Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs

720 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
720
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs

  1. 1. Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens." (1T m 2.1)
  2. 2. A oração é o meio pelo qual falamos com Deus, intercedemos por nossas necessidades e em favor do próximo.
  3. 3.  O objetivo principal das cartas pastorais a Timóteo e a Tito era o combate aos falsos mestres, e a boa organização das igrejas e do ministério.  Mas ele sabia que as igrejas precisavam de muito mais, além das recomendações objetivas.  No capítulo 2 de sua primeira carta a Timóteo, ele começa orientando o jovem pastor acerca da necessidade premente e indispensável da oração. INTRODUÇÃO
  4. 4.  A oração é tema de grande importância na Bíblia. No Antigo Testamento, os homens de Deus venceram sob o manto da oração.  Davi orava sempre (Sl 55.16,17), e Daniel venceu na cova porque tinha reservas de oração (Dn 6.10), como andam as suas reservas?  Esses dois exemplos indicam o valor extraordinário da oração, dizendo que se deveriam fazer orações não apenas em momentos de crise, ou por algumas pessoas  Mas dever-se-ia orar “por todos os homens” (1 Tm 2.1,2), incluindo os governantes, as autoridades. Mas eu invocarei a Deus, e o SENHOR me salvará. De tarde, e de manhã, e ao meio-dia, orarei; e clamarei, e ele ouvirá a minha voz. (Sl 55.16,17) ARC Daniel, pois, quando soube que a escritura estava assinada, entrou em sua casa ( ora, havia no seu quarto janelas abertas da banda de Jerusalém ), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como também antes costumava fazer. (Dn 6.10) ARC Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens, pelos reis e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade. (1 Tm 2.1,2) ARC
  5. 5.  Um sábio conselho, sem dúvida alguma. Ao que parece, as igrejas evangélicas, nos tempos atuais, têm-se esquecido dessa oração “por todos os homens”.  É mais comum ouvirem-se orações pela comunidade cristã; por suas atividades, na evangelização, no ensino, no discipulado. São orações legítimas e indispensáveis.  Mas o alcance da oração da igreja cristã deve ultrapassar “as quatro paredes” dos templos, nas igrejas locais. Em lugar de uma oração individualista, os cristãos devem criar o costume de fazer orações altruístas.
  6. 6.  As autoridades públicas, em todos os níveis, municipais, estaduais e federais, em nosso país, estão sob a influência das forças malígnas, do materialismo, do relativismo e do humanismo.  Sem falar na ameaça comunista que paira sobre as nações latino-americanas. Daí porque temos o dever de seguir a orientação de Paulo ao jovem obreiro (1 Tm 2.1,2).  Como Igreja do Senhor precisamos interceder a fim de que possamos cumprir nossa missão de levar a salvação aos homens que, a cada dia, estão mais distantes de Deus. Paulo também ensina a respeito do comportamento das mulheres na vida da igreja.
  7. 7.  Como um excelente professor (didaskalos), Paulo transmite a seu discípulo ensinos acerca do valioso e indispensável recurso da oração. Ele sabia que a oração é o meio mais eficiente da comunicação com Deus.  No Pai Nosso, Jesus ensinou a orar de modo altruísta, e não individualista: “Pai nosso”, e não “meu Pai”; “venha a nós”, e não “a mim”; “o pão nosso” e não “meu pão”; “nos dá hoje”, e não “me dá hoje”; “perdoa as nossas dívidas”, e não “as minhas dívidas”; “não nos deixeis cair”, e não “não me deixe cair”. I- ORAÇÃO POR TODOS OS HOMENS Quatro tipos de oração.
