SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
1
A UTILIZAÇÃO DOS JOGOS PEDAGÓGICOS NA APRENDIZAGEM DO 1º ANO
DO ENSINO FUNDAMENTAL
Aline Gonzalez dos Santos¹
Naiany Renice Mendonça dos Santos²
Erika Karla Barros da Costa³
Eixo temático: Prática Pedagógica e sua Relação com a Teoria.(percepções)
Categoria: Comunicação oral
RESUMO
O presente estudo realiza a replicação de experiências de pesquisas realizadas em uma
instituição publica de ensino, observando a prática docente de duas professoras regentes de
turmas distintas, porém no mesmo nível escolar, sobre a utilização ou não de jogos
pedagógicos no processo de ensino e aprendizagem em turmas do 1º ano do ensino
fundamental. A observação realizada identificou a facilitação do aprendizado utilizando – se
destes recursos, promovendo maior interação, raciocínio mesmo que involuntário, entre outras
habilidades que estes estimulam no processo de aprendizagem.
Palavras-Chave: Ludicidade, Jogos e Anos Iniciais.
INTRODUÇÃO
O presente trabalho intitulado, “A utilização dos Jogos Pedagógicos na aprendizagem
do 1º ano do Ensino Fundamental” no qual busca demonstrar a importância do brincar e dos
jogos para a aprendizagem, tornando-se parte essencial na construção desta etapa de ensino;
por meio dos jogos as crianças são capazes de criar, vencer seus próprios limites, sendo
protagonistas ativos da construção de suas próprias aprendizagens. Os jogos auxiliam as
crianças no processo de pensar, imaginar, criar e se relacionar com os demais. É no momento
da brincadeira que a aprendizagem efetivamente acontece.
A função lúdica na educação: o brinquedo propicia diversão, prazer e até desprazer,
quando escolhido voluntariamente a função educativa, o brinquedo ensina qualquer
coisa que complete o indivíduo em seu saber, seus conhecimentos e sua apreensão
do mundo. O brincar e jogar e dotado de natureza livre típica de uns processos
educativos. Como reunir dentro da mesma situação o brincar e o educar. Essa e a
especificidade do brinquedo educativo. (KISHIMOTO, 2003, p.37).
2
As escolas e professores que trabalham com turmas de 1º ano do ensino fundamental
devem inserir dentro de uma concepção de educação voltada para a construção do
conhecimento lógico, elaborado pela própria criança, tendo no professor, o principal mediador
deste processo, proporcionando assim sua opinião crítica na realidade social em que vive e
expressando sua independência e autonomia. A aprendizagem surge de maneira espontânea e
natural, com as primeiras experiências oferecidas às crianças por seu meio sócio cultural. A
partir dessas experiências, como por exemplo, contagem de brinquedos, divisão de balas,
separação de objetos e sua classificação operatória, as crianças ao tentarem solucionar vão
aprofundando pouco a pouco o conhecimento das diversas noções pedagógicas. Entende-se
que é na sala de aula o momento mais adequado para estimular na criança o desenvolvimento
do pensamento lógico, com as riquezas das atividades desenvolvidas, curiosidade,
criatividade e descoberta.
A utilização de jogos na aprendizagem é de fundamental importância para o
desenvolvimento das crianças, sendo um facilitador no processo ensino-aprendizagem. Os
jogos não se constituem apenas em uma forma de entretenimento, no qual as crianças gastam
energia, mas sim, em meios que contribuem e enriquecem o desenvolvimento intelectual das
mesmas, pois segundo Vigotsky (1998) afirmava que por meio do brinquedo a criança
aprende a agir numa esfera cognitivista, sendo livre para determinar suas próprias ações.
Segundo ele, o jogo estimula a curiosidade e a autoconfiança, proporcionando o
desenvolvimento da linguagem, do pensamento, da concentração e da atenção.
Esta proposta objetiva uma pesquisa de campo em duas turmas do 1º ano do ensino
fundamental da Escola Municipal Professor Fauze Scaff Gattass Filho, do município de
Campo Grande, objetivando analisar a influência da utilização de jogos pedagógicos para a
aprendizagem dos alunos.
... O jogo é para a criança um fim em si mesmo, ele deve ser para nós
um meio (de educar), de onde seu nome educativo que toma cada vez
mais lugar na linguagem da pedagogia maternal. (GIRARD, 1908, p.
199).
3
Girard (1908), que acredita na ideia de relação do jogo educativo com a criança
favorecendo assim sua aprendizagem, quando uma criança brinca, joga, interage com o meio
de forma divertida ela expressa todos os seus sentidos.
O jogo é uma ferramenta de auxilio na aprendizagem, seu campo de atuação é muito
amplo, entre eles a socialização, desenvolvimento motor e cognitivo da criança.
Esta pesquisa se baseia no pressuposto de estudar e identificar as reais contribuições
dos jogos pedagógicos para o desenvolvimento cognitivo, físico, motor e social da criança. E
om isso Analisar a utilização e a importância dos jogos pedagógicos para a aprendizagem dos
estudantes do 1º ano de uma escola municipal, por meio da reflexão teórica e de dados
coletados.
[...] o jogo oferece uma importante significativa contribuição para o
desenvolvimento cognitivo, aprimorando o desenvolvimento do pensamento infantil
e consequentemente o jogo consolida habilidades já dominadas pelas crianças e a
prática dos mesmos em novas situações. Friedman (1996, p. 64).
METODOLOGIA APLICADA
Diante do imenso desafio de compreender e ensinar nas primeiras séries do ensino
fundamental, é que passamos a refletir sobre sua importância desde a infância, observando
como é repassado ou mediado esse processo de ensino vamos descobrindo que ao inserir
jogos, brinquedos e brincadeiras para desenvolver o raciocínio lógico e a aprendizagem se
torna mais prazeroso encarar as os diferentes conceitos que englobam a aprendizagem nesta
