Tipos e gêneros textuais

876 visualizações

Publicada em

Diferença entre gêneros e tipos textuais, os cinco tipos textuais (narração, descrição, argumentação, exposição e injunção) e diferentes exemplos comentados dos tipos textuais e alguns gêneros textuais.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
876
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
114
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
61
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tipos e gêneros textuais

  1. 1. TIPOS E GÊNEROS Exemplos de tipos e gêneros textuais www.portuguesatodaprova.com.br
  2. 2. Tipologia x Gênero Gênero Textual • Estrutura; • Temática/Estilo; • Objetivo, finalidade. Existem diversos gêneros textuais, dependendo dos objetivos do texto. Tipo Textual • Organização interna; • Forma. São cinco tipos textuais, mas o texto pode ter mais de um tipo.
  3. 3. Tipos textuais • Narrativo: • Verbos; • Sequência de ações; • Tempo/Espaço. • Descritivo: • Características; • Adjetivos/verbos de ligação; • Expressões adjetivas.
  4. 4. Tipos textuais • Argumentativo: • Defesa de tese; • Ponto de vista. • Dissertativo/expositivo: • Impessoal; • 3ª pessoa; • Expõe, analisa, apresenta informações/argumentos. • Injuntivo • Instrução; • Imperativo.
  5. 5. EXEMPLOS Exemplos de tipos textuais
  6. 6. A poucos minutos da apresentação, o sol, teimoso, contraria a lógica do dia e invade o salão de ensaios alguns minutos antes do horário de fecharem os portões de vidro fosco. A bailarina comportada aguarda ansiosa pelo dia em poderá, finalmente, apresentar-se no destacado tutu branco que remenda enquanto encarna, em fantasia, um convencido lago dos cisnes. Em seus sonhos, haveria de ter o seu dia para brilhar ao som do faz-de-conta de sua vida amorosa. Então, a luminosidade daquele pôr- do-sol, atrasado e teimoso, inunda a ausência de tintura da saia de segunda mão e reveste os desgastes de sua imaginação. Como poderia a pequena dançarina lidar com aquele lilás independente que enfeitava ainda mais os passos e rodopios que abandonavam o cabo de vassoura em que antes existia o seu príncipe encantado? Mas o palco não possuía janelas , e o céu ficava tímido ao perceber que sua perfeita liberdade não cabia à vida real. Fonte: www.felicidadeclandestina.com Tipo textual predominante: Narrativo
  7. 7. A poucos minutos da apresentação, o sol, teimoso, contraria a lógica do dia e invade o salão de ensaios alguns minutos antes do horário de fecharem os portões de vidro fosco. A bailarina comportada aguarda ansiosa pelo dia em poderá, finalmente, apresentar-se no destacado tutu branco que remenda enquanto encarna, em fantasia, um convencido lago dos cisnes. Em seus sonhos, haveria de ter o seu dia para brilhar ao som do faz-de-conta de sua vida amorosa. Então, a luminosidade daquele pôr- do-sol, atrasado e teimoso, inunda a ausência de tintura da saia de segunda mão e reveste os desgastes de sua imaginação. Como poderia a pequena dançarina lidar com aquele lilás independente que enfeitava ainda mais os passos e rodopios que abandonavam o cabo de vassoura em que antes existia o seu príncipe encantado? Mas o palco não possuía janelas e o céu ficava tímido ao perceber que sua perfeita liberdade não cabia à vida real. Fonte: www.felicidadeclandestina.com Tipo textual predominante: Narrativo Presença de verbos em uma sequência de ações
  8. 8. A poucos minutos da apresentação, o sol, teimoso, contraria a lógica do dia e invade o salão de ensaios alguns minutos antes do horário de fecharem os portões de vidro fosco. A bailarina comportada aguarda ansiosa pelo dia em poderá, finalmente, apresentar-se no destacado tutu branco que remenda enquanto encarna, em fantasia, um convencido lago dos cisnes. Em seus sonhos, haveria de ter o seu dia para brilhar ao som do faz-de-conta de sua vida amorosa. Então, a luminosidade daquele pôr- do-sol, atrasado e teimoso, inunda a ausência de tintura da saia de segunda mão e reveste os desgastes de sua imaginação. Como poderia a pequena dançarina lidar com aquele lilás independente que enfeitava ainda mais os passos e rodopios que abandonavam o cabo de vassoura em que antes existia o seu príncipe encantado? Mas o palco não possuía janelas e o céu ficava tímido ao perceber que sua perfeita liberdade não cabia à vida real. Fonte: www.felicidadeclandestina.com Tipo textual predominante: Narrativo Presença de verbos em uma sequência de ações Noção de tempo
