saúde, têm de ser executadas sob supervisão directa 6.2. Tarefas que, sob orientação e supervisão de um profissional de saúde, podem ser executadas sozinho 4. Bibliografia / Outros Recursos GOLEMAN, D. (1998): Trabalhar com a Inteligência Emocional. Lisboa, Temas e Debates. GUILFORD, J. (1980): Teorias de la Inteligência. In Manual de Psicologia Geral (Vol.3, p.440- 470). Barcelona, Martinez Roca. HENNEZEL, M., (2006): Morrer de olhos abertos, Casa das Letras. HENRIQUES, M. C. [et al], (2000) : Educação para a Cidadania. Lisboa, Plátano Editora. JOISEN, M., (2003): Técnicas de Comunicação Interpessoal. Lisboa, Bertrand. LEPLAT, J., (1985): Erreur humaine et fiabilité humaine dans le travail, Armand Colin, Paris. LEVENS, J., Yzerbyt V., (2004): Psicologia Social. Lisboa, Edições 70. MONSERRAT, X., (2006): Como Motivar. Porto, Asa. NEVES, A., (2002): Motivação para o trabalho. Lisboa, RH Editora. REGO, A., (2007): Comunicação Pessoal e Organizacional. Lisboa, Sílabo. SANTOS, F., (1998): Comunicar, Entrevistar, Conduzir Reuniões. Lisboa, IEFP. STUART, R., (2000): Jogos para Formadores - Desenvolvimento de Equipas. Lisboa, Monitor.
  19. 19. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 18 MÓDULO 4 A gestão do stress profissional em saúde Duração de Referência: 25 horas 1. Apresentação Este módulo procura estudar o comportamento humano no seu todo, abarcando o estudo dos processos que movem o indivíduo a agir de determinada maneira em situações de stress na área da saúde. Procurar-se-á entender o papel da motivação e o seu funcionamento, bem como os processos cognitivos e emocionais que regem o comportamento das pessoas. Abordar-se-ão os vários tipos de inteligência e o papel fundamental da inteligência emocional no estabelecimento de relações humanas e na gestão de situações limites. 2. Objectivos de Aprendizagem • Identificar o conceito de erro humano, causas, consequências negativas e medidas preventivas; • Identificar o conceito de stress, causas e consequências negativas do mesmo; • Identificar as técnicas preventivas, de controlo e gestão de stress profissional; • Identificar as técnicas de prevenção e protecção, de forma a lidar com situações de limite, agonia e sofrimento; • Executar as tarefas que se integram no âmbito de intervenção do Auxiliar de Saúde sob a orientação e supervisão de um profissional de saúde; • Distinguir as tarefas que têm de ser executadas sob supervisão directa do profissional de saúde das que podem ser executadas sozinho; • Aplicar técnicas preventivas, de controlo e gestão de stress profissional; • Aplicar técnicas de prevenção e protecção, de forma a lidar com situações de limite, agonia e sofrimento; • Demonstrar interesse e disponibilidade na interacção com utentes; • Manter autocontrolo em situações críticas e de limite;
  20. 20. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 19 Módulo 4: A gestão do stress profissional em saúde • Agir em função das orientações do profissional de saúde; • Reconhecer o impacte das suas acções na interacção e bem-estar emocional de terceiros; • Agir de acordo com normas e/ou procedimentos definidos no âmbito das suas actividades; • Demonstrar segurança durante a execução das suas tarefas; • Reconhecer a importância da concentração na execução das suas tarefas. 3. Âmbito dos Conteúdos 1. O erro humano 1.1. Conceito 1.2. Causas e consequências 1.3. Medidas preventivas 2. O stress 2.1. Conceito de stress 2.2. Factores de risco: emocionais, sociais, organizacionais 2.3. Sinais e sintomas 2.4. Consequências negativas do stress 2.5. Medidas preventivas 2.6. Técnicas de controlo e gestão de stress profissional 2.7. Como lidar com situações de agonia e sofrimento 2.8. Técnicas de auto-protecção 3. Tarefas que em relação a esta temática se encontram no âmbito de intervenção do/a Auxiliar de Saúde 3.1. Tarefas que, sob orientação de um profissional de saúde, têm de ser executadas sob supervisão directa 3.2. Tarefas que, sob orientação e supervisão de um profissional de saúde, podem ser executadas sozinho/a
  21. 21. Programa de Comunicação e Relações Interpessoais Cursos Profissionais TÉCNICO/A AUXILIAR DE SAÚDE 20 Módulo 4: A gestão do stress profissional em saúde 4. Bibliografia / Outros Recursos GOLEMAN, D. (1998): Trabalhar com a Inteligência Emocional. Lisboa, Temas e Debates. HENNEZEL, M., (2006): Morrer de olhos abertos, Local? Casa das Letras. HENRIQUES, M. C. [et al], (2000) : Educação para a Cidadania. Lisboa, Plátano Editora. LEVENS, J., Yzerbyt V., (2004): Psicologia Social. Lisboa, Edições 70. MONSERRAT, X., (2006): Como Motivar. Porto, Asa. NEVES, A., (2002): Motivação para o trabalho. Lisboa, RH Editora. STUART, R., (2000): Jogos para Formadores - Desenvolvimento de Equipas. Lisboa, Monitor.

×