SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Formadora: Lurdes Martins
UFCD 6560
COMUNICAÇÃO
NA INTERAÇÃO
COM O UTENTE,
CUIDADOR E/OU
FAMILIA
6 – T A R E F A S Q U E E M
R E L A Ç Ã O A E S T A T E M Á T I C A
S E E N C O N T R A M N O Â M B I T O
D E I N T E R V E N Ç Ã O D O / A
T É C N I C O / A A U X I L I A R D E
S A Ú D E
• Auxiliar na prestação de cuidados aos utentes, de acordo com orientações do
enfermeiro;
• Executar tarefas que exijam uma intervenção imediata e simultânea ao alerta do
técnico/a de saúde.
• Relação de ajuda ao doente/utente, convivente significativo ou familiar;
• Promoção da melhoria do estado de saúde do doente em situação de urgência ou
emergência;
• O cuidar de doentes que se encontram em risco de vida;
• A identificação de problemas nos doentes;
• Aspetos da comunicação com o doente e a família.
 Tarefas que, sob orientação de um profissional de saúde, tem
de executar sob sua supervisão direta
• Adaptar-se e atualizar-se a novos produtos, materiais, equipamentos e
tecnologias.
• Agir em função das orientações do profissional de saúde e sob a sua
supervisão.
• Agir em função de normas e/ou procedimentos.
• Agir em função de princípios de ética.
• Agir em função do estado de saúde do utente,
• Agir em função dos aspetos culturais dos diferentes públicos.
• Assumir uma atitude de melhoria contínua.
• Concentrar-se na execução das tarefas.
• Trabalhar em equipa multidisciplinar.
 O Técnico/a auxiliar de saúde deve
• Agir em função do bem-estar de terceiros.
• Comunicar de forma clara e assertiva
• Demonstrar compreensão, paciência e sensibilidade na interação com
utentes.
• Demonstrar interesse e disponibilidade na interação com utentes,
familiares e/ou cuidadores.
• Demonstrar interesse e disponibilidade na interação com os colegas
de trabalho.
• Demonstrar segurança durante a execução das tarefas.
• Autocontrolar-se em situações críticas e de limite.
 O Técnico/a auxiliar de saúde deve
• Auxiliar na prestação de cuidados aos utentes, de acordo com orientações do
enfermeiro.
• Auxiliar nos cuidados pós-morte, de acordo com orientações do profissional de
saúde.
• Assegurar a limpeza, higienização e transporte de roupas, espaços, materiais e
equipamentos, sob a orientação de profissional de saúde.
• Assegurar atividades de apoio ao funcionamento das diferentes unidades e
serviços de saúde.
 Tarefas que o/a técnico/a auxiliar de saúde, sob orientação e
supervisão, pode executar sozinho/a:
• Auxiliar o profissional de saúde na recolha de amostras biológicas e transporte
para o serviço adequado, de acordo com normas e/ou procedimentos definidos;
• Efetuar o transporte de informação entre as diferentes unidades e serviços de
prestação de cuidados de saúde;
• Encaminhar os contactos telefónicos de acordo com normas e/ ou procedimentos
definidos;
• Encaminhar o utente, familiar e/ou cuidador, de acordo com normas e/ ou
procedimentos definidos.
 Tarefas que o/a técnico/a auxiliar de saúde, sob orientação e
supervisão, pode executar sozinho/a:
• Ter capacidade de especificar e fazer especificar;
• Ter capacidade de respeitar-se a si mesmo e ao utente;
• Ter capacidade de ser congruente consigo mesmo e na relação com o
utente;
• Ter capacidade de ser simpático;
• Ter capacidade de confrontar-se e confrontar os outros;
• Ter capacidade de escuta.
 O técnico/a de saúde que ajuda deve possuir algumas
capacidades:
Tenha orgulho em ser um
profissional competente e com
espírito de serviço, centrado no
outro.
Os utentes agradecem e as
organizações evoluem!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A comunicação na interação com indivíduos com alterações de comportamento: ag...
A comunicação na interação com indivíduos com alterações de comportamento: ag...A comunicação na interação com indivíduos com alterações de comportamento: ag...
A comunicação na interação com indivíduos com alterações de comportamento: ag...Lurdes Martins
 
