Industrializao

1.444 visualizações

Publicada em

industria

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.444
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
924
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • PROF. MÁRCIO LOMAS
  • Industrializao

    1. 1. A INDUSTRIALIZAÇÃO MUNDIAL
    2. 2. I- A INDÚSTRIA E A PRODUÇÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO Atividade pela qual os seres humanos transformam matéria prima em algum bem, acabado ou semi-acabado. 04/11/14 2
    3. 3. ESTÁGIOS HISTÓRICOS DA INDÚSTRIA INDÚSTRIA ARTESANAL -Prod. Individual - Sem divisão de tarefas MANUFATU-REIRA -Divisão de tarefas -Patrão x Empreg. -Ferram./ Máquinas Simples MAQUINOFATU-REIRA -Divisão de tarefas -Automação Industr. - Espec. Prod. e Trab. 04/11/14 3
    4. 4. II- FORMAS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO TTAAYYLLOORRIISSMMOO  Início do Século XX  Frederick Taylor  Cronometrou cada fase do trabalho  Operário: tempo de execução da atividade definido pelo engenheiro  Gerente: controle de toda a produção Operário: movimentos repetitivos, mecânicos, programados – baixos salários e exploração 04/11/14 4
    5. 5. FFOORRDDIISSMMOO  Henry Ford – século XX – LLIINNHHAA DDEE MMOONNTTAAGGEEMM  PPrroodduuççããoo eemm SSéérriiee LINHA DE MONTAGEM  EEssppeecciiaalliizzaaççããoo ddaa mmããoo ddee oobbrraa  PPrroodduuttiivviiddaaddee eemm aallttaa baixa dos preços  OOppeerraaççããoo SSiimmpplleess ee rreeppeettiittiivvaa – sem criatividade do trabalhador 04/11/14 5
    6. 6. A LINHA DE MONTAGEM DO FORDISMO AASS LLIINNHHAASS DDEE MMOONNTTAAGGEEMM DDOO IINNÍÍCCIIOO DDOO SSÉÉCCUULLOO XXXX EE AATTUUAALL.. 04/11/14 6
    7. 7. TOYOTISMO  Fábricas japonesas, desde a década de 1950.  Unidades fabris da TTOOYYOOTTAA.  MODELO FLEXÍVEL DE PRODUÇÃO.  Operário: qualificado permanentemente para desempenhar outras funções no processo produtivo.  Estoques mínimos da produção. 04/11/14 7
    8. 8. JJUUSSTT IINN TTIIMMEE  Adequação do ritmo da produção industrial às demandas do mercado.  Diminuição da estocagem de matérias primas e de produtos.  Atividades diárias das fábricas programadas de acordo com as demandas.  Capital se reproduzindo no sistema financeiro. 04/11/14 8
    9. 9. Fordismo X Toyotismo MMooddeell oo PPrroodduuççãã oo PPrroocceessssoo ddee TTrraabbaallhhoo CCoonnttrroollee ddee QQuuaalliiddaadd ee FOR-DISMO Grande Escala Linha de Montagem  Especial.  Final da produção TOYO-TISMO  Estoques Mínimos Ilhas de produção  Equipe  Durante o processo de prod. 04/11/14 9
    10. 10. IIIIII-- EESSTTRRAATTÉÉGGIIAASS DDEE CCOONNTTRROOLLEE DDOO MMEERRCCAADDOO AS TRANSNACIONAIS o Comandadas a partir da sede em país rico. o Controlam o mercado de consumo mundial. o Mantêm filiais em vários países. o inovações absorvidas pelo mercado. o Avanço tecnológico e difusão do mesmo. 04/11/14 10
    11. 11. TTRRAANNSSNNAACCIIOONNAAIISS 04/11/14 11
