SlideShare uma empresa Scribd logo

Fisiopatologia do Choque = conferência Módulo de Emergência - turma 2015.pptx

fisiopato do choque

1 de 35
Baixar para ler offline
Fisiopatologia do Choque
Prof. Laila Cheibub
CHOQUE - Definição
• É a expressão clínica da hipóxia celular ,
causado pela incapacidade do sistema
circulatório de suprir as demandas de
oxigênio:
 transporte inadequado
 aumento no consumo
 má utilização de oxigênio pelas células .
• Choque = desequilíbrio entre oferta e
demanda de oxigênio (O2) .
Fisiopatologia do Choque
• O2 atmosfera  O2 espaço alveolar  O2
no sangue capilar  O2 + Hemoglobina 
Sangue oxigenado na circulação e
microcirculação (através do DC)  O2 se
desliga da hemoglobina  O2 no espaço
intracelular  O2 na mitocôndria  ATP
Fisiopatologia do Choque
• Oferta de oxigênio = DC  Choque
hipovolêmico , cardiogênico , obstrutivo
• Consumo de oxigênio = oferta normal 
Choque séptico
• Oferta e consumo normais = disfunção celular
= célula incapaz de utilizar o oxigênio pra
produzir ATP  Choque  anafilático
Fases do Choque
Fases do Choque  Choque oculto
• Desequilíbrio oferta/consumo O2  +
barorreceptores (SN simpático) e receptores
sensitivos centrais de O2  vasoconstricção
arterial e venosa  da resistência vascular
periférica + do retorno venoso  FC  DC
+ Renina-angiotensina-aldosterona + hormônio
anti-diurético  retenção de líquido  volume
intra-vascular  pré-carga  volume ejetado

Recomendados

Edema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de PulmãoEdema Agudo de Pulmão
Edema Agudo de Pulmãoresenfe2013
 
Insuficiencia respiratória
Insuficiencia respiratóriaInsuficiencia respiratória
Insuficiencia respiratóriapauloalambert
 
Acidente Vascular Encefálico
Acidente Vascular EncefálicoAcidente Vascular Encefálico
Acidente Vascular EncefálicoBrenda Lahlou
 
Choque
ChoqueChoque
Choquedapab
 
Semioliga - Aula Sistema Respiratório (Básica)
Semioliga - Aula Sistema Respiratório (Básica)Semioliga - Aula Sistema Respiratório (Básica)
Semioliga - Aula Sistema Respiratório (Básica)Gustavo Oliveira
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Gasometria Arterialresenfe2013
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Síndromes respiratórias 2017
Síndromes respiratórias 2017Síndromes respiratórias 2017
Síndromes respiratórias 2017pauloalambert
 
Insuficiência Respiratória
Insuficiência RespiratóriaInsuficiência Respiratória
Insuficiência Respiratóriaresenfe2013
 
SINDROME CORONARIANA AGUDA
SINDROME CORONARIANA AGUDASINDROME CORONARIANA AGUDA
SINDROME CORONARIANA AGUDAFernanda Marinho
 
Choque aula-med-de-urgc3aancia
Choque aula-med-de-urgc3aanciaChoque aula-med-de-urgc3aancia
Choque aula-med-de-urgc3aanciaRejane Durães
 
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de VálvulasCirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulasresenfe2013
 
Insuficiência cardíaca 2017
Insuficiência cardíaca 2017Insuficiência cardíaca 2017
Insuficiência cardíaca 2017pauloalambert
 
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...José Alexandre Pires de Almeida
 
Exame físico do Tórax
Exame físico do TóraxExame físico do Tórax
Exame físico do Tóraxpauloalambert
 
DERRAME PLEURAL - Caso Clínico
DERRAME PLEURAL - Caso ClínicoDERRAME PLEURAL - Caso Clínico
DERRAME PLEURAL - Caso ClínicoBrenda Lahlou
 
