Programa saúde da família

3.309 visualizações

Publicada em

0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.309
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
25
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
232
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Programa saúde da família

  1. 1. Programa Saúde daPrograma Saúde da FamíliaFamília Enfª : Cínthia Ferreira LimaEnfª : Cínthia Ferreira Lima
  2. 2. Conceito:Conceito: Estratégia que prioriza as ações deEstratégia que prioriza as ações de promoção, proteção e recuperaçãopromoção, proteção e recuperação da saúde dos indivíduos e dada saúde dos indivíduos e da família, de forma integral efamília, de forma integral e contínua.contínua.
  3. 3. Objetivos:Objetivos: 1. Reorganização da prática assistencial1. Reorganização da prática assistencial em novas bases e critérios.em novas bases e critérios.
  4. 4. Modelo tradicionalModelo tradicional Saúde da FamíliaSaúde da Família Centrada na doençaCentrada na doença Centrada na saúdeCentrada na saúde Atua sobre a demandaAtua sobre a demanda Atua com área de abrangênciaAtua com área de abrangência Ênfase na medicina curativaÊnfase na medicina curativa Ênfase na integralidade daÊnfase na integralidade da assistênciaassistência Trata o indivíduo como objetoTrata o indivíduo como objeto de açãode ação Estimula o auto-cuidadoEstimula o auto-cuidado Baixa resolutividadeBaixa resolutividade Alta resolutividadeAlta resolutividade Ação centrada no médicoAção centrada no médico Ação centrada na equipeAção centrada na equipe Limitada à ação setorialLimitada à ação setorial Ação intersetorialAção intersetorial
  5. 5. Modelo tradicionalModelo tradicional Saúde da famíliaSaúde da família Desvinculação dosDesvinculação dos profissionais e serviços comprofissionais e serviços com a comunidade.a comunidade. Vínculo da equipe com aVínculo da equipe com a comunidade /comunidade / longitudinalidade.longitudinalidade. Relação custo benefícioRelação custo benefício desvantajosa.desvantajosa. Relação custo benefícioRelação custo benefício vantajosa.vantajosa. Visão limitada ao indivíduoVisão limitada ao indivíduo e à doença.e à doença. Visão holística.Visão holística.
  6. 6. 2. Implementação de um modelo2. Implementação de um modelo assistencial compatível com asassistencial compatível com as diretrizes e princípios do SUS.diretrizes e princípios do SUS.
  7. 7. SUS- Sistema Único de SaúdeSUS- Sistema Único de Saúde Lei 8.080 , de 19 de setembro de 1990.Lei 8.080 , de 19 de setembro de 1990. Princípios e Diretrizes:Princípios e Diretrizes: - Universalidade do acessoUniversalidade do acesso - Integralidade da assistênciaIntegralidade da assistência - Igualdade da assistênciaIgualdade da assistência
  8. 8.  Participação da comunidadeParticipação da comunidade  Descentralização político –Descentralização político – administrativaadministrativa  Regionalização e hierarquizaçãoRegionalização e hierarquização  Capacidade de resolução dosCapacidade de resolução dos serviços, em todos os níveis deserviços, em todos os níveis de atenção.atenção.
  9. 9. 3. Ampliar o acesso da população ao3. Ampliar o acesso da população ao sistema de saúde.sistema de saúde. 4. Aumentar a cobertura assistencial.4. Aumentar a cobertura assistencial. 5. Promover a equidade na atenção à5. Promover a equidade na atenção à saúde.saúde.
  10. 10. 6. Aprofundar os laços de compromisso6. Aprofundar os laços de compromisso e de co - responsabilidade entree de co - responsabilidade entre instituições, profissionais de saúde einstituições, profissionais de saúde e população.população. 7. Divulgar o conceito de saúde como7. Divulgar o conceito de saúde como qualidade de vida e direito do cidadão.qualidade de vida e direito do cidadão.