Comunicação R interpessoais
Comunicação R interpessoaisComunicação R interpessoais
Comunicação R interpessoaisCarlos Vaz
 
Prova de Aptidão Profissional - PAP
Prova de Aptidão Profissional - PAPProva de Aptidão Profissional - PAP
Prova de Aptidão Profissional - PAPkatana24 Sobrenome
 
UFCD_6567 Noções Gerais sobre o Sistema Gastrointestinal, Urinário e Genito-R...
UFCD_6567 Noções Gerais sobre o Sistema Gastrointestinal, Urinário e Genito-R...UFCD_6567 Noções Gerais sobre o Sistema Gastrointestinal, Urinário e Genito-R...
UFCD_6567 Noções Gerais sobre o Sistema Gastrointestinal, Urinário e Genito-R...Manuais Formação
 
UFCD - 6585 - CUIDADOS E TRANSPORTE NAS UNIDADES E SERVIÇOS DA REDE NACIONAL ...
UFCD - 6585 - CUIDADOS E TRANSPORTE NAS UNIDADES E SERVIÇOS DA REDE NACIONAL ...UFCD - 6585 - CUIDADOS E TRANSPORTE NAS UNIDADES E SERVIÇOS DA REDE NACIONAL ...
UFCD - 6585 - CUIDADOS E TRANSPORTE NAS UNIDADES E SERVIÇOS DA REDE NACIONAL ...Manualis
 
Ufcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índice
Ufcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índiceUfcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índice
Ufcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índiceManuais Formação
 
UFCD - 6580 - Cuidados na Saúde a Populações mais Vulneráveis
UFCD - 6580 - Cuidados na Saúde a Populações mais VulneráveisUFCD - 6580 - Cuidados na Saúde a Populações mais Vulneráveis
UFCD - 6580 - Cuidados na Saúde a Populações mais VulneráveisManualis
 
A comunicacao na interacao com o utente com alteracoes sensoriais
A comunicacao na interacao com o utente com alteracoes sensoriaisA comunicacao na interacao com o utente com alteracoes sensoriais
A comunicacao na interacao com o utente com alteracoes sensoriaisLurdesmartins17
 
Princípios para uma deontologia profissional
Princípios para uma deontologia profissionalPrincípios para uma deontologia profissional
Princípios para uma deontologia profissionalPaulo Rui
 
UFCD - 6581- Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581-   Stress em Profissionais de SaúdeUFCD - 6581-   Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581- Stress em Profissionais de SaúdeNome Sobrenome
 
Comunicação terapêutica em saúde mental
Comunicação terapêutica em saúde mentalComunicação terapêutica em saúde mental
Comunicação terapêutica em saúde mentalFrancisco Santos
 
Tarefas do tas higiene seguranca e saude
Tarefas do tas higiene seguranca e saudeTarefas do tas higiene seguranca e saude
Tarefas do tas higiene seguranca e saudeLurdesmartins17
 
Ufcd 6580 cuidados na saúde a populações mais vulneráveis
Ufcd 6580 cuidados na saúde a populações mais vulneráveisUfcd 6580 cuidados na saúde a populações mais vulneráveis
Ufcd 6580 cuidados na saúde a populações mais vulneráveisManuais Formação
 
UFCD - 6574- Cuidados na Higiene, Conforto e Eliminação
UFCD - 6574-  Cuidados na Higiene, Conforto e EliminaçãoUFCD - 6574-  Cuidados na Higiene, Conforto e Eliminação
UFCD - 6574- Cuidados na Higiene, Conforto e EliminaçãoNome Sobrenome
 
UFCD_6577_Cuidados na saúde infantil_índice
UFCD_6577_Cuidados na saúde infantil_índiceUFCD_6577_Cuidados na saúde infantil_índice
UFCD_6577_Cuidados na saúde infantil_índiceManuais Formação
 
UFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares .pptx
UFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares  .pptxUFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares  .pptx
UFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares .pptxNome Sobrenome
 
