SlideShare uma empresa Scribd logo

Gestao de educacao_infantil_4

Capitulo 2

1 de 8
Baixar para ler offline
OS PENSADORES
QUE
INFLUENCIARAM
NA CONCEPÇÃO
DA EDUCAÇÃO
INFANTIL
Liberty Ensino
LIBERTY
ENSINO
Pensadores como Comênio, Rousseau,Pestalozzi,Decroly,Froebel e
Montessori (1), entre outros, estabeleceram as bases para um sistema de ensino
mais centrado na criança.
Muitos deles achavam-se compromissados com questões sociais relativas a
crianças que vivenciavam situações sociais críticas (órfãos de guerra, pobreza)
e cuidaram de elaborar propostas de atividades em instituições escolares que
compensassem eventuais problemas de desenvolvimento.Embora com
ênfases diferentes entre si, as propostas de ensino desses autores
reconheciam que as crianças tinham necessidades próprias e características
diversas das dos adultos, como o interesse pela exploração de objetos e pelo
jogo.
Para Oliveira (2005) “ Ao longo de muitos séculos, o cuidado e a educação das
crianças pequenas foram entendidos como tarefas de responsabilidade familiar,
particularmente da mãe e de outras mulheres.O recorte em favor da família como
a matriz educativa preferencial aparece também nas denominações das
instituições de guarda e educação da primeira infância.O termo francês creche
equivale à manjedoura,presépio.O termo italiano asilo indica um ninho que abriga.
Escola materna foi outra designação usada para referir-se ao atendimento de
guarda e educação fora da família a crianças pequenas.Até a criação de rodas –
cilindros ocos de madeira,giratórios,construídos em muros de igrejas ou hospitais
de caridade que permitiam que bebês fossem neles deixados sem que a identidade
de quem os trazia precisasse ser identificada para recolhimento dos expostos ou a
deposição de crianças abandonadas em lares substitutos,já na Idade Média e
Moderna”.
Nos séculos XV e XVI, novos modelos educacionais foram criados para
responder aos desafios estabelecidos pela maneira como a sociedade
européia então se desenvolvia.Autores como Erasmo (1465-1530) e
Montaigne (1483-1553) sustentavam que a educação deveria respeitar a
natureza infantil,estimular a atividade da criança e associar o jogo à
aprendizagem.
•Gradativamente, surgiram arranjos mais formais para atendimento de
crianças fora da família em instituições de caráter filantrópico,
especialmente delineadas para esse objetivo e que organizavam as
condições para o desenvolvimento infantil segundo a forma como o
destino social da criança atendida era pensado.
•Educar crianças menores de 6 anos de diferentes condições sociais já
era uma questão tratada por COMÊNIO (1592-1670), educador e bispo
protestante checo. Em seu livro “A escola da infância”, publicado em
1628, afirmava que o nível inicial de ensino era o “colo da mãe” e
deveria ocorrer dentro dos lares. Em 1637 elaborou um plano de escola
maternal em que recomendava o uso de materiais audiovisuais, como
livros de imagens,para educar crianças pequenas.
•Já em 1657 Comênio usou a imagem de “jardim-de-infância (onde
“arvorezinhas plantadas”, seriam regadas) como o lugar da educação das
crianças pequenas.
•Em oposição ao ideário da Reforma e da Contra – reforma religiosa
então em curso na Europa, o filósofo genebrino Jean Jacques
ROUSSEAU (1712-1778) criou uma proposta educacional em que
combatia preconceitos, autoritarismos e todas as instituições sociais
que violentassem a liberdade característica da natureza. Ele destacava o
papel da mãe como educadora natural da criança.
•ROUSSEAU revolucionou a educação de seu tempo ao afirmar que a
infância não era apenas uma via de acesso, um período de preparação
para a vida adulta, mas tinha valor em si mesma; propunha que a
educação seguisse a liberdade e o ritmo da natureza, contrariando os
dogmas religiosos da época, que preconizavam o controle dos infantes
pelos adultos.
• .
LIBERTY
ENSINO
Defendia uma educação não orientada pelos adultos, mas que
fosse resultado do livre exercício das capacidades infantis e
enfatizasse não o que a criança tem permissão para saber,
mas o que é capaz de saber.
As idéias de Rousseau abriram caminho para as concepções
educacionais do suíço PESTALOZZI (1746-1827), que
também reagiu contra o intelectualismo excessivo da
educação tradicional. Educar deveria ocorrer em um
ambiente o mais natural possível, num clima de disciplina
estrita, mas amorosa, e pôr em ação o que a criança já
possui dentro de si, contribuindo para o desenvolvimento
do caráter infantil. Pestalozzi destacou ainda o valor