etapa de ensino.
Kishimoto (1994, p. 45) destaca que:
Piaget, Wallon e Vygotsky colocam a imitação como a origemde toda representação
mental e a base para o aparecimento do jogo infantil, Bruner (1976) tem uma nova
forma de interpretar o desenvolvimento da atividade simbólica. Para o autor, a
origem da atividade simbólica não depende apenas de jogos de exercícios
funcionais, mas de brincadeiras compartilhadas entre mãe e a criança, que conduzem
4
às atividades motoras e vocais. Observa-se que é todo umconjunto de atividades da
criança que é assim reintroduzido entre os jogos de exercícios funcionais e os jogos
simbólicos.
Ainda, segundo Kishimoto (2008, p. 20) “Brincar não é uma dinâmica interna do
indivíduo, mas uma atividade dotada de uma significação social precisa que, como outras,
necessitam de aprendizagem.”.
Com a afirmação da autora Kishimoto (2008), podemos perceber que o simples ato de
brincar envolve aprendizado, porém uma atividade que toda criança ou adulto exerce com
mais prazer e facilidade.
Incluir os jogos como recurso pedagógico para a aprendizagem não é mais novidade,
é uma necessidade para o processo de ensino e aprendizagem da criança.
A experiência original se apoderou do espaço real de duas salas de aula do primeiro
ano do ensino fundamental, acompanhando e observando duas professoras regentes com
formação pedagógica adequada ao exigido pela lei de Diretrizes e Bases, sendo que as
mesmas regentes possuem metodologia totalmente distinta, a regente 01 utiliza com
frequência em suas aulas jogos pedagógicos, sendo que a regente 02 se apropria da
metodologia mais tradicional. Foram realizadas duas etapas: a primeira seguindo o roteiro e a
segunda de aplicação dos jogos pedagógicos sendo jogos confeccionados em material
reciclável para incentivar as regentes na utilização de jogos com baixo custo financeiro,
confeccionado com os alunos o boliche de cores, que utiliza apenas garrafas pets, E.V.A com
as cores primarias e meias.
O jogo foi confeccionado com a turma, colar E.V.A às garrafas pets cada uma com
uma cor, confeccionar bolas com as meias. Há muito tempo todos nós aprendemos brincando,
sejam as meninas de casinha ou os meninos com seus carrinhos e bolas, e sempre que nos
recordamos das nossas brincadeiras, dos jogos e dos brinquedos, afirmamos que é muito
gratificante ser criança, e se podemos associar essa auto expressão em crescimento cognitivo
melhor ainda.
De acordo com o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil (BRASIL,
1998, p. 27. Vol. 1.):
O principal indicador da brincadeira, entre as crianças, é o papel que assumem
enquanto brincam. Ao adotar outros papéis na brincadeira, as crianças agemfrente à
5
realidade de maneira não literal, transferindo e substituindo suas ações e
características do papel assumido, utilizando-se de objetos substitutos.
A criança recria nas brincadeiras o mundo que está a sua volta, imitando em detalhes
sua vida familiar e social, ela interage com seus colegas os movimentos, fala e
comportamento das pessoas com as quais convive, aprendendo dessa maneira valores
culturais da sociedade em que está inserida.
Aprendemos com nossos pais a utilizar um pedaço de madeira para criar um taco, e
assim jogar com as crianças da vizinhança de bete na rua, ou num terreno baldio, se não tiver
uma bola, fazemos uma de meia, criando, recriando , inventando e interagindo por meio de
um jogo, que assimilamos as regras, as sequências numéricas, e o respeito em esperar sua vez
de jogar.
Em nenhum desses momentos deixamos de aprender, porque será então que
encontramos tanta resistência em inserir o lúdico no ensino aprendizagem, nas aulas de
matemática principalmente? Seria pela falta de experiência ou medo de não conseguir chegar
ao objetivo esperado?
Em destaque a afirmação de Gonzaga Júnior (apud Kishimoto, 2009, p. 106) esclarece
que:
A criança procura o jogo como uma necessidade e não como distração (...). É pelo
jogo que a criança se revela. As suas inclinações boas ou más, a sua vocação, as suas
habilidades, o seu caráter, tudo que ela latente no seu eu em formação, torna-se
visível pelo jogo e pelos brinquedos, que ela executa.
Após delimitação do tema da pesquisa, buscamos em livros e artigos,
embasamentos teóricos sobre o assunto, em seguida realizarmos uma pesquisa de campo em
uma instituição de ensino, em duas turmas de 1ºano do Ensino Fundamental, afim de verificar
as práticas lúdicas e a utilização dos jogos existentes nestas turmas e como os professores das
referidas turmas entendem e utilizam-se destes para enriquecimento do processo de ensino e
aprendizagem. Realizamos pesquisas com as professoras e demais atores envolvidos no
processo, aplicamos atividade lúdica com as turmas pesquisadas e após todo o trabalho,
analisamos as pesquisas para levantamento dos dados e possíveis intervenções em todo o
processo.
6
RESULTADOS E DISCUSSÃO DA EXPERIÊNCIA REALIZADA
A replicação da experiência ocorreu nos espaços educacionais com os grupos descritos
na metodologia. Foram realizadas as atividades previstas, os alunos confeccionaram o jogo
em equipe e após a confecção todos brincaram e teve muita interação, participação,
socialização habilidades essas que qualquer jogo estimula além do objetivo para qual ele foi
aplicado.
Por meio da aplicação dos jogos podemos compreender a utilização do lúdico frente
aos alunos, proporcionando um aprendizado mais alegre e que se fixa na memória com mais
facilidade. Entretanto, o corpo docente, de modo geral, salienta que não está preparado para
elaborar aulas lúdicas, visto que não fez parte de sua formação acadêmica.
Vale ressaltar que a característica da atividade lúdica está na atitude do indivíduo
