O Tempo Para todas as Coisas.

1.604 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.604
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Tempo Para todas as Coisas.

  1. 1. Texto Áureo “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu” (Ec 3.1)
  2. 2. VERDADE PRÁTICA O tempo e o espaço em que vivemos são limitados, por isso, devemos ser bons despenseiros de Deus nesta vida.
  3. 3. PALAVRA – CHAVE Tempo: Duração relativa das coisas que cria no ser humano a ideia de presente, passado e futuro; período contínuo no qual os eventos se sucedem.
  4. 4. ESBOÇO DO LIVRO DE ECLESIASTES Autor: Salomão Tema: A nulidade da vida à parte de Deus Data: Cerca 935 a.C I. Introdução: A inutilidade Geral da vida Natural (1. 2-11) II. A inutilidade de uma vida egocêntrica (1. 12—2.26) A insuficiência da sabedoria humana – 1. 12-18 A banalidade da vida (riquezas e prazeres) – 2. 1-11 A transitoriedade das grandes conquistas – 2. 12-17 Injustiça associada ao trabalho forçado – 2. 18-23 O real prazer da vida está em Deus – 2. 24-26 III. Reflexões diversas sobre as Experiências da Vida (3.1—11.6) Concernentes às coisas de Deus – 3. 1-22 Experiências vãs da vida natural – 4. 1-16 Advertências a todos – 5. 1—6.12 Provérbios diversos a respeito da sabedoria – 7. 1—8.1 Sobre a justiça – 8. 2—9.12 Mais Provérbios variados sobre a sabedoria – 9. 13—11.6 IV. Admoestações finais (11. 7—12.14) Regozijar-se na juventude – 11. 7-10 Lembrar-se de Deus na juventude – 12. 1-8 Apegar-se a um só livro e temer a Deus – 12. 9-14] Temer a Deus e guardar os seus mandamentos
  5. 5.  Um livro curioso e dos mais atraentes. Para alguns, um livro desalentador, mas não é bem assim. É um dos mais ricos e profundos da Bíblia e que exige certo cuidado em seu estudo.  O autor mostra caminhos errados para se realizar na vida, e depois mostra o caminho certo. Ao mostrar os caminhos errados, ele não os defende. Isto faz parte de sua estrutura de trabalho.  É um livro diferente, num estilo diferente. Ele mostra uma pessoa, que no relato é ele mesmo, procurando o significado da existência. Frustrouse com todas as possibilidades. Por fim, descobre como fazer. É assim que o livro caminha.
  6. 6.  O livro de Eclesiastes mostra a crise de um homem que vive a falta de harmonia existencial que hoje presenciamos.  Procurando viver intensamente a vida, ele mergulhou num mundo duvidoso e sensual, para descobrir que a vida sem Deus é um mergulho no vazio e uma corrida atrás do vento.
  7. 7. I – ECLESIASTES, O LIVRO E A MENSAGEM 1. Datação do livro  1. Datação do livro. Estudos indicam que o relato dos fatos ocorridos em Eclesiastes podem ser datados por volta do ano 1000 a.C., período no qual o rei Salomão governava Israel.  Alguns eruditos modernos têm argumentado que o gênero filosófico do livro e suas muitas palavras distintas apontam para uma data pós-exílica.  Entretanto, os argumentos linguísticos têm sido todos satisfatoriamente respondidos por eruditos conservadores, e uma data preexílica é totalmente justificada.
