Polychaeta&ChaetognataUniversidade Federal do Rio GrandeInstituto de OceanografiaPlanctologia Geral II
POLYCHAETA(Grego: Poly = muitos + Chaeta = cerdas)
Introdução:Filo AnellidaMetameriaMaioria bentônica (meroplanctônica)Algumas famílias holoplanctônicas, adaptadas a vida pe...
IntroduçãoApesar de muito diferentes entre si, tem emcomum o fato de serem consideradosaberrantes em relação às outras fam...
IntroduçãoOlhosParapódiosCorpo “achatado D-V”
TaxonomiaFilo AnnelidaClasse PolychaetaOrdem PhyllodocidaFamília Tomopteridae Grube, 1818Família Alciopidae Ehlers, 1864Fa...
Morfologiahttp://fishland.com.br/fishblog/wp-content/uploads/2011/01/tom_.jpgMetastômio =1p parapódios/segmPigídeo=Ânus + ...
Morfologia, CABEÇACABEÇA=Prostômio (antenas, palpos, olhos, órgão nucal)+Peristômio (cirros: órgãos para captura de alimen...
Morfologia, CABEÇAOlhos altamente desenvolvidos = adaptação para a predação e/ou fuga de predadores.Rhynchonerella petersi...
Morfologia interna
http://iescarin.educa.aragon.es/estatica/depart/biogeo/varios/BiologiaCurtis/Seccion%205/32-11a.jpgReproduçãohttp://fishla...
ReproduçãoÉ um fenômeno reprodutivo que consiste na formação de um indivíduo reprodutivopelágico ou epítoco durante o perí...
Reprodução EPITOQUIAhttp://lolhehehe.com/wp-content/uploads/2013/05/wCavjRPh-600x400.jpghttp://lolhehehe.com/wp-content/up...
Reprodução EPITOQUIAhttp://corvand.net/xoops/modules/bentos/images/bentos/Pol.%20Neanthes%20succinea(P).jpgAtlântica, Rio ...
AlimentaçãoSabe-se pouco sobre os hábitos alimentares, acredita-se que muitos são carnívoros,alimentando-se inclusive dos ...
AlimentaçãoTyphloscolecidae:Além das adaptações à vidaplanctônica, essegrupo, aparentemente, adaptou-sea sugar os líquidos...
Hábitat e Distribuiçãohttp://mcgregor.sbs.auckland.ac.nz/files/2011/01/39-Vermes-Polychaete-Worms_1.jpgDe forma geral, os ...
Distribuição Verticalhttp://www.futura-sciences.com/galerie_photos/data/686/medium/Osborn_Tomopteris--fs.jpgHabitam toda a...
Distribuição - BrasilTaxonomia e Padrões deDistribuição dosPoliquetas Pelágicos(Annelida - Polychaeta) daRegião Central da...
Foto 1: Algumas espécies de Alciopidae.Extraído de Faro, 2012.Foto 2: Espécies de Iospilidae. Extraídode Faro, 2012.Distri...
Foto 3: Espécies de Lopadorhynchidae.Extraído de Faro, 2012.Foto 4: Algumas espécies de Tomopteridae.Extraído de Faro, 201...
Foto 5: Algumas espécies Typhloscolecidae.Exaído de Faro, 2012.Distribuição - Brasil
Importância Econômica e Ecológicahttp://bigpicture.ru/wp-content/uploads/2012/02/11158.jpghttp://bigpicture.ru/wp-content/...
CHAETOGNATA(Grego: Chaeto = espinho ou cerdas + Gnathos = mandíbula
IntroduçãoConhecidos como“Arrow Worms” – Vermes FlechaEXCLUSIVAMENTE MARINHOSSimetria bilateralCorpo gelatinoso e alongado...
SistemáticaTaxonomiaFilo ChaetognathaClasse Archisaggitoidea (Fósseis)Amiskwia saggitiformis Nemertinea? Mollusca?Protosag...
SistemáticaTaxonomiaFilo ChaetognathaClasse SagittoideaOrdem BiphragmophoraOrdem MonophragmophoraOrdem Aphragmophorahttp:/...
Morfologiahttp://dpc.uba.uva.nl/c/ctz/images/vol73/nr04/7304a06fig1.jpghttp://www.imas.utas.edu.au/__data/assets/image/000...
