Conhecimento Empirico X Conhecimento Cientifico

74.986 visualizações

Publicada em

Conhecimento Empirico X Conhecimento Cientifico

0 comentários
12 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
74.986
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
312
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
651
Comentários
0
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conhecimento Empirico X Conhecimento Cientifico

  1. 1. Conhecimento Empírico X Conhecimento Científico: Uma abordagem simplificada
  2. 2. Empírico <ul><li>Conforme o Dicionário HOUAISS: </li></ul><ul><li>Baseado na experiência e na observação, metódicas ou não. </li></ul><ul><li>Relacionado a conhecimentos práticos </li></ul>
  3. 3. Científico <ul><li>Conforme o Dicionário HOUAISS </li></ul><ul><li>Área sistematizada do conhecimento, baseada no rigor científico. </li></ul><ul><li>Obtido através de método. </li></ul>
  4. 4. O conhecimento científico na Graduação <ul><li>A relevância da Metodologia Científica e das Técnicas de Pesquisa para estudantes e profissionais da Administração consiste em desenvolver habilidades de investigação e análise de problemas na vida real das organizações. </li></ul>
  5. 5. Método Científico e Técnicas de Pesquisa <ul><li>Ferramentas para: </li></ul><ul><ul><li>resolução de problemas </li></ul></ul><ul><ul><li>identificação de oportunidades </li></ul></ul><ul><ul><li>coleta de dados </li></ul></ul><ul><ul><li>análise de dados e resultados </li></ul></ul><ul><ul><li>tomada de decisão baseada em fatos e não em “achismos”. </li></ul></ul>
  6. 6. O Profissional Administrador <ul><li>O conhecimento teórico e técnico aliado ao espírito crítico são requisitos básicos para um profissional da Administração nos dias atuais. </li></ul><ul><li>A mediocridade e o “achismo” perdem espaço na Era do Conhecimento. </li></ul>
  7. 7. A Teoria e a Prática <ul><li>O método e o pensamento científico estão relacionados ao Estágio e à prática profissional? </li></ul><ul><li>De que forma? Como ocorre esta relação? </li></ul>
  8. 8. Bacharel em Administração Curso de Graduação – 4 anos <ul><li>A formação do bacharel deve contemplar </li></ul><ul><ul><li>resolução de problemas </li></ul></ul><ul><ul><li>identificação de oportunidades </li></ul></ul><ul><ul><li>coleta de dados </li></ul></ul><ul><ul><li>análise de dados e resultados </li></ul></ul><ul><ul><li>tomada de decisão baseada em fatos e não em “achismos”. </li></ul></ul>
  9. 9. Ou seja... <ul><li>Contemplando o Método Científico e as Técnicas de Pesquisa aprendemos a lidar com as questões do cotidiano profissional. </li></ul>
  10. 10. Bacharel em Administração <ul><li>Com o Curso de Graduação devemos superar as meras suposições para tomarmos decisões a partir de informações concretas e específicas . </li></ul>
  11. 11. Segundo GIL (1999, p. 55) <ul><li>...à medida que se pretende estudar um fenômeno cientificamente (...), torna-se necessário afastar juízo de valor. </li></ul><ul><li>A verificação empírica é o propósito da ciência. </li></ul>
  12. 12. Sobre a teoria científica <ul><li>Alguns filósofos “...afirmam que a teoria científica é um relato aproximadamente verdadeiro de como o mundo é.” </li></ul><ul><li>(Dutra, 2003, p.30) </li></ul>
  13. 13. O mesmo autor expõe... <ul><li>“ ...uma teoria científica fornece uma imagem do mundo.” </li></ul><ul><li>(Dutra, 2003, p. 52) </li></ul>
  14. 14. Convém explicitar... <ul><li>A teoria científica provém de Método Científico. </li></ul>
  15. 15. Método <ul><li>Segundo o Dicionário de Filosofia </li></ul><ul><li>Representa o conjunto de procedimentos racionais, baseados em regras, que visam atingir um objetivo determinado. </li></ul><ul><li>Japiassú e Marcondes (1996, p. 181) </li></ul>
  16. 16. Método Científico <ul><li>Caminho para se chegar a determinado fim. </li></ul><ul><li>Conjunto de procedimentos intelectuais e técnicos para se atingir o conhecimento. </li></ul><ul><li>Gil (1999, p. 26) </li></ul>
  17. 17. Conhecimento Científico <ul><li>O conhecimento só é científico se for passível de verificação, isto é... </li></ul><ul><li>Torna-se necessário descrever as operações mentais e técnicas que possibilitaram obter o conhecimento. </li></ul><ul><li>Explicações sobre o método adotado. </li></ul><ul><li>Gil (1999, p. 26) </li></ul>
  18. 18. Neutralidade <ul><li>Representa isenção, imparcialidade do pesquisador. </li></ul><ul><li>Imune a juízos de valor. </li></ul><ul><li>O olhar do pesquisador não deve ser “contaminado” por posições políticas, ideológicas, enfim, por preferências pessoais. </li></ul>
