SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Baixar para ler offline
BULLYING
ASSÉDIO MORAL ENTRE ALUNOS


                   2002/2003
Conceituação:

  Bullying não é fácil de
  definir.
  Algumas vezes envolve bater,
  empurrar ou chutar. Mas
  ameaças, gozações e zombarias
  são mais comuns e podem
  causar grandes danos.
Conceituação:

  • Bullying é uma violência
    continuada, física ou
    mental, praticada por um
    indivíduo ou grupo,
    diretamente contra um outro
    indivíduo que não é capaz de
    se defender por si só, na
    situação atual.
Conceituação:

  • Bullying é uma forma de
    agressão que ocorre nas
    escolas, caracterizada pelas
    ações de dominação de um
    indivíduo (bully) sobre
    outro (vítima), através de
    repetido comportamento
    agressivo.
Conceituação:

  • Bullying são atos repetidos
    de intimidação, deliberados,
    de um indivíduo mais forte
    contra outro mais fraco,
    objetivando dominação. Pode
    ser físico (com ou sem
    contato), verbal, emocional,
    racista ou sexual.
Conceituação:


  • Bullying é uma forma de
    abuso de poder, de crianças
    contra crianças.
Sinonímia:

 •Assediar      •Desmoralizar
 •Oprimir       •Desvalorizar
 •Dominar       •Depreciar
 •Vexar         •Hostilizar
 •Constranger   •Atormentar
 •Injuriar      •Perseguir
Sinonímia:

 •Intimidar    •Abusar
 •Provocar     •Excluir
 •Ameaçar      •Ridicularizar
 •Ofender      •Fragilizar
 •Atormentar   •Estigmatizar
 •Tiranizar    •Aterrorizar
Histórico:
•A Conferência Européia sobre
iniciativas para combater o bullying
nas escolas, em 1998,foi um marco
importante.
•Reino Unido, Irlanda, Itália,França,
Espanha, Portugal, Grécia, Noruega,
Suécia, Finlândia, Dinamarca, Áustria,
Bélgica,Luxemburgo e Países Baixos.
•América do Norte: Canadá e USA.
A Escola, os Professores.


   “A escola tem a chave para o
   sucesso das ações de
   prevenção e controle do
   bullying.”
A Escola, os Professores.
Incidência:

•Bullying na escola é muito mais
 comum do que pensam professores e
 pais.
•Bullying não é um problema novo,
 mas a sua extensão só começou a
 ser pesquisada e divulgado nos
 últimos anos.
A Escola, os Professores.
Incidência:

•Pesquisas recentes (2002)
 divulgadas na Inglaterra
 demonstraram que o bullying na
 escola é a maior preocupação dos
 pais, à frente da qualidade e dos,
 métodos de ensino.
A Escola, os Professores.
Incidência:
•Todas as escolas devem se esforçar
A Escola, os Professores.


   “É nas escolas que dizem,
   aqui não há bullying, que
   você provavelmente
   encontrará bullying.”
A escola, os professores.
 Controlar o bullying nas escolas
 não é fácil.
 Professores precisam tempo,
 paciência e habilidade para lidar
 com crianças envolvidas em bullying
 e sua famílias. Neste contexto, é
 fundamental que haja suporte
 adequado para os professores,
 especialmente aqueles novos na
 profissão.
Fatores ligados à escola que
merecem mais destaque:
1)A escola com uma política de “não
  bullying” faz a diferença.

  •Determinação legal no Reino Unido
  (1999)
  •Escolas proativas
Fatores ligados à escola que
merecem mais destaque:
2)A política da escola deve ser para
  prevenir e não apenas para
  controlar o bullying.
  •Três níveis de prevenção
  •Enfocar as vítimas, as testemunhas
   silenciosas (que também sofrem e
   os agressores
Fatores ligados à escola que
merecem mais destaque:

3)Pais, alunos e toda a escola devem
  sempre estar envolvidos nessa
  prática.

4)A qualidade da relação professor-
  aluno, baseada no respeito e
  confiança mútuos, é importante.
Fatores ligados à escola que
merecem mais destaque:

5)Conhecimentos sobre bullying pelos
  professores e demais funcionários
  é indispensável.