  8. 8.  O Mestre Jesus não só ensinava, mas praticava a oração. Paulo também não vivia da teoria. Vivia o que ensinava. Não nos esqueçamos de que ele estava escrevendo a Timóteo, mas seu alvo era a igreja de Éfeso. A igreja local, no sentido coletivo.  Como bom discípulo de Jesus, Paulo também ensina que se deve orar “por todos os homens”.  Poderia ter ficado nessa admoestação, e já teria alcançado seu objetivo, mostrando a Timóteo que é necessário não excluir ninguém nas orações da igreja local, ou seja, da oração comunitária.  Na oração individual, o crente pode tomar tempo orando por si, por seus problemas, por sua família.
  9. 9.  Mas na oração da igreja, esta deve voltar-se para a oração “por todos os homens”.  Mas além de referir-se a “todos os homens”, Paulo ressalta a importância de a igreja orar pelas autoridades constituídas, de uma forma ou de outra, com permissão de Deus.  Como tudo indica que a heresia que mais perturbava a igreja em Éfeso era o gnosticismo, Paulo se contrapôs à sua visão acerca dos homens.  Para os gnósticos, a maioria dos homens não merecia nada a não ser a destruição total.  Ante essa visão deturpada dos homens, Paulo diz a Timóteo que se deve orar “por todos os homens” e “pelos reis e por todos os que estão em eminência” (1 Tm 2.2). Assim , Paulo exorta a fazer quatro tipos de oração:
  10. 10.  O termo (gr. deesis) significa “suplicar, implorar, rogar por” alguém ou alguma coisa (Dicionário Houaiss).  Dá a entender um tipo de oração que é feita com o intercessão a Deus por todos os homens, de modo ardente, dramático, compassivo.  Embora Deus seja soberano e saiba de todas as coisas, Ele deseja ouvir nossas orações. O Senhor não somente nos ouve, mas também atende nossas súplicas. I- ORAÇÃO POR TODOS OS HOMENS 1. “Deprecações” (2.1)  Não existe situação, por mais difícil que seja, que não possa ser resolvida mediante a oração. Paulo nos ensina a orar por todos aqueles que estão na liderança, seja na igreja, seja fora dela.
  11. 11.  Alguns estudiosos entendem que Paulo usava os termos como sinônimos, não havendo necessidade de se especificar quatro tipos de oração.  Mas nos parece mais interessante fazer essa distinção didática para efeito de destacar alguns aspectos importantes, visto que, no original grego, as palavras empregadas são diferentes.  “Orações” (gr. proseuche) refere-se ao termo comum para as orações em geral. Sejam de súplica, de louvor, de intercessão, etc. I- ORAÇÃO POR TODOS OS HOMENS 2. “Orações”.
  12. 12.  Tem o sentido de “intervenção, mediação, interferência, intermédio” (Dicionário Houaiss).  Do grego enteuxis, significando “apelar para”, ou intercessões em geral, que se fazem em favor de alguém.  Sempre foi difícil encontrar intercessores, mas atualmente está ainda mais difícil (Ez 22.30). I- ORAÇÃO POR TODOS OS HOMENS 3. “Intercessões”. E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei. (Ez 22.30) ARC
  13. 13.  Vem do termo grego “eucaristia”. A expressão é autoexplicativa, denotando orações em que a pessoa expressa sua gratidão a Deus por bênçãos recebidas, ou até por coisas adversas.  Por isso, Paulo diz: "Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco" (1 Ts 5.18).  Aqui está o porquê não podemos concordar com a ideia de que os quatro termos aqui usados são apenas sinônimos. I- ORAÇÃO POR TODOS OS HOMENS 4. “Ações de graça”. Quem presta "ações de graça" não roga nem suplica.
