De médico e de louco todos temos um pouco

748 visualizações

Publicada em

Impacto do Social Media no sector da saúde.

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
748
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

De médico e de louco todos temos um pouco

  1. 1. Multimédia Social Media “De médico, (…) e de louco, todos temos um pouco” Paulo Morais Managing Partner da T-Evolution Marketing Consultant da JRS Pharmarketing O conceito de Social Media ainda é recente para ser claro para todos. Muitas vezes, Social Media é confundido com Redes Sociais, o que está de todo errado. As redes sociais são uma categoria do Social Media.98
  2. 2. 99
  3. 3. pharmagazine 10MULTIMÉDIA Paulo Morais Para que se perceba melhor mudança de paradigma em Comunicar com o utente o seu contexto, aqui ficam que o “foco” da estratégia começa a ser indispensável. as definições para estes dois vai sofrer uma pequena termos: deslocação do médico É preciso arranjar para o utente, ou seja, a soluções para conseguir Social Media – São sites implementação estratégica ver à distância ou espaços na internet, dentro da indústria vai construídos para permitir começar a dar mais Podemos continuar “míopes” a criação colaborativa, importância ao utente nos e não querer ver o que está a interacção social, o processos de segmentação. tão próximo. relacionamento ou a partilha de informação em diversos formatos (é o caso dos Blogues, do Wikipedia e das Redes Sociais); Redes Sociais – São ambientes, espaços ou plataformas que reúnem pessoas (membros), que quando se inscrevem partilham os seus dados, fotos, textos, mensagens, vídeos. Estas redes permitem também a interacção com outros membros, criando listas de “amigos” e “grupos” de utilizadores com características mais ou menos homogéneas (é o caso do Facebook ou do Linkedin). Cada vez mais, no mundo da Indústria Farmacêutica, ouvimos falar de uma 100
  4. 4. www.rcmpharma.com MULTIMÉDIA Paulo Morais Podemos continuar a ignorar a factos já tão enraizados na O digital veio o que se passa no “mundo nossa sociedade. potencializar a interacção digital” e podemos continuar Já não faz sentido pensar entre organizações e a utilizar os “métodos no Social Media como uma clientes tradicionais”. O que não tendência crescente. podemos é ignorar factos. O Social Media é hoje uma Muita gente tem também Mais de 4 milhões de realidade de sucesso, faz a ideia de que este portugueses já acedem à parte da vida das pessoas comportamento, cada vez Internet. Destes 4 milhões e das empresas que tiram mais dependente, dos Social "O Social Media é hoje uma realidade de sucesso, faz parte da vida das pessoas e das empresas que tiram novas soluções para proveito destas comunicar." mais de 3 milhões já proveito destas novas Media é para jovens e não estão registados em redes soluções para comunicar. para adultos, o que está sociais (fora os que lêem Quanto mais novas são errado. Blogues, fazem pesquisas na as gerações, maior é a Wikipedia, etc.). Sabemos sua ligação com o “mundo Para que conste, a média também que o tema “saúde” digital”, e já nada fazem sem de idades dos utilizadores é dos mais pesquisados no consultar a opinião de um de redes sociais está nos 32 mundo online, por isso, não amigo ou conhecido, mesmo anos. Os utilizadores que vale a pena “virar as costas” que virtual. mais procuram informação 101
  5. 5. pharmagazine 10MULTIMÉDIA Paulo Morais sobre saúde, segundo um é claramente mais uma das apendicite, como alguém já estudo norte-americano vantagens do Social Media: a o fez: da ICrossing, são da classe eliminação deste incómodo. etária dos 37 anos (em O utente questiona e “Será Apêndicite (inflamação oposição de quem procura partilha o que quiser, sem da apêndice)? informação sobre saúde no ter de se identificar. “mundo offline” que está na Eu gostava de saber se classe dos 44 anos). Casos práticos (exemplos quando ocorre a apendicite... reais!) se a dor é muito elevada O que é certo é que os e fixa num só sítio ou se a utentes já