SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
Código de Conduta Profissional dos IBCLCs Página 1 de 4
Vigente a partir de 1º de novembro de 2011; atualização: setembro de 2015
Código de conduta profissional dos IBCLCs
Vigente a partir de: 1º de novembro de 2011
Atualização: setembro de 2015
Em substituição a: 1º de dezembro de 2004 Código de Ética dos IBCLCs
O Conselho Internacional de Avaliação de Consultores em Lactação (International Board of Lactation
Consultant Examiners, IBLCE®) é a autoridade global que certifica os profissionais em lactação e
cuidados em amamentação.
O IBLCE foi fundado para proteger a saúde, bem-estar e segurança do público por meio de
parâmetros de conhecimento em lactação e cuidados em amamentação reconhecidos
internacionalmente, através do exame IBLCE. Os candidatos aprovados tornam-se Consultores em
Lactação Certificados pelo Conselho Internacional (International Board Certified Lactation
Consultants, IBCLCs).
Parte essencial da obrigação de um IBCLC de proteger mães e filhos é a aderência aos princípios e objetivos
do Código Internacional de Comercialização de Substitutos do Leite Materno e as subsequentes e pertinentes
resoluções da Assembleia Mundial da Saúde.
Preâmbulo
O IBLCE endossa os princípios gerais dos direitos humanos articulados em vários documentos
internacionais que afirmam que todo ser humano tem direito aos mais altos padrões de saúde
possíveis. Além disso, o IBLCE considera que todas as mães e todas as crianças têm direito à
amamentação. Portanto, o IBLCE estimula todos os IBCLCs a defender os mais altos padrões de
conduta ética, tal como delineado em:
• Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança
• Convenção das Nações Unidas sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação
contra a Mulher (Artigo 12)
• Conselho das Sociedades de Especialidades Médicas. Código de Interação com Empresas
A fim de guiar sua prática profissional, é de interesse de todos os IBCLCs e do público atendido por
eles, que exista um Código de Conduta Profissional que:
• Informe tanto os IBCLCs e o público sobre os padrões mínimos de conduta aceitável;
• Exemplifique o compromisso esperado de todos os credenciados IBCLC;
• Forneça aos IBCLCs um referencial para a condução de suas obrigações essenciais;
• Sirva como base para decisões relacionadas a alegada má conduta.
Definições e Interpretações
1. Para os propósitos deste documento, o Código de Conduta Profissional dos IBCLCs
será conhecido como o “CPC”.
Código de Conduta Profissional dos IBCLCs Página 2 de 4
Vigente a partir de 1º de novembro de 2011; atualização: setembro de 2015
2. Os IBCLCs cumprirão totalmente com os Procedimentos Disciplinares do IBLCE.
3. Para os propósitos do CPC, “devida cautela” se refere à obrigatoriedade imposta aos IBCLCs
de aderir a um padrão razoável de cuidados no desempenho de quaisquer atos que possam
prejudicar a outros de forma previsível.
4. O termo “propriedade intelectual” (Princípio 2.5) refere-se aos direitos autorais (que se aplicam
a documentos impressos ou em formato digital, manuscritos, fotografias, slides e ilustrações)
marcas registradas, marcas de serviços e certificação, e patentes.
5. A exceção à declaração “abster-se de revelar qualquer informação” (Princípio 3.1) significa que,
na medida necessária, os IBCLCs poderão prover informações que:
(a) cumpram com mandado legal, judicial ou administrativo, ou com este CPC;
(b) protejam os clientes, em consulta com indivíduos ou entidades apropriadas, e que possam tomar
as providências adequadas quando o IBCLC considerar, de forma razoável, que um cliente não
seja capaz de agir em seu próprio interesse ou no melhor interesse de sua criança, portanto
configurando risco de dano;
(c) estabeleçam ações ou defesas em nome do IBCLC e do cliente, ou defesa contra representações
criminais ou ações cíveis contra o IBCLC com base em conduta na qual o cliente estava
envolvido;
(d) respondam a alegações em qualquer processo relativo a serviços que o IBCLC tenha prestado ao
cliente.
6. “Abuso de poder” descreve um ato que é legal, mas realizado de forma imprópria, enquanto
“prevaricação” descreve um ato ilícito.
Princípios do Código de Conduta Profissional
O CPC consiste em oito princípios, que exigem de todo IBCLC:
1. Fornecer serviços que protejam, promovam e apoiem a amamentação
2. Agir com a devida cautela
3. Preservar a confidencialidade dos clientes
4. Fazer relatórios precisos e completos para outros membros da equipe de cuidados de saúde
5. Exercer julgamento independente e evitar conflitos de interesses
6. Manter a integridade pessoal
7. Manter os padrões profissionais esperados de um IBCLC
8. Cumprir com os Procedimentos Disciplinares do IBLCE
Os IBCLCs são pessoalmente responsáveis por agir de forma consistente com o CPC para salvaguardar
os interesses dos clientes e justificar a confiança do público.
Princípio 1: Fornecer serviços que protejam, promovam e apoiem a amamentação
Todo IBCLC deverá:
1.1 Cumprir compromissos profissionais trabalhando com as mães a fim de atingir seus objetivos
relativos à amamentação.
1.2 Prover os cuidados para atender às necessidades individuais dos clientes, de maneira apropriada
segundo a cultura local e informada pelas melhores práticas disponíveis.
1.3 Prover informação suficiente e precisa a fim de permitir que os clientes tomem decisões bem
embasadas.
Código de Conduta Profissional dos IBCLCs Página 3 de 4
Vigente a partir de 1º de novembro de 2011; atualização: setembro de 2015
1.4 Fornecer informação precisa, completa e objetiva sobre produtos comerciais.
1.5 Apresentar informação sem viés pessoal.
Princípio 2: Agir com a devida cautela
Todo IBCLC deverá:
2.1 Operar nos limites do escopo da prática.
2.2 Colaborar com outros membros da equipe de cuidados de saúde para prover cuidados unificados e de
forma abrangente.
2.3 Ser responsável e prestar contas sobre sua conduta e prática pessoais.
2.4 Observar toda a legislação aplicável, incluindo aquelas que regulam as atividades de consultoria em
lactação.
2.5 Respeitar os direitos à propriedade intelectual.
Princípio 3: Preservar a confidencialidade dos clientes
Todo IBCLC deverá:
3.1 Abster-se de revelar qualquer informação adquirida no decurso da relação profissional,
exceto para outro membro da equipe de cuidados de saúde do cliente ou outras pessoas ou
entidades para as quais o cliente tenha concedido permissão expressa, salvo se previsto em
contrário nas Definições e Interpretações do CPC.
3.2 Abster-se de fotografar, gravar ou registrar (em áudio ou vídeo) uma mãe ou seu(sua)
filho(a) para qualquer fim, salvo se a mãe tiver dado permissão prévia por escrito em seu
nome e no nome da criança.
Princípio 4: Fazer relatórios precisos e completos para outros membros da equipe de
cuidados de saúde.
Todo IBCLC deverá:
4.1 Obter consentimento do cliente, antes de iniciar uma consulta, para compartilhar informações
clínicas com outros membros da equipe de cuidados de saúde do cliente.
4.2 Informar à pessoa apropriada ou autoridade em caso de suspeita que a saúde ou integridade de
um cliente ou colega está em risco, de acordo com o Princípio 3.
Princípio 5: Exercer julgamento independente e evitar conflitos de interesses
Todo IBCLC deverá:
5.1 Revelar qualquer conflito de interesses, reais ou aparentes, incluindo interesses financeiros em
serviços ou bens relevantes, em instituições que forneçam bens ou serviços relevantes.
5.2 Assegurar que considerações comerciais não influenciem decisões profissionais.
Código de Conduta Profissional dos IBCLCs Página 4 de 4
Vigente a partir de 1º de novembro de 2011; atualização: setembro de 2015
5.3 Retirar-se voluntariamente da prática profissional, caso o IBCLC tenha uma deficiência
física ou mental que possa ser prejudicial aos clientes.
Princípio 6: Manter a integridade pessoal
Todo IBCLC deverá:
6.1 Comportar-se de forma honesta e justa como profissional da saúde.
6.2 Retirar-se voluntariamente da prática profissional caso o IBCLC esteja envolvido em abuso de
substâncias que possam afetar sua prática como IBCLC.
6.3 Tratar todos os clientes de forma igualitária, independentemente de condições de deficiência,
identidade de gênero, orientação sexual, sexo, etnia, raça, nacionalidade, orientação política, estado
civil, localização geográfica, religião, condição socioeconômica ou idade, dentro do marco legal para
a respectiva região ou contexto geopolítico.
Princípio 7: Manter os padrões profissionais esperados de um IBCLC
Todo IBCLC deverá:
7.1 Operar de acordo com o referencial definido pelo CPC.
7.2 Fornecer somente informação precisa ao público e aos colegas com relação aos serviços
de consultoria sobre lactação oferecidos.
7.3 Permitir o uso do nome do IBCLC para fins de certificação de que os serviços de
consultoria em lactação foram prestados, somente quando o IBCLC tiver prestado tais
serviços.
7.4 Utilizar as siglas “IBCLC” e “RCL” ou os títulos “Consultor em Lactação Certificado pelo
Conselho Internacional” ou “Consultor em Lactação Registrado” somente se a certificação
estiver vigente e da maneira como o IBCLE autorizar seu uso.
Princípio 8: Cumprir com os Procedimentos Disciplinares do IBLCE
Todo IBCLC deverá:
8.1 Cumprir totalmente com o processo de Ética & Disciplina do IBLCE.
8.2 Estar de acordo que a violação a este CPC inclui qualquer fato no qual:
8.2.1 o IBCLC seja condenado por crime, sob legislação aplicável, no qual a
desonestidade, negligência grave ou má conduta em relação à prática da consultoria
em lactação seja o cerne da questão;
8.2.2 o IBCLC seja punido por estado, província ou outro nível de governo e quando pelo
menos uma das razões da punição for igual, ou substancialmente equivalente aos
princípios deste CPC;
8.2.3 um juízo competente, órgão licenciador, conselho certificador ou autoridade
governamental determine que o IBCLC tenha cometido ato de abuso de poder
ou de prevaricação, relacionado à prática de consultoria em lactação.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