educativo do trabalho manual e a importância de a criança
desenvolver destreza prática.
Também se preocupou com a idéia de que a educação deveria ser metodicamente ordenada para os sentidos: a percepção da
criança seria educada pela intuição e o ensino deveria priorizar coisas, não palavras. Sua pedagogia enfatizava ainda a necessidade
de a escola treinar a vontade e desenvolver as atitudes morais dos alunos.
As idéias de Pestalozzi foram levadas adiante por FROEBEL (1782-1852), educador alemão. Influenciado por uma perspectiva
mística, uma filosofia espiritualista e um ideal político de liberdade, criou em 1837 um Kindergarten (jardim-de-infância) onde
crianças e adolescentes – pequenas sementes que, adubadas e expostas a condições favoráveis em seu meio ambiente,
desabrochariam sua divindade interior em um clima de amor, simpatia e encorajamento – estariam livres para aprender sobre si
mesmo e sobre o mundo. O modo básico de funcionamento de sua proposta educacional incluía atividades de cooperação e o
jogo, entendidos como a origem da atividade mental.
Elaborou canções e jogos para educar sensações e emoções, enfatizou o valor educativo da atividade manual, confeccionou
brinquedos para a aprendizagem da aritmética e da geometria, além de propor que as atividades educativas incluíssem conversas
e poesias e o cultivo da horta pelas crianças. Os recursos pedagógicos, básicos neste modelo, eram divididos em dois grupos: as
prendas ou dons e as ocupações.
As prendas eram materiais que não mudavam de forma – cubos, cilindros, bastões e que, usados em brincadeiras, possibilitariam
à criança fazer construções variadas e formar um sentido da realidade e um respeito à natureza.
Já as ocupações consistiam em materiais que se modificavam com o uso – tais como argila, areia e papel usados em atividades de
modelagem, recorte, dobradura,alinhavo em cartões com diferentes figuras desenhadas,etc.
Canções completariam essa lista de materiais e atividades. As prendas e as ocupações se articulariam pela mediação da
educadora na formação da livre expressão infantil, ou seja, daquilo que Froebel, dentro de seu quadro ideológico, chamou de
“atividade materna”.
A ênfase posta por ele na liberdade da criança, espelhando movimentos liberais em curso na
Europa, passou a ser vista como ameaçadora ao poder político alemão, o que levou o
autoritarismo governamental da época a fechar os jardins-de-infância do país por volta de
1851. As sementes da renovação educacional pensada por Froebel, proibida na Alemanha,
encontraram solo fértil em outros países. A sistematização de atividades para crianças
pequenas com o uso de materiais especialmente confeccionados foi realizada por dois
médicos interessados pela educação.
DECROLY (1871-1932), médico belga, trabalhando com crianças excepcionais, elaborou, em
1901, uma metodologia de ensino que propunha atividades didáticas baseadas na idéia de
totalidade do funcionamento psicológico e no interesse da criança, adequadas ao sincretismo
que ele julgava ser próprio do pensamento infantil. Decroly defendia um ensino voltado para
o intelecto.
Nos centros de interesse, o trabalho se estruturaria segundo três eixos: observação,
associação e expressão. Decroly é conhecido ainda por defender rigorosa observação dos
alunos a fim de poder classificá-los e distribuí-los em turmas homogêneas.O nome da médica
psiquiatra italiana Maria MONTESSORI (1879-1952) inclui-se também nas lista dos principais
construtores de propostas sistematizadas para a educação infantil no século XX.
Em 1907, foi convidada a organizar uma sala para educação de crianças sem deficiências
dentro de uma habitação coletiva destinada a famílias dos setores populares, experiência que
denominou“Casa das Crianças”.
Ao contrário de Rousseau, que defendia a auto-educação, Montessori não aceitava a natureza
como ambiente apropriado para o desenvolvimento infantil. Antes, era a favor da criação de
um contexto que fosse adequado às possibilidades de cada criança e estimulasse seu
desenvolvimento. Montessori teve como marca distintiva a elaboração de materiais
adequados a exploração sensorial pelas crianças e específicos ao alcance de cada objetivo
educacional.Seu material didático buscava fazer um detalhamento rigoroso do conteúdo a ser
trabalhado com as crianças e previa exercícios destinados a desenvolver, passo a passo, as
diversas funções psicológicas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teoricos da Educação
Teoricos da EducaçãoTeoricos da Educação
Teoricos da EducaçãoGilda Nobrega
 
