SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
OBESIDADE (GORDURA), OBESIDADE INTRA ABDOMINAL, OBESIDADE VISCERAL,
OBESIDADE CENTRAL E SOBREPESO
O PESO CORPORAL TENDE A FLUTUAR EM ALGUNS QUILOS. DEPENDE DOS ALIMENTOS QUE VOCÊ ESTÁ
COMENDO E OS HORMÔNIOS TAMBÉM PODEM TER UM EFEITO IMPORTANTE NA QUANTIDADE DE ÁGUA
QUE SEU CORPO RETÉM (ESPECIALMENTE NAS MULHERES).
AS PESQUISAS MOSTRAM QUE SE FOSSE TÃO FÁCIL COMO O ENUNCIADO, JÁ TERÍAMOS A MUITO
TEMPO EQUACIONADO ESTE TRANSTORNO DESAGRADÁVEL PSICOLÓGICO, SAÚDE E QUALIDADE DE
VIDA. ENTRETANTO, AS ARTIMANHAS DE NOSSOS ORGANISMOS HUMANOS SÃO A MAQUINA MAIS
PERFEITAS QUE EXISTEM, É RESPONSÁVEL POR UMA PERFEIÇÃO UNICA E JAMAIS OS HUMANOS
CHEGARAM PERTO DE REPRODUZI-LA DEVIDO SUA COMPLEXIDADE E INDIVIDUALIDADE, NÃO EXISTEM
DUAS PESSOAS IGUAIS PROVAVELMENTE NO UNIVERSO, POIS A GENÉTICA E O MEIO AMBIENTE
INFLUENCIAM DIRETAMENTE NA ESTRUTURA E ARQUITETURA NOS MÍNIMOS DETALHES.
ALÉM DISSO, É POSSÍVEL GANHAR MÚSCULOS AO MESMO TEMPO EM QUE VOCÊ PERDE GORDURA.
ISSO É PARTICULARMENTE COMUM SE VOCÊ COMEÇOU A SE EXERCITAR RECENTEMENTE. ISSO É BOM,
POIS O QUE VOCÊ REALMENTE QUER PERDER É GORDURA CORPORAL, NÃO APENAS PESO. É UMA BOA
IDEIA USAR ALGO DIFERENTE DA ESCALA PARA AVALIAR SEU PROGRESSO. POR EXEMPLO, MEÇA A
CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA E O PERCENTUAL DE GORDURA CORPORAL UMA VEZ POR MÊS. ALÉM
DISSO, O QUÃO BEM SUAS ROUPAS SE ENCAIXAM E COMO VOCÊ SE OLHA NO ESPELHO PODE SER
MUITO REVELADOR. MAS NÃO SE ESQUEÇA QUE ESSES DETALHES SÃO APENAS COSMÉTICOS, POIS O
MAIS IMPORTANTE SÃO AS DOENÇAS QUE VOCÊ EVITARÁ SE A OBESIDADE PERSISTIR. PROGRESSOS
NA LUTA CONTRA A OBESIDADE, A RESISTÊNCIA À INSULINA E O DIABETES TIPO 2 (RELACIONADO AO
ESTILO DE VIDA).
CADA TÓPICO NÃO SE TRATA DE REPETIÇÃO DE MATÉRIAS ANTERIORES NA SEQUÊNCIA DESSAS
PESQUISAS PROSPECTIVAS, MAS SEU ENDOCRINOLOGISTA OU NEUROENDOCRINOLOGISTA DE
CONFIANÇA E EXPERIENTE, PODERÁ COMPLEMENTAR EM CASO DE ALGUNS DETALHES QUE NÃO
FOREM CONTEMPLADO COM ESTE RESUMO, DEVIDO A COMPLEXIDADE E EXTENSÃO DO ASSUNTO DE
UMA PESQUISA PROSPECTIVA. FISIOLOGIA–ENDOCRINOLOGIA–NEUROCIÊNCIA ENDÓCRINA
(NEUROENDOCRINOLOGIA) – GENÉTICA–ENDÓCRINO PEDIATRIA (DIVISÃO DA ENDOCRINOLOGIA) E
AUXOLOGIA = CRESCER (SUBDIVISÕES DA ENDOCRINOLOGIA): DR. CAIO JR., JOÃO SANTOS ET DRA.
CAIO, HENRIQUETA VERLANGIERI. SÃO PAULO.
Um platô de perda de peso pode ser explicado pelo
ganho muscular, alimentos não digeridos e flutuações
na água do corpo. Se a balança não se mexer, você
ainda pode estar perdendo gordura. Baixa ingestão
de proteínas pode paralisar seus esforços de perda
de peso. Certifique-se de comer muitos alimentos
ricos em proteínas. Certifique-se de basear sua dieta
em alimentos integrais. Comer demais alimentos
processados pode arruinar o seu sucesso na perda de
peso. O treinamento de força é uma maneira eficaz
de perder gordura. Previne a perda de massa
muscular frequentemente associada à perda de peso
e ajuda a manter a perda de gordura a longo prazo.
Se você costuma comer demais, isso pode explicar por que sua balança parece não se mover. O exercício
cardiovascular, também conhecido como exercício aeróbico ou cardio, é qualquer tipo de exercício que
aumenta sua frequência cardíaca. Inclui atividades como corrida, ciclismo e natação.
É uma das maneiras mais eficazes de melhorar sua
saúde. Também é muito eficaz na queima de gordura
da barriga, a gordura “visceral” prejudicial que se
acumula ao redor de seus órgãos e causa doenças.
Evitar todas as bebidas açucaradas é uma excelente
estratégia de perda de peso. Eles costumam constituir
uma parcela significativa da ingestão calórica das
pessoas. Não se esqueça de eliminar bebidas alcoólicas.
A falta de qualidade do sono é um forte fator de risco
para a obesidade. Também pode dificultar o seu
progresso na perda de peso. Para reduzir sua ingestão
de calorias, beba um copo de água antes das refeições.
A água potável também pode aumentar o número de
calorias que você queima. Sempre coma atentamente
ao tentar perder peso. Comer sem pensar é uma das principais razões pelas quais as pessoas lutam para
perder peso.
Condições médicas como hipotireoidismo, apneia do sono e SOP -síndrome de ovário policístico podem
estar dificultando seus esforços de perda de peso. Este é o motivo necessário para você buscar ajuda de
um endocrinologista, pois existem uma grande interferência de hormônios que só os fatores alimentares e
exercícios físicos não resolvem seu problema de obesidade. Se você estiver em valores aumentados de
IMC -índice de massa corporal, na grande maioria, seus esforços serão em vão e se não considerar que
não se trata de um platô de peso, mas um possível comprometimento mais sério que se não for corrigido
poderá evoluir para uma situação mais grave que só um endocrinologista experiente poderá ajuda-los.
Se você tem fortes desejos ou dependência alimentar, a perda de peso pode ser muito difícil. Considere
procurar ajuda profissional. O fato inquestionável é: As expectativas das pessoas às vezes não são
realistas quando se trata de perda de peso. Lembre-se de que perder peso leva tempo e nem todos
