El nino

1.380 visualizações

Publicada em

la ninha

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.380
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
297
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
72
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

El nino

  1. 1. O QUE É O EL NIÑO? El Niño é um fenômeno atmosférico-oceânico caracterizado por um aquecimento anormal das águas superficiais no oceano Pacífico Tropical, e que pode afetar o clima regional e global, mudando os padrões de vento a nível mundial, e afetando assim, os regimes de chuva em regiões tropicais e de latitudes médias.
  2. 2. EFEITOS GLOBAISEL NIÑO
  3. 3. O QUE É LA NIÑA La Niña representa um fenômeno oceânico-atmosférico com características opostas ao EL Niño, e que caracteriza- se por um esfriamento anormal nas águas superficiais do Oceano Pacífico Tropical. Alguns dos impactos de La Niña tendem a ser opostos aos de El Niño, mas nem sempre uma região afetada pelo El Niño apresenta impactos significativos no tempo e clima devido à La Niña.
  4. 4. EFEITOS GLOBAISLA NIÑA
  5. 5. El Niño La Niña
  6. 6. Circulação Atmosférica com a ocorrência de El Niño
  7. 7. Circulação Atmosférica com a ocorrência de La Niña
  8. 8. DESVIOS DE TEMPERATURA OBTIDOS POR SATÉLITES   LA NIÑALA NIÑA (- 0,50°C)(- 0,50°C) EL NIÑOEL NIÑO (+ 0,75°C)(+ 0,75°C)
  9. 9. IMPACTOS DOs ENOS NA PRECIPITAÇÃO (cm/mês) FONTE DE DADOS : UDELFONTE DE DADOS : UDEL   
  10. 10. A agricultura, principalmente a produção de grãos, é a base da economia do Brasil. A variabilidade climática provocada pelos fenômenos El Niño e La Niña trazem muitos impactos para esse setor, pois alteram o Zoneamento Agrícola. Esses impactos são fatores determinantes na variabilidade observada nos rendimentos das culturas.
  11. 11. EFEITOS EL NIÑO REGIÕES SUL E SUDESTE Pode-se observar acréscimo de até 150% na precipitação em relação ao seu índice médio. Isto pode acarretar prejuízos na época de colheita. Inverno mais ameno na região Sul e no Sudeste as temperaturas ficam mais altas. Benefícios à agricultura, devido a diminuição de geadas.
  12. 12. O El Niño, tende a produzir um índice de chuvas pouco superior à média histórica de novembro a abril, favorecendo a produção de grãos.  EFEITOS EL NIÑO REGIÃO CENTRO- OESTE
  13. 13. EFEITOS EL NIÑO REGIÕES NORTE E NORDESTE Prejuízos observados em anos de “El Niño” envolvem setores da economia (perdas na agricultura, na pecuária, etc.), oferta de energia elétrica, abastecimento de água. Diminuição nas chuvas, podendo alcançar até 80% do total médio do período chuvoso.
  14. 14. EFEITOS LA NIÑA REGIÃO SUL Chuvas abaixo do normal e passagens rápidas de frentes frias. Cultura de trigo favorecida por primavera seca. Promove uma menor incidência de pragas e principalmente doenças fúngicas.
  15. 15. EFEITOS LA NIÑA REGIÃO SUDESTE A Região Sudeste também é muito pouco influenciada pelo fenômeno La Niña. Inverno levemente mais seco favoreceria e aceleraria o ritmo das colheitas.
  16. 16. EFEITOS LA NIÑA REGIÃO NORTE Aumento de chuvas no norte e leste da Amazônia. Aumento das precipitações e vazão dos rios. Em Rondônia, a colheita do café é favorecida pelo tempo mais seco que contribui com a atividade.
  17. 17. EFEITOS LA NIÑA REGIÃO NORDESTE Chegada das frentes frias até a Região Nordeste com chuvas acima da média. Região que sente mais diretamente os efeitos do fenômeno La Niña.
  18. 18. Dúvidas? Perguntas? Sugestões? Opiniões para as próximas aulas? Reclamações? http://prof-paulo-geografia.blogspot.com.br/

×