durante o lúdico e não no material em si. É a maneira de trabalhar o material que vai
influenciar no seu processo de desenvolvimento e não o fato de possuí-lo. Acredita-se ser
relevante a participação do lúdico nesse processo educativo, pois é por meio dele que o ser
humano amplia suas experiências, desenvolve sua capacidade de raciocínio e adquire novos
comportamentos.
Baseando-se nas observações em sala e na aplicação do jogo foi reafirmado que as
crianças que possuem maior contado com, jogos em sua aprendizagem possuem maior
interação, trabalham melhor em grupo e intelectualmente estão mais desenvolvidas. As
observações mostraram o quão necessário é pra uma criança aprender brincando, como já
dizia KISHIMOTO que o jogo não é para a criança uma distração e sim uma necessidade.
Com a experiência realizada na pesquisa, podemos presenciar a real importância que
as aulas lúdicas favorecem ao processo de desenvolvimento integral da criança. A pesquisa
foi muito rica em aprendizado favorecendo a nós acadêmicos um grande estimulo e nos
conscientizando de o quanto a ludicidade, os jogos, as brincadeiras são essenciais para o
desenvolvimento dos alunos.
É com essa expectativa de que a criança se descubra como ser humano, ativo, reflexivo,
capaz de executar funções, de se apropriar de um ensino significativo que o olhar do educador
seja direcionado.
7
Santos (2002, p. 12) relatam sobre ludicidade:
(...) uma necessidade do ser humano em qualquer idade e não pode ser vista apenas
como diversão. O desenvolvimento do aspecto lúdico facilita a aprendizagem, o
desenvolvimento pessoal, social e cultural, colabora para uma boa saúde mental,
prepara para um estado interior fértil, facilita os processo de socialização,
comunicação, expressão e construção de conhecimento.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Quanto ao seu objetivo, o estudo permitiu perceber que o lúdico é uma ferramenta
importante do trabalho docente junto a crianças, facilitando o aprendizado e estimulando a
criança como um todo, e não apenas estimulando parcialmente suas habilidades. O maior
desafio do educador é Mediar o conhecimento do aluno para o crescimento intelectual, social,
cultural, é proporcionar para a criança uma qualidade de ensino e vida que jamais será
confiscada por outro alguém.
Conforme o estudo levantado, verificou-se que o jogo sempre esteve presente na vida
dos seres humanos, pois se trata de uma atividade extremamente necessária para o
desenvolvimento integral da criança, pois permite que a criança expresse todos seus
sentimentos, sejam eles positivos ou negativos. Muitos autores se destacaram neste trabalho
comprovando que os jogos e brincadeiras fazem parte do processo de formação do ser
humano.
Além disto, muitas pesquisas comprovaram o quanto se faz necessário à obtenção de
conhecimentos específicos sobre a aplicação da psicologia da educação no ambiente escolar,
já que cada jogo tem sua faixa etária especifica.
Não basta levar o jogo para sala de aula, sem ter conhecimentos prévios sobre como
aplicá-lo devidamente, ou seja, com seu d planejamento voltado para a realidade dos alunos.
Só assim, a atividade lúdica poderá trazer resultados positivos tanto para o professor, quanto
para os demais profissionais da instituição. Para realizar tal ação é necessário que o professor
busque conhecimento sobre quais habilidades esse jogo oferece ao seu aluno, e verificar se
esta adequada a sua turma, todo jogo e toda atividade necessita de conhecimento prévio.
8
Criar alternativas, ser flexível em sua metodologia de ensinar é umas das inúmeras
ações que o educador pode estar revendo e adaptando em suas aulas. As crianças aceitam o
jogo e a brincadeira com grande alegria e passam a apreciar os conteúdos de qualquer
disciplina. Cabe ao professor direcionar o jogo ou a brincadeira como um recurso facilitador
para determinada dificuldade do aluno.
Friedman (1996, p. 66) define o jogo como um espelho do progresso da criança
quando defende a ideia de que o “jogo é uma janela da vida emocional das crianças”.
O jogo inserido no contexto educacional traz imensos benefícios para o
desenvolvimento infantil, nele as crianças aprendem a aguardar sua vez de falar, ouvir, agir,
colaborar com um ambiente de harmonia e respeito, atentar-se para os momentos de
seriedade, contribuir para que o processo de aprendizagem de todos seja alcançando com
sucesso.
Com isso, perante tantas pesquisas realizadas pelos estudiosos citados nessa breve
revisão de literatura, observamos o quanto grandioso e benéficas são as inserções de jogos,
como um recurso a mais disponível para o processo de ensino e aprendizagem.
9
REFERÊNCIAS
FRIEDMAN, Adriana. Brincar, crescer e aprender: o resgate do jogo infantil. São Paulo:
Editora Moderna, 1996.
GIRARD, J. M, Éducationa de lapetiteenface. Paris: Librairie Armand Colin 1908.
KISHIMOTO, T. M. O jogo, a criança e a educação, Petrópolis, RJ: ed. vozes, 1993, p.106
(Gonzaga Junior).
KISHIMOTO, T. M. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. Cortez, São Paulo, 1994
KISHIMOTO, Morchida Tisuko.(org.) Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 7ª edição.
São Paulo, SP: Cortez, 2003.
KISHIMOTO In: Kishimoto, Morchida Tisuko.org, O Brincar e suas Teorias. São Paulo
Cengage Learning, 2008
Ministério da Educação e do Desporto. Referencial Curricular Nacional para a Educação
Infantil (RCNEI), MEC/SEF, Vol 1, 1998
SANTOS, Santa Marli Pires dos. O lúdico na formação do Educador. 6ª ed. Petrópolis, RJ:
Vozes, 2002.
VYGOTSKY; L.S. A formação sodal da mente. 2. 00. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Aline eliane
Aline elianeAline eliane
Aline eliane
 