Semiologia 01 anamnese e ectoscopia
Semiologia 01   anamnese e ectoscopiaSemiologia 01   anamnese e ectoscopia
Semiologia 01 anamnese e ectoscopiaJucie Vasconcelos
 
Ventilação mecânica
Ventilação mecânicaVentilação mecânica
Ventilação mecânicaresenfe2013
 
Crise hipertensiva
Crise hipertensivaCrise hipertensiva
Crise hipertensivaresenfe2013
 
Ecg básico
Ecg básicoEcg básico
Ecg básicodapab
 

Mais procurados (20)

Hipertensão Portal
Hipertensão PortalHipertensão Portal
Hipertensão Portal
 
Síndromes respiratórias 2017
Síndromes respiratórias 2017Síndromes respiratórias 2017
Síndromes respiratórias 2017
 
Insuficiência Respiratória
Insuficiência RespiratóriaInsuficiência Respiratória
Insuficiência Respiratória
 
Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica
 
SINDROME CORONARIANA AGUDA
SINDROME CORONARIANA AGUDASINDROME CORONARIANA AGUDA
SINDROME CORONARIANA AGUDA
 
Tep
TepTep
Tep
 
Choque aula-med-de-urgc3aancia
Choque aula-med-de-urgc3aanciaChoque aula-med-de-urgc3aancia
Choque aula-med-de-urgc3aancia
 
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de VálvulasCirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
 
Semiologia da cianose
Semiologia da cianoseSemiologia da cianose
Semiologia da cianose
 
Semiologia
SemiologiaSemiologia
Semiologia
 
Aula teorica do torax
Aula teorica do toraxAula teorica do torax
Aula teorica do torax
 
Insuficiência cardíaca 2017
Insuficiência cardíaca 2017Insuficiência cardíaca 2017
Insuficiência cardíaca 2017
 
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
 
Hipertensão intracraniana
Hipertensão intracranianaHipertensão intracraniana
Hipertensão intracraniana
 
Exame físico do Tórax
Exame físico do TóraxExame físico do Tórax
Exame físico do Tórax
 
DERRAME PLEURAL - Caso Clínico
DERRAME PLEURAL - Caso ClínicoDERRAME PLEURAL - Caso Clínico
DERRAME PLEURAL - Caso Clínico
 
Semiologia 01 anamnese e ectoscopia
Semiologia 01   anamnese e ectoscopiaSemiologia 01   anamnese e ectoscopia
Semiologia 01 anamnese e ectoscopia
 
Ventilação mecânica
Ventilação mecânicaVentilação mecânica
Ventilação mecânica
 
Crise hipertensiva
Crise hipertensivaCrise hipertensiva
Crise hipertensiva
 
Ecg básico
Ecg básicoEcg básico
Ecg básico
 

Semelhante a Fisiopatologia do Choque = conferência Módulo de Emergência - turma 2015.pptx

Choque Séptico em Pediatria.pptx
Choque Séptico em Pediatria.pptxChoque Séptico em Pediatria.pptx
Choque Séptico em Pediatria.pptxAguiarneto3
 
0326 choque - Marion
0326 choque - Marion0326 choque - Marion
0326 choque - Marionlaiscarlini
 
Fisiopatologia da cirurgia
Fisiopatologia da cirurgiaFisiopatologia da cirurgia
Fisiopatologia da cirurgiaYuri Assis
 
Pós operatório de cirurgia cardiovascular
Pós operatório de cirurgia cardiovascularPós operatório de cirurgia cardiovascular
Pós operatório de cirurgia cardiovascularPaulo Sérgio
 
Parada Cardiorrespiratória
Parada CardiorrespiratóriaParada Cardiorrespiratória
Parada CardiorrespiratóriaPaula Oliveira
 
Questionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptx
Questionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptxQuestionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptx
Questionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptxssuserf1aeac2
 