podem parecer um modelo de condicionamento físico. Fazer dieta não é uma solução a longo prazo. Se
você deseja perder peso e mantê-lo a longo prazo, concentre-se em adotar hábitos de vida mais
saudáveis.
A perda de peso nem sempre é fácil e vários fatores
podem paralisá-la. No nível mais básico, a falha na
perda de peso ocorre quando a ingestão calórica é
igual ou superior ao gasto calórico. “A famosa lei de
oferta e de procura”, no final, mudar seu peso e seu
estilo de vida exige dedicação, autodisciplina,
perseverança e resiliência. Muitas dietas da moda são
baseadas em nenhuma evidência científica e podem
ser contraproducentes para a perda de peso. As
grandes quantias que as pessoas ganham criando
dietas para perda de peso levaram a uma variedade
esmagadora. Muitas dessas dietas são altamente restritivas e podem causar problemas de saúde.
É possível que algumas dietas da moda, como a dieta de Atkins, resultem em perda de peso. Mas na
maioria dos casos, isso se deve à perda de água e músculos, e não de gordura, segundo pesquisadores da
área. Mas existem milhares de dietas da moda que é praticamente impossível enumeradas. Além disso,
essas dietas podem ser difíceis de manter, e a maioria das pessoas recupera qualquer peso perdido logo
após interromper a dieta. Esses tópicos não são para desanimá-los, mas para que tenham
responsabilidade com as centenas de doenças simples e muito grave que você pode ser acometida.
Nessas condições o correto é procurar um especialista endocrinologista e examinar todos os detalhes que
eventualmente não estão ligados apenas a ingestão de alimentos, mas interligadas, a doenças sem
sintomas claros que seguramente irá comprometer sua qualidade de vida ou pior.
NUNCA SE ESQUEÇA QUE NESSA ÁREA TODO E QUALQUER TRATAMENTO É INDIVIDUAL. MAS SEU
ENDOCRINOLOGISTA DE CONFIANÇA E EXPERIENTE, PODERÁ COMPLEMENTAR EM CASO DE ALGUNS DETALHES
QUE NÃO FOREM CONTEMPLADOS COM ESTE RESUMO INDIVIDUAL DE PESQUISA PROSPECTIVA.
Autores
Dr. João Santos Caio Jr.
Endocrinologista – Neuroendocrinologista
CRM 20611
Dra. Henriqueta Verlangieri Caio
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930
AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:
Caio JR. João Santos ET Caio, Henriqueta Verlangieri Obesidade, obesidade intra-abdominal, visceral,
central (gordura). 29 de mar. de 2019 -Academy.edu – Clinicas Van Der Häägen – São Paulo. Caio Junior,
João Santos, Henriqueta Verlangieri, Van Der Häägen Brazil, PESO IDEAL – Academy.edu.com. FEV.2019.
Caio Junior, João Santos, Caio, Henriqueta Verlangieri, Van Der Häägen
Brazil, http://esteatosehepatica.blogspot.com/ 9 de maio de 2012
Bellentani S, Scaglioni F, Marino M, Bedogni G. Epidemiologia da doença hepática gordurosa não alcoólica.
Dig Dis . 2010; 28 (1): 155–161.
Ratziu V, Bellentani S, Cortez-Pinto H, Dia C, Marchesini G. Uma declaração de posição sobre NAFLD /
NASH baseada na conferência especial EASL 2009. J Hepatol . 2010; 53 (2): 372–384.Speliotes EK,
Massaro JM, Hoffmann U, et al. O fígado gorduroso está associado à dislipidemia e à disglicemia
independente da gordura visceral: o Framingham Heart Study. Hepatologia . 2010; 51 (6): 1979-1987.
Angulo P. GI epidemiologia: doença hepática gordurosa não alcoólica. Aliment Pharmacol Ther . 2007; 25
(8): 883-889.,
Marschall P, et al. Impacto da doença hepática gordurosa na utilização de cuidados de saúde e custos em
uma população geral: uma observação de 5 anos. Gastroenterologia . 2008; 134 (1): 85-94.
Marra F, Gastaldelli A, Svegliati Baroni G., Tell G, base C. Tiribelli Molecular e mecanismos de progressão
da esteato-hepatite não alcoólica. Tendências Mol Med . 2008; 14 (2): 72-81.
Dia CP, James OF. Esteatose hepática: espectador inocente ou culpado? Hepatologia . 1998; 27 (6): 1463-
1466.
Grundy SM, Cleeman JI, Daniels SR, e outros; Associação Americana do Coração; Instituto Nacional do
Coração, Pulmão e Sangue. Diagnóstico e manejo da síndrome metabólica: uma declaração científica da
American Heart Association / National Heart, Lung, and Blood Institute [correções publicadas aparecem
em Circulation . 2005; 112 (17): e 298 e Circulação . 2005; 112 (17): e297]. Circulation . 2005; 112 (17):
2735-2752.
Farrell GC. O fígado e a cintura: cinquenta anos de crescimento. J Gastroenterol Hepatol . 2009; 24 (supl.
3): S105 – S118.
Fallo F, Dalla Pozaza A, Sonino N, et al. A doença hepática gordurosa não alcoólica está associada à
disfunção diastólica do ventrículo esquerdo na hipertensão essencial. Nutr Metab Cardiovasc Dis. 2009; 19
(9): 646–653.
Edens MA, Kuipers F, Stolk RP. A doença hepática gordurosa não alcoólica está associada a marcadores de
risco de doença cardiovascular. Obes Rev . 2009; 10 (4): 412-419.
G Targher, CP do dia, Bonora E. Risco de doença cardiovascular em pacientes com doença hepática
gordurosa não alcoólica. N Engl J Med . 2010; 363 (14): 1341–1350.
Loria P. Adinolfi LE, Bellentani S, et al .; Comitê de Especialistas em NAFLD da Associazione Italiana per lo
studio del Fegato. Diretrizes práticas para o diagnóstico e tratamento da doença hepática gordurosa não
alcoólica. Um decálogo do Comitê de Especialistas da Associação Italiana para o Estudo do Fígado (AISF).
Dig Liver Dis. 2010; 42 (4): 272-282.
