SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
O QUE É O EL NIÑO?
El Niño é um fenômeno atmosférico-oceânico caracterizado
por um aquecimento anormal das águas superficiais no
oceano Pacífico Tropical, e que pode afetar o clima regional
e global, mudando os padrões de vento a nível mundial, e
afetando assim, os regimes de chuva em regiões tropicais e
de latitudes médias.
EFEITOS GLOBAISEL NIÑO
O QUE É LA NIÑA
La Niña representa um fenômeno oceânico-atmosférico
com características opostas ao EL Niño, e que caracteriza-
se por um esfriamento anormal nas águas superficiais do
Oceano Pacífico Tropical. Alguns dos impactos de La Niña
tendem a ser opostos aos de El Niño, mas nem sempre
uma região afetada pelo El Niño apresenta impactos
significativos no tempo e clima devido à La Niña.
EFEITOS GLOBAISLA NIÑA
El Niño
La Niña
Circulação Atmosférica com a
ocorrência de El Niño
Circulação Atmosférica com a
ocorrência de La Niña
DESVIOS DE TEMPERATURA OBTIDOS POR
SATÉLITES


LA NIÑALA NIÑA
(- 0,50°C)(- 0,50°C)
EL NIÑOEL NIÑO
(+ 0,75°C)(+ 0,75°C)
IMPACTOS DOs ENOS NA PRECIPITAÇÃO
(cm/mês)
FONTE DE DADOS : UDELFONTE DE DADOS : UDEL
 

A agricultura, principalmente a produção
de grãos, é a base da economia do Brasil.
A variabilidade climática provocada pelos
fenômenos El Niño e La Niña trazem
muitos impactos para esse setor, pois
alteram o Zoneamento Agrícola. Esses
impactos são fatores determinantes na
variabilidade observada nos rendimentos
das culturas.
EFEITOS EL NIÑO REGIÕES SUL E
SUDESTE
Pode-se observar acréscimo de
até 150% na precipitação em
relação ao seu índice médio. Isto
pode acarretar prejuízos na época
de colheita.
Inverno mais ameno na região Sul e
no Sudeste as temperaturas ficam
mais altas. Benefícios à agricultura,
devido a diminuição de geadas.
O El Niño, tende a produzir um
índice de chuvas pouco superior
à média histórica de novembro
a abril, favorecendo a produção
de grãos. 
EFEITOS EL NIÑO REGIÃO CENTRO-
OESTE
EFEITOS EL NIÑO REGIÕES NORTE E
NORDESTE
Prejuízos observados em anos de “El
Niño” envolvem setores da economia
(perdas na agricultura, na pecuária, etc.),
oferta de energia elétrica, abastecimento
de água.
Diminuição nas chuvas, podendo alcançar até 80% do total
médio do período chuvoso.
EFEITOS LA NIÑA REGIÃO SUL
Chuvas abaixo do normal e
passagens rápidas de frentes
frias.
Cultura de trigo favorecida por
primavera seca.
Promove uma menor incidência
de pragas e principalmente
doenças fúngicas.
EFEITOS LA NIÑA REGIÃO
SUDESTE
A Região Sudeste também
é muito pouco influenciada
pelo fenômeno La Niña.
Inverno levemente mais
seco favoreceria e
aceleraria o ritmo das
colheitas.
EFEITOS LA NIÑA REGIÃO
NORTE
Aumento de chuvas no norte e
leste da Amazônia. Aumento
das precipitações e vazão dos
rios.
Em Rondônia, a colheita do
café é favorecida pelo tempo
mais seco que contribui com a
atividade.
EFEITOS LA NIÑA REGIÃO NORDESTE
Chegada das frentes frias até
a Região Nordeste com
chuvas acima da média.
Região que sente mais
diretamente os efeitos do
fenômeno La Niña.
Dúvidas?
Perguntas?
Sugestões?
Opiniões para as próximas
aulas?
Reclamações?
http://prof-paulo-geografia.blogspot.com.br/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Vegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraVegetação Brasileira
Vegetação Brasileira
 
Regionalização da américa
Regionalização da américaRegionalização da américa
Regionalização da américa
 
População e economia da américa
População e economia da américaPopulação e economia da américa
População e economia da américa
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasil
 
África
ÁfricaÁfrica
África
 
Organizações internacionais mundiais
Organizações internacionais mundiaisOrganizações internacionais mundiais
Organizações internacionais mundiais
 
Setores da economia
Setores da economiaSetores da economia
Setores da economia
 
Geopolítica da América Latina .
Geopolítica da América Latina .Geopolítica da América Latina .
Geopolítica da América Latina .
 
