SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
Climas do Brasil
Introdução
 Graças a posição geográfica do seu território o Brasil
  apresenta um clima majoritariamente tropical: 92% do
  território encontra-se na faixa intertropical, com
  temperaturas médias superiores a 20ºC.

 Entre os principais fatores determinantes do clima no país,
  destacamos a altitude, latitude e continentalidade.
Classificação climática
 Nenhuma classificação climática é perfeita:representam
  tentativas de se representar a realidade.
 Existem diversas classificações, entre as quais destacamos a
  classificação de Köppen, Strahler e Lísia Bernardes.
 Köppen utiliza principalmente fatores estáticos ( latitude,
  altitude por exemplo).
 Strahler utiliza fatores dinâmicos ( massas de ar).

     Faltava uma classificação que realiza-se a união dos
               fatores dinâmicos e estáticos.
Curiosidades
 A classificação climática de Arthur Strahler (1951) tem
  por base a influência das massas de ar em áreas
  diferenciadas. Ela não trabalha, portanto, com as médias
  de chuvas e temperaturas, mas com a explicação de sua
  dinâmica.

 A classificação climática de Wilhelm Köppen, apesar
  de clássica e intensamente utilizada até pouco tempo, e
  ter representado um avanço em sua época (final do
  século XIX), é hoje bastante problemática, pois não
  leva em conta os deslocamentos das massas de ar.
Classificação de Köppen
         Wilhelm Köppen
           1876-1917



 Baseia-se principalmente na temperatura e nas
  precipitações distribuídas ao longo das estações.
 A 1ª letra representa a característica geral do clima de uma
  região.
 A 2ª letra representa as particularidades do regime de
  chuvas.
 A 3ª letra representa a temperatura característica da região.
Classificação de Lísia Bernardes
 Trata-se da classificação
  mais utilizada no Brasil.
 Apresenta a união dos
  fatores estáticos e
  dinâmicos.
 Considerada uma releitura
  da classificação de
  Köppen.
Climograma
 Esse tipo de diagrama é
  formado pela superposição
  de um diagrama de
  colunas, que representa as
  quantidades mensais de
  chuva, e de uma curva, que
  mostra a evolução da
  temperatura média ao
  longo dos meses do ano.
Clima equatorial
 Apresenta temperaturas
  elevadas o ano todo.
 Pequena amplitude térmica
  anual.
 Chuvas abundantes e bem
  distribuídas durante o ano (
  em algumas áreas mais de
  3000mm/ano).
 Abrange a maior parte da
  Amazônia brasileira.
Clima semi-árido
 Apresenta temperaturas
  elevadas (superiores a
  25ºC).
 Chuvas escassas e
  irregulares.
 Estiagens bem
  pronunciadas.
 Abrange áreas do sertão
  nordestino e norte de Minas
  Gerais.
Clima tropical
 Trata-se do clima
  predominante do Brasil.
 Apresenta duas estações
  bem definidas: o verão,
  quente e chuvoso e o
  inverno frio e seco.
 Apresenta variações no
  território, como o tropical
  de altitude e o tropical
  úmido.
 Destaque para áreas do
  Brasil Central.
Clima tropical de altitude
 Apresenta as mesmas
  características do clima
  tropical, mas em função
  da altitude temos uma
  média térmica menor e
  quedas mais acentuadas
  de temperatura no
  inverno.
 Como bons exemplos
  destacamos a cidade de
  São Paulo, Belo
  Horizonte e Campos do
  Jordão.
Clima tropical úmido
 Provocado pela atuação do
  MPA no litoral brasileiro
  durante o inverno.
 Marcado pelo maior índice
  pluviométrico no período
  dos meses de junho a
  agosto.
 Típico do litoral oriental do
  Nordeste.
Clima subtropical
 Trata-se do clima
  predominante na região Sul
  do país.
 Marcado pelas estações
  bem definidas e pelas
  chuvas bem distribuídas ao
  longo do ano.
 Apresenta grande
  amplitude térmica.
Exemplo prático
 Observe o climograma relativo à cidade de São Gabriel da
  Cachoeira-AM (localizada na região da Amazônia
  Ocidental). Com base no gráfico, é correto afirmar que,
  nessa cidade, predominam as características do clima:
Resolução
A) litorâneo úmido,         D) tropical de verão úmido e
marcado por médias            de inverno seco, uma vez
elevadas de temperatura e     que, nos meses de maio a
com meses mais chuvosos       setembro, os índices
ou de maior pluviosidade      pluviométricos diminuem.
no outono e no inverno.       E) subtropical úmido,
B) tropical semi-árido,       caracterizado pela
marcado por médias            ocorrência de chuvas, nos
térmicas elevadas (em         doze meses do ano, e por
torno de 28ºC) e por          invernos com temperaturas
chuvas escassas e             abaixo de OºC.
regulares.
C) equatorial úmido, em
razão das médias elevadas
de temperatura (de 25ºC a          Alternativa C
28ºC) e pequena amplitude
térmica (em torno de 3ºC)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Europa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturaisEuropa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturais
 
