Redes sociais e o seu papel na construção da imagem
(Análise dos casos Rosa Marina Meyer e Loft)
por Márcio Coutinho
As re...
convocação e mobilização bem como adquirir a possibilidade de estabelecer
interesses comuns rapidamente.
O Facebook é hoje...
necessidade de postar algo que se julga relevante para os amigos ou fazer
sucesso na rede com seu conteúdo, pode acarretar...
forma é necessário compreendê-los mais como uma tendência, que vem
intervindo significativamente no comportamento social e...
Numa rede social como Facebook, em que indivíduos ganham cada vez
mais poder de influência, é importante que as empresas m...
pela própria internet. E as marcas que não aproveitarem o poder de inovação
colaborativa desses espaços correm o risco se ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Redes sociais e o seu papel na construção da imagem - Análise dos casos Rosa Marina Meyer e Loft

1.087 visualizações

Publicada em

Redes sociais e o seu papel na construção da imagem (Análise dos casos Rosa Marina Meyer e Loft)

Publicada em: Mídias sociais
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.087
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Redes sociais e o seu papel na construção da imagem - Análise dos casos Rosa Marina Meyer e Loft

  1. 1. Redes sociais e o seu papel na construção da imagem (Análise dos casos Rosa Marina Meyer e Loft) por Márcio Coutinho As redes sociais firmaram seu espaço como importante ferramenta de construção de identidades pessoais e de marca em uma época onde as formas de relacionamento na sociedade se modificam radicalmente. Hoje seu uso se tornou um instrumento de comunicação fundamental e mudou os padrões de atividade nas empresas e o modo como a web é entendida e utilizada pelo usuário da rede. Mais do que uma mera marcação de território, as redes ganharam caráter de intensa influência e se manifestam não como uma tendência transitória, mas como espaço de construção dos sujeitos onde dia a dia pessoas e marcas projetam sua imagem. Também se caracterizam por ser espaços abstratos, onde são constituídos laços de afetividade e representações que ampliaram o conceito de liberdade de expressão e permitiu que, por maior que fossem as particularidades, o sujeito consiga localizar alguém com interesses em comum para interagir. Sua lógica de comunicação substituiu o processo unidirecional de transmissão de mensagens por um processo de democratização de diálogo. No ambiente das redes é proporcionado ao indivíduo a liberdade de se afirmar da forma que desejar, e este se representa da maneira que quiser, o que lhe dá muitas vezes a condição de assumir-se numa espécie de processo teatral de representação e ainda reunir-se em um determinado grupo com características semelhantes. As redes sociais possuem ampla influência no mundo atual e já transformaram-se em poderosas ferramentas de formatação de novos conceitos e portadoras de domínio ideológico, sobre um mundo onde o principio básico é o relacionamento. Na medida em que se é acolhido por uma gigante rede de contatos, há um sentimento de pertencimento que dá aos usuários uma sensação de poder para excluir os que se diferem do modelo escolhido como ideal. Criar uma conta numa rede social para se comunicar é encontrar-se na solidariedade de grupos que o acolhem, com poder de
  2. 2. convocação e mobilização bem como adquirir a possibilidade de estabelecer interesses comuns rapidamente. O Facebook é hoje a rede que está em crescimento constante e, com isso, vem sendo utilizada cada vez mais por indivíduos e marcas como canal de comunicação com seus pares. Além de representar forma de lazer e ter forte papel de integração social, é uma rede disseminadora de novos padrões, ideologias, linguagem, tendências e valores. No entanto um ambiente de tamanha força e alcance de comunicabilidade acaba por embaçar a visão de que a ferramenta é um ambiente transparente, onde tudo que é postado é colocado ao crivo dos seus integrantes e tem a capacidade de ampliação para dentro e fora do canal. Participar dessa atmosfera passa por um processo de percepção e identificação de que a transparência é ponto centralizador do modo de agir e em teoria quem