UFCD - 6560 - Comunicação na Interação com o Utente, Cuidador e/ou Família
UFCD - 6560 -  Comunicação na Interação com o Utente, Cuidador e/ou FamíliaUFCD - 6560 -  Comunicação na Interação com o Utente, Cuidador e/ou Família
UFCD - 6560 - Comunicação na Interação com o Utente, Cuidador e/ou FamíliaManualis
 
219275986 manual-ufcd-6571-tecnicas-de-posicionamento-mobilizacao-transferenc...
219275986 manual-ufcd-6571-tecnicas-de-posicionamento-mobilizacao-transferenc...219275986 manual-ufcd-6571-tecnicas-de-posicionamento-mobilizacao-transferenc...
219275986 manual-ufcd-6571-tecnicas-de-posicionamento-mobilizacao-transferenc...Patricia Mendes
 

Mais procurados (20)

A comunicação na interação com indivíduos com alterações de comportamento: ag...
A comunicação na interação com indivíduos com alterações de comportamento: ag...A comunicação na interação com indivíduos com alterações de comportamento: ag...
A comunicação na interação com indivíduos com alterações de comportamento: ag...
 
UFCD_6573_QUALIDADE NA SAÚDE
UFCD_6573_QUALIDADE NA SAÚDEUFCD_6573_QUALIDADE NA SAÚDE
UFCD_6573_QUALIDADE NA SAÚDE
 
Comunicação R interpessoais
Comunicação R interpessoaisComunicação R interpessoais
Comunicação R interpessoais
 
Prova de Aptidão Profissional - PAP
Prova de Aptidão Profissional - PAPProva de Aptidão Profissional - PAP
Prova de Aptidão Profissional - PAP
 
UFCD_6567 Noções Gerais sobre o Sistema Gastrointestinal, Urinário e Genito-R...
UFCD_6567 Noções Gerais sobre o Sistema Gastrointestinal, Urinário e Genito-R...UFCD_6567 Noções Gerais sobre o Sistema Gastrointestinal, Urinário e Genito-R...
UFCD_6567 Noções Gerais sobre o Sistema Gastrointestinal, Urinário e Genito-R...
 
UFCD - 6585 - CUIDADOS E TRANSPORTE NAS UNIDADES E SERVIÇOS DA REDE NACIONAL ...
UFCD - 6585 - CUIDADOS E TRANSPORTE NAS UNIDADES E SERVIÇOS DA REDE NACIONAL ...UFCD - 6585 - CUIDADOS E TRANSPORTE NAS UNIDADES E SERVIÇOS DA REDE NACIONAL ...
UFCD - 6585 - CUIDADOS E TRANSPORTE NAS UNIDADES E SERVIÇOS DA REDE NACIONAL ...
 
Ufcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índice
Ufcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índiceUfcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índice
Ufcd 6582 cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem_índice
 
UFCD - 6580 - Cuidados na Saúde a Populações mais Vulneráveis
UFCD - 6580 - Cuidados na Saúde a Populações mais VulneráveisUFCD - 6580 - Cuidados na Saúde a Populações mais Vulneráveis
UFCD - 6580 - Cuidados na Saúde a Populações mais Vulneráveis
 
A comunicacao na interacao com o utente com alteracoes sensoriais
A comunicacao na interacao com o utente com alteracoes sensoriaisA comunicacao na interacao com o utente com alteracoes sensoriais
A comunicacao na interacao com o utente com alteracoes sensoriais
 
Princípios para uma deontologia profissional
Princípios para uma deontologia profissionalPrincípios para uma deontologia profissional
Princípios para uma deontologia profissional
 
UFCD - 6581- Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581-   Stress em Profissionais de SaúdeUFCD - 6581-   Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581- Stress em Profissionais de Saúde
 
Comunicação terapêutica em saúde mental
Comunicação terapêutica em saúde mentalComunicação terapêutica em saúde mental
Comunicação terapêutica em saúde mental
 
Tarefas do tas higiene seguranca e saude
Tarefas do tas higiene seguranca e saudeTarefas do tas higiene seguranca e saude
Tarefas do tas higiene seguranca e saude
 