  14. 14.  Paulo não se esquecia da missão primordial da igreja: a proclamação do evangelho de Cristo para a salvação dos homens (1Tm2.4). Esse é o desejo divino: a salvação da humanidade.  Mas essa salvação não é automática, nem incondicional. Pelo contrário. Ela requer a resposta do homem, detentor do livre- arbítrio, como ser criado à “imagem” e “semelhança” de Deus. II – A SALVAÇÃO DE TODOS 1. “Que todos se salvem”. que quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade. (1 Tm 2.4) ARC
  15. 15.  Esse é o desejo divino: a salvação da humanidade, pois Ele "amou o mundo de tal maneira, que deu seu Filho Unigênito" [...] (Jo 3.16).  Fora de Cristo, não há salvação(1Tm2.5,6).Quem nEle crê é salvo, Quem não crê é condenado (Jo 3.18,19).  É missão da Igreja levar a mensagem de salvação a todas as criaturas (Mt 28.19,20).  No mundo, atualmente, calcula-se que haja cerca de 40.000 religiões, seitas ou movimentos religiosos, de todas as origens, credos, crenças, filosofias, doutrinas, etc. E cada uma dessas “religiões” diz possuir “a verdade”. Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem, o qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo. (1 Tm 2.5,6) ARC Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. (Jo 3.18,19) ARC Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém! (Mt 28.19,20) ARC
  16. 16.  A maioria delas não crê em Deus, no Deus da Bíblia, Criador do universo e do homem. Crê em “deuses” e “deusas”, em “entidades” ditas espirituais.  E, no meio desse emaranhado de “verdades” , o homem está perdido, sem saber quem é, de onde veio e para onde vai. Isto é: totalmente perdido.  Só há salvação em Cristo, que é “a verdade” e não uma verdade. Essa é a motivação por que Paulo exorta à oração universal, “por todos os homens”. Nunca ela foi tão necessária.
  17. 17.  Paulo e seus companheiros de ministério trabalharam arduamente na obra de evangelização (1 Ts 2.9). 0 ministério exige sacrifício e trabalho.  0 ministério exige sacrifício e trabalho. Muitos, erroneamente, acreditam que o pastor deve se preocupar somente com as questões administrativas e financeiras da igreja, mas o ministro de Deus, tem a responsabilidade de exortar, ganhar almas para Cristo e discipular seus filhos na fé. II – A SALVAÇÃO DE TODOS 2. Um árduo trabalho missionário. Porque bem vos lembrais, irmãos, do nosso trabalho e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus. (1 Ts 2.9) ARC
  18. 18.  Paulo não se preocupava só com as ovelhas do rebanho, mas demonstrava um zelo especial com a evangelização e a obra missionária.  Paulo sabia e ensinou a Timóteo que a salvação não é alcançada por meio de qualquer deus ou deusa, como os gnósticos ensinavam.  Disse ele: “Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem, o qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo” (1Tm 2.5,6). Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem, o qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo. ( Tm 2.5,6) ARC
  19. 19.  Paulo orienta Timóteo quanto à maneira correta de as mulheres se comportarem na igreja.  A mulher cristã precisa ser reconhecida não somente por sua maneira de vestir, mas por suas atitudes.  Não podemos nos esquecer que nosso corpo é "templo do Espírito Santo" e que devemos glorificar a Deus em toda a nossa maneira de viver. III – A MANEIRA DE SE VESTIR DAS MULHERES 1.As mulheres na Casa de Deus.  Deus em toda a nossa maneira de viver. Queira ou não, o homem e a mulher cristã têm de ser diferente em todos os aspectos da vida, diante de Deus e dos homens, inclusive na sua maneira de se vestir e de se portar.