  11. 11. Diretrizes Operacionais daDiretrizes Operacionais da Estratégia Saúde da FamíliaEstratégia Saúde da Família  Ter caráter substitutivoTer caráter substitutivo  Atuar no territórioAtuar no território  Realizar cadastramento domiciliar-Realizar cadastramento domiciliar- Ficha A.Ficha A.
  12. 12.  Realizar diagnóstico situacional:Realizar diagnóstico situacional: Dados relacionados a:Dados relacionados a: -território-território -geografia e ambiente-geografia e ambiente -delimitação do território no mapa-delimitação do território no mapa -urbanização /acesso-urbanização /acesso -características dos domicílios-características dos domicílios -perfil demográfico-perfil demográfico
  13. 13. -perfil socioeconômico-perfil socioeconômico -perfil institucional-perfil institucional -perfil epidemiológico-perfil epidemiológico -perfil de serviços-perfil de serviços
  14. 14.  Desenvolver atividades de acordo comDesenvolver atividades de acordo com o planejamento e programação .o planejamento e programação .  Desenvolver parceriasDesenvolver parcerias  Ser um espaço de construção deSer um espaço de construção de cidadaniacidadania
  15. 15. Cobertura:Cobertura:  Definição de território de atuação dasDefinição de território de atuação das UBS e adscrição da clientela:UBS e adscrição da clientela:  No máximo 4.000 habitantes por ESFNo máximo 4.000 habitantes por ESF  Média recomendada : 3.000Média recomendada : 3.000 habitantes/ESFhabitantes/ESF  Mínimo 400 pessoas por ACSMínimo 400 pessoas por ACS  Máximo 750 pessoas por ACSMáximo 750 pessoas por ACS
  16. 16.  Mínimo: 2.400 pessoas por equipe .Mínimo: 2.400 pessoas por equipe .  Máximo de 12 agentes por equipe.Máximo de 12 agentes por equipe.
  17. 17. Processo de trabalho das equipesProcesso de trabalho das equipes da atenção básica:da atenção básica: Manter atualizado o cadastramento dasManter atualizado o cadastramento das famíliasfamílias Prática do cuidado familiar ampliadoPrática do cuidado familiar ampliado Trabalho interdisciplinar e em equipeTrabalho interdisciplinar e em equipe Valorização dos diversos saberes eValorização dos diversos saberes e práticaspráticas
  18. 18. promoção e estímulo a participação dapromoção e estímulo a participação da comunidade no controle social.comunidade no controle social. Lei 8.142 , de 28 de dezembro de 1990.Lei 8.142 , de 28 de dezembro de 1990. Acompanhamento e avaliaçãoAcompanhamento e avaliação sistemática das ações.sistemática das ações.
  19. 19. Composição mínima da equipe:Composição mínima da equipe: 01 médico01 médico 01 enfermeiro01 enfermeiro 01 auxiliar ou técnico de enfermagem01 auxiliar ou técnico de enfermagem 06 agentes comunitários de saúde06 agentes comunitários de saúde
  20. 20. Incorporação de ESB na ESF:Incorporação de ESB na ESF: Itens necessários:Itens necessários: ESB, modalidade 1:ESB, modalidade 1: Composição básica: cirurgião dentistaComposição básica: cirurgião dentista auxiliar de consultório dentárioauxiliar de consultório dentário ESB, modalidade 2:ESB, modalidade 2: Composição básica:cirurgião dentistaComposição básica:cirurgião dentista auxiliar de consultório dentárioauxiliar de consultório dentário técnico de higiene dentaltécnico de higiene dental
  21. 21. Capacitação e Educação PermanenteCapacitação e Educação Permanente das Equipesdas Equipes
  22. 22. Áreas estratégicas de atuação :Áreas estratégicas de atuação :  Eliminação da hanseníaseEliminação da hanseníase  Controle da tuberculoseControle da tuberculose  Controle da hipertensão arterialControle da hipertensão arterial  Controle do diabetes mellitusControle do diabetes mellitus  Eliminação da desnutrição infantilEliminação da desnutrição infantil  Saúde da criançaSaúde da criança
  23. 23.  Saúde da mulherSaúde da mulher  Saúde do idosoSaúde do idoso  Saúde bucalSaúde bucal  Promoção da saúdePromoção da saúde
  24. 24. Conceitos básicos:Conceitos básicos:  Território – soloTerritório – solo  Território – processoTerritório – processo  Território – distritoTerritório – distrito  Território – áreaTerritório – área  Território - microáreaTerritório - microárea
  25. 25. TERRITORIALIZAÇÃO Território-distrito  é a delimitação de um território administrativo assistencial que congrega diferentes pontos da rede de Atenção à Saúde.