Ufcd 6580 cuidados na saúde a populações mais vulneráveis
Ufcd 6580 cuidados na saúde a populações mais vulneráveisUfcd 6580 cuidados na saúde a populações mais vulneráveis
Ufcd 6580 cuidados na saúde a populações mais vulneráveis
 
Qualidade na Saúde
 Qualidade na Saúde  Qualidade na Saúde
Qualidade na Saúde
 
UFCD - 6574- Cuidados na Higiene, Conforto e Eliminação
UFCD - 6574-  Cuidados na Higiene, Conforto e EliminaçãoUFCD - 6574-  Cuidados na Higiene, Conforto e Eliminação
UFCD - 6574- Cuidados na Higiene, Conforto e Eliminação
 
UFCD_6577_Cuidados na saúde infantil_índice
UFCD_6577_Cuidados na saúde infantil_índiceUFCD_6577_Cuidados na saúde infantil_índice
UFCD_6577_Cuidados na saúde infantil_índice
 
UFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares .pptx
UFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares  .pptxUFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares  .pptx
UFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares .pptx
 
UFCD - 6560 - Comunicação na Interação com o Utente, Cuidador e/ou Família
UFCD - 6560 -  Comunicação na Interação com o Utente, Cuidador e/ou FamíliaUFCD - 6560 -  Comunicação na Interação com o Utente, Cuidador e/ou Família
UFCD - 6560 - Comunicação na Interação com o Utente, Cuidador e/ou Família
 
219275986 manual-ufcd-6571-tecnicas-de-posicionamento-mobilizacao-transferenc...
219275986 manual-ufcd-6571-tecnicas-de-posicionamento-mobilizacao-transferenc...219275986 manual-ufcd-6571-tecnicas-de-posicionamento-mobilizacao-transferenc...
219275986 manual-ufcd-6571-tecnicas-de-posicionamento-mobilizacao-transferenc...
 

Semelhante a Técnico auxiliar saúde tarefas orientação

tc3a9cnico-auxiliar-de-sac3bade.pdf
tc3a9cnico-auxiliar-de-sac3bade.pdftc3a9cnico-auxiliar-de-sac3bade.pdf
tc3a9cnico-auxiliar-de-sac3bade.pdfMiguelAlmeida502577
 
2 visita domiciliar
2  visita domiciliar2  visita domiciliar
2 visita domiciliarMarcos EAna
 
UFCD6585 Namual TAS 3.pptx
UFCD6585 Namual TAS 3.pptxUFCD6585 Namual TAS 3.pptx
UFCD6585 Namual TAS 3.pptxNome Sobrenome
 
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoSeminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoLaíz Coutinho
 
Como a Farmácia Universitária Pode Contribuir para a Formação nas Atividades ...
Como a Farmácia Universitária Pode Contribuir para a Formação nas Atividades ...Como a Farmácia Universitária Pode Contribuir para a Formação nas Atividades ...
Como a Farmácia Universitária Pode Contribuir para a Formação nas Atividades ...angelitamelo
 
UFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃO
UFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃOUFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃO
UFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃOManualis
 
UFCD - 6578 - Cuidados na Saúde Materna
UFCD - 6578 - Cuidados na Saúde MaternaUFCD - 6578 - Cuidados na Saúde Materna
UFCD - 6578 - Cuidados na Saúde Maternasarapratas
 
UFCD - 6578 - Cuidados na Saúde Materna
UFCD - 6578 - Cuidados na Saúde MaternaUFCD - 6578 - Cuidados na Saúde Materna
UFCD - 6578 - Cuidados na Saúde MaternaManualis
 
Manual de cuidador adulto final
Manual de cuidador adulto finalManual de cuidador adulto final
Manual de cuidador adulto finalgcmrs
 
UFCD 6575 - Cuidados na Alimentação e Hidratação
UFCD 6575 - Cuidados na Alimentação e HidrataçãoUFCD 6575 - Cuidados na Alimentação e Hidratação
UFCD 6575 - Cuidados na Alimentação e HidrataçãoManualis
 