estaria mais preparado para esse ambiente são as gerações mais novas, que já nasceram pertencendo ao ambiente de web e absorvem este cenário de instantaneidade com mais naturalidade. Desta forma, baseado nesses conceitos, procurou-se analisar aqui como a forma de utilização da rede virtual em questão configurou-se como um veículo de construção de identidade e formatador de tendências nos casos analisados. Caso Rosa Marina Meyer Estar presente em uma rede social é adquirir uma relação contínua de diálogo e estabelecer laços, uma vez que elas permitem e estimulam esse aspecto. Ao expandir a limitada barreira de comunicação as redes permitiram que uma pessoa tivesse suas ideias difundidas facilmente por vários fóruns. Porém a sensação de confiança excessiva e a percepção de que há ali um ambiente livre de censuras, faz com que se transmita para alguns usuários uma percepção de que pode-se publicar tudo o que lhe vem à mente. O caso da professora Rosa Marina Meyer representa uma demonstração de situação em que o sentimento de pertencimento adquire proporções exacerbadas e a
  3. 3. necessidade de postar algo que se julga relevante para os amigos ou fazer sucesso na rede com seu conteúdo, pode acarretar situações desastrosas. O ego se tornou uma centralidade na rede e leva alguns usuários, guiados pelo estímulo e pela sensação de permissividade que a rede proporciona, a danificar ou até destruir uma imagem construída ao longo de anos. A total liberdade que a internet aparenta é ilusória. O que acontece no mundo virtual pode trazer consequências no mundo real. Isso pode ser comprovado também pelo aumento no número de demissões ocasionadas por postagens indevidas de empregados relacionadas às empresas que trabalham. A atitude da professora além de demonstrar o despreparo também parece apontar para certa falta de limites em liberar manifestações e evidencia que o amadurecimento da sociedade, no que se refere à consciência sobre a postura nas redes sociais e suas consequências, é uma necessidade. Sem enxergar o grau das consequências que podem sofrer, muitos optam pelas mais variadas posturas, mesmo que elas sejam exageradas. Complicar-se por causa da própria postura digital mostra que usuários se perdem ainda para entender o alcance da ferramenta e caem na ilusão de que o conteúdo é controlável e que do outro lado não há risco, achando que suas opiniões ficarão apenas entre amigos e conhecidos. Curiosamente, em ambientes fora das redes sociais, não se comportam da mesma forma, justamente pela automática sensibilização das reações sociais que podem acarretar, o que apresenta sensação mais sutil quando se está por trás de um dispositivo tecnológico. E o efeito colateral vem de forma silenciosa e o usuário não tem ideia das consequências que podem enfrentar. Vimos uma profissional com a carreira sólida destruir a sua reputação por causa de um deslize em sua postagem. É óbvio que não era esperado que sua publicação fosse lida por milhares de pessoas e sua intenção foi partilhá-la como uma brincadeira para seus amigos que a aceitaram nesse contexto. Não pensaram o quanto isso poderia ser prejudicial para suas próprias marcas pessoais e sofreram as consequências tanto pessoais como profissionais das suas ações. O cuidado com o que se escreve nas páginas de relacionamento não é apenas uma questão de etiqueta e educação, e os problemas relacionados a postura na rede e suas consequências não são mais um efeito novo. Desta
  4. 4. forma é necessário compreendê-los mais como uma tendência, que vem intervindo significativamente no comportamento social e político desse próprio meio virtual. Caso Loft Hoje é possível encontrar praticamente todas as grandes marcas no Facebook. A presença dessas marcas na plataforma é considerado fundamental devido ao fator engajamento. Essa comunicação, que num primeiro momento teve como objetivo vender, hoje busca fidelizar o consumidor, mantê-lo mais informado, buscando formas cada vez mais inovadoras de se comunicar com eles. A relação entre os consumidores e as marcas fica cada vez mais próxima, imediata e interativa. A gestão da marca passa a ter uma ação colaborativa, na qual é possível debater e construir