6)O bullying ocorre onde não há
  supervisão.
Outros fatores ligados à escola:


• Escolas menores desfavorecem a
  ocorrência do bullying.

• Escolas fisicamente bem tratadas
  desencorajam o bullying.
Outros fatores ligados à escola:

•Escolas em que há maior interação


•A qualidade de vida dos alunos de
Mitos e Equívocos:
•O bullying é implicância de criança.
•O bullying não afeta as crianças.
•O bullying não traz conseqüências
 para a vida das crianças
 (bullycide).
•Os casos de bullying vêm aumentando
 em todos os países.
Mitos e Equívocos:


•O agressor agride porque foi abusado
 na infância.
•O bullying termina quando os alunos
 saem do fundamental ou do segundo
 grau (Assédio moral no trabalho).
Mitos e Equívocos:
•A criança que conta que alguém está
 praticando bullying com ele é
 delator.
•A criança que sofre bullying deve
 retaliar (Lei da Selva).
•A culpa é da vítima.
•A vítima é fraca, impopular,
 sensível demais.
Mitos e Equívocos:
  •
Mitos e Equívocos:
•Crianças devem enfrentar o bullying
 como homens.
•Crianças devem resolver o problema
 do bullying por si próprias.
•O bullying é um ritual de passagem
 normal entre crianças e
 adolescentes.
•O bullying é uma situação
 inevitável. Você deve aceitá-lo.
Mitos e Equívocos:
•          Na nossa escola não há
           bullying.
•          O bullying não é
           importante. Temos
           problemas mais
           prioritários nessa
           escola.
•          Se aparecer casos de
           bullying vamos pensar no
           problema.
Prevenção terciária (intervenção):

    •Escola
    •Agressores
    •Vítimas
    •Testemunhas silenciosas
    •Pais
O que fazer para combater     o
bullying nas escolas.

Implantar   política  anti-bullying
nas       escolas,       envolvendo
professores, funcionários, alunos e
pais.
Informar
Sensibilizar
Conscientizar
Mobilizar
O que fazer para combater    o
 bullying nas escolas.

• Pesquisa qualitativa através de
  questionários aplicados aos
  alunos.
• Estabelecimento de regras
  antibullying na escola.
O que fazer para combater         o
bullying nas escolas.

• A melhor forma de tratar o
  bullying é evitar que ele
  ocorra.
• Interrompa o bullying antes que
  ele comece.
• Seu filho pode estar sofrendo
  bullying. Preste atenção!
O que fazer para combater        o
bullying nas escolas.
• Qualquer forma de bullying é
  inaceitável.
• Adultos não são testemunhas de
  bullying. Alunos sim.
• Se seu filho disser que está
  sofrendo na escola não ignore.
• Defenda seu filho. Lute por seu
  filho. Vá à escola e fale.
O que fazer para combater      o
  bullying nas escolas.
•Não sofra em silêncio.
•Não permita que seus anos de escola
 sejam roubados por um bully. Fale.
•Aquele que sofre em silêncio pode
 sofrer a vida toda.
•O bullying se alimenta do silêncio
 das vítimas.
O que fazer para combater      o
  bullying nas escolas.
•Denunciar não é delatar.
•Bullying dói.
•Stop the bullying - Pare o bullying.
•A pior coisa em relação ao bullying é
 pensar que a culpa é da vítima e não
 do agressor.
O que fazer para combater      o
bullying nas escolas.