ENFERMAGEM HOME CARE E SERVIÇOS NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR.pptx
ENFERMAGEM HOME CARE E SERVIÇOS NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR.pptxENFERMAGEM HOME CARE E SERVIÇOS NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR.pptx
ENFERMAGEM HOME CARE E SERVIÇOS NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR.pptxCinthiaAlves29
 
UFCD_6560 Comunicação na interação com o utente, cuidador e ou família
UFCD_6560 Comunicação na interação com o utente, cuidador e ou famíliaUFCD_6560 Comunicação na interação com o utente, cuidador e ou família
UFCD_6560 Comunicação na interação com o utente, cuidador e ou famíliaManuais Formação
 
Atuação do enfermerio na visita domiciliar ao idoso demenciado acamado
Atuação do enfermerio na visita domiciliar ao idoso demenciado acamadoAtuação do enfermerio na visita domiciliar ao idoso demenciado acamado
Atuação do enfermerio na visita domiciliar ao idoso demenciado acamadocarolinylimadocarmo
 
ÉTICA-E-LEGISLAÇÃO-AULA (1).pptx
ÉTICA-E-LEGISLAÇÃO-AULA (1).pptxÉTICA-E-LEGISLAÇÃO-AULA (1).pptx
ÉTICA-E-LEGISLAÇÃO-AULA (1).pptxFrancielleConstantin
 
Apresentacao-Antonio-corrigida.pptx
Apresentacao-Antonio-corrigida.pptxApresentacao-Antonio-corrigida.pptx
Apresentacao-Antonio-corrigida.pptxJuanitoFlorentino4
 

Semelhante a Técnico auxiliar saúde tarefas orientação (20)

tc3a9cnico-auxiliar-de-sac3bade.pdf
tc3a9cnico-auxiliar-de-sac3bade.pdftc3a9cnico-auxiliar-de-sac3bade.pdf
tc3a9cnico-auxiliar-de-sac3bade.pdf
 
2 visita domiciliar
2  visita domiciliar2  visita domiciliar
2 visita domiciliar
 
UFCD6585 Namual TAS 3.pptx
UFCD6585 Namual TAS 3.pptxUFCD6585 Namual TAS 3.pptx
UFCD6585 Namual TAS 3.pptx
 
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoSeminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
 
Como a Farmácia Universitária Pode Contribuir para a Formação nas Atividades ...
Como a Farmácia Universitária Pode Contribuir para a Formação nas Atividades ...Como a Farmácia Universitária Pode Contribuir para a Formação nas Atividades ...
Como a Farmácia Universitária Pode Contribuir para a Formação nas Atividades ...
 
Gislaine Cresmashi Lima Padovan
Gislaine Cresmashi Lima PadovanGislaine Cresmashi Lima Padovan
Gislaine Cresmashi Lima Padovan
 
UFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃO
UFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃOUFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃO
UFCD - 6575 - CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E NA HIDRATAÇÃO
 
UFCD - 6578 - Cuidados na Saúde Materna
UFCD - 6578 - Cuidados na Saúde MaternaUFCD - 6578 - Cuidados na Saúde Materna
UFCD - 6578 - Cuidados na Saúde Materna
 
UFCD - 6578 - Cuidados na Saúde Materna
UFCD - 6578 - Cuidados na Saúde MaternaUFCD - 6578 - Cuidados na Saúde Materna
UFCD - 6578 - Cuidados na Saúde Materna
 
Autocuidado Apoiado
Autocuidado ApoiadoAutocuidado Apoiado
Autocuidado Apoiado
 
Manual de cuidador adulto final
Manual de cuidador adulto finalManual de cuidador adulto final
Manual de cuidador adulto final
 
UFCD 6575 - Cuidados na Alimentação e Hidratação
UFCD 6575 - Cuidados na Alimentação e HidrataçãoUFCD 6575 - Cuidados na Alimentação e Hidratação
UFCD 6575 - Cuidados na Alimentação e Hidratação
 
Joana_Autocuidado
Joana_AutocuidadoJoana_Autocuidado
Joana_Autocuidado
 
ENFERMAGEM HOME CARE E SERVIÇOS NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR.pptx
ENFERMAGEM HOME CARE E SERVIÇOS NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR.pptxENFERMAGEM HOME CARE E SERVIÇOS NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR.pptx
ENFERMAGEM HOME CARE E SERVIÇOS NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR.pptx
 
