O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Dislexia

Dislexia

  • Seja o primeiro a comentar

Dislexia

  1. 1. ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE TORRES NOVASCENTRO DE ESTUDOS E FORMAÇÃO AVANÇADA DETORRES VEDRASCurso de Pós-Graduação e Formação Especializada emEducação Especial: domínio cognitivo e motorMódulo: Avaliação, Programação e Técnicas de IntervençãoDocente: Mestre Fátima PaivaDiscentes:Ana Teresa VieiraMaria do Rosário CaldeiraMaria Justina Gonçalves Novembro 2008
  2. 2. -Incapacidade específica de aprendizagem…-de origem neurobiológica- Caracteriza-se por dificuldades na correcção e/ou fluência na leitura depalavras e por baixa competência leitora e ortográfica- Défice fonológico, inesperado, em relação às outras capacidadescognitivas e às condições educativas- Podem surgir dificuldades de compreensão da leitura, experiência de leiturareduzidaComprometimento do desenvolvimento do vocabulário e dos conhecimentosgerais Associação Internacional de Dislexia, 2003
  3. 3. A Dislexia não é uma doença. Não se pode falar em cura.A Dislexia é uma dificuldade. Conhecer para contornar Prognóstico variável
  4. 4. Teoria do Défice FonológicoTeoria do Défice FonológicoAs dificuldades inerentes à dislexia decorrem de umaperturbação do sistema neurológico ao nível doprocessamento fonológico. Dificuldade na discriminação e processamento dos sons das palavras; Dificuldade em tomar consciência de que as palavras são constituídas por sílabas, as sílabas por fonemas e os fonemas por letras. Ex: Gato Ga - to g /a / t /o G-a-t-o
  5. 5. Teoria do Défice de Automatização Défice generalizado na capacidade de automatização Os disléxicos manifestam evidentes dificuldades em automatizar a descodificação das palavras, em realizar uma leitura fluente, correcta e compreensiva Teoria Magnocelular Défice específico na transferência das informações sensoriais dos olhos para as áreas primárias do córtex As pessoas com dislexia apresentam baixa sensibilidade face a estímulos com pouco contraste, com baixas frequências espaciais ou altas-frequências temporais
  6. 6. ”Disfonética” ou auditiva, caracterizada por dificuldades de integração letra-som, onde a soletração não se assemelha à palavra lida, substituição semânticafrequente, com alteração de uma palavra por outra de sentido semelhante.Diseidética” ou visual, manifestando dificuldades na percepção de palavrascompletas, com substituição de uma palavra ou fonema por outro de sonoridadeidêntica.”Aléxica” ou visuoauditiva, a dificuldade dos sujeitos verifica-se na análisefonética das palavras e na percepção de letras e palavras completas. Torres & Férnandez (2001)
  7. 7. DisgrafiaDisortografiaDiscalculiaPerturbação de Hiperactividade e Défice de AtençãoPerturbação da Coordenação MotoraPerturbação de Natureza Afectiva Desmotivação Alteração de Humor Baixa Auto-estima Receio de se expor/ Ansiedade Desvalorização Pessoal social Insegurança Irritabilidade
  8. 8. Muitas destas perturbações surgem como consequência da própria Dislexia Abandono escolarCursos Técnico-Profissionais Problemas no emprego Intervenção da Escola /Professor Acompanhamento dos Pais
  9. 9. Jardim de InfânciaNa 1.ª Infância ☺Dificuldade na memorização de cançõesHistória familiar e lengalengasAtraso no desenvolvimento ☺Dificuldade na memorização de conceitoda linguagem – lalações, ( noções de cor, espaço,tempo,primeiras palavras, linguagem lateralidade…)imatura ☺Perturbações articulatórias ao nível fonológico ( Comboio- boio, copo-poco…) com carácter persistente ☺ Dificuldade na evocação de palavras ☺ Estrutura frásica pouco desenvolvida ☺Dificuldade em compreender a segmentação silábica ☺ Problemas de coordenação motora ☺ Atraso no desenvolvimento da percepção visual ☺ Fraco desenvolvimento da atenção
  10. 10. Idade EscolarDificuldade na articulação de palavras longas ou de usoDificuldade na evocação de palavras, hesitações, repetiçõesDificuldade em memorizar sequências(dias da semana, meses,datas, números de telefone,as letras do alfabeto)Necessidade de mais tempo para organizar as respostas oraisDificuldade na aquisição e automatização dos mecanismos de leitura e escritaDificuldade de leitura com trocas frequentes de sílabas/palavrasDificuldade na associação grafema-fonemaDificuldade na segmentação silábica e fonémicaFalta de interesse pela leitura