Iv curso teórico prático - monitorização neurológica avançada
Iv curso teórico prático - monitorização neurológica avançadaIv curso teórico prático - monitorização neurológica avançada
Iv curso teórico prático - monitorização neurológica avançadactisaolucascopacabana
 
8. Sepse - Cardec.ppt
8. Sepse - Cardec.ppt8. Sepse - Cardec.ppt
8. Sepse - Cardec.pptMEDUFPI90
 
1189261808 445.avc ppoint
1189261808 445.avc ppoint1189261808 445.avc ppoint
1189261808 445.avc ppointPelo Siro
 
Artigo diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
Artigo  diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque sépticoArtigo  diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
Artigo diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque sépticoErick Bragato
 
CHOQUE HEMORRAGICO-1.pptx
CHOQUE HEMORRAGICO-1.pptxCHOQUE HEMORRAGICO-1.pptx
CHOQUE HEMORRAGICO-1.pptxBasilio4
 
CASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptx
CASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptxCASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptx
CASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptxLuisDaviDiniz2
 
Caso clinico simpósio fa
Caso clinico simpósio faCaso clinico simpósio fa
Caso clinico simpósio faFelipe Motta
 

Semelhante a Fisiopatologia do Choque = conferência Módulo de Emergência - turma 2015.pptx (20)

Emergencia tipos de choque resulmo
Emergencia tipos de choque resulmoEmergencia tipos de choque resulmo
Emergencia tipos de choque resulmo
 
Choques (muito bom)
Choques (muito bom)Choques (muito bom)
Choques (muito bom)
 
Choque Séptico em Pediatria.pptx
Choque Séptico em Pediatria.pptxChoque Séptico em Pediatria.pptx
Choque Séptico em Pediatria.pptx
 
0326 choque - Marion
0326 choque - Marion0326 choque - Marion
0326 choque - Marion
 
08 aula_ Convulsões e Choque
08 aula_ Convulsões e Choque08 aula_ Convulsões e Choque
08 aula_ Convulsões e Choque
 
Fisiopatologia da cirurgia
Fisiopatologia da cirurgiaFisiopatologia da cirurgia
Fisiopatologia da cirurgia
 
Pós operatório de cirurgia cardiovascular
Pós operatório de cirurgia cardiovascularPós operatório de cirurgia cardiovascular
Pós operatório de cirurgia cardiovascular
 
Parada Cardiorrespiratória
Parada CardiorrespiratóriaParada Cardiorrespiratória
Parada Cardiorrespiratória
 
Choque
Choque Choque
Choque
 
Questionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptx
Questionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptxQuestionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptx
Questionário de hemogramas - arquivo de revisão.pptx
 
Sepse
SepseSepse
Sepse
 
Iv curso teórico prático - monitorização neurológica avançada
Iv curso teórico prático - monitorização neurológica avançadaIv curso teórico prático - monitorização neurológica avançada
Iv curso teórico prático - monitorização neurológica avançada
 
8. Sepse - Cardec.ppt
8. Sepse - Cardec.ppt8. Sepse - Cardec.ppt
8. Sepse - Cardec.ppt
 
1189261808 445.avc ppoint
1189261808 445.avc ppoint1189261808 445.avc ppoint
1189261808 445.avc ppoint
 
Artigo diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
Artigo  diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque sépticoArtigo  diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
Artigo diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
 
CHOQUE HEMORRAGICO-1.pptx
CHOQUE HEMORRAGICO-1.pptxCHOQUE HEMORRAGICO-1.pptx
CHOQUE HEMORRAGICO-1.pptx
 
CASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptx
CASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptxCASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptx
CASOS CLÍNICOS HM (1) ultimo.pptx
 
Caso clínico
Caso clínicoCaso clínico
Caso clínico
 
Choque
ChoqueChoque
Choque
 
Caso clinico simpósio fa
Caso clinico simpósio faCaso clinico simpósio fa
Caso clinico simpósio fa
 

