VIVÊNCIAS GRUPAIS DO FOLCLORE BRASILEIRO:  PSIQUE, CONHECIMENTO E REFLEXÃO III Mostra Regional de Práticas em Psicologia  ...
PROJETO: OFICINAS PEDAGÓGICAS: “SIGNIFICANDO O SABER FAZER” Objetivo: Resgatar Valores sócio-culturais e Artísticos atravé...
OBJETIVOS ESPECÍFICOS: <ul><li>Confeccionar instrumentos musicais a partir de: </li></ul><ul><li>- produtos naturais (côco...
OBJETIVOS ESPECÍFICOS: <ul><li>Estimular nos alunos a percepção das diferentes culturas no Brasil através da dança; </li><...
OBJETIVOS ESPECÍFICOS: <ul><li>Desenvolver atividades educativas que possibilitem a valorização da flora e da fauna brasil...
OBJETIVOS ESPECÍFICOS: <ul><li>Reconhecer a culinária e o vestuário como elementos formadores de cultura do país.  </li></ul>
Trabalho apresentado: <ul><li>3º período do Curso Normal Superior, disciplina Didática II.  </li></ul>
Pesquisa bibliográfica sobre a identidade e folclore dos Estados: <ul><li>Através da: </li></ul><ul><ul><li>dança </li></u...
desenvolver habilidades <ul><li>situações desafiadoras para que o aluno  construísse  seu próprio conhecimento   </li></ul...
As atividades atividades transdisciplinares <ul><li>abrangeram os tipos de linguagens, regionalismos, verso, ritmo, rima, ...
A apresentação do projeto <ul><li>consistiu em vários momentos:  </li></ul><ul><ul><li>teoria (ambiente sala de aula),  </...
confecção de instrumentos <ul><li>material reciclado </li></ul>
Experimentação musical em sala
Vivências corporais folclóricas
 
Vivências corporais folclóricas <ul><li>Fauna, Flora e costumes </li></ul>
Experimentação em grupo <ul><li>A ativa a capacidade expressiva </li></ul><ul><li>possibilita confronto com o outro e troc...
Apresentação da experiência vivida
 
concluímos <ul><li>que o fenomeno folclórico existe em todos os níveis sociais. É, pois a representação máxima da maneira ...
REFERÊNCIAS: <ul><li>Araújo, A. M. (s/d). Brasil Folclore, Histórias, Costumes e Lendas. São Paulo: Editora Três. V.2. </l...
<ul><li>ANITA RINK:  </li></ul><ul><li>[email_address]   </li></ul><ul><li>SÔNIA ALVES CUNHA DOS SANTOS:  </li></ul><ul><l...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Vivências Grupais do Folclore Brasileiro

4.211 visualizações

Publicada em

Nossa proposta é apresentar e refletir sobre um trabalho realizado com os alunos do 3º período do curso Normal Superior. Neste grupo buscava-se desenvolver modos mais integrados de construção do conhecimento se utilizado de vivências corporais. Visando também resgatar valores socioculturais e artísticos de modo lúdico em que o Brasil pôde ser retratando em suas várias dimensões. Inicialmente, a pesquisa bibliográfica norteou o trabalho visando à coleta de informações sobre a identidade do folclore dos Estados brasileiros, investigando a dança, a música, a culinária e o vestuário como cultura do país. A proposta de atividades transdisciplinares visou desenvolver situações desafiadoras para que cada pessoa pudesse construir seu próprio conhecimento na interação com o meio. Tais atividades abrangeram os tipos de linguagem, regionalismos, verso, ritmo, rima, mitos, lendas, costumes e comidas típicas. A experimentação em grupos ativa a capacidade expressiva de cada pessoa e o confronto com o outro possibilita trocas múltiplas. Com este trabalho foi possível cada pessoa “incorporar” modos diversos de atuação no mundo de modo a favorecer a pluralidade psíquica individual e coletiva. O desenvolvimento desta proposta consistiu em dois momentos: teoria (ambiente sala de aula) e prática (ambiente pátio da escola – Festa Folclórica). Com esta pesquisa, concluímos que o fenômeno folclórico existe em todos os níveis sociais. É, pois, a representação máxima da maneira de sentir, agir e de reagir de nossa gente. Numa visão fenomenológica, este trabalho reafirma uma visão de “Ser”, para o filósofo Martin Heidegger o modo mais próprio de “Ser” é “Ser com” (ser-no-mundo-com-o-outro).