Maria montessori
Maria montessoriMaria montessori
Maria montessorijesuton
 
Didatica pestalozzi
Didatica pestalozziDidatica pestalozzi
Didatica pestalozzialine totti
 
Maria Montessori CERB
Maria Montessori CERB Maria Montessori CERB
Maria Montessori CERB Desiree Alves
 
Educação segundo a metodologia de Pestalozzi
Educação segundo a metodologia de PestalozziEducação segundo a metodologia de Pestalozzi
Educação segundo a metodologia de Pestalozziejkavaliacao
 
Principais pedagogos do século xix
Principais pedagogos do século xixPrincipais pedagogos do século xix
Principais pedagogos do século xixrenanmedonho
 
Pestalozzi e o Movimento da Escola Elementar
Pestalozzi e o Movimento da Escola ElementarPestalozzi e o Movimento da Escola Elementar
Pestalozzi e o Movimento da Escola ElementarHudson Frota
 
Texto aula 4 guimarães etica cuidado cultura humanizacao marcas
Texto aula 4 guimarães etica cuidado cultura humanizacao marcasTexto aula 4 guimarães etica cuidado cultura humanizacao marcas
Texto aula 4 guimarães etica cuidado cultura humanizacao marcasLiana Pereira Borba
 
Apresentação johann heinrich pestalozzi
Apresentação johann heinrich pestalozziApresentação johann heinrich pestalozzi
Apresentação johann heinrich pestalozziPriscila Aristimunha
 
Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.
Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.
Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.thayseehausen
 
Pestalozzi
PestalozziPestalozzi
PestalozziMERCIO
 

Mais procurados (20)

Teoricos da Educação
Teoricos da EducaçãoTeoricos da Educação
Teoricos da Educação
 
Maria montessori
Maria montessoriMaria montessori
Maria montessori
 
Maria montessori
Maria montessoriMaria montessori
Maria montessori
 
Didatica pestalozzi
Didatica pestalozziDidatica pestalozzi
Didatica pestalozzi
 
Apres SemináRio Modelo
Apres SemináRio ModeloApres SemináRio Modelo
Apres SemináRio Modelo
 
Maria Montessori
Maria Montessori Maria Montessori
Maria Montessori
 
Teoria motenssoriana
Teoria motenssorianaTeoria motenssoriana
Teoria motenssoriana
 
Maria Montessori CERB
Maria Montessori CERB Maria Montessori CERB
Maria Montessori CERB
 
Friedrich Froebel
Friedrich FroebelFriedrich Froebel
Friedrich Froebel
 
Educação segundo a metodologia de Pestalozzi
Educação segundo a metodologia de PestalozziEducação segundo a metodologia de Pestalozzi
Educação segundo a metodologia de Pestalozzi
 
Friedrich froebel.ppt
Friedrich froebel.pptFriedrich froebel.ppt
Friedrich froebel.ppt
 
Maria montessori
Maria montessoriMaria montessori
Maria montessori
 
Principais pedagogos do século xix
Principais pedagogos do século xixPrincipais pedagogos do século xix
Principais pedagogos do século xix
 
Pestalozzi e o Movimento da Escola Elementar
Pestalozzi e o Movimento da Escola ElementarPestalozzi e o Movimento da Escola Elementar
Pestalozzi e o Movimento da Escola Elementar
 
4. slide pensadores introdução
4. slide pensadores introdução4. slide pensadores introdução
4. slide pensadores introdução
 
Texto aula 4 guimarães etica cuidado cultura humanizacao marcas
Texto aula 4 guimarães etica cuidado cultura humanizacao marcasTexto aula 4 guimarães etica cuidado cultura humanizacao marcas
Texto aula 4 guimarães etica cuidado cultura humanizacao marcas
 
Ovide Decroyl
Ovide DecroylOvide Decroyl
Ovide Decroyl
 
Apresentação johann heinrich pestalozzi
Apresentação johann heinrich pestalozziApresentação johann heinrich pestalozzi
Apresentação johann heinrich pestalozzi
 
Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.
Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.
Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.
 
Pestalozzi
PestalozziPestalozzi
Pestalozzi
 

Semelhante a Gestao de educacao_infantil_4

Teologia da educação cristã
Teologia da educação cristã  Teologia da educação cristã
Teologia da educação cristã Jose Ventura
 
A educação infantil na história e na atualidade
A educação infantil na história e na atualidadeA educação infantil na história e na atualidade
A educação infantil na história e na atualidadeGizelda Rodrigues de Araújo
 
Atps de multidisciplinar ii postagem
Atps de multidisciplinar ii postagemAtps de multidisciplinar ii postagem
Atps de multidisciplinar ii postagemEliza Silva
 
O nascimento da pedagogia atual
O nascimento da pedagogia atualO nascimento da pedagogia atual
O nascimento da pedagogia atualJulhinha Camara
 
Jornadas waldorf elisaleandro
Jornadas waldorf elisaleandroJornadas waldorf elisaleandro
Jornadas waldorf elisaleandroermelinda mestre
 
Diferença entre ensino tradicional
Diferença entre ensino tradicionalDiferença entre ensino tradicional
Diferença entre ensino tradicionalArlindo Francisco
 
Monografia Maria Ivone Pedagogia 2009
Monografia Maria Ivone Pedagogia 2009Monografia Maria Ivone Pedagogia 2009
Monografia Maria Ivone Pedagogia 2009Biblioteca Campus VII
 
Aprendizagem Significativa e Emilio de Rousseau
Aprendizagem Significativa e Emilio de RousseauAprendizagem Significativa e Emilio de Rousseau
Aprendizagem Significativa e Emilio de RousseauAndréa Kochhann
 
Lev Vygotsky - DIDÁTICA (AD1).pptx
Lev Vygotsky - DIDÁTICA (AD1).pptxLev Vygotsky - DIDÁTICA (AD1).pptx
Lev Vygotsky - DIDÁTICA (AD1).pptxCarolinaAbreuGama
 
Tecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativas
Tecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativasTecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativas
Tecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativaschristianceapcursos
 
Projeto de contação de histórias
Projeto de contação de históriasProjeto de contação de histórias
Projeto de contação de históriasAmanda Freitas
 

Semelhante a Gestao de educacao_infantil_4 (20)

Edu básica 04
Edu básica 04Edu básica 04
Edu básica 04
 
Teologia da educação cristã
Teologia da educação cristã  Teologia da educação cristã
Teologia da educação cristã
 
