Síndrome asperger

103 visualizações

Publicada em

Guia

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
103
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Síndrome asperger

  1. 1. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALEXANDRE HERCULANO - SANTARÉM ESCOLA EB 2,3 ALEXANDRE HERCULANO Quinta do Mergulhão – Srª. da Guia – 2005-075 Santarém Telf: 243309420 | Fax: 243309426/7 | E-mail: secretaria@ae-alexandreherculano.pt GUIA PRÁTICO SÍNDROME DE ASPERGER Novembro de 2013
  2. 2. 2/7 CARATERÍSTICAS COMPORTAMENTAIS E DE APRENDIZAGEM DOS ALUNOS COM SÍNDROME DE ASPERGER (SA) «As características essenciais do Transtorno de Asperger são um prejuízo severo e persistente na interação social e o desenvolvimento de padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesses e atividades. A perturbação deve causar prejuízo clinicamente significativo nas áreas social, ocupacional ou outras áreas importantes de funcionamento. Contrastando com o Transtorno Autista, não existem atrasos clinicamente significativos na linguagem (isto é, palavras isoladas são usadas aos 2 anos, frases comunicativas são usadas aos 3 anos). Além disso, não existem atrasos clinicamente significativos no desenvolvimento cognitivo ou no desenvolvimento de habilidades de auto-ajuda apropriadas à idade, comportamento adaptativo (outro que não na interação social) e curiosidade acerca do ambiente na infância». FONTE: Manual Diagnóstico e Estatístico de Perturbações Mentais 1 - Os indivíduos com SA podem desejar relacionar-se com os outros, mas não sabem como, pelo que podem abordar os outros de maneira peculiar (Klin & Volkmar, 1997). Falta-lhes frequentemente a compreensão das regras sociais pelo que podem ser socialmente inábeis, ter dificuldades em empatizar, e interpretar mal situações de interação social diária. Os indivíduos com SA não aprendem empiricamente as regras de interação social; essas competências têm de lhes ser ensinadas explicitamente. 2 - Embora as crianças com SA falem geralmente de forma fluente pelos cincos anos de idade, revelam alguns problemas com a pragmática (o uso da língua em contextos sociais), a semântica (podendo não reconhecer significados múltiplos de uma palavra) e a prosódia (o tom, a intensidade e o ritmo do discurso) (Atwood, 1998). Os alunos com SA podem:  adotar posturas impróprias como assumir uma posição demasiada próxima do interlocutor;  olhar fixamente para um determinado alvo;  não compreender os gestos e as expressões faciais;  ter um vocabulário sofisticado e falar incessantemente, sobre o seu tema favorito. O tópico pode ser muito restrito e o indivíduo SA ter dificuldades em mudar para um outro assunto de conversa;  ser excessivamente retraídos e calados;  ter dificuldades com as regras de conversação. Podem interromper ou atropelar o discurso do outro, podem fazer comentários irrelevantes e têm muita dificuldade em iniciar e terminar as conversas;  ter um discurso caraterizado por uma falta de variação no tom, na intensidade e no ritmo, e à medida que o indivíduo vai atingindo a adolescência, o discurso pode tornar-se excessivamente formal. 3 – Os indivíduos com SA são de inteligência média ou acima da média. Muitos são relativamente, proficientes no conhecimento dos factos, e podem ter a informação factual extensiva sobre um assunto em que estão absorvidos. Entretanto, demonstram fraquezas na compreensão e no pensamento abstracto, assim como na
  3. 3. 3/7 cognição social. Os estudantes revelam dificuldades académicas, particularmente na compreensão da leitura, resolução de problemas, capacidades organizacionais, desenvolvimento de conceitos, deduções e julgamentos. Têm frequentemente dificuldade em adaptar-se à mudança ou à falha pessoal e não aprendem de boa vontade a partir dos seus erros (Attwood, 1998). 4 – Estima-se que 50% a 90% das pessoas com SA têm problemas com a coordenação motora (Attwood, 1998). As áreas afetadas podem incidir na locomoção, nas atividades com bola, no equilíbrio, na destreza manual, na escrita, nos movimentos rápidos, no ritmo e na imitação de movimentos. 5 – Indivíduos com SA partilham características comuns com o autismo em termos das respostas aos estímulos sensoriais. Podem ser hipersensíveis a alguns estímulos e podem adotar comportamentos pouco usuais para obter um estímulo sensitivo específico. 6 – Os indivíduos com SA estão frequentemente desatentos e distraem-se facilmente. 7 – A ansiedade/depressão é também uma caraterística associada ao SA. Pode ser muito difícil e penoso para o aluno compreender e adaptar-se às solicitações sociais da escola. ESTRATÉGIAS PARA OS PROFESSORES O que se segue identifica a dificuldade específica de aprendizagem e sugere um número de estratégias que podem ser implementadas em contexto sala de aula. Estas estratégias também podem ser aplicadas aos alunos com autismo. Dificuldades de Aprendizagem Estratégias de Sala de Aula Dificuldades com linguagem  tendência fazer comentários irrelevantes;  tendência para falar em sobreposição ao discurso de outro;  dificuldade em compreender linguagem complexa, seguir direções e compreender a intenção das expressões/palavras com significados múltiplos;  tendência a interromper.  Conversações em tira de BD podem ser utilizadas para exemplificar os problemas relacionados com competências de conversação;  Ensine comentários apropriados no início das conversas e a procurar auxílio quando confuso;  Forneça instruções como conversar em pequeno grupo;  Incuta regras de conversação: quando responder, interromper ou mudar de tópico;  Use conversações gravadas em áudio e vídeo;  Explique metáforas e palavras com significado duplo;  Incentive o aluno a pedir que repita uma instrução, simplificada ou escrita se não compreender;  Faça pausa entre instruções e verifique que o aluno compreendeu;  Limite as perguntas orais a um número que o discente possa controlar;