  9. 9. A poucos minutos da apresentação, o sol, teimoso, contraria a lógica do dia e invade o salão de ensaios alguns minutos antes do horário de fecharem os portões de vidro fosco. A bailarina comportada aguarda ansiosa pelo dia em poderá, finalmente, apresentar-se no destacado tutu branco que remenda enquanto encarna, em fantasia, um convencido lago dos cisnes. Em seus sonhos, haveria de ter o seu dia para brilhar ao som do faz-de-conta de sua vida amorosa. Então, a luminosidade daquele pôr- do-sol, atrasado e teimoso, inunda a ausência de tintura da saia de segunda mão e reveste os desgastes de sua imaginação. Como poderia a pequena dançarina lidar com aquele lilás independente que enfeitava ainda mais os passos e rodopios que abandonavam o cabo de vassoura em que antes existia o seu príncipe encantado? Mas o palco não possuía janelas e o céu ficava tímido ao perceber que sua perfeita liberdade não cabia à vida real. Fonte: www.felicidadeclandestina.com Tipo textual predominante: Narrativo Presença de verbos em uma sequência de ações Noção de tempo Existe descrição (adjetivos/orações adjetivas), mas o foco é a "história" contada.
  10. 10. As células são as unidades estruturais e funcionais dos organismos vivos. A maioria dos organismos, tais como as bactérias, são unicelulares (consistem em uma única célula). Outros organismos, tais como os seres humanos, são pluricelulares. [...] As células procarióticas, também chamadas de protocélulas, são muito diferentes das eucariontes. Em geral, são bem menores e menos complexas estruturalmente do que as células eucarióticas. A sua principal característica é a ausência da carioteca, pela ausência de alguns organelos e pelo pequeno tamanho[...]. Também possuem DNA na forma de um anel associado a proteínas básicas. Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Célula Tipo textual predominante: Descritivo (descrição objetiva)
  11. 11. As células são as unidades estruturais e funcionais dos organismos vivos. A maioria dos organismos, tais como as bactérias, são unicelulares (consistem em uma única célula). Outros organismos, tais como os seres humanos, são pluricelulares. [...] As células procarióticas, também chamadas de protocélulas, são muito diferentes das eucariontes. Em geral, são bem menores e menos complexas estruturalmente do que as células eucarióticas. A sua principal característica é a ausência da carioteca, pela ausência de alguns organelos e pelo pequeno tamanho[...]. Também possuem DNA na forma de um anel associado a proteínas básicas. Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Célula Tipo textual predominante: Descritivo (descrição objetiva) Verbos de ligação
  12. 12. As células são as unidades estruturais e funcionais dos organismos vivos. A maioria dos organismos, tais como as bactérias, são unicelulares (consistem em uma única célula). Outros organismos, tais como os seres humanos, são pluricelulares. [...] As células procarióticas, também chamadas de protocélulas, são muito diferentes das eucariontes. Em geral, são bem menores e menos complexas estruturalmente do que as células eucarióticas. A sua principal característica é a ausência da carioteca, pela ausência de alguns organelos e pelo pequeno tamanho[...]. Também possuem DNA na forma de um anel associado a proteínas básicas. Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Célula Tipo textual predominante: Descritivo (descrição objetiva) Verbos de ligação Adjetivos