AD1- DIDÁTICA.pptx
AD1- DIDÁTICA.pptxAD1- DIDÁTICA.pptx
AD1- DIDÁTICA.pptx
 
A educação infantil na história e na atualidade
A educação infantil na história e na atualidadeA educação infantil na história e na atualidade
A educação infantil na história e na atualidade
 
Atps de multidisciplinar ii postagem
Atps de multidisciplinar ii postagemAtps de multidisciplinar ii postagem
Atps de multidisciplinar ii postagem
 
Jogos na Educação
Jogos na EducaçãoJogos na Educação
Jogos na Educação
 
Maria montessori
Maria montessoriMaria montessori
Maria montessori
 
O nascimento da pedagogia atual
O nascimento da pedagogia atualO nascimento da pedagogia atual
O nascimento da pedagogia atual
 
08 18 48_2165-7303-1-pb
08 18 48_2165-7303-1-pb08 18 48_2165-7303-1-pb
08 18 48_2165-7303-1-pb
 
Jornadas waldorf elisaleandro
Jornadas waldorf elisaleandroJornadas waldorf elisaleandro
Jornadas waldorf elisaleandro
 
Os Jogos_Vygotysky.docx
Os Jogos_Vygotysky.docxOs Jogos_Vygotysky.docx
Os Jogos_Vygotysky.docx
 
Diferença entre ensino tradicional
Diferença entre ensino tradicionalDiferença entre ensino tradicional
Diferença entre ensino tradicional
 
Monografia Maria Ivone Pedagogia 2009
Monografia Maria Ivone Pedagogia 2009Monografia Maria Ivone Pedagogia 2009
Monografia Maria Ivone Pedagogia 2009
 
Filósofos
FilósofosFilósofos
Filósofos
 
Aprendizagem Significativa e Emilio de Rousseau
Aprendizagem Significativa e Emilio de RousseauAprendizagem Significativa e Emilio de Rousseau
Aprendizagem Significativa e Emilio de Rousseau
 
Lev Vygotsky - DIDÁTICA (AD1).pptx
Lev Vygotsky - DIDÁTICA (AD1).pptxLev Vygotsky - DIDÁTICA (AD1).pptx
Lev Vygotsky - DIDÁTICA (AD1).pptx
 
Tecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativas
Tecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativasTecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativas
Tecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativas
 
Decroly
DecrolyDecroly
Decroly
 
Decroly
DecrolyDecroly
Decroly
 
Projeto de contação de histórias
Projeto de contação de históriasProjeto de contação de histórias
Projeto de contação de histórias
 

Mais de Liberty Ensino

Coordenacao pedagogica 8
Coordenacao pedagogica 8Coordenacao pedagogica 8
Coordenacao pedagogica 8Liberty Ensino
 
Coordenacao pedagogica 4
Coordenacao pedagogica 4Coordenacao pedagogica 4
Coordenacao pedagogica 4Liberty Ensino
 
Coordenacao pedagogica 7
Coordenacao pedagogica 7Coordenacao pedagogica 7
Coordenacao pedagogica 7Liberty Ensino
 
Coordenacao pedagogica 6
Coordenacao pedagogica 6Coordenacao pedagogica 6
Coordenacao pedagogica 6Liberty Ensino
 
Coordenacao pedagogica 5
Coordenacao pedagogica 5Coordenacao pedagogica 5
Coordenacao pedagogica 5Liberty Ensino
 
Coordenacao pedagogica 3
Coordenacao pedagogica 3Coordenacao pedagogica 3
Coordenacao pedagogica 3Liberty Ensino
 
Coordenacao pedagogica 2
Coordenacao pedagogica 2Coordenacao pedagogica 2
Coordenacao pedagogica 2Liberty Ensino
 
Coordenacao pedagogica 1
Coordenacao pedagogica 1Coordenacao pedagogica 1
Coordenacao pedagogica 1Liberty Ensino
 
Gestao de educacao_infantil_3
Gestao de educacao_infantil_3Gestao de educacao_infantil_3
Gestao de educacao_infantil_3Liberty Ensino
 
Gestao de educacao_infantil_7
Gestao de educacao_infantil_7Gestao de educacao_infantil_7
Gestao de educacao_infantil_7Liberty Ensino
 
Gestao de educacao_infantil_10
Gestao de educacao_infantil_10Gestao de educacao_infantil_10
Gestao de educacao_infantil_10Liberty Ensino
 
Gestao de educacao_infantil_5
Gestao de educacao_infantil_5Gestao de educacao_infantil_5
Gestao de educacao_infantil_5Liberty Ensino
 
Gestao de educacao_infantil_2
Gestao de educacao_infantil_2Gestao de educacao_infantil_2
Gestao de educacao_infantil_2Liberty Ensino
 
Gestao de educacao_infantil_11
Gestao de educacao_infantil_11Gestao de educacao_infantil_11
Gestao de educacao_infantil_11Liberty Ensino
 
Gestao de educacao_infantil_9
Gestao de educacao_infantil_9Gestao de educacao_infantil_9
Gestao de educacao_infantil_9Liberty Ensino
 
Gestao de educacao_infantil_12
Gestao de educacao_infantil_12Gestao de educacao_infantil_12
Gestao de educacao_infantil_12Liberty Ensino
 