  26. 26. Território-área  é o território-processo de responsabilidade de uma equipe de Saúde da Família. TERRITORIALIZAÇÃO Enfermeira Aux. de Enfermagem Médico ACS Cirurgião Dentista ACD THD
  27. 27. MicroMicroáárearea –– 400400 a 750 pessoasa 750 pessoas para cada ACSpara cada ACS TerritTerritóório derio de abrangênciaabrangência 2.400 a 4.0002.400 a 4.000 Pessoas porPessoas por equipeequipe TERRITORIALIZAÇÃO
  28. 28. Território-microárea  é a subdivisão do território-área de responsabilidade da equipe de saúde para definição das áreas de atuação de cada Agente Comunitário de Saúde. TERRITORIALIZAÇÃO ACS
  29. 29. MicroMicroáárearea 400 a 750 pessoas400 a 750 pessoas MicroMicroáárearea 400 a 750 pessoas400 a 750 pessoas MicroMicroáárearea 400 a 750 pessoas400 a 750 pessoas TERRITORIALIZAÇÃO
  30. 30.  FamíliaFamília  DomicílioDomicílio  PeridomicílioPeridomicílio  AnexosAnexos
  31. 31. SIAB- Sistema de Informação daSIAB- Sistema de Informação da Atenção BásicaAtenção Básica Sistema idealizado para agregar eSistema idealizado para agregar e processar as informações sobre aprocessar as informações sobre a população visitada.população visitada.
  32. 32. Instrumentos de Coleta de Dados:Instrumentos de Coleta de Dados:  Cadastramento das famílias- Ficha ACadastramento das famílias- Ficha A  Acompanhamento de gestantes- Ficha B-Acompanhamento de gestantes- Ficha B- GESGES  Acompanhamento de hipertensos- FichaAcompanhamento de hipertensos- Ficha B-HAB-HA  Acompanhamento de diabéticos- Ficha B-Acompanhamento de diabéticos- Ficha B- DIADIA
  33. 33.  Acompanhamento de pacientes comAcompanhamento de pacientes com tuberculose- Ficha B –TBtuberculose- Ficha B –TB  Acompanhamento de pacientes comAcompanhamento de pacientes com hanseníase- Ficha B- HANhanseníase- Ficha B- HAN  Acompanhamento de Crianças- Ficha CAcompanhamento de Crianças- Ficha C (Cartão da Criança)(Cartão da Criança)  Registro de atividades, procedimentos eRegistro de atividades, procedimentos e notificações- Ficha Dnotificações- Ficha D
  34. 34. Instrumentos de consolidação dosInstrumentos de consolidação dos dados:dados:  Relatório de consolidado anual das famíliasRelatório de consolidado anual das famílias cadastradas- Relatório A1, A2, A3 e A4.cadastradas- Relatório A1, A2, A3 e A4.  Relatório de situação de saúde eRelatório de situação de saúde e acompanhamento das famílias- Relatórioacompanhamento das famílias- Relatório SSA2 e SSA4.SSA2 e SSA4.  Relatórios de produção e marcadores paraRelatórios de produção e marcadores para avaliação – Relatório PMA2 e PMA4.avaliação – Relatório PMA2 e PMA4.