  8. 8.  É provável que o livro tenha sido composto próximo ao final do reinado de Salomão, talvez em sua última década (940-930 a.C.)  De fato, o próprio Eclesiastes diz ser o rei Salomão o autor da obra sagrada (Ec 1.1, Palavras do pregador, filho de Davi, rei cf. o pregador, fui rei sobre Israel em Eu, v.12). em Jerusalém. Ec 1.1 (ARC) Jerusalém. Ec. 1.12 (ARC)
  9. 9. I- ECLESIASTES, O LIVRO E A MENSAGEM 2. Conhecendo o Pregador.  Há um consenso de que Salomão foi o autor deste Livro. Eclesiastes seria o Livro das experiências de Salomão.  Estas experiências teriam sido vividas no tempo em filho de Davi, conseguiu O rei Salomão,que Salomão esteve fora dos caminhos poder como rei de Israel, e o firmar o seudo Senhor.  Salomão tinha começado bem . (2Cr 1.1). SENHOR, seu Deus, o abençoou e fez o seu poder aumentar muito. 2 Cr 1.1 (NTLH)
  10. 10.  Porém, ele não ter muitas mulheres, de O rei não deverá deu ouvido à Palavra Deus, o levaria a abandonar a Deus. pois issoque ao estabelecer mandamentos para os reis, em relação às mulheres, como E também não ajuntará para si muita determinara o Senhor - (Dt 17.17). prata e ouro. Dt 17.17 (NTLH)  Mas, Salomão multiplicou - “E tinha setecentas mulheres, princesas, e trezentas concubinas… e suas mulheres lhe perverteram o seu coração… e o seu coração não era perfeito para com o Senhor seu Deus” (1Reis 11.1-13).  Salomão se encantou com tantas mulheres e esqueceu do Senhor.
  11. 11.  Influenciado pelas suas mulheres, Salomão entregou-se, também, à idolatria - “um abismo Ochama outro abismo…” (Salmo 42. 7) - “Pelo Senhor irou-se contra Salomão por terque o Senhor se indignou contra Salomão, se desviado do Senhor, o Deus de Israel, porquanto desviara o seu coração do 1 Rs que lhe havia aparecido duas vezes. Senhor Deus de Israel…” (1Reis 11. 9). 11.9 (NVI)  Não se sabe por quanto tempo Salomão esteve “desviado”, porém, acredita-se ter voltado para o Senhor, já no final de sua vida, quando então teria escrito o Livro de Eclesiastes, relatando suas experiências.  Após relatar suas desastrosas experiências vividas longe de Deus, Salomão conclui: “De tudo o que se tem ouvido, o fim é: teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque este é o dever de todo o homem” (Ec 12.13).
  12. 12. II- DISCERNINDO OS TEMPOS 1. A transitoriedade da vida.  ”Uma geração vai, e outra geração vem; mas a terra para sempre permanece” (Ec 1.4).  O livro de Eclesiastes é lido na Festa dos Tabernáculos, precisamente porque nos fala da transitoriedade da vida humana, que é um dos aspectos ressaltados nesta festa, que lembra aos israelitas que eles foram peregrinos na terra do Egito e, num sentido mais profundo, que são peregrinos neste mundo.
  13. 13.  Tiago foi enfático com relação a esse tema: “Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco e depois se desvanece” (Tg 4.14).  Sendo a vida tão curta, “que vantagem tem o homem de todo o seu trabalho, que ele faz debaixo do sol?” (Ec 1.3). Este era o dilema que Salomão procurava responder.  O ser humano se desgasta como um moinho que gira continuamente e não chega a lugar nenhum.
  14. 14.  Se perguntar às pessoas por que trabalham tanto, provavelmente responderão: “para ganhar dinheiro, é claro!”.  Mas ganhar dinheiro para quê? Para comprar alimentos. E por que comer? Para ter forças. E ter forças para quê? “Para trabalhar e ganhar dinheiro”. E assim o círculo se fecha infinitamente. O homem vive em desespero silencioso.  Ao ver uma mulher chorar em um ponto de ônibus, um cristão perguntou se poderia ajudar, e ela respondeu: “estou tão cansada e enfastiada. Meu marido trabalha muito, mas não ganha tanto quanto eu gostaria.  Por isso, arranjei um emprego para mim. Levanto cedo todo dia, preparo o café da manhã para as crianças e depois pego o ônibus para o trabalho. Mais tarde, volto para casa cansada, durmo algumas horas e recomeço tudo outra vez no dia seguinte. Estou cheia dessa rotina interminável”.