   • Sticks and stones may
     break your bones, but
     names can never hurt
     you.
   • Take it like a man son.
O que fazer para combater      o
  bullying nas escolas.
•Na sua escola há casos de bullying.
 Como proceder.
•Protagonismo Juvenil
        Mediador
        Jornalismo para jovens
        Vídeos por jovens
        Corte
Desafios:

•Devemos trazer o bullying na escola
 para a atenção do grande público.
•Qual a relação entre o bullying na
 escola e o bullying no trabalho?
•Implicações legais.
•Testemunhos de pessoas famosas que


•“Não posso explicar como sofrer
2ª feira – Tiraram meu dinheiro
3ª feira – Me xingaram
4ª feira – Rasgaram meu uniforme
5ª feira – Meu corpo está coberto de
sangue.
6ª feira – Terminou
Sábado – Liberdade
Sábado foi o dia em que Vijay Singh
de 13 anos foi encontrado morto,
enforcado em casa, em Manchester –
Inglaterra, em 1997.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Artigo Bullying e seus efeitos na parendizagem
Artigo  Bullying e seus efeitos na parendizagemArtigo  Bullying e seus efeitos na parendizagem
Artigo Bullying e seus efeitos na parendizagemguest44dfeb3
 
Aula sobre bullying psicologia da educação
Aula sobre bullying psicologia da educaçãoAula sobre bullying psicologia da educação
Aula sobre bullying psicologia da educaçãoescolamelvinjonescrato
 
Bullying: o que é e como combatê-lo?
Bullying: o que é e como combatê-lo?Bullying: o que é e como combatê-lo?
Bullying: o que é e como combatê-lo?Thiago de Almeida
 
Aula 8 adolescência e bullying
Aula 8   adolescência e bullyingAula 8   adolescência e bullying
Aula 8 adolescência e bullyingariadnemonitoria
 
Violência Escolar
Violência EscolarViolência Escolar
Violência Escolarannokax
 
Violencia Escolar
Violencia EscolarViolencia Escolar
Violencia Escolarguest49e5af
 
Questão Social - Causas da Violência na Escola
Questão Social - Causas da Violência na EscolaQuestão Social - Causas da Violência na Escola
Questão Social - Causas da Violência na EscolaCarol Alves
 
Bullying e Ciberbullying - Lei 13.185/2015
Bullying e Ciberbullying - Lei 13.185/2015Bullying e Ciberbullying - Lei 13.185/2015
Bullying e Ciberbullying - Lei 13.185/2015CÉSAR TAVARES
 
Violência Na Escola
Violência Na EscolaViolência Na Escola
Violência Na Escolabethbal
 
Bullying em portugues
Bullying em portuguesBullying em portugues
Bullying em portuguestimarques
 
Trabalho sobre bullying
Trabalho sobre bullyingTrabalho sobre bullying
Trabalho sobre bullyingjackzeus
 

Mais procurados (20)

Artigo Bullying e seus efeitos na parendizagem
Artigo  Bullying e seus efeitos na parendizagemArtigo  Bullying e seus efeitos na parendizagem
Artigo Bullying e seus efeitos na parendizagem
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Apresentação bullying
Apresentação bullyingApresentação bullying
Apresentação bullying
 
Bullying - Entre alunos
Bullying - Entre alunosBullying - Entre alunos
Bullying - Entre alunos
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Aula sobre bullying psicologia da educação
Aula sobre bullying psicologia da educaçãoAula sobre bullying psicologia da educação
Aula sobre bullying psicologia da educação
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying: o que é e como combatê-lo?
Bullying: o que é e como combatê-lo?Bullying: o que é e como combatê-lo?
Bullying: o que é e como combatê-lo?
 
Aula 8 adolescência e bullying
Aula 8   adolescência e bullyingAula 8   adolescência e bullying
Aula 8 adolescência e bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Violência Escolar
Violência EscolarViolência Escolar
Violência Escolar
 
Bullying
Bullying Bullying
Bullying
 
Violencia Escolar
Violencia EscolarViolencia Escolar
Violencia Escolar
 
Questão Social - Causas da Violência na Escola
Questão Social - Causas da Violência na EscolaQuestão Social - Causas da Violência na Escola
Questão Social - Causas da Violência na Escola
 
Bullying e Ciberbullying - Lei 13.185/2015
Bullying e Ciberbullying - Lei 13.185/2015Bullying e Ciberbullying - Lei 13.185/2015
Bullying e Ciberbullying - Lei 13.185/2015
 
Violência Na Escola
Violência Na EscolaViolência Na Escola
Violência Na Escola
 
Bullying em portugues
Bullying em portuguesBullying em portugues
Bullying em portugues
 