Gestao de educacao_infantil_8
Gestao de educacao_infantil_8Gestao de educacao_infantil_8
Gestao de educacao_infantil_8Liberty Ensino
 
Gestao de educacao_infantil_6
Gestao de educacao_infantil_6Gestao de educacao_infantil_6
Gestao de educacao_infantil_6Liberty Ensino
 

Mais de Liberty Ensino (20)

Coordenacao pedagogica 8
Coordenacao pedagogica 8Coordenacao pedagogica 8
Coordenacao pedagogica 8
 
Coordenacao pedagogica 4
Coordenacao pedagogica 4Coordenacao pedagogica 4
Coordenacao pedagogica 4
 
Coordenacao pedagogica 7
Coordenacao pedagogica 7Coordenacao pedagogica 7
Coordenacao pedagogica 7
 
Coordenacao pedagogica 6
Coordenacao pedagogica 6Coordenacao pedagogica 6
Coordenacao pedagogica 6
 
Coordenacao pedagogica 5
Coordenacao pedagogica 5Coordenacao pedagogica 5
Coordenacao pedagogica 5
 
Coordenacao pedagogica 3
Coordenacao pedagogica 3Coordenacao pedagogica 3
Coordenacao pedagogica 3
 
Coordenacao pedagogica 2
Coordenacao pedagogica 2Coordenacao pedagogica 2
Coordenacao pedagogica 2
 
Coordenacao pedagogica 1
Coordenacao pedagogica 1Coordenacao pedagogica 1
Coordenacao pedagogica 1
 
Gestao de educacao_infantil_3
Gestao de educacao_infantil_3Gestao de educacao_infantil_3
Gestao de educacao_infantil_3
 
Gestao de educacao_infantil_7
Gestao de educacao_infantil_7Gestao de educacao_infantil_7
Gestao de educacao_infantil_7
 
Gestao de educacao_infantil_10
Gestao de educacao_infantil_10Gestao de educacao_infantil_10
Gestao de educacao_infantil_10
 
Gestao de educacao_infantil_5
Gestao de educacao_infantil_5Gestao de educacao_infantil_5
Gestao de educacao_infantil_5
 
Gestao de educacao_infantil_2
Gestao de educacao_infantil_2Gestao de educacao_infantil_2
Gestao de educacao_infantil_2
 
Gestao de educacao_infantil_11
Gestao de educacao_infantil_11Gestao de educacao_infantil_11
Gestao de educacao_infantil_11
 
Gestao de educacao_infantil_9
Gestao de educacao_infantil_9Gestao de educacao_infantil_9
Gestao de educacao_infantil_9
 
Gestao de educacao_infantil_12
Gestao de educacao_infantil_12Gestao de educacao_infantil_12
Gestao de educacao_infantil_12
 
Gestao de educacao_infantil_8
Gestao de educacao_infantil_8Gestao de educacao_infantil_8
Gestao de educacao_infantil_8
 
Gestao de educacao_infantil_6
Gestao de educacao_infantil_6Gestao de educacao_infantil_6
Gestao de educacao_infantil_6
 
Cuidador de idoso_38
Cuidador de idoso_38Cuidador de idoso_38
Cuidador de idoso_38
 
Cuidador de idoso_39
Cuidador de idoso_39Cuidador de idoso_39
Cuidador de idoso_39
 

Último

COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...
COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...
COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...AaAssessoriadll
 
Treinamento para Curso de CIPA 2024.pdf .pdf
Treinamento para Curso de CIPA 2024.pdf .pdfTreinamento para Curso de CIPA 2024.pdf .pdf
Treinamento para Curso de CIPA 2024.pdf .pdfJeffersonMacedo22
 
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdfEdital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdfPortal NE10
 
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...sdl192405
 
Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...
Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...
Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...jeffrj2001
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024dlp391622
 
Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...
Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...
Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...AaAssessoriadll
 
Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...
Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...
Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...Unicesumar
 
A atividade tem como tema a “IMPLANTAÇÃO DA ETAPA DE PLANEJAMENTO DE UM SISTE...
A atividade tem como tema a “IMPLANTAÇÃO DA ETAPA DE PLANEJAMENTO DE UM SISTE...A atividade tem como tema a “IMPLANTAÇÃO DA ETAPA DE PLANEJAMENTO DE UM SISTE...
A atividade tem como tema a “IMPLANTAÇÃO DA ETAPA DE PLANEJAMENTO DE UM SISTE...AaAssessoriadll
 
O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...
O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...
O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...mariaclarinhaa2723
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...Unicesumar
 
Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...
Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...
Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...AaAssessoriadll
 
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024assedlsam
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024taynaradl79
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024dlp391622
 
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024Unicesumar
 
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...leitev350
 
Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...
Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...
Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...AaAssessoriadll
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024taynaradl79
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 

Último (20)

COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...
COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...
COMPLIANCE NO SETOR PÚBLICO: BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE A Administração Públ...
 
Treinamento para Curso de CIPA 2024.pdf .pdf
Treinamento para Curso de CIPA 2024.pdf .pdfTreinamento para Curso de CIPA 2024.pdf .pdf
Treinamento para Curso de CIPA 2024.pdf .pdf
 
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdfEdital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
Edital Caixa 2024 - nível superior - DOU.pdf
 
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
 
Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...
Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...
Desvendando os Segredos do Empreendedorismo e Liderança_ Um Guia Prático para...
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...
Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...
Um empreendedor está considerando a compra de duas propriedades no interior d...
 
Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...
Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...
Vamos explorar como os princípios burocráticos podem ser aplicados e percebid...
 
A atividade tem como tema a “IMPLANTAÇÃO DA ETAPA DE PLANEJAMENTO DE UM SISTE...
A atividade tem como tema a “IMPLANTAÇÃO DA ETAPA DE PLANEJAMENTO DE UM SISTE...A atividade tem como tema a “IMPLANTAÇÃO DA ETAPA DE PLANEJAMENTO DE UM SISTE...
A atividade tem como tema a “IMPLANTAÇÃO DA ETAPA DE PLANEJAMENTO DE UM SISTE...
 
O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...
O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...
O músculo estriado esquelético é responsável pela movimentação do corpo human...
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
 
Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...
Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...
Como base teórica para a realização desta atividade, além dos conteúdos estud...
 
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024
 
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
 
Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...
Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...
Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 

Gestao de educacao_infantil_4

  • 1. OS PENSADORES QUE INFLUENCIARAM NA CONCEPÇÃO DA EDUCAÇÃO INFANTIL Liberty Ensino
  • 2. LIBERTY ENSINO Pensadores como Comênio, Rousseau,Pestalozzi,Decroly,Froebel e Montessori (1), entre outros, estabeleceram as bases para um sistema de ensino mais centrado na criança. Muitos deles achavam-se compromissados com questões sociais relativas a crianças que vivenciavam situações sociais críticas (órfãos de guerra, pobreza) e cuidaram de elaborar propostas de atividades em instituições escolares que compensassem eventuais problemas de desenvolvimento.Embora com ênfases diferentes entre si, as propostas de ensino desses autores reconheciam que as crianças tinham necessidades próprias e características diversas das dos adultos, como o interesse pela exploração de objetos e pelo jogo. Para Oliveira (2005) “ Ao longo de muitos séculos, o cuidado e a educação das crianças pequenas foram entendidos como tarefas de responsabilidade familiar, particularmente da mãe e de outras mulheres.O recorte em favor da família como a matriz educativa preferencial aparece também nas denominações das instituições de guarda e educação da primeira infância.O termo francês creche equivale à manjedoura,presépio.O termo italiano asilo indica um ninho que abriga. Escola materna foi outra designação usada para referir-se ao atendimento de guarda e educação fora da família a crianças pequenas.Até a criação de rodas – cilindros ocos de madeira,giratórios,construídos em muros de igrejas ou hospitais de caridade que permitiam que bebês fossem neles deixados sem que a identidade de quem os trazia precisasse ser identificada para recolhimento dos expostos ou a deposição de crianças abandonadas em lares substitutos,já na Idade Média e Moderna”. Nos séculos XV e XVI, novos modelos educacionais foram criados para responder aos desafios estabelecidos pela maneira como a sociedade européia então se desenvolvia.Autores como Erasmo (1465-1530) e Montaigne (1483-1553) sustentavam que a educação deveria respeitar a natureza infantil,estimular a atividade da criança e associar o jogo à aprendizagem.
  • 3. •Gradativamente, surgiram arranjos mais formais para atendimento de crianças fora da família em instituições de caráter filantrópico, especialmente delineadas para esse objetivo e que organizavam as condições para o desenvolvimento infantil segundo a forma como o destino social da criança atendida era pensado. •Educar crianças menores de 6 anos de diferentes condições sociais já era uma questão tratada por COMÊNIO (1592-1670), educador e bispo protestante checo. Em seu livro “A escola da infância”, publicado em 1628, afirmava que o nível inicial de ensino era o “colo da mãe” e deveria ocorrer dentro dos lares. Em 1637 elaborou um plano de escola maternal em que recomendava o uso de materiais audiovisuais, como livros de imagens,para educar crianças pequenas. •Já em 1657 Comênio usou a imagem de “jardim-de-infância (onde “arvorezinhas plantadas”, seriam regadas) como o lugar da educação das crianças pequenas. •Em oposição ao ideário da Reforma e da Contra – reforma religiosa então em curso na Europa, o filósofo genebrino Jean Jacques ROUSSEAU (1712-1778) criou uma proposta educacional em que combatia preconceitos, autoritarismos e todas as instituições sociais que violentassem a liberdade característica da natureza. Ele destacava o papel da mãe como educadora natural da criança. •ROUSSEAU revolucionou a educação de seu tempo ao afirmar que a infância não era apenas uma via de acesso, um período de preparação para a vida adulta, mas tinha valor em si mesma; propunha que a educação seguisse a liberdade e o ritmo da natureza, contrariando os dogmas religiosos da época, que preconizavam o controle dos infantes pelos adultos. • .
  • 4. LIBERTY ENSINO Defendia uma educação não orientada pelos adultos, mas que fosse resultado do livre exercício das capacidades infantis e enfatizasse não o que a criança tem permissão para saber, mas o que é capaz de saber. As idéias de Rousseau abriram caminho para as concepções educacionais do suíço PESTALOZZI (1746-1827), que também reagiu contra o intelectualismo excessivo da educação tradicional. Educar deveria ocorrer em um ambiente o mais natural possível, num clima de disciplina estrita, mas amorosa, e pôr em ação o que a criança já possui dentro de si, contribuindo para o desenvolvimento do caráter infantil. Pestalozzi destacou ainda o valor educativo do trabalho manual e a importância de a criança desenvolver destreza prática.
