PACTO E M
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
PEDAGÓGICO NO ENSINO MÉDIO
PROFESSORAS: CLAUDIA ADONA
CLEOMARA ROSSETTI
ELIETE MARCOLINA...
REFLEXÃO E AÇÃO:
 CONSELHO ESCOLAR O QUE É?
 Podemos pensar na educação como o principal pilar
em que se apoia o grau de...
 Esta instância é formada pelos diversos segmentos da
comunidade escolar: professores, funcionários da escola,
pais... En...
 Com base na boa articulação entre os
membros dos Conselhos Escolares em cada
escola e comunidade, é possível construir u...
 Não é a toa que a gestão da escola e do
sistema de ensino ao qual ela está subordinada
é objeto de muita preocupação do ...
É de suma importância que o
Conselho Escolar exerça
constantemente a tarefa de avaliar
a escola como um todo e faça da
au...
Deve haver o aprofundamento
das questões aqui levantadas,
bem como a mobilização da
comunidade como um todo no
tocante ao...
O QUE É GRÊMIO ESTUDANTIL?
O grêmio estudantil representa os
estudantes da escola. Seu maior
objetivo é unir e movimentar...
O QUE É O CONSELHO DE CLASSE?
 O conselho de classe é um dos mais
importantes espaços escolares, pois,
tendo em vista seu...
 De fato é mais do que uma reunião
pedagógica; é parte integrante do
processo de avaliação desenvolvido pela
escola. É o ...
 Cumpre, portanto, a todos os profissionais
da educação realizar enfrentamentos no
sentido de superar a estrutura de
cons...
 Enfrentar esses limites significa ir para além
da concepção do conselho de classe
como uma forma de concessão de
“chance...
De acordo com MATTOS (2005),
“não é o espaço de
comparação de alunos em que
se valida a construção de
imagens dos alunos ...
O que é e para que serve o PPP?
 Constitui-se em um documento produzido
como resultado do diálogo entre os
diversos segme...
O PPP, além de ser uma obrigação
legal, deve traduzir a visão, a missão,
os objetivos, as metas e as ações que
determinam...
Como se faz o PPP?
 Considerada a legislação vigente e orientada,
sobretudo, pelo Parecer CEE 405/2004, a escola,
represe...
Este é um processo fundamental
para o êxito da escola: a cultura do
diagnóstico e da avaliação (como
tomada de decisão) e...
Fazer o PPP implica em planejamento
de todas as atividades no âmbito
escolar, execução das ações
previstas, avaliação do ...
Resultado da pesquisa feita com
os alunos da 3ª série do EM - CETN
Resultado da pesquisa feita com
os alunos da 3ª série do EM - CETN
Resultado da pesquisa feita com
os alunos da 3ª série do EM - CETN
Apresentação da pesquisa aos
alunos do EM - CETN
 Pode-se objetar que a questão educacional tem sido
amplamente discutida e se tornado objeto de
considerações as mais div...
Conclusão:
 Para nosso conforto intelectual, podemos verificar que a
questão educacional alarga continuamente seu ponto
d...
 Podemos dizer que a partir dos tempos
clássicos, o conceito de cidadão se consolidou
e incorporou outros grupos e indiví...
 Por isso, devem ser indicadas em que condições a
liberdade e a autonomia - princípios constitutivos - se
manifestam na c...
 O exercício de cidadania compreende duas ações
interdependentes: a primeira refere-se à participação lúcida
dos indivídu...
Bibliografia
 http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-
73302001000300013&script=sci_arttext
 http://www.infoescola.com...
Pacto EM
Pacto EM
Pacto EM
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pacto EM