  13. 13. As células são as unidades estruturais e funcionais dos organismos vivos. A maioria dos organismos, tais como as bactérias, são unicelulares (consistem em uma única célula). Outros organismos, tais como os seres humanos, são pluricelulares. [...] As células procarióticas, também chamadas de protocélulas, são muito diferentes das eucariontes. Em geral, são bem menores e menos complexas estruturalmente do que as células eucarióticas. A sua principal característica é a ausência da carioteca, pela ausência de alguns organelos e pelo pequeno tamanho[...]. Também possuem DNA na forma de um anel associado a proteínas básicas. Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Célula Tipo textual predominante: Descritivo (descrição objetiva) Verbos de ligação Adjetivos Comparações
  14. 14. Queria poder imaginar um pôr-do-sol mais bonito. Ajudaria muito se o sol já não tivesse se posto pelo menos duas horas antes. Seus olhos trabalhavam em um retrato moderno do poente, assimilando cores fortes em uma perfeição distorcida nas fantasias que o acaso constrói. Naquele instante, os restos do azul lhe pareceram um padrão completamente à parte do que esperava de um momento de inversão. Se pudesse redesenhar aquele instante, não colocaria cores apaziguadoras. Reescreveria um sol mais largo, ardente, vermelho, que toma conta do céu e transforma a serenidade refletida no mar em um forte tom de púrpura. Ultravioleta. Fonte: www.felicidadeclandestina.com Tipo textual predominante: Descritivo (descrição subjetiva)
  15. 15. Queria poder imaginar um pôr-do-sol mais bonito. Ajudaria muito se o sol já não tivesse se posto pelo menos duas horas antes. Seus olhos trabalhavam em um retrato moderno do poente, assimilando cores fortes em uma perfeição distorcida nas fantasias que o acaso constrói. Naquele instante, os restos do azul lhe pareceram um padrão completamente à parte do que esperava de um momento de inversão. Se pudesse redesenhar aquele instante, não colocaria cores apaziguadoras. Reescreveria um sol mais largo, ardente, vermelho, que toma conta do céu e transforma a serenidade refletida no mar em um forte tom de púrpura. Ultravioleta. Fonte: www.felicidadeclandestina.com Tipo textual predominante: Descritivo (descrição subjetiva) Adjetivos/características
  16. 16. Queria poder imaginar um pôr-do-sol mais bonito. Ajudaria muito se o sol já não tivesse se posto pelo menos duas horas antes. Seus olhos trabalhavam em um retrato moderno do poente, assimilando cores fortes em uma perfeição distorcida nas fantasias que o acaso constrói. Naquele instante, os restos do azul lhe pareceram um padrão completamente à parte do que esperava de um momento de inversão. Se pudesse redesenhar aquele instante, não colocaria cores apaziguadoras. Reescreveria um sol mais largo, ardente, vermelho, que toma conta do céu e transforma a serenidade refletida no mar em um forte tom de púrpura. Ultravioleta. Fonte: www.felicidadeclandestina.com Tipo textual predominante: Descritivo (descrição subjetiva) Adjetivos/características Expressões e verbos que ajudam a dar a qualificação
  17. 17. Queria poder imaginar um pôr-do-sol mais bonito. Ajudaria muito se o sol já não tivesse se posto pelo menos duas horas antes. Seus olhos trabalhavam em um retrato moderno do poente, assimilando cores fortes em uma perfeição distorcida nas fantasias que o acaso constrói. Naquele instante, os restos do azul lhe pareceram um padrão completamente à parte do que esperava de um momento de inversão. Se pudesse redesenhar aquele instante, não colocaria cores apaziguadoras. Reescreveria um sol mais largo, ardente, vermelho, que toma conta do céu e transforma a serenidade refletida no mar em um forte tom de púrpura. Ultravioleta. Fonte: www.felicidadeclandestina.com Tipo textual predominante: Descritivo (descrição subjetiva) Adjetivos/características Expressões e verbos que ajudam a dar a qualificação Diferente da descrição objetiva, a descrição subjetiva apresenta a impressão pessoal de uma pessoa a respeito do que está sendo descrito.