Eva edilaine erika
Eva edilaine erikaEva edilaine erika
Eva edilaine erika
 
Care marcia
Care marciaCare marcia
Care marcia
 
Priscila verdelho e ananda
Priscila verdelho e anandaPriscila verdelho e ananda
Priscila verdelho e ananda
 
Andressa jessica erika
Andressa jessica erikaAndressa jessica erika
Andressa jessica erika
 
Elizangela kenia erika
Elizangela kenia erikaElizangela kenia erika
Elizangela kenia erika
 
Maria rosa ticiane erika
Maria rosa ticiane erikaMaria rosa ticiane erika
Maria rosa ticiane erika
 
Flavia vanuza monica
Flavia vanuza monicaFlavia vanuza monica
Flavia vanuza monica
 
Rosana rosimara erika
Rosana rosimara erikaRosana rosimara erika
Rosana rosimara erika
 
Jane mari
Jane mariJane mari
Jane mari
 
Alinne alessandra muzzi
Alinne alessandra muzziAlinne alessandra muzzi
Alinne alessandra muzzi
 
Maria solange
Maria solangeMaria solange
Maria solange
 
Trabalho de graduação 2017-1
Trabalho de graduação  2017-1Trabalho de graduação  2017-1
Trabalho de graduação 2017-1
 
Aline ana suelen_viviany
Aline ana suelen_vivianyAline ana suelen_viviany
Aline ana suelen_viviany
 
Thaynara e vanuza
Thaynara e vanuzaThaynara e vanuza
Thaynara e vanuza
 
Brincadeiras musicais e sua importância
Brincadeiras musicais e sua importânciaBrincadeiras musicais e sua importância
Brincadeiras musicais e sua importância
 
Adriana franciellen erika
Adriana  franciellen erikaAdriana  franciellen erika
Adriana franciellen erika
 
Artigo11
Artigo11Artigo11
Artigo11
 
Monografia Marilúcia Pedagogia 2009
Monografia Marilúcia Pedagogia 2009Monografia Marilúcia Pedagogia 2009
Monografia Marilúcia Pedagogia 2009
 
TRABALHANDO O FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TRABALHANDO O  FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTILTRABALHANDO O  FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TRABALHANDO O FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 

Semelhante a Importância dos jogos pedagógicos no 1o ano do ensino fundamental

A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTILA IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTILcefaprodematupa
 
Curso 2 - Alfabetização e Letramento
Curso 2 - Alfabetização e LetramentoCurso 2 - Alfabetização e Letramento
Curso 2 - Alfabetização e Letramentoalfaletra
 
4791-32024-1-PB.pdf
4791-32024-1-PB.pdf4791-32024-1-PB.pdf
4791-32024-1-PB.pdfValria13
 
A importância da ludicidade na construção da aprendizagem em sala de aula.
A importância da ludicidade na construção da aprendizagem em sala de aula.A importância da ludicidade na construção da aprendizagem em sala de aula.
A importância da ludicidade na construção da aprendizagem em sala de aula.Vilar Vasconcelos
 
Brincadeiras e jogos na educação infantil
Brincadeiras e jogos na educação infantilBrincadeiras e jogos na educação infantil
Brincadeiras e jogos na educação infantilSimone Everton
 
3592 9657-1-pb o ludico na educação simone helen drumons ischkanian
3592 9657-1-pb o ludico na educação simone helen drumons ischkanian3592 9657-1-pb o ludico na educação simone helen drumons ischkanian
3592 9657-1-pb o ludico na educação simone helen drumons ischkanianSimoneHelenDrumond
 
2. brincadeiras
2. brincadeiras2. brincadeiras
2. brincadeirasPactoufba
 
Pnaic projeto fernanda e maria luiza 1
Pnaic   projeto fernanda e maria luiza 1Pnaic   projeto fernanda e maria luiza 1
Pnaic projeto fernanda e maria luiza 1SimoneHelenDrumond
 
Pnaic projeto. fernanda e maria luiza 1
Pnaic    projeto. fernanda e maria luiza 1Pnaic    projeto. fernanda e maria luiza 1
Pnaic projeto. fernanda e maria luiza 1SimoneHelenDrumond
 
Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330
Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330
Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330SimoneHelenDrumond
 
Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330
Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330
Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330SimoneHelenDrumond
 
Otpei 2 projeto ludico simone helen drumond
Otpei 2  projeto ludico simone helen drumondOtpei 2  projeto ludico simone helen drumond
Otpei 2 projeto ludico simone helen drumondSimoneHelenDrumond
 
Pibid no contexto escolar
Pibid no contexto escolarPibid no contexto escolar
Pibid no contexto escolarCleonice Vieira
 
Brincar no Ensino de Língua Portuguesa
Brincar no Ensino de Língua PortuguesaBrincar no Ensino de Língua Portuguesa
Brincar no Ensino de Língua PortuguesaShirley Lauria
 
Estudos sobre o brincar como um facilitador da aprendizagem avaliam os efeito...
Estudos sobre o brincar como um facilitador da aprendizagem avaliam os efeito...Estudos sobre o brincar como um facilitador da aprendizagem avaliam os efeito...
Estudos sobre o brincar como um facilitador da aprendizagem avaliam os efeito...guuhalves94
 
Alfabetizacao jogos pedagogicos
Alfabetizacao jogos pedagogicosAlfabetizacao jogos pedagogicos
Alfabetizacao jogos pedagogicosIsa ...
 