  19. 19. Neutralidade científica <ul><li>A idéia de neutralidade científica é extremamente polêmica nas Ciências Sociais. </li></ul><ul><li>Entretanto isto não justifica pareceres “carregados” de julgamentos preconceituosos e sem fundamento científico. </li></ul>
  20. 20. A interferência do sujeito no objeto pesquisado <ul><li>O pesquisador ao aproximar-se da realidade observada tende a interferir na mesma realidade que está pesquisando. </li></ul>
  21. 21. Minimizando as interferências do pesquisador <ul><li>Técnicas de pesquisa são aplicadas para que o estudo do fenômeno (objeto de pesquisa) propicie resultados bastante próximos da realidade. </li></ul>
  22. 22. Problema de pesquisa <ul><li>Aquilo que se quer pesquisar a respeito de um determinado tema. </li></ul><ul><li>Qualquer questão não solucionada e que pode ser discutida em alguma área do conhecimento. </li></ul><ul><li>Não necessariamente é algo RUIM. </li></ul>
  23. 23. Exemplos de Problema <ul><li>Em que medida a escolaridade determina o grau de produtividade do indivíduo na Empresa X? </li></ul><ul><li>De que forma técnicas de dinâmica de grupo facilitam a integração de novos funcionários? </li></ul><ul><li>Os problemas de pesquisa não devem conter juízos de valor (bom, ruim...) </li></ul>
  24. 24. Abordagens do Problema <ul><li>Método Quantitativo </li></ul><ul><li>Método Qualitativo </li></ul>
  25. 25. Método Quantitativo <ul><li>Caracteriza-se pelo emprego de quantificação tanto nas modalidades de coleta de informações quanto no tratamento dessas por meio de técnicas estatísticas. </li></ul><ul><ul><li>(Teixeira e Pacheco, 2005, p. 60) </li></ul></ul>
  26. 26. Método Qualitativo <ul><li>Não adota um instrumental estatístico como base do processo de análise de um problema para sua generalização. </li></ul><ul><li>Não pretende numerar ou medir unidades ou categorias homogêneas. </li></ul><ul><li>Utiliza-se do processo de problematização – objeto e contexto. </li></ul><ul><li>(Teixeira e Pacheco, 2005, p. 60) </li></ul>
  27. 27. Sobre a escolha do Método e das Técnicas de Pesquisa <ul><li>Deve-se considerar: </li></ul><ul><ul><li>Intenção do pesquisador </li></ul></ul><ul><ul><li>Natureza do problema e objetivos da pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível de aprofundamento </li></ul></ul>
  28. 28. Teixeira e Pacheco expõem que <ul><li>... é necessária uma tomada de consciência simultânea dos elementos subjetivos e objetivos. </li></ul><ul><li>Só assim teremos competências e habilidades interpretativas dos fenômenos sociais, compreendendo o sentido que as pessoas dão aos seus gestos, às suas ações e aos seus sentimentos. </li></ul><ul><li>(2005, p. 66) </li></ul>
  29. 29. Finalizando... <ul><li>Nas atividades do Estágio, e/ou profissionais, não se pode desprezar a dimensão teórica, sobrevalorizando o fazer pelo fazer. </li></ul><ul><li>Técnica e Conhecimento Científico estão a disposição do estudante e do profissional – temos que aproveitá-los. </li></ul>
  30. 30. Ainda sobre o Estágio <ul><li>O Estágio não é espaço apenas reservado à prática, e a sala de aula não é reservada somente para a teoria – temos que mesclá-los. </li></ul>
  31. 31. Ainda sobre o Estágio <ul><li>O Campo de Estágio é campo para: </li></ul><ul><ul><li>pesquisa, </li></ul></ul><ul><ul><li>formulação de problemas, </li></ul></ul><ul><ul><li>coleta e análise de dados, </li></ul></ul><ul><ul><li>correlação com os fundamentos teóricos. </li></ul></ul><ul><li>Enfim, espaço para a aprendizagem... </li></ul>
  32. 32. REFERÊNCIAS <ul><li>DUTRA, Luiz Henrique de Araújo. Introdução à teoria da ciência. 2 ed. Florianópolis: Ed. Da UFSC, 2003. </li></ul><ul><li>GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5 ed. São Paulo: Atlas, 1999. </li></ul><ul><li>HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. São Paulo: Objetiva, 2001. </li></ul><ul><li>JAPIASSÚ, Hilton; MARCONDES, Danilo. Dicionário básico de filosofia. 3 ed. rev. ampl. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.,1996. </li></ul><ul><li>TEIXEIRA, Rubens de França; PACHECO, Maria Eliza Côrrea. Pesquisa social e a valorização da abordagem qualitativa no curso de administração: a quebra de paradigmas científicos. Cadernos de Pesquisa em Administração, São Paulo : FEA/USP, v.12, n.1, p. 55-68, jan/mar 2005. </li></ul>

×