    12. 12. HHOOLLDDIINNGG ♣ AAssssoocciiaaççõõeess ddee vváárriiaass eemmpprreessaass ssoobb oo ccoonnttrroollee ddaa qquuee ppoossssuuii aa mmaaiioorr ppaarrttee ddaass aaççõõeess.. ♣ BBrraassiill:: LLeeggiissllaaççããoo –– RR$$440000 mmiillhhõõeess aannuuaaiiss –– óórrggããooss ddee ddeeffeessaa ddaa ccoonnccoorrrrêênncciiaa.. 04/11/14 12
    13. 13. TTRRUUSSTTEE ۞UUNNIIÃÃOO ddee vváárriiaass eemmpprreessaass ccoomm oo oobbjjeettiivvoo ddee ccoonnttrroollaarr aass ffoonntteess ddee mmaattéérriiaass pprriimmaass ee ttooddaass aass ffaasseess ddaa pprroodduuççããoo ee ddiissttrriibbuuiiççããoo ddoo pprroodduuttoo ppaarraa oo mmeerrccaaddoo ccoonnssuummiiddoorr.. 04/11/14 13
    14. 14. CCAARRTTEELL AAccoorrddoo ccoommeerrcciiaall eennttrree eemmpprreessaass.. CCaaddaa qquuaall ccoonnsseerrvvaa ssuuaa aauuttoonnoommiiaa.. DDiivviiddeemm oo mmeerrccaaddoo eennttrree ssii.. PPrreeççoo úúnniiccoo ppaarraa ooss pprroodduuttooss.. 04/11/14 14
    15. 15. DDUUMMPPIINNGG ¥ AAss eemmpprreessaass vveennddeemm sseeuuss pprroodduuttooss ppoorr pprreeççooss iinnffeerriioorreess aaoo ccuussttoo,, ccoomm oo oobbjjeettiivvoo ddee ggaannhhaarr oo mmeerrccaaddoo.. ¥ Criação de um fundo de reserva por meio do acréscimo de um valor sobre o preço de venda do produto em determinado momento para usá-lo em outro, quando for preciso baixar o preço. ¥ Criação de um fundo de reserva por meio do acréscimo de um valor sobre o preço de venda do produto em determinado momento para usá-lo em outro, quando for preciso baixar o preço. 04/11/14 15
    16. 16. IIVV-- EESSTTRRAATTÉÉGGIIAASS DDEE CCOONNTTRROOLLEE GGEEOOGGRRÁÁFFIICCOO 04/11/14 16
    17. 17. PPRRIINNCCIIPPAAIISS EESSTTRRAATTÉÉGGIIAASS DDEE CCOONNTTRROOLLEE GGEEOOGGRRÁÁFFIICCOO DDEESSCCEENNTTRRAALLIIZZAAÇÇÃÃOO DDEESSCCOONNCCEENNTTRRAAÇÇÃÃOO LLOOCCAALLIIZZAAÇÇÃÃOO FFLLEEXXÍÍVVEELL 04/11/14 17
    18. 18. AA DDEESSCCOONNCCEENNTTRRAAÇÇÃÃOO oouu DDEESSEECCOONNOOMMIIAA DDEE EESSCCAALLAA RReemmooççããoo ddee uunniiddaaddeess pprroodduuttiivvaass ddee aannttiiggaass rreeggiiõõeess iinndduussttrriiaaiiss ppaarraa oouuttrraass rreeggiiõõeess ppoouuccoo iinndduussttrriiaalliizzaaddaass.. NNIICCSS:: NNoovvooss PPaaíísseess IInndduussttrriiaalliizzaaddooss,, ccoommoo BBrraassiill,, ÍÍnnddiiaa,, CChhiinnaa,,TTiiggrreess AAssiiááttiiccooss.. 04/11/14 18
    19. 19. AA DDEESSCCEENNTTRRAALLIIZZAAÇÇÃÃOO  Ocorre quando a PPoollííttiiccaa ddee DDeesseennvvoollvviimmeennttoo IInndduussttrriiaall do país favorece a implantação de empresas em regiões periféricas, através de:  Ocorre quando a PPoollííttiiccaa ddee DDeesseennvvoollvviimmeennttoo IInndduussttrriiaall do país favorece a implantação de empresas em regiões periféricas, através de:  IInncceennttiivvooss FFiissccaaiiss  IInncceennttiivvooss FFiinnaanncceeiirrooss  OObbrraass ddee iinnffrraaeessttrruuttuurraa  IInncceennttiivvooss FFiissccaaiiss  IInncceennttiivvooss FFiinnaanncceeiirrooss  OObbrraass ddee iinnffrraaeessttrruuttuurraa 04/11/14 19