  15. 15. II- DISCERNINDO OS TEMPOS 2. A eternidade de Deus.  “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até o fim” (Ec 3.11).  Deus pôs a eternidade na mente do ser humano. Embora vivam em um universo preso ao tempo, as pessoas têm intuições a respeito da eternidade.  Quando pensamos em eternidade, institivamente entendemos como algo que dura para sempre e, conquanto não possamos entender completamente esse conceito, percebemos que, além desta vida, existe a possibilidade de viver sem se preocupar com a passagem do tempo.
  16. 16.  O conceito de eternidade é necessário para dar significado ao sentido da vida. Por quê? Porque o Deus que nos criou é conhecido como “O Eterno”. E qualquer princípio de doutrina cristã que negligencie a ideia de eternidade descaracteriza a essência do que expõe.  Somos obrigados a acreditar que Deus não nos criou para sermos joguetes num mundo passageiro. Não somos existencialistas. A vida não termina com a morte.  O fim da circulação sanguínea e a ausência total de respiração não decretam o fim de tudo. A eternidade de Deus nos convence de que a fé em Jesus Cristo, que é o Pai da Eternidade (Is 9.6)
  17. 17. III- O TEMPO E AS RELAÇÕES INTERPESSOAIS 1. Na família.  Na vida fugaz, Salomão tem uma palavra para as relações interpessoais no convívio familiar: “Vai, pois, come com alegria o teu pão e bebe com bom coração o teu vinho, pois já Deus se agrada das tuas obras. Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça.  “Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias de vida da tua vaidade; os quais Deus te deu debaixo do sol, todos os dias da tua vaidade; porque esta é a tua porção nesta vida e do teu trabalho que tu fizeste debaixo do sol” (Ec 9.7-9). Aqui, Salomão recomendou que todos desfrutem a vida como um dom de Deus.
  18. 18.  Ele pode ter criticado os que buscam acumular riquezas, principalmente aqueles que se embaraçam em competição insana. É como se Salomão perguntasse: “Afinal, qual é a sua verdadeira riqueza?”.  Pelo fato de o futuro ser tão incerto, devemos desfrutar as dádivas de Deus enquanto podemos! Tanto quanto possível, as alegrias do relacionamento familiar devem ser aproveitadas em sua plenitude.  Se a vida é vazia de significado, o melhor é tirar o máximo proveito. Logo, desfrute cada dia, pois isso é tudo o que receberá como recompensa por seu trabalho e por suas fadigas.
  19. 19. III- O TEMPO E AS RELAÇÕES INTERPESSOAIS 2. No trabalho.  Trabalho não é maldição, mesmo que tenha se tornado mais penoso devido à queda (Gn Trabalharás seis dias e nelesDeus já haviaos 3.17-19). Antes do pecado, farás todos O Senhor Deushomem comhomem é o sábado teus trabalhos. colocou o um dia no abençoado o mas o sétimo ofício digno jardim do ao Senhor cuidar dele e (Gn 2.15). dedicado Éden para teu Deus. Nesse dia não cultivá-lo. Deus ordenou tu, nem teus  E, já que Gn 2.15 (NVI) que labutássemosfilhos farás trabalho algum, nem seis dias e teus servos ou no sétimo, ou filhas, nem O adorássemos servas, nem podemos concluir os o ato de trabalhar teus animais, nemque estrangeiros quese harmoniza com o ato de adorar (Ex 20.9,10). morarem em tuas cidades. Ex 20.9,10 (NVI)  Por outro lado, é bom lembrarmos que o homem nada poderá levar do seu trabalho após a morte - “Como saiu do ventre de sua mãe, assim nu voltará, indo-se como veio; e nada tomará do seu trabalho, que possa levar na sua mão” (Ec 5.15).