Matthews DR, JP Hosker, Rudenski AS, Naylor BA, Tractor DF, Turner RC. Avaliação do modelo de
homeostase: resistência à insulina e função das células beta das concentrações plasmáticas de glicose e
insulina em jejum no homem. Diabetologia 1985; 28 (7): 412-419.
Katz A, Nambi SS, Mather K e outros. Índice quantitativo de vrificação da sensibilidade à insulina: um
método simples e preciso para avaliar a sensibilidade à insulina em humanos. J Clin Endocrinol Metab .
2000; 85 (7): 2402-2410.
Musso G, Gambino R, M Cassader, Pagano G. Meta-análise: história natural de doença hepática gordurosa
não alcoólica (DHGNA) e precisão diagnóstica de testes não invasivos para a gravidade da doença
hepática. Ann Med. 2011; 43 (8): 617-649.
Ma X, Holalkere NS, RA Kambadakone, Mino-Kenudson M., Hahn PF, Sahani DV. Quantificação baseada
em imagem da gordura hepática: métodos e aplicações clínicas. Radiographics . 2009; 29 (5): 1253–1277.
Roldan-Valadez E, Favila R, Martínez-López M., Uribe M, Méndez-Sánchez N. técnicas de imagem para
avaliar o teor de gordura hepática na doença hepática gordurosa não-alcoólica. Ann Hepatol. 2008; 7 (3):
212-220.
Mennesson N, Dumortier J, Hervieu V, et al. Quantificação da esteatose hepática por ressonância
magnética: estudo comparativo prospectivo com biópsia hepática. Thornhill (2008). A biologia evolutiva da
sexualidade feminina humana . ISBN 9780195340983.
Ley, CJ; Lees, B; Stevenson, JC (1992). “Alterações associadas ao sexo e à menopausa na distribuição de
gordura corporal”. American Journal of Clinical Nutrition. 55 (5): 950-954. doi : 10.1093 / ajcn / 55.5.950 .
PMID 1570802.
Poços, JCK (2007). “Dimorfismo sexual da composição corporal”. Melhores Práticas e Pesquisa
Endocrinologia Clínica e Metabolismo . 21 (3): 415-430. doi : 10.1016 / j.beem.2007.04.007 .
PMID 17875489 .
Despres, J.-P. (4 de setembro de 2012). “Distribuição de gordura corporal e risco de doença
cardiovascular: uma atualização”. Circulação . 126 (10): 1301–1313. doi : 10.1161 /
CIRCULATIONAHA.111.067264 . PMID 22949540 .
“Como o tipo de gordura que você afeta afeta seu risco de doença?” . weight-loss.yoexpert . Consultado
em 21 de março de 2016 .
Furnham, A .; Tan, T .; McManus, C. (1997). “Relação cintura-quadril e preferências pela forma do corpo:
uma replicação e extensão”. Personalidade e diferenças individuais . 22 (4): 539-549.
CiteSeerX 10.1.1.517.1397 . doi : 10.1016 / s0191-8869 (96) 00241-3 .
Kirchengast, S .; Gruber, D .; Sator, M .; Hartmann, B .; Knogler, W .; Huber, J. (1997). “Diferenças
associadas à menopausa no padrão de gordura feminino estimado por absorciometria de dupla energia
por raios-X”. Anais da biologia humana . 24 (1): 45-54. doi : 10.1080 / 03014469700004762 .
PMID 9022905 .
Ali, A; Crowther, N (2005). “Distribuição de gordura corporal e resistência à insulina”. Revista Médica da
África do Sul . 95 (11): 878-880. PMID 16344887 .
Sutherland, HW; Stowers, JM (1978). Metabolismo de carboidratos na gravidez e no recém-nascido . ISBN
978-3-540-08798-4.
Ploughman, Sharon; Smith, Denise (2008). Fisiologia do exercício para saúde, condicionamento físico e
desempenho . ISBN 978-0-7817-8406-1.
Informação da lipoaspiração: Pilhas gordas e sua anatomia . liposuction4you . Consultado em 21 de março
de 2016 .
Ali, A; Nigel, C (2005). “Distribuição de gordura corporal e resistência à insulina”. South African Medical
Journal (95): 878-880.
Aucouturier, J; Meyer, M; Thivel, D; Taillardat, M; Duché, P (2009). “Efeito do andróide para a proporção
de gordura ginóide na resistência à insulina em jovens obesos”. Arquivos de Pediatria e Medicina do
Adolescente . 163 (9): 826-831. doi : 10.1001 / archpediatrics.2009.148 . PMID 19736336 .
Wysocki, M; Krotkiewski, M; Braide, M; Bagge, U (3 de janeiro de 1991). “Distúrbios hemorreológicos,
parâmetros metabólicos e pressão arterial em diferentes tipos de obesidade”. Aterosclerose . 88 (1): 21–
28. doi : 10.1016 / 0021-9150 (91) 90253-y . PMID 1878007.
Kirchengast, S; Huber, J (2004). “Características da composição corporal e padrões de distribuição de
gordura em mulheres jovens inférteis”. Fertilidade e esterilidade. 81 (3): 539-44
CONTATO:
Fones: 55(11) 2371-3337 / (11) 5572-4848
Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj. 121
Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002
e-mail: vanderhaagenbrasil@gmail.com
Site Van Der Häägen Brazil
http://www.vanderhaagenbrazil.com.br
http://drcaiojr.site.med.br
http://dracaio.site.med.br
Joao Santos Caio Jr
http://google.com/+JoaoSantosCaioJr
google.com/+JoãoSantosCaioJrvdh
google.com/+VANDERHAAGENBRAZILvdh
Redes Sociais
https://www.tumblr.com/blog/myjoaosantoscaiojr
Joao Santos Caio JrSiga no
https://www.slideshare.net/CLINICACAIO
https://independent.academia.edu/JoaoSantosCaioJr
https://vanderhaagenclinic.wordpress.com/
https://instagram.com/clinicascaio/
https://visitsite.pro/clinicascaio
Acesse nosso canal deixe seu like!
https://www.youtube.com/user/vanderhaagenbrazil1/videos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Obesidade tratamento dietético
Obesidade tratamento dietéticoObesidade tratamento dietético
Obesidade tratamento dietéticoDr. Benevenuto
 