Semelhante a Importância dos jogos pedagógicos no 1o ano do ensino fundamental (20)

A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTILA IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Curso 2 - Alfabetização e Letramento
Curso 2 - Alfabetização e LetramentoCurso 2 - Alfabetização e Letramento
Curso 2 - Alfabetização e Letramento
 
4791-32024-1-PB.pdf
4791-32024-1-PB.pdf4791-32024-1-PB.pdf
4791-32024-1-PB.pdf
 
A importância da ludicidade na construção da aprendizagem em sala de aula.
A importância da ludicidade na construção da aprendizagem em sala de aula.A importância da ludicidade na construção da aprendizagem em sala de aula.
A importância da ludicidade na construção da aprendizagem em sala de aula.
 
Brincadeiras e jogos na educação infantil
Brincadeiras e jogos na educação infantilBrincadeiras e jogos na educação infantil
Brincadeiras e jogos na educação infantil
 
O lúdico
O lúdicoO lúdico
O lúdico
 
3592 9657-1-pb o ludico na educação simone helen drumons ischkanian
3592 9657-1-pb o ludico na educação simone helen drumons ischkanian3592 9657-1-pb o ludico na educação simone helen drumons ischkanian
3592 9657-1-pb o ludico na educação simone helen drumons ischkanian
 
2. brincadeiras
2. brincadeiras2. brincadeiras
2. brincadeiras
 
Projeto ludico simone drumond
Projeto ludico simone drumondProjeto ludico simone drumond
Projeto ludico simone drumond
 
Pnaic projeto fernanda e maria luiza 1
Pnaic   projeto fernanda e maria luiza 1Pnaic   projeto fernanda e maria luiza 1
Pnaic projeto fernanda e maria luiza 1
 
Pnaic projeto. fernanda e maria luiza 1
Pnaic    projeto. fernanda e maria luiza 1Pnaic    projeto. fernanda e maria luiza 1
Pnaic projeto. fernanda e maria luiza 1
 
Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330
Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330
Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330
 
Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330
Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330
Trabalho ev056 md1_sa17_id12465_19082016201330
 
Otpei 2 projeto ludico simone helen drumond
Otpei 2  projeto ludico simone helen drumondOtpei 2  projeto ludico simone helen drumond
Otpei 2 projeto ludico simone helen drumond
 
Pibid no contexto escolar
Pibid no contexto escolarPibid no contexto escolar
Pibid no contexto escolar
 
Brincar no Ensino de Língua Portuguesa
Brincar no Ensino de Língua PortuguesaBrincar no Ensino de Língua Portuguesa
Brincar no Ensino de Língua Portuguesa
 
Os jogos ludicos
Os jogos ludicosOs jogos ludicos
Os jogos ludicos
 
Estudos sobre o brincar como um facilitador da aprendizagem avaliam os efeito...
Estudos sobre o brincar como um facilitador da aprendizagem avaliam os efeito...Estudos sobre o brincar como um facilitador da aprendizagem avaliam os efeito...
Estudos sobre o brincar como um facilitador da aprendizagem avaliam os efeito...
 
Alfabetizacao jogos pedagogicos
Alfabetizacao jogos pedagogicosAlfabetizacao jogos pedagogicos
Alfabetizacao jogos pedagogicos
 
Kishimoto 6
Kishimoto 6Kishimoto 6
Kishimoto 6
 

Mais de Fernando Pissuto (17)

Talita
TalitaTalita
Talita
 
Suelen bruna hagrayzes
Suelen bruna hagrayzesSuelen bruna hagrayzes
Suelen bruna hagrayzes
 
Rubens arguelho
Rubens arguelhoRubens arguelho
Rubens arguelho
 
Neidi monica
Neidi monicaNeidi monica
Neidi monica
 
Marlene monica
Marlene monicaMarlene monica
Marlene monica
 
Maria claudionora
Maria claudionoraMaria claudionora
Maria claudionora
 
Luzia
LuziaLuzia
Luzia
 
Luana aparecida monica
Luana aparecida monicaLuana aparecida monica
Luana aparecida monica
 
Leticia erika
Leticia erikaLeticia erika
Leticia erika
 
Laura simone
Laura simoneLaura simone
Laura simone
 
Jose flavio 2
Jose flavio 2Jose flavio 2
Jose flavio 2
 
Jose flavio 1
Jose flavio 1Jose flavio 1
Jose flavio 1
 
Jessica jucilene nair
Jessica jucilene nairJessica jucilene nair
Jessica jucilene nair
 
Jennifer alyne maria
Jennifer alyne mariaJennifer alyne maria
Jennifer alyne maria
 
Hellen carolinne rebeca
Hellen carolinne rebecaHellen carolinne rebeca
Hellen carolinne rebeca
 
Francielle gustavo neide
Francielle gustavo neideFrancielle gustavo neide
Francielle gustavo neide
 
Fernanda otilia jose flavio
Fernanda otilia jose flavioFernanda otilia jose flavio
Fernanda otilia jose flavio
 

Último

William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinhaMary Alvarenga
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaaulasgege
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 

Último (20)