Trabalho sobre bullying
Trabalho sobre bullyingTrabalho sobre bullying
Trabalho sobre bullying
 

Destaque (20)

Mirella, Emily e Rebeca 6E
Mirella, Emily e Rebeca 6EMirella, Emily e Rebeca 6E
Mirella, Emily e Rebeca 6E
 
Projeto - Bulling
Projeto - BullingProjeto - Bulling
Projeto - Bulling
 
Bulling Slide Share
Bulling   Slide ShareBulling   Slide Share
Bulling Slide Share
 
Slides bullying
Slides bullyingSlides bullying
Slides bullying
 
Projeto prevenção e combate ao bullying escolar slides
Projeto prevenção e combate ao bullying escolar slidesProjeto prevenção e combate ao bullying escolar slides
Projeto prevenção e combate ao bullying escolar slides
 
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
 
Redução da maioridade penal
Redução da maioridade penalRedução da maioridade penal
Redução da maioridade penal
 
Crescendo monica coropos
Crescendo monica coroposCrescendo monica coropos
Crescendo monica coropos
 
Sara e Leticia 6A
Sara e Leticia 6ASara e Leticia 6A
Sara e Leticia 6A
 
Caderno de leitura
Caderno de leituraCaderno de leitura
Caderno de leitura
 
Bulling rute rocha nº21 5ºe
Bulling rute rocha nº21 5ºeBulling rute rocha nº21 5ºe
Bulling rute rocha nº21 5ºe
 
Crescimento e mudança 8°b
Crescimento e mudança  8°bCrescimento e mudança  8°b
Crescimento e mudança 8°b
 
Poesias Dos Alunos
Poesias Dos AlunosPoesias Dos Alunos
Poesias Dos Alunos
 
COMO SEI SE ESTOU CRESCENDO
COMO SEI SE ESTOU CRESCENDOCOMO SEI SE ESTOU CRESCENDO
COMO SEI SE ESTOU CRESCENDO
 
Diário de um banana jeff kinney
Diário de um banana   jeff kinneyDiário de um banana   jeff kinney
Diário de um banana jeff kinney
 
Diário de um banana
Diário de um bananaDiário de um banana
Diário de um banana
 
Dois irmãos, de milton hatoum
Dois irmãos, de milton hatoumDois irmãos, de milton hatoum
Dois irmãos, de milton hatoum
 
Destaque Maio Banana 2
Destaque Maio Banana 2Destaque Maio Banana 2
Destaque Maio Banana 2
 
Preconceito racial! lidiane
Preconceito racial! lidianePreconceito racial! lidiane
Preconceito racial! lidiane
 
Projeto bullying
Projeto bullyingProjeto bullying
Projeto bullying
 

Semelhante a Bullying na Escola: Conceitos, Fatores e Combate (20)

Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Ppt bullyng
Ppt bullyngPpt bullyng
Ppt bullyng
 
Doc 157
Doc 157Doc 157
Doc 157
 
Bulling power
Bulling powerBulling power
Bulling power
 
Gabriel e Jessica 7C
Gabriel e Jessica 7CGabriel e Jessica 7C
Gabriel e Jessica 7C
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Escola Contra Bullying
Escola Contra BullyingEscola Contra Bullying
Escola Contra Bullying
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Aula sobre bullying observatoriodainfancia
Aula sobre bullying observatoriodainfanciaAula sobre bullying observatoriodainfancia
Aula sobre bullying observatoriodainfancia
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
Bullying Bullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullyingassedio
BullyingassedioBullyingassedio
Bullyingassedio
 
Bullyng
BullyngBullyng
Bullyng
 
Bullyng
BullyngBullyng
Bullyng
 
Bullyingassedio 121127083910-phpapp01
Bullyingassedio 121127083910-phpapp01Bullyingassedio 121127083910-phpapp01
Bullyingassedio 121127083910-phpapp01
 
VIOLÊNCIA ESCOLAR (BULLYING)
VIOLÊNCIA ESCOLAR (BULLYING)VIOLÊNCIA ESCOLAR (BULLYING)
VIOLÊNCIA ESCOLAR (BULLYING)
 
