Apresentação do Estágio - André A.

2.197 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.197
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação do Estágio - André A.

  1. 1. RELATÓRIO DE ESTÁGIOCURRICULAR SUPERVISIONADO REALIZADO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES MICROBIOLÓGICAS E FÍSICO- QUÍMICAS DE ALIMENTOS E ÁGUA (LAMAG) – UTFPR André Andrejewski Medianeira 2012
  2. 2. APRESENTAÇÃOSupervisor: Ademir Mattana;Orientador: Profº. Me. William A. P. L. N. Terroso de M. Brandão;Período de 12 de maio a 11 de novembro de 2011.
  3. 3. INTRODUÇÃOAplicação de conhecimentos e novas experiências;Segurança alimentar;Abordagem tradicional de controle de qualidade;Controle microbiológico a partir de técnicas e estudos teóricos.
  4. 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIOObjetivos gerais:Desenvolver habilidades, ampliando o conhecimento na área.Objetivos específicos:Receber e preparar as amostras para análise;Preparar os meios de cultura e soluções utilizadas;Realizar análises microbiológicas e físico-químicas com eficiência;Fazer as leituras dos resultados corretamente;Higienizar, acondicionar e esterilizar adequadamente materiais.
  5. 5. HISTÓRICOUTFPR:A trajetória iniciou-se em 1909;Outubro de 2005;1990 Alimentos e Eletromecânica;2006 Química e Saúde e Segurança no Trabalho.LAMAG:Fundação de apoio à Educação, Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico;Abril de 1997 – 1000 análises anuais.
  6. 6. ATIVIDADESDESENVOLVIDASLimpeza das instalações, equipamentos e materiais;Recepção das amostras;Preparo dos meios de cultura e das soluções;Realização das análisesLeitura dos resultados.
  7. 7. DESINFECÇÃO SALAASSÉPTICAUniformizado;Papel esterilizado e álcool 70%;Luz ultravioleta/20 minutos;Reduzir os riscos de contaminação.
  8. 8. LIMPEZA DOS MATERIAISMateriais contaminados: Autoclavados 121ºC/20 min; Pipetas hipoclorito/3-4 dias; Lavagem individual;Materiais não contaminados: Higienização com álcool 70%;
  9. 9. LIMPEZA DOS MATERIAIS Materiais contaminados Materiais não contaminados
  10. 10. ACONDICIONAMENTOEmbalar os materiais em papel Kraft;Identificá-los;Lado em que se deve abrir;Data de esterilização.
  11. 11. ESTERILIZAÇÃOAutoclave;121ºC/1atm por 20 minutos;“Primeiro que entra,primeiro que sai”.
  12. 12. RECEPÇÃO DAS AMOSTRASCondições da embalagem;Preenchimento de um protocolo com os dados e as análises requeridas;Etiqueta demarcando o número do protocolo.
  13. 13. PREPARO DOS MEIOS DECULTURAVisam manter os microrganismos viáveis. Finalidades diferentes: enriquecimento, seleção e diferenciação;Esterilizados em autoclave: 121ºC por 15 minutos ou por vapor fluente;Ágar distribuídos em placas ou tubos inclinados enquanto que caldos somente em tubos.
  14. 14. UNIDADE ANALÍTICA EDILUIÇÕESAmostra mínima de 200g ou 300 mL;Unidade analítica microbiológica de 25g ou mL;Limite estabelecido pela legislação para cada tipo de amostra;Homogeneização e abertura asséptica da embalagem;
  15. 15. UNIDADE ANALÍTICA EDILUIÇÕES
  16. 16. ANÁLISES MICROBIOLÓGICAS Instrução Normativa Nº 62, de 26 de agosto de 2003
