BIBLIOTECA ESCOLAR/ CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS
<ul><li>http://www.bibescolarlucianocordeiro.blogspot.com </li></ul>Venha  conhecer-nos!
 
<ul><li>Assim, cada BE/CRE deverá tornar-se um núcleo de vida da escola, atraente, acolhedor e estimulante, onde os alunos...
<ul><ul><li>Possam estudar e encontrar com facilidade fontes documentais, se habituem a seleccionar e gerir informação par...
<ul><li>Para finalizar, vamos ver o vídeo sobre a intervenção efectuada nas Bibliotecas da Rede de Bibliotecas Escolares d...
<ul><li>Questiono agora: </li></ul><ul><ul><ul><li>QUE BIBLIOTECA TEMOS? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>QUE IMPACTO T...
MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES MELHORIA CONTÍNUA
MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES “ Neste sentido, é importante que  cada escola conheça o impacto que as...
MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES –  mais valias Noção de Valor A BE/CRE deve produzir resultados que con...
MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES –  mais valias Qualidade e eficácia da BE O modelo deve ser encarado co...
MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES – mais valias Áreas Nucleares O modelo identificará as áreas  nucleares...
MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES – mais valias Pontos Fortes/Pontos Fracos Através da recolha das evidên...
A .  Apoio ao Desenvolvimento curricular B. Leitura e Literacia C. Projectos, parcerias e Actividades Livres e de Abertura...
<ul><li>EM CADA DOMÍNIO ENCONTRAREMOS: </li></ul><ul><ul><li>Indicadores </li></ul></ul><ul><li>Permitem a aplicação de el...
Perfil de desempenho MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES Nível Descrição 4  A BE é bastante forte neste dom...
1- Perfil da BE Preencher o documento referente ao perfil da BE. 2- Seleccionar o domínio Seleccionar, no mínimo, um dos d...
MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES Condições socio-políticas e económicas a nível nacional e no contexto g...
M.A.B.E. MABE DIRECÇÃO EXECUTIVA COORDENA- DORES PROFESSORES EQUIPA BE FUNCIONÁRIOS PAIS ALUNOS ALUNOS PROF. BIBLIOT. …
PROFESSOR  BIBLIOTECÁRIO <ul><li>Discute com a D. Executiva  o domínio a avaliar; </li></ul><ul><li>O domínio é levado e d...
0 PB tem um papel fundamental em todo o processo O Director deve estar envolvido desde o início, assumindo o modelo como c...
<ul><li>AS EVIDÊNCIAS: </li></ul><ul><li>RECOLHA DAS EVIDÊNCIAS </li></ul><ul><li>GESTÃO E INTERPRETAÇÃO DAS EVIDÊNCIAS RE...
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

6º Tarefa 3

266 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
266
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