Morfologia - Cabeçahttp://dpc.uba.uva.nl/c/ctz/images/vol73/nr04/7304a06fig1.jpg http://media.wiley.com/mrw_images/els/art...
ReproduçãoHermafroditas protândricosÓrgãos sexuais separados pelo septo caudalFecundação interna e cruzada, com troca de e...
AlimentaçãoSão carnívoros, muito ativos e vorazes.Importantes predadores, principalmentede copépodes e ovos e larvas de pe...
Alimentaçãohttp://www.terrapub.co.jp/onlinemonographs/absm/html/02/figs/0204/lsize/figs/g0901_59l.jpghttp://images.marines...
Photo by Moira GalbraithA análise do conteúdo estomacal mostrou um elevado número de estômagos vazios.Apenas 23,55% do S.f...
Notes on feeding of Chaetognatha in GuanabaraBay, Brazil. J. Plank. Res. 19 (7 ):819-828, 1997.AlimentaçãoA dieta foi comp...
Hábitat e Distribuiçãohttp://web.vims.edu/bio/zooplankton/assets/Chaetognatha.jpgExclusivamente marinhosMaioria planctônic...
Distribuição VerticalClassificação de acordo com a profundidadeEpipelágica: 0 – 200m. (2p. nadadeiras laterais)Sagitta enf...
Distribuição VerticalMesopelágica: 200 - 500m. (2p. nadadeiras laterais)Sagitta hexaptera,S. serratodentata,S. tasmanica e...
Distribuição VerticalBatipelágica: > 500m. (1p. nadadeiras laterais)Eukrohnia fowleri,E. bathyantartica,E. bathypelagica e...
Distribuição VerticalEuribática : presentes em altas latitudes (criófilas) e em grandes profundidades (> 6000m).Eukrohnia ...
Distribuição Horizontal (Geográfica)Bem conhecida para cada espécie.Para o Atlântico Sul a distribuição segue:Espécies Ant...
Distribuição Horizontal (Geográfica)Espécies Tropicais-subtropicais:Limitadas entre o Equador e 30°S em regiões oceânicas ...
Distribuição Horizontal (Geográfica)Espécies Bilaterais:Neríticas, ocorrendo tanto do lado africano quanto do lado brasile...
ImportânciaIndicadores de Massas d’água.Sagitta enflata indicadora águas tropicais (quentes)Sagitta setosa indicadora água...
ImportânciaPodem atingir altas densidades, e, por serem predadores vorazes podem competir comas larvas de peixes pelo alim...
INTERAÇÕES COM OUTROSORGANISMOSPodem atuar como hospedeirosintermediários de parasitas de peixes(Nematoda e Trematoda), um...
INTERAÇÕES COM OUTROSORGANISMOSEm B, Coricaeus amazonicus preso ao corpo de Sagitta friderici. Em C, mostrando omaxilípede...
INTERAÇÕES COM OUTROS ORGANISMOSFrequentemente são encontrados quetognatos sem cabeça nas amostras planctônicas, oque pode...
Referências CitadasTovar-Faro, BCM. 2012. Taxonomia e Padrões de Distribuição dos Poliquetas Pelágicos(Annelida- Polychaet...
Vannier J, Steiner M, Renvoisé E, Hu S-X, Casanova J-P (2007) Early Cambrian origin ofmodern food webs: Evidence from pred...
