SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Apresentação do Modelo de Auto-Avaliação da BIBLIOTECA ESCOLAR
In [URL: http://www.artistcommentary.com/]. Acedido em [2009/11/13]. ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CARROL, Lewis - Alice no país das maravilhas. Alfragide: Leya, 2009. pp.41
“ Está comprovado que quando os bibliotecários e os professores trabalham em conjunto, os estudantes alcançam níveis mais elevados de literacia, leitura, aprendizagem, resolução de problemas e competências no domínio das tecnologias de informação e comunicação”. (IFLA/UNESCO, 1999)  “ A biblioteca constitui um instrumento essencial do desenvolvimento do currículo escolar e as suas actividades devem estar integradas nas restantes actividades da escola e fazer parte do seu projecto educativo. Ela não deve ser vista como um simples serviço de apoio à actividade lectiva ou um espaço autónomo de aprendizagem e ocupação de tempos livres”. (Veiga, 2001)
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Um importante contributo para o sucesso educativo BIBLIOTECA ESCOLAR Instrumento essencial ao desenvolvimento dos currículos Recurso fundamental para o desenvolvimento das várias literacias Espaço privilegiado de conhecimento e aprendizagem 1. Avaliação da BE: pressupostos
Como demonstrar o contributo e o impacto da BE nas aprendizagens e a eficiência dos seus serviços? Recolha de evidências Análise  da informação recolhida Divulgação dos resultados da acção da BE Implementação do processo de Auto-avaliação 1. Avaliação da BE: pressupostos
[object Object],[object Object],1. Avaliação da BE: pressupostos
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],1. Avaliação da BE: pressupostos Factores decisivos para o sucesso da BE, segundo estudos internacionais:
[object Object],[object Object],[object Object],Razão de ser do Modelo de Auto-Avaliação das BE: 1. Avaliação da BE: pressupostos
Esta análise permite… 1. Avaliação da BE: pressupostos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
1. Avaliação da BE: pressupostos Este processo  implica … ,[object Object],[object Object],[object Object],Este modelo visa … ,[object Object],[object Object]
2. Modelo de Auto-Avaliação das BE O modelo insere-se num  Plano de Desenvolvimento in  Scoot, Elspeth S.,  How good is your school library resource centre? (2002)
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],2. Modelo de Auto-Avaliação das BE
Factores apontados a nível internacional para o sucesso da BE ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],2. Modelo de Auto-Avaliação das BE
3.   Estrutura do Modelo de Auto-Avaliação das BE Organizado em  4 domínios  que representam as áreas essenciais para que a biblioteca escolar cumpra os pressupostos e objectivos que suportam a sua acção no processo educativo. Domínios/Subdomínios  A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular B. Leitura e Literacia C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade D.  Gestão da Biblioteca Escolar  A1. Articulação Curricular da BE com as Estruturas de Coordenação Educativa e Supervisão Pedagógica e os Docentes B1. Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura C1. Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular D1. Articulação da BE com a Escola/ Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE A2. Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital B2. Trabalho articulado com departamentos e com o exterior, no âmbito da leitura C2. Projectos e Parcerias D2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços. D3. Gestão da colecção/da informação
3.   Estrutura do Modelo de Auto-Avaliação das BE Indicadores, factores críticos de sucesso, recolha de evidências, acções de melhoria Indicadores  –  apontam as zonas nucleares de intervenção em cada  domínio; permitem a aplicação de elementos de medição. Factores críticos de sucesso  –  exemplos de situações,  ocorrências, acções que operacionalizam o indicador; guia orientador  para a recolha de evidências. Recolha de evidências  –  exemplos de elementos, fontes e  instrumentos de recolha de dados.  Acções de melhoria  –  sugestões de acções com vista à melhoria.