recorrem Um exemplo claro deste dor pode ser suportável e ao Social Media para tipo de comportamento é sem sítio certo?... ou então encontrar respostas. As visível em blogues como poderá ser gases... eu sinto necessidades de procura o http://linhasexologia. dores na barriga quase toda variam desde saber os blogs.sapo.pt/. Não estou e também na zona lombar.. custos/procedimentos de a questionar ou a analisar mas agora já quase não me determinada operação a qualidade do blogue dói...” médica, o custo de ou o tipo de respostas; o determinados aparelhos/ que reparo de imediato é Consigo obter respostas dispositivos ou até mesmo que estamos perante um minutos depois: para trocarem impressões blogue que tem centenas sobre determinado médico de comentários, cheios de “Apendicite (inflamação do ou sobre determinado dúvidas que certamente apêndice) se dá com dor prestador de cuidados de seriam incómodas de tirar forte na região do estômago, saúde. no frente-a-frente com um estafamento, perda do profissional de saúde. apetite, enjoos. Depois a dor Para além do mais, o Através deste blogue, o localiza-se no lado direito Social Media vem quebrar utente obtém respostas de do abdómen, próximo da um obstáculo que por vezes profissionais, sem ter que virilha. A dor se intensifica existe entre o doente/ passar pelo constrangimento ao apalpar essa região. utente e o profissional de de dar a cara. O diagnóstico deve ser o saúde – a privacidade. Numa mais rápido possível, com conversa frente-a-frente Outras realidades são exames de sangue, urina, ou por telefone é comum rapidamente identificadas. rx de abdómen, US e tc de que haja desconforto para Por exemplo, se colocar uma abdómen total.” alguns utentes falarem de pergunta na Web sobre a determinados assuntos. Esta possibilidade de ter uma 102
  6. 6. www.rcmpharma.com MULTIMÉDIA Paulo Morais O tratamento é cirúrgico A questão não está na indivíduo colocou na sua para a retirada do apêndice. resposta, mas sim nas actualização do Facebook Fonte(s): Passei por essa questões que se levantam. que tem dores de cabeça. cirurgia {vídeo} há 6 dias. Cada um de nós há-de ter uma resposta/opinião para Minutos depois, obteve uma Realço a fonte de quem este exemplo, mas o que resposta: respondeu à questão – é certo é que todos nós “Passei por essa cirurgia há pensaríamos duas vezes “Que pena, já tomou alguma 6 dias”. antes de assumir que coisa? Eu dou-me muito bem uma das respostas está com o XPTO (XPTO serve efectivamente correcta. para «camuflar» a marca "É uma oportunidade única para uma empresa se relacionar com o dando respostas às suas utente, necessidades." Se eu for ao médico e ele De um lado, temos o papel que foi utilizada). Faz logo me disser alguma coisa em experiente e científico do efeito e não tem qualquer contrário, relativamente a profissional de saúde, do efeito secundário” este testemunho que eu li, outro, temos o testemunho em quem vou acreditar? real de alguém que viveu Note-se que o utilizador Num médico que nunca tirou algo igual ao que estamos não pediu informação, a o apêndice ou em alguém a viver. Para ilustrar informação é que foi até que passou por isso há 6 outro exemplo, num outro ele. No caso de o utente dias? contexto, em que um andar atrás de informação, 103
  7. 7. pharmagazine 10MULTIMÉDIA Paulo Morais se não conhecer o fármaco neste mundo, é exactamente publicações sobre o tema, XPTO, vai certamente fazer este tentar influenciar. na primeira pessoa. uma pesquisa num Motor Jamais se conseguirá de Busca (por exemplo, controlar o que é dito e Estratégia DIM (Digital & o Google) para obter partilhado. É também uma Interactive Marketing) mais informação sobre realidade, mesmo que custe a recomendação que lhe acreditar, que as pessoas Com este artigo, não estou a foi enviada. Quem tiver começam a valorizar muito dizer que qualquer empresa destaque no motor de a opinião da sua “rede”, da Indústria Farmacêutica busca para a palavra-chave essencialmente porque ou mesmo do sector da XPTO terá possibilidade temem