Problemas do continente europeu
Problemas do continente europeuProblemas do continente europeu
Problemas do continente europeu
 
Clima, tempo e vegetação 6º ano, Ensino Fundamental II
Clima, tempo e vegetação 6º ano, Ensino Fundamental IIClima, tempo e vegetação 6º ano, Ensino Fundamental II
Clima, tempo e vegetação 6º ano, Ensino Fundamental II
 
Regiões polares
Regiões polaresRegiões polares
Regiões polares
 
Estados unidos da américa
Estados unidos da américaEstados unidos da américa
Estados unidos da américa
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Geografia continente africano
Geografia   continente africanoGeografia   continente africano
Geografia continente africano
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
Região centro oeste
Região centro oesteRegião centro oeste
Região centro oeste
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Relevo agentes formadores e erosivos
Relevo agentes formadores e erosivosRelevo agentes formadores e erosivos
Relevo agentes formadores e erosivos
 
Fusos horários do brasil e mundial
Fusos horários do brasil e mundialFusos horários do brasil e mundial
Fusos horários do brasil e mundial
 
Região Nordeste
Região NordesteRegião Nordeste
Região Nordeste
 

Destaque (20)

Racismo xenofobia
Racismo xenofobiaRacismo xenofobia
Racismo xenofobia
 
Migraçao 1 ano
Migraçao 1 anoMigraçao 1 ano
Migraçao 1 ano
 
Urbanizacao
UrbanizacaoUrbanizacao
Urbanizacao
 
Problemas ambientais
Problemas ambientaisProblemas ambientais
Problemas ambientais
 
Industrializao
IndustrializaoIndustrializao
Industrializao
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 
Fuso
FusoFuso
Fuso
 
Qualidade de vida em numeros
Qualidade de vida em numerosQualidade de vida em numeros
Qualidade de vida em numeros
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
Escalas
EscalasEscalas
Escalas
 
A estrutura da terra
A estrutura da terraA estrutura da terra
A estrutura da terra
 
Coordenadas geográficas
Coordenadas geográficasCoordenadas geográficas
Coordenadas geográficas
 
Cartografia e poder
Cartografia e poderCartografia e poder
Cartografia e poder
 
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasil
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasilGeologia geomorfologia e mineraçao no brasil
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasil
 
As grandes paisagens vegetais do brasil
As grandes paisagens vegetais  do brasilAs grandes paisagens vegetais  do brasil
As grandes paisagens vegetais do brasil
 
Migraçoes
MigraçoesMigraçoes
Migraçoes
 
Projeçoes cartograficas
Projeçoes cartograficasProjeçoes cartograficas
Projeçoes cartograficas
 
Regioes brasil
Regioes brasilRegioes brasil
Regioes brasil
 
Populaçao mundial
Populaçao mundialPopulaçao mundial
Populaçao mundial
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
 

Semelhante a El nino

Apresentação el ñino la ñina
Apresentação el ñino la ñinaApresentação el ñino la ñina
Apresentação el ñino la ñinaAnderson Santos
 
Clima El Nino La Nina Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]
Clima El Nino La Nina Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]Clima El Nino La Nina Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]
Clima El Nino La Nina Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]Marco Aurélio Gondim
 
sistemas meteorológicos- climatologia
 sistemas meteorológicos- climatologia sistemas meteorológicos- climatologia
sistemas meteorológicos- climatologiaE. AQUINO
 
IMPORTÂNCIA DA AGROECOLOGIA DOS VENTOS Fenômenos climáticos: a influencia de ...
IMPORTÂNCIA DA AGROECOLOGIA DOS VENTOS Fenômenos climáticos: a influencia de ...IMPORTÂNCIA DA AGROECOLOGIA DOS VENTOS Fenômenos climáticos: a influencia de ...
IMPORTÂNCIA DA AGROECOLOGIA DOS VENTOS Fenômenos climáticos: a influencia de ...Claudiney C. Rodrigues
 
Climatologia: fenômenos climáticos
Climatologia: fenômenos climáticosClimatologia: fenômenos climáticos
Climatologia: fenômenos climáticosIvanilson Lima
 
23.08.16 boletim climatológico_agosto (1)
23.08.16 boletim climatológico_agosto (1)23.08.16 boletim climatológico_agosto (1)
23.08.16 boletim climatológico_agosto (1)Gabriela Rodrigues
 
A Dinâmica Climática
A Dinâmica ClimáticaA Dinâmica Climática
A Dinâmica ClimáticaAntonio Reali
 
Informações do-la-niña
Informações do-la-niñaInformações do-la-niña
Informações do-la-niñajoao paulo
 