UFCD_6560 Comunicação na interação com o utente, cuidador e ou família
UFCD_6560 Comunicação na interação com o utente, cuidador e ou famíliaUFCD_6560 Comunicação na interação com o utente, cuidador e ou família
UFCD_6560 Comunicação na interação com o utente, cuidador e ou família
 
Enfermagem Domicilar
Enfermagem DomicilarEnfermagem Domicilar
Enfermagem Domicilar
 
Cursose clinico intensivo
Cursose clinico intensivoCursose clinico intensivo
Cursose clinico intensivo
 
Atuação do enfermerio na visita domiciliar ao idoso demenciado acamado
Atuação do enfermerio na visita domiciliar ao idoso demenciado acamadoAtuação do enfermerio na visita domiciliar ao idoso demenciado acamado
Atuação do enfermerio na visita domiciliar ao idoso demenciado acamado
 
ÉTICA-E-LEGISLAÇÃO-AULA (1).pptx
ÉTICA-E-LEGISLAÇÃO-AULA (1).pptxÉTICA-E-LEGISLAÇÃO-AULA (1).pptx
ÉTICA-E-LEGISLAÇÃO-AULA (1).pptx
 
Apresentacao-Antonio-corrigida.pptx
Apresentacao-Antonio-corrigida.pptxApresentacao-Antonio-corrigida.pptx
Apresentacao-Antonio-corrigida.pptx
 

Mais de Lurdesmartins17

3 a importancia da vigilancia da saude materna parte ii
3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte ii3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte ii
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte iiLurdesmartins17
 
2 hereditariedade reproduçao_desenvolvimento embrionario
2 hereditariedade reproduçao_desenvolvimento embrionario2 hereditariedade reproduçao_desenvolvimento embrionario
2 hereditariedade reproduçao_desenvolvimento embrionarioLurdesmartins17
 
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte i
3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte i3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte i
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte iLurdesmartins17
 
1 interrupçao voluntaria gravidez
1 interrupçao voluntaria gravidez1 interrupçao voluntaria gravidez
1 interrupçao voluntaria gravidezLurdesmartins17
 
Morbilidade e mortalidade-infantil
Morbilidade e mortalidade-infantilMorbilidade e mortalidade-infantil
Morbilidade e mortalidade-infantilLurdesmartins17
 
5 metodos de introdução alimentar
5  metodos de introdução alimentar5  metodos de introdução alimentar
5 metodos de introdução alimentarLurdesmartins17
 
3 necessidades nutricionais
3  necessidades nutricionais3  necessidades nutricionais
3 necessidades nutricionaisLurdesmartins17
 
3 alimentação primeiro ano de vida
3  alimentação primeiro ano de vida3  alimentação primeiro ano de vida
3 alimentação primeiro ano de vidaLurdesmartins17
 
1 direitos e deveres crianças
1 direitos e deveres crianças1 direitos e deveres crianças
1 direitos e deveres criançasLurdesmartins17
 
3.1 sinalizacao de seguranca no local de trabalho
3.1 sinalizacao de seguranca no local de trabalho3.1 sinalizacao de seguranca no local de trabalho
3.1 sinalizacao de seguranca no local de trabalhoLurdesmartins17
 
Tipologia riscos profissionais_eletricos_incendio _radiacoes
Tipologia riscos profissionais_eletricos_incendio _radiacoesTipologia riscos profissionais_eletricos_incendio _radiacoes
Tipologia riscos profissionais_eletricos_incendio _radiacoesLurdesmartins17
 
2.3 tipologia de riscos profissionais produtos quimicos
2.3 tipologia de riscos profissionais produtos quimicos2.3 tipologia de riscos profissionais produtos quimicos
2.3 tipologia de riscos profissionais produtos quimicosLurdesmartins17
 
A comunicacao na interacao com individuos com alteracoes ou perturbacoes mentais
A comunicacao na interacao com individuos com alteracoes ou perturbacoes mentaisA comunicacao na interacao com individuos com alteracoes ou perturbacoes mentais
A comunicacao na interacao com individuos com alteracoes ou perturbacoes mentaisLurdesmartins17
 