  18. 18. Durante o período de ditadura, a censura intimidava a sociedade, perseguia os intelectuais e inibia as produções artísticas. Sob essas condições, as manifestações publicadas, quando conseguiam passar pelo filtro dos censores, apareciam escondidas numa linguagem alegórica e coberta de metáforas. Com o fim do governo fascista fundado por António de Oliveira Salazar, a produção artística passou a ser mais intensificada, ou mesmo mais divulgada, uma vez que foram eliminados os recursos opressores que impediam a livre manifestação de ideias através das artes. Essa abertura, apesar da influência que teve nas obras e publicações, não significou uma mudança instantânea no processo de criação literária e artística, mas sim uma continuidade do que já estava sendo construído, antes e depois da revolução, em termos de identidade nacional. Portugal estava em busca de uma vestimenta exclusiva a que pudesse atribuir-se, uma forma de expressão que fosse considerada genuinamente lusitana. O romance e as demais manifestações artísticas atribuídas ao período pré e pós Revolução dos Cravos definiram essa identidade, que encontrou na linguagem intertextual, nos múltiplos discursos e na pluralidade dos meios ficcionais, sua maneira própria e única de expressão. Fonte: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1562812 Tipo textual predominante: Dissertativo/Expositivo
  19. 19. Durante o período de ditadura, a censura intimidava a sociedade, perseguia os intelectuais e inibia as produções artísticas. Sob essas condições, as manifestações publicadas, quando conseguiam passar pelo filtro dos censores, apareciam escondidas numa linguagem alegórica e coberta de metáforas. Com o fim do governo fascista fundado por António de Oliveira Salazar, a produção artística passou a ser mais intensificada, ou mesmo mais divulgada, uma vez que foram eliminados os recursos opressores que impediam a livre manifestação de ideias através das artes. Essa abertura, apesar da influência que teve nas obras e publicações, não significou uma mudança instantânea no processo de criação literária e artística, mas sim uma continuidade do que já estava sendo construído, antes e depois da revolução, em termos de identidade nacional. Portugal estava em busca de uma vestimenta exclusiva a que pudesse atribuir-se, uma forma de expressão que fosse considerada genuinamente lusitana. O romance e as demais manifestações artísticas atribuídas ao período pré e pós Revolução dos Cravos definiram essa identidade, que encontrou na linguagem intertextual, nos múltiplos discursos e na pluralidade dos meios ficcionais, sua maneira própria e única de expressão. Fonte: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1562812 Tipo textual predominante: Dissertativo/Expositivo Informações objetivas
  20. 20. Durante o período de ditadura, a censura intimidava a sociedade, perseguia os intelectuais e inibia as produções artísticas. Sob essas condições, as manifestações publicadas, quando conseguiam passar pelo filtro dos censores, apareciam escondidas numa linguagem alegórica e coberta de metáforas. Com o fim do governo fascista fundado por António de Oliveira Salazar, a produção artística passou a ser mais intensificada, ou mesmo mais divulgada, uma vez que foram eliminados os recursos opressores que impediam a livre manifestação de ideias através das artes. Essa abertura, apesar da influência que teve nas obras e publicações, não significou uma mudança instantânea no processo de criação literária e artística, mas sim uma continuidade do que já estava sendo construído, antes e depois da revolução, em termos de identidade nacional. Portugal estava em busca de uma vestimenta exclusiva a que pudesse atribuir-se, uma forma de expressão que fosse considerada genuinamente lusitana. O romance e as demais manifestações artísticas atribuídas ao período pré e pós Revolução dos Cravos definiram essa identidade, que encontrou na linguagem intertextual, nos múltiplos discursos e na pluralidade dos meios ficcionais, sua maneira própria e única de expressão. Fonte: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1562812 Tipo textual predominante: Dissertativo/Expositivo Informações objetivas Contextualização