William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 

Importância dos jogos pedagógicos no 1o ano do ensino fundamental

  • 1. 1 A UTILIZAÇÃO DOS JOGOS PEDAGÓGICOS NA APRENDIZAGEM DO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Aline Gonzalez dos Santos¹ Naiany Renice Mendonça dos Santos² Erika Karla Barros da Costa³ Eixo temático: Prática Pedagógica e sua Relação com a Teoria.(percepções) Categoria: Comunicação oral RESUMO O presente estudo realiza a replicação de experiências de pesquisas realizadas em uma instituição publica de ensino, observando a prática docente de duas professoras regentes de turmas distintas, porém no mesmo nível escolar, sobre a utilização ou não de jogos pedagógicos no processo de ensino e aprendizagem em turmas do 1º ano do ensino fundamental. A observação realizada identificou a facilitação do aprendizado utilizando – se destes recursos, promovendo maior interação, raciocínio mesmo que involuntário, entre outras habilidades que estes estimulam no processo de aprendizagem. Palavras-Chave: Ludicidade, Jogos e Anos Iniciais. INTRODUÇÃO O presente trabalho intitulado, “A utilização dos Jogos Pedagógicos na aprendizagem do 1º ano do Ensino Fundamental” no qual busca demonstrar a importância do brincar e dos jogos para a aprendizagem, tornando-se parte essencial na construção desta etapa de ensino; por meio dos jogos as crianças são capazes de criar, vencer seus próprios limites, sendo protagonistas ativos da construção de suas próprias aprendizagens. Os jogos auxiliam as crianças no processo de pensar, imaginar, criar e se relacionar com os demais. É no momento da brincadeira que a aprendizagem efetivamente acontece. A função lúdica na educação: o brinquedo propicia diversão, prazer e até desprazer, quando escolhido voluntariamente a função educativa, o brinquedo ensina qualquer coisa que complete o indivíduo em seu saber, seus conhecimentos e sua apreensão do mundo. O brincar e jogar e dotado de natureza livre típica de uns processos educativos. Como reunir dentro da mesma situação o brincar e o educar. Essa e a especificidade do brinquedo educativo. (KISHIMOTO, 2003, p.37).
  • 2. 2 As escolas e professores que trabalham com turmas de 1º ano do ensino fundamental devem inserir dentro de uma concepção de educação voltada para a construção do conhecimento lógico, elaborado pela própria criança, tendo no professor, o principal mediador deste processo, proporcionando assim sua opinião crítica na realidade social em que vive e expressando sua independência e autonomia. A aprendizagem surge de maneira espontânea e natural, com as primeiras experiências oferecidas às crianças por seu meio sócio cultural. A partir dessas experiências, como por exemplo, contagem de brinquedos, divisão de balas, separação de objetos e sua classificação operatória, as crianças ao tentarem solucionar vão aprofundando pouco a pouco o conhecimento das diversas noções pedagógicas. Entende-se que é na sala de aula o momento mais adequado para estimular na criança o desenvolvimento do pensamento lógico, com as riquezas das atividades desenvolvidas, curiosidade, criatividade e descoberta. A utilização de jogos na aprendizagem é de fundamental importância para o desenvolvimento das crianças, sendo um facilitador no processo ensino-aprendizagem. Os jogos não se constituem apenas em uma forma de entretenimento, no qual as crianças gastam energia, mas sim, em meios que contribuem e enriquecem o desenvolvimento intelectual das mesmas, pois segundo Vigotsky (1998) afirmava que por meio do brinquedo a criança aprende a agir numa esfera cognitivista, sendo livre para determinar suas próprias ações. Segundo ele, o jogo estimula a curiosidade e a autoconfiança, proporcionando o desenvolvimento da linguagem, do pensamento, da concentração e da atenção. Esta proposta objetiva uma pesquisa de campo em duas turmas do 1º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Professor Fauze Scaff Gattass Filho, do município de Campo Grande, objetivando analisar a influência da utilização de jogos pedagógicos para a aprendizagem dos alunos. ... O jogo é para a criança um fim em si mesmo, ele deve ser para nós um meio (de educar), de onde seu nome educativo que toma cada vez mais lugar na linguagem da pedagogia maternal. (GIRARD, 1908, p. 199).
  • 3. 3 Girard (1908), que acredita na ideia de relação do jogo educativo com a criança favorecendo assim sua aprendizagem, quando uma criança brinca, joga, interage com o meio de forma divertida ela expressa todos os seus sentidos. O jogo é uma ferramenta de auxilio na aprendizagem, seu campo de atuação é muito amplo, entre eles a socialização, desenvolvimento motor e cognitivo da criança. Esta pesquisa se baseia no pressuposto de estudar e identificar as reais contribuições dos jogos pedagógicos para o desenvolvimento cognitivo, físico, motor e social da criança. E om isso Analisar a utilização e a importância dos jogos pedagógicos para a aprendizagem dos estudantes do 1º ano de uma escola municipal, por meio da reflexão teórica e de dados coletados. [...] o jogo oferece uma importante significativa contribuição para o desenvolvimento cognitivo, aprimorando o desenvolvimento do pensamento infantil e consequentemente o jogo consolida habilidades já dominadas pelas crianças e a prática dos mesmos em novas situações. Friedman (1996, p. 64). METODOLOGIA APLICADA Diante do imenso desafio de compreender e ensinar nas primeiras séries do ensino fundamental, é que passamos a refletir sobre sua importância desde a infância, observando como é repassado ou mediado esse processo de ensino vamos descobrindo que ao inserir jogos, brinquedos e brincadeiras para desenvolver o raciocínio lógico e a aprendizagem se torna mais prazeroso encarar as os diferentes conceitos que englobam a aprendizagem nesta etapa de ensino. Kishimoto (1994, p. 45) destaca que: Piaget, Wallon e Vygotsky colocam a imitação como a origemde toda representação mental e a base para o aparecimento do jogo infantil, Bruner (1976) tem uma nova forma de interpretar o desenvolvimento da atividade simbólica. Para o autor, a origem da atividade simbólica não depende apenas de jogos de exercícios funcionais, mas de brincadeiras compartilhadas entre mãe e a criança, que conduzem