Indicadores temáticos 3.   Estrutura do Modelo de Auto-Avaliação das BE Domínio A | Exemplo A1. Articulação curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os Docentes A.1.1. Cooperação da BE com os órgãos pedagógicos de gestão intermédia da escola/agrupamento.   A.1.2. Parceria da BE com os docentes responsáveis pelas áreas curriculares não disciplinares (ACND).   A.1.3. Articulação da BE com os docentes responsáveis pelos Apoios Educativos.   A.1.4. Integração da BE no Plano de Ocupação Plena dos Tempos Escolares (OPTE).   A.1.5. Colaboração da BE com os docentes na concretização das actividades curriculares desenvolvidas no seu espaço ou tendo por base os seus recursos.
Indicadores temáticos 3.   Estrutura do Modelo de Auto-Avaliação das BE Domínio A | Exemplo A2. Desenvolvimento da Literacia da Informação A.2.1. Organização de actividades de formação de utilizadores.   A.2.2. Promoção do ensino em contexto de competências de informação.   A.2.3. Promoção das TIC e da Internet como ferramentas de acesso, produção e comunicação de informação e como recurso de aprendizagem.   A.2.4.  Impacto da BE nas competências tecnológicas e de informação dos alunos. A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida.
3.   Estrutura do Modelo de Auto-Avaliação das BE Domínio A | Exemplo Indicadores temáticos  (zonas nucleares de intervenção) Factores Críticos de Sucesso  (exs de situações, ocorrências e acções que operacionalizam o indicador) Recolha de Evidências  (suportam a avaliação) Acções para melhoria/Exemplos A.1.1. Cooperação da BE com os órgãos pedagógicos de gestão intermédia da escola/ agrupamento. ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],3.   Estrutura do Modelo de Auto-Avaliação das BE Perfis de desempenho: 4 níveis
Etapas/Metodologia 4. Implementar o  Modelo de Auto-Avaliação  das BE ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],4.  Implementar o Modelo de Auto-Avaliação das BE Etapas/Metodologia
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],4.  Implementar o Modelo de Auto-Avaliação das BE Etapas Etapas/Metodologia
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],AVALIAR | ANALISAR | COMUNICAR |NOVAS PRÁTICAS |VISIBILIDADE  5.  Modelo de Auto-Avaliação | Impacto da BE
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],5.  Modelo de Auto-Avaliação | Impacto da BE AVALIAR | ANALISAR | COMUNICAR |NOVAS PRÁTICAS |VISIBILIDADE
6. Referências Bibliográficas Johnson, Doug (2005)  Getting the Most from Your School Library Media Program ,  Principal . Jan/Feb 2005  http://www.doug-johnson.com/dougwri/getting-the-most-from-your-school-library-media-program-1.html   [08/11/2009] McNicol, Sarah (2004)   Incorporating library provision in  school self-evaluation.  Educational Review , 56 (3), 287-296.  (Disponível na plataforma) RBE (2009)  Apresentação do Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar.  http://www.rbe.min-edu.pt/np4/?newsId=31&fileName=modelo_auto_avaliacao.pdf >  [13/11/2009]   Scott, Elspeth (2002)  How good is your school library resource centre? An introduction to performance measurement .  68th IFLA Council and General Conference August.  http://www.ifla.org/IV/ifla68/papers/028-097e.pdf   [08/11/2009] Todd, Ross (2002)  “School librarian as teachers: learning outcomes and evidence-based practice”. 68th IFLA Council and General Conference August. < http://www.ifla.org/IV/ifla68/papers/084-119e.pdf >  [20/08/2008 ] Texto da sessão 4  . Plataforma Moodle.  http://forumbibliotecas.rbe.min-edu.pt/mod/resource/view.php?id=8039 > [10/11/2009]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1 ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...
Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1  ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1  ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...
Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1 ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...
margaridaalbuquerque
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabe
beloule
 
