O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

A comunicacao na interacao com o utente com alteracoes sensoriais

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

Confira estes a seguir

1 de 13 Anúncio

A comunicacao na interacao com o utente com alteracoes sensoriais

UFCD 6560 – Comunicação na interação com o utente, cuidador e/ou família
2- A comunicação na interação com o utente com alterações sensoriais:
2.1- A Comunicação não-verbal
2.2 - Outras linguagens

UFCD 6560 – Comunicação na interação com o utente, cuidador e/ou família
2- A comunicação na interação com o utente com alterações sensoriais:
2.1- A Comunicação não-verbal
2.2 - Outras linguagens

Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Semelhante a A comunicacao na interacao com o utente com alteracoes sensoriais (20)

Anúncio

Mais de Lurdesmartins17 (18)

Mais recentes (20)

Anúncio

A comunicacao na interacao com o utente com alteracoes sensoriais

  1. 1. Formadora: Lurdes Martins UFCD 6560 COMUNICAÇÃO NA INTERAÇÃO COM O UTENTE, CUIDADOR E/OU FAMILIA
  2. 2. 2 - A C O M U N I C A Ç Ã O N A I N T E R A Ç Ã O C O M I N D I V Í D U O S C O M A L T E R A Ç Õ E S S E N S O R I A I S
  3. 3.  O que são alterações sensoriais? • A perceção que temos do Mundo e das pessoas ocorre invariavelmente através dos sentidos. • Quando as pessoas têm transtornos no processamento sensorial, a perceção das mesmas situações pode ser completamente diferente! Um barulho pode ferir os ouvidos, um abraço pode magoar!
  4. 4. O que são alterações sensoriais? • Envelhecimento: perda auditiva, visual, do paladar, olfato e do tato. O olfato e o paladar estão ligados à grande perda do interesse e da motivação nessa idade. • Com o envelhecimento, esses sentidos ficam bastante reduzidos, além de se tornarem menos eficientes, provocando inadequações no processo de ingestão de alimentos.
  5. 5.  O que são alterações sensoriais? • Quedas, queimaduras, desequilíbrio, falta de capacidade para segurar em objetos são algumas das consequências da perda do tato. • À medida que a pele envelhece, pode haver algumas diferenças na maneira como esses recetores codificam o contacto na superfície do corpo. O recetor tátil mais importante está nas articulações e músculos, que são afetados com a idade, e é por isso que as pessoas mais velhas caem com mais frequência.
  6. 6. 2 . 1 - A C O M U N I C A Ç Ã O N Ã O V E R B A L
  7. 7. A comunicação, na interação com o doente, com alterações sensoriais Tem como principio compreender Expressão não - verbal Que significa Mensagens emitidas pela linguagem corporal, ou seja, sem uso das palavras Expressão verbal do utente Que significa Mensagens faladas ou escritas  OS VÁRIOS TIPOS DE COMUNICAÇÃO
  8. 8.  Comunicação não verbal • O/a portador/a de doença mental pode ter dificuldade em expressar os seus pensamentos ou formular frases completas e coerentes. • Se a fala representa um obstáculo na comunicação, encontre outras formas de comunicar: esteja atento à linguagem corporal e às expressões faciais, tanto do doente como das suas – evite movimentos bruscos e o revirar os olhos. • Por vezes, apontar para algum objeto pode facilitar a comunicação, por isso, peça ao doente para fazer o mesmo quando estiver com dificuldades em transmitir alguma ideia. • Perante uma palavra ou frase sem sentido, não se ria, respeite o ser humano que tem à sua frente e desenvolva, o mais possível, as suas competências de comunicação.
  9. 9.  Comunicação não verbal • Mimos e carinhos (verdadeiros) - A dificuldade em comunicar pode frustrar o doente, levando-o à depressão e ao isolamento, o que significa que precisa, mais do que nunca, do sentimento de pertença e de segurança. - Faça-lhe companhia numa das suas atividades preferidas, segure-lhe na mão, ou dê-lhe um abraço forte – são gestos tão ou mais poderosos do que as palavras. - É importante perceber se o toque será ou não bem-vindo, o que só é possível, conhecendo o utente e construindo uma relação de confiança e empática.
  10. 10. A expressão não – verbal do utente *Expressão facial *Movimentos dos olhos e da cabeça *Movimento do corpo *Postura *Gestos *Silêncio *Palidez *Sorriso Este meio de comunicação, requer uma especial atenção por parte dos técnicos de saúde e torna-se importante, uma vez que o objetivo, é considerar o doente como uma pessoa singular, onde os cuidados ao utente deverão ser feitos de forma individualizada.  Comunicação não verbal
  11. 11. 2 . 2 – O U T R A S L I N G U A G E N S
  12. 12. Diferentes tipos de comunicação verbal CINÉSICA *Maneira de estar *De olhar *Gestos *Expressão facial PARALINGUAGEM OU PARAVERBAL *Enfase dada a determinadas palavras *Grunhido *Choro *Soluços *Gemidos forçados PROXÉMICA *Aproximação técnica/doente *Aproximação corporal TACÉSICA *Expressão de efetividade Carinho Segurança confiança Promove a melhoria dos cuidados a prestar ao doente Linguagem do corpo
  13. 13. Tenha orgulho em ser um profissional competente e com espírito de serviço, centrado no outro. Os utentes agradecem e as organizações evoluem!

×