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
Climas do mundo
Climas do mundoClimas do mundo
Climas do mundo
 
Climas do brasil
Climas do brasilClimas do brasil
Climas do brasil
 
Continente americano
Continente americanoContinente americano
Continente americano
 
Climas do brasil
Climas do brasilClimas do brasil
Climas do brasil
 
O relevo e as suas formas
O relevo e as suas formasO relevo e as suas formas
O relevo e as suas formas
 
Estrutura interna da terra
Estrutura interna da terraEstrutura interna da terra
Estrutura interna da terra
 
As formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoAs formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundo
 
Dinâmica climática
Dinâmica climáticaDinâmica climática
Dinâmica climática
 
Regioes brasil
Regioes brasilRegioes brasil
Regioes brasil
 
Regionalização da américa
Regionalização da américaRegionalização da américa
Regionalização da américa
 
Brasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e climaBrasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e clima
 
Regionalização do espaço brasileiro fundamental
Regionalização do espaço brasileiro    fundamentalRegionalização do espaço brasileiro    fundamental
Regionalização do espaço brasileiro fundamental
 
Organizações internacionais mundiais
Organizações internacionais mundiaisOrganizações internacionais mundiais
Organizações internacionais mundiais
 
América anglo saxônica
América anglo saxônicaAmérica anglo saxônica
América anglo saxônica
 
Regionalização do continente europeu
Regionalização do continente europeuRegionalização do continente europeu
Regionalização do continente europeu
 
Os continentes
Os continentesOs continentes
Os continentes
 
Clima e tempo
Clima e tempoClima e tempo
Clima e tempo
 

Destaque (20)

Clima do brasil
Clima do brasilClima do brasil
Clima do brasil
 
Clima E Climas Do Brasil Aula
Clima E Climas Do Brasil   AulaClima E Climas Do Brasil   Aula
Clima E Climas Do Brasil Aula
 
Os tipos de Clima e Vegetação do Brasil
Os tipos de Clima e Vegetação  do BrasilOs tipos de Clima e Vegetação  do Brasil
Os tipos de Clima e Vegetação do Brasil
 
Clima e vegetação do Brasil
Clima e vegetação do BrasilClima e vegetação do Brasil
Clima e vegetação do Brasil
 
O Climograma
O ClimogramaO Climograma
O Climograma
 
Tipos de clima
Tipos de clima  Tipos de clima
Tipos de clima
 
Clima Brasileiro
Clima BrasileiroClima Brasileiro
Clima Brasileiro
 
Clima e vegetação
Clima e vegetaçãoClima e vegetação
Clima e vegetação
 
Climas
ClimasClimas
Climas
 
Tipos De Clima
Tipos De ClimaTipos De Clima
Tipos De Clima
 
1º ANO -Tempo e Clima
1º ANO -Tempo e Clima1º ANO -Tempo e Clima
1º ANO -Tempo e Clima
 
Aula do pré vest sobre climas do Brasil e do mundo
Aula do pré vest sobre climas do Brasil e do mundoAula do pré vest sobre climas do Brasil e do mundo
Aula do pré vest sobre climas do Brasil e do mundo
 
Tipos de Clima
Tipos de ClimaTipos de Clima
Tipos de Clima
 
O espaço natural brasileiro - Clima
O espaço natural brasileiro - ClimaO espaço natural brasileiro - Clima
O espaço natural brasileiro - Clima
 
孟浩生-Sidney Meng
孟浩生-Sidney Meng孟浩生-Sidney Meng
孟浩生-Sidney Meng
 
Seminário aspectos jurídicos das mudanças climáticas
Seminário   aspectos jurídicos das mudanças climáticasSeminário   aspectos jurídicos das mudanças climáticas
Seminário aspectos jurídicos das mudanças climáticas
 
Climas do brasil
Climas do brasilClimas do brasil
Climas do brasil
 
Agricultura Intinerante
Agricultura IntineranteAgricultura Intinerante
Agricultura Intinerante
 
Clima brasileiro
Clima brasileiroClima brasileiro
Clima brasileiro
 
Clima e Massas de Ar - Brasil
Clima e Massas de Ar - BrasilClima e Massas de Ar - Brasil
Clima e Massas de Ar - Brasil
 

Semelhante a Climas do-brasil

Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)
Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)
Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)Karol Schmitz
 