FÓRMULA INFANTIL - uso e abuso de prescrição para RNs sadios a termo
FÓRMULA INFANTIL - uso e abuso de prescrição para RNs sadios a termoFÓRMULA INFANTIL - uso e abuso de prescrição para RNs sadios a termo
FÓRMULA INFANTIL - uso e abuso de prescrição para RNs sadios a termoProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Campanha-Aleitamento Eva Mendes.pptx
Campanha-Aleitamento Eva Mendes.pptxCampanha-Aleitamento Eva Mendes.pptx
Campanha-Aleitamento Eva Mendes.pptxLarissaVasconcelos32
 
Guia Básico para uma Alimentação de Sucesso - livro by Dr. Gladson
Guia Básico para uma Alimentação de Sucesso - livro by Dr. GladsonGuia Básico para uma Alimentação de Sucesso - livro by Dr. Gladson
Guia Básico para uma Alimentação de Sucesso - livro by Dr. GladsonProf. Marcus Renato de Carvalho
 
TCCs da Especialização em Aleitamento / turma de Piracicaba / Passo 1
TCCs da Especialização em Aleitamento / turma de Piracicaba / Passo 1 TCCs da Especialização em Aleitamento / turma de Piracicaba / Passo 1
TCCs da Especialização em Aleitamento / turma de Piracicaba / Passo 1 Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Consultores Certificados em Amamentação no Brasil pela IBCLC
Consultores Certificados em Amamentação no Brasil pela IBCLC Consultores Certificados em Amamentação no Brasil pela IBCLC
Consultores Certificados em Amamentação no Brasil pela IBCLC Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...
ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...
ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Linha de Cuidado em Aleitamento Materno - Caçapava / RS
Linha de Cuidado em Aleitamento Materno - Caçapava / RS Linha de Cuidado em Aleitamento Materno - Caçapava / RS
Linha de Cuidado em Aleitamento Materno - Caçapava / RS Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Aleitamento Materno: guia prático / Departamento Científico da SBP
Aleitamento Materno: guia prático / Departamento Científico da SBP Aleitamento Materno: guia prático / Departamento Científico da SBP
Aleitamento Materno: guia prático / Departamento Científico da SBP Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
OMS: novas diretrizes em apoio à mulher e recém-nascido no pós-parto
OMS: novas diretrizes em apoio à mulher e recém-nascido no pós-parto OMS: novas diretrizes em apoio à mulher e recém-nascido no pós-parto
OMS: novas diretrizes em apoio à mulher e recém-nascido no pós-parto Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
NBCAL - conhecer a Lei de Comercialização de Alimentos para Lactentes / IBFAN...
NBCAL - conhecer a Lei de Comercialização de Alimentos para Lactentes / IBFAN...NBCAL - conhecer a Lei de Comercialização de Alimentos para Lactentes / IBFAN...
NBCAL - conhecer a Lei de Comercialização de Alimentos para Lactentes / IBFAN...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
AMAMENTAÇÃO & TRABALHO - toda sociedade deve apoiar. Folder da Associação Por...
AMAMENTAÇÃO & TRABALHO - toda sociedade deve apoiar. Folder da Associação Por...AMAMENTAÇÃO & TRABALHO - toda sociedade deve apoiar. Folder da Associação Por...
AMAMENTAÇÃO & TRABALHO - toda sociedade deve apoiar. Folder da Associação Por...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Promoção, Proteção e Apoio a Amamentação: evidências científicas e experiênci...
Promoção, Proteção e Apoio a Amamentação: evidências científicas e experiênci...Promoção, Proteção e Apoio a Amamentação: evidências científicas e experiênci...
Promoção, Proteção e Apoio a Amamentação: evidências científicas e experiênci...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Mais procurados (20)

FÓRMULA INFANTIL - uso e abuso de prescrição para RNs sadios a termo
FÓRMULA INFANTIL - uso e abuso de prescrição para RNs sadios a termoFÓRMULA INFANTIL - uso e abuso de prescrição para RNs sadios a termo
FÓRMULA INFANTIL - uso e abuso de prescrição para RNs sadios a termo
 
NUTRIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
NUTRIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMONUTRIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
NUTRIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
 
Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015
Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015
Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015
 
Campanha-Aleitamento Eva Mendes.pptx
Campanha-Aleitamento Eva Mendes.pptxCampanha-Aleitamento Eva Mendes.pptx
Campanha-Aleitamento Eva Mendes.pptx
 
Guia Básico para uma Alimentação de Sucesso - livro by Dr. Gladson
Guia Básico para uma Alimentação de Sucesso - livro by Dr. GladsonGuia Básico para uma Alimentação de Sucesso - livro by Dr. Gladson
Guia Básico para uma Alimentação de Sucesso - livro by Dr. Gladson
 
Aleitamento Materno: o papel da Atenção Primária
Aleitamento Materno: o papel da Atenção PrimáriaAleitamento Materno: o papel da Atenção Primária
Aleitamento Materno: o papel da Atenção Primária
 
TCCs da Especialização em Aleitamento / turma de Piracicaba / Passo 1
TCCs da Especialização em Aleitamento / turma de Piracicaba / Passo 1 TCCs da Especialização em Aleitamento / turma de Piracicaba / Passo 1
TCCs da Especialização em Aleitamento / turma de Piracicaba / Passo 1
 
Consultores Certificados em Amamentação no Brasil pela IBCLC
Consultores Certificados em Amamentação no Brasil pela IBCLC Consultores Certificados em Amamentação no Brasil pela IBCLC
Consultores Certificados em Amamentação no Brasil pela IBCLC
 
Aleitamento materno outubro 2011
Aleitamento materno outubro 2011Aleitamento materno outubro 2011
Aleitamento materno outubro 2011
 
ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...
ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...
ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...
 
Linha de Cuidado em Aleitamento Materno - Caçapava / RS
Linha de Cuidado em Aleitamento Materno - Caçapava / RS Linha de Cuidado em Aleitamento Materno - Caçapava / RS
Linha de Cuidado em Aleitamento Materno - Caçapava / RS
 
Aleitamento Materno: guia prático / Departamento Científico da SBP
Aleitamento Materno: guia prático / Departamento Científico da SBP Aleitamento Materno: guia prático / Departamento Científico da SBP
Aleitamento Materno: guia prático / Departamento Científico da SBP
 
OMS: novas diretrizes em apoio à mulher e recém-nascido no pós-parto
OMS: novas diretrizes em apoio à mulher e recém-nascido no pós-parto OMS: novas diretrizes em apoio à mulher e recém-nascido no pós-parto
OMS: novas diretrizes em apoio à mulher e recém-nascido no pós-parto
 
The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO - Por que investir e o que será necessário para melho...
 