  17. 17. Contagem de Bolores e LevedurasÁgar Batata Dextrose acidificado – Superfície/ Sem inverter/ 25ºC/ 7 dias PDA com crescimento de bolores
  18. 18. Contagem Padrão deMicrorganismos Mesófilos Ágar Padrão para Contagem – Pour-Plate/ 36ºC/ 48 horas PCA com crescimento de colônia atípica roxa
  19. 19. Número Mais Provável deColiformesTeste Presuntivo no Caldo Lauril Sulfato Triptose – 36ºC/ 48 horas Tubos de LST positivos
  20. 20. Contagem de Coliformes – PlaqueamentoÁgar Cristal Violeta Vermelho Neutro Bile – Sobrecamada/ 36ºC/ 24 horas VRBA com colônias típicas de coliformes
  21. 21. Coliformes Totais e TermotolerantesColiformes Totais: Caldo Verde Brilhante Bile Lact. – Alçada/ 36ºC/ 48 horasColiformes Termotolerantes: Caldo EC – Alçada/ 45ºC/ 48 horas Tubo de EC positivo (esquerda) comparado com negativo (direita)
  22. 22. Contagem de Coliformes –Petrifilm®Meio pronto e de rápida execução – Disco/ Temp. variável/ 24 horas Petrifilm sem crescimento de coliformes
  23. 23. Contagem de Sta p hy lo c o c c uscoag. + Ágar Baird-Parker + Aditamentos – Superfície/ 36ºC/ 48 horas BP com colônias típicas de Staphylococcus aureus
  24. 24. Contagem de Sta p hy lo c o c c us coag. +Testes confirmativos – catalase, coagulase e características morfológicasLâminas coloridas pela técnica de Gram Coágulo formado incubação 36ºC/ 4 horas
  25. 25. Ausência de Sa lm o ne lla s p em 25gPré-Enriquecimento: ADPT 1% - Diluição/ 36ºC/ 24 horasEnriquecimento: Caldo Rappaport Vassiliadis – 0,1 mL/ 41ºC/ 24 horasIsolamento: Ágar Hektoen Entérico – Esgotamento/ 36ºC/ 24 horas Placas de HE com colônias características de Salmonella
  26. 26. Ausência de Sa lm o ne lla s p em 25gTestes confirmativos – Ágar Triplo Açúcar Ferro e Ágar Lisina Ferro Tubos de TSI e LIA considerados positivos para Salmonella
  27. 27. Contagem de Clo s trid ium SulfitoRedutorÁgar Sulfito Polimixina Sulfadiazina – Sobrecamada/ 46ºC/ 48 horasPlacas não invertidas – incubadas na jarra de anaerobiose Microscopia de Clostridium perfringens
  28. 28. Contagem de Ba c illus c e re usÁgar Manitol Gema de Ovo Polimixina – Superfície/ 36ºC/ 24 horas Placa de MYP com colônias características de Bacillus cereus
  29. 29. Contagem de Ba c illus c e re us Testes confirmativos – catalase, motilidade, utilização anaeróbia daglicose, redução de nitrato, Voges-Proskauer e hemólise no Ágar Sangue Motilidade Red. Nitrato Voges-Proskauer Ágar Sangue
  30. 30. ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz
  31. 31. ANÁLISES REALIZADASFosfatase;Peroxidase;Potencial Hidrogeniônico;Densidade do leite;Acidez titulável;Índice crioscópico;
  32. 32. ANÁLISES REALIZADASTeor de umidade;Teor de cinzas;Teor de glicídios (Método de Lane-Eynon);Teor de lipídios (Método de Gerber);Teor de lipídios (Método de Soxhlet);Teor de proteína bruta (Método de Kjeldahl).
  33. 33. DEMAIS ATIVIDADESMicrobiologia: Preparo de caldos específicos; Identificação de colônias atípicas;Físico-Química: Elaboração de POPs; Descarte adequado de resíduos; Organização do almoxarifado por incompatibilidade.
  34. 34. CONSIDERAÇÕES FINAISRealização dos objetivos;Necessidade de agir com ética e seriedade;Período produtivo.
  35. 35. AGRADECIMENTOS

×