  21. 21. Ao se desesperar num questionamento em São Paulo, daqueles em que o automóvel não se move nem quando o sinal está verde, o indivíduo deve saber que, por trás de sua irritação crônica e cotidiana, está uma monumental ignorância histórica. São Paulo só chegou a esse caos porque um seleto grupo de dirigentes decidiu, no início do século, que não deveríamos ter metrô. Como cresce dia a dia o número de veículos, a tendência é piorar ainda mais o congestionamento – o que leva técnicos a preverem como inevitável a implantação de perigos. (Adaptado de Folha de S. Paulo. 01/10/2000) Fonte: http://www.passeiweb.com http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/sala_de_aula/portugues/redacao/dissertacao_e_narracao/argumentos Tipos textuais predominantes: Argumentativo e Dissertativo
  22. 22. Ao se desesperar num questionamento em São Paulo, daqueles em que o automóvel não se move nem quando o sinal está verde, o indivíduo deve saber que, por trás de sua irritação crônica e cotidiana, está uma monumental ignorância histórica. São Paulo só chegou a esse caos porque um seleto grupo de dirigentes decidiu, no início do século, que não deveríamos ter metrô. Como cresce dia a dia o número de veículos, a tendência é piorar ainda mais o congestionamento – o que leva técnicos a preverem como inevitável a implantação de perigos. (Adaptado de Folha de S. Paulo. 01/10/2000) Fonte: http://www.passeiweb.com http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/sala_de_aula/portugues/redacao/dissertacao_e_narracao/argumentos Tipos textuais predominantes: Argumentativo e Dissertativo Ponto de vista / Tese
  23. 23. Ao se desesperar num questionamento em São Paulo, daqueles em que o automóvel não se move nem quando o sinal está verde, o indivíduo deve saber que, por trás de sua irritação crônica e cotidiana, está uma monumental ignorância histórica. São Paulo só chegou a esse caos porque um seleto grupo de dirigentes decidiu, no início do século, que não deveríamos ter metrô. Como cresce dia a dia o número de veículos, a tendência é piorar ainda mais o congestionamento – o que leva técnicos a preverem como inevitável a implantação de perigos. (Adaptado de Folha de S. Paulo. 01/10/2000) Fonte: http://www.passeiweb.com http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/sala_de_aula/portugues/redacao/dissertacao_e_narracao/argumentos Tipos textuais predominantes: Argumentativo e Dissertativo Ponto de vista / Tese Defesa / Argumentação
  24. 24. Ao se desesperar num questionamento em São Paulo, daqueles em que o automóvel não se move nem quando o sinal está verde, o indivíduo deve saber que, por trás de sua irritação crônica e cotidiana, está uma monumental ignorância histórica. São Paulo só chegou a esse caos porque um seleto grupo de dirigentes decidiu, no início do século, que não deveríamos ter metrô. Como cresce dia a dia o número de veículos, a tendência é piorar ainda mais o congestionamento – o que leva técnicos a preverem como inevitável a implantação de perigos. (Adaptado de Folha de S. Paulo. 01/10/2000) Fonte: http://www.passeiweb.com http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/sala_de_aula/portugues/redacao/dissertacao_e_narracao/argumentos Tipos textuais predominantes: Argumentativo e Dissertativo Ponto de vista / Tese Defesa / Argumentação Contextualização
  25. 25. Fazendo a torta de refrigerante: Para fazer a massa, misture bem a farinha com a margarina e o sal, até que vire uma farofa mais fina devido aos ingredientes. Feito isso, vá despejando aos poucos o refrigerante até ficar uma massa mais consistente e melhor para ser trabalhada e moldada em uma forma. Se for necessário, acrescente um pouco mais de refrigerante ou de farinha para que ela não fique tão dura ou tão amolecida. Forre um tabuleiro com metade da massa e deixe descansar enquanto vai preparar o recheio que será usada na sua torta de refrigerante. Fonte: http://www.comofazer.com.br/como-fazer-torta-de-refrigerante/#ixzz3U5pstsxM Tipo textual predominante: Injuntivo