Fisiopatologia do Choque = conferência Módulo de Emergência - turma 2015.pptx

  • 2. CHOQUE - Definição • É a expressão clínica da hipóxia celular , causado pela incapacidade do sistema circulatório de suprir as demandas de oxigênio:  transporte inadequado  aumento no consumo  má utilização de oxigênio pelas células . • Choque = desequilíbrio entre oferta e demanda de oxigênio (O2) .
  • 3. Fisiopatologia do Choque • O2 atmosfera  O2 espaço alveolar  O2 no sangue capilar  O2 + Hemoglobina  Sangue oxigenado na circulação e microcirculação (através do DC)  O2 se desliga da hemoglobina  O2 no espaço intracelular  O2 na mitocôndria  ATP
  • 4. Fisiopatologia do Choque • Oferta de oxigênio = DC  Choque hipovolêmico , cardiogênico , obstrutivo • Consumo de oxigênio = oferta normal  Choque séptico • Oferta e consumo normais = disfunção celular = célula incapaz de utilizar o oxigênio pra produzir ATP  Choque  anafilático
  • 6. Fases do Choque  Choque oculto • Desequilíbrio oferta/consumo O2  + barorreceptores (SN simpático) e receptores sensitivos centrais de O2  vasoconstricção arterial e venosa  da resistência vascular periférica + do retorno venoso  FC  DC + Renina-angiotensina-aldosterona + hormônio anti-diurético  retenção de líquido  volume intra-vascular  pré-carga  volume ejetado
  • 7. Fases do Choque  Choque oculto • Não há manifestações clínicas : PA normal . • Má-perfusão = anaerobiose lactato = acidose metabólica  afinidade da hemoglobina pelo O2  libera O2 nos tecidos • Se isso não é corrigido = esgotam mecanismos compensatórios  choque descompensado
  • 8. Fases do choque  Choque Descompensado • Hipóxia celular  ATP produzido em anaerobiose = glicólise  ácido láctico  acidose  instabilidade da membrana celular + produção inadequada de ATP  lesão celular  liberação de mediadores inflamatórios  morte celular  piora o choque  falência de orgãos .
  • 10. Fases do Choque  Choque Reversível / Irreversível • Há sinais clínicos : hipotensão , sinais de hipoperfusão ( 3 janelas) ; hiperlactatemia. • Reposição volêmica + Vasopressores  OK = Choque Reversível . • Sem resposta = Choque Irreversível  falência múltipla de órgãos .
  • 11. Diagnóstico do Choque • Sinais de hipoperfusão tecidual : 1) Clínicos : 3 janelas 2) Hemodinâmicos : hipotensão (PAS < 90 mmHg ; PAM < 65 mmHg ) ; taquicardia . 3) Bioquímicos : hiperlactemia ; acidose metabólica ; baixa saturação venosa/tecidual de O2
  • 13. Choque Hipovolêmico • volume intra-vascular  pré-carga  DC  hipoperfusão tecidual . • hemoglobina  transporte de O2  oferta  hipoperfusão .
  • 16. Choque Cardiogênico • Falência de bomba  DC e resistência vascular periférica  hipoperfusão • Hipotensão ; FE ; pressão de enchimento da artéria pulmonar . • Sintomas de falência de bomba (IC) : dispnéia/ortopnéia ; turgência jugular ; edema de MMII ; hepatomegalia ; estertores creptantes em bases ; B3 ou B4 .
  • 17. Choque Cardiogênico - Tipos • Miopático : problema no músculo = IAM grave, IC em miocardiopatia dilatada , pós-PCR • Arrítmico : taqui ou bradiarritmias DC • Mecânico = alterações estruturais interferindo na mecânica do coração : alterações valvares , ruturas de músculos papilares ou cordoalhas.
  • 19. Choque Obstrutivo • Compressão extrínseca ao coração = obstrução externa ao fluxo sanguíneo  pré- carga  DC  hipoperfusão .