Reabilitação do Idoso
Reabilitação do IdosoReabilitação do Idoso
Reabilitação do IdosoDany Romeira
 
A Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida Mudado
A Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida MudadoA Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida Mudado
A Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida MudadoVan Der Häägen Brazil
 
Terapia Nutricional no idoso com câncer
Terapia Nutricional no idoso com câncerTerapia Nutricional no idoso com câncer
Terapia Nutricional no idoso com câncerBrendha Soares
 
Nutrição na atividade física e estilos de vida saudáveis: Novas perspetivas
Nutrição na atividade física e estilos de vida saudáveis: Novas perspetivasNutrição na atividade física e estilos de vida saudáveis: Novas perspetivas
Nutrição na atividade física e estilos de vida saudáveis: Novas perspetivasDiogo Teixeira
 
Apostila ensino médio alimentacao saudavel
Apostila ensino médio alimentacao saudavelApostila ensino médio alimentacao saudavel
Apostila ensino médio alimentacao saudavelReginaldo Pazinatto
 
DIABETES MELLITUS TIPO 2, ENDOCRINOLOGIA, RESUMO RELEVANTE ATUALIZADO
DIABETES MELLITUS TIPO 2, ENDOCRINOLOGIA, RESUMO RELEVANTE ATUALIZADODIABETES MELLITUS TIPO 2, ENDOCRINOLOGIA, RESUMO RELEVANTE ATUALIZADO
DIABETES MELLITUS TIPO 2, ENDOCRINOLOGIA, RESUMO RELEVANTE ATUALIZADOVan Der Häägen Brazil
 
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idosoJose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idosocomunidadedepraticas
 
10 benefícios de jejum intermitente mais quem não deve experimentá-lo
10 benefícios de jejum intermitente mais quem não deve experimentá-lo10 benefícios de jejum intermitente mais quem não deve experimentá-lo
10 benefícios de jejum intermitente mais quem não deve experimentá-loTookmed
 
Obesidade é uma doença multifatorial e exige tratamento multidisciplinar
Obesidade é uma doença multifatorial e exige tratamento multidisciplinarObesidade é uma doença multifatorial e exige tratamento multidisciplinar
Obesidade é uma doença multifatorial e exige tratamento multidisciplinarVan Der Häägen Brazil
 
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009Dr. Benevenuto
 
Habitos de vida_saudavel
Habitos de vida_saudavelHabitos de vida_saudavel
Habitos de vida_saudavelPelo Siro
 

Mais procurados (20)

Obesidade tratamento dietético
Obesidade tratamento dietéticoObesidade tratamento dietético
Obesidade tratamento dietético
 
Reabilitação do Idoso
Reabilitação do IdosoReabilitação do Idoso
Reabilitação do Idoso
 
Qualidade De Vida Na Maturidade
Qualidade De Vida Na MaturidadeQualidade De Vida Na Maturidade
Qualidade De Vida Na Maturidade
 
A Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida Mudado
A Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida MudadoA Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida Mudado
A Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida Mudado
 
Terapia Nutricional no idoso com câncer
Terapia Nutricional no idoso com câncerTerapia Nutricional no idoso com câncer
Terapia Nutricional no idoso com câncer
 
Pdf dalila de sousa rodrigues
Pdf   dalila de sousa rodriguesPdf   dalila de sousa rodrigues
Pdf dalila de sousa rodrigues
 
Anticancer
AnticancerAnticancer
Anticancer
 
Nutrição na atividade física e estilos de vida saudáveis: Novas perspetivas
Nutrição na atividade física e estilos de vida saudáveis: Novas perspetivasNutrição na atividade física e estilos de vida saudáveis: Novas perspetivas
Nutrição na atividade física e estilos de vida saudáveis: Novas perspetivas
 
Apostila ensino médio alimentacao saudavel
Apostila ensino médio alimentacao saudavelApostila ensino médio alimentacao saudavel
Apostila ensino médio alimentacao saudavel
 
Joana_Sedentarismo
Joana_SedentarismoJoana_Sedentarismo
Joana_Sedentarismo
 
DIABETES MELLITUS TIPO 2, ENDOCRINOLOGIA, RESUMO RELEVANTE ATUALIZADO
DIABETES MELLITUS TIPO 2, ENDOCRINOLOGIA, RESUMO RELEVANTE ATUALIZADODIABETES MELLITUS TIPO 2, ENDOCRINOLOGIA, RESUMO RELEVANTE ATUALIZADO
DIABETES MELLITUS TIPO 2, ENDOCRINOLOGIA, RESUMO RELEVANTE ATUALIZADO
 
Alterações fisiológicas do envelhecimento
Alterações fisiológicas do envelhecimentoAlterações fisiológicas do envelhecimento
Alterações fisiológicas do envelhecimento
 
Sindrome da fragilidade UERJ - 2013
Sindrome da fragilidade   UERJ - 2013Sindrome da fragilidade   UERJ - 2013
Sindrome da fragilidade UERJ - 2013
 
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idosoJose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
 
10 benefícios de jejum intermitente mais quem não deve experimentá-lo
10 benefícios de jejum intermitente mais quem não deve experimentá-lo10 benefícios de jejum intermitente mais quem não deve experimentá-lo
10 benefícios de jejum intermitente mais quem não deve experimentá-lo
 
Obesidade é uma doença multifatorial e exige tratamento multidisciplinar
Obesidade é uma doença multifatorial e exige tratamento multidisciplinarObesidade é uma doença multifatorial e exige tratamento multidisciplinar
Obesidade é uma doença multifatorial e exige tratamento multidisciplinar
 
Aula 1 fgg
Aula 1 fggAula 1 fgg
Aula 1 fgg
 
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
 
1. avaliação estado nutricional
1. avaliação estado nutricional1. avaliação estado nutricional
1. avaliação estado nutricional
 
Habitos de vida_saudavel
Habitos de vida_saudavelHabitos de vida_saudavel
Habitos de vida_saudavel
 

Semelhante a Perda de peso e saúde: fatores que influenciam

Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...Van Der Häägen Brazil
 
Trabalho de ciencias de lara
Trabalho de ciencias de laraTrabalho de ciencias de lara
Trabalho de ciencias de laraCarla Gomes
 