Geografia do Brasil - Climas - Prof. Marco Aurelio Gondim [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Climas - Prof. Marco Aurelio Gondim [www.gondim.net]Geografia do Brasil - Climas - Prof. Marco Aurelio Gondim [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Climas - Prof. Marco Aurelio Gondim [www.gondim.net]Marco Aurélio Gondim
 
Clima 8 classificacoes climaticas
Clima 8   classificacoes climaticasClima 8   classificacoes climaticas
Clima 8 classificacoes climaticasWalbruni
 
Clima ,hidrografia e vegetação
Clima ,hidrografia e vegetaçãoClima ,hidrografia e vegetação
Clima ,hidrografia e vegetaçãoDébora Sales
 
Climas e climogramas do brasil
Climas e climogramas do brasilClimas e climogramas do brasil
Climas e climogramas do brasilCamila Brito
 
Elemento climatico e fatores climaticos
Elemento climatico e fatores climaticosElemento climatico e fatores climaticos
Elemento climatico e fatores climaticosAlinehl
 
Brasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e climaBrasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e climaProfessor
 
Brasil massas de ar e clima
Brasil massas de ar e climaBrasil massas de ar e clima
Brasil massas de ar e climaItalo Alan
 
Climas quentes, geografia 7ºano
Climas quentes, geografia 7ºanoClimas quentes, geografia 7ºano
Climas quentes, geografia 7ºanononofrias
 
Brasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e climaBrasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e climaProfessor
 

Semelhante a Climas do-brasil (20)

CLIMARE
CLIMARECLIMARE
CLIMARE
 
Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)
Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)
Atmosfera e os fenômenos meteorológicos (Geografia)
 
Geografia do Brasil - Climas - Prof. Marco Aurelio Gondim [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Climas - Prof. Marco Aurelio Gondim [www.gondim.net]Geografia do Brasil - Climas - Prof. Marco Aurelio Gondim [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Climas - Prof. Marco Aurelio Gondim [www.gondim.net]
 
Clima 8 classificacoes climaticas
Clima 8   classificacoes climaticasClima 8   classificacoes climaticas
Clima 8 classificacoes climaticas
 
Clima ,hidrografia e vegetação
Clima ,hidrografia e vegetaçãoClima ,hidrografia e vegetação
Clima ,hidrografia e vegetação
 
Climas e climogramas do brasil
Climas e climogramas do brasilClimas e climogramas do brasil
Climas e climogramas do brasil
 
Elemento climatico e fatores climaticos
Elemento climatico e fatores climaticosElemento climatico e fatores climaticos
Elemento climatico e fatores climaticos
 
Clima do brasil
Clima do brasilClima do brasil
Clima do brasil
 
Clima do brasil
Clima do brasilClima do brasil
Clima do brasil
 
Brasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e climaBrasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e clima
 
Corre 17 a_19
Corre 17 a_19Corre 17 a_19
Corre 17 a_19
 
Se Virem Nos 40
Se Virem Nos 40Se Virem Nos 40
Se Virem Nos 40
 
Atividades sobre climas
Atividades sobre climasAtividades sobre climas
Atividades sobre climas
 
Tipos de clima
Tipos de climaTipos de clima
Tipos de clima
 
Brasil massas de ar e clima
Brasil massas de ar e climaBrasil massas de ar e clima
Brasil massas de ar e clima
 
Climas quentes, geografia 7ºano
Climas quentes, geografia 7ºanoClimas quentes, geografia 7ºano
Climas quentes, geografia 7ºano
 
Clima do brasil
Clima do brasilClima do brasil
Clima do brasil
 
Brasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e climaBrasil – massas de ar e clima
Brasil – massas de ar e clima
 
Clima
ClimaClima
Clima
 
Climatologia no brasil
Climatologia no brasilClimatologia no brasil
Climatologia no brasil
 

Mais de Stéfano Silveira

Mais de Stéfano Silveira (8)

Características Gerais da Espanha
Características Gerais da EspanhaCaracterísticas Gerais da Espanha
Características Gerais da Espanha
 
O Príncipe de Stalingrado
O Príncipe de StalingradoO Príncipe de Stalingrado
O Príncipe de Stalingrado
 
Formas de relevo
Formas de relevoFormas de relevo
Formas de relevo
 
Relevo Brasileiro
 Relevo Brasileiro Relevo Brasileiro
Relevo Brasileiro
 
Dominios Climatobotanicos-Brasileiros
Dominios Climatobotanicos-BrasileirosDominios Climatobotanicos-Brasileiros
Dominios Climatobotanicos-Brasileiros
 
Dominios Morfoclimaticos
Dominios MorfoclimaticosDominios Morfoclimaticos
Dominios Morfoclimaticos
 
Bacias Hidrográficas
Bacias HidrográficasBacias Hidrográficas
Bacias Hidrográficas
 