Aula Prática1 – Observação de morfologia externa de um poliqueto tomopterídeo.a)Divisão do corpo: cabeça, metastômio e pig...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Polychaeta e Chaetognata

2.086 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.086
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Polychaeta e Chaetognata

  1. 1. Polychaeta&ChaetognataUniversidade Federal do Rio GrandeInstituto de OceanografiaPlanctologia Geral II
  2. 2. POLYCHAETA(Grego: Poly = muitos + Chaeta = cerdas)
  3. 3. Introdução:Filo AnellidaMetameriaMaioria bentônica (meroplanctônica)Algumas famílias holoplanctônicas, adaptadas a vida pelágicaPouco abundantes no plâncton, mas apresentam riqueza de sp;Ampla distribuição geográficahttp://reefkeeping.com/issues/2003-03/rs/images/image002.jpg
  4. 4. IntroduçãoApesar de muito diferentes entre si, tem emcomum o fato de serem consideradosaberrantes em relação às outras famílias depoliquetas. Essa “característica” aberrantepode ser explicada pelas adaptações à vidaplanctônica:pequeno tamanhoSetas longasOlhos grandes e complexos (Alciopidae)Corpo achatado e gelatinosoAlto grau de transparênciaFêmeas que armazenam esperma
  5. 5. IntroduçãoOlhosParapódiosCorpo “achatado D-V”
  6. 6. TaxonomiaFilo AnnelidaClasse PolychaetaOrdem PhyllodocidaFamília Tomopteridae Grube, 1818Família Alciopidae Ehlers, 1864Família Iospilidae Bergström, 1914Família Lopadorhynchidae Claparède, 1868Família Typhloscolecidae Uljanin, 1878Família PontodoridaeFamília YndolaciidaeOrdem FauvelopsidaFamília FlotidaeSistemáticaHalanych et al 2007.
  7. 7. Morfologiahttp://fishland.com.br/fishblog/wp-content/uploads/2011/01/tom_.jpgMetastômio =1p parapódios/segmPigídeo=Ânus + Cirros anaisCabeça=Prostômio+Peristômio
  8. 8. Morfologia, CABEÇACABEÇA=Prostômio (antenas, palpos, olhos, órgão nucal)+Peristômio (cirros: órgãos para captura de alimento)http://www.cem.ufpr.br/atlas_poli/familias/nereididae/laeonereis/ProstDorsal.gif
  9. 9. Morfologia, CABEÇAOlhos altamente desenvolvidos = adaptação para a predação e/ou fuga de predadores.Rhynchonerella petersii. A) região anterior em vista ventral.Extraído de Faro, 2012.Algumas espécies de Alciopidae. Extraído de Faro, 2012.PIONEIROS NA VISÃO EM “PIXELS”!!!!*EVOLUÇÃO CONVERGENTE* ≠ origem = similaridade, ~em cefalópodes e peixes, *retinas!
  10. 10. Morfologia interna
  11. 11. http://iescarin.educa.aragon.es/estatica/depart/biogeo/varios/BiologiaCurtis/Seccion%205/32-11a.jpgReproduçãohttp://fishland.com.br/fishblog/wp-content/uploads/2011/01/tom_.jpgSexos separados, sem distinção (produto genital)Sem órgãos genitais (maioria), produto no peritôneoTomopteridae tem gônadasFertilização é externaSegmentação rápidaDesenvolvimento indireto = larva trocóforahttp://iescarin.educa.aragon.es/estatica/depart/biogeo/varios/BiologiaCurtis/Seccion%205/32-11byc.jpg
  12. 12. ReproduçãoÉ um fenômeno reprodutivo que consiste na formação de um indivíduo reprodutivopelágico ou epítoco durante o período de reprodução. As modificações epitoquianas queocorrem no indivíduo bentônico incluem:alterações na formação da cabeça,na estrutura dos parapódios e das cerdas,no tamanho dos segmentos e na musculatura segmentar.EPITOQUIAO QUE É????Enxameamento: aglomeração dosorganismos adultos na superfície dacoluna d’água, e a eliminaçãogametas sincronicamente .A fêmea produz um feromônio queatrai o macho estimulando aeliminação do esperma e este, porsua vez, estimula a eliminação dosóvulos.> PROBABILIDADE DE FERTILIZAÇÃO!!!Para que serve???http://lolhehehe.com/wp-content/uploads/2013/05/tVk2Fpth-600x899.jpg
  13. 13. Reprodução EPITOQUIAhttp://lolhehehe.com/wp-content/uploads/2013/05/wCavjRPh-600x400.jpghttp://lolhehehe.com/wp-content/uploads/2013/05/L05Vj9sh-600x400.jpghttp://pacificislandparks.files.wordpress.com/2012/09/eric_treml_palolo_close_nov_3_04.jpghttp://i1-news.softpedia-static.com/images/news2/Eat-Paolo-the-Caviar-of-the-Pacific-4.jpgPalolo (Eunice viridis), o Caviar do Pacífico
  14. 14. Reprodução EPITOQUIAhttp://corvand.net/xoops/modules/bentos/images/bentos/Pol.%20Neanthes%20succinea(P).jpgAtlântica, Rio Grande, 29(1): 61-63, 2007.