Metodologias Operacionalização Dominio B - Leitura e Literacia - Subdominio B...
Metodologias Operacionalização Dominio B - Leitura e Literacia - Subdominio B...Metodologias Operacionalização Dominio B - Leitura e Literacia - Subdominio B...
Metodologias Operacionalização Dominio B - Leitura e Literacia - Subdominio B...
Luisa Lamas
 
1ª Tarefa Powerpoint 3ª SessãO
1ª Tarefa   Powerpoint   3ª SessãO1ª Tarefa   Powerpoint   3ª SessãO
1ª Tarefa Powerpoint 3ª SessãO
1000a
 
Workshop Auto AvaliaçãO Be
Workshop   Auto AvaliaçãO   BeWorkshop   Auto AvaliaçãO   Be
Workshop Auto AvaliaçãO Be
alcinasousa
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãO
claudinapires
 
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes SilvaAuto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
lurdesilva
 
2 workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be
2   workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be2   workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be
2 workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be
Be Moinho Das Leituras
 
5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
	5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...	5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
Teresa Gonçalves
 
Auto Avaliação BE Conselho Pedagógico
Auto Avaliação BE Conselho PedagógicoAuto Avaliação BE Conselho Pedagógico
Auto Avaliação BE Conselho Pedagógico
Soraya Oliveira
 

Mais procurados (16)

Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1 ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...
Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1  ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1  ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...
Trabalho Da 4ª SessãO Tarefa 1 ApresentaçãO Do Modelo De Auto AvaliaçãO Em P...
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabe
 
Auto Avali Be
Auto Avali BeAuto Avali Be
Auto Avali Be
 
Metodologias Operacionalização Dominio B - Leitura e Literacia - Subdominio B...
Metodologias Operacionalização Dominio B - Leitura e Literacia - Subdominio B...Metodologias Operacionalização Dominio B - Leitura e Literacia - Subdominio B...
Metodologias Operacionalização Dominio B - Leitura e Literacia - Subdominio B...
 
Bibliotecas e literacias
Bibliotecas e literaciasBibliotecas e literacias
Bibliotecas e literacias
 
Auto avaliação da BE
Auto avaliação da BEAuto avaliação da BE
Auto avaliação da BE
 
Sessão 3
Sessão 3 Sessão 3
Sessão 3
 
1ª Tarefa Powerpoint 3ª SessãO
1ª Tarefa   Powerpoint   3ª SessãO1ª Tarefa   Powerpoint   3ª SessãO
1ª Tarefa Powerpoint 3ª SessãO
 
Workshop Auto AvaliaçãO Be
Workshop   Auto AvaliaçãO   BeWorkshop   Auto AvaliaçãO   Be
Workshop Auto AvaliaçãO Be
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãO
 
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes SilvaAuto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
Auto AvaliaçãO Da Be Lurdes Silva
 
Acmatias Modelo De Auto AvaliaçãO Be
Acmatias Modelo De Auto AvaliaçãO BeAcmatias Modelo De Auto AvaliaçãO Be
Acmatias Modelo De Auto AvaliaçãO Be
 
DomíNio B
DomíNio BDomíNio B
DomíNio B
 
2 workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be
2   workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be2   workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be
2 workshop formativo--_modelo_de_aa_da_be
 
5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
	5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...	5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
5. O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PART...
 
Auto Avaliação BE Conselho Pedagógico
Auto Avaliação BE Conselho PedagógicoAuto Avaliação BE Conselho Pedagógico
Auto Avaliação BE Conselho Pedagógico
 

Destaque (9)

MatemáTica
MatemáTicaMatemáTica
MatemáTica
 
Avances tecnológicos en medios digitales
Avances tecnológicos en medios digitalesAvances tecnológicos en medios digitales
Avances tecnológicos en medios digitales
 
PEC Nacional - David Fernández sj
PEC Nacional - David Fernández sjPEC Nacional - David Fernández sj
PEC Nacional - David Fernández sj
 
Conceptos
ConceptosConceptos
Conceptos
 
Primer Insaculación de ciudadanos funcionarios de casillas - Distrito 9 del E...
Primer Insaculación de ciudadanos funcionarios de casillas - Distrito 9 del E...Primer Insaculación de ciudadanos funcionarios de casillas - Distrito 9 del E...
Primer Insaculación de ciudadanos funcionarios de casillas - Distrito 9 del E...
 