uma experiência de comunidade em torno da mesma. Assim como os usuários comuns, as marcas também precisaram se adequar às tendências e formas de comunicação que por ainda serem novidade para muitas empresas, pode resultar num trabalho sem planejamento, gerando crises de imagem devido à má utilização da ferramenta. Por outro lado, há empresas que sabem como aproveitar as transformações que esse ambiente proporciona e aprimoram seus processos de comunicação na rede. Isso abre um espaço que permite que as pessoas façam parte dos processos, dando suas opiniões e sugestões sobre produtos e procedimentos que venham a promover mudanças. O caso da Loft representa uma tendência de comportamento das marcas que vem utilizando suas páginas no Facebook como mais que uma simples ferramentas de marketing. Demonstrou que além de oferecer informações sobre seus produtos, se preocupa de verdade com a imagem que sua marca está transmitindo. As críticas foram uma oportunidade para a empresa se alinhar com relação ao que seu público percebeu de ruído em sua comunicação. A partir dessa escuta é que a mesma percebeu a oportunidade de corrigir seu marketing traçando uma nova estratégia que visou aproximar-se do pensamento do seu consumidor. Os consumidores deram um retorno positivo e se sentiram respeitados e valorizados com a ação de resposta.
  5. 5. Numa rede social como Facebook, em que indivíduos ganham cada vez mais poder de influência, é importante que as empresas mostrem que estão interessadas em ouvir, dando e recebendo feedback de seus seguidores. A empresa que preencher estas necessidades com uma estratégia adequada, terão vantagem em relação aos competidores que ignorarem este fator. A marca se fortalece e o público presente nestes canais percebe a autenticidade dos discursos, interagindo, compartilhando e proporcionando uma postura mais dinâmica e humana da marca na rede. Conclusão Da análise feita dos dois casos, compreendeu-se que a ideia das redes sociais como território livre não existe mais e que a rapidez com que as informações se propagam neste ambiente digital é muito grande, sendo cada vez mais difícil controlar o alcance. É indiscutível o importante papel que o tipo de comunicação que se faz nesses espaços desempenha hoje nos rumos de pessoas e empresas. Essas plataformas digitais quando bem utilizadas e trabalhadas em termos de conteúdo pode ser altamente positivas, possibilitando trazer influenciadores para a marca e compreender as necessidades de seus consumidores. Essa é uma qualidade que precisa ser conquistada a cada dia por meio de um comportamento e postura adequados das empresas no relacionamento com seus clientes e de pessoas com sua rede de contatos. E se uma empresa cria um comportamento, com uma postura clara e tem abertura pra uma resposta rápida, é mais fácil contornar críticas negativas. Da mesma forma que, quando má utilizada, uma informação divulgada de forma irresponsável pode causar estragos irreversíveis. Como ferramentas divulgadoras do nosso comportamento, elas começam a regular o que é socialmente aceitável. E parece desorientar alguns usuários que utilizam as redes ainda de maneira recreativa e insensata, comprometendo sua vida "real" e sem se dar conta do grande poder de reação sobre o que se fala no ambiente. Certamente as empresas estão buscando aplicações úteis para seus negócios nas redes e muitas já se deram conta que a revolução que virá a partir delas pode ser ainda maior do que aquela gerada
  6. 6. pela própria internet. E as marcas que não aproveitarem o poder de inovação colaborativa desses espaços correm o risco se isolar no mercado. Todo essa relação diária e próxima que as redes sociais proporcionam, onde as pessoas tem atuado em busca de aceitações e aprovações por meio de "likes", podem nos ajudar ou atrapalhar dependendo de como se lida com as situações de relacionamento. Seguramente o engajamento não é mais opcional e as empresas e pessoas tem que acompanhar a nova realidade. Só que existe ainda uma necessidade imperativa de que essa participação seja feita com uma gestão responsável para conservar a boa imagem e conquistar clientes e seguidores com essa ferramenta poderosa.

×