Bullingeg
BullingegBullingeg
Bullingeg
 
Bullyng
BullyngBullyng
Bullyng
 

Bullying na Escola: Conceitos, Fatores e Combate

  • 1. BULLYING ASSÉDIO MORAL ENTRE ALUNOS 2002/2003
  • 2. Conceituação: Bullying não é fácil de definir. Algumas vezes envolve bater, empurrar ou chutar. Mas ameaças, gozações e zombarias são mais comuns e podem causar grandes danos.
  • 3. Conceituação: • Bullying é uma violência continuada, física ou mental, praticada por um indivíduo ou grupo, diretamente contra um outro indivíduo que não é capaz de se defender por si só, na situação atual.
  • 4. Conceituação: • Bullying é uma forma de agressão que ocorre nas escolas, caracterizada pelas ações de dominação de um indivíduo (bully) sobre outro (vítima), através de repetido comportamento agressivo.
  • 5. Conceituação: • Bullying são atos repetidos de intimidação, deliberados, de um indivíduo mais forte contra outro mais fraco, objetivando dominação. Pode ser físico (com ou sem contato), verbal, emocional, racista ou sexual.
  • 6. Conceituação: • Bullying é uma forma de abuso de poder, de crianças contra crianças.
  • 7. Sinonímia: •Assediar •Desmoralizar •Oprimir •Desvalorizar •Dominar •Depreciar •Vexar •Hostilizar •Constranger •Atormentar •Injuriar •Perseguir
  • 8. Sinonímia: •Intimidar •Abusar •Provocar •Excluir •Ameaçar •Ridicularizar •Ofender •Fragilizar •Atormentar •Estigmatizar •Tiranizar •Aterrorizar
  • 9. Histórico: •A Conferência Européia sobre iniciativas para combater o bullying nas escolas, em 1998,foi um marco importante. •Reino Unido, Irlanda, Itália,França, Espanha, Portugal, Grécia, Noruega, Suécia, Finlândia, Dinamarca, Áustria, Bélgica,Luxemburgo e Países Baixos. •América do Norte: Canadá e USA.
  • 10. A Escola, os Professores. “A escola tem a chave para o sucesso das ações de prevenção e controle do bullying.”
  • 11. A Escola, os Professores. Incidência: •Bullying na escola é muito mais comum do que pensam professores e pais. •Bullying não é um problema novo, mas a sua extensão só começou a ser pesquisada e divulgado nos últimos anos.
  • 12. A Escola, os Professores. Incidência: •Pesquisas recentes (2002) divulgadas na Inglaterra demonstraram que o bullying na escola é a maior preocupação dos pais, à frente da qualidade e dos, métodos de ensino.
  • 13. A Escola, os Professores. Incidência: •Todas as escolas devem se esforçar
  • 14. A Escola, os Professores. “É nas escolas que dizem, aqui não há bullying, que você provavelmente encontrará bullying.”
  • 15. A escola, os professores. Controlar o bullying nas escolas não é fácil. Professores precisam tempo, paciência e habilidade para lidar com crianças envolvidas em bullying e sua famílias. Neste contexto, é fundamental que haja suporte adequado para os professores, especialmente aqueles novos na profissão.
  • 16. Fatores ligados à escola que merecem mais destaque: 1)A escola com uma política de “não bullying” faz a diferença. •Determinação legal no Reino Unido (1999) •Escolas proativas
  • 17. Fatores ligados à escola que merecem mais destaque: 2)A política da escola deve ser para prevenir e não apenas para controlar o bullying. •Três níveis de prevenção •Enfocar as vítimas, as testemunhas silenciosas (que também sofrem e os agressores
  • 18. Fatores ligados à escola que merecem mais destaque: 3)Pais, alunos e toda a escola devem sempre estar envolvidos nessa prática. 4)A qualidade da relação professor- aluno, baseada no respeito e confiança mútuos, é importante.
  • 19. Fatores ligados à escola que merecem mais destaque: 5)Conhecimentos sobre bullying pelos professores e demais funcionários é indispensável. 6)O bullying ocorre onde não há supervisão.