Brazilian Music
Brazilian MusicBrazilian Music
Brazilian Music
 

Último

Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 

Último (20)

“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 

Climas do-brasil

  • 2. Introdução  Graças a posição geográfica do seu território o Brasil apresenta um clima majoritariamente tropical: 92% do território encontra-se na faixa intertropical, com temperaturas médias superiores a 20ºC.  Entre os principais fatores determinantes do clima no país, destacamos a altitude, latitude e continentalidade.
  • 3. Classificação climática  Nenhuma classificação climática é perfeita:representam tentativas de se representar a realidade.  Existem diversas classificações, entre as quais destacamos a classificação de Köppen, Strahler e Lísia Bernardes.  Köppen utiliza principalmente fatores estáticos ( latitude, altitude por exemplo).  Strahler utiliza fatores dinâmicos ( massas de ar). Faltava uma classificação que realiza-se a união dos fatores dinâmicos e estáticos.
  • 4. Curiosidades  A classificação climática de Arthur Strahler (1951) tem por base a influência das massas de ar em áreas diferenciadas. Ela não trabalha, portanto, com as médias de chuvas e temperaturas, mas com a explicação de sua dinâmica.  A classificação climática de Wilhelm Köppen, apesar de clássica e intensamente utilizada até pouco tempo, e ter representado um avanço em sua época (final do século XIX), é hoje bastante problemática, pois não leva em conta os deslocamentos das massas de ar.
  • 5.
  • 6. Classificação de Köppen Wilhelm Köppen 1876-1917  Baseia-se principalmente na temperatura e nas precipitações distribuídas ao longo das estações.  A 1ª letra representa a característica geral do clima de uma região.  A 2ª letra representa as particularidades do regime de chuvas.  A 3ª letra representa a temperatura característica da região.
  • 7.
  • 8. Classificação de Lísia Bernardes  Trata-se da classificação mais utilizada no Brasil.  Apresenta a união dos fatores estáticos e dinâmicos.  Considerada uma releitura da classificação de Köppen.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12. Climograma  Esse tipo de diagrama é formado pela superposição de um diagrama de colunas, que representa as quantidades mensais de chuva, e de uma curva, que mostra a evolução da temperatura média ao longo dos meses do ano.
  • 13. Clima equatorial  Apresenta temperaturas elevadas o ano todo.  Pequena amplitude térmica anual.  Chuvas abundantes e bem distribuídas durante o ano ( em algumas áreas mais de 3000mm/ano).  Abrange a maior parte da Amazônia brasileira.
  • 14. Clima semi-árido  Apresenta temperaturas elevadas (superiores a 25ºC).  Chuvas escassas e irregulares.  Estiagens bem pronunciadas.  Abrange áreas do sertão nordestino e norte de Minas Gerais.
  • 15. Clima tropical  Trata-se do clima predominante do Brasil.  Apresenta duas estações bem definidas: o verão, quente e chuvoso e o inverno frio e seco.  Apresenta variações no território, como o tropical de altitude e o tropical úmido.  Destaque para áreas do Brasil Central.
  • 16. Clima tropical de altitude  Apresenta as mesmas características do clima tropical, mas em função da altitude temos uma média térmica menor e quedas mais acentuadas de temperatura no inverno.  Como bons exemplos destacamos a cidade de São Paulo, Belo Horizonte e Campos do Jordão.
  • 17. Clima tropical úmido  Provocado pela atuação do MPA no litoral brasileiro durante o inverno.  Marcado pelo maior índice pluviométrico no período dos meses de junho a agosto.  Típico do litoral oriental do Nordeste.
  • 18. Clima subtropical  Trata-se do clima predominante na região Sul do país.  Marcado pelas estações bem definidas e pelas chuvas bem distribuídas ao longo do ano.  Apresenta grande amplitude térmica.
  • 19. Exemplo prático  Observe o climograma relativo à cidade de São Gabriel da Cachoeira-AM (localizada na região da Amazônia Ocidental). Com base no gráfico, é correto afirmar que, nessa cidade, predominam as características do clima:
  • 20. Resolução A) litorâneo úmido, D) tropical de verão úmido e marcado por médias de inverno seco, uma vez elevadas de temperatura e que, nos meses de maio a com meses mais chuvosos setembro, os índices ou de maior pluviosidade pluviométricos diminuem. no outono e no inverno. E) subtropical úmido, B) tropical semi-árido, caracterizado pela marcado por médias ocorrência de chuvas, nos térmicas elevadas (em doze meses do ano, e por torno de 28ºC) e por invernos com temperaturas chuvas escassas e abaixo de OºC. regulares. C) equatorial úmido, em razão das médias elevadas de temperatura (de 25ºC a Alternativa C 28ºC) e pequena amplitude térmica (em torno de 3ºC)