Manual alimentacao saudavel
Manual alimentacao saudavelManual alimentacao saudavel
Manual alimentacao saudavelosvaldo64gomes
 
Apostila de educação física 3º bimestre 2º ano
Apostila de educação física 3º bimestre   2º anoApostila de educação física 3º bimestre   2º ano
Apostila de educação física 3º bimestre 2º anoTiago Oliveira
 
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012Dr. Benevenuto
 
OBESIDADE SEM CONTROLE ATUALIZAÇÃO RECENTE
OBESIDADE SEM CONTROLE ATUALIZAÇÃO RECENTEOBESIDADE SEM CONTROLE ATUALIZAÇÃO RECENTE
OBESIDADE SEM CONTROLE ATUALIZAÇÃO RECENTEVan Der Häägen Brazil
 
Obesidade - apresentação.ppsx
Obesidade - apresentação.ppsxObesidade - apresentação.ppsx
Obesidade - apresentação.ppsxErikaeAlexandre
 
Medicina / Case: Obesidade
Medicina / Case: ObesidadeMedicina / Case: Obesidade
Medicina / Case: ObesidadeZé Moleza
 
Obesidade CriançA E Adolescente
Obesidade CriançA E AdolescenteObesidade CriançA E Adolescente
Obesidade CriançA E Adolescentehudsonjunior
 
Estilos de vida saudáveis
Estilos de vida saudáveisEstilos de vida saudáveis
Estilos de vida saudáveisjdjoana
 

Semelhante a Perda de peso e saúde: fatores que influenciam (20)

Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
 
Agressão da Obesidade em Nosso Corpo
Agressão da Obesidade em Nosso CorpoAgressão da Obesidade em Nosso Corpo
Agressão da Obesidade em Nosso Corpo
 
Trabalho de ciencias de lara
Trabalho de ciencias de laraTrabalho de ciencias de lara
Trabalho de ciencias de lara
 
Manual alimentacao saudavel
Manual alimentacao saudavelManual alimentacao saudavel
Manual alimentacao saudavel
 
Apostila de educação física 3º bimestre 2º ano
Apostila de educação física 3º bimestre   2º anoApostila de educação física 3º bimestre   2º ano
Apostila de educação física 3º bimestre 2º ano
 
Dietas da moda
Dietas da modaDietas da moda
Dietas da moda
 
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012
 
OBESIDADE SEM CONTROLE ATUALIZAÇÃO RECENTE
OBESIDADE SEM CONTROLE ATUALIZAÇÃO RECENTEOBESIDADE SEM CONTROLE ATUALIZAÇÃO RECENTE
OBESIDADE SEM CONTROLE ATUALIZAÇÃO RECENTE
 
Decisão Clinica, Emagreça !
Decisão Clinica, Emagreça !Decisão Clinica, Emagreça !
Decisão Clinica, Emagreça !
 
Obesidade - apresentação.ppsx
Obesidade - apresentação.ppsxObesidade - apresentação.ppsx
Obesidade - apresentação.ppsx
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Obesidade controlada
Obesidade controladaObesidade controlada
Obesidade controlada
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 
HIPOTIREOIDISMO E OBESIDADE
HIPOTIREOIDISMO E OBESIDADEHIPOTIREOIDISMO E OBESIDADE
HIPOTIREOIDISMO E OBESIDADE
 
Pense Magro
Pense MagroPense Magro
Pense Magro
 
Obesidade uma Epidemia
Obesidade uma EpidemiaObesidade uma Epidemia
Obesidade uma Epidemia
 
Medicina / Case: Obesidade
Medicina / Case: ObesidadeMedicina / Case: Obesidade
Medicina / Case: Obesidade
 
EMcontro SPEM: Nutrição na Esclerose Múltipla - 3 outubro 2015 - Paula Pereira
EMcontro SPEM: Nutrição na Esclerose Múltipla - 3 outubro 2015 - Paula PereiraEMcontro SPEM: Nutrição na Esclerose Múltipla - 3 outubro 2015 - Paula Pereira
EMcontro SPEM: Nutrição na Esclerose Múltipla - 3 outubro 2015 - Paula Pereira
 
Obesidade CriançA E Adolescente
Obesidade CriançA E AdolescenteObesidade CriançA E Adolescente
Obesidade CriançA E Adolescente
 
Estilos de vida saudáveis
Estilos de vida saudáveisEstilos de vida saudáveis
Estilos de vida saudáveis
 

Mais de Van Der Häägen Brazil

OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDEOBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDEVan Der Häägen Brazil
 
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...Van Der Häägen Brazil
 
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...Van Der Häägen Brazil
 
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...Van Der Häägen Brazil
 
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMOPODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMOVan Der Häägen Brazil
 
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDEOBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDEVan Der Häägen Brazil
 
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...Van Der Häägen Brazil
 
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESONOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESOVan Der Häägen Brazil
 
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICAINTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICAVan Der Häägen Brazil
 
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.Van Der Häägen Brazil
 
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...Van Der Häägen Brazil
 

Mais de Van Der Häägen Brazil (20)

OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDEOBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
 
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
 
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
 
GORDURA VISCERAL
GORDURA VISCERALGORDURA VISCERAL
GORDURA VISCERAL
 
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
 
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMOPODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
 
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDEOBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
 
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
 
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESONOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
 
OBESIDADE EM PACIENTES INFANTIL
OBESIDADE EM PACIENTES INFANTILOBESIDADE EM PACIENTES INFANTIL
OBESIDADE EM PACIENTES INFANTIL
 
OBESIDADE E SUAS CAUSAS
OBESIDADE E SUAS CAUSASOBESIDADE E SUAS CAUSAS
OBESIDADE E SUAS CAUSAS
 
OBESITY AND GENETICS
OBESITY AND GENETICSOBESITY AND GENETICS
OBESITY AND GENETICS
 
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICAINTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
 
GORDURA (ADIPÓCITO)
GORDURA (ADIPÓCITO)GORDURA (ADIPÓCITO)
GORDURA (ADIPÓCITO)
 
GENEALOGIA
GENEALOGIAGENEALOGIA
GENEALOGIA
 
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
 
OBESIDADE ABDOMINAL
OBESIDADE ABDOMINAL OBESIDADE ABDOMINAL
OBESIDADE ABDOMINAL
 
SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)
SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)
SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)
 