Informações sobre a la-niña e El niño
Informações sobre a la-niña e El niñoInformações sobre a la-niña e El niño
Informações sobre a la-niña e El niñojoao paulo
 
Informações do-el-niño
Informações do-el-niñoInformações do-el-niño
Informações do-el-niñojoao paulo
 
Fenomenos metereologicos
Fenomenos metereologicosFenomenos metereologicos
Fenomenos metereologicosprofleofonseca
 
Clima da Região Norte
Clima da Região NorteClima da Região Norte
Clima da Região Nortevictorosa
 
Alterações climáticas
Alterações climáticasAlterações climáticas
Alterações climáticasProfessor
 
Fenômenos atmosféricos
Fenômenos atmosféricosFenômenos atmosféricos
Fenômenos atmosféricosflaviocosac
 
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...Saulo Lucena
 
O Clima de Portugal e Arquipélago dos Açores
O Clima de Portugal e Arquipélago dos AçoresO Clima de Portugal e Arquipélago dos Açores
O Clima de Portugal e Arquipélago dos AçoresJoana Marques
 
Atmosfera
AtmosferaAtmosfera
Atmosferaaroudus
 

Semelhante a El nino (20)

Apresentação el ñino la ñina
Apresentação el ñino la ñinaApresentação el ñino la ñina
Apresentação el ñino la ñina
 
Fenômenos climáticos
Fenômenos climáticosFenômenos climáticos
Fenômenos climáticos
 
Clima El Nino La Nina Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]
Clima El Nino La Nina Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]Clima El Nino La Nina Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]
Clima El Nino La Nina Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]
 
05 el nino
05 el nino05 el nino
05 el nino
 
sistemas meteorológicos- climatologia
 sistemas meteorológicos- climatologia sistemas meteorológicos- climatologia
sistemas meteorológicos- climatologia
 
IMPORTÂNCIA DA AGROECOLOGIA DOS VENTOS Fenômenos climáticos: a influencia de ...
IMPORTÂNCIA DA AGROECOLOGIA DOS VENTOS Fenômenos climáticos: a influencia de ...IMPORTÂNCIA DA AGROECOLOGIA DOS VENTOS Fenômenos climáticos: a influencia de ...
IMPORTÂNCIA DA AGROECOLOGIA DOS VENTOS Fenômenos climáticos: a influencia de ...
 
Climatologia: fenômenos climáticos
Climatologia: fenômenos climáticosClimatologia: fenômenos climáticos
Climatologia: fenômenos climáticos
 
23.08.16 boletim climatológico_agosto (1)
23.08.16 boletim climatológico_agosto (1)23.08.16 boletim climatológico_agosto (1)
23.08.16 boletim climatológico_agosto (1)
 
A Dinâmica Climática
A Dinâmica ClimáticaA Dinâmica Climática
A Dinâmica Climática
 
Informações do-la-niña
Informações do-la-niñaInformações do-la-niña
Informações do-la-niña
 
Informações sobre a la-niña e El niño
Informações sobre a la-niña e El niñoInformações sobre a la-niña e El niño
Informações sobre a la-niña e El niño
 
Informações do-el-niño
Informações do-el-niñoInformações do-el-niño
Informações do-el-niño
 
Fenomenos metereologicos
Fenomenos metereologicosFenomenos metereologicos
Fenomenos metereologicos
 
Clima da Região Norte
Clima da Região NorteClima da Região Norte
Clima da Região Norte
 
Alterações climáticas
Alterações climáticasAlterações climáticas
Alterações climáticas
 
Fenômenos atmosféricos
Fenômenos atmosféricosFenômenos atmosféricos
Fenômenos atmosféricos
 
Precipitação
PrecipitaçãoPrecipitação
Precipitação
 
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
 
O Clima de Portugal e Arquipélago dos Açores
O Clima de Portugal e Arquipélago dos AçoresO Clima de Portugal e Arquipélago dos Açores
O Clima de Portugal e Arquipélago dos Açores
 
Atmosfera
AtmosferaAtmosfera
Atmosfera
 

Mais de Prof.Paulo/geografia (17)

MINERAÇÃO NO BRASIL
MINERAÇÃO NO BRASILMINERAÇÃO NO BRASIL
MINERAÇÃO NO BRASIL
 
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASILESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
 
Estudo Orientado
Estudo OrientadoEstudo Orientado
Estudo Orientado
 
Mundo do Trabalho
Mundo do TrabalhoMundo do Trabalho
Mundo do Trabalho
 
Ética e Cidadania
Ética e CidadaniaÉtica e Cidadania
Ética e Cidadania
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Estrutura fundiaria no Brasil
Estrutura fundiaria no BrasilEstrutura fundiaria no Brasil
Estrutura fundiaria no Brasil
 
oriente medio
oriente mediooriente medio
oriente medio
 
Oriente medio
Oriente medioOriente medio
Oriente medio
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Cidades
CidadesCidades
Cidades
 