  26. 26. Fazendo a torta de refrigerante: Para fazer a massa, misture bem a farinha com a margarina e o sal, até que vire uma farofa mais fina devido aos ingredientes. Feito isso, vá despejando aos poucos o refrigerante até ficar uma massa mais consistente e melhor para ser trabalhada e moldada em uma forma. Se for necessário, acrescente um pouco mais de refrigerante ou de farinha para que ela não fique tão dura ou tão amolecida. Forre um tabuleiro com metade da massa e deixe descansar enquanto vai preparar o recheio que será usada na sua torta de refrigerante. Fonte: http://www.comofazer.com.br/como-fazer-torta-de-refrigerante/#ixzz3U5pstsxM Tipo textual predominante: Injuntivo Imperativo/Instruções
  27. 27. Fazendo a torta de refrigerante: Para fazer a massa, misture bem a farinha com a margarina e o sal, até que vire uma farofa mais fina devido aos ingredientes. Feito isso, vá despejando aos poucos o refrigerante até ficar uma massa mais consistente e melhor para ser trabalhada e moldada em uma forma. Se for necessário, acrescente um pouco mais de refrigerante ou de farinha para que ela não fique tão dura ou tão amolecida. Forre um tabuleiro com metade da massa e deixe descansar enquanto vai preparar o recheio que será usada na sua torta de refrigerante. Fonte: http://www.comofazer.com.br/como-fazer-torta-de-refrigerante/#ixzz3U5pstsxM Tipo textual predominante: Injuntivo Imperativo/Instruções Advérbios que complementam as instruções
  28. 28. Recebo outra carta da ravissante Dora Avante. Dorinha, como se sabe, não revela sua idade para ninguém, mas nega que já viu o Cometa Halley passar duas vezes. Só o Pitanguy e Deus sabem a sua verdadeira idade, e um está aposentado e o outro está quase. Dorinha tem se reunido com o seu grupo de carteado e pressão política, as Socialaites Socialistas, que lutam pela implantação no Brasil do socialismo soviético na sua fase terminal, que é a volta ao feudalismo (mas esclarecido desta vez, segundo elas). As reuniões das Socialaites Socialistas também tratam do trabalho social do grupo. Por exemplo: todas se comprometeram a doar seus botox para transplante, caso venham a morrer. O assunto predominante nas reuniões, claro, tem sido os escândalos das empreiteiras. Três do grupo estão com maridos presos, o que acham ótimo. “Assim pelo menos a gente sabe onde eles estão dormindo”, diz Suzana (“Su”) Cata, para inveja das que têm maridos soltos. Mas a preocupação maior de todas é… Deixemos que a própria Dorinha nos conte. Sua carta veio escrita com tinta púrpura em papel magenta cheirando a “Mange Moi”, um perfume proibido pelo Vaticano, mas que, dizem, o Papa Francisco está prestes a liberar. Trecho de "Outra carta da Dorinha", Luís Fernando Veríssimo Fonte: http://contobrasileiro.com.br/?p=2464
  29. 29. Recebo outra carta da ravissante Dora Avante. Dorinha, como se sabe, não revela sua idade para ninguém, mas nega que já viu o Cometa Halley passar duas vezes. Só o Pitanguy e Deus sabem a sua verdadeira idade, e um está aposentado e o outro está quase. Dorinha tem se reunido com o seu grupo de carteado e pressão política, as Socialaites Socialistas, que lutam pela implantação no Brasil do socialismo soviético na sua fase terminal, que é a volta ao feudalismo (mas esclarecido desta vez, segundo elas). As reuniões das Socialaites Socialistas também tratam do trabalho social do grupo. Por exemplo: todas se comprometeram a doar seus botox para transplante, caso venham a morrer. O assunto predominante nas reuniões, claro, tem sido os escândalos das empreiteiras. Três do grupo estão com maridos presos, o que acham ótimo. “Assim pelo menos a gente sabe onde eles estão dormindo”, diz Suzana (“Su”) Cata, para inveja das que têm maridos soltos. Mas a preocupação maior de todas é… Deixemos que a própria Dorinha nos conte. Sua carta veio escrita com tinta púrpura em papel magenta cheirando a “Mange Moi”, um perfume proibido pelo Vaticano, mas que, dizem, o Papa Francisco está prestes a liberar. Trecho de "Outra carta da Dorinha", Luís Fernando Veríssimo Fonte: http://contobrasileiro.com.br/?p=2464 Narração
