Memoria

1.475 visualizações

Publicada em

Apresentação criada para a disciplina Jornalismo Digital, da Famecos/PUCRS.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.475
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
927
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • Memoria

    1. 1. Memória Profa. Karen Sica Prof. Marcelo TräselFamecos/PUCRS - Dep. Jornalismo Jornalismo Digital
    2. 2. Da mesma forma que a “quebra dos limites físicos”na Web possibilita a utilização de um espaçopraticamente ilimitado para disponibilização dematerial noticioso, sob os mais variados formatos(multi)mediáticos, abre-se a possibilidade dedisponibilização online de toda informaçãoanteriormente produzida e armazenada, através dacriação de arquivos digitais, com sistemassofisticados de indexação e recuperação dainformação. PALACIOS, 2003, p.8
    3. 3. Arquivos• Jornais e revistas impressos sempre mantiveram arquivos abertos à consulta pública mediante pagamento.• Algumas emissoras de rádio e televisão também oferecem a possibilidade de consulta a arquivos.• É preciso autorização e ir até o arquivo.
    4. 4. ArquivosE se houvesse YouTube e site do JN em 1989?
    5. 5. ArquivosNas eleições de 2010, tivemos YouTube!
    6. 6. Arquivos
    7. 7. Num produto digital estruturado em basesde dados, as possibilidades combinatóriasentre os itens ou notícias inseridas podemgerar mais conhecimento com valornoticioso, produzindo diferentesconfigurações para as informações e,inclusive, novas tematizações ou elementosconceituais para a organização eapresentação dos conteúdos. BARBOSA, 2007, p.130
    8. 8. Palavras-chave• O bom uso de palavras-chave ao cadastrar notícias num CMS é essencial para a recuperação de informações.• As palavras-chave também podem ter impacto na audiência (Google), uma vez que muitos CMS as incluem no cabeçalho das notícias.
    9. 9. Palavras-chave
    10. 10. Palavras-chave
    11. 11. Palavras-chave
    12. 12. Palavras-chave
    13. 13. Data miningProcesso não-trivial de identificar, em dados,padrões válidos, novos, potencialmente úteis eultimamente compreensíveis. FAYYAD apud LIMA JR., 2006, p.123
    14. 14. Data mining• Tratamento matemático de grandes volumes de dados para a identificação de padrões inesperados.• Diferencia-se da pesquisa em bancos de dados por não buscar uma resposta para uma pergunta específica, mas sim respostas para perguntas que ainda não foram feitas.
    15. 15. FolksonomiaPortanto, Folksonomia é o resultado daetiquetagem dos recursos da Web numambiente social (compartilhado e aberto aoutros) pelos próprios usuários dainformação visando a sua recuperação. CATARINO e BAPTISTA, 2007
    16. 16. Folksonomia1. É resultado de uma indexação livre do próprio usuário do recurso;2. objetiva a recuperação a posteriori da informação3. é desenvolvida num ambiente aberto que possibilita o compartilhamento e, até, em alguns casos, a sua construção conjunta.
    17. 17. Folksonomia
    18. 18. Folksonomia
    19. 19. Folksonomia
    20. 20. Folksonomia
    21. 21. Exemplos
    22. 22. Referências• BARBOSA, S. Sistematizando conceitos e características sobre o jornalismo digital em base de dados. In: BARBOSA, S. (org.). Jornalismo digital de terceira geração. Covilhã: Universidade da Beira Interior, 2007.• CATARINO, E. C.; BAPTISTA, A. A. Folksonomia: um novo conceito para a organização dos recursos digitais na Web. DataGramaZero, v.8, n.3, jun/2007.• LIMA JR., W. Jornalismo inteligente na era do data mining. Líbero, v. 9, n. 18, 2006.• PALACIOS, Marcos. Ruptura, continuidade e potencialização no jornalismo online: o lugar da memória. In: PALACIOS, M.; MACHADO, E. (Org.). Modelos de jornalismo digital. Salvador: Calandra, 2003.

    ×