  11. 11. A partir do 2.º Ano Problemas da linguagem faladaIncorrecta articulação de palavras longas, desconhecidas ou complicadas Distorção de palavras - deixando de fora partes de palavras ou confundindo a sequência doselementos que compõem as palavras (ex: alumínio torna-se amulínio)Expressão verbal não fluente – pausas ou hesitações frequentes, imensos hum quando fala,não há lugar a enunciados fluidos e sem tensãoUso de vocabulário impreciso, tal como referências vaga a coisas, em vez de usar o nome doobjectoIncapacidade para encontrar a palavra certa, confundindo também palavras cuja fonia éidêntica (ex: humanidade em vez de humidade)Necessidade de tempo para elaborar uma resposta oral ou incapacidade de dar uma respostaoral rápida, quando interpeladoDificuldade em recordar partes isoladas de informação escrita (decorar) - dificuldade emrecordar datas, nomes, números de telefone
  12. 12. A partir do 2.º Ano Problemas de leitura► Velocidade de leitura inadequada à sua faixa etária► Dificuldade em ler palavras desconhecidas que têm de ser silabadas; fazertentativas não fundamentadas para adivinhar, quando está a ler uma palavra; falhaem soletrar sistematicamente as palavras► Melhor capacidade para ler palavras em contexto do que palavras isoladas► Incapacidade de ler pequenas palavras “funcionais”, tal como isso, um, em► Emperrar ao ler palavras multissilábicas ou não conseguir aproximar-se dasoletração da palavra► Leitura em voz alta com substituições, omissões e incorrecta articulação depalavras► Leitura em voz alta pouco fluente, muito lenta, com hesitações► Perda frequente da linha durante a leitura► Na leitura silenciosa faz leitura dos lábios
  13. 13. A partir do 2.º AnoProblemas de escritaProblemas de escritaEscrita incorrecta: com trocas, omissões, dificuldade de correspondência grafema-fonema e aglutinaçõesDificuldade em copiar de livros ou do quadroCaligrafia irregular por vezes ilegívelOutros sinais de alertaOutros sinais de alertaDificuldade na matemática : :leitura eeresolução de problemas, discalculia eedesenho Dificuldade na matemática leitura resolução de problemas, discalculia desenhogeométrico geométricoDificuldade na memória imediata Dificuldade na memória imediataDesorganização no tempo de realização dos trabalhos escolares Desorganização no tempo de realização dos trabalhos escolaresConfusão entre direita eeesquerda Confusão entre direita esquerdaDificuldade em manusear dicionários, mapas eelistas Dificuldade em manusear dicionários, mapas listasBom desempenho em provas orais contradizendo os resultados das provas escritas Bom desempenho em provas orais contradizendo os resultados das provas escritas
  14. 14. Jovem /AdultoPersistência das dificuldades de leitura e escritaPersistência de erros de soletração ou ler palavras longas de uso poucofrequenteDificuldade em reconhecer palavras que já leu anteriormenteEmbaraço e desconforto em situação de leitura em voz altaDificuldade ao nível da ortografia.Tendência para usar palavras mais fáceis e mais utilizadas para não errar.Caligrafia irregular, com palavras frequentemente rasuradas.Dificuldade na aprendizagem de uma língua.Memória imediata prejudicada (datas, nomes de lugares e pessoas ,recados…)
  15. 15. Estar atento aos sinais de alertaEstar atento aos sinais de alerta Avaliação de um Profissional Especializado Avaliação de um Profissional EspecializadoEvitar a mudança de paísEvitar a mudança de país Importância do Acompanhamento dos Pais Importância do Acompanhamento dos Pais Validar oorendimento escolar do filho Validar rendimento escolar do filho Ensinar: Trabalho eePreserverança Ensinar: Trabalho Preserverança Evitar a frustração /emoções negativas Evitar a frustração /emoções negativas Reforçar as áreas fortes da criança Reforçar as áreas fortes da criançaElogiar a criança com dislexiaElogiar a criança com dislexia