  35. 35. Atribuições comuns aos profissionaisAtribuições comuns aos profissionais da ESF:da ESF:  participar do processo departicipar do processo de territorialização e mapeamento daterritorialização e mapeamento da área , identificar grupos de risco,área , identificar grupos de risco, priorizando situações.priorizando situações.
  36. 36.  Realizar o cuidado em saúde daRealizar o cuidado em saúde da população adscrita.população adscrita.  Realizar ações de atenção integral.Realizar ações de atenção integral.  Garantir integralidade da atenção.Garantir integralidade da atenção.  Realizar busca ativa e notificação deRealizar busca ativa e notificação de doenças e agravos de notificaçãodoenças e agravos de notificação compulsóriacompulsória
  37. 37.  Realizar escuta qualificada dasRealizar escuta qualificada das necessidades dos usuáriosnecessidades dos usuários (atendimento humanizado e(atendimento humanizado e estabelecimento de vínculo)estabelecimento de vínculo)  Responsabilizar- se pela populaçãoResponsabilizar- se pela população adscrita, mantendo a coordenação doadscrita, mantendo a coordenação do cuidado.cuidado.
  38. 38.  Participar das atividades deParticipar das atividades de planejamento e avaliação das ações daplanejamento e avaliação das ações da equipe.equipe.  Promover a mobilização e aPromover a mobilização e a participação da comunidade .participação da comunidade .  Identificar parceiros e recursos naIdentificar parceiros e recursos na comunidade.comunidade.
  39. 39.  Garantir a qualidade do registro dasGarantir a qualidade do registro das atividades nos sistemas nacionais deatividades nos sistemas nacionais de informação na atenção primária.informação na atenção primária.  Participar das atividades de educaçãoParticipar das atividades de educação permanente.permanente.  Realizar outras ações e atividades aRealizar outras ações e atividades a serem definidas de acordo com asserem definidas de acordo com as prioridades locais.prioridades locais.
  40. 40. Financiamento do SUS:Financiamento do SUS:  Blocos de financiamento :Blocos de financiamento : a.a. Atenção BásicaAtenção Básica b.b. Atenção da Média e AltaAtenção da Média e Alta ComplexidadeComplexidade c.c. Vigilância em SaúdeVigilância em Saúde d.d. Assistência farmacêuticaAssistência farmacêutica e.e. Gestão do SUSGestão do SUS
  41. 41. Financiamento para a AtençãoFinanciamento para a Atenção Básica:Básica:  Responsabilidade das três esferas de governoResponsabilidade das três esferas de governo  Dois componentes:Dois componentes: o Piso da Atenção Básica- PAB : destinado aoPiso da Atenção Básica- PAB : destinado ao custeio de ações de atenção básica de saúde.custeio de ações de atenção básica de saúde. o Piso da Atenção Básica Variável- PAB variável:Piso da Atenção Básica Variável- PAB variável: destinado ao custeio de estratégias específicasdestinado ao custeio de estratégias específicas desenvolvidas no âmbito da atenção básica dedesenvolvidas no âmbito da atenção básica de saúde.saúde.
  42. 42. Programas e Sistemas deProgramas e Sistemas de Informação inseridos noInformação inseridos no Programa Saúde da FamíliaPrograma Saúde da Família
  43. 43.  SIS- pré – natalSIS- pré – natal  SISVANSISVAN  SIS- coloSIS- colo  Programa Nacional de Suplementação dePrograma Nacional de Suplementação de FerroFerro  Monitorização das Doenças DiarréicasMonitorização das Doenças Diarréicas Agudas- MDDAAgudas- MDDA
  44. 44.  Programa de Prevenção Primária doPrograma de Prevenção Primária do Câncer- PREVPRICâncer- PREVPRI  SINANSINAN

×