Biocombustivel
BiocombustivelBiocombustivel
Biocombustivel
 
Diretoria de Planejamento Energético - Conceitos e Práticas
Diretoria de Planejamento Energético - Conceitos e PráticasDiretoria de Planejamento Energético - Conceitos e Práticas
Diretoria de Planejamento Energético - Conceitos e Práticas
 
Unidad 8: méxico contemporaneo
Unidad 8: méxico contemporaneoUnidad 8: méxico contemporaneo
Unidad 8: méxico contemporaneo
 
Qualitätsmanagement
QualitätsmanagementQualitätsmanagement
Qualitätsmanagement
 

Semelhante a Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]

Modelo Auto-Avaliação da BE de Penacova
Modelo Auto-Avaliação da BE de PenacovaModelo Auto-Avaliação da BE de Penacova
Modelo Auto-Avaliação da BE de Penacova
DanielaSantos
 
Modelo de Auto-Avaliação BE
Modelo de Auto-Avaliação BEModelo de Auto-Avaliação BE
Modelo de Auto-Avaliação BE
DanielaSantos
 
Tarefa3
Tarefa3Tarefa3
Tarefa3
dora
 
Apresentação do Modelo Auto-avaliação da BE ao CP
Apresentação do  Modelo  Auto-avaliação da BE ao CPApresentação do  Modelo  Auto-avaliação da BE ao CP
Apresentação do Modelo Auto-avaliação da BE ao CP
Lurdes Meneses
 
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 BeAuto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
biblioavrt2
 
Terceira Tarefa Apresentacao Do Modelo E Sua Adaptacao Ao Nosso Contexto Es...
Terceira Tarefa   Apresentacao Do Modelo E Sua Adaptacao Ao Nosso Contexto Es...Terceira Tarefa   Apresentacao Do Modelo E Sua Adaptacao Ao Nosso Contexto Es...
Terceira Tarefa Apresentacao Do Modelo E Sua Adaptacao Ao Nosso Contexto Es...
luinog
 
Powerpoint Modelo De Auto Avaliação Da B E
Powerpoint  Modelo De  Auto  Avaliação Da  B EPowerpoint  Modelo De  Auto  Avaliação Da  B E
Powerpoint Modelo De Auto Avaliação Da B E
anamariabpalma
 
O Modelo Auto-Avaliação 1
O Modelo Auto-Avaliação 1O Modelo Auto-Avaliação 1
O Modelo Auto-Avaliação 1
claudinapires
 
Sessão 3 Powerpoint 1ªParte
Sessão 3 Powerpoint  1ªParteSessão 3 Powerpoint  1ªParte
Sessão 3 Powerpoint 1ªParte
guest1d174ffe
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
guestf38751
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
NoemiaMaria
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabe
beloule
 

Semelhante a Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1] (20)

Modelo Auto Avaliação BE Esqf
Modelo Auto Avaliação BE   EsqfModelo Auto Avaliação BE   Esqf
Modelo Auto Avaliação BE Esqf
 
Modelo Auto-Avaliação da BE de Penacova
Modelo Auto-Avaliação da BE de PenacovaModelo Auto-Avaliação da BE de Penacova
Modelo Auto-Avaliação da BE de Penacova
 
Modelo de Auto-Avaliação BE
Modelo de Auto-Avaliação BEModelo de Auto-Avaliação BE
Modelo de Auto-Avaliação BE
 
MAABE
MAABEMAABE
MAABE
 
Tarefa3
Tarefa3Tarefa3
Tarefa3
 
Apresentação do Modelo Auto-avaliação da BE ao CP
Apresentação do  Modelo  Auto-avaliação da BE ao CPApresentação do  Modelo  Auto-avaliação da BE ao CP
Apresentação do Modelo Auto-avaliação da BE ao CP
 
Be ApresentaçãO Modelo AutoavaliaçAo
Be ApresentaçãO Modelo AutoavaliaçAoBe ApresentaçãO Modelo AutoavaliaçAo
Be ApresentaçãO Modelo AutoavaliaçAo
 
