Successfully reported this slideshow.

Brincar no Ensino de Língua Portuguesa

8.522 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Brincar no Ensino de Língua Portuguesa

  1. 1. LUDICIDADE NA SALA DE AULA
  2. 2. O brincar...
  3. 3. Importância da aprendizagem em situações de interação e em situações lúdicas... Importância do jogo e da brincadeira na aprendizagem... Piaget Vigotsky LeontievWallon
  4. 4. Para PiagetPiaget “Os jogos são brincadeiras e ao mesmo tempo meios de aprendizagem” (PIAGET, 1967, p. 87). Vigotsky e LeontievVigotsky e Leontiev afirmam que “O jogo e a brincadeira permitem ao aluno criar, imaginar, fazer de conta, funciona como laboratório de aprendizagem, permitem ao aluno experimentar, medir, utilizar, equivocar-se e fundamentalmente aprender” (VYGOTSKY e LEONTIEV, 1998 p.23). WallonWallon diz que a quantidade de atividades lúdicas é que proporcionarão o progresso, e diante do resultado, temos a impressão que a criança internalizou por completo o aprendizado, mas, ela só comprova seu progresso através dos detalhes.
  5. 5. O jogar...
  6. 6. Além de proporcionar a construção do conhecimento de forma lúdica e prazerosa, o jogo na sala de aula, promove a interação entre parceiros e torna-se significativo à medida que a criança inventa, reinventa e avança nos aspectos cognitivos, afetivos e no seu desenvolvimento social.
  7. 7. É, também, um importante recurso para desenvolver a postura ativa da criança em relação ao aprendizado e as habilidades do pensamento, tais como a imaginação, a interpretação, a tomada de decisão, a resolução de problemas, a criatividade, entre outras.
  8. 8. Brinquedos, jogos e materiais pedagógicos não são objetos que trazem em seu bojo um saber pronto e acabado. Ao contrário, eles são objetos que trazem um saber em potencial. Este saber em potencial pode ou não ser ativado pelo aluno.
  9. 9. Por isso, na escola, é preciso também da mediação do professor e complementar o uso dos jogos com outras estratégias didáticas. Jogos não podem ser utilizados como únicaJogos não podem ser utilizados como única estratégia e nem garantem por si só a apropriaçãoestratégia e nem garantem por si só a apropriação dos conhecimentos.dos conhecimentos.
  10. 10. O jogo e a brincadeira na escola exigem também planejamento, definição de objetivos, estabelecimento de rotina...
  11. 11. O lúdico e a Língua Portuguesa
  12. 12. O brincar/jogar e a linguagem Brincar/jogar com a língua
  13. 13. Brincar com a linguagem pode estar...
  14. 14. Na leitura...
  15. 15. ...e mais leitura...
  16. 16. ...e na contação de história...
  17. 17. Nos jogos orais e escritos em torno dos trava-línguas, parlendas, adivinhas, cantigas, quadrinhas, além de livros de literatura infantil são exemplos de importantes instrumentos que despertam a ludicidade no aprendizado da língua materna.
  18. 18. Na própria poesia...
  19. 19. Na decomposição e recomposição de palavras, frases, letras...
  20. 20. Em jogos de palavras...
  21. 21. Em gêneros textuais diversos...
  22. 22. ...e com os jogos do acervo...
  23. 23. JOGOS x APROPRIAÇÃO DO SEA • Para os alunos em processo de apropriação do Sistema de Escrita, os jogos ou atividades de análise fonológica são importantes instrumentos para o aprendizado da língua, pois levam os aprendizes a pensar nas palavras em sua dimensão não só semântica, mas também sonora-escrita.
  24. 24. ...em brincar com os sons da língua, brincar com os sentidos e significados... brincar com as palavras escritas... ...com unidades menores que as palavras... Brincar com a literatura... Enfim...
  25. 25. O brincar e a inclusão
  26. 26. inclusão/adaptação de atividades O brincar é favorável à aprendizagem de TODAS as crianças Dimensão cuidadora da ação docente TODAS
  27. 27. ...Vamos TODOS cirandar?
  28. 28. O brincar e os componentes curriculares
  29. 29. O aprendizado numa concepção construtivista é um processo semelhante ao brincar: Nessa concepção, a aprendizagem do conteúdo escolar pode envolver processos de descoberta, reinvenção e de confronto de opiniões entre as crianças. O modo como esse conteúdo é abordado na escola pode, assim, oportunizar situações similares àquelas vividas pelas crianças enquanto brincam.
  30. 30. Ao brincar, as crianças reinventam formas de interagir, reinventam regras de convivência, reinventam a realidade (física e social). recheando-a de imaginação. Neste sentido, sempre que brincam, aprendem.Neste sentido, sempre que brincam, aprendem. A reinvenção dos objetos do conhecimento está presente no pensamento infantil, e reinventar também é uma característica própria do ato de brincar. Então, pode ter sempre algo do brincar, quando aprendem.Então, pode ter sempre algo do brincar, quando aprendem.
  31. 31. ...enquanto aprendem Ciências, Matemática, História, Geografia...
  32. 32. ...e fazer uma escola diferente desta......e fazer uma escola diferente desta... Brincar...Brincar... ...ter o que contar......ter o que contar...

×