  • 4. 4 às atividades motoras e vocais. Observa-se que é todo umconjunto de atividades da criança que é assim reintroduzido entre os jogos de exercícios funcionais e os jogos simbólicos. Ainda, segundo Kishimoto (2008, p. 20) “Brincar não é uma dinâmica interna do indivíduo, mas uma atividade dotada de uma significação social precisa que, como outras, necessitam de aprendizagem.”. Com a afirmação da autora Kishimoto (2008), podemos perceber que o simples ato de brincar envolve aprendizado, porém uma atividade que toda criança ou adulto exerce com mais prazer e facilidade. Incluir os jogos como recurso pedagógico para a aprendizagem não é mais novidade, é uma necessidade para o processo de ensino e aprendizagem da criança. A experiência original se apoderou do espaço real de duas salas de aula do primeiro ano do ensino fundamental, acompanhando e observando duas professoras regentes com formação pedagógica adequada ao exigido pela lei de Diretrizes e Bases, sendo que as mesmas regentes possuem metodologia totalmente distinta, a regente 01 utiliza com frequência em suas aulas jogos pedagógicos, sendo que a regente 02 se apropria da metodologia mais tradicional. Foram realizadas duas etapas: a primeira seguindo o roteiro e a segunda de aplicação dos jogos pedagógicos sendo jogos confeccionados em material reciclável para incentivar as regentes na utilização de jogos com baixo custo financeiro, confeccionado com os alunos o boliche de cores, que utiliza apenas garrafas pets, E.V.A com as cores primarias e meias. O jogo foi confeccionado com a turma, colar E.V.A às garrafas pets cada uma com uma cor, confeccionar bolas com as meias. Há muito tempo todos nós aprendemos brincando, sejam as meninas de casinha ou os meninos com seus carrinhos e bolas, e sempre que nos recordamos das nossas brincadeiras, dos jogos e dos brinquedos, afirmamos que é muito gratificante ser criança, e se podemos associar essa auto expressão em crescimento cognitivo melhor ainda. De acordo com o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil (BRASIL, 1998, p. 27. Vol. 1.): O principal indicador da brincadeira, entre as crianças, é o papel que assumem enquanto brincam. Ao adotar outros papéis na brincadeira, as crianças agemfrente à
  • 5. 5 realidade de maneira não literal, transferindo e substituindo suas ações e características do papel assumido, utilizando-se de objetos substitutos. A criança recria nas brincadeiras o mundo que está a sua volta, imitando em detalhes sua vida familiar e social, ela interage com seus colegas os movimentos, fala e comportamento das pessoas com as quais convive, aprendendo dessa maneira valores culturais da sociedade em que está inserida. Aprendemos com nossos pais a utilizar um pedaço de madeira para criar um taco, e assim jogar com as crianças da vizinhança de bete na rua, ou num terreno baldio, se não tiver uma bola, fazemos uma de meia, criando, recriando , inventando e interagindo por meio de um jogo, que assimilamos as regras, as sequências numéricas, e o respeito em esperar sua vez de jogar. Em nenhum desses momentos deixamos de aprender, porque será então que encontramos tanta resistência em inserir o lúdico no ensino aprendizagem, nas aulas de matemática principalmente? Seria pela falta de experiência ou medo de não conseguir chegar ao objetivo esperado? Em destaque a afirmação de Gonzaga Júnior (apud Kishimoto, 2009, p. 106) esclarece que: A criança procura o jogo como uma necessidade e não como distração (...). É pelo jogo que a criança se revela. As suas inclinações boas ou más, a sua vocação, as suas habilidades, o seu caráter, tudo que ela latente no seu eu em formação, torna-se visível pelo jogo e pelos brinquedos, que ela executa. Após delimitação do tema da pesquisa, buscamos em livros e artigos, embasamentos teóricos sobre o assunto, em seguida realizarmos uma pesquisa de campo em uma instituição de ensino, em duas turmas de 1ºano do Ensino Fundamental, afim de verificar as práticas lúdicas e a utilização dos jogos existentes nestas turmas e como os professores das referidas turmas entendem e utilizam-se destes para enriquecimento do processo de ensino e aprendizagem. Realizamos pesquisas com as professoras e demais atores envolvidos no processo, aplicamos atividade lúdica com as turmas pesquisadas e após todo o trabalho, analisamos as pesquisas para levantamento dos dados e possíveis intervenções em todo o processo.