que o farmacêutico saúde deva avançar já de influenciar a decisão ou o médico apenas para o mundo digital, do utente, fornecendo-lhe queiram ganhar dinheiro. potencializando a interacção informação útil, relacionada Se quisermos entrar no com a população em geral com o fármaco XPTO. âmbito das patologias, é (doentes e não doentes) É uma oportunidade única impressionante o impacto e com os profissionais de para uma empresa se dos Social Media numa saúde. É preciso pensar relacionar com o utente, doença como o cancro. duas vezes, aliás, afirmo dando respostas às suas As pessoas aderem, claramente que não vale a necessidades. comunicam, trocam pena entrar em mercados ideias e testemunhos e desconhecidos sem qualquer Se as empresas não conseguem criar uma tipo de preparação (isto é tiverem capacidade para onda de solidariedade o que muitas empresas/ dar resposta a este tipo de impressionante. São organizações têm feito e o influência, vão certamente centenas de comentários e resultado é desastroso). estar a perder mercado. Cada vez mais, a reputação online e o destaque na Interactive Web é indispensável, não Marketing só para a classe utente, . Relacionamento mas também para a classe médica. Um dia alguém . Pesquisa . Feedback disse: “Não podemos . Partilha . Monitorização controlar o que se diz . Resultados na Web, mas podemos influenciar” – e o papel das Digital empresas/organizações, Marketing 104
  8. 8. www.rcmpharma.com MULTIMÉDIA Paulo Morais Defendo que deve ser papel dos profissionais de de espaços, credíveis, para criada uma estratégia saúde (o que não impede este tipo de informação e DIM (Digital & Interactive que haja uma adaptação por interacção. A integração dos Marketing) para garantir parte dos mesmos, até para cuidados de saúde com as que a “penetração” neste seu proveito profissional). ferramentas de Social Media “mundo” é feita tendo em Não devemos ignorar o papel podem, efectivamente, conta o ambiente em que que os Social Media podem ser muito eficazes para estamos envolvidos, o nosso ter e estão a assumir em combater alguns obstáculos público-alvo e os nossos sub-regiões onde o acesso à do nosso Sistema Nacional objectivos. É igualmente saúde é ainda mais limitado, de Saúde (SNS). importante definir em que se torna muito difícil estratégias de monitorização ter uma opinião médica para O dever de cada um e controlo, indispensáveis determinado sintoma ou define a importância de para o sucesso deste tipo de doença. uma nova realidade mercado. Nestas sub-regiões, o Todos nós (profissionais Os Social Media podem médico (muitas vezes o envolvidos no sector da melhorar o acesso aos único médico) é visto quase saúde) temos a árdua tarefa cuidados de saúde como um “Deus” que tem o de trabalhar para criar dom da palavra e da razão. fontes credíveis e espaços É importante olhar para Com os Social Media, os de relacionamento que estes comportamentos utentes têm oportunidade permitam ao utente interagir com atenção, destacando de recolher uma segunda, com profissionais de saúde, o lado positivo. Uma das terceira ou quarta opinião. em qualquer parte do grandes dificuldades mundo, melhorando o no acesso aos cuidados Isto não tem nada de acesso aos cuidados de de saúde é a precária negativo, desde que as saúde. Desta forma, todos provisão de cuidados de fontes sejam credíveis. Dois nós teremos a nossa vida saúde domiciliários que, casos que conheço bem muito mais facilitada com o muitas vezes, fazem com (www.rcmpharma.com e crescimento acentuado do que a população se dirija www.pop.eu.com) são mercado digital e interactivo, ao serviço de urgências, constantemente onde se incluem os Social inadequadamente, “bombardeados” com Media. prejudicando o acesso a questões e dúvidas sobre Paulo Morais quem realmente precisa. determinado produto, Obviamente que os Social patologia ou posologia, o que Comente este artigo na versão online disponível em www.rcmpharma.com/ Media não vão substituir o mostra claramente a falta revistas/revista-10/capa-10.html 105

×