344 visualizações

Publicada em

Organização do Trabalho Pedagógico no Ensino Médio

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Pacto EM

  1. 1. PACTO E M ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NO ENSINO MÉDIO PROFESSORAS: CLAUDIA ADONA CLEOMARA ROSSETTI ELIETE MARCOLINA GLEIDE MARTINI CAVASSOLA LILIANE T. P. POLEZ MADALENA GALVAN ROSICLEI MARTINI SIMONE M. P. FERRI
  2. 2. REFLEXÃO E AÇÃO:  CONSELHO ESCOLAR O QUE É?  Podemos pensar na educação como o principal pilar em que se apoia o grau de desenvolvimento social de uma nação. Não se pode negar que a gestão democrático-participativa é altamente necessária para que a escola tenha condições mínimas de responder aos anseios da sociedade, na formação do indivíduo para o trabalho e para a vida. Uma das instâncias de vivência democrática na escola e na comunidade onde esta se insere é o Conselho Escolar.
  3. 3.  Esta instância é formada pelos diversos segmentos da comunidade escolar: professores, funcionários da escola, pais... Enfim, os membros que, direta ou indiretamente, estão ligados ao processo educacional. Ele é responsável pelo estudo e planejamento, debate e deliberação, acompanhamento, controle e avaliação das ações do dia-a-dia da escola tanto no campo pedagógico, articulando as ações, acompanhando os alunos que estão nos Programas desenvolvidos no ambiente interno da escola, em relação ao seu rendimento escolar, quanto no administrativo e financeiro, direcionando o gasto das verbas federais, estaduais e municipais de modo a garantir a melhor aplicabilidade desses recursos. Erroneamente, muitas pessoas pensam que ele serve apenas para fiscalizar, conduzir a aplicabilidade dos recursos que chegam à escola.
  4. 4.  Com base na boa articulação entre os membros dos Conselhos Escolares em cada escola e comunidade, é possível construir uma identidade da escola, gerar uma funcionalidade enquanto instituição social que atenda às expectativas de seu público e da comunidade da qual faz parte e, principalmente, se mostrar como um órgão de natureza democrática, onde a comunidade a qual ela serve, cria a sua própria história.
  5. 5.  Não é a toa que a gestão da escola e do sistema de ensino ao qual ela está subordinada é objeto de muita preocupação do meio acadêmico e dos profissionais que trabalham no dia-a-dia da rotina escolar. É possível a construção de espaços para que a ação do Conselho Escolar transforme a realidade da democracia na gestão da escola e do sistema de ensino, enfocando que não se faz democracia sem o empenho de todos que fazem parte da comunidade escolar e do sistema de ensino.
  6. 6. É de suma importância que o Conselho Escolar exerça constantemente a tarefa de avaliar a escola como um todo e faça da auto avaliação um dos momentos mais importantes em sua atuação, que deve ser transparente e mais próxima da comunidade.
  7. 7. Deve haver o aprofundamento das questões aqui levantadas, bem como a mobilização da comunidade como um todo no tocante ao processo de envolvimento diário com o cotidiano da escola. Dessa forma, a democracia é fortalecida.
  8. 8. O QUE É GRÊMIO ESTUDANTIL? O grêmio estudantil representa os estudantes da escola. Seu maior objetivo é unir e movimentar os estudantes para a discussão de seus direitos e deveres, debatendo assuntos diversos sobre escola, comunidade e sociedade.
  9. 9. O QUE É O CONSELHO DE CLASSE?  O conselho de classe é um dos mais importantes espaços escolares, pois, tendo em vista seus objetivos, segundo Dalben (2004), "é capaz de dinamizar o coletivo escolar pela via da gestão do processo de ensino, foco central do processo de escolarização. É o espaço prioritário da discussão pedagógica.”
  10. 10.  De fato é mais do que uma reunião pedagógica; é parte integrante do processo de avaliação desenvolvido pela escola. É o momento privilegiado para redefinir práticas pedagógicas com o objetivo de superar a fragmentação do trabalho escolar e oportunizar formas diferenciadas de ensino que realmente garantam a todos os alunos a aprendizagem.
  11. 11.  Cumpre, portanto, a todos os profissionais da educação realizar enfrentamentos no sentido de superar a estrutura de conselho de classe autoritária, burocrática e excludente, que serve mais para legitimar o fracasso escolar do que para reorganizar o trabalho pedagógico e, mais especificamente, o trabalho educativo didático que se concretiza na relação aluno-professor.
  12. 12.  Enfrentar esses limites significa ir para além da concepção do conselho de classe como uma forma de concessão de “chances” para os alunos ou de resolução de conflitos entre professor e aluno. Ou seja, o coletivo docente não pode se reunir apenas para dividir os problemas e para que obtenham a aprovação tácita do grupo sobre um processo avaliativo que prioriza a nota e não as reais possibilidades de evolução do aluno.
  13. 13. De acordo com MATTOS (2005), “não é o espaço de comparação de alunos em que se valida a construção de imagens dos alunos e alunas, feitas pelos docentes, no decorrer do ano letivo.”