  20. 20.  Nas instruções de Paulo a Timóteo, para a igreja em Éfeso, nota-se um a mudança rápida, que parece não ter nada a ver com o texto antecedente.  No versículo 8, Paulo fala do comportamento dos “homens” , relativo à maneira de orar em público.  De modo aparentemente desconexo, o apóstolo passa a exortar acerca do comportamento das mulheres cristãs, no que tange ao seu vestuário, adentrando num terreno polêmico dos “usos e costumes” (1 Tm 2.9,10). Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, mas ( como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus com boas obras). (1 Tm 2.9,10) ARC
  21. 21.  A expressão “do mesmo modo” faz a ligação entre o que Paulo ensinava sobre a oração pelos homens, indicando que as mulheres também deveriam orar com o mesmo cuidado (com “mãos santas, sem ira nem contenda”.  E acrescentou o cuidado que elas deveriam ter com seus trajes, na reunião cristã. Assim , os homens estão incluídos no contexto de suas recomendações pastorais.  Os trajes das mulheres não cristãs não eram nada recatados. Vestidos de seda, finíssimos, atraíam os olhares dos homens para o corpo das mulheres, que não usavam qualquer vestimenta íntima, exibindo toda a sua sensualidade.  Grande parte das mulheres cristãs era oriunda daquele ambiente mundano. Paulo escreveu que as mulheres cristãs devem ataviar-se ou vestir-se “em traje honesto, com pudor e modéstia, não com trancas, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos” (2.9).
  22. 22.  Ataviar-se vem do termo grego kosmeo, que tem o significado de “adornar-se”, “tornar atrativo”.  Reflete o desejo natural da mulher de embelezar-se (desse termo, vem a palavra cosmético).  Desde que esse desejo seja moderado, decente e sujeito à simplicidade ensinada por Cristo (Mt 10.16), não há qualquer recriminação com base na doutrina cristã. Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e símplices como as pombas. (Mt 10.16) ARC
  23. 23.  É sinônimo de decoroso, decente, com sobriedade, ou simplicidade. Um vestido transparente não é honesto, pois embora esteja cobrindo o corpo, atraia cobiça dos homens, incentivando o pecado.  Infelizmente, muitas mulheres estão errando na hora de se vestir. A mulher pode e deve se vestir bem, ficar bonita, porém com pudor, de modo a agradar a Deus. III – A MANEIRA DE SE VESTIR DAS MULHERES 2. Traje honesto, com pudor.
  24. 24.  Um traje honesto quer dizer traje que revela o caráter de quem o usa. Depois da Queda, no Éden, a primeira providência de Deus foi cobrir o corpo do homem e da mulher.  Na contramão de Deus, Satanás procura descobrir o que Deus cobriu em público.  Infelizmente, muitas mulheres cristãs não valorizam esse aspecto da santidade do corpo, que deve ser “templo do Espírito Santo” (1 Co 6.19) e não objeto de exibição sensual ou carnal. Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? (1 Co 6.19) ARC
  25. 25.  Modéstia significa "simplicidade, singeleza, despretensão". Além de se vestir de maneira honesta e com pudor (recato), a mulher cristã precisa se vestir com modéstia.  Infelizmente, em algumas igrejas as irmãs acabam competindo umas com as outras. Parece haver uma "disputa" para ver quem usa a roupa ou a bolsa mais cara ou o sapato mais alto. Muitas se preocupam apenas com o exterior. III – A MANEIRA DE SE VESTIR DAS MULHERES 3. Traje com modéstia.  A elegância e a beleza de uma mulher devem vir de dentro para fora, pois começa no caráter santo (1 Pe 3.3). O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura de vestes. (1 Pe 3.3) ARC
  26. 26.  Na sequência da carta a Timóteo, Paulo se refere à posição da mulher na igreja local, em Éfeso, certamente em vista de fatos observados naquela igreja, que sofria as influências do mundanismo e do materialismo grego.  Seu ensino deve ter sido bem compreendido e aceito, no período neotestamentário.  Nos dias presentes, em meio a um mundo relativista, humanista e hedonista, sem dúvida, o ensino paulino encontra muita resistência, críticas e polêmicas quanto ao papel da mulher e sua postura na igreja local. IV – A CONDUTA DAS MULHERES NA IGREJA 1. O silêncio no culto.