Guia ilustrado video criar
Guia ilustrado video criarGuia ilustrado video criar
Guia ilustrado video criar
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticosTigres asiáticos
Tigres asiáticos
 
Japão
JapãoJapão
Japão
 
Aula jornal blog
Aula jornal blogAula jornal blog
Aula jornal blog
 
Aspectos naturais europa
Aspectos naturais europaAspectos naturais europa
Aspectos naturais europa
 
Clima e formaçoes vegetais
Clima e formaçoes vegetaisClima e formaçoes vegetais
Clima e formaçoes vegetais
 

Último

A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 

El nino

  • 1.
  • 2. O QUE É O EL NIÑO? El Niño é um fenômeno atmosférico-oceânico caracterizado por um aquecimento anormal das águas superficiais no oceano Pacífico Tropical, e que pode afetar o clima regional e global, mudando os padrões de vento a nível mundial, e afetando assim, os regimes de chuva em regiões tropicais e de latitudes médias.
  • 4. O QUE É LA NIÑA La Niña representa um fenômeno oceânico-atmosférico com características opostas ao EL Niño, e que caracteriza- se por um esfriamento anormal nas águas superficiais do Oceano Pacífico Tropical. Alguns dos impactos de La Niña tendem a ser opostos aos de El Niño, mas nem sempre uma região afetada pelo El Niño apresenta impactos significativos no tempo e clima devido à La Niña.
  • 7. Circulação Atmosférica com a ocorrência de El Niño
  • 8. Circulação Atmosférica com a ocorrência de La Niña
  • 9. DESVIOS DE TEMPERATURA OBTIDOS POR SATÉLITES   LA NIÑALA NIÑA (- 0,50°C)(- 0,50°C) EL NIÑOEL NIÑO (+ 0,75°C)(+ 0,75°C)
  • 10. IMPACTOS DOs ENOS NA PRECIPITAÇÃO (cm/mês) FONTE DE DADOS : UDELFONTE DE DADOS : UDEL   
  • 11. A agricultura, principalmente a produção de grãos, é a base da economia do Brasil. A variabilidade climática provocada pelos fenômenos El Niño e La Niña trazem muitos impactos para esse setor, pois alteram o Zoneamento Agrícola. Esses impactos são fatores determinantes na variabilidade observada nos rendimentos das culturas.
  • 12. EFEITOS EL NIÑO REGIÕES SUL E SUDESTE Pode-se observar acréscimo de até 150% na precipitação em relação ao seu índice médio. Isto pode acarretar prejuízos na época de colheita. Inverno mais ameno na região Sul e no Sudeste as temperaturas ficam mais altas. Benefícios à agricultura, devido a diminuição de geadas.
  • 13. O El Niño, tende a produzir um índice de chuvas pouco superior à média histórica de novembro a abril, favorecendo a produção de grãos.  EFEITOS EL NIÑO REGIÃO CENTRO- OESTE
  • 14. EFEITOS EL NIÑO REGIÕES NORTE E NORDESTE Prejuízos observados em anos de “El Niño” envolvem setores da economia (perdas na agricultura, na pecuária, etc.), oferta de energia elétrica, abastecimento de água. Diminuição nas chuvas, podendo alcançar até 80% do total médio do período chuvoso.
  • 15. EFEITOS LA NIÑA REGIÃO SUL Chuvas abaixo do normal e passagens rápidas de frentes frias. Cultura de trigo favorecida por primavera seca. Promove uma menor incidência de pragas e principalmente doenças fúngicas.
  • 16. EFEITOS LA NIÑA REGIÃO SUDESTE A Região Sudeste também é muito pouco influenciada pelo fenômeno La Niña. Inverno levemente mais seco favoreceria e aceleraria o ritmo das colheitas.
  • 17. EFEITOS LA NIÑA REGIÃO NORTE Aumento de chuvas no norte e leste da Amazônia. Aumento das precipitações e vazão dos rios. Em Rondônia, a colheita do café é favorecida pelo tempo mais seco que contribui com a atividade.
  • 18. EFEITOS LA NIÑA REGIÃO NORDESTE Chegada das frentes frias até a Região Nordeste com chuvas acima da média. Região que sente mais diretamente os efeitos do fenômeno La Niña.
  • 19.
  • 20. Dúvidas? Perguntas? Sugestões? Opiniões para as próximas aulas? Reclamações? http://prof-paulo-geografia.blogspot.com.br/