  16. 16. O Professor deve:Construir uma boa relação com o aluno e com o encarregado de educaçãoRevelar interesse, compreensão e atenção perante a problemática do alunoRespeitar o ritmo de trabalho do aluno Ser um elemento de encorajamento activo do aluno, reforçando as suas áreas fortes e capacidades Dar uma atenção individualizada nas actividades de leitura e escrita Esclarecer e sensibilizar os outros alunos para a dislexia Manter-se actualizado e informado acerca da problemática Reconhecer a importância de diagramas, esquemas durante as aulas Conceder aos alunos resumos e anotações sobre as aulas
  17. 17. Avaliação do Professor Intervenção da Turma ••IntervençãoPrecoce Intervenção PrecoceEncaminhamento paraavaliação especializada ••ReeducaçãoPsicopedagógica Reeducação Psicopedagógica ••EstimulaçãoMultissensorial Estimulação Multissensorial Diagnóstico Fala Visão Audição Tacto Cinestésico- motor Propostas de Intervenção
  18. 18. Áreas FundamentaisÁreas FundamentaisI- Consciência FonológicaII- Aprendizagem eReeducação LeitoraIII- Aprendizagem eReeducação da Escrita
  19. 19. I- Consciência Fonológica ESTRATÉGIAS• Perceber que existem várias palavras que começam com o mesmo som ou sílaba•Desenvolver a consciência silábica•Segmentação e fusão silábica•Adicionar e subtrair sílabas para formar novas palavras•Identificação de rimas•Análise e contagem de fonemas na palavra•Segmentação e fusão silábica•Correspondência grafema-fonema•Associar o fonema à letra
  20. 20. I- Consciência FonológicaExemplo - Liga as imagens que rimam:
  21. 21. II- Aprendizagem e Reeducação Leitora ESTRATÉGIAS•Aprendizagem do alfabeto (leitura de grafemas e automatização)•Reconhecimento e leitura de fonemas, sílabas, ditongos, dígrafos, sequênciasconsonânticas até à automatização•Leitura de listas de palavras leitura vertical e horizontal), pseudo palavras e depalavras difíceis para melhorar a sua pronúncia e descobrir o seu significado•Leitura de pequeno texto e de seguida desenhar o que leu•Leitura de partes de um texto e sua reconstrução•Leitura de frases desordenadas e sua organização oralmente•Aprendizagem de canções•Relacionar frases com imagens•Desenvolver as capacidades de diferenciação de letras com grafia semelhante
  22. 22. III- Aprendizagem e Reeducação da Escrita Ortografia Escrita Escrita Caligrafia Escrever uma palavra Escrever uma palavraArticulação correcta da gatopalavraAnálise Silábica /ga/to/Análise Fonémica /g/a/t/o/Associação Grafema-fonema Som-letra
  23. 23. III- Aprendizagem e Reeducação da Escrita ESTRATÉGIAS• Desenvolver a memória auditiva•Desenvolver a capacidade de discriminação auditiva de fonemasacusticamente próximos•Aprender as regras de conversão-fonema•Escrever um número variado de palavras com a mesma sílaba( sílaba-alvo)•Exercícios para automatização das regras da língua•Ordenar frases correctamente
  24. 24. III- Aprendizagem eeReeducação da Escrita III- Aprendizagem Reeducação da Escrita ESTRATÉGIAS• Descrever gravuras•Resumir histórias•Completar textos•Inventário do tipo de erros e corrigi-los em frases ou textos•Descodificar palavras ou frases através de um código dado•Enriquecer o conteúdo da escrita•Escrever famílias de palavras/ área vocabular•Palavras cruzadas/Sopa de letras/Acróstico•Escrita criativa com recurso ao computador
  25. 25.  Bautista, Rafael (1997). Necessidades Educativas Especiais, Dinalivro Castro, São Luís & Gomes, Inês (2000) Dificuldades de Aprendizagem da Língua Materna, Universidade Aberta Hennigh, Kathleen (2003) Compreender a Dislexia, Porto Editora Shaywitz, Sally, adapt. Isabel Maria Soares (2008) Vencer a Dislexia- Como dar resposta às perturbações da leitura em qualquer fase da vida, Porto Editora Silva, Filomena Teles Grilo Teixeira (2005) Lado a Lado - Experiências com a Dislexia, Texto Editores Snowling, Margaret & Stackhouse, Joy & colaboradores trad. Madga França Lopes (2007) Dislexia, Fala e Linguagem - um manual do profissional, Artmed Teles, P. Machado L. (2004), Dislexia – Da teoria à Prática, Distema Editora. Torres, Rosa Mª Rivas & Fernandez, Pilar, (2001) Dislexia, disortografia e disgrafia. McGrawHill

×