GORDURA EM EXCESSO
GORDURA EM EXCESSOGORDURA EM EXCESSO
GORDURA EM EXCESSO
 
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
 

Último

Assistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesicoAssistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesicoWilliamdaCostaMoreir
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCAmamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 

Último (6)

Assistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesicoAssistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesico
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCAmamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 

Perda de peso e saúde: fatores que influenciam

  • 1. OBESIDADE (GORDURA), OBESIDADE INTRA ABDOMINAL, OBESIDADE VISCERAL, OBESIDADE CENTRAL E SOBREPESO O PESO CORPORAL TENDE A FLUTUAR EM ALGUNS QUILOS. DEPENDE DOS ALIMENTOS QUE VOCÊ ESTÁ COMENDO E OS HORMÔNIOS TAMBÉM PODEM TER UM EFEITO IMPORTANTE NA QUANTIDADE DE ÁGUA QUE SEU CORPO RETÉM (ESPECIALMENTE NAS MULHERES). AS PESQUISAS MOSTRAM QUE SE FOSSE TÃO FÁCIL COMO O ENUNCIADO, JÁ TERÍAMOS A MUITO TEMPO EQUACIONADO ESTE TRANSTORNO DESAGRADÁVEL PSICOLÓGICO, SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA. ENTRETANTO, AS ARTIMANHAS DE NOSSOS ORGANISMOS HUMANOS SÃO A MAQUINA MAIS PERFEITAS QUE EXISTEM, É RESPONSÁVEL POR UMA PERFEIÇÃO UNICA E JAMAIS OS HUMANOS CHEGARAM PERTO DE REPRODUZI-LA DEVIDO SUA COMPLEXIDADE E INDIVIDUALIDADE, NÃO EXISTEM DUAS PESSOAS IGUAIS PROVAVELMENTE NO UNIVERSO, POIS A GENÉTICA E O MEIO AMBIENTE INFLUENCIAM DIRETAMENTE NA ESTRUTURA E ARQUITETURA NOS MÍNIMOS DETALHES. ALÉM DISSO, É POSSÍVEL GANHAR MÚSCULOS AO MESMO TEMPO EM QUE VOCÊ PERDE GORDURA. ISSO É PARTICULARMENTE COMUM SE VOCÊ COMEÇOU A SE EXERCITAR RECENTEMENTE. ISSO É BOM, POIS O QUE VOCÊ REALMENTE QUER PERDER É GORDURA CORPORAL, NÃO APENAS PESO. É UMA BOA IDEIA USAR ALGO DIFERENTE DA ESCALA PARA AVALIAR SEU PROGRESSO. POR EXEMPLO, MEÇA A CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA E O PERCENTUAL DE GORDURA CORPORAL UMA VEZ POR MÊS. ALÉM DISSO, O QUÃO BEM SUAS ROUPAS SE ENCAIXAM E COMO VOCÊ SE OLHA NO ESPELHO PODE SER MUITO REVELADOR. MAS NÃO SE ESQUEÇA QUE ESSES DETALHES SÃO APENAS COSMÉTICOS, POIS O MAIS IMPORTANTE SÃO AS DOENÇAS QUE VOCÊ EVITARÁ SE A OBESIDADE PERSISTIR. PROGRESSOS NA LUTA CONTRA A OBESIDADE, A RESISTÊNCIA À INSULINA E O DIABETES TIPO 2 (RELACIONADO AO ESTILO DE VIDA).
  • 2. CADA TÓPICO NÃO SE TRATA DE REPETIÇÃO DE MATÉRIAS ANTERIORES NA SEQUÊNCIA DESSAS PESQUISAS PROSPECTIVAS, MAS SEU ENDOCRINOLOGISTA OU NEUROENDOCRINOLOGISTA DE CONFIANÇA E EXPERIENTE, PODERÁ COMPLEMENTAR EM CASO DE ALGUNS DETALHES QUE NÃO FOREM CONTEMPLADO COM ESTE RESUMO, DEVIDO A COMPLEXIDADE E EXTENSÃO DO ASSUNTO DE UMA PESQUISA PROSPECTIVA. FISIOLOGIA–ENDOCRINOLOGIA–NEUROCIÊNCIA ENDÓCRINA (NEUROENDOCRINOLOGIA) – GENÉTICA–ENDÓCRINO PEDIATRIA (DIVISÃO DA ENDOCRINOLOGIA) E AUXOLOGIA = CRESCER (SUBDIVISÕES DA ENDOCRINOLOGIA): DR. CAIO JR., JOÃO SANTOS ET DRA. CAIO, HENRIQUETA VERLANGIERI. SÃO PAULO. Um platô de perda de peso pode ser explicado pelo ganho muscular, alimentos não digeridos e flutuações na água do corpo. Se a balança não se mexer, você ainda pode estar perdendo gordura. Baixa ingestão de proteínas pode paralisar seus esforços de perda de peso. Certifique-se de comer muitos alimentos ricos em proteínas. Certifique-se de basear sua dieta em alimentos integrais. Comer demais alimentos processados pode arruinar o seu sucesso na perda de peso. O treinamento de força é uma maneira eficaz de perder gordura. Previne a perda de massa muscular frequentemente associada à perda de peso e ajuda a manter a perda de gordura a longo prazo. Se você costuma comer demais, isso pode explicar por que sua balança parece não se mover. O exercício cardiovascular, também conhecido como exercício aeróbico ou cardio, é qualquer tipo de exercício que aumenta sua frequência cardíaca. Inclui atividades como corrida, ciclismo e natação. É uma das maneiras mais eficazes de melhorar sua saúde. Também é muito eficaz na queima de gordura da barriga, a gordura “visceral” prejudicial que se acumula ao redor de seus órgãos e causa doenças. Evitar todas as bebidas açucaradas é uma excelente estratégia de perda de peso. Eles costumam constituir uma parcela significativa da ingestão calórica das pessoas. Não se esqueça de eliminar bebidas alcoólicas. A falta de qualidade do sono é um forte fator de risco para a obesidade. Também pode dificultar o seu progresso na perda de peso. Para reduzir sua ingestão de calorias, beba um copo de água antes das refeições. A água potável também pode aumentar o número de calorias que você queima. Sempre coma atentamente ao tentar perder peso. Comer sem pensar é uma das principais razões pelas quais as pessoas lutam para perder peso.