  15. 15. AlimentaçãoSabe-se pouco sobre os hábitos alimentares, acredita-se que muitos são carnívoros,alimentando-se inclusive dos tradicionais “predadores de topo” do plâncton, como osquetognatas, além disso, existem espécies fitoplanctófagas, filtradoras e parasitas.http://websmed.portoalegre.rs.gov.br/escolas/obino/revista/c11_anel/poliquetos.jpghttp://revistageo.uol.com.br/cultura-expedicoes/17/imagens/i221688.jpg
  16. 16. AlimentaçãoTyphloscolecidae:Além das adaptações à vidaplanctônica, essegrupo, aparentemente, adaptou-sea sugar os líquidos vitais deinvertebrados de corpogelatinoso, comomedusas, ctenóforos, salpas equetognatos. Typhloscolecidae. Exaído de Faro, 2012.
  17. 17. Hábitat e Distribuiçãohttp://mcgregor.sbs.auckland.ac.nz/files/2011/01/39-Vermes-Polychaete-Worms_1.jpgDe forma geral, os poliquetas pelágicos sãomarinhos, tipicamente oceânicos, apresentamuma ampla distribuição geográfica(cosmopolitas), sendo encontrados em todos osoceanos e massas d’água do planeta.Variáveis bióticas, como densidade dezooplâncton, são mais relevantes nadistribuição espacial dos poliquetasholoplanctônicos que as variáveis abióticas(físico-químicas).
  18. 18. Distribuição Verticalhttp://www.futura-sciences.com/galerie_photos/data/686/medium/Osborn_Tomopteris--fs.jpgHabitam toda a coluna da água até profundidades abissais. No entanto, agrande maioria é epipelágica e habita profundidades de até 50m.Distribuição Horizontal (Geográfica)No Atlântico Norte existem diferenças na diversidadee abundância dos poliquetos, sendo o lado oeste.Para o Atlântico Sul, Tomopteris planktonis, T.septentrionalis, Typhloscolex mulleri, Travisiopsislevinseni e Pelagobia longicirrata tem maiordistribuição.
  19. 19. Distribuição - BrasilTaxonomia e Padrões deDistribuição dosPoliquetas Pelágicos(Annelida - Polychaeta) daRegião Central da ZonaEconômica ExclusivaBrasileira, entre 13° e 25°Se 28° e 42°W.Bruna Tovar Faro.
  20. 20. Foto 1: Algumas espécies de Alciopidae.Extraído de Faro, 2012.Foto 2: Espécies de Iospilidae. Extraídode Faro, 2012.Distribuição - Brasil
  21. 21. Foto 3: Espécies de Lopadorhynchidae.Extraído de Faro, 2012.Foto 4: Algumas espécies de Tomopteridae.Extraído de Faro, 2012.Distribuição - Brasil
  22. 22. Foto 5: Algumas espécies Typhloscolecidae.Exaído de Faro, 2012.Distribuição - Brasil
  23. 23. Importância Econômica e Ecológicahttp://bigpicture.ru/wp-content/uploads/2012/02/11158.jpghttp://bigpicture.ru/wp-content/uploads/2012/02/BIGPIC75.jpgA maior parte dos trabalhos focam ataxonomia do grupo, portanto, pouco sesabe sobre sua importância econômicae ecológica.Na Oceania, durante eventos deenxameamento são utilizados comorecurso alimentar.Algumas espécies bentônicas podemproduzir toxinas, das quais osubproduto é usado como praguicida.