  14. 14. O que é e para que serve o PPP?  Constitui-se em um documento produzido como resultado do diálogo entre os diversos segmentos da comunidade escolar a fim de organizar e planejar o trabalho administrativo-pedagógico, buscando soluções para os problemas diagnosticados.
  15. 15. O PPP, além de ser uma obrigação legal, deve traduzir a visão, a missão, os objetivos, as metas e as ações que determinam o caminho do sucesso e da autonomia a ser trilhado pela instituição escolar.
  16. 16. Como se faz o PPP?  Considerada a legislação vigente e orientada, sobretudo, pelo Parecer CEE 405/2004, a escola, representada pelos diferentes segmentos que constituem sua comunidade, diagnostica a realidade administrativo-pedagógica, social, estrutural e educacional e, a partir dos dados resultantes do diagnóstico, traça objetivos, propõe metas, planeja ações para que, ao longo de um período letivo, alcance sucesso na aprendizagem do aluno.
  17. 17. Este é um processo fundamental para o êxito da escola: a cultura do diagnóstico e da avaliação (como tomada de decisão) em movimentos de ação, reflexão sobre a ação, e ressignificação de ação.
  18. 18. Fazer o PPP implica em planejamento de todas as atividades no âmbito escolar, execução das ações previstas, avaliação do processo e retomada. Isto somente é possível se instituída a prática do registro e da reflexão sobre ele.
  19. 19. Resultado da pesquisa feita com os alunos da 3ª série do EM - CETN
  20. 20. Resultado da pesquisa feita com os alunos da 3ª série do EM - CETN
  21. 21. Resultado da pesquisa feita com os alunos da 3ª série do EM - CETN
  22. 22. Apresentação da pesquisa aos alunos do EM - CETN
  23. 23.  Pode-se objetar que a questão educacional tem sido amplamente discutida e se tornado objeto de considerações as mais diversas, tanto do ponto de vista teórico, quanto das articulações práticas que mantém com a vida social. O tema tem sido abordado também no plano dos relacionamentos que arquiteta com as diversas formas de conhecimento, os processos produtivos, as inovações tecnológicas e a vida cultural. Pode-se mesmo sugerir, face a essas considerações, que não caberia outro esforço para escavar fundamentos velhos ou novos, pois ele não mais se apresenta virgem à inocência do entendimento.
  24. 24. Conclusão:  Para nosso conforto intelectual, podemos verificar que a questão educacional alarga continuamente seu ponto de inflexão e o coloca para além dos anteriormente referidos e das interconexões que estabelecem entre si. Neste contexto, queremos acentuar a vinculação entre Educação e a ação formadora do ser humano, bem como o modo como essa vinculação se concretiza em diversas situações históricas. Esta perspectiva abre novas pistas que direcionam nosso espírito a um retorno original à natureza fundante da ação pedagógica: precisamos ir ao seu encalço. 
  25. 25.  Podemos dizer que a partir dos tempos clássicos, o conceito de cidadão se consolidou e incorporou outros grupos e indivíduos. Após a Revolução Francesa, estende-se progressivamente o reconhecimento de cidadania a um universo cada vez mais amplo da população, desde que preenchesse a condição constitutiva: a da liberdade e da autonomia.
  26. 26.  Por isso, devem ser indicadas em que condições a liberdade e a autonomia - princípios constitutivos - se manifestam na cidadania. O cidadão é livre porque está certo de que sua vontade não será impedida de ser proclamada por injunções que lhes são externas. Ele sabe que essa vontade implica responsabilidade e se articula às vontades de todos os outros cidadãos reunidos no mesmo espaço e tempo social. Seguindo esse rastro, a ideia de formação para a cidadania começa a ser dimensionada. Tendo em vista que as condições da cidadania são construídas, a Educação ganha papel central nesse processo.
  27. 27.  O exercício de cidadania compreende duas ações interdependentes: a primeira refere-se à participação lúcida dos indivíduos em todos os aspectos da organização e da condução da vida privada e coletiva; e a segunda, à capacidade que estes indivíduos adquirem para operar escolhas. Ambos os aspectos caracterizam o sujeito identificável como cidadão. Como já apontamos que o exercício da cidadania pressupõe a liberdade, a autonomia e a responsabilidade, fica evidente que se constitui um dever dos cidadãos participar na organização da vida social. Essa organização deve assegurar a todos o exercício da liberdade e da responsabilidade.  
  28. 28. Bibliografia  http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101- 73302001000300013&script=sci_arttext  http://www.infoescola.com/educacao/conselho-escolar/  http://www.alunos.diaadia.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo .php?conteudo=144  http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/modules/conteudo/c onteudo.php?conteudo=15  http://www.sed.sc.gov.br/secretaria/ppp

×