  • 3. Condições médicas como hipotireoidismo, apneia do sono e SOP -síndrome de ovário policístico podem estar dificultando seus esforços de perda de peso. Este é o motivo necessário para você buscar ajuda de um endocrinologista, pois existem uma grande interferência de hormônios que só os fatores alimentares e exercícios físicos não resolvem seu problema de obesidade. Se você estiver em valores aumentados de IMC -índice de massa corporal, na grande maioria, seus esforços serão em vão e se não considerar que não se trata de um platô de peso, mas um possível comprometimento mais sério que se não for corrigido poderá evoluir para uma situação mais grave que só um endocrinologista experiente poderá ajuda-los. Se você tem fortes desejos ou dependência alimentar, a perda de peso pode ser muito difícil. Considere procurar ajuda profissional. O fato inquestionável é: As expectativas das pessoas às vezes não são realistas quando se trata de perda de peso. Lembre-se de que perder peso leva tempo e nem todos podem parecer um modelo de condicionamento físico. Fazer dieta não é uma solução a longo prazo. Se você deseja perder peso e mantê-lo a longo prazo, concentre-se em adotar hábitos de vida mais saudáveis. A perda de peso nem sempre é fácil e vários fatores podem paralisá-la. No nível mais básico, a falha na perda de peso ocorre quando a ingestão calórica é igual ou superior ao gasto calórico. “A famosa lei de oferta e de procura”, no final, mudar seu peso e seu estilo de vida exige dedicação, autodisciplina, perseverança e resiliência. Muitas dietas da moda são baseadas em nenhuma evidência científica e podem ser contraproducentes para a perda de peso. As grandes quantias que as pessoas ganham criando dietas para perda de peso levaram a uma variedade
  • 4. esmagadora. Muitas dessas dietas são altamente restritivas e podem causar problemas de saúde. É possível que algumas dietas da moda, como a dieta de Atkins, resultem em perda de peso. Mas na maioria dos casos, isso se deve à perda de água e músculos, e não de gordura, segundo pesquisadores da área. Mas existem milhares de dietas da moda que é praticamente impossível enumeradas. Além disso, essas dietas podem ser difíceis de manter, e a maioria das pessoas recupera qualquer peso perdido logo após interromper a dieta. Esses tópicos não são para desanimá-los, mas para que tenham responsabilidade com as centenas de doenças simples e muito grave que você pode ser acometida. Nessas condições o correto é procurar um especialista endocrinologista e examinar todos os detalhes que eventualmente não estão ligados apenas a ingestão de alimentos, mas interligadas, a doenças sem sintomas claros que seguramente irá comprometer sua qualidade de vida ou pior. NUNCA SE ESQUEÇA QUE NESSA ÁREA TODO E QUALQUER TRATAMENTO É INDIVIDUAL. MAS SEU ENDOCRINOLOGISTA DE CONFIANÇA E EXPERIENTE, PODERÁ COMPLEMENTAR EM CASO DE ALGUNS DETALHES QUE NÃO FOREM CONTEMPLADOS COM ESTE RESUMO INDIVIDUAL DE PESQUISA PROSPECTIVA. Autores Dr. João Santos Caio Jr. Endocrinologista – Neuroendocrinologista CRM 20611 Dra. Henriqueta Verlangieri Caio Endocrinologista – Medicina Interna CRM 28930
  • 5. AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA: Caio JR. João Santos ET Caio, Henriqueta Verlangieri Obesidade, obesidade intra-abdominal, visceral, central (gordura). 29 de mar. de 2019 -Academy.edu – Clinicas Van Der Häägen – São Paulo. Caio Junior, João Santos, Henriqueta Verlangieri, Van Der Häägen Brazil, PESO IDEAL – Academy.edu.com. FEV.2019. Caio Junior, João Santos, Caio, Henriqueta Verlangieri, Van Der Häägen Brazil, http://esteatosehepatica.blogspot.com/ 9 de maio de 2012 Bellentani S, Scaglioni F, Marino M, Bedogni G. Epidemiologia da doença hepática gordurosa não alcoólica. Dig Dis . 2010; 28 (1): 155–161. Ratziu V, Bellentani S, Cortez-Pinto H, Dia C, Marchesini G. Uma declaração de posição sobre NAFLD / NASH baseada na conferência especial EASL 2009. J Hepatol . 2010; 53 (2): 372–384.Speliotes EK, Massaro JM, Hoffmann U, et al. O fígado gorduroso está associado à dislipidemia e à disglicemia independente da gordura visceral: o Framingham Heart Study. Hepatologia . 2010; 51 (6): 1979-1987. Angulo P. GI epidemiologia: doença hepática gordurosa não alcoólica. Aliment Pharmacol Ther . 2007; 25 (8): 883-889., Marschall P, et al. Impacto da doença hepática gordurosa na utilização de cuidados de saúde e custos em uma população geral: uma observação de 5 anos. Gastroenterologia . 2008; 134 (1): 85-94. Marra F, Gastaldelli A, Svegliati Baroni G., Tell G, base C. Tiribelli Molecular e mecanismos de progressão da esteato-hepatite não alcoólica. Tendências Mol Med . 2008; 14 (2): 72-81. Dia CP, James OF. Esteatose hepática: espectador inocente ou culpado? Hepatologia . 1998; 27 (6): 1463- 1466. Grundy SM, Cleeman JI, Daniels SR, e outros; Associação Americana do Coração; Instituto Nacional do Coração, Pulmão e Sangue. Diagnóstico e manejo da síndrome metabólica: uma declaração científica da American Heart Association / National Heart, Lung, and Blood Institute [correções publicadas aparecem em Circulation . 2005; 112 (17): e 298 e Circulação . 2005; 112 (17): e297]. Circulation . 2005; 112 (17): 2735-2752. Farrell GC. O fígado e a cintura: cinquenta anos de crescimento. J Gastroenterol Hepatol . 2009; 24 (supl. 3): S105 – S118. Fallo F, Dalla Pozaza A, Sonino N, et al. A doença hepática gordurosa não alcoólica está associada à disfunção diastólica do ventrículo esquerdo na hipertensão essencial. Nutr Metab Cardiovasc Dis. 2009; 19 (9): 646–653. Edens MA, Kuipers F, Stolk RP. A doença hepática gordurosa não alcoólica está associada a marcadores de risco de doença cardiovascular. Obes Rev . 2009; 10 (4): 412-419. G Targher, CP do dia, Bonora E. Risco de doença cardiovascular em pacientes com doença hepática gordurosa não alcoólica. N Engl J Med . 