  24. 24. CHAETOGNATA(Grego: Chaeto = espinho ou cerdas + Gnathos = mandíbula
  25. 25. IntroduçãoConhecidos como“Arrow Worms” – Vermes FlechaEXCLUSIVAMENTE MARINHOSSimetria bilateralCorpo gelatinoso e alongadoTamanho entre 2 e 120mmCarnívorosHermafroditas1 ou 2 pares de nadadeiras lateraisPseudosagitta maxima
  26. 26. SistemáticaTaxonomiaFilo ChaetognathaClasse Archisaggitoidea (Fósseis)Amiskwia saggitiformis Nemertinea? Mollusca?Protosagitta spinosa Hu (= Eognathacantha ercainella Chen and Huang)
  27. 27. SistemáticaTaxonomiaFilo ChaetognathaClasse SagittoideaOrdem BiphragmophoraOrdem MonophragmophoraOrdem Aphragmophorahttp://www.krebsmicro.com/forumpix/arrwrm3.jpg
  28. 28. Morfologiahttp://dpc.uba.uva.nl/c/ctz/images/vol73/nr04/7304a06fig1.jpghttp://www.imas.utas.edu.au/__data/assets/image/0007/271771/sagitta_anatomy_full.jpg
  29. 29. Morfologia - Cabeçahttp://dpc.uba.uva.nl/c/ctz/images/vol73/nr04/7304a06fig1.jpg http://media.wiley.com/mrw_images/els/articles/a0001616/image_n/nfgz001.gifGanchosDentes PosterioresDentes AnterioresOlhosColarinhoDentes PosterioresDentes Anteriores
  30. 30. ReproduçãoHermafroditas protândricosÓrgãos sexuais separados pelo septo caudalFecundação interna e cruzada, com troca de espermatóforosAutofecundação em laboratórioOvos liberados na coluna da água (Eukrohnia –marsúpio)Desenvolvimento diretohttp://www.geol.umd.edu/~jmerck/bsci392/lecture27/chaetognath.jpgEukrohnia hamata com ovos eclodidos no marsúpio. ArcticExploration 2002, Russ Hopcroft, MBARI, NOAA/OER .http://tolweb.org/tree/ToLimages/e_hamata_600.jpg
  31. 31. AlimentaçãoSão carnívoros, muito ativos e vorazes.Importantes predadores, principalmentede copépodes e ovos e larvas de peixes,podendo predar também sobre medusase outros organismos, até mesmo outrosquetognatos.http://i.ytimg.com/vi/tFHCy-FYJ_k/0.jpgPhoto by R. Hopcroft/NOAAAPhoto by Moira GalbraithBCMACRÓFAGOS ou MICRÓFAGOS ????
  32. 32. Alimentaçãohttp://www.terrapub.co.jp/onlinemonographs/absm/html/02/figs/0204/lsize/figs/g0901_59l.jpghttp://images.marinespecies.org/resized/38317_chaetognatha.jpghttp://academic.evergreen.edu/t/thuesene/chaetognaths/chaetanatomy/feeding.jpgComendo larva de PeixeLarva de Peixe no interior do TDComendo PoliquetoA BC
  33. 33. Photo by Moira GalbraithA análise do conteúdo estomacal mostrou um elevado número de estômagos vazios.Apenas 23,55% do S.friderici e 33,45% do S. enflata apresentaram alimentos. Em ambasespécies, houve geralmente apenas uma presa no intestino, embora alguns indivíduoscontinham de duas a quatro presas.Notes on feeding of Chaetognatha in GuanabaraBay, Brazil. J. Plank. Res. 19 (7 ):819-828, 1997.AlimentaçãoTrês sp. quetognatos na Baia de Guanabara: Sagitta friderici (69.20%) , S.enflata (29.30%)e S.hispida (1.5%).http://bp2.blogger.com/_axppraTH714/RzJky2gDZvI/AAAAAAAAAF0/VLzSO4jC6Ug/s320/Chaetognath+eating+Euchaeta.jpg
  34. 34. Notes on feeding of Chaetognatha in GuanabaraBay, Brazil. J. Plank. Res. 19 (7 ):819-828, 1997.AlimentaçãoA dieta foi composta basicamente por copépodes (Acartia lilljeborgi foi o maisimportante) e também larvas de crustáceos e hidromedusas. Apenas S.enflatamostrou o canibalismo, representou 1,64% do total de alimento.http://images.marinespecies.org/resized/40863_chaetognatha.jpgAcartia tonsahttp://www.corbisimages.com/images/Corbis-42-25094606.jpg?size=67&uid=3c53b4ac-6690-4dba-ae4f-7b27025c2cfd
  35. 35. Hábitat e Distribuiçãohttp://web.vims.edu/bio/zooplankton/assets/Chaetognatha.jpgExclusivamente marinhosMaioria planctônicos (~20 sp bentônicas).Encontrados em regiões costeiras e oceânicas em diferentes profundidades e,dependendo da circulação, em estuários.http://australianmuseum.net.au/Uploads/Images/7655/g036_big.jpg
  36. 36. Distribuição VerticalClassificação de acordo com a profundidadeEpipelágica: 0 – 200m. (2p. nadadeiras laterais)Sagitta enflata ,S. hispida,S. friderici,S. tenuis eS. setosa.