    20. 20. AA LLOOCCAALLIIZZAAÇÇÃÃOO FFLLEEXXÍÍVVEELL É ÉÉ a aa estratégia eessttrraattééggiiaa em eemm que qquuee a aa produção pprroodduuççããoo ssee ddiissppeerrssaa eemm vváárriiaass uunniiddaaddeess pprroodduuttiivvaass ee aa mmoobbiilliiddaaddee ggeeooggrrááffiiccaa ddaass eemmpprreessaass éé aacceennttuuaaddaa.. SSee oo nneeggóócciioo ffoorr lluuccrraattiivvoo,, aabbaannddoonnaa--ssee aa áárreeaa iinndduussttrriiaall oorriiggiinnaall ee mmiiggrraa--ssee ppaarraa uumm lluuggaarr aaddaappttaaddoo ààss eexxiiggêênncciiaass ddoo mmeerrccaaddoo.. 04/11/14 20
    21. 21. EESSCCAALLAA LLOOCCAALL:: Empresas próximas aos centros das metrópoles comandam a produção das empresas periféricas. EESSCCAALLAA RREEGGIIOONNAALL:: Empresas aproveitam o baixo custo da mão-de-obra de outro país. Exemplo: indústrias maquiladoras do México. EESSCCAALLAA MMUUNNDDIIAALL:: MMoobbiilliiddaaddee eessppaacciiaall das empresas de países ricos que operam nos países pobres em busca de vantagens comparativas. Empresas próximas aos centros das metrópoles comandam a produção das empresas periféricas. Empresas aproveitam o baixo custo da mão-de-obra de outro país. Exemplo: indústrias maquiladoras do México. MMoobbiilliiddaaddee eessppaacciiaall das empresas de países ricos que operam nos países pobres em busca de vantagens comparativas. 04/11/14 21
    22. 22. DISPERSÃO INDUSTRIAL • Motivos • Evitar problemas como: alto preço dos terrenos, impostos pesados, mão-de- obra mais cara e congestionamento. • Consequências: • Descentralização do capital, do mercado de trabalho e do consumo.
    23. 23. Tipos de indústria • Critérios de classificação • Bem produzido: - Indústrias de bens de consumo ou industrias de base; - Indústrias de bens de capital ou intermediárias; - Indústrias de bens de consumo; o Segundo a tecnologia empregada: - Indústria dinâmica - Indústrias tradicionais
    24. 24. Indústrias de bens de produção ou indústrias de base • Indústrias petroquímicas, metalúrgicas, siderúrgicas e as de cimento. Exemplos: Siderúrgica alemã Mannesmann, Petroquímica francesa Rhodia, norte-americana Du Pont e a siderúrgica brasileira privatizada CSN (Companhia Siderúrgica Nacional).
    25. 25. Indústrias de bens de capital ou intermediárias • Produzem máquinas, equipamentos, ferramentas ou auto-peças para outras indústrias. Ex.: Indústrias de componentes eletrônicos e a de motores para carros ou aviões. Geralmente instaladas em centros urbanos industriais.
    26. 26. Indústrias de bens de consumo • Duráveis e não-duráveis • Duráveis: automóveis, eletrodomésticos e móveis • Não-duráveis: vestuário, alimentos, remédios e calçados. Ex.: Ford, General Eletric (EUA), Nestlé (Suíça), Parmalat (Itália)...
    27. 27. Indústrias dinâmicas • São aquelas da 3ª Revolução Industrial (Química, Eletrônica, Petroquímica, da Aviação). Ex.: A indústria da Informática, a Espacial e a Aeronáutica, etc...
    28. 28. Indústrias tradicionais • Muita mão-de-obra • Métodos da 1ª e 2 ª Revolução Industrial. Ex.: Indústrias de alimentos e têxteis.

    ×