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 BeAuto AvaliaçãO Avrt2 Be
Auto AvaliaçãO Avrt2 Be
 
Tarefa 3
Tarefa 3Tarefa 3
Tarefa 3
 
ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
 
Terceira Tarefa Apresentacao Do Modelo E Sua Adaptacao Ao Nosso Contexto Es...
Terceira Tarefa   Apresentacao Do Modelo E Sua Adaptacao Ao Nosso Contexto Es...Terceira Tarefa   Apresentacao Do Modelo E Sua Adaptacao Ao Nosso Contexto Es...
Terceira Tarefa Apresentacao Do Modelo E Sua Adaptacao Ao Nosso Contexto Es...
 
Powerpoint Modelo De Auto Avaliação Da B E
Powerpoint  Modelo De  Auto  Avaliação Da  B EPowerpoint  Modelo De  Auto  Avaliação Da  B E
Powerpoint Modelo De Auto Avaliação Da B E
 
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
 
O Modelo De Auto
O Modelo De AutoO Modelo De Auto
O Modelo De Auto
 
O Modelo Auto-Avaliação 1
O Modelo Auto-Avaliação 1O Modelo Auto-Avaliação 1
O Modelo Auto-Avaliação 1
 
Sessão 3 Powerpoint 1ªParte
Sessão 3 Powerpoint  1ªParteSessão 3 Powerpoint  1ªParte
Sessão 3 Powerpoint 1ªParte
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
 
Workshop Formativo
Workshop FormativoWorkshop Formativo
Workshop Formativo
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabe
 
Workshop Auto AvaliaçãO Be
Workshop   Auto AvaliaçãO   BeWorkshop   Auto AvaliaçãO   Be
Workshop Auto AvaliaçãO Be
 

Mais de mjoaocaldeira

Mais de mjoaocaldeira (6)

Trab Todd Ross
Trab Todd RossTrab Todd Ross
Trab Todd Ross
 
Trab Todd Ross
Trab Todd RossTrab Todd Ross
Trab Todd Ross
 
Trab Todd Ross
Trab Todd RossTrab Todd Ross
Trab Todd Ross
 
Trab Todd Ross
Trab Todd RossTrab Todd Ross
Trab Todd Ross
 
Trab Todd Ross
Trab Todd RossTrab Todd Ross
Trab Todd Ross
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
 

Último

Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Dirceu Resende
 

Último (6)

Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdfCertificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
 
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
 
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdfApresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
 
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
 
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdfConcurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
 

Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]