  37. 37. Distribuição VerticalMesopelágica: 200 - 500m. (2p. nadadeiras laterais)Sagitta hexaptera,S. serratodentata,S. tasmanica eS. lyra.
  38. 38. Distribuição VerticalBatipelágica: > 500m. (1p. nadadeiras laterais)Eukrohnia fowleri,E. bathyantartica,E. bathypelagica eE. proboscidea.
  39. 39. Distribuição VerticalEuribática : presentes em altas latitudes (criófilas) e em grandes profundidades (> 6000m).Eukrohnia hamata,Sagitta maxima eS. planctonis.O que acontece quando estas espécies ocorrem em águas tropicais???Indicadores de RESSURGÊNCIA!!!!
  40. 40. Distribuição Horizontal (Geográfica)Bem conhecida para cada espécie.Para o Atlântico Sul a distribuição segue:Espécies Antárticas-subantárticas:Limitadas ao norte pela região de Convergência SubtropicalEx: Sagitta gazelae e S. marriEspécies Temperadas:Ocorrem entre as regiões de Convergência Antártica e Convergência SubtropicalEx: Sagitta tasmânica e S. setosa (lado africano)Espécies Tropicais:Limitadas ao sul pelas terminações das Correntes do Brasil e de BenguelaEx: Sagitta hispida e Krohnitta pacifica.
  41. 41. Distribuição Horizontal (Geográfica)Espécies Tropicais-subtropicais:Limitadas entre o Equador e 30°S em regiões oceânicas e 40°S na costa do Brasil e ÁfricaEx: Sagitta enflata, S. bipunctata e Pterosagitta draco.Sagitta decipens, S. sigogae, S. lyra, S. hexaptera e Krohnitta subtilis (abaixo de 200m).Espécie Americana:Restrita às águas quentes do lado brasileiro.Uma sp.: Sagitta helenaeEspécies Indo-pacíficas:Costa da África do SulEx: Sagitta regularis, S. pacifica e S. ferox.Atlântico Sul
  42. 42. Distribuição Horizontal (Geográfica)Espécies Bilaterais:Neríticas, ocorrendo tanto do lado africano quanto do lado brasileiro.Ex: Sagitta friderici e S. tenuis.Espécies Ampla Distribuição:Ocorrem em praticamente todo o Atlântico Sul, algumas em altas densidades.Ex: Sagitta maxima e Eukrohnia hamata.Espécies Indo-pacíficas:Costa da África do SulEx: Sagitta regularis, S. pacifica e S. ferox.Atlântico Sul
  43. 43. ImportânciaIndicadores de Massas d’água.Sagitta enflata indicadora águas tropicais (quentes)Sagitta setosa indicadora águas frias(Corrente de Benguela)Indicadores PaleoclimatológicosComparação entre quetognato do CambrianoProtosagitta spinosa e espécies atuais Sagitta spp.