  30. 30. Recebo outra carta da ravissante Dora Avante. Dorinha, como se sabe, não revela sua idade para ninguém, mas nega que já viu o Cometa Halley passar duas vezes. Só o Pitanguy e Deus sabem a sua verdadeira idade, e um está aposentado e o outro está quase. Dorinha tem se reunido com o seu grupo de carteado e pressão política, as Socialaites Socialistas, que lutam pela implantação no Brasil do socialismo soviético na sua fase terminal, que é a volta ao feudalismo (mas esclarecido desta vez, segundo elas). As reuniões das Socialaites Socialistas também tratam do trabalho social do grupo. Por exemplo: todas se comprometeram a doar seus botox para transplante, caso venham a morrer. O assunto predominante nas reuniões, claro, tem sido os escândalos das empreiteiras. Três do grupo estão com maridos presos, o que acham ótimo. “Assim pelo menos a gente sabe onde eles estão dormindo”, diz Suzana (“Su”) Cata, para inveja das que têm maridos soltos. Mas a preocupação maior de todas é… Deixemos que a própria Dorinha nos conte. Sua carta veio escrita com tinta púrpura em papel magenta cheirando a “Mange Moi”, um perfume proibido pelo Vaticano, mas que, dizem, o Papa Francisco está prestes a liberar. Trecho de "Outra carta da Dorinha", Luís Fernando Veríssimo Fonte: http://contobrasileiro.com.br/?p=2464 Narração Descrição
  31. 31. Recebo outra carta da ravissante Dora Avante. Dorinha, como se sabe, não revela sua idade para ninguém, mas nega que já viu o Cometa Halley passar duas vezes. Só o Pitanguy e Deus sabem a sua verdadeira idade, e um está aposentado e o outro está quase. Dorinha tem se reunido com o seu grupo de carteado e pressão política, as Socialaites Socialistas, que lutam pela implantação no Brasil do socialismo soviético na sua fase terminal, que é a volta ao feudalismo (mas esclarecido desta vez, segundo elas). As reuniões das Socialaites Socialistas também tratam do trabalho social do grupo. Por exemplo: todas se comprometeram a doar seus botox para transplante, caso venham a morrer. O assunto predominante nas reuniões, claro, tem sido os escândalos das empreiteiras. Três do grupo estão com maridos presos, o que acham ótimo. “Assim pelo menos a gente sabe onde eles estão dormindo”, diz Suzana (“Su”) Cata, para inveja das que têm maridos soltos. Mas a preocupação maior de todas é… Deixemos que a própria Dorinha nos conte. Sua carta veio escrita com tinta púrpura em papel magenta cheirando a “Mange Moi”, um perfume proibido pelo Vaticano, mas que, dizem, o Papa Francisco está prestes a liberar. Trecho de "Outra carta da Dorinha", Luís Fernando Veríssimo Fonte: http://contobrasileiro.com.br/?p=2464 Narração Descrição Personagens (Eu)
  32. 32. Recebo outra carta da ravissante Dora Avante. Dorinha, como se sabe, não revela sua idade para ninguém, mas nega que já viu o Cometa Halley passar duas vezes. Só o Pitanguy e Deus sabem a sua verdadeira idade, e um está aposentado e o outro está quase. Dorinha tem se reunido com o seu grupo de carteado e pressão política, as Socialaites Socialistas, que lutam pela implantação no Brasil do socialismo soviético na sua fase terminal, que é a volta ao feudalismo (mas esclarecido desta vez, segundo elas). As reuniões das Socialaites Socialistas também tratam do trabalho social do grupo. Por exemplo: todas se comprometeram a doar seus botox para transplante, caso venham a morrer. O assunto predominante nas reuniões, claro, tem sido os escândalos das empreiteiras. Três do grupo estão com maridos presos, o que acham ótimo. “Assim pelo menos a gente sabe onde eles estão dormindo”, diz Suzana (“Su”) Cata, para inveja das que têm maridos soltos. Mas a preocupação maior de todas é… Deixemos que a própria Dorinha nos conte. Sua carta veio escrita com tinta púrpura em papel magenta cheirando a “Mange Moi”, um perfume proibido pelo Vaticano, mas que, dizem, o Papa Francisco está prestes a liberar. Trecho de "Outra carta da Dorinha", Luís Fernando Veríssimo Fonte: http://contobrasileiro.com.br/?p=2464Gênero: Conto História curta, com poucas personagens e um único conflito, enredo breve. Descrição Personagens (Eu) Narração