  • 20. Outros fatores ligados à escola: • Escolas menores desfavorecem a ocorrência do bullying. • Escolas fisicamente bem tratadas desencorajam o bullying.
  • 21. Outros fatores ligados à escola: •Escolas em que há maior interação •A qualidade de vida dos alunos de
  • 22. Mitos e Equívocos: •O bullying é implicância de criança. •O bullying não afeta as crianças. •O bullying não traz conseqüências para a vida das crianças (bullycide). •Os casos de bullying vêm aumentando em todos os países.
  • 23. Mitos e Equívocos: •O agressor agride porque foi abusado na infância. •O bullying termina quando os alunos saem do fundamental ou do segundo grau (Assédio moral no trabalho).
  • 24. Mitos e Equívocos: •A criança que conta que alguém está praticando bullying com ele é delator. •A criança que sofre bullying deve retaliar (Lei da Selva). •A culpa é da vítima. •A vítima é fraca, impopular, sensível demais.
  • 26. Mitos e Equívocos: •Crianças devem enfrentar o bullying como homens. •Crianças devem resolver o problema do bullying por si próprias. •O bullying é um ritual de passagem normal entre crianças e adolescentes. •O bullying é uma situação inevitável. Você deve aceitá-lo.
  • 27. Mitos e Equívocos: • Na nossa escola não há bullying. • O bullying não é importante. Temos problemas mais prioritários nessa escola. • Se aparecer casos de bullying vamos pensar no problema.
  • 28. Prevenção terciária (intervenção): •Escola •Agressores •Vítimas •Testemunhas silenciosas •Pais
  • 29. O que fazer para combater o bullying nas escolas. Implantar política anti-bullying nas escolas, envolvendo professores, funcionários, alunos e pais. Informar Sensibilizar Conscientizar Mobilizar
  • 30. O que fazer para combater o bullying nas escolas. • Pesquisa qualitativa através de questionários aplicados aos alunos. • Estabelecimento de regras antibullying na escola.
  • 31. O que fazer para combater o bullying nas escolas. • A melhor forma de tratar o bullying é evitar que ele ocorra. • Interrompa o bullying antes que ele comece. • Seu filho pode estar sofrendo bullying. Preste atenção!
  • 32. O que fazer para combater o bullying nas escolas. • Qualquer forma de bullying é inaceitável. • Adultos não são testemunhas de bullying. Alunos sim. • Se seu filho disser que está sofrendo na escola não ignore. • Defenda seu filho. Lute por seu filho. Vá à escola e fale.
  • 33. O que fazer para combater o bullying nas escolas. •Não sofra em silêncio. •Não permita que seus anos de escola sejam roubados por um bully. Fale. •Aquele que sofre em silêncio pode sofrer a vida toda. •O bullying se alimenta do silêncio das vítimas.
  • 34. O que fazer para combater o bullying nas escolas. •Denunciar não é delatar. •Bullying dói. •Stop the bullying - Pare o bullying. •A pior coisa em relação ao bullying é pensar que a culpa é da vítima e não do agressor.
  • 35. O que fazer para combater o bullying nas escolas. • Sticks and stones may break your bones, but names can never hurt you. • Take it like a man son.
  • 36. O que fazer para combater o bullying nas escolas. •Na sua escola há casos de bullying. Como proceder. •Protagonismo Juvenil Mediador Jornalismo para jovens Vídeos por jovens Corte
  • 37. Desafios: •Devemos trazer o bullying na escola para a atenção do grande público. •Qual a relação entre o bullying na escola e o bullying no trabalho? •Implicações legais.
  • 38. •Testemunhos de pessoas famosas que •“Não posso explicar como sofrer
  • 39. 2ª feira – Tiraram meu dinheiro 3ª feira – Me xingaram 4ª feira – Rasgaram meu uniforme 5ª feira – Meu corpo está coberto de sangue. 6ª feira – Terminou Sábado – Liberdade Sábado foi o dia em que Vijay Singh de 13 anos foi encontrado morto, enforcado em casa, em Manchester – Inglaterra, em 1997.