  • 5. Também se preocupou com a idéia de que a educação deveria ser metodicamente ordenada para os sentidos: a percepção da criança seria educada pela intuição e o ensino deveria priorizar coisas, não palavras. Sua pedagogia enfatizava ainda a necessidade de a escola treinar a vontade e desenvolver as atitudes morais dos alunos. As idéias de Pestalozzi foram levadas adiante por FROEBEL (1782-1852), educador alemão. Influenciado por uma perspectiva mística, uma filosofia espiritualista e um ideal político de liberdade, criou em 1837 um Kindergarten (jardim-de-infância) onde crianças e adolescentes – pequenas sementes que, adubadas e expostas a condições favoráveis em seu meio ambiente, desabrochariam sua divindade interior em um clima de amor, simpatia e encorajamento – estariam livres para aprender sobre si mesmo e sobre o mundo. O modo básico de funcionamento de sua proposta educacional incluía atividades de cooperação e o jogo, entendidos como a origem da atividade mental. Elaborou canções e jogos para educar sensações e emoções, enfatizou o valor educativo da atividade manual, confeccionou brinquedos para a aprendizagem da aritmética e da geometria, além de propor que as atividades educativas incluíssem conversas e poesias e o cultivo da horta pelas crianças. Os recursos pedagógicos, básicos neste modelo, eram divididos em dois grupos: as prendas ou dons e as ocupações. As prendas eram materiais que não mudavam de forma – cubos, cilindros, bastões e que, usados em brincadeiras, possibilitariam à criança fazer construções variadas e formar um sentido da realidade e um respeito à natureza. Já as ocupações consistiam em materiais que se modificavam com o uso – tais como argila, areia e papel usados em atividades de modelagem, recorte, dobradura,alinhavo em cartões com diferentes figuras desenhadas,etc. Canções completariam essa lista de materiais e atividades. As prendas e as ocupações se articulariam pela mediação da educadora na formação da livre expressão infantil, ou seja, daquilo que Froebel, dentro de seu quadro ideológico, chamou de “atividade materna”.
  • 6. A ênfase posta por ele na liberdade da criança, espelhando movimentos liberais em curso na Europa, passou a ser vista como ameaçadora ao poder político alemão, o que levou o autoritarismo governamental da época a fechar os jardins-de-infância do país por volta de 1851. As sementes da renovação educacional pensada por Froebel, proibida na Alemanha, encontraram solo fértil em outros países. A sistematização de atividades para crianças pequenas com o uso de materiais especialmente confeccionados foi realizada por dois médicos interessados pela educação. DECROLY (1871-1932), médico belga, trabalhando com crianças excepcionais, elaborou, em 1901, uma metodologia de ensino que propunha atividades didáticas baseadas na idéia de totalidade do funcionamento psicológico e no interesse da criança, adequadas ao sincretismo que ele julgava ser próprio do pensamento infantil. Decroly defendia um ensino voltado para o intelecto. Nos centros de interesse, o trabalho se estruturaria segundo três eixos: observação, associação e expressão. Decroly é conhecido ainda por defender rigorosa observação dos alunos a fim de poder classificá-los e distribuí-los em turmas homogêneas.O nome da médica psiquiatra italiana Maria MONTESSORI (1879-1952) inclui-se também nas lista dos principais construtores de propostas sistematizadas para a educação infantil no século XX. Em 1907, foi convidada a organizar uma sala para educação de crianças sem deficiências dentro de uma habitação coletiva destinada a famílias dos setores populares, experiência que denominou“Casa das Crianças”. Ao contrário de Rousseau, que defendia a auto-educação, Montessori não aceitava a natureza como ambiente apropriado para o desenvolvimento infantil. Antes, era a favor da criação de um contexto que fosse adequado às possibilidades de cada criança e estimulasse seu desenvolvimento. Montessori teve como marca distintiva a elaboração de materiais adequados a exploração sensorial pelas crianças e específicos ao alcance de cada objetivo educacional.Seu material didático buscava fazer um detalhamento rigoroso do conteúdo a ser trabalhado com as crianças e previa exercícios destinados a desenvolver, passo a passo, as diversas funções psicológicas.