  20. 20. IV- ADMINISTRANDO BEM O E, de mais disso, filho meu, atenta:a falsa sabedoria e o 1. Evitando não TEMPO fazer livros, e o muito há limite para hedonismo estudar enfado é resposta Ec 12.12  Salomão buscouda carne. para seu dilema (ARC) meio da razão e do conhecimento. por Dedicou-se aos estudos, ao conhecimento intelectual (Ec 12.12). De tudo o que se tem ouvido, o fim é:  Estudou biologia e botânica, e escreveu Teme a Deus e guarda os seus cerca de meu coração a conhecer a E apliquei otrês mil provérbiosé(1Rs 4.29-34). mandamentos; porque este descobriu que o dever Depois de tanto estudar, sabedoriaos a conhecer os (ARC) bastam, e conhecimentos não todos homem. Ec 12.13 desvarios e as de todo loucuras e não há saber que tambémaisso quando vim a temor e obediência Deus era(Ec 12.13). espírito. Porque, na muita aflição de sabedoria, mais enfado; mais  Quanto há muitosabemos, e o que nos conscientizamos da continuidade de aumenta em ciência aumenta em nossos erros; quanto mais (ARC) trabalho. Ec 1.17,18se sabe, mais se sofre (Ec 1.17,18).
  21. 21.  ENTÃO, PARA se deve considerar é que DISSE,Outro fator que mim mesmo: "Vamos, a busca por prazer, Aproveite a vida ao experimente; divirtase!por si só, configura uma prática hedonista e descobrindo que isso máximo! " Mas acabei contrária a Deus (Ec 2.1-3).  Salomão tinha É bobagem viver que alguém também era tolice.a seu dispor tudo o rindo o possa desejar vantagem como Assim, tempo todo; qual a e imaginar disso? garantia de felicidade e muito, Será verdade que os fins depois de pensarsucesso. resolvi experimentar justificam os meios? Foi por pensar assim a bebida, sem porém, deixar de procurar aque o mais mesmo nisto. E também sabedoria sábio caiu na maior estultícia (Ec 2.3,8; cf. 1Rs 11.1-8). experimentei as farras, para poder provar a  alegria entendeu que a melhor coisa que única Salomãoque tem a maioria dos homens existe é festejar. Investiu boa durante a vida. Ec 2.1-3 (VIVA) parte do tempo e patrimônio correndo atrás de prazeres carnais, até descobrir quão passageiro são e quanta ilusão e insatisfação trazem ao coração.
  22. 22.  Abusando ainda de sua autoridade, Salomão conquistou muitas mulheres, casou-se 700 vezes e teve 300 amantes (1Rs 11.1-8).  Toda essa ostentação e hedonismo, além de não lhe trazerem o prazer desejado, ainda o conduziram aos caminhos da tolice, deteriorando seu relacionamento com Deus.  “Vaidade de vaidades! Diz o pregador, vaidades de vaidade! É tudo vaidade” (Ec 1.2). NaEsta foi uma das conclusões de Salomão: que minha opinião, não há nada que valha uma vida mundo. Tudo é ilusão. Ec 1.2 a pena nestebaseada em coisas terrenas, na busca (VIVA) de prazeres passageiros, será uma vida vazia, infeliz.
  23. 23. IV- ADMINISTRANDO BEM O 2. Evitando a falsa prosperidade e o TEMPO ativismo.  Em Eclesiastes 2:4-11, Salomão descontrói a ilusão daqueles que buscam, nos bens materiais, a razão fundamental para a vida. Disse ele: • Fiz para mim obras magníficas; edifiquei para mim casas; plantei para mim vinhas. • Fiz para mim hortas e jardins e plantei neles árvores de toda espécie de fruto. • Fiz para mim tanques de águas, para regar com eles o bosque em que reverdeciam as árvores. • Adquiri servos e servas e tive servos nascidos em casa; também tive grande possessão de vacas e ovelhas, mais do que todos os que houve antes de mim, em Jerusalém.