Agressividade a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de com...
Agressividade a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de com...Agressividade a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de com...
Agressividade a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de com...Lurdesmartins17
 
Conflito a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de comporta...
Conflito a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de comporta...Conflito a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de comporta...
Conflito a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de comporta...Lurdesmartins17
 

Mais de Lurdesmartins17 (20)

3 a importancia da vigilancia da saude materna parte ii
3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte ii3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte ii
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte ii
 
2 hereditariedade reproduçao_desenvolvimento embrionario
2 hereditariedade reproduçao_desenvolvimento embrionario2 hereditariedade reproduçao_desenvolvimento embrionario
2 hereditariedade reproduçao_desenvolvimento embrionario
 
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte i
3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte i3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte i
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte i
 
1 interrupçao voluntaria gravidez
1 interrupçao voluntaria gravidez1 interrupçao voluntaria gravidez
1 interrupçao voluntaria gravidez
 
Morbilidade e mortalidade-infantil
Morbilidade e mortalidade-infantilMorbilidade e mortalidade-infantil
Morbilidade e mortalidade-infantil
 
6 alergias alimentares
6  alergias alimentares6  alergias alimentares
6 alergias alimentares
 
5 metodos de introdução alimentar
5  metodos de introdução alimentar5  metodos de introdução alimentar
5 metodos de introdução alimentar
 
3 necessidades nutricionais
3  necessidades nutricionais3  necessidades nutricionais
3 necessidades nutricionais
 
3 alimentação primeiro ano de vida
3  alimentação primeiro ano de vida3  alimentação primeiro ano de vida
3 alimentação primeiro ano de vida
 
1 direitos e deveres crianças
1 direitos e deveres crianças1 direitos e deveres crianças
1 direitos e deveres crianças
 
3.2 epi e coletica
3.2 epi e coletica3.2 epi e coletica
3.2 epi e coletica
 
Sistema iluminacao
Sistema iluminacaoSistema iluminacao
Sistema iluminacao
 
3.4 plano de emergencia
3.4 plano de emergencia3.4 plano de emergencia
3.4 plano de emergencia
 
Gestao luvas
Gestao luvasGestao luvas
Gestao luvas
 
3.1 sinalizacao de seguranca no local de trabalho
3.1 sinalizacao de seguranca no local de trabalho3.1 sinalizacao de seguranca no local de trabalho
3.1 sinalizacao de seguranca no local de trabalho
 
Tipologia riscos profissionais_eletricos_incendio _radiacoes
Tipologia riscos profissionais_eletricos_incendio _radiacoesTipologia riscos profissionais_eletricos_incendio _radiacoes
Tipologia riscos profissionais_eletricos_incendio _radiacoes
 
2.3 tipologia de riscos profissionais produtos quimicos
2.3 tipologia de riscos profissionais produtos quimicos2.3 tipologia de riscos profissionais produtos quimicos
2.3 tipologia de riscos profissionais produtos quimicos
 
A comunicacao na interacao com individuos com alteracoes ou perturbacoes mentais
A comunicacao na interacao com individuos com alteracoes ou perturbacoes mentaisA comunicacao na interacao com individuos com alteracoes ou perturbacoes mentais
A comunicacao na interacao com individuos com alteracoes ou perturbacoes mentais
 
Agressividade a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de com...
Agressividade a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de com...Agressividade a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de com...
Agressividade a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de com...
 
Conflito a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de comporta...
Conflito a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de comporta...Conflito a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de comporta...
Conflito a comunicacao na interacao com individuos com alteracoes de comporta...
 