6º Tarefa 3

  1. 1. BIBLIOTECA ESCOLAR/ CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS
  2. 2. <ul><li>http://www.bibescolarlucianocordeiro.blogspot.com </li></ul>Venha conhecer-nos!
  3. 4. <ul><li>Assim, cada BE/CRE deverá tornar-se um núcleo de vida da escola, atraente, acolhedor e estimulante, onde os alunos: </li></ul><ul><ul><li>Se sintam num ambiente que lhes pertence e se habituem a considerar o livro e a informação como necessidades do dia-a-dia e como inesgotáveis fontes de prazer e de desenvolvimento pessoal; </li></ul></ul><ul><ul><li>Tenham acesso à informação e ao conhecimento, através de grande diversidade de livros, jornais, revistas, audiovisuais e tecnologias de informação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Possam descobrir e alimentar o prazer de ler e de se informarem recorrendo a fontes documentais disponíveis nos mais variados suportes; </li></ul></ul>
  4. 5. <ul><ul><li>Possam estudar e encontrar com facilidade fontes documentais, se habituem a seleccionar e gerir informação para realizarem actividades curriculares (individualmente ou em grupo, autonomamente ou com apoio docente); </li></ul></ul><ul><ul><li>Adquiram competências e autonomia no domínio da informação escrita, digital e multimédia e produzam documentos em suportes e linguagem diversificadas. </li></ul></ul>
  5. 6. <ul><li>Para finalizar, vamos ver o vídeo sobre a intervenção efectuada nas Bibliotecas da Rede de Bibliotecas Escolares da zona Norte. </li></ul><ul><li>http://w3.dren.min-edu.pt/GIFT/Reportagem/ModernizacaoBibliotecasEscolares.htm </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Questiono agora: </li></ul><ul><ul><ul><li>QUE BIBLIOTECA TEMOS? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>QUE IMPACTO TEM NAS APRENDIZAGENS DOS NOSSOS ALUNOS? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>SATISFAZ AS NECESSIDADES DOS NOSSOS ALUNOS? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O QUE DEVEMOS MANTER? O QUE DEVEMOS ALTERAR? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>QUAIS SÃO AS METAS QUE QUEREMOS ATINGIR? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>ONDE QUEREMOS CHEGAR? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>… </li></ul></ul></ul>
  7. 8. MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES MELHORIA CONTÍNUA
  8. 9. MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES “ Neste sentido, é importante que cada escola conheça o impacto que as actividades realizadas pela e com a BE vão tendo no processo de ensino e na aprendizagem, bem como o grau de eficiência e de eficácia dos serviços prestados e de satisfação dos utilizadores da BE. Esta análise, sendo igualmente um princípio de boa gestão e um instrumento indispensável num plano de desenvolvimento, permite contribuir para afirmação e reconhecimento do papel da BE, permite determinar até que ponto a missão e os objectivos estabelecidos para a BE estão ou não a ser alcançados, permite identificar práticas que têm sucesso e que deverão continuar e permite identificar pontos fracos que importa melhorar. A auto-avaliação da biblioteca deve ainda ser incorporada no processo de auto-avaliação da própria escola, dada a sua relação estreita com sua missão e objectivos.” MABE
  9. 10. MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES – mais valias Noção de Valor A BE/CRE deve produzir resultados que contribuam de forma efectiva para os objectivos da escola em que se insere.
  10. 11. MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES – mais valias Qualidade e eficácia da BE O modelo deve ser encarado como um processo pedagógico e regulador , inerente à gestão e procura de uma melhoria contínua.
  11. 12. MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES – mais valias Áreas Nucleares O modelo identificará as áreas nucleares nas quais se deve debruçar o trabalho das BE.
  12. 13. MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES – mais valias Pontos Fortes/Pontos Fracos Através da recolha das evidências, o modelo identificará pontos fortes e fracos, ajudando a traçar o caminho a seguir.
  13. 14. A . Apoio ao Desenvolvimento curricular B. Leitura e Literacia C. Projectos, parcerias e Actividades Livres e de Abertura à comunidade D. Gestão da Biblioteca Escolar A.1. Articulação curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os docentes C.1. Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular D.1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e Serviços prestados pela BE A.2 . Desenvolvimento da Literacia da Informação C. 2. Projectos e parcerias D.2. Condições humanas e materiais para a prestação de serviços D.3. Gestão da colecção
  14. 15. <ul><li>EM CADA DOMÍNIO ENCONTRAREMOS: </li></ul><ul><ul><li>Indicadores </li></ul></ul><ul><li>Permitem a aplicação de elementos de medição que irão possibilitar uma apreciação sobre a qualidade da BE </li></ul><ul><ul><li>Factores críticos de sucesso </li></ul></ul><ul><li>Exemplos de situações, ocorrências e acções que operacionalizam o respectivo indicador . Constituem um guia orientador para a recolha de evidências. </li></ul><ul><ul><li>Recolha de evidências </li></ul></ul><ul><li>Possíveis instrumentos para recolha de elementos que irão suportar a avaliação. </li></ul><ul><ul><li>Acções para a melhoria </li></ul></ul><ul><li>Sugestões de acções a implementar visando melhorar o desempenho da BE em campos específicos. </li></ul>
  15. 16. Perfil de desempenho MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES Nível Descrição 4 A BE é bastante forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de bastante qualidade e com impacto bastante positivo 3 A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas ainda é possível melhorar alguns aspectos 2 A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo 1 A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido sendo necessário intervir com urgência
  16. 17. 1- Perfil da BE Preencher o documento referente ao perfil da BE. 2- Seleccionar o domínio Seleccionar, no mínimo, um dos domínios para realizar a auto-avaliação. Pretende-se que todos os domínios tenham sido avaliados ao fim de quatro anos. 3- Recolher evidências Análise baseada em elementos concretos que permitirão traçar o retrato da BE num campo mais específico. 4- Identificar o perfil de desempenho Os resultados da análise serão confrontados com os perfis de desempenho apresentados para cada um dos domínios, no sentido de verificar em que nível se situará a BE. Registar a auto-avaliação no relatório final Registo dos resultados. Proposta de acções consideradas necessárias para a melhoria, equacionando estratégias e medidas.
  17. 18. MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES Condições socio-políticas e económicas a nível nacional e no contexto global Sistema Educativo Escola BE Currículo
  18. 19. M.A.B.E. MABE DIRECÇÃO EXECUTIVA COORDENA- DORES PROFESSORES EQUIPA BE FUNCIONÁRIOS PAIS ALUNOS ALUNOS PROF. BIBLIOT. …
  19. 20. PROFESSOR BIBLIOTECÁRIO <ul><li>Discute com a D. Executiva o domínio a avaliar; </li></ul><ul><li>O domínio é levado e discutido em pedagógico; </li></ul><ul><li>É apresentado aos professores, alunos e Encarregados de Educação e outros. </li></ul>Catalisador de todo o processo Capacidade de gestão estratégica Capacidade de comunicação Capacidade de motivar para o envolvimento
  20. 21. 0 PB tem um papel fundamental em todo o processo O Director deve estar envolvido desde o início, assumindo o modelo como crucial Pedagógico e Coordenadores, conhecem e analisam o Modelo Professores, alunos, E. Educação, colaboram preenchendo questionários ou outros instrumentos de recolha
  21. 22. <ul><li>AS EVIDÊNCIAS: </li></ul><ul><li>RECOLHA DAS EVIDÊNCIAS </li></ul><ul><li>GESTÃO E INTERPRETAÇÃO DAS EVIDÊNCIAS RECOLHIDAS </li></ul><ul><li>GESTÃO DAS EVIDÊNCIAS A NÍVEL DE ESCOLA. </li></ul><ul><li>Relatório de auto- avaliação a ser discutido e aprovado em pedagógico e consequente elaboração de plano de melhorias a implementar. </li></ul><ul><li>Elaboração de uma síntese que transitará para o relatório de avaliação da escola. A avaliação externa poderá, desta forma, verificar o impacto da BE no sucesso do Agrupamento, fazendo referência do mesmo no relatório de avaliação da escola. </li></ul>

×