  27. 27.  Ele escreveu: “A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio” (1 Tm 2.11,12).  Esse é um dos textos mais polêmicos e criticados das epístolas paulinas. Mais polêmico que esse só o texto em que Paulo ensina que “as mulheres estejam caladas nas igrejas, porque lhes não é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei” (1 Co 14.34). As mulheres estejam caladas nas igrejas, porque lhes não é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei. (1 Co 14.34) ARC
  28. 28.  No contexto histórico e cultural da igreja em Éfeso, a realidade do ambiente eclesiástico certamente era bem diferente do que vemos em nossos dias.  Naquela sociedade oriental, uma mulher não poderia aparecer em público. Champlin diz que “Extremamente poucas mulheres frequentavam escolas ou aprendiam a ler e escrever”.  Na sinagoga, as mulheres jamais tinham oportunidade para falar e muito menos para ensinar. Foi para uma igreja inserida nesse ambiente que Paulo escreveu tão estranha admoestação às mulheres. Não se deve aplicar esse preceito de modo literal às mulheres cristãs, de todas as igrejas, pois o evangelho da graça de Deus é inclusivo no sentido do culto ou da adoração a Deus. Concluir que todas as mulheres, no culto cristão, devem ficar mudas, seria uma interpretação fora de contexto. Se fosse verdade, somente os homens poderiam cantar, orar ou glorificar a Deus em alta voz, como acontece normalmente, nos cultos das igrejas cristãs.
  29. 29.  Cristo, em seu ministério terreno, teve a cooperação de diversas mulheres que atuavam ao seu lado.  Eram obreiras de grande valor: "[...] Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios; e Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, e Suzana, e muitas outras que o serviam com suas fazendas" (Lc 8.1-3).  Paulo muito valorizou o trabalho das mulheres, na igreja (Rm 16.1-15) IV – A CONDUTA DAS MULHERES NA IGREJA 2. As mulheres no Novo Testamento.
  30. 30.  Hoje, há um a participação maior das mulheres nas igrejas, onde ocupam posições jamais imaginadas em tempos passados.  As mulheres podem assumir importantes funções eclesiásticas, mesmo que não façam parte de cargos e funções no ministério regular, em que os ministros e obreiros em geral são admitidos mediante ordenação ou consagração.  Há igrejas que ordenam mulheres ao ministério; outras, não aceitam essa ordenação, por não encontrarem respaldo claro nas Escrituras. De qualquer forma, no cristianismo, a mulher deixou de ser um a cidadã de segunda ou terceira categoria.
  31. 31.  Paulo aborda a questão da liderança masculina, citando a ordem da criação. É importante ressaltar que o próprio Paulo, ao escrever aos gálatas, ensina que perante Cristo, para a salvação, homens e mulheres são iguais (Gl 3.28).  Por que Paulo se utiliza do exemplo de Adão e Eva? Ele utiliza tal ilustração para mostrar o que estava acontecendo na igreja de Éfeso.  Assim como Eva foi seduzida e enganada pela serpente, as irmãs daquela igreja estavam se deixando seduzir pelos ensinos dos falsos mestres. IV – A CONDUTA DAS MULHERES NA IGREJA 3. A liderança do homem. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. (Gl 3.28) ARC
  32. 32. CONCLUSAO  No trecho da primeira carta de Paulo a Timóteo, ora em estudo, vemos preceitos significativos não só para a igreja em Éfeso, mas para toda a igreja cristã, em todos os tempos.  No que tange à oração, não resta qualquer dúvida quanto à aplicação dos ensinos paulinos a todos os crentes, em qualquer época.  Em qualquer lugar ou em qualquer tempo, devemos fazer súplicas, intercessões e ações de graças diante de Deus.
  33. 33.  No que concerne ao comportamento cristão, Paulo deu um destaque incisivo quanto à postura das mulheres, especialmente às irmãs de Éfeso, tendo em vista o contexto liberal e lascivo do ambiente em que viviam antes da conversão.  Mas os preceitos comportamentais às mulheres cristãs podem ser aplicados aos homens, pois Deus não discrimina ninguém, nem faz acepção de pessoas (D t 10.17), quando estas se submetem à sua vontade.  Deus em Cristo Jesus vos abençoe!

×