NBCAL - conhecer a Lei de Comercialização de Alimentos para Lactentes / IBFAN...
NBCAL - conhecer a Lei de Comercialização de Alimentos para Lactentes / IBFAN...NBCAL - conhecer a Lei de Comercialização de Alimentos para Lactentes / IBFAN...
NBCAL - conhecer a Lei de Comercialização de Alimentos para Lactentes / IBFAN...
 
AMAMENTAÇÃO & TRABALHO - toda sociedade deve apoiar. Folder da Associação Por...
AMAMENTAÇÃO & TRABALHO - toda sociedade deve apoiar. Folder da Associação Por...AMAMENTAÇÃO & TRABALHO - toda sociedade deve apoiar. Folder da Associação Por...
AMAMENTAÇÃO & TRABALHO - toda sociedade deve apoiar. Folder da Associação Por...
 
Mantendo o Aleitamento Materno em Situações Especiais
Mantendo o Aleitamento Materno em Situações EspeciaisMantendo o Aleitamento Materno em Situações Especiais
Mantendo o Aleitamento Materno em Situações Especiais
 
Breastfeeding The Lancet 2023: artigos em português
Breastfeeding The Lancet 2023: artigos em português Breastfeeding The Lancet 2023: artigos em português
Breastfeeding The Lancet 2023: artigos em português
 
Promoção, Proteção e Apoio a Amamentação: evidências científicas e experiênci...
Promoção, Proteção e Apoio a Amamentação: evidências científicas e experiênci...Promoção, Proteção e Apoio a Amamentação: evidências científicas e experiênci...
Promoção, Proteção e Apoio a Amamentação: evidências científicas e experiênci...
 
Amamentação
AmamentaçãoAmamentação
Amamentação
 

Semelhante a Código de conduta IBCLCs protege amamentação

IBCLE - Consultor Internacional Certificado em Aleitamento: Competências Clín...
IBCLE - Consultor Internacional Certificado em Aleitamento: Competências Clín...IBCLE - Consultor Internacional Certificado em Aleitamento: Competências Clín...
IBCLE - Consultor Internacional Certificado em Aleitamento: Competências Clín...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas
15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas
15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistasIngred Kássia Israel
 
15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas
15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas
15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistasIngred Kássia Israel
 
FRENOTOMIA - Teste da Linguinha: Parecer Consultivo do IBCLE
FRENOTOMIA - Teste da Linguinha: Parecer Consultivo do IBCLE FRENOTOMIA - Teste da Linguinha: Parecer Consultivo do IBCLE
FRENOTOMIA - Teste da Linguinha: Parecer Consultivo do IBCLE Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Roteiro para a Prova de Consultor Certificado em Amamentação pelo IBCLE
Roteiro para a Prova de Consultor Certificado em Amamentação pelo IBCLE Roteiro para a Prova de Consultor Certificado em Amamentação pelo IBCLE
Roteiro para a Prova de Consultor Certificado em Amamentação pelo IBCLE Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
IBLCE - manual do candidato para a prova de CERTIFICAÇÃO em CONSULTOR em AMAM...
IBLCE - manual do candidato para a prova de CERTIFICAÇÃO em CONSULTOR em AMAM...IBLCE - manual do candidato para a prova de CERTIFICAÇÃO em CONSULTOR em AMAM...
IBLCE - manual do candidato para a prova de CERTIFICAÇÃO em CONSULTOR em AMAM...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Código de ética do profissional de Nutrição
Código de ética do profissional de NutriçãoCódigo de ética do profissional de Nutrição
Código de ética do profissional de NutriçãoSérgio Amaral
 
Ce tecnico-em-nutricao-e-dietetica
Ce tecnico-em-nutricao-e-dieteticaCe tecnico-em-nutricao-e-dietetica
Ce tecnico-em-nutricao-e-dieteticaLuis Carlos Silva
 
Código de ética dos orientadores do brasil
Código de ética dos orientadores do brasilCódigo de ética dos orientadores do brasil
Código de ética dos orientadores do brasilGOEDF
 
Aula 1 código de ética do analista clínico
Aula 1   código de ética do analista clínicoAula 1   código de ética do analista clínico
Aula 1 código de ética do analista clínicoJosé Vitor Alves
 
Código de ética.pptx
Código de ética.pptxCódigo de ética.pptx
Código de ética.pptxRonanVarela
 
Relatorio tecnico lemenes nessin
Relatorio tecnico lemenes nessinRelatorio tecnico lemenes nessin
Relatorio tecnico lemenes nessinEdson Sueira
 
Odontologia introdução allan ceo código ética 00
Odontologia   introdução allan ceo código ética 00Odontologia   introdução allan ceo código ética 00
Odontologia introdução allan ceo código ética 00Allan Ulisses
 
Revisão do Código de Ética- Propostas CROSP
Revisão do Código de Ética- Propostas CROSPRevisão do Código de Ética- Propostas CROSP
Revisão do Código de Ética- Propostas CROSPACDbs
 
Slide codigo de ética biomedico
Slide codigo de ética biomedicoSlide codigo de ética biomedico
Slide codigo de ética biomedicoDamianacamila
 
Como verificar um curso de bombeirocivil
Como verificar um curso de bombeirocivilComo verificar um curso de bombeirocivil
Como verificar um curso de bombeirocivilLuciano Rodrigues
 
COMO VERIFICAR CURSO DE BOMBEIRO CIVIL
COMO VERIFICAR CURSO DE BOMBEIRO CIVILCOMO VERIFICAR CURSO DE BOMBEIRO CIVIL
COMO VERIFICAR CURSO DE BOMBEIRO CIVILLeila Brandão
 

Semelhante a Código de conduta IBCLCs protege amamentação (20)

IBCLE - Consultor Internacional Certificado em Aleitamento: Competências Clín...
IBCLE - Consultor Internacional Certificado em Aleitamento: Competências Clín...IBCLE - Consultor Internacional Certificado em Aleitamento: Competências Clín...
IBCLE - Consultor Internacional Certificado em Aleitamento: Competências Clín...
 