  44. 44. ImportânciaPodem atingir altas densidades, e, por serem predadores vorazes podem competir comas larvas de peixes pelo alimento (copépodes), além de predarem diretamente sobre apopulação de larvas (predam os ovos e as larvas), podendo inclusive afetar sobre orecrutamento das espécies de peixes.DUPLO IMPACTOAlimento e larvasIMPORTÂNCIA ECOLÓGICA E ECONÔMICA!!!!http://images.marinespecies.org/resized/38317_chaetognatha.jpghttp://academic.evergreen.edu/t/thuesene/chaetognaths/chaetanatomy/feeding.jpgComendo larva de PeixeLarva de Peixe no interior do TDA B
  45. 45. INTERAÇÕES COM OUTROSORGANISMOSPodem atuar como hospedeirosintermediários de parasitas de peixes(Nematoda e Trematoda), uma vez quesão predados por peixes planctófagos.http://www.pac.dfo-mpo.gc.ca/science/oceans/plankton-plancton/zooplankton-zooplancton/images/chaetognatha/pateu%20parasitized.jpghttp://www.pac.dfo-mpo.gc.ca/science/oceans/plankton-plancton/zooplankton-zooplancton/images/chaetognatha/nematode%20in%20pseudosagitta.jpg
  46. 46. INTERAÇÕES COM OUTROSORGANISMOSEm B, Coricaeus amazonicus preso ao corpo de Sagitta friderici. Em C, mostrando omaxilípede aderido no quetognato.Sendo predado por uma medusa.http://farm6.static.flickr.com/5141/5790200740_fed3a27d97_m.jpg
  47. 47. INTERAÇÕES COM OUTROS ORGANISMOSFrequentemente são encontrados quetognatos sem cabeça nas amostras planctônicas, oque pode indicar que esses organismos constituem uma importante parte da dieta dosTyphloscolecidae, mesmo sendo muito maiores que seus predadores. Typhloscolex eSagitella comem a cabeça de quetognatos e também agem como ectoparasita de Eukrohniahamata (Chaetognata).Typhloscolecidae. Exaído de Faro, 2012.http://www.terrapub.co.jp/onlinemonographs/absm/html/02/figs/0204/lsize/figs/g0901_59l.jpgComendo Poliqueto
  48. 48. Referências CitadasTovar-Faro, BCM. 2012. Taxonomia e Padrões de Distribuição dos Poliquetas Pelágicos(Annelida- Polychaeta) da Região Central da Zona Econômica Exclusiva Brasileira, entre13° e 25ºS e 28° e 42ºW. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro: UFF. 151pp.RUPPERT, EE & BARNES, E. 1996. Zoologia dos Invertebrados. Roca, São Paulo. 1029 pg.COLLING, LA; CAPÍTOLI, RR & BEMVENUTI, CE. 2007. Epitoquia de Neanthes succinea naregião estuarina da Lagoa dos Patos, RS, Brasil. Atlântica, 29(1): 61-63,MARAZZO, A; MACHADO, CF & NOGUEIRA, CRS. 1997. Notes on feeding of Chaetognathain Guanabara Bay, Brazil. J. Plank. Res. 19 (7 ):819-828.Myers, P., R. Espinosa, C. S. Parr, T. Jones, G. S. Hammond, and T. A. Dewey. 2013. TheAnimal Diversity Web (online). Accessed at http://animaldiversity.org.http://species-identification.org/index.php
  49. 49. Vannier J, Steiner M, Renvoisé E, Hu S-X, Casanova J-P (2007) Early Cambrian origin ofmodern food webs: Evidence from predator arrow worms. Proc Biol Sci 274(1610):627–633.Shixue Hu, Michael Steiner, Maoyan Zhu, Bernd-Dietrich Erdtmann, Huilin Luo,Liangzhong Chen, Bernd Weber.2008. Diverse pelagic predators from the ChengjiangLagerstätte and the establishment of modern-style pelagic ecosystems in the earlyCambrian Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology, 254,(1–2) :307–316Banco de imagens Cifonauta. Disponível em:http://cifonauta.cebimar.usp.brSoutheastern Regional Taxonomic Center [SERTC]. 2004 December. Chaetognaths of theSouth Atlantic Bight and the Northern Gulf of Mexico. SERTC Taxonomic Information andEducational Resources web page. Acessado 07/06/2013<http://www.dnr.sc.gov/marine/sertc/Chaetognath%20key/Chaetognath%20key.htm>.Referências Citadas
  50. 50. Aula Prática1 – Observação de morfologia externa de um poliqueto tomopterídeo.a)Divisão do corpo: cabeça, metastômio e pigídeo.b)Parapódios2 – Observação da morfologia de um quetognato.a) Divisão do Corpo: cabeça, tronco e cauda.b) Nadadeiras laterais e caudaisc) Estruturas reprodutoras (ovos/ovários e vesículas seminais)d) Tubo digestivoe) Gânglio Nervoso Ventralf) Estruturas da cabeça: ganchos, olhos, dentes anteriores, dentesposteriores.

×