2010; 363 (14): 1341–1350. Loria P. Adinolfi LE, Bellentani S, et al .; Comitê de Especialistas em NAFLD da Associazione Italiana per lo studio del Fegato. Diretrizes práticas para o diagnóstico e tratamento da doença hepática gordurosa não alcoólica. Um decálogo do Comitê de Especialistas da Associação Italiana para o Estudo do Fígado (AISF). Dig Liver Dis. 2010; 42 (4): 272-282. Matthews DR, JP Hosker, Rudenski AS, Naylor BA, Tractor DF, Turner RC. Avaliação do modelo de homeostase: resistência à insulina e função das células beta das concentrações plasmáticas de glicose e insulina em jejum no homem. Diabetologia 1985; 28 (7): 412-419. Katz A, Nambi SS, Mather K e outros. Índice quantitativo de vrificação da sensibilidade à insulina: um método simples e preciso para avaliar a sensibilidade à insulina em humanos. J Clin Endocrinol Metab . 2000; 85 (7): 2402-2410. Musso G, Gambino R, M Cassader, Pagano G. Meta-análise: história natural de doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA) e precisão diagnóstica de testes não invasivos para a gravidade da doença hepática. Ann Med. 2011; 43 (8): 617-649. Ma X, Holalkere NS, RA Kambadakone, Mino-Kenudson M., Hahn PF, Sahani DV. Quantificação baseada em imagem da gordura hepática: métodos e aplicações clínicas. Radiographics . 2009; 29 (5): 1253–1277. Roldan-Valadez E, Favila R, Martínez-López M., Uribe M, Méndez-Sánchez N. técnicas de imagem para avaliar o teor de gordura hepática na doença hepática gordurosa não-alcoólica. Ann Hepatol. 2008; 7 (3): 212-220. Mennesson N, Dumortier J, Hervieu V, et al. Quantificação da esteatose hepática por ressonância magnética: estudo comparativo prospectivo com biópsia hepática. Thornhill (2008). A biologia evolutiva da sexualidade feminina humana . ISBN 9780195340983. Ley, CJ; Lees, B; Stevenson, JC (1992). “Alterações associadas ao sexo e à menopausa na distribuição de gordura corporal”. American Journal of Clinical Nutrition. 55 (5): 950-954. doi : 10.1093 / ajcn / 55.5.950 . PMID 1570802. Poços, JCK (2007). “Dimorfismo sexual da composição corporal”. Melhores Práticas e Pesquisa Endocrinologia Clínica e Metabolismo . 21 (3): 415-430. doi : 10.1016 / j.beem.2007.04.007 .
  • 6. PMID 17875489 . Despres, J.-P. (4 de setembro de 2012). “Distribuição de gordura corporal e risco de doença cardiovascular: uma atualização”. Circulação . 126 (10): 1301–1313. doi : 10.1161 / CIRCULATIONAHA.111.067264 . PMID 22949540 . “Como o tipo de gordura que você afeta afeta seu risco de doença?” . weight-loss.yoexpert . Consultado em 21 de março de 2016 . Furnham, A .; Tan, T .; McManus, C. (1997). “Relação cintura-quadril e preferências pela forma do corpo: uma replicação e extensão”. Personalidade e diferenças individuais . 22 (4): 539-549. CiteSeerX 10.1.1.517.1397 . doi : 10.1016 / s0191-8869 (96) 00241-3 . Kirchengast, S .; Gruber, D .; Sator, M .; Hartmann, B .; Knogler, W .; Huber, J. (1997). “Diferenças associadas à menopausa no padrão de gordura feminino estimado por absorciometria de dupla energia por raios-X”. Anais da biologia humana . 24 (1): 45-54. doi : 10.1080 / 03014469700004762 . PMID 9022905 . Ali, A; Crowther, N (2005). “Distribuição de gordura corporal e resistência à insulina”. Revista Médica da África do Sul . 95 (11): 878-880. PMID 16344887 . Sutherland, HW; Stowers, JM (1978). Metabolismo de carboidratos na gravidez e no recém-nascido . ISBN 978-3-540-08798-4. Ploughman, Sharon; Smith, Denise (2008). Fisiologia do exercício para saúde, condicionamento físico e desempenho . ISBN 978-0-7817-8406-1. Informação da lipoaspiração: Pilhas gordas e sua anatomia . liposuction4you . Consultado em 21 de março de 2016 . Ali, A; Nigel, C (2005). “Distribuição de gordura corporal e resistência à insulina”. South African Medical Journal (95): 878-880. Aucouturier, J; Meyer, M; Thivel, D; Taillardat, M; Duché, P (2009). “Efeito do andróide para a proporção de gordura ginóide na resistência à insulina em jovens obesos”. Arquivos de Pediatria e Medicina do Adolescente . 163 (9): 826-831. doi : 10.1001 / archpediatrics.2009.148 . PMID 19736336 . Wysocki, M; Krotkiewski, M; Braide, M; Bagge, U (3 de janeiro de 1991). “Distúrbios hemorreológicos, parâmetros metabólicos e pressão arterial em diferentes tipos de obesidade”. Aterosclerose . 88 (1): 21– 28. doi : 10.1016 / 0021-9150 (91) 90253-y . PMID 1878007. Kirchengast, S; Huber, J (2004). “Características da composição corporal e padrões de distribuição de gordura em mulheres jovens inférteis”. Fertilidade e esterilidade. 81 (3): 539-44 CONTATO: Fones: 55(11) 2371-3337 / (11) 5572-4848 Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj. 121 Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002 e-mail: vanderhaagenbrasil@gmail.com Site Van Der Häägen Brazil http://www.vanderhaagenbrazil.com.br http://drcaiojr.site.med.br http://dracaio.site.med.br Joao Santos Caio Jr http://google.com/+JoaoSantosCaioJr google.com/+JoãoSantosCaioJrvdh google.com/+VANDERHAAGENBRAZILvdh Redes Sociais https://www.tumblr.com/blog/myjoaosantoscaiojr Joao Santos Caio JrSiga no https://www.slideshare.net/CLINICACAIO https://independent.academia.edu/JoaoSantosCaioJr https://vanderhaagenclinic.wordpress.com/ https://instagram.com/clinicascaio/ https://visitsite.pro/clinicascaio Acesse nosso canal deixe seu like! https://www.youtube.com/user/vanderhaagenbrazil1/videos