15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas
15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas
15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas
 
15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas
15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas
15 09 2010_12_24_37_codigo de etica nutricionistas
 
FRENOTOMIA - Teste da Linguinha: Parecer Consultivo do IBCLE
FRENOTOMIA - Teste da Linguinha: Parecer Consultivo do IBCLE FRENOTOMIA - Teste da Linguinha: Parecer Consultivo do IBCLE
FRENOTOMIA - Teste da Linguinha: Parecer Consultivo do IBCLE
 
Roteiro para a Prova de Consultor Certificado em Amamentação pelo IBCLE
Roteiro para a Prova de Consultor Certificado em Amamentação pelo IBCLE Roteiro para a Prova de Consultor Certificado em Amamentação pelo IBCLE
Roteiro para a Prova de Consultor Certificado em Amamentação pelo IBCLE
 
IBLCE - manual do candidato para a prova de CERTIFICAÇÃO em CONSULTOR em AMAM...
IBLCE - manual do candidato para a prova de CERTIFICAÇÃO em CONSULTOR em AMAM...IBLCE - manual do candidato para a prova de CERTIFICAÇÃO em CONSULTOR em AMAM...
IBLCE - manual do candidato para a prova de CERTIFICAÇÃO em CONSULTOR em AMAM...
 
Código de ética do profissional de Nutrição
Código de ética do profissional de NutriçãoCódigo de ética do profissional de Nutrição
Código de ética do profissional de Nutrição
 
Ce tecnico-em-nutricao-e-dietetica
Ce tecnico-em-nutricao-e-dieteticaCe tecnico-em-nutricao-e-dietetica
Ce tecnico-em-nutricao-e-dietetica
 
Codigodeetica
CodigodeeticaCodigodeetica
Codigodeetica
 
Código de ética dos orientadores do brasil
Código de ética dos orientadores do brasilCódigo de ética dos orientadores do brasil
Código de ética dos orientadores do brasil
 
Aula 1 código de ética do analista clínico
Aula 1   código de ética do analista clínicoAula 1   código de ética do analista clínico
Aula 1 código de ética do analista clínico
 
Código de ética.pptx
Código de ética.pptxCódigo de ética.pptx
Código de ética.pptx
 
Relatorio tecnico lemenes nessin
Relatorio tecnico lemenes nessinRelatorio tecnico lemenes nessin
Relatorio tecnico lemenes nessin
 
Odontologia introdução allan ceo código ética 00
Odontologia   introdução allan ceo código ética 00Odontologia   introdução allan ceo código ética 00
Odontologia introdução allan ceo código ética 00
 
Revisão do Código de Ética- Propostas CROSP
Revisão do Código de Ética- Propostas CROSPRevisão do Código de Ética- Propostas CROSP
Revisão do Código de Ética- Propostas CROSP
 
Slide codigo de ética biomedico
Slide codigo de ética biomedicoSlide codigo de ética biomedico
Slide codigo de ética biomedico
 
Como verificar um curso de bombeirocivil
Como verificar um curso de bombeirocivilComo verificar um curso de bombeirocivil
Como verificar um curso de bombeirocivil
 
COMO VERIFICAR CURSO DE BOMBEIRO CIVIL
COMO VERIFICAR CURSO DE BOMBEIRO CIVILCOMO VERIFICAR CURSO DE BOMBEIRO CIVIL
COMO VERIFICAR CURSO DE BOMBEIRO CIVIL
 
Código de conduta ética
Código de conduta éticaCódigo de conduta ética
Código de conduta ética
 
C
CC
C
 

Mais de Prof. Marcus Renato de Carvalho

Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCAmamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCProf. Marcus Renato de Carvalho
 
PRINCÍPIOS de YOGYAKARTA: Direitos humanos para a população LGBTQIA+
PRINCÍPIOS de YOGYAKARTA: Direitos humanos para a população LGBTQIA+PRINCÍPIOS de YOGYAKARTA: Direitos humanos para a população LGBTQIA+
PRINCÍPIOS de YOGYAKARTA: Direitos humanos para a população LGBTQIA+Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Amamentação X Indústria de fórmulas infantis no Brasil
Amamentação X Indústria de fórmulas infantis no BrasilAmamentação X Indústria de fórmulas infantis no Brasil
Amamentação X Indústria de fórmulas infantis no BrasilProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Manejo Ampliado / Livro "Amamentação - bases científicas"
Manejo Ampliado  / Livro "Amamentação - bases científicas" Manejo Ampliado  / Livro "Amamentação - bases científicas"
Manejo Ampliado / Livro "Amamentação - bases científicas" Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
OMS: Diretrizes para um controle da promoção comercial dos ditos substitutos ...
OMS: Diretrizes para um controle da promoção comercial dos ditos substitutos ...OMS: Diretrizes para um controle da promoção comercial dos ditos substitutos ...
OMS: Diretrizes para um controle da promoção comercial dos ditos substitutos ...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
OMS: Diretrizes para a Alimentação Complementar Saudável para Lactentes
OMS: Diretrizes para a Alimentação Complementar Saudável para LactentesOMS: Diretrizes para a Alimentação Complementar Saudável para Lactentes
OMS: Diretrizes para a Alimentação Complementar Saudável para LactentesProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Por políticas públicas de saúde e promoção da paternidade
Por políticas públicas de saúde e promoção da paternidadePor políticas públicas de saúde e promoção da paternidade
Por políticas públicas de saúde e promoção da paternidadeProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Pré-natal do parceiro - guia para profissionais de saúde / 3a. edição
Pré-natal do parceiro - guia para profissionais de saúde / 3a. ediçãoPré-natal do parceiro - guia para profissionais de saúde / 3a. edição
Pré-natal do parceiro - guia para profissionais de saúde / 3a. ediçãoProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Amamentação: os direitos da mulher trabalhadora - livro digital SBP
Amamentação: os direitos da mulher trabalhadora - livro digital SBP Amamentação: os direitos da mulher trabalhadora - livro digital SBP
Amamentação: os direitos da mulher trabalhadora - livro digital SBP Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Guia de Acessibilidade na Comunicacao: respeito e inclusão
Guia de Acessibilidade na Comunicacao: respeito e inclusãoGuia de Acessibilidade na Comunicacao: respeito e inclusão
Guia de Acessibilidade na Comunicacao: respeito e inclusãoProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Aleitamento HUMANO: interseccionalidade QUEER / prática inclusiva
Aleitamento HUMANO: interseccionalidade QUEER / prática inclusiva Aleitamento HUMANO: interseccionalidade QUEER / prática inclusiva
Aleitamento HUMANO: interseccionalidade QUEER / prática inclusiva Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Mais de Prof. Marcus Renato de Carvalho (20)

Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãosAplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
 
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCAmamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
 
PRINCÍPIOS de YOGYAKARTA: Direitos humanos para a população LGBTQIA+
PRINCÍPIOS de YOGYAKARTA: Direitos humanos para a população LGBTQIA+PRINCÍPIOS de YOGYAKARTA: Direitos humanos para a população LGBTQIA+
PRINCÍPIOS de YOGYAKARTA: Direitos humanos para a população LGBTQIA+
 
Amamentação X Indústria de fórmulas infantis no Brasil
Amamentação X Indústria de fórmulas infantis no BrasilAmamentação X Indústria de fórmulas infantis no Brasil
Amamentação X Indústria de fórmulas infantis no Brasil
 
Relatório: SITUAÇÃO GLOBAL DE AMAMENTAÇÃO 2023
Relatório: SITUAÇÃO GLOBAL DE AMAMENTAÇÃO  2023Relatório: SITUAÇÃO GLOBAL DE AMAMENTAÇÃO  2023
Relatório: SITUAÇÃO GLOBAL DE AMAMENTAÇÃO 2023
 
Seu local de trabalho apoia a Amamentação?
Seu local de trabalho apoia a Amamentação?Seu local de trabalho apoia a Amamentação?
Seu local de trabalho apoia a Amamentação?
 
Leite Humano atua na modulação microbiana
Leite Humano atua na modulação microbianaLeite Humano atua na modulação microbiana
Leite Humano atua na modulação microbiana
 
Manejo Ampliado / Livro "Amamentação - bases científicas"
Manejo Ampliado  / Livro "Amamentação - bases científicas" Manejo Ampliado  / Livro "Amamentação - bases científicas"
Manejo Ampliado / Livro "Amamentação - bases científicas"
 
OMS: Diretrizes para um controle da promoção comercial dos ditos substitutos ...
OMS: Diretrizes para um controle da promoção comercial dos ditos substitutos ...OMS: Diretrizes para um controle da promoção comercial dos ditos substitutos ...
OMS: Diretrizes para um controle da promoção comercial dos ditos substitutos ...
 
OMS: Diretrizes para a Alimentação Complementar Saudável para Lactentes
OMS: Diretrizes para a Alimentação Complementar Saudável para LactentesOMS: Diretrizes para a Alimentação Complementar Saudável para Lactentes
OMS: Diretrizes para a Alimentação Complementar Saudável para Lactentes
 
Por políticas públicas de saúde e promoção da paternidade
Por políticas públicas de saúde e promoção da paternidadePor políticas públicas de saúde e promoção da paternidade
Por políticas públicas de saúde e promoção da paternidade
 
FIGO recomenda a Amamentação na 1a. hora de vida
FIGO recomenda a Amamentação na 1a. hora de vidaFIGO recomenda a Amamentação na 1a. hora de vida
FIGO recomenda a Amamentação na 1a. hora de vida
 
Consulta Pediátrica Pré-Natal: atualização SBP
Consulta Pediátrica Pré-Natal: atualização SBPConsulta Pediátrica Pré-Natal: atualização SBP
Consulta Pediátrica Pré-Natal: atualização SBP
 
Kangaroo Mother Care: revolução no cuidado à saúde
Kangaroo Mother Care: revolução no cuidado à saúdeKangaroo Mother Care: revolução no cuidado à saúde
Kangaroo Mother Care: revolução no cuidado à saúde
 
Pré-natal do parceiro - guia para profissionais de saúde / 3a. edição
Pré-natal do parceiro - guia para profissionais de saúde / 3a. ediçãoPré-natal do parceiro - guia para profissionais de saúde / 3a. edição
Pré-natal do parceiro - guia para profissionais de saúde / 3a. edição
 
O MATADOR DE BEBÊS - 3a edição / IMIP
O MATADOR DE BEBÊS - 3a edição / IMIP O MATADOR DE BEBÊS - 3a edição / IMIP
O MATADOR DE BEBÊS - 3a edição / IMIP
 
Amamentação: os direitos da mulher trabalhadora - livro digital SBP
Amamentação: os direitos da mulher trabalhadora - livro digital SBP Amamentação: os direitos da mulher trabalhadora - livro digital SBP
Amamentação: os direitos da mulher trabalhadora - livro digital SBP
 