  • 1. Apresentação do Modelo de Auto-Avaliação da BIBLIOTECA ESCOLAR
  • 2.
  • 3. “ Está comprovado que quando os bibliotecários e os professores trabalham em conjunto, os estudantes alcançam níveis mais elevados de literacia, leitura, aprendizagem, resolução de problemas e competências no domínio das tecnologias de informação e comunicação”. (IFLA/UNESCO, 1999) “ A biblioteca constitui um instrumento essencial do desenvolvimento do currículo escolar e as suas actividades devem estar integradas nas restantes actividades da escola e fazer parte do seu projecto educativo. Ela não deve ser vista como um simples serviço de apoio à actividade lectiva ou um espaço autónomo de aprendizagem e ocupação de tempos livres”. (Veiga, 2001)
  • 4.
  • 5. Um importante contributo para o sucesso educativo BIBLIOTECA ESCOLAR Instrumento essencial ao desenvolvimento dos currículos Recurso fundamental para o desenvolvimento das várias literacias Espaço privilegiado de conhecimento e aprendizagem 1. Avaliação da BE: pressupostos
  • 6. Como demonstrar o contributo e o impacto da BE nas aprendizagens e a eficiência dos seus serviços? Recolha de evidências Análise da informação recolhida Divulgação dos resultados da acção da BE Implementação do processo de Auto-avaliação 1. Avaliação da BE: pressupostos
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12. 2. Modelo de Auto-Avaliação das BE O modelo insere-se num Plano de Desenvolvimento in Scoot, Elspeth S., How good is your school library resource centre? (2002)
  • 13.
  • 14.
  • 15. 3. Estrutura do Modelo de Auto-Avaliação das BE Organizado em 4 domínios que representam as áreas essenciais para que a biblioteca escolar cumpra os pressupostos e objectivos que suportam a sua acção no processo educativo. Domínios/Subdomínios A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular B. Leitura e Literacia C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade D. Gestão da Biblioteca Escolar A1. Articulação Curricular da BE com as Estruturas de Coordenação Educativa e Supervisão Pedagógica e os Docentes B1. Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura C1. Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular D1. Articulação da BE com a Escola/ Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE A2. Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital B2. Trabalho articulado com departamentos e com o exterior, no âmbito da leitura C2. Projectos e Parcerias D2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços. D3. Gestão da colecção/da informação
  • 16. 3. Estrutura do Modelo de Auto-Avaliação das BE Indicadores, factores críticos de sucesso, recolha de evidências, acções de melhoria Indicadores – apontam as zonas nucleares de intervenção em cada domínio; permitem a aplicação de elementos de medição. Factores críticos de sucesso – exemplos de situações, ocorrências, acções que operacionalizam o indicador; guia orientador para a recolha de evidências. Recolha de evidências – exemplos de elementos, fontes e instrumentos de recolha de dados. Acções de melhoria – sugestões de acções com vista à melhoria.
  • 17. Indicadores temáticos 3. Estrutura do Modelo de Auto-Avaliação das BE Domínio A | Exemplo A1. Articulação curricular da BE com as Estruturas Pedagógicas e os Docentes A.1.1. Cooperação da BE com os órgãos pedagógicos de gestão intermédia da escola/agrupamento. A.1.2. Parceria da BE com os docentes responsáveis pelas áreas curriculares não disciplinares (ACND). A.1.3. Articulação da BE com os docentes responsáveis pelos Apoios Educativos. A.1.4. Integração da BE no Plano de Ocupação Plena dos Tempos Escolares (OPTE). A.1.5. Colaboração da BE com os docentes na concretização das actividades curriculares desenvolvidas no seu espaço ou tendo por base os seus recursos.
  • 18. Indicadores temáticos 3. Estrutura do Modelo de Auto-Avaliação das BE Domínio A | Exemplo A2. Desenvolvimento da Literacia da Informação A.2.1. Organização de actividades de formação de utilizadores. A.2.2. Promoção do ensino em contexto de competências de informação. A.2.3. Promoção das TIC e da Internet como ferramentas de acesso, produção e comunicação de informação e como recurso de aprendizagem. A.2.4. Impacto da BE nas competências tecnológicas e de informação dos alunos. A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26. 6. Referências Bibliográficas Johnson, Doug (2005) Getting the Most from Your School Library Media Program , Principal . Jan/Feb 2005 http://www.doug-johnson.com/dougwri/getting-the-most-from-your-school-library-media-program-1.html [08/11/2009] McNicol, Sarah (2004) Incorporating library provision in school self-evaluation. Educational Review , 56 (3), 287-296. (Disponível na plataforma) RBE (2009) Apresentação do Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar. http://www.rbe.min-edu.pt/np4/?newsId=31&fileName=modelo_auto_avaliacao.pdf > [13/11/2009]   Scott, Elspeth (2002) How good is your school library resource centre? An introduction to performance measurement . 68th IFLA Council and General Conference August. http://www.ifla.org/IV/ifla68/papers/028-097e.pdf [08/11/2009] Todd, Ross (2002) “School librarian as teachers: learning outcomes and evidence-based practice”. 68th IFLA Council and General Conference August. < http://www.ifla.org/IV/ifla68/papers/084-119e.pdf > [20/08/2008 ] Texto da sessão 4 . Plataforma Moodle. http://forumbibliotecas.rbe.min-edu.pt/mod/resource/view.php?id=8039 > [10/11/2009]

Notas do Editor

  1. A Biblioteca Escolar já não é considerada como um centro de recursos, mas passou a ser perspectivada como um centro de aprendizagem.
  2. Scott