  • 21. Choque Distributivo • mediadores inflamatórios ( sepse , anafilaxia) ou estimulação simpática pela medula (neurogênico) ou alteração do tônus vascular (endócrino)  vasodilatação generalizada  r resistência vascular sistêmica • Assim , o DC é normal , mas há uma má- distribuição do oxigênio : por alterações na microcirculação ou mau uso do O2 pela mitocôndria  Hipoperfusão .
  • 23. Epidemiologia do Choque • Na UTI : choque séptico = 62% ; cardiogênico = 16% ; hipovolêmico = 16% ; outros tipos distributivos = 4% ; obstrutivo = 2% . • Na emergência : choque hipovolêmico = 36% ; choque séptico = 33% ; cardiogênico = 29% ; outras formas = 2% . • Muitos pacientes têm mais de um tipo de choque associados .
  • 24. Monitorização no choque • Critérios clínicos : perfusão periférica , estado mental , débito urinário ; medidas de PA e PAM não invasivas. • Medidas de pressões intra-vasculares (PVC) = não avalia pré-carga , prognóstico . Ecocardiograma = FE , pressão de artéria pulmonar ; diagnóstico . • Medidas mais invasivas = cateter de artéria pulmonar : mede DC . Choque grave, refratário ou complexo .
  • 28. Metas terapêuticas • Diurese > 0,5 ml/kg/h • PVC = 8 – 12 mmHg • Hemoglobina > 8-10 g/dl • Lactato < 4 mmol/L • Saturação venosa de O2 > 70% • Gap de CO2 < 5 mmHg • PAM > 65-70 mmHg
  • 29. Tratamento do Choque: • Suporte hemodinâmico e ventilatório precoces. • Identificar e corrigir causa básica : parar sangramento, revascularização / trombólise , antibióticos na 1ª hora , drenagem ... • Oxigênio suplementar / IOT : basear na Gasometria ; sedação com Etomidato ou quetamina com bloq neuromuscular (succinilcolina ou rocurônio)
  • 30. Tratamento – Ressuscitação volêmica • Soluções cristalóides = até 1L ou 20 ml/kg  corrigir hipovolemia e aumentar DC  melhorar perfusão tecidual . • Choque hemorrágico : classificar para definir hemotransfusão ; cessar sangramento. • Avaliar se paciente é fluido-responsivo : manobra de elevação passiva dos membros com medida do DC (por Eco) ; variação de parâmetros de VM . • Desafio hídrico : 300 – 500 ml em 10-15 min , mede DC .
  • 31. Tratamento - Vasopressores • Norepinefrina = 1ª escolha : PAM , leve efeito inotrópico evitando queda do DC . • Dopamina = + arritmias (útil nas bradiarritmias) • Epinefrina : 2 ou 3ª linha , casos graves e não cardiogênicos : mais inotrópica. • Vasopressina = 2ª droga no choque séptico : melhora sobrevida , mas DC deve ser normal
  • 32. Tratamento - Inotrópicos • Dobutamina = contratilidade miocárdica e FC; mas faz vasodilatação e arritmias = uso no choque cardiogênico ; dose escalonada 2,5 - 5-10 - 15 - 20 ; desmame inverso a cada 12-24 h • Epinefrina = inotrópico no choque séptico isolada ou com vasopressor em dose alta que evoluam com baixo DC . • Inibidores de Fosfodiesterase III (Milrinone) = vasodilatação periférica e pulmonar : TEP e disfunção de VD com HAP .
  • 33. Tratamento extra-corpóreo • Suporte mecânico extra-corpóreo : pós-carga -BIA (balão intra-aórtico de contra-pulsação) - ECMO-VA (Oxigenação por membrana extracorpórea Venoarterial) -DAV (dispositivos de assistência ventricular) • Choque cardiogênico ou obstrutivo : instalar antes da falência de órgãos .