  4. 4. 4/7 Insistência na rotina Interação social  dificuldade em compreender as regras da interação social;  Pode ser ingénuo;  Interpreta literalmente o que é dito;  Dificuldade em ler as emoções dos outros;  Falta de tacto;  Problemas com a distância social;  Dificuldade em compreender as regras sociais que «não estão escritas» e, quando as aprendem, podem aplicá-las de forma demasiado rígida. Escala restrita de interesses  Mostre vídeos para identificar expressões não-verbais e os seus significados.  Sempre que possível prepare o aluno para qualquer mudança;  Use desenhos e histórias sociais para ajudar às mudanças.  Apresente expectativas claras e regras para o comportamento;  Ensine explicitamente regras de conduta social;  Interaja com o aluno utilizando histórias sociais - role playing;  Consciencialize a turma e/ou pares para as limitações do aluno com SA na interação social;  Indique outros jovens/alunos como sugestão/modelo para lhe indicar o que deve fazer;  Incentive jogos de equipa;  Pode necessitar de apoiar o aluno quando este falha;  Use o sistema do «camaradagem» para ajudar o discente nas atividades não-estruturadas;  Ensine ao aluno como começar, manter e terminar um jogo;  Promova a flexibilidade, a cooperação e a partilha;  Ensina aos alunos como monitorizar o seu próprio comportamento;  Pode sugerir técnicas de relaxamento e ter um lugar sossegado para o aluno relaxar.  Limite discussões e perguntas obsessivas;  Trace expectativas firmes para a sala de aula, mas forneça também oportunidades para o aluno prosseguir os seus próprios interesses;  Inclua e expanda os interesses do aluno nas atividades de sala de aula.
  5. 5. 5/7 Concentração  Distraído;  Pode ser desorganizado;  Dificuldade em manter a atenção;  Não executa as tarefas propostas. Fracas habilidades organizacionais Fraca coordenação motora Competências académicas Pontos Fortes  Inteligência média e frequentemente acima da média;  Boa evocação da informação factual;  São frequentemente fortes no reconhecimento de palavras podem aprender a ler muito cedo, mas com dificuldade na compreensão;  Excelente memória visual.  Reduzir tarefas;  Estipular sessões de trabalho com o tempo marcado;  Reduzir o trabalho de casa;  Sentar o aluno numa das carteiras da frente;  Investir no feedback da aula;  Use deixas não-verbais para chamar e centrar a atenção.  Utilize planificações e calendários;  Construa listas de tarefas;  Ajude o aluno a utilizar uma checklist.  Envolva-o em atividades de manutenção física;  Forneça tempo extra para os testes;  Pode preferir atividades de aptidão aos desportos de competição;  Tenha em consideração uma velocidade mais lenta da escrita ao atribuir-lhe tarefas (a extensão tem frequentemente de ser reduzida);  Considere o uso do computador para tarefas escritas, pois alguns alunos podem ser mais hábeis em usar um teclado do que a escrita manual.  Não parta do princípio que o aluno compreendeu porque este pode simplesmente repetir a informação;  Seja tão concreto quanto possível ao apresentar conceitos novos e abstractos;  Use as aprendizagens baseadas na prática, sempre que possível;  Use estímulos visuais como mapas semânticos;  Divida as tarefas em etapas simples ou apresente formas alternativas;  Forneça instruções diretas acompanhadas de exemplos;  Ensine técnicas para ajudar o aluno a tirar notas e organizar e categorizar a informação;
  6. 6. 6/7 Pontos Fracos  As áreas de dificuldade incluem na resolução e compreensão de problemas, e dificuldades com conceitos abstractos;  Podem ter um bom desempenho no cálculo matemático, mas têm dificuldades em resolver problemas. Vulnerabilidade emocional  Pode ter dificuldade em lidar com as emoções;  Elevada ansiedade devido à sua inflexibilidade;  Baixa autoestima;  Dificuldade em tolerar os próprios erros;  Pode ser propenso à depressão;  Pode ter reações bastantes temperamentais. Hipersensibilidade sensorial  A maioria da hipersensibilidade envolve a audição e o tacto, mas podem incluir também a intensidade da luz, as cores e os aromas;  Os tipos de ruídos que podem ser percebidos como extremamente intensos são: - ruídos repentinos, inesperados tais como um telefone que soa, alarme de incêndio, etc. - ruído contínuo de alta frequência; sons confusos, complexos ou múltiplos como em centros comerciais.  Evite a sobrecarga verbal;  Capitalize os pontos fortes, por exemplo, a memória;  Não suponha que compreenderam o que leram – verifique para ver se há a compreensão, reforce instruções e use apoios visuais.  Elogie sempre que faça algo bem;  Ensine o aluno a pedir ajuda;  Forneça técnicas para lidar com situações difíceis e para lidar com o stress;  Ensaie as situações;  Crie experiências em que o aluno possa fazer escolhas;  Ajude o aluno a compreender os comportamentos e as reações dos outros;  Promova atividades em grupo.  Esteja consciente que níveis normais de percepção visual e auditiva podem ser apreendidos pelo aluno como demasiado baixos ou altos;  Mantenha o nível de estimulação dentro das limitações do aluno;  Pode ser necessário evitar sons;  A adição de música pode camuflar sons desagradáveis;  Minimize ao máximo o ruído de fundo;  Em casos extremos, permita o uso de auscultadores;  Ensine e exemplifique estratégias de relaxamento e jogos para reduzir a ansiedade.
  7. 7. 7/7 __________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ A Professora de Educação Especial Sandra Rafael eapoio.alunos.nee@gmail.com

×