  • 6. 6 RESULTADOS E DISCUSSÃO DA EXPERIÊNCIA REALIZADA A replicação da experiência ocorreu nos espaços educacionais com os grupos descritos na metodologia. Foram realizadas as atividades previstas, os alunos confeccionaram o jogo em equipe e após a confecção todos brincaram e teve muita interação, participação, socialização habilidades essas que qualquer jogo estimula além do objetivo para qual ele foi aplicado. Por meio da aplicação dos jogos podemos compreender a utilização do lúdico frente aos alunos, proporcionando um aprendizado mais alegre e que se fixa na memória com mais facilidade. Entretanto, o corpo docente, de modo geral, salienta que não está preparado para elaborar aulas lúdicas, visto que não fez parte de sua formação acadêmica. Vale ressaltar que a característica da atividade lúdica está na atitude do indivíduo durante o lúdico e não no material em si. É a maneira de trabalhar o material que vai influenciar no seu processo de desenvolvimento e não o fato de possuí-lo. Acredita-se ser relevante a participação do lúdico nesse processo educativo, pois é por meio dele que o ser humano amplia suas experiências, desenvolve sua capacidade de raciocínio e adquire novos comportamentos. Baseando-se nas observações em sala e na aplicação do jogo foi reafirmado que as crianças que possuem maior contado com, jogos em sua aprendizagem possuem maior interação, trabalham melhor em grupo e intelectualmente estão mais desenvolvidas. As observações mostraram o quão necessário é pra uma criança aprender brincando, como já dizia KISHIMOTO que o jogo não é para a criança uma distração e sim uma necessidade. Com a experiência realizada na pesquisa, podemos presenciar a real importância que as aulas lúdicas favorecem ao processo de desenvolvimento integral da criança. A pesquisa foi muito rica em aprendizado favorecendo a nós acadêmicos um grande estimulo e nos conscientizando de o quanto a ludicidade, os jogos, as brincadeiras são essenciais para o desenvolvimento dos alunos. É com essa expectativa de que a criança se descubra como ser humano, ativo, reflexivo, capaz de executar funções, de se apropriar de um ensino significativo que o olhar do educador seja direcionado.
  • 7. 7 Santos (2002, p. 12) relatam sobre ludicidade: (...) uma necessidade do ser humano em qualquer idade e não pode ser vista apenas como diversão. O desenvolvimento do aspecto lúdico facilita a aprendizagem, o desenvolvimento pessoal, social e cultural, colabora para uma boa saúde mental, prepara para um estado interior fértil, facilita os processo de socialização, comunicação, expressão e construção de conhecimento. CONSIDERAÇÕES FINAIS Quanto ao seu objetivo, o estudo permitiu perceber que o lúdico é uma ferramenta importante do trabalho docente junto a crianças, facilitando o aprendizado e estimulando a criança como um todo, e não apenas estimulando parcialmente suas habilidades. O maior desafio do educador é Mediar o conhecimento do aluno para o crescimento intelectual, social, cultural, é proporcionar para a criança uma qualidade de ensino e vida que jamais será confiscada por outro alguém. Conforme o estudo levantado, verificou-se que o jogo sempre esteve presente na vida dos seres humanos, pois se trata de uma atividade extremamente necessária para o desenvolvimento integral da criança, pois permite que a criança expresse todos seus sentimentos, sejam eles positivos ou negativos. Muitos autores se destacaram neste trabalho comprovando que os jogos e brincadeiras fazem parte do processo de formação do ser humano. Além disto, muitas pesquisas comprovaram o quanto se faz necessário à obtenção de conhecimentos específicos sobre a aplicação da psicologia da educação no ambiente escolar, já que cada jogo tem sua faixa etária especifica. Não basta levar o jogo para sala de aula, sem ter conhecimentos prévios sobre como aplicá-lo devidamente, ou seja, com seu d planejamento voltado para a realidade dos alunos. Só assim, a atividade lúdica poderá trazer resultados positivos tanto para o professor, quanto para os demais profissionais da instituição. Para realizar tal ação é necessário que o professor busque conhecimento sobre quais habilidades esse jogo oferece ao seu aluno, e verificar se esta adequada a sua turma, todo jogo e toda atividade necessita de conhecimento prévio.
  • 8. 8 Criar alternativas, ser flexível em sua metodologia de ensinar é umas das inúmeras ações que o educador pode estar revendo e adaptando em suas aulas. As crianças aceitam o jogo e a brincadeira com grande alegria e passam a apreciar os conteúdos de qualquer disciplina. Cabe ao professor direcionar o jogo ou a brincadeira como um recurso facilitador para determinada dificuldade do aluno. Friedman (1996, p. 66) define o jogo como um espelho do progresso da criança quando defende a ideia de que o “jogo é uma janela da vida emocional das crianças”. O jogo inserido no contexto educacional traz imensos benefícios para o desenvolvimento infantil, nele as crianças aprendem a aguardar sua vez de falar, ouvir, agir, colaborar com um ambiente de harmonia e respeito, atentar-se para os momentos de seriedade, contribuir para que o processo de aprendizagem de todos seja alcançando com sucesso. Com isso, perante tantas pesquisas realizadas pelos estudiosos citados nessa breve revisão de literatura, observamos o quanto grandioso e benéficas são as inserções de jogos, como um recurso a mais disponível para o processo de ensino e aprendizagem.
  • 9. 9 REFERÊNCIAS FRIEDMAN, Adriana. Brincar, crescer e aprender: o resgate do jogo infantil. São Paulo: Editora Moderna, 1996. GIRARD, J. M, Éducationa de lapetiteenface. Paris: Librairie Armand Colin 1908. KISHIMOTO, T. M. O jogo, a criança e a educação, Petrópolis, RJ: ed. vozes, 1993, p.106 (Gonzaga Junior). KISHIMOTO, T. M. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. Cortez, São Paulo, 1994 KISHIMOTO, Morchida Tisuko.(org.) Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 7ª edição. São Paulo, SP: Cortez, 2003. KISHIMOTO In: Kishimoto, Morchida Tisuko.org, O Brincar e suas Teorias. São Paulo Cengage Learning, 2008 Ministério da Educação e do Desporto. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (RCNEI), MEC/SEF, Vol 1, 1998 SANTOS, Santa Marli Pires dos. O lúdico na formação do Educador. 6ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002. VYGOTSKY; L.S. A formação sodal da mente. 2. 00. São Paulo: Martins Fontes, 1988.