  24. 24. • Amontoei também para mim prata, e ouro, e joias de reis e das províncias; provi-me de cantores, e de cantoras, e das delícias dos filhos dos homens, e de instrumentos de música de toda sorte. • E engrandeci-me e aumentei mais do que todos os que houve antes de mim, em Jerusalém; perseverou também comigo a minha sabedoria. • E tudo quanto desejaram os meus olhos não lhos neguei, nem privei o meu coração de alegria alguma; mas o meu coração se alegrou por todo o meu trabalho, e esta foi a minha porção de todo o meu trabalho. • E olhei eu para todas as obras que fizeram as minhas mãos, como também para o trabalho que eu, trabalhando, tinha feito; e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito e que proveito nenhum havia debaixo do sol.
  25. 25.  A falsa prosperidade leva o homem a correr desenfreadamente para acumular riquezas, alcançar elevadas posições na sociedade e obter notoriedade e fama.  Muitos, quando não estão debruçados nos estudos nem entregues aos prazeres, quase sempre estão mergulhados no trabalho, empenhando-se para alcançar o sucesso. Salomão, também, agiu dessa maneira. Por isso, pensou: “Quem sabe se eu me dedicar mais ao trabalho, encontrarei razão para viver!”.  Dedicou-se a construir mansões, palácios, pomares, açudes… e até mesmo um luxuoso Templo dedicado ao Senhor, mas seu coração continuou vazio.  - Pensou que criar emprego traria sentido à sua existência, tornando-se um grande empresário.
  26. 26.  Chegou a administrar cento e cinquenta e três SALOMÃO ACHOUtrabalhadores (2Cr 2.1,2), mil e seiscentos QUE havia chegado o mas de construir um estar correndo tempoainda assim parecia templo para oatrás do vento. Senhor, e um palácio para ele.2 Para isto  Achou que ode setenta mil operários, ele precisava acúmulo de riquezas lhe traria felicidade, entesourando oitenta mil homens paraprata, ouro,pedrase cortar o dinheiro as objetos de arte, imóveis e tudo mais que nas montanhas, e três mil e mas sua alma o poder podem comprar, seiscentos homens para dirigirem os trabalhos. 2 Cr continuou insatisfeita. 2. Depois de  1,2 (VIVA) muito trabalhar, chegou à conclusão de que todo aquele empreendedorismo e acúmulo de riquezas eram destituídos de sentido e de valor permanente. Disse ele: “E olhei eu para todas as obras que fizeram as minhas mãos, como também para o trabalho que eu, trabalhando, tinha feito; e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento, e que proveito nenhum havia debaixo do sol” (Ec 2.11).
  27. 27.  As pessoas verdadeiramente sábias sabem que todo o seu “tempo” está nas mãos de Deus e que há um tempo apropriado para cada atividade humana.  A vida só faz sentido quando Deus faz parte dela (Ec 2.24,25). Toda luta e todo esforço valem a pena quando colocamos Deus em 24primeiro lugar. Todavia, somos cônscios de que a nada é muito Por isso, cheguei à conclusão de que não há vida melhor para o homem que aproveitar bem o que ganha curta. com isso, “devemos saber e beber à vontade. Também vi  Porseu trabalho, comerusar bem o nosso tempo, seja buscando que até mesmo esse prazer vem de da companhia ninguém o conhecimento, seja desfrutando Deus. Porque de nossos pode se alegrar, ou se alimentar, sem Deus. Ec 2.24,25 familiares e, principalmente, servindo ao Senhor”. (VIVA).  Deus em Cristo Jesus continue vos abençoando.
  28. 28. FONTES DE CONSULTAS Bíblia Sagrada Sábios Conselhos Para um Viver Vitorioso, (Pr. José Gonçalves.) Internet Ebdweb
  29. 29. Antonio Fernandes de Oliveira é casado com a irmã Guiomar Silva L. de Oliveira, é Díacono da IEADERN, Assembleia de Deus no Estado do Rio Grande do Norte, Copastor na Congregação Rio Doce Setor XXXV. Email:antonioeguiomaroliveira@hotmail.com Tel: (84) 8862-2579 Facebook: Antonio Fernandes Oliveira Blog: www.israeledosenhor.blogspot.com.br

×