Último

1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obrasosnikobus1
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOvilcielepazebem
 
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoTécnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoPamelaMariaMoreiraFo
 
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemAula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemCarlosLinsJr
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfMarceloMonteiro213738
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdfHELLEN CRISTINA
 
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALCarlosLinsJr
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999vanessa270433
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdfHELLEN CRISTINA
 
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinaaula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinajarlianezootecnista
 

Último (14)

1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
 
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoTécnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
 
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de EnfermagemAula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
Aula sobre ANSIEDADE & Cuidados de Enfermagem
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
 
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdf
 
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteinaaula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
aula 7. proteínas.ppt. conceitos de proteina
 

Técnico auxiliar saúde tarefas orientação

  • 1. Formadora: Lurdes Martins UFCD 6560 COMUNICAÇÃO NA INTERAÇÃO COM O UTENTE, CUIDADOR E/OU FAMILIA
  • 2. 6 – T A R E F A S Q U E E M R E L A Ç Ã O A E S T A T E M Á T I C A S E E N C O N T R A M N O Â M B I T O D E I N T E R V E N Ç Ã O D O / A T É C N I C O / A A U X I L I A R D E S A Ú D E
  • 3. • Auxiliar na prestação de cuidados aos utentes, de acordo com orientações do enfermeiro; • Executar tarefas que exijam uma intervenção imediata e simultânea ao alerta do técnico/a de saúde. • Relação de ajuda ao doente/utente, convivente significativo ou familiar; • Promoção da melhoria do estado de saúde do doente em situação de urgência ou emergência; • O cuidar de doentes que se encontram em risco de vida; • A identificação de problemas nos doentes; • Aspetos da comunicação com o doente e a família.  Tarefas que, sob orientação de um profissional de saúde, tem de executar sob sua supervisão direta
  • 4. • Adaptar-se e atualizar-se a novos produtos, materiais, equipamentos e tecnologias. • Agir em função das orientações do profissional de saúde e sob a sua supervisão. • Agir em função de normas e/ou procedimentos. • Agir em função de princípios de ética. • Agir em função do estado de saúde do utente, • Agir em função dos aspetos culturais dos diferentes públicos. • Assumir uma atitude de melhoria contínua. • Concentrar-se na execução das tarefas. • Trabalhar em equipa multidisciplinar.  O Técnico/a auxiliar de saúde deve
  • 5. • Agir em função do bem-estar de terceiros. • Comunicar de forma clara e assertiva • Demonstrar compreensão, paciência e sensibilidade na interação com utentes. • Demonstrar interesse e disponibilidade na interação com utentes, familiares e/ou cuidadores. • Demonstrar interesse e disponibilidade na interação com os colegas de trabalho. • Demonstrar segurança durante a execução das tarefas. • Autocontrolar-se em situações críticas e de limite.  O Técnico/a auxiliar de saúde deve
  • 6. • Auxiliar na prestação de cuidados aos utentes, de acordo com orientações do enfermeiro. • Auxiliar nos cuidados pós-morte, de acordo com orientações do profissional de saúde. • Assegurar a limpeza, higienização e transporte de roupas, espaços, materiais e equipamentos, sob a orientação de profissional de saúde. • Assegurar atividades de apoio ao funcionamento das diferentes unidades e serviços de saúde.  Tarefas que o/a técnico/a auxiliar de saúde, sob orientação e supervisão, pode executar sozinho/a:
  • 7. • Auxiliar o profissional de saúde na recolha de amostras biológicas e transporte para o serviço adequado, de acordo com normas e/ou procedimentos definidos; • Efetuar o transporte de informação entre as diferentes unidades e serviços de prestação de cuidados de saúde; • Encaminhar os contactos telefónicos de acordo com normas e/ ou procedimentos definidos; • Encaminhar o utente, familiar e/ou cuidador, de acordo com normas e/ ou procedimentos definidos.  Tarefas que o/a técnico/a auxiliar de saúde, sob orientação e supervisão, pode executar sozinho/a:
  • 8. • Ter capacidade de especificar e fazer especificar; • Ter capacidade de respeitar-se a si mesmo e ao utente; • Ter capacidade de ser congruente consigo mesmo e na relação com o utente; • Ter capacidade de ser simpático; • Ter capacidade de confrontar-se e confrontar os outros; • Ter capacidade de escuta.  O técnico/a de saúde que ajuda deve possuir algumas capacidades:
  • 9. Tenha orgulho em ser um profissional competente e com espírito de serviço, centrado no outro. Os utentes agradecem e as organizações evoluem!