SMAM 2023 - Folder de Ação da WABA em português
SMAM 2023 - Folder de Ação da WABA em português SMAM 2023 - Folder de Ação da WABA em português
SMAM 2023 - Folder de Ação da WABA em português
 
Guia de Acessibilidade na Comunicacao: respeito e inclusão
Guia de Acessibilidade na Comunicacao: respeito e inclusãoGuia de Acessibilidade na Comunicacao: respeito e inclusão
Guia de Acessibilidade na Comunicacao: respeito e inclusão
 
Aleitamento HUMANO: interseccionalidade QUEER / prática inclusiva
Aleitamento HUMANO: interseccionalidade QUEER / prática inclusiva Aleitamento HUMANO: interseccionalidade QUEER / prática inclusiva
Aleitamento HUMANO: interseccionalidade QUEER / prática inclusiva
 

Último

Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaCristianodaRosa5
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfNelmo Pinto
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoMarianaAnglicaMirand
 
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptAlberto205764
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 

Último (9)

Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
 
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 

Código de conduta IBCLCs protege amamentação

  • 1. Código de Conduta Profissional dos IBCLCs Página 1 de 4 Vigente a partir de 1º de novembro de 2011; atualização: setembro de 2015 Código de conduta profissional dos IBCLCs Vigente a partir de: 1º de novembro de 2011 Atualização: setembro de 2015 Em substituição a: 1º de dezembro de 2004 Código de Ética dos IBCLCs O Conselho Internacional de Avaliação de Consultores em Lactação (International Board of Lactation Consultant Examiners, IBLCE®) é a autoridade global que certifica os profissionais em lactação e cuidados em amamentação. O IBLCE foi fundado para proteger a saúde, bem-estar e segurança do público por meio de parâmetros de conhecimento em lactação e cuidados em amamentação reconhecidos internacionalmente, através do exame IBLCE. Os candidatos aprovados tornam-se Consultores em Lactação Certificados pelo Conselho Internacional (International Board Certified Lactation Consultants, IBCLCs). Parte essencial da obrigação de um IBCLC de proteger mães e filhos é a aderência aos princípios e objetivos do Código Internacional de Comercialização de Substitutos do Leite Materno e as subsequentes e pertinentes resoluções da Assembleia Mundial da Saúde. Preâmbulo O IBLCE endossa os princípios gerais dos direitos humanos articulados em vários documentos internacionais que afirmam que todo ser humano tem direito aos mais altos padrões de saúde possíveis. Além disso, o IBLCE considera que todas as mães e todas as crianças têm direito à amamentação. Portanto, o IBLCE estimula todos os IBCLCs a defender os mais altos padrões de conduta ética, tal como delineado em: • Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança • Convenção das Nações Unidas sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher (Artigo 12) • Conselho das Sociedades de Especialidades Médicas. Código de Interação com Empresas A fim de guiar sua prática profissional, é de interesse de todos os IBCLCs e do público atendido por eles, que exista um Código de Conduta Profissional que: • Informe tanto os IBCLCs e o público sobre os padrões mínimos de conduta aceitável; • Exemplifique o compromisso esperado de todos os credenciados IBCLC; • Forneça aos IBCLCs um referencial para a condução de suas obrigações essenciais; • Sirva como base para decisões relacionadas a alegada má conduta. Definições e Interpretações 1. Para os propósitos deste documento, o Código de Conduta Profissional dos IBCLCs será conhecido como o “CPC”.
  • 2. Código de Conduta Profissional dos IBCLCs Página 2 de 4 Vigente a partir de 1º de novembro de 2011; atualização: setembro de 2015 2. Os IBCLCs cumprirão totalmente com os Procedimentos Disciplinares do IBLCE. 3. Para os propósitos do CPC, “devida cautela” se refere à obrigatoriedade imposta aos IBCLCs de aderir a um padrão razoável de cuidados no desempenho de quaisquer atos que possam prejudicar a outros de forma previsível. 4. O termo “propriedade intelectual” (Princípio 2.5) refere-se aos direitos autorais (que se aplicam a documentos impressos ou em formato digital, manuscritos, fotografias, slides e ilustrações) marcas registradas, marcas de serviços e certificação, e patentes. 5. A exceção à declaração “abster-se de revelar qualquer informação” (Princípio 3.1) significa que, na medida necessária, os IBCLCs poderão prover informações que: (a) cumpram com mandado legal, judicial ou administrativo, ou com este CPC; (b) protejam os clientes, em consulta com indivíduos ou entidades apropriadas, e que possam tomar as providências adequadas quando o IBCLC considerar, de forma razoável, que um cliente não seja capaz de agir em seu próprio interesse ou no melhor interesse de sua criança, portanto configurando risco de dano; (c) estabeleçam ações ou defesas em nome do IBCLC e do cliente, ou defesa contra representações criminais ou ações cíveis contra o IBCLC com base em conduta na qual o cliente estava envolvido; (d) respondam a alegações em qualquer processo relativo a serviços que o IBCLC tenha prestado ao cliente. 