  33. 33. Pegue duas medidas de estupidez Junte trinta e quatro partes de mentira Coloque tudo numa forma Untada previamente Com promessas não cumpridas Adicione a seguir o ódio e a inveja As dez colheres cheias de burrice Mexa tudo e misture bem E não se esqueça: antes de levar ao forno Temperar com essência de espírito de porco, Duas xícaras de indiferença E um tablete e meio de preguiça. Os Anjos - Renato Russo Fonte: http://letras.mus.br/renato-russo/74526/
  34. 34. Pegue duas medidas de estupidez Junte trinta e quatro partes de mentira Coloque tudo numa forma Untada previamente Com promessas não cumpridas Adicione a seguir o ódio e a inveja As dez colheres cheias de burrice Mexa tudo e misture bem E não se esqueça: antes de levar ao forno Temperar com essência de espírito de porco, Duas xícaras de indiferença E um tablete e meio de preguiça. Os Anjos - Renato Russo Fonte: http://letras.mus.br/renato-russo/74526/ Injunção
  35. 35. Pegue duas medidas de estupidez Junte trinta e quatro partes de mentira Coloque tudo numa forma Untada previamente Com promessas não cumpridas Adicione a seguir o ódio e a inveja As dez colheres cheias de burrice Mexa tudo e misture bem E não se esqueça: antes de levar ao forno Temperar com essência de espírito de porco, Duas xícaras de indiferença E um tablete e meio de preguiça. Os Anjos - Renato Russo Fonte: http://letras.mus.br/renato-russo/74526/ Injunção Elementos de uma receita culinária
  36. 36. Pegue duas medidas de estupidez Junte trinta e quatro partes de mentira Coloque tudo numa forma Untada previamente Com promessas não cumpridas Adicione a seguir o ódio e a inveja As dez colheres cheias de burrice Mexa tudo e misture bem E não se esqueça: antes de levar ao forno Temperar com essência de espírito de porco, Duas xícaras de indiferença E um tablete e meio de preguiça. Os Anjos - Renato Russo Fonte: http://letras.mus.br/renato-russo/74526/ Injunção Elementos de uma receita culinária Características humanas
  37. 37. Pegue duas medidas de estupidez Junte trinta e quatro partes de mentira Coloque tudo numa forma Untada previamente Com promessas não cumpridas Adicione a seguir o ódio e a inveja As dez colheres cheias de burrice Mexa tudo e misture bem E não se esqueça: antes de levar ao forno Temperar com essência de espírito de porco, Duas xícaras de indiferença E um tablete e meio de preguiça. Os Anjos - Renato Russo Fonte: http://letras.mus.br/renato-russo/74526/ Injunção Elementos de uma receita culinária Características humanas Texto em versos
  38. 38. Pegue duas medidas de estupidez Junte trinta e quatro partes de mentira Coloque tudo numa forma Untada previamente Com promessas não cumpridas Adicione a seguir o ódio e a inveja As dez colheres cheias de burrice Mexa tudo e misture bem E não se esqueça: antes de levar ao forno Temperar com essência de espírito de porco, Duas xícaras de indiferença E um tablete e meio de preguiça. Os Anjos - Renato Russo Fonte: http://letras.mus.br/renato-russo/74526/ Injunção Elementos de uma receita culinária Características humanas Texto em versos Gênero híbrido: Receita + Letra de música Mistura gêneros textuais aparentemente diferentes
  39. 39. Cynthia Funchal http://www.portuguesatodaprova.com.br • A reprodução, alteração e utilização dos slides e textos é livre para fins didáticos, porém, recomenda-se a citação da fonte. É expressamente proibida, para distribuição comercial, a veiculação deste material. • Desenvolvido através do PowerPoint Online: http://office.live.com.

×