  • 7. LIBERTY ENSINO Sua proposta desviava a atenção do comportamento de brincar para o material estruturador da atividade própria da criança: o brinquedo. Montessori criou instrumentos especialmente elaborados para a educação motora (ligados, sobretudo à tarefa de cuidado pessoal) e para a educação dos sentidos e da inteligência – por exemplo, letras móveis, letras recortadas em cartões-lixa para aprendizagem de leitura, contadores, como o ábaco, para aprendizado de operações com números. Foi ainda quem valorizou a diminuição do tamanho do mobiliário usado pelas crianças nas pré-escolas e a exigência de diminuir os objetos domésticos cotidianos a serem utilizados para brincar na casinha de boneca. No campo da Psicologia, uma série de autores oferecia novas formas de compreender e promover o desenvolvimentodas crianças pequenas. Vygotsky, na década de 20 e 30, atestava que a criança é introduzida na cultura por parceiros mais experientes. Ainda na primeira metade do século XX, Wallon destacava o valor da afetividade na diferenciação que cada criança aprende a fazer entre si mesma e os outros. Os psicanalistas reconheciam que o comportamento infantil deveria ser interpretado, e não meramente aceito em seus aspectos observáveis. Finalmente, há que mencionar as pesquisas de Piaget e colaboradores que revolucionaram a idéia dominante sobre a criança. Novos protagonistas destacaram-se ainda na primeira metade do século XX. Celestin FREINET (1896-1966) foi um dos educadores que renovaram as práticas pedagógicas de seu tempo. Para ele, a educação que a escola dava às crianças deveria extrapolar os limites da sala de aula e integrar-se às experiências por elas vividas em seu meio social. A seu ver, as atividades manuais e intelectuais permitem a formação de uma disciplina pessoal e a criação do trabalho-jogo, que associa atividade e prazer e é por ele encarado como eixo de uma escola popular. A pedagogia de Freinet organiza-se ao redor de uma série de técnicas ou atividades, entre elas as aulas-passeio, o desenho livre, o texto livre, o jornal escolar, a correspondência inter-escolar, o livro da vida. Apesar de ele não ter trabalhado diretamente com crianças pequenas, sua experiência teve lento,mas marcante impacto sobre as práticas didáticas em creches e pré-escolas em vários países.
  • 8. A defesa da brincadeira como recurso para o desenvolvimento infantil levou pais de classe média a buscar a organização de play groups, algumas horas por semana, para atendimento de seus filhos pequenos, embora ainda dentro da perspectiva tradicional no que se refere ao papel privilegiado da família na educação dos filhos.A atual etapa reconhece o direito de toda a infância. Trata-se como “sujeito social” ou “ator pedagógico” desde cedo, agente construtor de conhecimentos e sujeito de autodeterminação, ser ativo na busca do conhecimento, da fantasia e da criatividade, que possui grande capacidade cognitiva e de sociabilidade e escolhe com independência seus itinerários de desenvolvimento. Para as crianças, cada vez mais são produzidos brinquedos educativos e literatura própria. A primeira infância constitui, assim, um campo mercadológico:brinquedos,roupas,discos, espetáculos, espaços públicos e até pedagogias. Alguns pontos, contudo, são comuns.O debate não está mais centrado em se deve haver investimento na área de educação infantil, mas em por que e para quem ela existe e como organizá-la para oferecer serviços de qualidade. O acolhimento a crianças pequenas em instituições como creches e pré-escolas varia de país para país. Em alguns países a pré-escola está ligada a escola primária, embora com modelos diferentes, ora centrados no desenvolvimento infantil, ora na preparação para atividades mais formalizadas. Pesquisas em diferentes países, particularmente na Europa ocidental e nos Estados Unidos, mas também no Japão, na Coréia, na Nova Zelândia, etc, revelam que o fato de a criança freqüentar uma instituição de educação infantil amplia suas condições de desenvolvimento cognitivo, físico, afetivo e de socialização, embora essa vantagem se torne menos visível com o decorrer do tempo. As crianças pequenas que se beneficiam de um serviço de qualidade tendem a desenvolver mais o raciocínio e a capacidade de solução de problemas, a ser mais cooperativas e atentas aos outros e a adquirir maior confiança em si. Segundo algumas pesquisas realizadas, cresce a consciência, no mundo inteiro, sobre a importância da educação das crianças de 0 a 6 anos, em estabelecimentos específicos com orientações e práticas pedagógicas apropriadas, como decorrência das transformações socioeconômicas verificadas nas últimas décadas, e também apoiada em fortes argumentos consistentes advindos das ciências que investigam o processo de desenvolvimento da criança. Na última década, várias foram as mudanças ocorridas na legislação brasileira que define a garantia de atenção às crianças de 0 a 6 anos, configurando-se mesmo,num novo ordenamento legal,iniciado pela Constituição Federal de 1988 e consolidando,por assim dizer, com a promulgação da nova LDB 9394/96. Ao menos no papel, esse novo ordenamento caracteriza-se por uma concepção de atenção à criança atribuindo-lhe a condição de cidadã, cujo direito à proteção integral deve ser assegurado pela família, pela sociedade e pelo poder público,com absoluta prioridade. Para Emília Ferreiro (2004),em relação a sua pesquisa que muito colaborou nas discussões realizadas no Brasil na década de 80,principalmente na contrução de novas idéias sobre o desenvolvimento e aprendizagem da criança; vale a pena citar a fala dela em uma das suas entrevistas: “A minha contribuição foi encontrar uma explicação segundo a qual,por trás da mão que pega o lápis, dos olhos que olham,dos ouvidos que escutam, há uma criança que pensa”. E é neste contexto que vislumbramos a necessidade de se trabalhar a educação infantil de forma mais abrangente, levando em consideração o contexto social, conhecendo e valorizando as diferenças individuais e os ritmos de aprendizagem de cada indivíduo na sua trajetória de formação epistemológica, dando a verdadeira atenção a educação infantil como primeira etapa da educação básica.