6. “Abuso de poder” descreve um ato que é legal, mas realizado de forma imprópria, enquanto “prevaricação” descreve um ato ilícito. Princípios do Código de Conduta Profissional O CPC consiste em oito princípios, que exigem de todo IBCLC: 1. Fornecer serviços que protejam, promovam e apoiem a amamentação 2. Agir com a devida cautela 3. Preservar a confidencialidade dos clientes 4. Fazer relatórios precisos e completos para outros membros da equipe de cuidados de saúde 5. Exercer julgamento independente e evitar conflitos de interesses 6. Manter a integridade pessoal 7. Manter os padrões profissionais esperados de um IBCLC 8. Cumprir com os Procedimentos Disciplinares do IBLCE Os IBCLCs são pessoalmente responsáveis por agir de forma consistente com o CPC para salvaguardar os interesses dos clientes e justificar a confiança do público. Princípio 1: Fornecer serviços que protejam, promovam e apoiem a amamentação Todo IBCLC deverá: 1.1 Cumprir compromissos profissionais trabalhando com as mães a fim de atingir seus objetivos relativos à amamentação. 1.2 Prover os cuidados para atender às necessidades individuais dos clientes, de maneira apropriada segundo a cultura local e informada pelas melhores práticas disponíveis. 1.3 Prover informação suficiente e precisa a fim de permitir que os clientes tomem decisões bem embasadas.
  • 3. Código de Conduta Profissional dos IBCLCs Página 3 de 4 Vigente a partir de 1º de novembro de 2011; atualização: setembro de 2015 1.4 Fornecer informação precisa, completa e objetiva sobre produtos comerciais. 1.5 Apresentar informação sem viés pessoal. Princípio 2: Agir com a devida cautela Todo IBCLC deverá: 2.1 Operar nos limites do escopo da prática. 2.2 Colaborar com outros membros da equipe de cuidados de saúde para prover cuidados unificados e de forma abrangente. 2.3 Ser responsável e prestar contas sobre sua conduta e prática pessoais. 2.4 Observar toda a legislação aplicável, incluindo aquelas que regulam as atividades de consultoria em lactação. 2.5 Respeitar os direitos à propriedade intelectual. Princípio 3: Preservar a confidencialidade dos clientes Todo IBCLC deverá: 3.1 Abster-se de revelar qualquer informação adquirida no decurso da relação profissional, exceto para outro membro da equipe de cuidados de saúde do cliente ou outras pessoas ou entidades para as quais o cliente tenha concedido permissão expressa, salvo se previsto em contrário nas Definições e Interpretações do CPC. 3.2 Abster-se de fotografar, gravar ou registrar (em áudio ou vídeo) uma mãe ou seu(sua) filho(a) para qualquer fim, salvo se a mãe tiver dado permissão prévia por escrito em seu nome e no nome da criança. Princípio 4: Fazer relatórios precisos e completos para outros membros da equipe de cuidados de saúde. Todo IBCLC deverá: 4.1 Obter consentimento do cliente, antes de iniciar uma consulta, para compartilhar informações clínicas com outros membros da equipe de cuidados de saúde do cliente. 4.2 Informar à pessoa apropriada ou autoridade em caso de suspeita que a saúde ou integridade de um cliente ou colega está em risco, de acordo com o Princípio 3. Princípio 5: Exercer julgamento independente e evitar conflitos de interesses Todo IBCLC deverá: 5.1 Revelar qualquer conflito de interesses, reais ou aparentes, incluindo interesses financeiros em serviços ou bens relevantes, em instituições que forneçam bens ou serviços relevantes. 5.2 Assegurar que considerações comerciais não influenciem decisões profissionais.
  • 4. Código de Conduta Profissional dos IBCLCs Página 4 de 4 Vigente a partir de 1º de novembro de 2011; atualização: setembro de 2015 5.3 Retirar-se voluntariamente da prática profissional, caso o IBCLC tenha uma deficiência física ou mental que possa ser prejudicial aos clientes. Princípio 6: Manter a integridade pessoal Todo IBCLC deverá: 6.1 Comportar-se de forma honesta e justa como profissional da saúde. 6.2 Retirar-se voluntariamente da prática profissional caso o IBCLC esteja envolvido em abuso de substâncias que possam afetar sua prática como IBCLC. 6.3 Tratar todos os clientes de forma igualitária, independentemente de condições de deficiência, identidade de gênero, orientação sexual, sexo, etnia, raça, nacionalidade, orientação política, estado civil, localização geográfica, religião, condição socioeconômica ou idade, dentro do marco legal para a respectiva região ou contexto geopolítico. Princípio 7: Manter os padrões profissionais esperados de um IBCLC Todo IBCLC deverá: 7.1 Operar de acordo com o referencial definido pelo CPC. 7.2 Fornecer somente informação precisa ao público e aos colegas com relação aos serviços de consultoria sobre lactação oferecidos. 7.3 Permitir o uso do nome do IBCLC para fins de certificação de que os serviços de consultoria em lactação foram prestados, somente quando o IBCLC tiver prestado tais serviços. 7.4 Utilizar as siglas “IBCLC” e “RCL” ou os títulos “Consultor em Lactação Certificado pelo Conselho Internacional” ou “Consultor em Lactação Registrado” somente se a certificação estiver vigente e da maneira como o IBCLE autorizar seu uso. Princípio 8: Cumprir com os Procedimentos Disciplinares do IBLCE Todo IBCLC deverá: 8.1 Cumprir totalmente com o processo de Ética & Disciplina do IBLCE. 8.2 Estar de acordo que a violação a este CPC inclui qualquer fato no qual: 8.2.1 o IBCLC seja condenado por crime, sob legislação aplicável, no qual a desonestidade, negligência grave ou má conduta em relação à prática da consultoria em lactação seja o cerne da questão; 8.2.2 o IBCLC seja punido por estado, província ou outro nível de governo e quando pelo menos uma das razões da punição for igual, ou substancialmente equivalente aos princípios deste CPC; 8.2.3 um juízo competente, órgão licenciador, conselho certificador ou autoridade governamental determine que o IBCLC tenha cometido ato de abuso de poder ou de prevaricação, relacionado à prática de consultoria em lactação.