Publicada em: Educação, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

Vivências Grupais do Folclore Brasileiro

  1. 1. VIVÊNCIAS GRUPAIS DO FOLCLORE BRASILEIRO: PSIQUE, CONHECIMENTO E REFLEXÃO III Mostra Regional de Práticas em Psicologia Experiências em Debate 2009 ANITA RINK & SÔNIA ALVES CUNHA DOS SANTOS
  2. 2. PROJETO: OFICINAS PEDAGÓGICAS: “SIGNIFICANDO O SABER FAZER” Objetivo: Resgatar Valores sócio-culturais e Artísticos através de múltiplas vivências e experimentações do Brasil em suas várias dimensões. D esenvolver modos integrados de construção do conhecimento se utilizado de vivências corporais.
  3. 3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: <ul><li>Confeccionar instrumentos musicais a partir de: </li></ul><ul><li>- produtos naturais (côco e bambu) </li></ul><ul><li>- material reciclável </li></ul><ul><li>(copos descartáveis, garrafa peti e canudinhos) </li></ul>
  4. 4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: <ul><li>Estimular nos alunos a percepção das diferentes culturas no Brasil através da dança; </li></ul>
  5. 5. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: <ul><li>Desenvolver atividades educativas que possibilitem a valorização da flora e da fauna brasileiras </li></ul>
  6. 6. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: <ul><li>Reconhecer a culinária e o vestuário como elementos formadores de cultura do país. </li></ul>
  7. 7. Trabalho apresentado: <ul><li>3º período do Curso Normal Superior, disciplina Didática II. </li></ul>
  8. 8. Pesquisa bibliográfica sobre a identidade e folclore dos Estados: <ul><li>Através da: </li></ul><ul><ul><li>dança </li></ul></ul><ul><ul><li>música </li></ul></ul><ul><ul><li>culinária </li></ul></ul><ul><ul><li>vestuário </li></ul></ul><ul><li>Itens que formam a cultura do país. </li></ul>
  9. 9. desenvolver habilidades <ul><li>situações desafiadoras para que o aluno construísse seu próprio conhecimento </li></ul><ul><li>experiências concretas e interação com o meio </li></ul><ul><li>relação de teoria e prática. </li></ul>
  10. 10. As atividades atividades transdisciplinares <ul><li>abrangeram os tipos de linguagens, regionalismos, verso, ritmo, rima, mitos, lendas, costumes, comidas típicas e dobraduras. </li></ul>
  11. 11. A apresentação do projeto <ul><li>consistiu em vários momentos: </li></ul><ul><ul><li>teoria (ambiente sala de aula), </li></ul></ul><ul><ul><li>prática (ambiente: pátio da escola – Festa folclórica) </li></ul></ul>
  12. 12. confecção de instrumentos <ul><li>material reciclado </li></ul>
  13. 13. Experimentação musical em sala
  14. 14. Vivências corporais folclóricas
  15. 16. Vivências corporais folclóricas <ul><li>Fauna, Flora e costumes </li></ul>
  16. 17. Experimentação em grupo <ul><li>A ativa a capacidade expressiva </li></ul><ul><li>possibilita confronto com o outro e trocas múltiplas. </li></ul><ul><li>É possível cada pessoa “incorporar” ludicamente modos diversos de atuação no mundo. </li></ul><ul><li>favorece a pluralidade psíquica individual e coletiva. </li></ul>
  17. 18. Apresentação da experiência vivida
  18. 20. concluímos <ul><li>que o fenomeno folclórico existe em todos os níveis sociais. É, pois a representação máxima da maneira de sentir, agir e de reagir de nossa gente. </li></ul>Visão fenomenológica: o modo mais próprio de “Ser” é “Ser com” (ser-no-mundo-com-o-outro). Martin Heidegger
  19. 21. REFERÊNCIAS: <ul><li>Araújo, A. M. (s/d). Brasil Folclore, Histórias, Costumes e Lendas. São Paulo: Editora Três. V.2. </li></ul><ul><li>Aschenbach, L. (1990). A Arte-Magia das dobraduras – histórias e atividades pedagógicas com origami. Uma proposta interdisciplinar. São Paulo: Scipione. </li></ul><ul><li>Azevedo, R. (2000). Armazém do Folclore. São Paulo: Editora Ática. </li></ul><ul><li>Parâmetros Curriculares Nacionais: apresentação dos temas transversais: ética/cidadania. Ministério da educação.(2001) Secretaria da Educação Fuldamental. 3ed. Brasília: A Secretaria. </li></ul>
  20. 22. <ul><li>ANITA RINK: </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>SÔNIA ALVES CUNHA DOS SANTOS: </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>

×